Durante uma cerimônia de lançamento na quinta-feira, 28 de abril, a primeira aeronave de teste de treinamento avançado T-7A Red Hawk construída sob a fase de Desenvolvimento de Engenharia e Fabricação (EMD) do programa foi revelada nas instalações de produção da Boeing em St Louis, Missouri, com representantes seniores da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), Boeing e Saab, todos presentes

A aeronave faz parte de um novo, moderno e avançado sistema de treinamento de pilotos que será entregue à USAF, conhecido como T-7A Red Hawk em homenagem aos aviadores Tuskegee.

“Hoje é o culminar de anos de trabalho, design e parceria entre a Boeing e a Saab. O conhecimento e a experiência da Saab contribuíram para o design e a produção deste treinador de classe mundial, com mais de mil funcionários da Saab envolvidos em visão ambiciosa: redefinir o que é um jato de treinamento, mas também como eles são feitos, e tivemos sucesso”, disse o presidente e CEO da Saab, Micael Johansson.

“Este programa aumentou significativamente nossas operações nos EUA, cumprindo a promessa da Saab de empregos nos EUA, transferência de tecnologia e benefícios econômicos locais. As novas instalações avançadas de fabricação e produção da Saab para a fuselagem traseira totalmente instalada do T-7A Red Hawk, localizadas em West Lafayette, Indiana, são uma prova do compromisso da Saab com os EUA como uma empresa multidoméstica”, disse Micael Johansson.

Com o T-7A Red Hawk, a Boeing e a Saab aplicaram uma estratégia digital inovadora para projeto, desenvolvimento e produção de aeronaves militares. Por vários anos, a engenharia baseada em modelos tem sido parte integrante do sucesso da Saab – primeiro, com o desenvolvimento do Gripen E, e agora, como parte do programa T-7.

A estreita parceria de trabalho entre a Boeing e a Saab permitiu que o programa entregasse uma aeronave totalmente nova em tempo recorde, por meio de um foco incansável em eficiência e precisão.

As próximas etapas do programa incluem um primeiro voo para o EMD T-7A e a transferência contínua de conhecimento e tecnologia da Saab para suas operações nos EUA.

Sobre a Saab

A Saab atende o mercado global com produtos, serviços e soluções líderes mundiais em defesa militar e segurança civil. A Saab tem operações e funcionários em todos os continentes do mundo. Por meio de um pensamento inovador, colaborativo e pragmático, a Saab desenvolve, adota e aprimora novas tecnologias para atender às necessidades em constante mudança dos clientes.

FONTE: Saab

Subscribe
Notify of
guest

58 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Eduardo Angelo Pasin

Apesar do interesse da FAB no m346 acredito que essa aeronave tem grandes chances para ser o treinador avançado da FAB, só basta saber os custos para ter essa belezura no hangar.

Mars

É uma máquina incrível sem sombras de dúvidas, se tiver uma concorrência ele disputaria e ficaria entre os finalistas. Mas temos uma longa parceria com os Italianos e a aeronave deles é tão boa quanto. A questão é que no momento eu não vejo como prioridade preencher essa lacuna, dá para ”empurrar” a instrução com os Super Tucanos, simuladores e o Gripen F. Do meu ponto de vista, a prioridade no momento e reservar recursos para o segundo lote de Gripens.

Equilibrium

A vantagem do T-7 é ser supersônico, coisa que o M346 não é. E claro, te o advento de ser também da saab e agradar os EUA

Marcos10

O M346 é supersônico, porém sem pós combustão.

Cristiano Salles (Taubaté-SP)

Também penso assim…, ir empurrando com os Tucanos, e aumentar o número de Gripens num segundo lote…, afinal o Gripen é polivalente e têm excelente capacidade de avião de ataque além da caça…, priorizar um vetor…, menos peças de reposição e logística de peças e treinamentos de manutenção em outro vetor …, acho que têm que priorizar o número de caças…, e já irem escolhendo os helicópteros de ataque para substituir os MIL- MI…, se possível, comprar os mesmos modelos que o Exército escolher, para aumentar a encomenda de ambos, padronizar doutrina e manutenção x reposição de peças… Abraço a… Read more »

Marcos10

O pedido do segundo lote de Gripen já foi feito. São as quatro unidades adicionais, totalizando 40 unidades do Gripen para a FAB. E acho que fica nisso.
A ida do Comandante da FAB até a Leonardo e o voo no M-346 pode fazer sim algum sentido de que, na falta de recursos, vão complementar so Gripen com aeronaves de custo menor.

Fernando "Nunão" De Martini

“ O pedido do segundo lote de Gripen já foi feito. São as quatro unidades adicionais, totalizando 40 unidades do Gripen para a FAB. E acho que fica nisso.” Oficialmente não foi isso o divulgado no último dia 22/4. Os 4 adicionais foram informados como modificação do contrato original de 36 (e nem foi dito que já está feito, e sim que foi autorizado pelo presidente) e na mesma ocasião foi dito que há negociação para viabilizar um segundo lote, sem informar números por enquanto. Não tenho informações extra-oficiais dizendo coisa diferente, ao menos por enquanto. Em resumo, por enquanto… Read more »

eduardo

Exatamente isso!

Flavio Koelho

Penso assim, mais Gripens e pq não deixar os A1s para lift?

Flavio Koelho

Junto com o sumoque sobrar dos f5.

Fernando "Nunão" De Martini

Flavio, A-1 não serve para Lift. É um ótimo avião, tem muitas qualidades mas não foi projetado pensando nisso, não tem manobrabilidade e relação peso-potência pra fazer manobras de caça como um Lift de verdade faz, especialmente em altos ângulos de ataque. Não vai agregar nada entre o A-29 e o Gripen. Tentou-se oferecer ao mercado um “AMX-T”, uns 15 anos atrás (acho que um pouco mais), pra manter a linha de produção aberta, mas houve pouco interesse. Só da Venezuela, pelo que me lembro. Não era ruim, mas o mercado tinha coisa de muito melhor custo-benefício concorrendo, na faixa… Read more »

Ivo

Faço uma pergunta: essa aeronave pode ser armada? Acredito que um avião desse tipo para a FAB deveria ser armado para a cumprimento de missões além da função de treinamento.

João Fernando

Tipo F5 em relação ao T38???? Olha isso FAB

SteelWing

acho que o m346 sairia mais rápido para entrega, a SAAB tem na fila já a USAF, pra substituir a maior frota de treinadores do mundo e talvez também a própria força aérea sueca esteja na fila, então ia demorar muito muito pra sair algum treinador destes pro Brasil.

Nonato

Poderiam fabricar no Brasil…
Sem fila…

tsung

Só que “se” os states deixar

Fabrízio

Não mostrem este comentário para o Cel Nery, por favor!

Rinaldo Nery

Não vou mais comentar sobre LIFT. Perda de tempo. Acho que, não tenho certeza, essa aeronave da Boeing/SAAB não leva armamento.

Adriano madureira

A Saab já falou que haverá versão armada amigo Nery…Eu já vi uma matéria quanto a isso.

Rinaldo Nery

Que bom…

Neto

É necessário um avião semelhante ao JF-17 no ocidente. Caça barato e pé no chão. Triste que a FAB + Embraer, na esteira do AMX não tenha seguido na evolução da tecnologia para a versão supersônica, talvez fosse este oponente ao JF-17.
.
Talvez o Gripen C seja este avião, talvez o F-50, talvez uma versão deste treinador ou mesmo o Tejas.
.
O que se espera deste possível vetor é que seja barato de comprar e operar.

Foragido da KGB

Pois é, aqui parece que tem uma “turma do balão mágico” que viaja na maionese em devaneios sem fim…
Bom senso e canja de galinha não faz mal a ninguém.

Bueno

 Que avião lindo este treinador T-7A
  
 irmãozinho do Gripen, deve ter 1 ano de diferença.
 
Parabéns para a SAAB, lançado 2 produtos no mercado mundial, o T-7A com um padrinho rico. 
 

Last edited 9 meses atrás by Bueno
JuggerBR

‘Rico’ é algo que a Boeing tá cada vez menos, só prejuízo atrás de prejuízo…

Jagdverband#44

Que nave!!

Henrique

A Força Aérea da Suécia tbm vai pegar esse avião pra lift?
.
Ou nunca foi comentado isso?

André Sávio Craveiro Bueno

Nunca vi comentário a respeito. Mas não creio que pensem nisso. Se um LIFT fosse importante para eles, já teriam alguma aeronave fazendo esse papel.

Neto

Acredito que o Lift da Suécia já é o jato de instrução…

images (4).jpeg
Teropode

Peraí 🤔🤔🤔🤔🤔! Eu tô enganado ou o pessoal tá misturando conceito lift com treinadores puros ? Na minha modesta opinião se vc voa F2000 , Rafale ou F35 faria sentido ter M346 como um treinador avançado , no caso Gripen não é tão necessário , além de termos um cabine dupla para uma transição suave , ele é um caça “dócil” segundo especialistas e nesta linha também não se faz necessário um caça “novo” e menos capaz para complementa-lo .Um caça pra somar aos Gripens teria que colocar na mesa algo notável , uma característica que o Gripens não engloba… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Teropode
Flanker

F-35 pode ser, mas Typhoon e Rafale possuem versões biplaces.

A6Mzero

Os Saab 105 são uma frota bastante envelhecida, sua ultima grande atualização e modernização foi nos anos 90.

Resta saber se haverá interesse da Suécia em substituir sua frota ou tentar manter os 105 em operação…

gordo

Não vai demorar para que desenvolvam uma versão armada, será o novo F-5. E convenhamos, será um desperdício se não fizerem uma versão caça dessa aeronave.

André Sávio Craveiro Bueno

Prezado, embora eu creia que viesse a ser uma boa aeronave, penso que o esforço norte-americano deverá se concentrar, considerando os caças, no F-35 e seu sucessor. Não imagino a Boeing [que se encontra em maus lençóis no mercado civil] financiando uma versão armada sozinha. Considere, também, as opções concorrentes: o Gripen E, KAI F-50 e o F-16 Block 52, por exemplo.

Henrique

Se forem por esse caminho é bom caprichar e não fazer o improviso que é a maioria dos LIFT transformados em “caça”.

-uma variante monoplace (usar o espaço liberado pra mais combustível interno)

-canhão interno (nada de pod)

-um radar ainda que mecânico e modesto mas que tenho alguma capacidade de empregar míssil BVR

-um motor mais potente pra pelo menos chegar a mach 1.5

Seria um investimento pesado e teria muita concorrência, e não faria sentido pra Saab criar mais um concorrente pro Gripen.

Last edited 9 meses atrás by Henrique
Teropode

Sem chances , para uma versão armada relevante sair deste chassi o investimento seria alto , daria origem a outro caça , a Boeing que se de por satisfeita e não invente moda para não rasgar dinheiro ..

Adriano Madureira

A Boeing vê mercado para um T-7 versão armada Teropode,e há até países interessados em tal possibilidade… Um alto funcionário do governo sérvio disse no ano passado que a aeronave de treinamento/combate leve Boeing T-7A está no topo da lista de desejos do país como um substituto para as aeronaves de ataque leve SOKO G-4 Super Galeb e SOKO J-22 Orao da Força Aérea Sérvia. https://www.blogbeforeflight.net/2021/01/serbia-plans-buy-boeing-t-7a-red-hawk.html De acordo com o ministro assistente interino de recursos materiais do Ministério da Defesa sérvio, Nenad Miloradović, o país está procurando adquirir 20 jatos T-7A na variante de combate leve, pois possui “excelentes características e capacidades”.… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Adriano Madureira
Leonardo Bastos

Argentina interessada…??! rsrsrsrs

André Sávio Craveiro Bueno

Matéria de 2008 indicava 546 unidade ativas do T-38 Talon.

André Sávio Craveiro Bueno

Nunca mais vi um comentário do Ozawa. Alguém sabe dele?

Henrique

Sumiu já faz anos.

Rinaldo Nery

Esgotou o português arcaico dele…

Flanker

Hehehehehe…boa.

Rodrigo Martins Ferreira

Toda esta turma muito prolixa, só escreve assim para disfarçar os seus argumentos vergonhosos.

Hoje não tem mais o Ozawa mas tem o Camargoer

Paulo Costa

T-38 para treinamento e F-5 para defesa aerea.
T-7 para treinamento e F-7 para defesa aerea.
Vai vender bastante via FMS

Reinaldo Deprera

Se não leva armamento então não pode ser considerado como opção para o Brasil até termos pelo menos 3 centenas de caças de 4 e quinta geração.
LIFT desarmado é luxo para um país onde um molusco pode ser tornar Rei.

Last edited 9 meses atrás by Reinaldo Deprera
Heinz Guderian

Belíssima aeronave, um luxo de treinador

Tutu

Só sai um caça leve desse avião se a Boeing botar o dinheiro, Usaf não vai ajudar em nada para isso, quem sabe a luta que foi para o F-5 existir entende isso.

Last edited 9 meses atrás by Tutu
Alois

Realmente um belo treinador, mas para colocar armas vai muito investimento, e os americanos não precisam, e a SAAB já tem seu caça, Gripen modelo F, não vejo lógica , só se alguém bancar para utilizar em países com menos capacidade financeira.
Do jeito que as coisas vão o caça de sexta geração deve ser o último com piloto a bordo, depois apenas comandados a distância e posteriormente através de IA (inteligência artificial )

Rodrigo Martins Ferreira

Este aviãozinho é mais feio que bater na mãe.

Rodrigo Maçolla

Ô Loco Xará , o bichinho é bonitão sim, eu gostei…. Estas derivas duplas dão um charme um ar de F-14 Tomcat e F/A-18 Super Hornet. Mais gosto é gosto né

victor

Ta mais pra Saegh rsrsrs. Brincadeiras a parte, o bicho é lindão sim

Âncora

É o treinador mais bonito que já vi.
https://youtu.be/w3HiPcfp7R4

Last edited 9 meses atrás by Âncora
Marcos10

Estranho que muitos canais estão anunciando como se de fato a FAB tivesse interesse no M-346. Mas…
Que eu saiba não há requerimentos e por certo a FAB abriria uma licitação.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Muito se discutiu acerca do “hi-low”, ou seja, ter duas categorias de aeronave de caça na FAB. Claro, uma de menor capacidade, quem sabe para repetir o que foi feito com os Mirage e os F-5. Bem administradas as compras, poderiam representar economia de recursos, uma hora vôo em média menor que apenas a do Gripen, etc… Eu nunca tive muita fé em receber mais que 36 gripens, por mais que a megalomania da “transferência e tecnologia” tenha dito que seriam mais de 100… Está acontecendo a mesma coisa de sempre: primeiro anunciam 100, tempos depois dizem que serão 90,… Read more »

HPF

Nem sempre o que é bom pra americano e bom pro Brasil.
Melhor ficar com os S.tucanos, mais Gripens e o italiano no radar.

Santiago

O treinador é bonito. Só esse “aro 13” do trem dianteiro que destoa. kkkk

Neto

Existirá um programa de substituição dos jatos de treinamento naval da USN?
.
Haverá investimento na navalização de um vetor?
.
Talvez dai nasça o substituto dos A4 da MB, em 10 ou 15 anos.