sexta-feira, janeiro 28, 2022

Gripen para o Brasil

Mudanças nos caças Gripen E de série e diferenças entre as versões da FAB e da Força Aérea Sueca

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Com a divulgação das imagens dos primeiros caças Gripen E de série da Força Aérea Brasileira (FAB) e da Força Aérea Sueca, muitos notaram mudanças sutis entre as aeronaves e em comparação com as aeronaves pré-série.

O Poder Aéreo apurou com a FAB as razões das mudanças e as respostas seguem abaixo.

A primeira mudança percebida ocorreu no nariz da aeronave, que no Gripen E de série é um pouco mais inclinado para baixo. A mudança ocorreu também nos exemplares destinados à Força Aérea Sueca.

Segundo a FAB, o radome foi ligeiramente modificado para melhorar a desempenho do radar. Por conta da modificação, o IRST (Infra-Red Search and Track), sistema de busca e rastreio por infravermelho, também obteve melhora na eficiência.

A outra mudança ocorreu nos pilones de mísseis das pontas das asas, que também abrigam as antenas do sistema de Guerra Eletrônica (EW). Os pilones no Gripen E brasileiro têm volume menor que os do Gripen E sueco.

Segundo a FAB, o sistema de EW do Gripen E brasileiro tem uma pequena diferença apenas no Sistema de Alerta Radar (RWR), que cobre bandas de frequência ligeiramente diferentes, por requisitos de ameaças diferentes.

Por exemplo, o sistema sueco foi projetado para enfrentar o sistema de defesa aérea russo S-400 e o novo caça Su-57, ameaças ainda inexistentes na América Latina.

O sistema por ser modular, pode ser modificado quando surgirem novas ameaças.

Observar a diferença do radome mais inclinado do Gripen E de série 4101 (acima, em captura de vídeo) e do pré-série 4100 em baixo (foto de Juliano Lisboa)

O trilho da ponta da asa do Gripen E 4100 e suas antenas do RWR (acima) e o Gripen E sueco abaixo

Quando o primeiro Gripen brasileiro voou, ele usava os trilhos das pontas das asas do modelo sueco. Posteriormente os trilhos foram modificados para a versão brasileira

COLABOROU: Juliano Lisboa

NOTA DO EDITOR: Parabéns aos leitores que notaram primeiro a diferença no nariz do Gripen E 4101. Este editor teimou que era apenas distorção da lente da câmera, mas no final os leitores estavam certos ;-).

NOTA DO EDITOR 2: Atualizamos a matéria em 28/11 com informações mais precisas enviadas pela nossa fonte na FAB.

- Advertisement -

261 Comments

Subscribe
Notify of
guest
261 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JT8D

Meu Deus e agora? Do que o pessoal vai reclamar?

Clésio Luiz

Não importa. O que importa é reclamar. Sem isso a vida não tem sentido.

Gerson

Ameaças diferentes, aviões diferentes!

R22

Reclamação? De onde? De quem?

Marcos10

Nunca houve reclamações. O que todo mundo ponderou é que o cone do nariz era diferente, o que era negado por todos. E agora a verdade aparece.

JT8D

Então você não acompanhou os posts anteriores. Um monte de gente disse que a versão brasileira tinha sofrido downgrade e chegaram a comparar com o AMX. Volta lá e lê, se você tiver dúvida

Wellington Góes

E é um downgrade… Resta saber os motivos por isso.
Eu acredito que foi pesado a questão de custos, ou seja, as antenas RWR suecas devem ser melhores e por isso são maiores, isso se traduz em um valor a mais… A questão então deve ter ficado na avaliação custo-benefício na qual, de ante dos custos para se ter o mesmo tipo de equipamento, valeria a pena ante às ameaças prováveis que existem em nosso TOs?!
Resumindo, a decisão pode ser justificada por causa da nossa realidade regional, mas não muda o fato de que é um downgrade…

Last edited 2 meses atrás by Wellington Góes
Zeus

Prezado, está escrito e desenhado no texto: “o sistema sueco foi projetado para enfrentar o sistema de defesa aérea russo S-400 e o novo caça Su-57, ameaças ainda inexistentes na América Latina. O sistema por ser modular, pode ser modificado quando surgirem novas ameaças.” Então pra que diabos gastar mais instalando um sistema que não terá nenhuma utilidade? Só para ostentar? Se surgirem novas ameaças, o sistema pode ser facilmente modificado! Não há nenhum downgrade nisto, é apenas uma configuração modular minimamente diferente. Configuração modular! Tipo LEGO sabe? Tira, encaixa. E não deve ser tão caro acrescentar o módulo para… Read more »

Jodreski

Essa fala de que aqui na A.L. ainda não existe tal ameaça é conversa pra boi dormir. Pelo meu ponto de vista, é bom que o Brasil deixe de uma vez de acreditar que somente os nossos vizinhos de continente é que são possíveis “inimigos”, nenhum país sul americano tem condições financeiras de manter um conflito armado com o Brasil e vice versa! Nosso maior e mais perigoso inimigo (se um dia houver), virá pelo Atlântico! E ai essas “anteninhas” poderão sim fazer uma senhora diferença! Pela fortuna que pagamos, nosso caça deveria ter as mesmas antenas que o caça… Read more »

Saldanha da Gama

2!!!!!!!!!!! Postei uma pergunta… E se formos pegos de surpresa, teremos tempo hábil de tirar e encaixar o módulo? abraços

Renato

Concordo totalmente com a primeira parte, nossa maior ameaça é do norte, de uma entidade que atende pelo codinome OTAN.
Mas contra esses, nenhuma “anteninha” faz diferença.

Para lidar com essa ameaça só uma arma faz diferença: Ter a Bomba Atômica.
Mas o Brasil prefere ficar “Deitado eternamente em berço esplêndido..” Confiando na sorte..

Wladi

Com certeza, vc nunca participou de QQR tipo de planejamento militar.

Antonio Palhares

As ameaças são do norte. Desde o grandão fortão e poderoso lá de cima, como dos queridos civilizados europeus. Basta que um botocudo cacique qualquer. Diga que suas terras estão sendo invadidas e seu povo massacrado. Com certeza veremos os libertadores marines e as colossais forças aéreas, marinhas e exércitos colocando suas botas em nosso país.

Wilson Lobe Junior

Se o inimigo vier pelo Atlântico nem mesmo 360 Gripens Suecos fariam diferença.

Adriano RA

Não faz sentido essa economia… Temos sim um Gripen E menos capaz que o sueco, justamente no sistema de guerra eletrônica. Que outras diferenças existem e nunca vamos saber?? Eu estou reclamando sim. Vocês podem abanar as bandeirinhas, mas a verdade é que pagamos por avião menos capaz do que poderia ser. Quando quiser melhora o sistema…. que piada…

Nonato

Se não é tão caro por que colocar depois?
A Venezuela já tem equipamentos russos.
S300.
Radares chineses.
Por mim deveria colocar o que há de melhor.
Guerra não avisa.
Gasta uma fortuna num avião para economizar na Guerra eletrônica que é um dos itens mais importantes num conflito?
Guerra eletrônica é para tentar cegar os Radares.
Ou seja, algo fundamental.

Renato

Putz.. É sério que essa altura do campeonato ainda tem gente que acredita que a Venezuela é uma ameaça…

É por causa de gente assim que na caixa de ovos vem escrito “Contém ovos”

Nonato

Lacrou… Para o bom entendedor meia palavra basta. Se for pensar nas ameaças nem precisaria ter forças armadas. A Venezuela é o único país beligerante da região e que tem equipamentos militares sofisticados na região. A todo momento faz ameaças a vizinhos. Você sabe muito bem eles tem sistemas de radares russos e chineses tentando se contrapor a eventual invasão americana com possibilidade de auxílio do Brasil. No caso de um ataque de nossa parte contra a Venezuela ou qualquer outro adversário não podemos economizar na guerra eletrônica que deve ter preço irrisório comparado aos gastos totais. Quem desdenha do… Read more »

Helder Pinto

Nonato, eu iria além. Os “ispeçialistas da USP” (é assim que se escreve) e os príncipes da FAB ainda continuam focando em ameças regionais, em nossos vizinhos. Não são os nossos vizinhos que estão questionando nossa soberania territorial. “Mas o sistema é modular, depois a gente faz o upgrade”. PQP, USD 135 mi e ainda vai precisar de upgrade? E com certeza o “upgrade” estará na prateleira esperando pelos especialista, não é? A guerra das Falklands não deixou lição nenhuma para esse pessoal. Os sócio-torcedores do F-39 deixam a emoção em primeiro lugar. Olha, depois de décadas de espera (e… Read more »

Mauricio Pacheco

E nas caixas de leite vem escrito, contém leite e lactose!

Marcos Borges

Nada que alguns milhões de dólares não resolvam, para quem quer cortar 15 KC390 é tranquilo; e são só 135 Mi dólares por unidade, deveria vir com bancos de couro.

Last edited 1 mês atrás by Marcos Borges
Rafael Cordeiro

Não deve ser bom discordar de um deus, mas… Não sei quais foram os termos e entrelinhas do acordo fechado entre a SAAB e a FAB, porém em relação ao avião que está sendo entregue a Força Aérea Sueca teremos sim na FAB um avião que sofreu downgrade, temos aqui uma clara perda de capacidade em relação a ameaças mais modernas (independente de região de operação). Pode ser “LEGO”, porém se a FAB quiser incrementar a capacidade da plataforma, terá que comprar mais uma peça desse “LEGO”, ou seja, não estamos adquirindo a plataforma com todas as capacidades que ela… Read more »

Neto

Cabe lembrar que por contrato temos acesso aos códigos fontes e implementação de novas armas e sistemas localmente.
.
Então sim, deve haver Pacotes de sistemas que não virão no gripen Ebr. Isso não é de todo ruim. Um exemplo é a implementação do LinkBR – que é nosso e só nosso. Agora, a quantas anda este sistema?

Wagner

Jamais aparecerá dinheiro para comprar novas pecinhas para esse lego.

Adriano RA

Sim. Nosso sistema RWR é mais simples. É um fato. Pode ser que os Suecos não queiram entregar para exportação a versão full, por razão de segurança nacional, o que seria mais lógico do que a FAB comprar um caça com base em “não precisamos de tanto” ou “poupando o dinheiro do refrigerante”.

Last edited 2 meses atrás by Adriano RA
Pedro

kkkkk..só rindo..ta no texto..não é pior..é diferente…..seria a mesma coisa que comprar um carro com pneus pra neve..”pq pneus pra neve são melhores..vai que neve aqui um dia”…kkkkkkk..e novamente..ta no texto..se for preciso dá pra modificar mais pra frente…

Wagner

Você realmente acredita que se for preciso haverá dinheiro para modificar alguma coisa?

CESAR ANTONIO FERREIRA

Saudações, Wellington, como vai?
Você tem valores, Wellington?
Só quero saber se estamos pagando full…

Magnun

Mas se é igual na FAB e na SAF, onde entra a “diferença”? rs
A diferença não seria do Gripen-E pro Gripen-C …e são várias.

que doideira…

Marcos Borges

Isso mesmo, só constatamos o óbvio.

Antonio Palhares

A FAB deveria ter esclarecido isso na primeira matéria.
Outra coisa. Reclamar e discordar é direito de qualquer povo civilizado.
Depois de esclarecidos. E convencidos através de argumentos factíveis.
Muda-se a conduta. Pelo menos, aqueles que não têm compromisso com erros e mentiras.

JT8D

Para criticar, o cidadão precisa estar minimamente informado sobre o assunto. Criticar sem conhecimento é apenas demonstração de ignorância, quando não é feito por má fé mesmo

Antonio Palhares

Eu tambem acho.

Cristiano GR

Da minha parte não houve reclamação alguma, foi só uma constatação. Por mim, se fosse para dar mais eficiência e qualidade podia ter até uma ferradura na ponta.

JT8D

A gente está aqui para debater mesmo, se todo mundo tivesse a mesma opinião não teria graça

Sérgio Luís

Rsrsrsrsr

Magnun

Da série: “tenho gatilho com opiniões diferentes da minha”
preciso reclamar de quem reclama e por antecipação… volta pra terra JTBD

Last edited 2 meses atrás by Magnun
JT8D

Cara, vai ler a matéria e os comentários primeiro, você parece que tá bem perdido ainda

Elias E Vargas

Qualquer país estaria cheio de orgulho de participar do desenvolvimento qu nos coloca pelo menos uma década a frente de nossos vizinhos continentais, exceto a Guiana Francesa que teria que deslocar da França seus famosos Mirage, unicos em pé de igualdade aos nossos Gripen NG. Mas apenas argumentando, vai ter até algum radical LGBT querendo uma pintura rosa nos nossos caças com uma estrela das sete cores do movimento. Nos temos sim que festejar que após muitos anos vai ter um natal cheio de presentes para nossa defesa: A incorporação do submarino riachuelo, a entrega do 1º helicoptero 225 com… Read more »

caveroso

Caça francês em pé de igualdade com o Gripen E, só o rafale, os mirage 2000 ficam no chinelo, e o que os franceses iriam querer por aqui? atualmente andam mais preocupados com a segunda invasão moura em seu próprio território. Só a BYB4 do Lacron que ainda late de vez em quando.

Mayuan

Haters hate. Simples assim.

Chris

Ia falar do problema do Gripen ter um bico pequeno, que acaba limitando o radar…

Mas deixa pra la… Kkkk

Matheus

Dúvida sanada, então. Nossos aviões são “completos”. Sem downgrade. Repetir o erro do AMX seria muita burrice.

JT8D

Mas isso não faria o menor sentido mesmo. O AMX era um desenvolvimento da indústria nacional, a FAB comprou o AMX para apoiar os primeiros passos da Embraer. Foi um projeto de aprendizado e nunca foi o caça de superioridade aérea do Brasil. Já o Gripen E foi desenvolvido para atender todos os requisitos da FAB, por uma empresa com um histórico fantástico de projeto de caças de altíssimo desempenho (Draken, Viggen, Gripen). O Gripen E será a espinha dorsal da FAB pelos próximos 30 anos, pelo menos. Os suecos também dependerão do Gripen E para sua defesa por um… Read more »

Last edited 2 meses atrás by JT8D
rui mendes

O AMX foi um caça-bombardeiro, aliás ainda é, pois pelo menos na Itália ainda está no activo, os Italianos adoram ter o AMX, pois por exemplo, no Afeganistão era mais do que suficiente contra as ameaças ar/ar ou sup/ar inimigas e podia bombardear com bombas inteligentes, fazendo uso do excelente pod de designação de alvos por via do laser ou missões de inteligência , por via das excelentes câmeras de vídeo e fotos, sendo este pod Norte-Americano, podia ainda usar mísseis ar/ar de curto alcance e usar o AMX era muito mais barato do que levar os Harrier ou os… Read more »

Mayuan

Que erros do AMX meu camarada? A Embraer entrou no projeto com apenas 30% de participação, aprendeu uma série de tecnologias que permitiram fazer o avião que a catapultou no mundo, o ERJ145, a FAB teve um ótimo vetor durante sua vida útil e pronto. Cumpriu o que se destinava a cumprir. Os italianos eram diferentes porque os requisitos eram diferentes. O que muitos não entendem é que os militares partem da missão para o meio e não do meio pra missão. A lógica é diferente do mercado consumidor.

Matheus

Acho que você não entendeu nada do que eu quis dizer. Os nossos AMX vieram faltando um bocado de coisa pra sair mais barato. Ao contrário dos italianos.

Mayuan

Sim. Eles tinham menos equipamentos pra que fossem menos caros mas estavam dentro do que a FAB precisava e podia pagar. Os requisitos italianos eram maiores por serem membros da OTAN e terem outras necessidades que nós não tivemos durante todo esse tempo entre a incorporação e hoje.

Heinz Guderian

Brasileiro tem síndrome de vira-lata mesmo, da pra ver pelos comentários das postagens anteriores, já tinham pessoas depreciando o Gripen.
Obrigado Galante, por essa excelente matéria.

Márcio

Só não entendi esse seu avatar.

Leandro Costa

O avatar é a foto do nome que ele usa. Heinz Guderian é um dos pais das operações combinadas. Provavelmente o principal responsável pela teoria e aplicação.

Heinz Guderian

Eu te explico, o Heinz foi um dos Generais mais brilhantes de toda a história, considerado o precursor da tática que veio a ser conhecida como “blitzkrieg” , ele desempenhou um papel central no desenvolvimento do conceito das divisões panzer.

Jodreski

Ou seja foi o responsável pelo sucesso de pegar os países europeus de calças curtas?

rui mendes

Sendo que o responsável por pegar os países Europeus de calças curtas, foi outro país Europeu.

Mayuan

Diria que o maior responsável por pegar os países europeus de calça curta foram os próprios países que foram pegos.

Wagner

E também um NAZISTA fervoroso, racista, supremacista e pertencente ao círculo íntimo de HITLER. Isso diz algo sobre ele, não diz?

Wagner

Aliás, penso que isso também diz algo a respeito de ti.

Tomcat4,2

São as Gretas da defesa com seus ” hate “ do bem, o importante é depreciar o Brasil e suas forças. Trágico !!!

Wagner

O conformismo com a mediocridade nivelada por baixo é um dos entraves do Brasil.

JT8D

Eu achei que o novo radome ligeiramente mais inclinado para baixo ficou mais bonito. Obviamente o objetivo da mudança não foi estético, mas eu gostei

Renato

Achei que ficou mais feio, mas não importa. Segue o jogo.

JT8D

O novo ficou mais parecido com um bico de águia. O antigo parecia um bico de pato

Jodreski

Pode ficar horroroso, sendo funcional para mim é o que importa.

Wellington

Eu já preferia o modelo original, pelo menos ainda não acostumei o olho!

Renato

Era mais harmonioso, esse nariz torto ficou esquisito kkk.
Mas se é para melhorar tá valendo.

Satyricon

Ficou “estiloso”.
Bacana

Alexandre

Eu havia notado que o radome do E era diferente do nariz do C/D, mas não em relação ao anterior do próprio E.

rui mendes

????????

Tutu

Ficou lembrando o Viggen.

JT8D

Também achei

Barak MX para o Brasil

Aquelas antenas de três bolinhas brancas acima do cockpit também está faltando a do meio na aeronave de série.

Rinaldo Nery

Para o datalink?

Victor Borges

Não é síndrome de vira-lata… É que com o nível dos governantes dos últimos 20 anos a gente já espera umas “surpresinhas”… No mais, graças a Deus por vir equivalente ao modelo sueco!

Nilton L Junior

Pois é agradeça ao atual governo pela compras dos Gripens.

Victor Borges

O governo atual se enquadra no que eu disse, relativo aos últimos 20 anos…

Cristiano GR

Então tu achas que o fhc foi um presidente de nível mais elevado? Gostou de ter sido roubado na venda da Vale do Rio Doce para o patrão do filho dele que depois foi colocado pelo seu patrão como CEO da Vale privatizada. Poderia me estender mais, mas acho que já está de bom tamanho.

Nilton L Junior

Cristiano tem gente que jura até hoje que foi a melhor coisa que aconteceu no Brasil.

Victor Borges

Eu acho o FHC ruim também… Acho que nunca tivemos uma presidência decente, para falar a verdade…

carcara_br

Pessoal fez belo trabalho no jogo dos 7 erros, parabéns!
A questão do ECM me incomoda um pouco, espero que seja tão somente uma questão de frequência. Uma coisa eu tenho certeza, se a gente soubesse fazer não tinha downgrade, restrições, bloqueios nem uma eventual pequena falta de verba.

JT8D

Uma das vantagens do Gripen é que ele tem um projeto modular que facilita upgrades e modificações

Wagner

Eu nao acredito que virá algum update pelos proximos 40 anos. Se vierem os 36 avioes do primeiro lote ja vai ser surpreendente.

Diego Fernando

Mais um dos motivos que achei bem acertada a escolha do Gripen, os suecos não tem rabo preso com ninguém e sempre tem plano B caso alguem cisme de falar em embargo…

Wellington

Muito bom essa solução de projeto modular. Compra o que precisa.

Welington S.

Ou seja, o Gripen E continua sendo o Gripen E.

Amaury

Parabéns ao forista Sérgio Luis que fez otimas colocações no outro post citado. E parabéns ao Editor por reconhecer seu erro no mesmo post. Só podia aproveitar e se desculpar pela colocação que fez sobre sites concorrentes. Foi desnecessário.
Queria ver agora a cara do forista que leva o nome do SU-27….rs.
Fez colocações mal educadas e jocosas e depois dessa deve estar com uma bela cara de glúteos…..
Um reconhecimento de erro seria bem vindo

Flanker

Se foi pra mim, escrevi o meu reconhecimento do erro antes mesmo de ler o que tu escreveu. Sei bem reconhecer meus erros e me retratar. Isso faz parte da hombridade inerente à quem tem educação. E não fiquei com cara de bund@, não. Falando em bund@, cuide da sua…..

Amaury

Que bom ver seu reconhecimento que estava errado. Mas, para não perder o hábito, não se contenta em apenas reconhecer que errou. Precisa mentir. Pois seu reconhecimento aconteceu há 8 horas e minha colocação há 10 horas. Mas sua colocação de que escreveu antes de ler deixa bem claro que tipo de comentarista você é.
Vou apenas parafrasear o que vc mesmo escreveu anteriormente se dirigindo ao forista Sérgio Luis…
“Teimosia é seu sobrenome….”

Flanker

Não, meu caro. Eu escrevi minha retratação de imediato, assim que li o tópico ANTES de ler os comentários, aí incluindo o seu. Entendeu? Eu Não tinha lido NENHUM comentário quando escrevi minhas desculpas. Se tu não acredita nisso, o problema é teu. Além do mais, não lhe devo satisfação alguma. Cuida da tua vida e eu cuido da minha. E outra coisa, tu é advogado do Sérgio? Ele mesmo ainda Não secmanifedtou É tu fica aqui papagaiando. Eu errei, me desculpei diretamente à ele, e tu fica querendo pregar moral de cuecas? Ora, vai ver se estou na esquina.

Last edited 2 meses atrás by Flanker
Amaury

Ahã….escreveu antes….exatamente como imaginei que diria….
Quando ele se “secmanifedtar” poderá rir também….

Flanker

Como eu disse antes, tô me lixando para o que tu acha. Não estou aqui para agradar à ti ou à quem quer que seja. Coloco minhas opiniões. Se eles agradam, ou não, é irrelevante.
Quanto ao “secmanifedtou”: tu nunca digitou nada errado? Se tu não entendeu que eu quis escrever “se manifestou”, não posso fazer nada. Falando nisso, quantos anos tu tem? 11? 12? Argumento bem quinta série, o teu. Barbaridade!! Kkkkkkkkkkkk

Vinicius Momesso

É possível o Gripen da FAB ser superior ao da SAAB com possíveis incrementos na versão brasileira, como Israel fa com os caças comprados do Tio Sam?

Thiago A.

È possível, mas pouco provável… o custo-benefício e os investimentos são avaliados com base nas ameaças que as FA terão de enfrentar. Felizmente para nós e infelizmente para a evolução do material bélico e da nossa indústria de defesa.

Satyricon

Galante, você “matou a pau”.
Atitude de gente grande.
Não à toa, a trilogia é o que há de melhor nos sites de defesa nacionais.
Parabéns

Adriano RA

Perfeito! Fica aqui também meus parabéns ao Galante e a todos da trilogia.

Astolfo Junior

Ainda bem, na ponta da asa fica o ECM e o RWR então tinha medo de ter uma capacidade reduzida…

Nilton L Junior

Uma duvida a Suécia também vai ter biposto?

JT8D

Se eu não me engano eles não terão os bipostos, porque eles já têm o Gripen D para essa função

Camargoer

Olá. Você tem razão. A Suécia optou por apenas F39E e usará os F39D.

Nilton L Junior

Eu não entendo negativar uma reposta confirmando outro comentário, que mundo estranho esse.

Nilton L Junior

Obrigado

Wellington Góes

Seguinte… Não estou convencido dessa resposta… Ele nunca diria que seria downgrade… Bandas de frequência ligeiramente diferentes não fazem com quê o tamanho das antes sejam menores… É claro que há uma perda de desempenho nisso e não, simplesmente, porque são de frequências de ameaças diferentes… Aliás, vale lembrar que algumas das nossas “ameaças” são, justamente, equipamentos que os suecos também tem como possíveis ameaças… Su-30, S-200, S-300, etc, etc, etc… Está com cara sim de downgrade… Não faz nenhum sentido essa de quê “é porque são ameaças diferentes”… Era melhor ter dito… “Não precisamos pagar a mais por algo… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Wellington Góes
Flanker

Parte final do texto do tópico:

“O sistema por ser modular, pode ser modificado quando surgirem novas ameaças.”

Eu entendo que o Gripen brasileiro vai ser a aeronave mais completa e mais capaz da américa latina. E poderá continuar assim por um bom tempo, basta a FAB manter seus sistemas constantemente atualizados, o que será menos difícil e caro, devido à citada modularidade.

Wagner

FAB atualizando constantemente sistemas de uma aeronave? Gostaria de acreditar, mas…

Carlos Campos

não vejo como um Downgrade, é só um requisito que eles tem e nós não, se quiser e achar que precisa, pode trocar pq é plug and play. aceitaria como downgrade se fosse inacessível par nós uma antena RWR melhor.

rui mendes

Exactamente, é só uma questão de querer ter e têm muito fácil e rapidamente.

Strike

Exatamente Wellington! Resumidamente e de forma sucinta a FAB sem criar alardes e críticas admitiu que o sistema de guerra eletrônica presente em nossos gripens são “Inferiores/diferentes ” dos suecos, justificando tal mudança pq não enfrentamos ou temos ameaças de caças de 5° geração ou S400??? Visão infelizmente displicente em um cenário geoestrategico de médio e longo prazo…. À dúvida que fica é pq não aproveitar a oportunidade e selecionar tudo de melhor disponível em guerra eletrônica para o gripen já!? Uma aeronave que será a espinha dorsal da força aérea por no mínimo uns 30 anos deveria ter tudo… Read more »

Thiago A.

“o que impede a Venezuela de conseguir algum financiamento via comodices ou sabe lá como com a Rússia o” Não sei, mas assim de primeira eu diria que o primeiro fator que impede isso é a realidade econômica e social daquele país. Em seguida a realidade russa, considerando que o Su-57 depois de 10 anos ainda é incompleto e com pouco mais de dez unidades. Terceiro e último, nada nos impede de incrementar as capacidades dos Grifos ou até voltar ao mercado se e quando o cenário que você imaginou se concretize. Opções não irão faltar e se brincar até… Read more »

Salim

Venezuela está escorada na Rússia, China e irá. Não sejamos inocentes assim. Tecnologia não e plug and play, a doutrina de utilização caça pode mudar, Precisa, comprar, instalar, saber usar, criar doutrina, ensinar, treinar. .. defesa não e para amadores e custa caro. Aqui só custa caro.

Mayuan

De amadora e displicente a FAB não tem nada.

Wagner

Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Thiago A.

Sim, pode ser, porém vocês esquecem de olhar e mencionar que na casa dos vizinhos esses equipamentos são downgraded … Tenha certeza que as ameaças que a Suécia tem que lidar não são nem de longe comparáveis as FA bolivarianas. Ou alguém aí quer me dizer que os equipamentos em posse das FA da região são do mesmo nível dos russos, sem falar em treinamento, doutrina, recursos e geografia… Totalmente diferente.
Enfim, como já foi dito por alguns, se e quando as ameaças evoluírem os nossos Grifos também poderão evoluir.

Adriano RA

Se a visão da FAB é a de que nossos potenciais inimigos são nossos vizinhos, então continua a enxergar o mundo com os mesmos olhos que a levou a adotar um AMX sem radar. Prefiro achar os Suecos nos negaram o sistema completo, por medo de que os dados de desempenho do sistema de guerra eletrônica do Gripen E acabem nas mãos dos russos.

Last edited 2 meses atrás by Adriano RA
Tejas

Wellington, tmb penso o mesmo!

Amaury

Muito boa sua colocação. Penso exatamente da mesma forma. Parabéns

rui mendes

Não sabia que a Venezuela tinha o mesmo poder de ameaça do que a Rússia, e S300 não é S400 , como SU-30 Venezuelano não é SU-30 Russo, muito menos SU-35 e SU-57.

caveroso

sem contar que se tem ainda uns 4 SU-30 voando é muito, e o treinamento dos pilotos venezuelanos é muito inferior ao dos nossos

Jacinto

Frequência mais baixas (Banda L, UHF, VHF), que são ideais para detecção de caças furtivos, precisam de antenas maiores. Se o S-400 está usando frequências na band L (1 a 2GzH) será necessária uma antena maior para detectar as ondas que ele emite.

Renan

“Bandas de frequência ligeiramente diferentes não fazem com quê o tamanho das antes sejam menores…”

Não vou entrar no mérito da discussão, mas em relação a essa parte da sua afirmação, você está totalmente enganado.
O tamanho de uma antena é inversamente proporcional a frequência de operação desta.

Ou seja, quanto maior a frequência menor a antena e vice-versa.
HF, VHF, UHF (entre outros) são espectros diferentes de frequências, e dentro de cada um desses espectros existem várias sub-bandas diferentes, cada qual exige um tipo de antena.
Até para chutar é preciso saber pelo o minimo do assunto..

Flanker

Sou um dos que dizia, e insistia, que o radome era o mesmo, que não havia diferença alguma. Mas, como eu tb disse algumas vezes, que admitiria meu erro, aqui estou! Dou o braço à torcer e admito que eu estava errado!! Graças a Deus essa celeuma está solucionada, bem como a dos pods ECM. Aproveito também para pedir desculpas ao Sérgio Luis, que desde o começo disse que o radome era diferente e eu duvidei dele.
Toca o barco, e que essas aeronaves cheguem logo ao Brasil! A La Chasse, bordel!

Thiago A.

Bela atitude Flanker. Acontece, normal, estamos aqui para isso. Dessa vez foi você, a próxima serão os outros. O diferencial é a atitude e o caráter.
Abs

Flanker

Obrigado, Thiago.

JT8D

Amigo, você não precisa pedir desculpas por ter emitido uma opinião. Provavelmente ninguém aqui trabalha na Saab para ter certeza das coisas que fala sobre o Gripen. Então, tudo aqui é opinião, que algumas vezes estarão certas e outras vezes estarão erradas

Flanker

Obrigado, JT. Mas, eu me passei um pouco com o Sergio. Por isso, senri a necessidade das desculpas.

Amaury

Agora sim foi uma atitude bacana!!!! Essa combina com o belo nome que ostenta. E estou falando sério

Sérgio Luís

Muito bem!!
Desculpa aceita!

Last edited 2 meses atrás by Sérgio Luís
Flanker

Obrigado, Sérgio.

TeoB

O que passou despercebido com essa história toda foi o anteriormente tão falado padrão de camuflagem…
Se esses são de serie a pintura então vai ser essa msm.
Eu particularmente adorei esse padrão tem mais jeito de caça que a pintura dos F5

Luís Henrique

Não gostei. Sou o único?
A FAB deixou a resposta mais bonitinha, mas é óbvio que é um downgrade em relação ao caça sueco.
Não gostei nem um pouco.

Last edited 2 meses atrás by Luís Henrique
GripenBR

Acredito que os suecos estão entregando o combinado! O Gripen doméstico é a versão sueca, com requisitos da força área sueca! Provavelmente guardando algumas exclusividades até para que não seja conhecido 100% das capacidades da versão que defende o espaço aéreo sueco eu imagino.

Bardini

Muito bom, Galante!

Dod

Isso significa que o Br ñ funciona com o s-400 e nem o su-57 ?

marcio

funciona sim, se precisar e so pedir os modulo e montar, n viu que é modular ?

Dod

Eu vi que é modular, eu perguntei se os que o Br tem, funciona.

Flanker

Depende de um monte de fatores. Não é uma pergunta com resposta simples e definitiva.

Jacinto

A questão aqui são as características de cada faixa de frequência. As frequências mais baixas (L, UHF, VHF) são mais adequadas para detectar caças furtivos como o F-35 , F22, F117; estas faixas de frequência, contudo, não têm resolução suficiente para guiar um míssil. Isso significa que um radar que opera em banda L, UHF ou VHF vai detectar o Gripen, mas não será capaz de guiar um míssil até ele.

Strike

Resumidamente e de forma sucinta a FAB sem criar alardes e críticas admitiu que o sistema de guerra eletrônica presente em nossos gripens são “Inferiores/diferentes ” dos suecos, justificando tal mudança pq não enfrentamos ou temos ameaças de caças de 5° geração ou S400??? Visão infelizmente displicente em um cenário geoestrategico de médio e longo prazo…. À dúvida que fica é pq não aproveitar a oportunidade e selecionar tudo de melhor disponível em guerra eletrônica para o gripen já!? Uma aeronave que será a espinha dorsal da força aérea por no mínimo uns 30 anos deveria ter tudo de melhor… Read more »

bjj

Mas veja que tanto os radares dos caças quanto o radar de engajamento do S-400 operam na banda X, que é uma faixa de frequências que até os mais simples dos RWR cobrem, e que o nosso certamente deve cobrir também.

O nosso deve ter deixado de fora a cobertura das bandas UHF e L, que são utilizadas em radares de busca de longo alcance, e que a grosso modo não são utilizados para guiar armas.

bjj

O RWR do sistema original do Gripen E cobria de 0.5 até 40 GHz, segundo a Saab. Isso pega desde a banda UHF até a banda Ka, sendo a primeira ainda bem utilizada nos radares de busca russos, e passa também pela banda L, que os russos também utilizam em radares de busca e usarão nos radares das asas de seus Sukhois. Se o nosso cobre uma faixa menor, deve ser os tradicionais 2 a 18 GHz, que pega da banda S até o limite da banda Ku. Essa faixa de frequências inclui os radares de praticamente todos os caças,… Read more »

João Fonseca

BJJ, parabéns ! Seu comentário éinstrutivo e construtivo !

carcara_br
Jacinto

Na verdade, praticamente todos os radares de busca usam frequências mais baixas. O Brasil mesmo usa o LP23SST-NG feito pela Omnys em S.B do Campo que opera na banda L.

carcara_br

Pois é Jacinto.
Essa questão da frequência… humm….
Maior o espectro maior a capacidade de processamento, maior a quantidade de energia pra interferir. O oposto menor espectro, menos processamento jammer com maior capacidade de interferência dada a mesma potencia.
Tudo que sei que nada sei…
Está com cheirinho de tecnologia não disponível, mas não tenho nada pra me embasar além de achismo.

Last edited 2 meses atrás by carcara_br
bjj

Realmente muitos radares de busca operam na banda L. Mas, via de regra, esses radares não possuem precisão suficiente para guiar armas.

Jacinto

Parece que o Su-57 pretende usar radares na banda-L, com antenas instaladas nas asas, dado o tamanho necessário para operar nesta banda.

Matheus

Eu disse que o radome tinha sido modificado. Até o editor duvidou. Rsrs

Last edited 2 meses atrás by Matheus
Rodrigo

Quando eu disse que o radome tinha sido modificado fizeram pouco caso e ainda disseram que era por causa da lente da câmera. rsrs Num blog cheio de leigos da nisso mesmo. Agora estão todos humildes.

Thiago A.

Falou o especialista de teclado…

Rodrigo

Aviação é o meu trabalho, então pode me chamar de especialista.

Flanker

Tu é projetista? Trabalha com desenvolvimento ou manutenção de radares, sensores, aviônicos, etc? É piloto?

Thiago A.

E ? ” aviação” termo mais genérico impossivel, tudo e nada . O técnico da manutenção das aeronaves em um aeródromo também trabalha com “aviação” mas se eu perguntar algo sobre o Gripen muitos não irão saber nem do que ou qual aeronave estou falando.

Flanker

Pois então? Eu perguntei em que setor da aviação tu trabalha. Dependendo de onde for, não vai saber nada sobre o assunto em debate.

Wagner

E tu, camarada? Trabalha em qual setor da aviação?

Equilibrium

Que conversa é essa? IRST que é sensor passivo irradiando o que?

JT8D

Sim, o IRST capta irradiações, e obviamente para isso não deve ter obstáculos à sua frente

Equilibrium

Na matéria diz “para melhorar a irradiação do IRST”. IRST não irradia nada.

Flanker

Mas, pode ser irradiado…..receber irradiação…..então, a maneira que está escrito, está correta.

Renan

Estaria correto se fosse escrito “Para melhorar a irradiação NO IRST” e não “DO” IRST como está no texto.

Coisas básicas da língua portuguesa que derrubam muita gente..

Last edited 1 mês atrás by Renan
Wagner

Falta-lhe conhecimento basico da lingua portuguesa.

Australopithecus

Você está correto amigo. Provavelmente foi algum erro de tradução ou de digitação que passou batido.
Irradiar é emitir/transmitir, coisa que um sensor passivo não faz.

Vendéen

Bonjour le Brésil, O Brasil pode, sem dúvida, estar confiante porque fez a escolha certa (militar e industrial) entre os caças multifuncionais monomotores com infraestrutura escalável (sistemas-suporte-equipamentos). Sem entrar em detalhes, este caçador possui equipamentos de altíssimo nível e certamente confere ao Brasil uma superioridade em relação ao seu ambiente local atual: IRST com boas capacidades – arquitetura eletrônica muito boa – radar AESA – uma motorização muito boa – uma gama muito boa de armas e um bom compromisso em termos de carga – boa arquitetura de guerra eletrônica etc … Por outro lado, eu tenho uma pergunta que… Read more »

Thiago A.

Bom dia Vendéen,
Esse ano a FAB divulgou a intenção de adiquirir aeronaves A330 MRTT ( de segunda mão ). Não sei como andam as negociações ou se existem os recursos para efetuar essa aquisição.

Abs

Vendéen
JT8D

Não meu amigo, o Gripen E não é perna curta. O Gripen C era perna curta, mas uma das principais diferenças entre o C e E foi a mudança do trem de pouso para a raiz das asas, permitindo assim mais espaço para combustível na fuselagem. É verdade que a fuselagem do Gripen é bem menor que a de um Super Hornet, por exemplo, mas o Gripen consome menos combustível pelo menor arrasto aerodinâmico e por ter um só motor. O raio de combate de um Gripen E armado com 4 mísseis é da ordem de 1300 km, o que… Read more »

Vendeen

Bonjour JT8D,

Ok, o Gripen E na verdade carrega mais combustível interno do que o Gripen C e D.
Sabendo disso, portanto, pensei erroneamente que isso não seria necessariamente suficiente ou um acréscimo que pudesse eliminar a dificuldade quanto ao manejo estratégico e tático contíguo à consideração da grande área do território brasileiro, levando-se em consideração o número de aviões. ordenou.

Obrigado por sua resposta.

João Adaime

Bonjour Vendéen

Sobre sua frase final:

“Resumindo e apesar de tudo, com esta boa escolha os países vizinhos do Brasil correm o risco de ficar com inveja e ciúme. lol”.

Caso isto ocorra, a Embraer poderá vender o mesmo equipamento a quem desejar comprá-lo, desde que o país interessado não sofra algum tipo de restrição por parte dos fornecedores de partes do avião.

Abraço e bom fim de semana.

Vendeen

Bonjour ou bonsoir,

A Embraer, portanto, tem um bom cartão para jogar com seus vizinhos sul-americanos se houver a possibilidade de romper um possível embargo. Já existem potenciais clientes futuros?

João Adaime

Caro Vendeen Vamos por partes: 1) Só dois países estão sob embargo. Argentina (pela Inglaterra) e Venezuela (pelos Estados Unidos). Para romper este embargo, vários componentes que tenham origem nestes países precisariam ser trocados, o que é muito difícil. 2) Até o momento, só a Colômbia mostrou interesse no Gripen para renovar sua frota. Mas a negociação está sendo com a Saab. Porém, como parece que vão querer também a versão F (biposto), é bem provável que esta seja montada aqui, uma vez que a Suécia não tem interesse no Gripen F (vai continuar utilizando o Gripen D, também biposto).… Read more »

Vendeen

BonjourJoão Adaime,

Obrigado por sua resposta. Seu conteúdo é muito explicativo.

Bom domingo

João Fonseca

Eu acharia muito interessante que a Argentina considerasse as opções do Checkmate, do Tejas ou do JF-17… Considerando a influência de China e Russia na Venezuela, Cuba e Nicarágua – onde, aliás, pretendem construir um canal hidroviário entre o Atlântico e o Pacífico para desmoralizar a presença yankee no Panamá – não acho impossível que os russos, chineses/paquistaneses e indianos façam ofertas à Argentina. Quanto ao raio de combate do Gripen, não seria o caso de aumentar o número de bases aéreas no Brasil ?

João Adaime

Prezado Xará O raio de combate do Gripen, segundo os entendidos, está dentro da média em comparação com a “concorrência”. Quanto ao número de bases aéreas, elas já existem em bom número pelo País. Você não quis dizer bases aéreas com Gripen, tipo a de Anápolis? Acredito que para tanto, seria necessário um número maior de caças, como os 108 comentados no início do FX-1. Apenas 36 não justifica distribuí-los permanentemente. Haveria aumento de custo, sem ganho operacional significativo. Como Anápolis fica no centro do País (só não é mais central do que Palmas, capital do Tocantins), em caso de… Read more »

João Fonseca

Realmente não pretendo questionar as decisões estratégicas da Força Aérea nem estou a par delas. Também imagino que as restrições orçamentárias das FFAA impõem essa discreta aquisição inIcial de 36 Gripen. Apenas imagino que futuramente esse número deverá aumentar, até porque dinheiro certamente existe, basta saberem gerí-lo. Como cidadão comum, apenas imaginei a necessidade de mais grupos táticos espalhados pelo pais, pois 1300 km são pouco para quem pretende sair de Anápolis e chegar a Roraima ou Natal em condição de um hipotético combate. Talvez os 108 caças sejam um número aceitável dentro da nossa realidade – embora obviamente pequeno… Read more »

rui mendes

Realmente têm um super caça multi-funções, mas para o tamanho do Brasil, que é continental , precisam ou mais caças ou aviões reabastecedores, ou os dois.

Vendeen

bonjour ou bonsoir,

Eu concordo que esta aeronave monomotor multifuncional é uma boa escolha para o país que deseja possuir um caça monomotor.
Na verdade eu achei que para o tamanho do Brasil o pedido era um pouco baixo. Tendo isto em consideração, pensei, portanto, que o apoio de um avião-tanque era uma solução para reduzir esta fraqueza.

Mayuan

Diria que dos dois é a resposta certa. Por mais que o ganho operacional seja grande, pelo tamanho do país, é sim preciso uma frota bem maior que apenas 36. Também precisamos de vetores com as capacidades do MRTT para conferir maior mobilidade estratégica não apenas para os Gripens mas para as FAs Brasileiras.

Vendeen

Bonjour Mayuan,

Obrigado pela sua resposta. Dado o tamanho de seu país e o número de aviões encomendados, compartilho sua opinião.

Bom domingo

Hugo Vigneron

O grupo de jornalismo do Poder Aéreo está de parabéns por ir atrás das informações com a FAB para sanar é esclarecer as dúvidas dos seus leitores.
Parabéns a todos!!!

Last edited 2 meses atrás by Hugo Vigneron
Crazy

Este novo bico pode melhorar a visibilidade de pousos em pistas curtas, como a dos porta-aviões ? 🙂

Mayuan

Talvez possa ajudar mas não possibilita pois, pra isso, são necessárias outras modificações nada triviais.

Sequim

Parabéns ao Poder Aéreo pela reportagem e aos foristas que levantaram a questão. Esse é um exemplo de como devem ser tratados os assuntos de Defesa no Brasil: de forma democrática e cidadã.

Rubens Sommer Junior

Gosto mais do modelo de pintura do caça sueco e muito mais moderno,

Teropode

O radome criava uma sombra ou a irradiação liberada reduzia a eficiência de detecção do IRST ? O IRST não via bem as 6 horas ?

Mayuan

Por 6 horas, você diz, visualizando a retaguarda do vetor? Pergunto porque, salvo engano, o sistema só enxerga pra frente.

Teropode

Do alvo ,

Caco

Respondendo ao amigo que fez a pergunta se o gripen brasileiro poderia ser superior ao sueco , Sim poderia , basta instalar misseis hipersonicos anti navio Russo , uma compra discreta (os russos sao bons nisso) de 50 misseis anti navio hipersonicos e nossa defesa ficaria em outro patamar , nem um strike group nuclado em porta avioes viria se aventurar por aqui . Só lembrando 3 coisas: temos o codigo fonte para implementar qualker coisa q quisermos , II quem vier nos invadir vira pelo mar III, nao temos nem teremos uma marinha capaz de nos proteger pelos proximos… Read more »

Argos

Daqui a pouco estaremos iguais à Índia…

Saldanha da Gama