domingo, setembro 25, 2022

Gripen para o Brasil

50 anos do primeiro voo do caça Northrop F-5E Tiger II

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O caça Northrop F-5E Tiger II voou pela primeira vez há 48 anos, em 11 de agosto de 1972.

Os jatos T-38 Talon, F-5A/B Freedom Fighter e F-5E e F-5F Tiger II são parte de uma família amplamente utilizada de jatos leves supersônicos, projetados e construídos pela Northrop dos Estados Unidos, começando no final de 1959.

Centenas permanecem em serviço em forças aéreas de todo o mundo e ainda deverão continuar operando nas primeiras décadas do século 21. Outro membro da família, o F-20 Tigershark, não seguiu adiante, embora tenha sido um avião de combate com performance formidável.

O F-5 começou sua vida como um caça financiado pela iniciativa privada, num programa da Northrop na década de 1950. A primeira geração do F-5A Freedom Fighter entrou em serviço em 1960. Mais de 800 foram produzidos até 1972 para os aliados dos EUA, durante a Guerra Fria. A USAF não tinha qualquer necessidade de um caça leve, mas precisava de um treinador supersônico, que se materializou no T-38 Talon, dos quais quase 1.187 foram produzidos.

T-38 Talon

Sua segunda geração, o F-5E Tiger II, também foi usada durante a Guerra Fria pelos aliados americanos e, em quantidades limitadas, pela aviação militar dos EUA, como agressor/adversário em treinamento de combate aéreo; a produção do Tiger II chegou a 1.400 unidades, terminando sua produção em 1987.

Muitos F-5s continuam em serviço, tendo sido submetidos a uma ampla variedade de programas de upgrade, para acompanhar a evolução do combate aéreo. O F-5 também tem uma versão dedicada à missões de reconhecimento, a RF-5 Tigereye.

As variantes F-5N/F também permanecem em serviço na Marinha dos Estados Unidos e no USMC, como adversário/agressor.

A Northrop fabricou 792 F-5Es, 140 F-5Fs e 12 RF-5Es, além de licenciar outros países para produzí-lo: 56 F-5Es e -Fs, mais 5 RF-5Es foram montados na Malásia, 90 F-5E/Fs na Suíça, 68 na Coréia do Sul e 308 em Taiwan.

Northrop F-5E (Tail No. 11417). (U.S. Air Force photo)

O F-5 em combate

Em outubro de 1965 a USAF começou a avaliação de 5 meses em combate com o F-5A, num programa batizado Skoshi Tiger. Doze caças foram entregues ao 4503rd Tactical Fighter Wing e redesignados F-5C.

Eles voaram 3.500 surtidas no Vietnã sob a 3rd Tactical Fighter Wing, com duas aeronaves perdidas. O programa, que tinha um objetivo mais político do que técnico, foi declarado um sucesso.

Nas duas fotos acima, o F-5C operando durante a Guerra do Vietnã

A Força Aérea Imperial do Irã tornou-se um dos maiores operadores do F-5, recebendo muitas aeronaves nas décadas de 1960 e 70. Foram 104 F-5A e 23 F-5B em 1972.
De 1974 a 1976, o Irã também recebeu 166 F-5E/F e 15 RF-5E. Depois da revolução, a Força Aérea da República Islâmica do Irã conseguiu manter seus F-5 voando, com peças obtidas de outros países e, depois, produzidas localmente. (Atualmente, o Irã produz sua versão local do F-5, o “Saegeh”).

Durante a Guerra com o Iraque na década de 1980, os F-5s estiveram muito envolvidos, em missões ar-ar e ar-superfície. F-5s iranianos travaram muitos combates aéreos com caças iraquianos MiG-21, MiG-23, MiG-25, Su-20/22, Mirage F-1 e Super Étendards, obtendo muitas vitórias.

Caças F-5 do Irã

F-5E da Arábia Saudita

Entretanto, os registros de combate não são conhecidos, com diferentes resultados de fontes iraquianas, iranianas, russas e ocidentais.

Mas pode-se afirmar que, nos primeiros anos, as vitórias penderam para o F-5, graças à melhor tecnologia dos mísseis IR americanos, e mais tarde, a diferença caiu, com a obtenção de melhores mísseis e aeronaves pelo Iraque.

Em 1977, 2 caças F-5E da Etiópia teriam derrubado dois MiG-21MF da Somália e provocado o choque em vôo em outros dois MiGs, que tentaram escapar de um míssil AIM-9B. Entretanto, três F-5 etíopes foram derrubados por fogo antiaéreo em missões de ataque na Somália.

A Arábia Saudita, outro grande operador do F-5, empregou a aeronave na Guerra do Golfo em muitas missões em 1991, perdendo uma aeronave para o fogo antiaéreo.

Painel original do F-5E 4863 em 2002 – Foto – Nunão
Painel do F-5EM modernizado com telas multifunção – foto Poder Aéreo – Nunão
Northrop F-5F (Tail No. 00889) in flight. (U.S. Air Force photo)
F-15 Eagle e F-5E Tiger II, em 1984
F-5E da Marinha dos EUA
F-5E da Força Aérea Mexicana
Os F-5E da Tailândia comemoraram 40 anos de operação em 2018
F-5E da Tailândia
Northrop F-5E do Marrocos
Northrop F-5E do Marrocos
Northrop F-5E da Força Aérea Suíça
Northrop F-5E da Força Aérea Suíça
F-5Em da FAB com mísseis Python 4 e Derby
- Advertisement -

9 Comments

Subscribe
Notify of
guest

9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
GUPPY

Esse primeiro F-5 não veio para a FAB, anos depois?

LucianoSR71

Enquanto estava escrevendo o meu comentario sobre isso, vc postou o seu.

LucianoSR71

Caros editores, vcs esqueceram de destacar uma matéria que fizeram em 2020.

Last edited 1 mês atrás by Alexandre Galante
Alexandre Galante

Vamos postá-la novamente rs

LucianoSR71

Quando eu comecei a ler me lembrei dessa matéria e achei que em algum ponto vcs iriam colocar o link, mas esqueceram … que vergonha, rs.
Abs.

Alexandre Galante

Não esquecemos, a ideia era publicar em separado como fizemos em 2020.

LucianoSR71

Tá bom eu acredito…não vou pedir sindicância por isso.

Marcelo

Que nada,a linha de produção f-15 e f-18 esta esta com pedidos mínimos do governo americano para ajudar a manter a linha de produção aberta, quem comprar esses aviões com 2 anos recebem os aviões !!!

Hellen

Pelo o que costa no noticiário internacional o irá agora vai de Su-35,pilotos iranianos ja estão recebendo treinamento na Rússia !!!!

Últimas Notícias

Os EUA perderam a supremacia convencional, precisam de investimento para manter a dissuasão

A China avançou tanto e tão rápido em seu poder aéreo e espacial que a capacidade da Força Aérea...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -