segunda-feira, agosto 2, 2021

Gripen para o Brasil

O NGAD será um caça multifuncional

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O sistema Next-Generation Air Dominance (NGAD) – o caça que sucederá o F-22 – terá capacidade de ataque ao solo, possivelmente para sua própria proteção, disse o chefe do Estado-Maior da Força Aérea dos EUA (USAF), general Charles Q. Brown Jr. aos legisladores em 16 de junho.

Testemunhando perante o Comitê de Serviços Armados da Câmara sobre o pedido de orçamento fiscal de 2022, Brown disse que deseja que o NGAD tenha capacidade “multifuncional”, enfatizando que o papel principal da aeronave será o domínio aéreo, mas com a capacidade de atingir alvos terrestres também.

Comparado ao F-22, Brown disse que o NGAD terá “maior carga de armas [e] … maior alcance” necessário para operar nas grandes distâncias exigidas no teatro Indo-Pacífico.

O NGAD terá “alguma capacidade ar-solo para garantir, primeiro, que possa sobreviver, mas também para fornecer opções para nossos comandantes de componentes aéreos e para a Força Conjunta”, disse Brown, sugerindo que o NGAD será capaz de engajar sistemas de defesa aérea que o ameacem.

O general Mark D. Kelly, chefe do Comando de Combate Aéreo, disse que pode haver duas variantes do NGAD: uma com longo alcance e carga útil para o Indo-Pacífico e outra orientada para distâncias relativamente curtas entre possíveis áreas de batalha na Europa.

O NGAD é descrito como uma “família de sistemas” que permite à Força Aérea controlar o céu em momentos e locais de sua escolha, mas sua peça central será uma aeronave de combate. Outras partes do sistema são provavelmente aeronaves de escolta não tripuladas para transportar munições extras e realizar outras missões.

Durante a audiência, Brown também confirmou que a razão da Força Aérea para não incluir mais jatos F-35 em sua lista de prioridades não financiadas é que ela prefere esperar pela versão mais avançada Block 4 do jato.

“O F-35 que temos hoje não é necessariamente o F-35 que queremos que vá para o futuro, que terá o Tech Refresh 3 e o Block 4 contra o avanço da ameaça chinesa”, disse Brown.

A USAF colocou mais jatos F-35 em sua lista de prioridades não financiadas nos últimos anos, e o Congresso obrigou, adicionando 12 jatos a cada ano ao pedido da Força Aérea para 48. No entanto, membros do HASC em audiências anteriores este ano disseram que lutariam contra a adição de mais F-35s ao pedido da USAF porque os acréscimos anteriores exacerbaram a escassez de peças e reduziram as taxas de capacidade da aeronave para missões.

Brown enfatizou que, embora houvesse F-15EXs na lista de prioridades não financiadas, esse movimento visa reduzir rapidamente a idade média da frota de caças, que agora tem cerca de 29 anos.

“Mesmo com a lista de prioridades sem fundos, a maioria dos novos caças que vamos comprar serão F-35s”, disse Brown. Mas a Força Aérea colocou itens de sustentação do F-35 na lista porque a melhoria nesta área é uma prioridade crítica, disse ele.

Documentos internos obtidos pela Air Force Magazine mostraram que a Força pretende reduzir sua compra de F-35 pelo restante do Programa de Defesa dos Anos Futuros para cerca de 43 por ano, em antecipação às aeronaves Block 4, que começam a sair da linha de produção algum tempo depois 2025. O Government Accountability Office relatou recentemente mais falhas nesse cronograma.

Um dos conceitos divulgados do NGAD

FONTE: Air Force Magazine

- Advertisement -

59 Comments

Subscribe
Notify of
guest
59 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro Bó

Qual companhia está por trás do desenvolvimento do NGAD? A Lockheed-Martin?

RICARDO NUNES BARBOSA

Sim, por enquanto o NGAD é liderado pela Lockheed Martin.

Teropode

Xiiiiiiiiiiiiiiiii, então será mais um pato .

Adriano Madureira

Mais uma bocada da LM?!

Rui

Talvez sim, talvez não.
E o que isso significa para nós? B** @ nenhuma..

sergio

Vim uma vez em outro site, que os especialistas apostam que a Northrop Grumman foi quem projetou e construiu o caça, e que ele beberia muito da fonte do YF-23, pelo menos essa e a especulação mais aceita pelos especialistas ouvidos.

Pedro Bó

O YF-23 era um tremendo projeto!

sergio

esse projeto e o 10/10 dos caças

main-qimg-cec50e13aa34a8ccdd0a708998b323bf.jpg
sergio

Se vc parar pra ver, e tirar os estabilizadores traseiros, fica muito parecido com a maioria das artes conceituais, e da arte conceitual apresentada pela Boing e da Lockheed-Martin.

Rogério Loureiro Dhierio

Dentre tudo o o que já foi desenvolvido no mundo da aviação de combate, o YF-23 supera os demais.

Eu queira ter um destes no quintal da minha casa.

RICARDO NUNES BARBOSA

Especulação sem qualquer lastro. Northrop é das 3 empreiteiras a única que não fabrica caça atualmente e já tem o B-21, logo é a menos provável de abocanhar o NGAD. Como eu falei, atualmente é liderado pela Lockheed Martin.

sergio

E onde vc viu isso, a o se ela e a lider do projeto então ela projetou, e ate onde eu saiba ninguém sabe quem projetou o NGAD.

Fernando C. Vidoto

Uma reposta ao j-20.

Que vida curta o f22 teve..

*pela foto parece ser hipersônico !

Last edited 1 mês atrás by Fernando C. Vidoto
Victor Filipe

Em que sentido? F-22 não foi feito para enfrentar o J-20 (nem o F-35) F-22 foi feito para engajar as aeronaves Russas de quarta geração.

é mais fácil dizer que o J-20 foi uma resposta ao F-22 e depois veio o NGAD com os EUA buscando se manter na dianteira.

Ainda assim, F-22 sera aposentado la pela década de 40 com quase 40 anos de serviço, não é tão curta assim

Fernando C. Vidoto

Uma resposta para a resposta rs.

O f22 foi introduzido em 2005. Se for aposentado em 2040 seria uns 35 anos de uso. Isso não é curto?

Att.

Victor Filipe

Não. O Avanço tecnológico atual ta voltando a ser oque foi na década de 50/60 Por exemplo o F-102 ficou 23 anos em serviço O F-100 ficou 25 anos F-105 ficou 26 anos F-101 uns 15 anos O F-4 ficou 38 anos. As aeronaves com maior tempo de uso serão F-15, F-16, F-18 e só, mas mesmo elas tem pouquíssima semelhança ao que já foram um F-18 hornet pode ser considerado uma aeronave complemente diferente de um Super Hornet. Ouve uma diminuição no avanço e na necessidade da troca constante de aeronaves porque quando esses 3 últimos que foram citados… Read more »

Fernando C. Vidoto

O próprio f117 foi aposentado com pouco tempo de uso.

Não adianta comparar esses cacas com o f22. O ponto do meu argumento foi a aposentadoria precoce do f22. Ate o Binkov fez um vídeo sobre:

Untitled.png
Victor Filipe

ele pode até ser aposentado antes do esperado, mas isso é deferente do que ter um tempo de vida curto. a aposentadoria precoce é um reflexo de um cenário de combate mais acirrado. mas 35 anos de serviço não é pouco

Teropode

🤣🤣🤣🤣🤣👋👋👋👋👋

Wellington Kramer

Para um caça de alta tecnologia não.

RenanZ

Pelos padrões Brasileiros 40 anos de serviços é semi-novo ainda, um pré adolescente

Carlos Campos

o NGAD não é resposta ao J20 em si, é para manter a superioridade aérea como um todo, mesmo relação aos países Europeus.

Victor Filipe

Não me é estranho, caças com funções especificas morreram a décadas.

A Russia é o único pais do mundo que ainda emprega um interceptador dedicado. (MiG-31) e eu particularmente acredito que outras aeronaves no arsenal Russo poderiam cumprir a missão dele mas isso é conversa pra outra hora

José

F-15 C não é dedicado?
E/A-18 G não é?
Mig-31 não está sendo modernizado para lançamento de armas hipersonicas?
Estude jovem…
Abraço

Up the Irons

José, seus exemplos foram de aeronaves que são projetos de décadas atrás. Ele não está errado. Está cada vez mais raro ver caças dedicados. Os multifunção vieram pra ficar.

José

Sim ele está errado.
O Mig-31 têm décadas também, e está usando o Kinzhal agora.
Míssil ar-superfície.

Victor Filipe

F-15C não é dedicado, ele pode atuar como interceptador, caça de interdição aérea e caça para superioridade aérea, isso que se quiserem podem um pod para designar alvos terrestres pode dar a ele a capacidade de ataque ao solo em situação de emergência, mas preferiram uma variante mais especifica para isso o F-15E que continua detendo total capacidade de combate Ar-Ar E/A-18G apesar de ter a função primaria como interferência para radares/aeronaves inimigas, ele pode atuar como caça de reconhecimento e ataque em missão SEAD. Eles parecem ter apenas uma função especifica, mas não tem. o míssil hipersônico do MiG-31… Read more »

Fernando C. Vidoto

pois é, mas o Growler jamais seria usado como interceptador ou bombardeiro.

Existem sim aeronaves dedicas a funções especificas.

Last edited 1 mês atrás by Fernando C. Vidoto
José

Jovem sem estudos.
O Kinzhal (que já está operacional) em alguns Mig-31 são para interceptação então?
Estude jovem, adulto, idoso ou sei lá o que.

Luiz Antonio

Caro José
Não há nenhum motivo, no âmbito de um debate proveitoso e civilizado, apesar de entre nós haver colegas melhores informados ou não, que lhe dê o direito de, de uma forma irônica, ofender pessoas, neste caso do colega Vitor Felipe. Quem é o senhor para afirmar que o colega é um “jovem sem estudos”? Por acaso o senhor é adepto do terraplanismo? Ou está insinuando “tratamento precoce”? Apenas um conselho: Respeite as pessoas, especialmente aquelas que não conhece.

José

Caro Lulu
Jamais me aproveitaria de alguém intelectualmente inferior
Apenas expus meus devaneios
Estude mais
Um abraço de tamanduá

Luiz Antonio

Caró Zuzinha Tamanduá menos.
Se estudar mais causa devaneios como no seu caso, prefiro estudar o suficiente, para preservar os neurônios.
Fim. Agora vá brincar.

Last edited 1 mês atrás by Luiz Antonio
José

Já ouviu falar do Mig-31K?
O que pode fazer?
Respeite

JuggerBR

Não incorrendo no mesmo erro do F-35 de querer fazer tudo, e não fazer nada direito, ok… Rafale e os F-Legacys estão aí mostrando que não é nada demais ter mais de uma função…

RICARDO NUNES BARBOSA

F-35 como caça multifunção faz mais do que qualquer caça legado. Sua afirmação destoa de qualquer lastro.

JuggerBR

ok fã boy… é tão bom que a USAF busca alternativas a ele, diminui suas encomendas, compra aviões que deveriam ter sido substituídos pelo F-35, lança o NGAD dizendo claramente que não vão cometer os mesmos erros.
Não precisamos listar a lista de problemas, os custos fora de controle, etc…

RICARDO NUNES BARBOSA

Suas afirmações são genéricas e não confirmam o que vc falou anteriormente. Existe uma infinidade de motivos para planos traçados em 1997 mudarem em 2021. Por bem menos a FAB cortou metade das encomendas do KC-390, vc vai dizer que ele faz seu trabalho direito? Afirmações genéricas como as suas são típicas de quem não tem domínio de conteúdo.

angelo

Esse sim será o raptor dos raptors…..qdo e se vc avistá-lo, já estará morto….rsrsrs

Teropode

Mas morto é morto , não podem ver nada , ou pode ? 🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔

ADAIR HAMES

KKKKK

Wellington Kramer

Melhor dizendo, estará morto antes de avistá-lo.

Maurício.

“O general Mark D. Kelly, chefe do Comando de Combate Aéreo, disse que pode haver duas variantes do NGAD: uma com longo alcance e carga útil para o Indo-Pacífico e outra orientada para distâncias relativamente curtas entre possíveis áreas de batalha na Europa”

Pelo visto já querem inventar moda com esse papo de duas variantes, longo alcance é sempre um bom fator para qualquer aeronave, principalmente para um caça, façam uma versão e com longo alcance, o resto é perfumaria.

Salomon

Que grande oportunidade para o Brasil!

MMerlin

Como? Quando? Por que?

Tomcat4,2

O valor em doletas que terá um(1) bicho desse deverá dar para o Brasil comprar uns 3 Gripen E/F ,viaja não.rs

Last edited 1 mês atrás by Tomcat4,2
Salomon

Que grande oportunidade para o Brasil…ficar quieto nessa e tentar chegar ao século XXI.

Diego Tarses Cardoso

Se sobrevivermos a 2022 já será um grande avanço.

carcara_br

Essa mentalidade de manter a supremacia só funciona bem quando se é a maior economia.
Vão pegar a tecnologia já amadurecida no F-35 e colocar numa plataforma mais capaz.
Eu vejo muito potencial no Su-57 e J-20 já nasceram corretamente dimensionados, pra mim é melhor investir em tecnologias como inteligência artificial e DRONES e complementar a capacidade de defesa que essas aeronaves já oferecem, atualizando suas capacidades periodicamente. É um modelo incrivelmente mais barato de se manter, e podem ser utilizadas por industrias de produção de bens e serviços.

ERIVELTON SILVA

OFF: Ontem de manhã tive o prazer de ver o Gripen passando em cima da minha cidade: São Jose do Rio Preto-SP. Passou mais ou menos a uns 6000 fts de altura. Que barulho extraordinário….

Jodreski

Pressão de leve para cima da L.M.: entregue aquilo que vc prometeu que compramos aquilo que nos comprometemos!

Nick

O NGAD parece ser uma atualização do YF-23 BlackWindow… Aliás no meu entendimento o YF-23 era superior em furtividade ao Raptor mas perdia na manobrabilidade. Mas hoje em dia com os mísseis all-aspect e armas de energia dirigida esse fator já não é tão decisivo.

RICARDO NUNES BARBOSA

NGAD tem requisitos totalmente diferentes do YF-23. Deixem o YF-23 morrer em paz.

Wagner

Pensei que ja estivesse voando.

Jacinto

Segundo o antigo subsecretário da Força Aérea dos EUA, eles já construíram um protótipo que está voando…

Rodrigo

Desenvolvimento para manter o GAP de 20 anos de dianteira, conquistada pelo F-15 e mantida pelo F-22. A diferença agora é o competidor economicamente equivalente. NGAD me parece que investe em mais furtividade e alcance.

Zorann

O que acredito que esta aeronave terá é uma capacidade mais modular, onde seja mais fácil/barato integrar novas armas/sensores e fazer upgrades de software.

Acredito também, como alguns, que será uma aeronave que utilize tecnologias mais maduras, para criar uma aeronave mais eficaz, sem um custo exorbitante.

Inimigo do Estado

Banheira igual os Fords e Chevrolets da vida. Sexta geração prefiro o franco-germânico.

fulcrum

Quando eu vejo essa papo de multi isso, multi aquilo. Já penso no pesadelo do f35.

Last edited 1 mês atrás by fulcrum
Denis

“Durante a audiência, Brown também confirmou que a razão da Força Aérea para não incluir mais jatos F-35 em sua lista de prioridades não financiadas é que ela prefere esperar pela versão mais avançada Block 4 do jato.” A maneira mais adequada de dizer que acharam o F-35 uma josta, sem chamar a atenção dos países que o compraram. Só uma certa turminha aqui do blog é quem xinga quando alguém diz que a Orca é um fiasco quanto à relação desempenho real/desempenho esperado (aqueles mesmos que esculhambavam quando alguém dizia que a China viraria uma superpotência, mas que agora… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Denis

Últimas Notícias

Aeronave P-3AM Orion completa 10 anos de incorporação à FAB

A data marcou a modernização da Aviação de Patrulha, pois o modelo possibilitou a detecção, localização, identificação e, até...
- Advertisement -
- Advertisement -