domingo, abril 11, 2021

Gripen para o Brasil

DESAER está montando nova sede em Araxá (MG)

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O site Airway noticiou que a DESAER Desenvolvimento Aeronáutico que está montando uma nova sede em Araxá em Minas Gerais (MG), a 366 km de Belo Horizonte.

A sede ficará no Aeroporto Romeu Zema, onde vai concentrar as atividades administrativas e de engenharia da aeronave turboélice ATL-100 da DESAER.

A mudança das equipes para a nova base será realizada ainda no primeiro semestre deste ano e as obras para erguer a fábrica começam na segunda metade de 2021.

De acordo com a fabricante, a cadência de produção inicial da unidade em Araxá será de quatro aeronaves por mês e a planta deve gerar cerca de 1.250 empregos diretos e indiretos da região.

O empreendimento da fábrica terá 96.570 m2 de área construída, representando um investimento inicial de US$ 80 milhões e que pode alcançar o patamar de US$ 120 milhões em 2023.

Em 2020, a Desaer e o CEIIA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, sediado em Portugal, firmaram um acordo para o desenvolvimento, industrialização e comercialização da aeronave de transporte leve ATL-100.

Segundo a Desaer, o ATL-100 é uma aeronave de uso civil e militar, com configurações para o transporte de passageiros (até 19 passageiros) e para carga (2,5 toneladas), com o objetivo de endereçar as necessidades de transporte regional em áreas já adensadas e nas regiões mais remotas, necessitando de pouco apoio de infraestrutura no solo e possibilidade de aterrar em pistas curtas e não pavimentadas.

DESAER ATL-100

- Advertisement -

40 Comments

Subscribe
Notify of
guest
40 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilo

Minas parabens, cada vez mais, passo a passo, no circuito da indústria aeroespacial.
A nova Kombi de asas rsrsrsr.

Last edited 30 dias atrás by Nilo
ERNANI BORGES

Boa opção para substituir o Caravan nos sonhos do EB.

Rafael Gustavo de Oliveira

boa opção para substituir o bandeirante

PauloOsk

Acho que quem vai fazer isso sera o STOUT da embraer.

Filipe Prestes

Seria uma boa o STOUT para a FAB e o ATL para o EB se o GF tivesse condições de escolher assim e fomentar a Desaer sem com isso preterir a EDS

Fabio Araujo

Não vejo a hora de ver o primeiro voando!

Talisson

Todo sucesso aos envolvidos!

Last edited 30 dias atrás by Talisson
Rafael Gustavo de Oliveira

Prefiro muito mais esse projeto do que o stout da embraer como um possível substituto do renomado bandeirante, para ser sincero acho stout muito a frente do seu tempo (caro?), mas convenhamos que temos que ter os pés no chão, simplicidade é o resultado do sucesso.

Nilo

Acredite, tem mercado para os dois.

ALEXANDRE

Tem mercado, mas os riscos parecem bem menores com o projeto do ATL-100

Demetrius

Talvez off-topic mas como ficou a questão junto ao MoD sobre a operação pelo EBdos Sherpas e a FAB?

Oráculo

Futuro avião do E.B. na Amazônia.

E talvez até da própria FAB, isso se aparecer algum Brigadeiro com saco roxo pra comprar avião nacional fora da EMBRAER.

Nilo

😂 😂 😂 😂 😂 😂

Zorann

Acho o máximo isto. Temos esquadrões de transporte na FAB pra que? os ETAs servem pra que?

E as trocentas outras responsabilidades e necessidades do EB? Ter esquadrões de transporte, para fazer o que a FAB deve fazer, é mais importante do que elas?

Com o pouco de recursos que sobra pra custeio e o quase nada que sobra para compra de novos equipamentos, temos de ser racionais com os gastos. Comprar aeronaves de transporte para o EB está longe de ser racional.

Rinaldo Nery

Até que enfim um comentário correto.

Wellington Góes

Claro, porque convém ao discurso corporativista…

Wellington Góes

Negativo… O seu comentário é recheado de falso pragmatismo… Uma coisa é concordar que o EB não precise de grandes aeronaves de transporte, outra é achar que não precisa de nada, porque a FAB está aí… Só mostra que não entende, ainda, como as coisas funcionam na vida real… Mesmo com tantas aeronaves disponíveis, a FAB não atende e nunca atendeu satisfatoriamente às necessidades do EB e MB, a fora as das outras instituições públicas que, por não terem frota própria, solicitam da FAB apoio… É, simplesmente, um Deus nos acuda agendar disponibilidade de vôo da mais simples aeronave de… Read more »

José

Ao menos uma vez por mês passo no aeroporto de Araxá. Tentar tirar algumas fotos quando começarem construir, e se passar desse COVID-19 talvez umas dos primeiros exemplares.

Filipe Prestes

Já foi publicado algo a respeito do CLX pela FAB?

Bardini

Os caras tão investindo 80 milhões de Bidens pra sair do papel e existem os fatores COVID e SkyCourier entrando no mercado. Haja coragem, ehm…
.
A DESAER tá tirando esse escorpião do próprio bolso ou tá usando o bolso de alguém?

Matheus

Ae estão com essa coragem é porque realmente tem potencial.

Bardini

Dependendo de quem for o dinheiro, até eu teria coragem.

MMerlin

Também concordo que o risco empresarial é alto. Mas devido ao montante, que sem dúvida deve ter vindo de um investidor externo (e não estamos falando de uma instituição bancária), o Plano de Negócios do projeto deve ter meios que reduzem o risco. E, pelo valor captado, provavelmente sejam cartas de intenção de compra do produto.

Last edited 29 dias atrás by MMerlin
Bardini

“E, pelo valor captado, provavelmente sejam cartas de intenção de compra do produto.”
.
Se fosse, estariam divulgando isso aos quatro ventos… estilo KC-390.

Nilo

👍

Nilo

Ela não esta sozinha tem a portuguesa CEiiA, parceira,  ‘joint-venture’, tronou-se um projeto luso-brasileiro. Tem parceria com Prefeitura de Araxá e apoio do Governo de Minas.
Meios que reduzem o risco, são somatórias: capacidade técnica e gerencial dos envolvidos, um excelente produtos com conceito multi-configurável, para maior flexibilidade na logística de passageiros e mercadorias, objetiva baixo custo operacional e exigência baixa de infraestrutura operacional, a simplicidade, rusticidade do projeto deve proporcionar um preço competitivo no mercado.
Não vejo como competidor do Stout da Embraer, mas como complementar.

Last edited 29 dias atrás by Nilo
MMerlin

Nilo. Você está certo. Isto reduz o risco, mas ainda sim é insuficiente para adquirir este crédito em uma instituição bancária, nacional ou estrangeira, quando a empresa está na etapa de se estabelecer no mercado.

Nilo

Sua consideração esta correta. Em reportagem Evandro Filemo, sócio-fundador da Desaer, afirma: “Tivemos reuniões em Brasília, mas não conseguimos a aprovação de uma linha de crédito para desenvolver o ATL-100 no Brasil”. Não recebeu apoio do Governo Federal. Sem apoio no Brasil, a Desaer pode encontrar ajuda no exterior. Filemo contou à reportagem que recebeu sondagens dos governos de Israel, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e até da China para investir no desenvolvimento do ATL-100, mas não detalhou como poderia ser o modelo de parceria com esses países. Interessante é que os portugueses falam em uma fabrica também em Portugal,… Read more »

Last edited 29 dias atrás by Nilo
Nilo

claramente

Marcelo M

Confesso que não estava com fé no projeto. Crise no Brasil e no mundo, mercado de aviação sofrendo terrivelmente e uma baita concorrente dentro do próprio país, com um projeto similar em desenvolvimento. Nossa torcida para que a empresa vingue e sedimente a posição do Brasil na indústria aeronáutica internacional.

groosp

Por que os containers tem esse corte chanfrado?

Leandro Costa

São containers aéreos padrão. Eles tem esse formato para caberem em porões de carga de aeronaves e ainda assim aproveitarem o máximo de espaço disponível.

Joli Le Chat

Não sei o que tem em Araxá, mas espero que esta mudança não se torne um novo “Polo Aeroespacial de Tupaciguara”.

MÁRIO FILHO

ME PARECE QUE O GOVERNADOR DE MG É DE ARAXÁ .

Zorann

Se depender do Brasil para este projeto ir pra frente, simplesmente não vai. Não vai ter quem compre.,

A FAB, se for comprar alguma coisa, já sinalizou que possivelmente vai de Stout da Embraer. E não serão tantas unidades assim a ponto de garantir lugar para duas aeronaves concorrentes.

Seria interessante, do ponto de vista estratégico, ter mais um fabricante de aeronaves no país. Mas para ir pra frente, a FAB teria de comprar uma bela quantidade de aeronaves. E sinceramente, não acredito que vá..

Carlos Alberto Soares

Ué, NOVAER parada, MO especializada na região e os caras vão tomar sauna em Araxá.

Rafael Barreto

Araxá é a segunda melhor cidade em índice de criminalidade para se viver em MG, isso com 100k de habitantes, entre SP e BH e perto de Uberaba e Uberlândia. Além disso a CBMM vem forte com a nova geração das baterias de nióbio. Temos faculdade e polo do CEFET-MG. Não seria de se espantar que engenheiros e M.O especializada tenham interesse em se mudar para a cidade para se entregar a um novo projeto enquanto planejam a aposentadoria com qualidade de vida.

William Duarte

Off topic: Prezados editores a “falida” EMBRAER após o não casamento forçado com a Boeing está disparada este ano na bolsa de valores segue o link – https://exame.com/invest/o-que-explica-a-disparada-de-embraer-acao-sobe-12-na-semana-e-salta-63-desde-fevereiro/?utm_source=pushnews&utm_medium=pushnotification

Wellington Góes

Bem, na minha opinião, a FAB deveria pensar em diversificar a nossa Base Industrial, infelizmente, como de praxe em organismo corporativos, fizeram foi concentrar ainda mais a nossa dependência industrial em torno da EMBRAER… Como se percebe, não aprenderam com os erros do passado recente, quando a empresa quase foi parar nas mãos da BOEING… É de uma estupidez, para não dizer outra coisa, financiar uma enorme empresa, mesmo com projetos de pequeno-médio monta, enquanto deixa a deriva projetos promissores, ainda menores, como este da DESAER, ou outros como os da NOVAER, ambas até hoje pedindo de joelhos por mais… Read more »

Gabriel BR

Quebrando o monopólio dos Correios acho que vai ter muita empresa precisando deste tipo de avião. Outro nicho são empresas que fazem transporte de valores…

Combates Aéreos

Um difícil começo

Traduções inéditas por Roberto F.Santana A primeira unidade da IDF/AF a operar o Shahak (Skyblazer), como o Mirage III ficou...
- Advertisement -
- Advertisement -