segunda-feira, novembro 29, 2021

Gripen para o Brasil

Akasa Air, da Índia, encomenda 72 jatos Boeing 737 MAX por US$ 9 bilhões no Dubai Air Show

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

NOVA DELI: A nova companhia aérea Akasa, do investidor bilionário Rakesh Jhunjhunwala, escolheu o Boeing 737 MAX.

A companhia aérea fez um pedido de 72 dessas aeronaves no valor de US$ 9 bilhões a preço corrente no Dubai Air Show na terça-feira.

As entregas de aeronaves começarão no início do ano que vem, quando a companhia aérea espera começar a voar.

No início deste ano, a Diretoria Geral de Aviação Civil (DGCA) autorizou o MAX a voar para, de, dentro e sobre a Índia. No momento, a SpiceJet é a única companhia aérea indiana que possui o B737 MAX, mas nenhum desses aviões está voando ainda.

A Akasa obteve o certificado vital de não objeção da Índia, após o qual agora solicitará autorização de operador aéreo da DGCA e espera começar a voar no próximo verão.

A transportadora de custo ultrabaixo (LCC) proposta, SNV Aviation Pvt Ltd, que voará sob a marca Akasa Air, é dirigida pelo veterano da aviação Vinay Dube, que é seu CEO. Jhunjhunwala conheceu recentemente o PM Modi em Delhi.

Em um comunicado recente, a nova companhia aérea disse que “planeja oferecer voos em toda a Índia a partir do verão de 2022 com o objetivo de ser a companhia aérea mais confiável, acessível e ecológica do país”.

FONTE: The Economica

- Advertisement -

21 Comments

Subscribe
Notify of
guest
21 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Zeus

Pois então… US$ 9 bilhões para a Boeing só nesta compra.
Encham o saco por causa do S-400 e a fatura vai para a Airbus…

Antoniokings

Eu que não coloco os pés em um desses ‘nem a tapa’.

RenanZ

Vai a pé então, rapá!

De fato, houve uma negligência da fabricante quanto à atuação do MCAS, mas hoje estes problemas estão resolvidos, o MAX é operacionalmente a aeronave mais segura em operação hoje (não estatísticamente por conta dos acidentes, obviamente)

Antoniokings

Eu que não coloco os pés em um desses ‘nem a tapa’.

Leandro Costa

É também a aeronave mais eficiente e econômica da categoria pelo que me consta. Difícil não conquistar mercados após os problemas terem sido sanados.

Antoniokings

Vai lá!
Arrisque vc.

Bruno Vinícius

Xings, até o equivalente chinês da FAA está prestes a autorizar o retorno dos voos do MAX (que não usa mais esse nome). Depois da negligência criminosa da Boeing o projeto da aeronave foi extremamente escrutinado em busca de possíveis problemas à segurança de voo e parece que tudo foi resolvido, não há o porquê de ter medo de entrar num avião desse modelo.

Last edited 12 dias atrás by Bruno Vinícius
Antoniokings

Bruninho
Tem piloto da Boeing que fala que não coloca sua família nesse avião.
Não sou eu que colocarei a minha.

Leandro Costa

Não é risco. Seria um prazer. Última vez que voei num 737 foi na versão NG com uma configuração de assentos estilo sardinha enlatada escolhida pela empresa. Já os Max estão com uma configuração de assentos bem melhor, deve ser uma ótima experiência.

Antoniokings

Se eu comprar uma passagem e descobrir que o avião é um 737-MAX troco de companhia na hora.
Não arrisco mesmo.
Cada um pensa de um jeito.
Se vc quer arriscar, ‘vai que é sua Taffarel!’.

Leandro Costa

A liberdade de escolha é ótima e fico feliz em defender a sua liberdade para escolher o que acredita ser melhor para você. 🙂

Roberto

A Boeing é forte.

Last edited 12 dias atrás by Roberto
Antoniokings

Perdeu muitíssimo espaço.
Atualmente, se não me engano, foi ultrapassada em faturamento pela Airbus, Lockheed e Avic.
E olha que o Governo americano tem dado uma ‘forcinha’ encomendando muitos equipamentos militares que por, outro lado, quase ninguém encomendaria.

Carlos Campos

A Boeing era forte, hj a Airbus e as Empresas Chinesas são tão fortes quanto, a Boeing só é forte poq o Governo dos EUA apoia ela, assim como Airbus tem UK/FRAN/ALE/ESP por trás, mas no caso específico o que ela tem feito de m…..so o governo dos EUA para fazer vender.

Bruno Vinícius

As empresas chinesas estão longe, MUITO longe de chegarem ao patamar de Boeing e Airbus na aviação comercial.

Leandro Costa

De acordo com os Chineses, pelo menos uma década em relação à aviação comercial e ainda acho essa estimativa otimista.

Antoniokings

Só que o mercado principal do Mundo é deles.
Ou seja, a Comac está iniciando agora e com um produto com excepcional custo x benefício.
Não adianta nada ter um produto bom sem mercado para vender.
Além desse produto nem ser tão bom assim.
A concorrência tem coisa bem melhor.

Leandro Costa

O problema é que a Comac não está dando conta do recado. A principal aeronave de projeto deles, algo semelhante à um Airbus, está atrasado o que? Uns dez anos? E agora vão ter que reprojetar a aeronave para poderem usar motores Russos, se não me engano, que darão menor alcance, velocidade, capacidade de carga, mais gasto de combustível, etc. O mesmo está acontecendo com o turbo-hélice regional que rivalizaria com o ATR-42/72, já que a P&W Canada não vai vender os motores para a China (enquanto isso a EMBRAER já está desenvolvendo aeronaves híbridas/elétricas da mesma categoria). Então esses… Read more »

Antoniokings

As chinesas estão começando agora e com um produto que vai vender bem.
Certamente tirarão mercado principalmente da Boeing.
Creio que as aéreas chinesas farão um mix de Airbus e Comac.
Não apenas pela questão de mercado, mas por questões políticas e estratégicas.
A Airbus está dando um banho na Boeing com a linha A-300.
As encomendas mundiais por si só dizem isso.
Aliado a isso tem a questão política que Washington está jogando ‘com maestria’.

Carlos Campos

Eu reconheço que a Boeing ainda está a frente das chinesas, mas elas já não são qualquer uma na disputa, já tem peso no mercado e um dos maiores mercados do mundo que a China e o mercado que mais cresce no mundo, o Asiático

Marcos10

Muitos clientes da Airbus estão insatisfeitos com a companhia e estão migrado para a Boeing.

Últimas Notícias

Rússia testa caça MiG-31 com sistema ‘fly-by-wire’

Moscou, 26 de novembro./TASS/. A atualização dos caças-interceptadores de alta altitude MiG-31 aumentará a eficiência de suas missões, em...
- Advertisement -
- Advertisement -