domingo, junho 13, 2021

Gripen para o Brasil

Coreia do Sul revela projeto para futura aeronave de transporte militar

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Korea Aerospace Industries da Coreia do Sul, comumente conhecida como KAI, lançou um pequeno vídeo promocional de seu projeto proposto para a futura aeronave de transporte militar.

O vídeo lançado revela uma aeronave que se assemelha a quase todas as outras aeronaves da classe, como o C-2 japonês, o An-178 ucraniano e o KC-390 brasileiro. Ao mesmo tempo, o avião será multimissão para transportar cargas, transportar mísseis, lançar foguetes ao espaço e inserir operadores especiais e reabastecer outras aeronaves, entre outros usos.

No mês passado, a Yonhap News Agency também citou o vice-presidente executivo da empresa, Ryu Kwang-su, dizendo que a KAI já havia chegado a um consenso com a Administração do Programa de Aquisição de Defesa sobre a necessidade de desenvolver aeronaves de transporte e polivalentes no futuro.

“Atualmente, são 30 aviões polivalentes e 70 aviões de transporte operados pelo Exército, Marinha e Aeronáutica. Nosso objetivo é substituir as aeronaves importadas por aeronaves desenvolvidas internamente e avançar para os mercados internacionais com nossos próprios aviões a longo prazo”, disse Ryu.

A Força Aérea da República da Coreia opera C-130s e CN-235s, principalmente para operações de transporte aéreo.

Se desenvolvida, a aeronave de transporte seria usada para vários fins, incluindo  reconhecimento e aeronave de patrulha marítima, pois compartilha a mesma plataforma de uma aeronave de médio porte, acrescentou Ryu.

Aproximadamente um ano antes, a KAI informou que será capaz de construir sua própria aeronave de transporte em sete anos, com um investimento de cerca de US$ 2,7 bilhões.

- Advertisement -

73 Comments

Subscribe
Notify of
guest
73 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo

É um projeto bonito, aqueles mísseis é de alguma versão de patrulha naval?

OSEIAS

Papel aceita tudo. Ai vais uns bons 10 anos de desenvolvimento e uns 3 bilhões de verdinhas, para uma demanda de quantos aviões???
Coreanos estão apostando e eu diria. “SEIS, SEIS, PAPUDO VEIO!!!!!!!”.

A6MZero

Eles preveem 100 aeronaves apenas para as forças armadas da própria Coreia do Sul. Eles também tem um plano agressivo de expandir suas capacidades militares como sugere o plano de desenvolvimento de porta-aviões, submarino nuclear etc.. Ou seja demanda existe mesmo que seja interna. E não se pode esquecer que a KAI tem uma lista de respeito quando se trata de desenvolver aeronaves militares: KT-1 Woongbi (mais de 175 unidade produzidas e vendidas), o T-50 Golden Eagle (mais de 200 aeronaves) e o KF-21 Boramae (em vias finais de desenvolvimento). Quanto ao dinheiro bom a economia lá segue décadas de… Read more »

carcara_br

É preciso tirar os generais do poder executivo pra que eles não se submetam a tamanha indignidade. Se bem que, numa democracia, nem as altas hierarquias militares estão a salvo do escrutínio público.

Flanker

Qual o nexo do seu comentário? Em resposta a qual comentário do Oseias?

elcimar f. menassa

o que tem a ver com a matéria seu comentário ?
ta se aproveitando do espaço pra fazer comentário de cunho politico.. se atenha aqui ao tema militarismo. ou procure outro site pra seu uso politico.

Pedro Bó

E a vida do KC-390 vai ficando mais difícil.

Yuri Dogkove

É o que eu disse: Só o Brasil comprará o KC-390!

Marcos Cooper

então vc já está errado! Portugal e Republica Tcheca já fizeram suas encomendas.

Marcelo Monteiro Ribeiro

Hungría também.

A6MZero

A Chéquia ainda não oficializou a compra, há apenas uma carta de intenção de compra para duas aeronaves.

Esperamos que as cartas de intenção se concretizem pois dariam um grande incremento na escala da aeronave, mas até o momento apenas sete KC foram vendidos a clientes externos sendo cinco para Portugal e dois para Hungria.

Gustavo

Grande compra de duas unidades! Vai manter a linha de produção por décadas!

Flanker

Compras anunciadas, além do Brasil, são 5 aeronaves para Portugal e 2 para a Hungria.

Allan Lemos

Não acho, quando esse avião entrar em produção, o KC-390 já estará bem consolidado no mercado, dois países da OTAN já têm compras confirmadas, é provável que haja mais no futuro.

A6MZero

Realmente o KC-390 tem alguns anos de vantagem, mas não se pode ignorar um concorrente como esse.

Só a própria Coreia do Sul tem uma demanda para 100 aeronaves uma escala de produção muito maior que a atual do KC é pode significar preços mais competitivos e facilidade de manutenção devido a escala.

O KC tem que consolidar-se em um mercado que já tem um concorrente pesado (C-130) e estar pronto para enfrentar novos concorrentes, a única solução é buscar tantos clientes quando possível enquanto ainda temos a vantagem.

Allan Lemos

Mas por outro lado, o KC-390 muito provavelmente é de operação mais barata, embora eu obviamente não possa ter certeza disso, é característica dos produtos brasileiros serem mais baratos. Enfim, claro que um novo concorrente no mercado nunca é algo bom, mas acho que a Embraer já criou um nome para si própria internacionalmente, não se tornou a terceira maior fabricantes de aviões do mundo à toa, então não acredito que ela vá ter problemas.

A6MZero

Sem duvida a Embraer tem um nome e tradição oferecer produtos de qualidade e baixo custo.

Contundo a KAI é um nome que também não pode ser ignorado principalmente no setor de defesa.

Além disso os custos de operação podem pender para os coreanos, como disse eles tem uma demanda maior e quanto mais aeronaves do mesmo modelo voando mais barato de operar e manter.

carcara_br

Acho que nessas horas ter um parque industrial de defesa mais forte e diversificado faz diferença.
Imagina agregar sistemas de defesa eletrônicos exclusivos ao KC-390, ou sistemas de lançamento de drones, ou mísseis, e por aí vai….

Flanker

Você considera o parque industrial militar brasileiro mais forte que o coreano?

carcara_br

A indústria coreana (militar ou não) em média tem maior valor agregado, mais tecnologia de ponta, por si só já a tornaria mais forte no meu entendimento.

Last edited 28 dias atrás by carcara_br
Flanker

Ah, Sim. Pensei que vc tinha dado a entender que a indústria militar brasileira é maior que a sul coreana…..o que não é, obviamente. Sul coreanos fabricam caças, corvetas, fragatas, carros de combate, etc.

Sagaz

Embraer está entre os maiores fabricantes de aeronaves do planeta com ampla cadeia de pós venda e suporte de sobressalentes. Se esquecerem a viralatice irão se dar conta do tamanho dessa empresa privada brasileira.

carcara_br

Ainda usei média ali pra ninguém comentar esse tipo de coisa, mas não teve jeito

Renato B.

Eles estão na mesma categoria de transporte? Os jatos me pareceram menores que os do KC-390 em relação à fuselagem. E admito que não gosto de chamar ele de Millenium, parece que estou falando de uma versão tunada de um carro popular.

Spitfire

Bem, trata-se de projeto….ainda não há confirmação que será produzido, e caso positivo, tem um longo tempo até estar operacional… mas seria sim um grande concorrente futuro… a Embraer tem agora uma pressão para consolidar o produto no mercado de defesa antes que mais um concorrente adentre o mercado.

Guacamole

Entendo o que você fala, mas não esquece que os asiáticos tem dinheiro, são extremamente regrados e levam prazos a sério.
Tanto é que quando deu aquele maremoto no Japão que devastou a costa deles, as empresas japoneses ligaram pra cada um de seus clientes em outros países, não para dizer que a entrega iria atrasar, mas para acalma-los e dizer que chegaria no prazo normal, sem problemas.

Esse tipo de seriedade com o trabalho que deveríamos copiar de outras nações. Mas aqui se o cara fala isso, é lambe botas de patrão, tá sendo explorado, etc…

Nilton L Junior

Engraçado porque o IL-76MD-90A não entrou na lista.

Marcos10

Il-76 está um patamar acima.

Flanker

O IL-76 é de uma categoria de tamanho e de capacidade de carga superior às aeronaves citadas.

Marcelo-SP

Não há grandes segredos industriais nesse tipo de aeronave. A Embraer deveria tentar um acordo com a KAI para que eles produzissem lá o KC-390, através de versões desenvolvidas para a demanda coreana. Inclusive criando fornecedores coreanos para a produção brasileira também.

Seria mais inteligente para todos. Mais um avião nessa classe não vai ser bom para ninguém.

Marcos10

Se fosse fácil desenvolver aviões, a Mitsubishi não estaria penando com seu MRJ.

A C

Neste caso em particular (MRJ) o projeto estah pausado e nao ha previsao de retomada apesar dos 7 prototipos.

Thiago A.

Segredos não existem, a capacitação tecnológica que requer uma aeronave de transporte desse porte é certamente menor do que a dos caças, mas projetar, desenvolver e lançar um novo produto no mercado é sempre um incógnita . Imprevisto e complicações podem surgir do nada, a aceitação do mercado de uma nova aeronave também não acontece do dia para noite .
Mas a sua sugestão me parece pertinente. Bem melhor buscar cooperação e parcerias do que que lidar com mais um concorrente que inclusive é fortemente apoiado pelo próprio Estado ( e que ESTADO !) .

Renato B.

Eu acho uma ideia interessante, nós poderíamos oferecer a versão de transporte e eles nos devolviam uma versão de patrulha. A Embraer chegou aonde está porque se ligou nas grandes cadeias de produção internacionais.

Paulo Sollo

Com o advento da engenharia digital projetar aviões vai se tornando cada vez menos complexo, principalmente para quem já tem o know how.

A tendência por substituir plataformas estrangeiras, principalmente o C-130, por produtos próprios é algo já estabelecido nos países que tem esta capacidade, e o grande desafio aí é buscar uma redução nos custos de produção porque com tantos concorrentes no mercado será difícil pra todos eles alcançarem vendas em grande escala.

E o reinado do C-130 a nível global vai chegando ao fim.

Last edited 29 dias atrás by Paulo Sollo
Marcos10

Os custos de desenvolvimento são altos e com uma série de demandas dentro das FFAA em todo Mundo, querer desenvolver tudo é algo impossível.

Paulo Sollo

Impossível? Para muitos, não para todos, como os americanos, russos, chinos, francos, sul coreanos, japoneses.

E o Brasil desenvolveu até agora aviões civis de diversos tamanhos, treinador militar, aeronaves de ataque turboélice e a jato, AEW&C, cargueiro e reabastecedor.

Caerthal

Diga isso para a Mitsubishi, Comac e Sukhoi que tiveram tremendos atrasos e até agora não lograram a certificação do FAA.

A6MZero

A KAI avança em passos largos para se tornar uma das gigantes no setor de aeronaves militares.

E também começou a dar os primeiros passos no mercado civil já que também planeja desenvolver um turboélice para até 90 passageiros.

MMerlin

Grande país. Com um projeto de Estado constante e um planos de governo que seguem sequencialmente o planejamento. Seu único (mas grande) ponto fraco é a dependência de sua maior empresa, a Samsung, que corresponde a incríveis 15% do PIB.

Referente a aeronave, vai ser se razoável concorrente ao produto da Embraer. Segundo especificações, estará disponível em duas versões: Básico (com turboélice e até 20 toneladas) e Avançado (com Turbofan e até 25 toneladas). O que impressiona é a previsão do alcance do segundo, com carga máxima, ser de 8 mil km. Mais que o dobro do KC-390.

MMerlin

Apenas um adicional. O tempo total para desenvolvimento da aeronave será de 12 anos, e não 7.

Allan Lemos

É uma pena que o KC-390 não tenha sido projetado para carregar mísseis. Tomara que façam uma atualização nesse sentido futuramente.

Maurício.

Allan, isso de ser projetado para alguma coisa específica é um mero detalhe, com um pouco de paciência e gambiarra tudo é possível, o que mais tem é aeronave de transporte lançando armamento por aí, desde bombas burras até mísseis de cruzeiro, o importante é entender de gambiarra rsrsrs.

images (13).jpeg
Allan Lemos

Esse ai é um Hércules lançando um Hellfire?

Seria uma boa fazer esse tipo de adaptação no KC-390. Imagina ele lançando o futuro MICLA-Br? Seria uma arma sem igual na América Latina, mas duvido que a FAB esteja interessada nisso, infelizmente.

Maurício.
Allan Lemos

Legal, não sabia que podiam fazer isso.

Rommelqe

A capacidade de um C-130 e de um KC390 ser empregado em deiversas possíveis missões e finalidades da vida é muito maior do que a vã consciência de alguns aqui imaginam…

Carlos Campos

coloca uma dúzia dentro do KC em um planador e lança no ar, não sei se vc viu mas a CS vai fazer isso no seu avião, tanto com misseis e drones.

Renato B.

A longa discussão entre carga x plataforma continua. O que é mais importante: a plataforma ou o equipamento/armamento que ela carrega?

Adriano Madureira

Duvido que a FAB “investiria” dinheiro em algo semelhante…

Last edited 28 dias atrás by Adriano Madureira
Nilo

KAI é fornecedora de peças que compõem a parte superior e painéis inferiores das asas de jatos comerciais E190 e E195-E2, além dos painéis superiores e inferiores do C-390.
Uma diferença gigantesca de uma sociedade para outra, com uma empresa menor que a Embraer e menos consolidada entra para competir assumi como diz Galante “risco”, na proteção da sua indústria de alta tecnologia.

Last edited 29 dias atrás by Nilo
Marcos10

A Embraer poderia assumir quantos riscos quisessem desde que o Estado brasileiro bancasse.

Nilo

Infelismente no nosso país política de Estado inexiste (como na C.Sul), tanto que se reflete na fragilidade da Embraer como empresa nacional detentora de recursos tecnológicos e gerencias vitais e de importância ao desenvovimento e soberania do país.

Last edited 29 dias atrás by Nilo
A C

Caro Nilo, infelizmente a diferenca dos niveis culturais entre Coreia e Brasil eh gigantesca em boa parte devido a valorizacao da Educacao. A Coreia surgiu das cinzas ha poucas decadas enquanto o Brasil ainda dorme em berco esplendido. Nao seria prudente alguem substimar a capacidade da engenharia coreana. Os coreanos tem uma gana pelo conhecimento e crescimento. Estudam muito, trabalham bastante e eh uma sociedade extremamente tecnologica e desenvolvida. Se de fato quiserem levar o projeto em frente, este aviao vai para a linha de producao e entra no mercado para disputar com a EMB apesar da baixa tradicao da… Read more »

Last edited 29 dias atrás by A C
Nilo

em nenhum momento substimo a KAI, pelo contrário.

Maurício.

Esses coreanos não sabem de nada, segundo alguns, o C-130 é o melhor…
Quando se tem matéria sobre o KC-390 sempre tem um pessoal para criticar, será que vão criticar esse projeto também?

fritz paul reinacher

Maurício, só vão criticar ser o projeto for brasileiro, daqui a pouco vão aparecer ,uitos dizendo que o projeto coreano é muito anos luz à frente do KC-390

Thiago A.

Não digo nada. Esses coreanos vão jogar dinheiro no lixo também? Um novo avião de transporte da categoria do C-130 para que ? Existe uma penca de Hércules usados por aí que seriam bem mais convenientes. Que bobos! E digo mais, são pretensiosos e megalomaníacos! Querem desenvolver tudo em loco, porque que reinventar a roda? é só pedir para o Tio Sam. Não sei se vocês ficaram sabendo mas esses asiáticos bobos , depois do KF-X, agora planejam um submarino nuclear. Que absurdo , que megalomania. Eu acreditava que só a MB poderia ser tão idiota. Os Australianos até que… Read more »

Thiago A.

https://amp.scmp.com/week-asia/politics/article/3104424/south-koreas-request-submarine-nuclear-fuel-us-denied-report
São megalomaníacos esses asiáticos, devem ter aprendido com a MB . Agora querem desenvolver tudo.

Gustavo

Olhando esse avião só me vem na cabeça o quanto foi acertado o KC nosso

Rommelqe

Exatamente….Assino e baixo.

Bardini

Na boa. Esse vídeo foi divulgado pela KAI? Se for, é o vídeo mais amador que eu já vi de uma empresa de aviação, rsrs. . Essa concepção ficou meio que parecida com o An-178. Só essas turbinas ficaram estranhas. Parecem pequenas demais. . Mas enfim, desenhinhos… Tudo parece muito embrionário ainda sem ter cara definida. Na Janes, se diz que o desenvolvimento do projeto é para começar em 2025 e ir até 2031. Ou seja: muita água pra passar embaixo da ponte, para uma coisa que vai sair do chão praticamente na década de 30. . Semanas atrás, saiu… Read more »

Last edited 29 dias atrás by Bardini
orivaldo salvador

Mais um dia se iniciando e nada da triologia falar sobre o conflito Israel x gaza.

MAB

Seguindo sua linha de raciocínio, deveria haver reportagens diárias sobre os conflito na República Centro Africana, no Mali, na Síria, Iemen, fronteira Colômbia-Venezuela, Dombass (Ucrânia) e tantos outros, que a grande mídia ignora, com exceção ao que você mencionou, que dá “ibope”.

Isto não desabona em absolutamente nada este espaço de notícias.

Jadson Cabral

Sim, é mais um concorrente para o KC-390, mas tbm é mais um sinal de que a Embraer fez uma escolha muito acertada em mirar nesse mercado, porque se tem outros desenvolvedores apostando no mercado é pq tbm enxergam a oportunidade. Só que o KC-390 tema vantagem de já estar pronto e operando, já ter vendido para outros países além do Brasil (ainda que poucas unidades) e tem o peso do nome Embraer. Sendo muito otimista, levaria no mínimo 5 ou 6 anos para o primeiro protótipo dessa aeronave voar. Até lá quantos KC-390 a Embraer já não terá vendido?

JuggerBR

crtl + c, crtl + v..

Caerthal

Acredito que eles estão buscando uma
aeronave mais leve, mais parecendo uma aeronave comercial com asas altas. Maior envergadura buscando melhor performance em missões de longa duração ou alcance porém menos robustez para pista semi-preparadas ou para carregar blindados.

Rommelqe

Caro Caerthal: extamente é essa a minha impressão. A envergadura muito extensa e cordas curtas nos perfis das asas, com baixo enflechamento demonstram uma concepão mais adequada a pistas bem preparadas, da forma como imagino que sejam as pistas (em tempo de paz…) em toda a Koreia e eventuais missões internacionais que façam. Pode ser um forte concorrente do KC390 em mercados com estas características. Ma não seria uma opção (logico em tese) para o Brasil .

RSmith1960

Hum… não seria essa uma “oportunidade” para o Governo Brasileiro propor aos Coreanos um “Troca x Troca”? … eles compra um lote de KC390 e o Brasil compra uns de KAI T-50 Golden Eagle ou, para Lead in Fighter Trainer… ou quem sabe, uma participação no KAI KF-21 Boramae….

Adriano Madureira

Ou quem sabe o novo light attack helicopter deles, precisamos muito de aeronaves de ataque, reconhecimento,vigilância e escolta…
comment image
comment image
comment image

Last edited 28 dias atrás by Adriano Madureira
carvalho2008
Thiago A.

Carvalho, me parece uma boa ideia para criar táticas de enxame, imagino ele empregando drones kamikazes . Me lembrei dos turcos que transformaram um alvo aéreo, o SIMSEK- tipo o Diana da FAB-, em um drone de ataque suicida com um alcance superior aos 100km . Um conceito bem básico e barato para produzir em grande números, e cujo objetivo é justamente a saturação dos sistemas de defesa. Porém são transportados e lançandos por drones MALEs, sempre de produção turca

Mk48

Vão fabricar o KC-390 sob licença????

Reportagens especiais

Parafuso sem controle

Relato de Gustavo Adolfo Franco Ferreira (tenente-coronel da reserva da FAB) O Cessna T-37 foi chamado, aqui no Brasil, de...
- Advertisement -
- Advertisement -