segunda-feira, agosto 8, 2022

Gripen para o Brasil

França, Alemanha e Suécia assinam acordo de avião de transporte tático para 2040

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Objetivo é substituir, por volta de 2040, aeronaves C-130 e CN-235 das frotas dos três países – desenvolvimento deverá ser iniciado em 2026-27

Segundo notícia publicada na segunda-feira, 4 de julho, pelo site Defense Brief, os governos de França, Alemanha e Suécia assinaram um acordo para o programa denominado FMTC – sigla em inglês para futuro cargueiro tático de tamanho médio (Future Mid-Size Tactical Cargo). O objetivo é desenvolver um avião de transporte militar de nova geração, capaz de substituir frotas de aeronaves C-130 Hercules e Casa CN-235 das três nações por volta do ano 2040.

A França será coordenadora do projeto, e espera que mais países europeus se juntem, em breve, à iniciativa. O acordo permitirá a definição dessa aeronave que deverá operar complementando a frota de transportes A400M, de maior porte, o que inclui operações em pistas estreitas e não preparadas. A iniciativa é apoiada pela Agência de Defesa Europeia, como parte da Cooperação Estruturada Permanente (PESCO – Permanent Structured Cooperation.

Por enquanto, as informações trazidas pela matéria do Defense Brief indicam que não há pressa nesse programa, que visa ampliar as capacidades de mobilidade aérea das Forças Armadas dos estados-membros da União Europeia: a partir da assinatura (feita em 23 de junho e anunciada apenas no dia 30), a expectativa é chegar a especificações comuns e mais precisas, para entrar em estudos de viabilidade industrial. Estes poderão então levar ao lançamento, daqui a quatro ou cinco anos, do desenvolvimento efetivo da aeronave.

FOTOS: Força Aérea e Espacial Francesa (C-130 e CN-235, em caráter meramente ilustrativo)

NOTA DA REDAÇÃO: O site defensa.com noticiou em 8 de dezembro de 2021 que a Airbus estudava produzir um avião bimotor que seria uma versão reduzida do A400M, designada A200M.

O avião empregaria o mesmo tipo de motor usado no A400M e teria como alvo substituir o CN235 e o C-130H Hercules.

O A200M, conhecido como futuro avião tático médio, seria um concorrente direto do C-130J e do Embraer KC-390.

As características divulgadas do A200M incluíam um comprimento de 34,4 m, peso máximo de 97 toneladas e volume do espaço de carga de 280 metros cúbicos.

A ideia seria ter o novo avião pronto entre 2030 e 2035.

- Advertisement -

136 Comments

Subscribe
Notify of
guest
136 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vítor

A diplomacia Brasileira precisa agir e a Embraer também. Apesar de essa aeronave estar planejada para operar somente em 2040, futuramente concorrerá com o KC-390 ou sua segunda geração. Acredito que o segundo lote dos F-39 deveria ser condicionado a compra dos KC-390 ou A-29 pela Suécia ao menos.O Problema é que de fato nós precisamos do segundo lote e ir buscar outro caça com possível compensação está fora de cogitação.

Aéreo

Eu concordo Vitor, acho que somos bem pouco pro ativos em muitas coisas. Também concordo que seria loucura um segundo lote de um modelo diferente. Faz o que todo mundo faz quando vai comprar mais caças. Abre concorrência internacional e faz os fornecedores abaixarem os preços por meio de competição, mesmo que ao final o vencedor seja a SAAB, mas seguramente ela vai ter que fazer concessões. Mas antes de abrir concorrência dá o seguinte recado. Ou compra itens de alto valor agregado como o KC-390, A-29 ou então vai ter concorrência no segundo lote sim. Uma coisa que vai… Read more »

Dilbert_SC

Olá Vitor,
A diplomacia brasileira, que já teve nomes como Barão do Rio Branco e Osvaldo Aranha, agora está relegada a uma posição vergonhosa, que preza os interesses de qualquer um, menos da nação.
Não dá pra esperar muito por eles não (infelizmente).

Anderson Graça

Exatamente

Rodrigo Martins Ferreira

Amigão… quem fechou o acordo do Gripen, sem compensação foi a Dillma..

Os suecos não tem obrigação alguma de comprar qualquer coisa que não esteja em contrato..

Rodrigo Martins Ferreira

Me expressei mal…sem a garantia de comprar o KC390

Bruno

Mas a contrapartida nunca foi o KC390. Pode ser agora num segundo ou terceiro lote, mas o inicial nunca foi.

Rodrigo Martins Ferreira

Exato… n tem pq ter gente chateada sobre isto..

Pedro

kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Língua é o chicote da bunda, cuidado ao debater com experts. Parabéns pela “mea” culpa. Abraço.

Von Richtoffen

Fácil falar qualquer coisa, né?

alaor

Como garantir a venda de algo que não existia naquele momento?

André Souza

O problema não é do Itamaraty mas a quem ele está subordinado, vivemos nesses anos passados e presente problemas caóticos envolvendo nossa diplomacia, o poder executivo que comanda as relações exteriores do nosso país apequenou nosso poder de negociar e manter uma diplomacia aberta para todos, com o intuito dos seus interesses ideológicos próprios, isso é um veneno para qualquer campo diplomático, além do mais nossa queria Academia do Rio Branco e nosso Itamaraty é muito respeitado lá fora, contudo está perdendo o prestígio pelos problemas aqui citados.

Silvano

Tens é saudade do tempo em que bilhões de dólares dos brasileiros era despejado a fundo perdido, sem contra parte alguma, para financiar ditaduras socialistas mudo a fora, a maioria nunca nos pagou, outras ainda se davam ao deboche de dar charutos como garantia, muita gente tem saudades desse tempo. Esquece, uma coisa é a pesquisa e o “bug” da foto, a outra é a realidade das ruas. Você entende porque Lula é até hoje “amado” mundo a fora e particularmente em países sul americanos? uma coisa posso te garantir, não é pelo bem dos interesses dos brasileiros. Negócio mesmo… Read more »

alaor

Esses bilhões abriram diversos mercados consumidores para nossos produtos, além de retornarem via empreiteiras e os países ainda ficavam devendo ao Brasil. Inglaterra fez isso, Eua sempre fez, China hj faz…. receita de pais que quer abrir mercados é ceder capital não tem outra maneira!

André Souza

Caro Silvano, o Itamaraty é um órgão de Estado e assim deve ser tratado, infelizmente os governos que entram em seus mandatos usam desse órgão para interesses próprios, uns mais e outros menos porém nenhum outro governo isolou tanto nosso campo diplomático como o atual, é só você vê nossas relações exteriores e como o atual presidente é tratado em reuniões de blocos importantes, e não adianta vir com esse papo de vitimismo que não cola, antes que você me chame de comunista ou esquerdopata já digo de antemão que sou de direita, porém não tenho político nem governo de… Read more »

Neto

Como todo discurso BolsOlavista, com a desculpa de tirar a ideologia dos processos estatais Bolsonaro destruiu nossa neutralidade e respeitabilidade para implementar uma política externa ideologia personalistica.
.
“Quem manda é ele”.
.
E é assim que o país que ia pro ralo com a política corrupta do PT mergulhou em uma corrupção ainda pior a ponto de boa parte da população querer o barba novamente no poder.
.
Precisamos de projeto de estado, não dessa guerra egocêntrica de quem não está nem aí para o país.

Neto

Obrigado Nunão.

Pode apagar acima se quiser.

Wellington Kramer

Claro, era melhor na época no mensalão.

Neto

pra tu ver como piorou,

alaor

Mensalão hoje se chama orçamento secreto, só para constar.

Teropode 🇺🇦Slava Ucraina

Sim , o acordo assinado não obrigava o Brasil adquirir o 2lote , então por questões industriais seria interessante uma nova concorrência e de quebra adicionar como uma das compensações adquirirem o KC390 ……se este cargueiro for bimotor a hélice , não acredito que possa causar problemas para o KC390 , mesmo com a mesma carga ….

Hcosta

Que diferença a Suécia nas vendas? 2 ou 3?
Isso é quase fazer chantagem com a Suécia… Se não comprou é porque deve ter as suas razões e é preciso saber quais são.

Uma condição essencial é o financiamento, boas condições de crédito, pagando à Embraer mais cedo e dilatar os prazos para os compradores, entre outras operações financeiras. Mas isso é normalmente feito pelo Estado.

Jadson S. Cabral

Pra quem até agora só vendeu 30 aeronaves, cada uma conta, amigo. Seria mais um país operando a aeronave por pelo menos uns 30 anos, dando dinheiro a Embraer e gerando emprego na industria brasileira. Além do mais, quem compra 3 pode comprar mais 3.
Motivos… o motivo deles é que eles são expertos e nós bestas. Só isso.

Hcosta

E vão ser esses aviões que vão permitir manter a linha de produção e manutenção aberta? Mais um ano de produção? O importante é ser sustentável ao longo de alguns anos. E para isso é preciso mais encomendas. Até para ter capital financeiro e tecnológico para o próximo modelo (um sucessor ou outro projeto) e assim conseguir sustentar a indústria no longo e médio prazo. Produzir algumas unidades, fecha-se a linha de produção, são mantidos para além do prazo e voltamos ao ponto inicial em que tem de começar quase do zero. Mas isso sou eu a especular. Não sei… Read more »

Renato

Pois é..
E essa noticia logo depois daquela que os mesmos suecos ofereceram gripens de graça aos tchecos por conta de um contratinho muito menor. (Ah, e com entregas RÁPIDAS kkkk)

Só faltou alguém gritar: Chupa essa, trouxa!
Mas sempre tem alguém com bons argumentos em prol desses suecos tão bonzinhos e solícitos..

O Gripen está fadado a ser um fracaso de vendas tal como o AMX, embarcamos nesse barco sozinhos com a mãe da criança.

Thiago A.

“O contrato de compensações devidas pela Saab no programa F-X2 é de aproximadamente 9 bilhões de dólares, com cerca de 60 projetos envolvendo meia dúzia de empresas privadas e outras tantas organizações da FAB”

Mas no caso você queria que FAB negociasse uma dúzia de gripens C surrados … Genial. Ótimos argumentos os seus, realmente.

Renato

” você queria que FAB negociasse uma dúzia de gripens C surrados”
Eu disse isso?
Já sei, você acredita nessa história de ToT etc.. Que argumentos fortes.. kkk

Last edited 1 mês atrás by Renato
Thiago A.

Você não sabe nem o que disse/escreveu ? Releia o seu comentário então. Deixaste claro que a compensação oferecida aos tchecos é mais atrativa, vantajosa e generosa. Lembrando, são 12 Gripens C usados e bem pagos em todos esses anos de leasing, então nada de graça. Sobre o que eu acho sobre as TOT ou deixo de achar não é relevante, porém antes de opinar seria bom você conhecer a indústria aeronáutica do seu país, ler como ela cresceu e adquiriu sempre mais capacidades e experiência. Se não for suficiente como “argumento forte ” observe como na maioria dos contrato… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Thiago A.
Renato

Releia você e tire a conclusão que quiser, pouco me importa.
Aliás, nem sei porque ainda estou te respondendo..

Radagast, o Castanho

Rapaz, avião não é carro. Um avião com 800 unidades vendidas ao logo de décadas de produção, por exemplo, é considerado um modelo de sucesso, por isso cada unidade conta bastante.

Voltei, tava num spa cheio de gente boa. Tinha até mágico… o cara saia da camisa de força rapidinho.

Anderson Graça

Infelizmente o Brasil não tem governo “nunca teve” e muito menos influencia diplomática no âmbito externo. O nosso pais é como um avião sem piloto em um voo rumo ao desastre.

Nelson Junior

Me diga qual projeto das forças armadas foi “interrompido” ou deixou de se apoiado pelo governo, mesmo em tempos de pandemia e crise mundial ?
O problema é que antigos governos roubaram de mas anteriormente e agora tem que fazer o que dá para fazer…
Mas mesmo com tantos problemas aos poucos vai acontecendo… Mais Gripens com misseis de primeira linha, Prosub, Corvetas Tamandaré, Guaranis, AVTM -300, base de alcântara, etc…
Quem abandonava tudo que começava era o governo anterior

Wellington Kramer

É Nine!

Von Richtoffen

E no Primeiro Turno!!!!!

glasquis7

o segundo lote dos F-39 deveria ser condicionado a compra dos KC-390 ou A-29 pela Suécia ao menos…”

E se a Suécia não quiser nenhum dos dois?

B) Vai e compra dos russos (Que também não comprarão o KC nem o A 29)
C) Compra dos Americanos (Idem)
A) O Brasil fica sem caças
D) Nenhuma das anteriores?

Não é assim tão fácil quanto parece.

A inserção de um produto da América do sul, num mercado bélico de importância, demora e depende muito do peso geopolítico. Algo do que todos os países da região carecem.

Vítor

Concordo! Por isso que entendi também que seria uma sinuca de bico.
Único que poderia fazer moeda de troca seria a França com Rafale mas ai criariamos um problema pra nos também com apenas 96 Gripen Fabricados. Estamos na sinuca.

ChinEs

Eu sempre achei a escolha do Gripen o pior negocio para o Brasil, o melhor seria escolher o F18 Super Hornet,se assim fosse a BOEING ja estaria investido na EMBRAER, o KC390 seria um produto da BOEING, agora somente com o Gripen, o Brasil esta isolado no KC390.

TR xavante

Parceria com boing é maluquice, eles estão uma draga de destruir projetos.
Brasil tem que entender seu posicionamento e procurar parcerias para produzir os produtos daqui em outros países, como é feito com o ST.

Teropode 🇺🇦Slava Ucraina

Também era favorável mas felizmente o software lequetrefe do MAX salvou a Embraer de uma entubação , melhor sozinha guerreiros 🙏🙏🙏😂

Aéreo

Programa de avião militar em cooperação na Europa? Liderança francesa? Normalmente isto resulta em atrasos, estouro de orçamento, brigas politicas por protagonismo, normalmente com os franceses fazendo birrinha por qualquer coisa. Vai ter motorização já existente ou vai ser desenvolvida motorização dedicada? Se for dedicada, mais atraso, problemas técnicos, baixa escala, mais birrinha etc… Sorte que a Inglaterra desta vez tá fora. Porque senão além de tudo isto, ainda teríamos: “Os EUA nos ofereceram uma oferta super vantajosa pra sair do programa e comprar o avião deles e estamos pensando seriamente nisto” Aliás me lembro de um trecho de uma… Read more »

Palpiteiro

Eu pensei o mesmo. Meu palpite é que esse projetos europeus estouram muito o orçamento e atrasam muito. Vão querer inserir tecnologias novas, muitas vezes desnecessárias somente paras as empresas ganhar dinheiro. Vão entrar numa seara de discutir, estrutura de carbono, propulsão elétrica, hidrogênio…etc. Vira um NH-90. Não acredito que possa ter custo competitivo para não participantes do programa. CN-235 e C-130 são aviões de categorias diferentes. A Airbus vai acabar participando. Até sair o C-390 já vai estar bem maduro e pode evoluir para uma motorização NEO, que o vai tornar melhor ainda. Resta a LM e Embraer baixar… Read more »

Palpiteiro

Pode forçar a LM se mexer. Haverá 2 concorrentes mais modernos que o seu produto no mercado.

BK117

AlôÔô… alguém avisa essa galera que o avião que eles querem já existe e logo logo estará voando em 3 forças aéreas europeias, por favor…

Agora é a hora da Embraer fazer marketing agressivo do KC, especialmente na Europa, sendo um avião moderno e em operação, sem a demora e os riscos desse novo desenvolvimento. É agora ou nunca.

Quanto à participação sueca: “até tu, Brutus?”

Jadson S. Cabral

E o lobby das industrias europeias??? Não consigo ver França e muito menos Alemanha deixando de desenvolver uma aeronave, ainda que ela venha a ser muito mais cara que o C-390 para comprar do Brasil. E a Suécia… bom, a Suécia já mostrou quem é. Ou melhor, nós que mostramos que somos bestas. Os governos viram que o mercado para uma aeronave nova nesse porte é muito promissor. Viram o que a Embraer viu lá atrás, pois se a Embraer, sem qualquer apoio do governo está conseguindo, aos poucos emplacar a aeronave na Europa, imagina o que a UE conseguiria… Read more »

TR xavante

Mas é só fazer uma parceria, a Embraer estava aceitando ceder 50% do projeto c390, para a boing sem nenhuma venda garantida.
Se europeus garantirem uma quantidade relevante, faria a mesma parceria e produziria lá.

Sensato

Só que não parece que estejam interessados.

Jadson S. Cabral

A Boeing é a Boeing. Quando fez essa proposta eles deveriam estar penando no mercado interno e em alguns países que os EUA com certeza emplacar a aeronave. A Europa no caso não teria esse mesmo poder e acho que nem interesse.
E tem mais, os europeus quase nunca conseguem se entender em seus projetos. Onde tem França e Alemanha no meio, sempre tem alguém brigando pelo domínio do projeto e para incluir o máximo de suas empresas. Imagina o que daria pra gente…

Last edited 1 mês atrás by Jadson S. Cabral
Sensato

“A Embraer, sem qualquer apoio do governo”. Putz…

DFA

Diplomacia Brasileira é de rir.
Basta ver a cortesia com que Bolsonaro recebeu o Presidente Português, representante do único país parceiro que adquiriu o KC.

Pedro Fullback

O que a diplomacia brasileira fez nesses últimos 40 anos? Absolutamente nada. Nossa diplomacia sempre foi de ficar em cima do muro, de tentar resolver o problema dos outros, mas para trazer benefícios ao povo brasileiro sempre foi inexistente. Holandeses tentam boicotar de todas as formas o acordo mercosul-uniao europeia, como também, tentam criminalizar o nosso agronegócio por serem nossos concorrentes, só pq eles compraram o kc390 é que eu tenho que abaixar a cabeça? Pense grande rapaz. Quem representa o nosso país é o nosso presidente, então o correto seria o presidente de Portugal visitar o presidente atual, e… Read more »

DFA

Baixar cabeça?? Rir mesmo para não chorar de sua argumentação.
Então o Bolsonaro desmarca o almoço feito criança birrenta, com o cara simplesmente porque ele visitou dois ex-presidentes, Lula e Temer, dois elementos do espectro político oposto, por uma questão de protocolo e formalidade a ex-presidentes e você me vem falar de baixar a cabeça?
Isto foi tudo motivado por política interna e foi uma tremenda falta de consideração por um parceiro nosso cujo país tem centenas de milhares de nossos compatriotas.
Acima de tudo um Presidente Brasileiro deve ter sentido de Estado e não individualismo político.

Allan Lemos

Exato. E ainda tem gente que elogia a diplomacia brasileira.

O Itamaraty é uma piada.

Adriano Madureira

Recebeu ele como um verdadeiro miliciano carioca ! Com sua ignorância e truculência habitual… Como um garotinho buchudo, esnobou um evento do governo português no Brasil onde estaria o Marcelo Rebelo de Sousa,e não compareceu porque João Dória estaria no evento,que seria a reabertura do Museu da língua portuguesa em SP. O miliciano do Planalto faltou à reinauguração para não se encontrar com o então governador de São Paulo, João Doria (PSDB), um adversário político. “Convidamos o presidente, que infelizmente preferiu passear de motocicleta em Presidente Prudente”, disse Doria à ocasião. Acabou mostrando somente sua imaturidade política ao faltar ao… Read more »

Z Renato Vilhena Z

A solução é simples: chama-se Russia. O Brasil deve fazer um acordo com a Russia e a China para substituir os componentes ocidentais do KC390 por componentes russos e chineses. E vender para a Russia, a China, e todos os outros caras maus do planeta. Todo o Titânio da Embraer vem da Russia. A Embraer embargou a Russia e agora terá que comprar titânio de outros fornecedores, fornecedores estes que são os mesmos que fornecem para a Airbus. Sendo que muito provavelmente o capital das empresas ocidentais que fabricam titânio para aviação é em boa parte controlado pelos mesmos controladores… Read more »

Jadson S. Cabral

Lá vem o louco

glasquis7

Isso mesmo!

Assim a China e a Rússia postergam a sua indústria local que já produz o Y-20 Kunpeng, Xian Y-20, Antonov, Ilyushin, para comprar um produto brasileiro.

Estou pensando em pedir ao meu médico pra aumentar a minha dose… A que estou tomando não tá dando resultado.

Z Renato Vilhena Z

A Russia estava desenvolvendo um avião da categoria do KC390, mas ele caiu. A Russia está portanto precisando de um avião da categoria do KC390. O que o Brasil está fazendo que não está indo neste momento negociar a compra do Su-57 com a Russia? Por que está indo comprar mais vinte grimpes da Suécia? Em troca de quê? Por que não está indo até Putin para propor a compra do Su-57 e de mais algumas coisas em troca da compra do KC-390? Fazendo assim com que, pelo menos a Suécia venha correr atrás do Brasil para conversar. Não é… Read more »

João Adaime

Caro Renato
Com as sanções impostas à Rússia, nosso C-390 só poderia ser oferecido àquele país sem motores, aviônicos e partes da fuselagem. Eles iriam querer?
E não vale o argumento de que eles poderiam suprir estas lacunas. Primeiro, porque no momento não estão e nem estarão num futuro não se sabe até quando em condições.
Depois, isto seria desenvolver um novo projeto, algo para uns 10 anos.
Abraço

Z Renato Vilhena Z

O PD-14 que equipará a versão totalmente russa do MC-21 está na fase final de testes. O PD-14 é motor da mesma categoria do motor do A320, que é o motor do KC-390. Os russos não tem razão para não ficarem interessados no desenvolvimento conjunto de um avião com o Brasil. O próprio Serguei Shoigu já visitou a Embraer em busca de parcerias, embora não tenha sido recebido pelo CEO. Todo o restante dos aviônicos não são nenhum mistério para os russos. O KC390 foi pensado para ser vendido para a Europa e outros países, não para a Russia ou… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Z Renato Vilhena Z
Thiago A.

Não acertou uma ! •Começando pelo Xavante , uma aeronave #Italiana # construída sob licença pela Embraer. Algo que forneceu uma expertise valiosa naquele momento para a empresa brasileira . •A Embraer não perdeu o mercado europeu, é o contrário. Ninguém teria apostado um centavo que a Embraer conseguisse emplacar uma aeronave militar na Europa onde a política de proteção da própria indústria é muito forte e os programas comunitário visam justamente preservar essa autonomia e o próprio parque industrial. O feito de ter conseguido já em três países, mais ainda na Holanda, é um sucesso inesperado. • Desconheço essa… Read more »

João Adaime

Caro Renato
Concordo contigo, mas ressalto que não é algo pra amanhã. Seria um novo desenvolvimento, uma vez que o Brasil não faz tudo. Só a simples substituições das partes da fuselagem já seriam muitas horas na prancheta (linguagem figurada) e testes e mais testes.
Abraço

KC-390.jpg
João Adaime

Sem falar no recheio elétrico/eletrônico/mecânico.
Resta saber se a FAB autorizaria mexer no seu avião.

KC-390 I.jpg
Hcosta

E quantos aviões militares a Rússia importou?

Z Renato Vilhena Z

A Russia não é estupida, ela não sai por ai comprando coisas, ela procura desenvolver por conta própria.

Mas existe uma coisa chamada conversa.

Funciona assim: “Gostaríamos de comprar uns Su-57 e algumas outras armas de ponta, tipo umas fragatas, ou uns Okhotnik. Mas seria muito bom para nós se vocês comprassem uns aviões nossos feitos no Brasil, mas com componentes russos. Não parece bom?”

Falando assim, desse jeito, a Russia já importou até um Porta Helicópteros da França.

Hcosta

Não, a Rússia encomendou um porta heli sob circunstâncias muito diferentes…

A Rússia não é uma economia moderna. Não segue as mesmas regras que o resto do mundo, incluindo a China…

Mas deve ser a Rússia que vai encomendar um produto de outro país, com componentes Russos, que vai ficar muito mais caro do que se fosse produzido localmente… Talvez se conhecer as pessoas certas…

Mas certamente que alguém vai ter prejuízo mas não deve ser a Rússia…

glasquis7

Entenda que o KC 390 é um produto ocidental, foi criado com mentalidade (por assim disser) OTAN. Tem um conjunto que o impossibilita de ser adaptado no curto prazo, aos padrões russos.

Teria que trocar motores, aviônicos , em fim, o principal do avião pra se encaixar na doutrina russa.

Não é algo fácil.

Foxtrot

É o que falta ao Brasil e ao continente Sul Americano.
Tudo que precisamos em se falando de tecnologias temos disponível aqui, o que falta é uma maior integração.
A Argentina fábrica canhos há tempos, o Peru e Colômbia possuem uma forte e crescente indústria naval, nós temos uma grande indústria aero espacial e por aí vai.
Vários países do continente tem projetos que se partilhados, se tornariam o supra sumo da tecnologia.
Mas vivemos lambendo as botas e outras coisas de Europeus colonizadores e Norte Americanos imperialistas.

Silvano

Sai dessa, rapaz. Fazer negócio com esses caras é furada.

Foxtrot

Então é melhor dar dinheiro superfaturado para os Europeus e Americanos ?
De quebra eles ainda levam de lambuja nossa soberania !
Não acho muita vantagem nisso não.
Está acompanhando a “novela” sobre a combustível para o Subnuc ?

Rui Chapéu

Ué!

Vão fazer um carrinho de mão entre 3 países?

Frances agora vai ter que engolir seco a me*** que falou….

Mas enfim, seria a hora talvez de cobrar a suécia… já que frances e alemão não engolem de jeito nenhum brasileiro sendo melhor que eles.

Thiago A.

Já não bastasse os bajuladores do Kremlin e o outro com os traumas do rolê de final de semana onde tem que pagar a cerveja 🍺 e churrasco… Chega mais um que tira fora fora a conversa do ” carrinho de mão”, uma fala de um ministro francês para justificar uma eventual aquisição dos Kc-390 , quando questionado sobre a oportunidade pois poderia afetar negativamente o A-400, tentando ressaltar que são aeronaves de categorias diferentes.
Muito mimimi

SGT MAX WOLF FILHO

Eu avisei que a SUÉCIA ESTAVA SUSPEITA por não comprar os KC-390 e Fanboys disseram não a Suécia quer um vector pronto, por isso está certa a compra dos C130 da Itália… na verdade esses C-130 é só um tampão ate os cargueiros FMTC, gente parem de puxar saco de empresa de outros países, não vai ter um outro pais salvador que vai salvar a gente serão nós mesmos, seja nacionalista defenda as empresas do Brasil e que elas tenham preço justo para ser competitivo sem exploração, que ai sim, seremos uma nação forte, caso contrário seremos aquele vizinho que… Read more »

Last edited 1 mês atrás by SGT MAX WOLF FILHO
Jadson S. Cabral

Pois é, né?! Deixa os bobos acharem a Suécia é boazinha e te qualquer comprometimento com o Brasil ou com nossa industria… parece que estamos destinados e sermos feitos de bobos mesmo, porque entra geração, sai geração e continuamos sendo feitos de bobos.
Deixa vir nego aqui dizer que a Suécia vai comprar C-390 no futuro, deixa

Thiago A.

E tu leva as garotas que o rolê sai de graça !

José Marinho

A Suecia teve que fazer ceder a Europa pela entrada da Nato e náo se esqueçam que na produçao desse avião entra a industria Sueca

Jadson S. Cabral

Quem foi que disse mesmo que os suecos são bonzinhos e que mesmo com essa compra de C-130J não descartaria uma compra no futuro de C-390??? Já disse e vou repetir. Brasileiro é boca aberta, trouxa.

Thiago A.

Ninguém, pelo menos eu nunca observei comentários do tipo, quem utiliza essa linha argumentativa de bondade, salvação e gratidão são os fan do Kremlin ou RPC.

Varg

Muito boa essa parceria “caracu” do Brasil com a Suécia…

Lembra muito a história dos portugueses com os indígenas. Te damos quinquilharias, levamos vosso ouro e vocês ficam sorrindo de orelha a orelha…

Saldanha da Gama

2!!!!!!!!
E eu quero muito ver o que faremos com o tot, se é que teremos o tot que precisamos….

Thiago A.

a FAB e a COPAC decidiram os offsets, todas as compensações indústriais, comerciais e tecnológicas do caso.

Se vocês avaliam, com a clarividência, conhecimento e informações que os demais não possuem, que essas compensações serão inúteis, tudo bem. Até decreto teve para proteger a troca e proteção mútua de informação classificada, mas vocês já sabem tudo. Já vazou .

Teria sido melhor negociar um lote de kc-390 e gripens de prateleira em um eventual acordo de governo para governo ? Sei lá

O que sei é que tudo não se pode ter.

glasquis7

A parceria com a Suécia é:

“Vcs fornecem caças novos, permitem a montagem de parte aqui e um repasse de conhecimento tecnológico enquanto nos pagamos.”

E é isso, e nada a mais do que isso, o que a SAAB vai fazer.

O restante é delírio. Não há nenhum compromisso que inclua uma compra do KC 390.

Ferreras

Nesse caso deveríamos suspender as negociações de aquisição do segundo lote do Gripen.

Seria uma maneira de pressionar e, na pior das hipóteses, negociar melhores condições.

José Marinho

e vao fechar a fabrica construida ai no Brasil e mandar os trabalhadores brasileiros para casa?

Ferreras

Por esse prisma estamos reféns das condições que a Saab nos quiserem oferecer.

Ademais com essa ação da Saab eles já estão causando impacto nos trabalhadores brasileiros colocando concorrendo com um dos produtos com maior valor agregado exportado pelo Brasil.

Thiago A.

A FAB, brasileira, reduziu unilateralmente as unidades do pedido- seja lá qual for a motivação eu não entro mérito, e Suécia deveria se preocupar com o que vai acontecer aqui na Embraer.

Bizarra essa lógica.

glasquis7

E deixar a FAB com apenas 40 caças???

Rodrigo Martins Ferreira

Para quem está dando piti, jogando este problema na atual administração..

Quem fechou o acordo do Gripen e não colocou nada do tipo no papel foi a Dillma..

José Marinho

e a produçao do caça local não é uma concessão?

Reginaldo

Que eu me lembre, foi a FAB que tinha preferencia pelo Gripen até mesmo pelas compensações, além do mais… Não havia perspectiva de venda do KC-390 para nenhum dos outros países concorrentes. Vc está falando groselhas, nem mesmo vejo comentários falando de governo algum.

Rodrigo Martins Ferreira

É pq você n sabe ler

Cansado

Ou seja, a culpa é do petê kkkkk

Nascimento

Então o governo atual teria culpa por comprar as FCTs Tamandaré e não incluir a venda de KC-390 pra Alemanha?

Misericórdia… É cada narrativa…

E é melhor nem dá ideia senão alguém realmente acusa isso de ser verdade.

Last edited 1 mês atrás by Nascimento
Rodrigo Maçolla

A Suécia não é obrigada a comprar o KC-390, mas que seria natural e desejável (muito desejável) então pode ter algo mais por ai , por exemplo a Suécia não foi admitida agora oficialmente na OTAN , quem sabe não tem alguma condição embutida ai, no mais são Europeus e vão sempre puxar a sardinha entre eles, Não cabe a meu ver o Brasil muito menos a Embraer ficarem “bravinhos”, Mais continuar sim promovendo o KC-390 um avião já pronto agora para cumprir a missão, ainda acho que vamos vender sim ainda muitos aqui na América latina, África, e outros… Read more »

Thiago A.

Sensato. Mas não é porque são europeus ou aliados que a rivalidade, concorrência e competição entre eles deixa de existir.

No mais, até esse FMTC sair do papel o C-390 irá comendo o mercado pelas beiradas, como já está acontecendo. Três países europeus já não irão mais embarcar nessa .

Os pedidos de França e Alemanha provavelmente serão consistentes e o suficiente para assegurar a viabilidade do programa, focando sobretudo no incentivo da própria indústria aeroespacial, mas os demais cuja necessidade é de poucas unidades tenho dúvidas se irão embarcar.

Sensato

Se vingar. O que parece é que a Airbus está querendo um A400 baby por ter sacado que ele é grande, caro e problemático demais pra muitos clientes.

rui mendes

Problemático????

Nemo

A Europa e até os EUA buscam parcerias para dividir custos de desenvolvimento e garantir vendas. Os Sul-Americanos ou se submetem a programas de TOT, na maior parte das vezes sem consequência (resalvo a indústria naval chilena e colombian), ou tentam desenvolver sozinhos juntando uns caraminguás e levando décadas para projetar uma patrulha de 500t

Thiago A.

*Ressalvo a indústria aeronáutica brasileira que cresceu muito graças a TOTs e parcerias muito acertadas.

Nemo

Vc está certo.

Emmanuel

Todo mundo falando de Gripen isso, KC aquilo, Dilma, Bolsonaro, diplomacia… Esquecem uma coisa básica, o KC é cheio de componentes norte-americanos. Não depende só de diplomacia, presidente, Embraer ou governo sueco fazer isso ou aquilo, depende muito dos Estados Unidos também quererem liberar a tecnologia deles para França, Alemanha e Suécia. A coisa é bem maior do que o simplismo de fazer “chantagem emocional” com a Suécia ou culpar esse ou aquele governante. Além do mais, Dilma só assinou a compra do Gripen porque estava com a corda no pescoço sofrendo pressão de todos os lados, principalmente dos concorrentes… Read more »

Thiago A.

“depende muito dos Estados Unidos também quererem liberar a tecnologia deles para França, Alemanha e Suécia.
A coisa é bem maior do que”

Espera, vai devagar . Os EUA liberaram o acesso a essas tecnologias para KC-390 brasileiro mas não liberariam para aliados como França, Suécia e Alemanha? Algo de errado não está certo .

Emmanuel

Uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa.
Isso é mais comum do que você pensa.

Thiago A.

Tão comum que ninguém nunca viu uma situação dessa que você descreve …

Emmanuel

Tá sertu.

Cansado

Falam em “diplomacia” mas querem obrigar países a comprar o KC390.
E todos se dizem liberais, defensores do livre mercado, etc. Pois aqui temos três países exercendo a livre iniciativa e decidindo fabricar uma nova aeronave…
Aliás , obrigar alguém a comprar alguma coisa não seria “coisa de comunista” ?
Interessante né?

Nemo

Obrigar alguém comprar alguma coisa seria coisa de americano. Vide o CAATSA.

SAlvador

Assim, acredito que devemos ter calma e cautela… este é um projeto para 2040 – daqui 20 anos, e várias forças aéreas europeias (a Sueca inclusive) precisarão renovar suas frotas de C130 antes disto. Além disso, o desenvolvimento de aeronaves é um processo complexo e aberto a problemas técnicos e atrasos (vide o desenvolvimento do A400M), ainda nem há estudos de viabilidade técnica e industrial. Temos um excelente produto, que já foi escolhido por 03 países europeus, e potencial para voar em um país asiático em breve, ou seja, tem muito potencial de vendas. É claro que a diplomacia brasileira… Read more »

Jefferson Henrique

O nosso KC-390 precisa logo começar a operar na Europa integrado a OTAN para que todos os membros vejam e percebam suas capacidades.
Aqui na América do Sul, acho pouco provável qualquer nação destinar recursos para adquiri-lo.
Uma venda que poderia impulsionar mais ainda, seria essa: Embraer negocia venda de aviões KC-390 para a Força Aérea Indiana – Poder Aéreo – Aviação, Forças Aéreas, Indústria Aeroespacial e de Defesa (aereo.jor.br)

Hellen

Os Europeus nao perdem tempo, viram a construir um avião similar ao Kc-390 para os Países da zona do euro comprar.
É aquele ditado quem pode mais chora menos !!!!
Os europeus perceberam esse mercado agora,coisa que a embraer ja enxergava a 15 anos atras !!!!

Hélio

Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Jaime

Suécia buscando a melhor solução em sua equação atual de geopolítica x operacional x $.

Não existe condicionante à compra dos Gripen por aquisição de produtos da Embraer, negócio não se faz olhando pra trás, se os brasileiros tem como objetivo manter no altar a vaca sagrada da Embraer (por pouco Boeing e há muito pouco brasileira), não são os suecos quem deve pagar por isso.

LucianoSR71

Gente, vamos analisar as informações da matéria, nela fala em substituir o CN-235 e o C-130. Vejam que estamos falando de portes de carga e dimensões muito diferentes o CN-235 é menor que o C-295, leva umas 6 ton e tem dimensões de fuselagem relativamente pequenas, já o C-130 leva 20 ton e tem fuselagem mais larga e comprida, então como um única aeronave poderia substituir esta duas? Em tese teria que ficar num meio termo e não seria uma operação eficiente p/ o 1º – lógico que poderia levar tudo que o CN-235 leva, mas c/ custo de compra,… Read more »

Ivan

Um ponto de vista interessante. . A RAF opera 3 – sim, três – tipos de aviões de transporte com tamanhos diferentes. Boeing C-17 Globemaster III: Comprimento: 174 ft (53 m.); Envergadura: 169 ft 9.6 in (51.7 m.); Altura: 55 ft 1 in (16.79 m.); MTOW: 265 Toneladas; Capacidade de carga: 170,900 lb.(77,519 kg.).  Airbus A400M Atlas: Comprimento: 148 ft (45.1 m.); Envergadura: 139 ft (42.4 m.); Altura: 48 ft (14.7 m.) MTOW: 141 Toneladas; Capacidade de carga: 81,600 lb. (37,000 kg.). Lockheed Martin C-130J Super Hercules: Comprimento: 97 ft 9 in (29,8 m.); Envergadura: 132 ft 7 in (40.4 m.); Altura: 38 ft 10 in (11.8 m.) MTOW: 70 Toneladas; Capacidade de carga: 42,000 lb. (19,051 kg.). Observe que parece uma escadinha. Cada modelo opera em uma… Read more »

LucianoSR71

É meu amigo, fazendo uma análise racional seria substituir o CN-235 pelo C-295, mesmo que numa versão NG e criar um novo na faixa entre esse e o A400M, mas racionalidade não é o ponto forte por aquelas bandas, onde interesses políticos nacionais/eleitorais e pressão de empresas e sindicatos pesam muito mais que as necessidades e opinião dos que vão operar as aeronaves: suas forças armadas. Abraço.

Nelson Junior

Embraer está no caminho certo, e o KC-390 vai vender porque tem demanda ! O principal concorrente é um projeto dos anos 60 e com menor capacidade… O projeto Europeu vai demorar muito e se sair do papel, os países estão precisando muito de cargueiros pois seus KC-130 estão velhos, Holanda foi de KC-390, logo logo a Índia, e tenho certeza que novos compradores vão aparecer, assim que constatarem o óbvio, que o KC-390 é um projeto extremamente moderno e confiável… Como o Brasil está “fora” do Lobby internacional de armas, tudo é mais vagaroso, mas não tem pra onde… Read more »

Augusto L

Ue a suecia nos passou a perna

marco

Nos temos o produto pronto, operando e no estado da arte, mas não tem jeito eles querem recriar a “roda” da forma deles para eles mesmos comprarem deles. Vai durar 20 anos, mas só compramos da União Européia. Eu acho que se a gente criar um super produto que fala, rola, pula, faz tudo sozinho, viaja no tempo e colocar um banhado a ouro por cima…..os caras vão dizer: Legal, mas a gente vai fazer o nosso. Espero que a cada dia nossa indústria de defesa fique mais forte porque é isso que eles querem, enfraquecer os concorrentes, é um… Read more »

Bardini

E assim, criou-se a “mítica” visão de que se o segundo lote de Gripens não estiver atrelado a venda de KC-390 para a Suécia, será muito ruim, catastrófico para o Brasil e isso, e aquilo e extensos blábláblás recheados de sentimentos de traição. . Aiai… . Vender KC-390 é acima de tudo, vantajoso para a Embraer. E a FAB? Isso é vantajoso para a Força? E isso é algo a ser perguntado mesmo, principalmente para quem é papagaio e só repete opinião: essa questão de foacr em vender KC-390, também é vantajosa para FAB em termos de offsets? . Faz… Read more »

Jadson S. Cabral

Desenvolver uma nova aeronave? Pra quê? Pra quem comprar? A FAB tem interesse? O governo brasileiro banca? Acho que não.

Você acha que a aFAB no se beneficiaria das vendas do C-390? Que o Brasil não se beneficiaria de ter uma industria aeronáutica pujante, desenvolvendo tecnologia e cada vez mais capacidades? Bom, que acabemos com nossa industria de uma vez e passemos a depender 100% de importação. Afinal, a FAB não tem nada a ganhar ajudando a industria nacional, não é mesmo?

Eduardo Angelo Pasin

Com esse projeto ficou evidente que o a400 é um fracasso, menos um concorrente para o kc390 e até esse avião sair do chão o kc não vai ter concorrentes.

Thiago A.

O Grizzly é uma aeronave cara, complexa e que enfrentou varios problemas , mas está longe de ser um fracasso . É uma aeronave de outra categoria, com objetivos políticos e indústriais, além conceito e abordagem diferentes. Teve o mérito de integrar, alavancar e desenvolver ainda mais o parque industrial europeu. O mercado para a aeronave era garantido desde sua concepção então as exportações foram um objetivo muito secundário, por isso podiam se dar o luxo de ir atrás de conceitos e tecnologias mais desafiadoras . Para ter uma ideia, foi necessário criar um consórcio só para desenvolver o turboprop… Read more »

Hcosta

Com mais de 100 aeronaves produzidas e várias exportações e ainda não saiu do chão?

Rodrigo

Capitalismo é assim mesmo, se existe um mercado em potencial vai haver competição, haja visto as cópias do tucano que existem por aí, que o melhor produto vença.

Zé bombinha

Bem…. Hipoteticamente risca de listas produtos destes países… No caso o exército rabisca CAESAR. MOD do LEOPARD , IFV e MBT e (MMBT) nada de Alemanha e nem França.. vamos a outra porta.. defesa anti aérea foca em Israel..(seria esse, Turquia e Korea os mais buscados na área de exército).. na FAB esqueça mais caças além dos prováveis outros 26… Vá a EUA.. ou vamos nos mesmos… Esqueça esses três países em tudo praticamente… Na área naval tem Itália e Korea de novo. Pirraça. Mas põe o peito pra cima e bate a mão na mesa. Ponto. “Há mas somos… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Zé bombinha
Thiago A.

Nenhum país agora pode desenvolver seu próprio cargueiro porque já existe o KC-390 da Embraer, é isso?

Os EUA deveriam dizer o que ?
” Ah, vocês malvados não compraram os meus C-130 J e ainda mais lançaram um concorrente roubando fatias de mercados que deveriam ser meus ! Já chega, não vou repassar ou vender nada para vocês, orgulhosos e ingratos”

Vocês percebem como são absurdamente infantis e irracionais esses discursos ?

Zé bombinha

Leu o fim do comentário? Pelo visto não.

Nilton L Junior

A Argentina esta fazendo escola.

Adriano Madureira

Isso não quer dizer que o KC-390 não poderia ter chance de ser vendido para suecos ou alemães… Qual a idade dos C-130J italianos vendidos aos suecos? Em um texto que li sobre o FMTC diz: “enquanto França, Alemanha e Suécia são os signatários do lançamento do projeto FMTC, outros países não identificados estão participando, com mais opções para participar“. Acho que há possibilidade de outras empresas entrarem,seja com componentes ou até aeronave pronta e já certificada. O texto do Jornalista Gaston Dubois,do site Aviacionline.com diz em seu artigo: “Mas mesmo que o projeto resulte em uma aeronave que seja… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Adriano Madureira
Pedro

O único comentário, porque a Saab não entrou como parceiro/sócio no desenvolvimento do KC390?

h.saito

Então a França decidiu que precisa de um “carrinho de mão”.

huahuahuahuauahuahuahuahuauahuauahua

Últimas Notícias

USAF avalia lançamentos de mísseis do F-15EX para verificar capacidade de combate

BASE DA FORÇA AÉREA DE NELLIS, Nevada (AFNS) — Os membros da equipe do Destacamento 6 do Centro de...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -