sexta-feira, maio 7, 2021

Gripen para o Brasil

FMV solicita melhorias adicionais nos caças Saab JAS 39C/D Gripen

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A FMV (Administração sueca de material de defesa) celebrou um acordo com a Saab para uma atualização adicional dos caças JAS 39 C/D.

O pedido refere-se a melhorias nas aeronaves JAS 39 C/D e sistemas de suporte entregues pela Saab AB.

O pedido é coordenado e adicionado a um pedido anterior.

O valor do pedido é de aproximadamente SEK 130 milhões.

Em 2018, a Saab recebeu 224 milhões de coroas suecas (US$ 26 milhões) para modernizar os sistemas da frota de aviões de combate Gripen C/D da Força Aérea Sueca.

O contrato envolveu melhorias na configuração MS20 (Material Standard 20),  implementada em 2016.

As melhorias visaram as “capacidades centrais” da aeronave, incluindo os sistemas de aquisição de alvos, autoproteção, comunicação e interface homem-máquina, bem como diversos sistemas de suporte e treinamento importantes.

A Força Aérea Sueca opera 73 caças Gripen C monopostos e 24 Gripen D bipostos, todos com upgrade para o padrão MS20 (a versão final para o Gripen C/D). Essencialmente, um pacote de software, o MS20 inclui a integração do míssil ar-ar MBDA Meteor, além do alcance visual, e da bomba Boeing GBU-39 Small Diameter Bomb I; melhores modos de radar; uma capacidade de apoio aéreo aproximado digital; maior conectividade do Link 16; aprimoramentos da navegação civil; proteção química, biológica, radiológica e nuclear (CBRN) para o piloto; operações com capacidade noturna usando o SPK 39 Modular Reconnaissance Pod II; e um sistema de prevenção de colisão com o solo (GCAS).

Além dos Gripen C/D, a Força Aérea Sueca planeja receber 60 caças Gripen E de 2022 a 2026.

Saab JAS 39C com MS20, dotado de SDBs, Meteor e IRIS-T

- Advertisement -

13 Comments

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Spitfire

Olá pessoal. Teria esse pacote de atualização relação com os sistemas do F39E (Gripen NG)? Muito provavelmente parte do desenvolvimento do NG seja aplicado nos C/D para maior padronização da força. As empresas Brasileiras poderiam ter algum ganho nesse processo? Por exemplo Wide Area Display (WAD) da AEL Sistemas?

Leandro Costa

Isso tudo que tem no MS20 virá instalado de fábrica nos E/F

camargoer

Olá Leandro.Tenho certeza que os F39E da Suécia usarão os WAD desenvolvidos no Brasil, mas não sei dizer que os C/D modernizados usarão. Temo que não. O pacote de modernização dos C/D será para eleva-los ao padrão E.

Mayuan

Me parece justo pensar que dentro do possivel eles devem estar em busca de colocar o melhor dos E nos C e D como o Aesa, o Arexis, Wad, SkyWard, BriteCloud, ou seja, o que der e ele ainda não tiver.

camargoer

Ola Mayuan. Concordo com você. Imagino que grande parte do upgrade será em termos de sensores e software incluindo provavelmente um novo computador com maior capacidade de processamento. Acho que os pilotos ficariam felizes com um novo WAD nos F39C/D. Se eu encontrar algo sobre esse upgrade voltarei para colocar aqui no “Aéreo”

camargoer

Olá Mayuan, fiz uma busca rápida em torno do MS20 e pelo que entendi são mudanças de software e sensores. Não há previsão de mudança de instrumentação no painel do piloto, nem de partes estruturais, nem de aspectos de propulsão.

Felipe Morais

Considerando o pequeno valor e que a contratação abrange, além da melhoria das aeronaves, o suporte da SAAB, não será para “elevá-los ao padrão E”. Talvez até seja algo para implementar alguma melhoria do padrão E aos padrões C/D, mas algo muito longe de elevá-los ou torná-los similares ao padrão E, que é, praticamente, uma nova aeronave.

Adriano RA

Pelo valor parece-me que serão modificações pequenas. A princípio achei que poderiam instalar o novo radar AESA apresentado recentemente para os Gripens C/D, mas o montante a ser gasto não indica que isso será feito.

JuggerBR

E a Suécia vai estruturando seu Hi-Low caseiro com aeronaves parecidas, uma mais espartana, a outra um pouco mais pesada e atualizada. A vantagem é uma cadeia de fornecedores única e com alta taxa de comunalidade entre elas.

camargoer

Caro Jugger. Apesar de parecidos, os modelos C/D são muito diferentes do E. As cadeias logísticas são muito diferentes.

DSC

Jugger, A comunalidade de partes/componentes entre os C/D e os E/F é baixa. https://tecnomilitar.wordpress.com/2020/12/15/gripen/ “..4. FuselagemEmbora externamente semelhante, o Gripen-E/F possui menos de 10% de partes comuns com o Gripen-C/D (para-brisa, canopy, assento ejetável, canhão, elevons externos, sistema de combustível e hidráulico). Ele é ligeiramente maior (30cm), possui a fuselagem um pouco mais larga para acomodar o novo motor e canards ligeiramente maiores para compensar o aumento de peso (+1.200kg na versão “E”). A envergadura também aumentou 20cm em funções dos trilhos na ponta das asas maiores destinos também à guerra eletrônica.…” https://www.flightglobal.com/saab-reveals-full-gripen-e-design-cost-savings/112646.article “…Sweden’s remanufactured aircraft will retain almost none… Read more »

Felipe Morais

Não tem relação direta com o assunto da matéria, mas alguns sul americanos deveriam já estar de olho nesses Gripen C/D da Suécia (caso já não estejam). Aeronave interessantíssima para as forças da região que possuem alguma condição de operar uma aeronave desse nível, como Peruanos e Colombianos. Chilenos, creio que, que não seria um passo a frente, visto já operarem o F16 (Poderiam ir de E/F). E argentinos, além da questão econômica, infelizmente não podem ter acesso a aeronave diante da questão com os ingleses. De toda forma, seria excelente que mais países da região pudessem operar o gripen,… Read more »

Camargoer

Olá Felipe. Eu também considero o F39C/D um excelente avião. Contudo, eu acho muito difícil que qualquer país do nosso continente decida adquirir novos armamentos agora e nos próximos anos A região está sendo muito afetada pela pandemia. Creio que apenas os contratos já firmados terão andamento. Talvez daqui uns 5 anos seja possível pensar em aquisições militares.

Reportagens especiais

Visita ao National Naval Aviation Museum

O Poder Aéreo esteve no National Naval Aviation Museum, o maior museu de aviação naval do mundo, em Pensacola...
- Advertisement -
- Advertisement -