sexta-feira, maio 14, 2021

Gripen para o Brasil

Força Aérea Real da Tailândia atualizará aeronaves de combate Gripen C/D para o padrão MS20

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Diretoria de Engenharia Aeronáutica (DAE) da Real Força Aérea Tailandesa (RTAF) concedeu um contrato para a atualização de 11 aeronaves de combate multifuncionais Saab JAS 39 Gripen C/D do serviço para o padrão mais recente MS20.

O contrato de THB 631,725 ​​milhões (US$ 20,84 milhões), que data de meados de janeiro, foi assinado com a Administração Sueca de Materiais de Defesa (FMV), de acordo com documentos publicados pela RTAF.

O requisito para a atualização do MS20 foi declarado pela primeira vez em novembro de 2018 pelo Capitão do Grupo Prachya Tippayarat, da Ala 7 da RTAF na Base Aérea de Surat Thani, em uma entrevista ao Jane’s. No entanto, nenhum detalhe foi fornecido sobre a atualização na época.

A exigência foi reiterada no Livro Branco da RTAF de 2020, com uma data de início prevista em 2021, embora nenhuma informação tenha sido fornecida sobre quando o trabalho de atualização está programado para ser concluído.

De acordo com a Saab, a atualização MS20, que envolve atualizações de hardware e software, é projetada para aumentar a capacidade dos Gripens de engajar alvos terrestres ao incorporar bombas não guiadas e guiadas a laser no estoque de carga da aeronave.

A capacidade ar-ar da plataforma também deve ser aprimorada com a introdução de novos modos de radar. O padrão MS20, que oferece um sistema opcional de prevenção de colisão com o solo (GCAS), permitirá adicionalmente à aeronave disparar o míssil ar-ar Meteor da MBDA além do alcance visual (BVRAAM).

Gripen e Saab 340 AEW da Força Aérea Real Tailandesa – foto Saab

FONTE: Jane’s

- Advertisement -

19 Comments

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo

Esse upgrade é o maior concorrente dos Gripens E/F, pois o C/D fica quase com o mesmo nível tecnológico do E/F pouco coisa inferior e ainda vai levar menos combustível e cargas que o E/F!

Fernando Turatti

Não, não fica quase com o mesmo nível. Já começa com a diferença gigantesca de radar…
Não é o caso de quem tem os gripen C/D se desfazer dos mesmos para adquirir o E, mas é isso. Gripen C novo só se o país realmente tiver um orçamento severamente apertado a ponto de não conseguir adquirir o E.

Nilo

👍

Wellington Góes

Se aproxima em muitas capacidades daí porque a relação custo benefício dos E/F fica abalada… Não a toa que a Flygvapnet não quis mais adquirir mais unidades, das 60 já contratadas… Mas quanto a quem tem C/D, realmente, concordo contigo, não faz sentido se desfazer e optar pelos novos E/F…. Aliás, mais uma das mentiras que caem por terra, com o passar do tempo, pois muitos vendiam essa possibilidade, para justificar a escolha pelo Gripen NG (nome dado à epoca).

Wellington Góes

Também não é assim pouca coisa, mas a relação custo benefício não favorece ao novo produto…o Gripen C/D, com as devidas modernizações, é o Bom, Bonito e Barato, o E/F não se pode dizer o mesmo…

Kemen

Em linhas gerais, sem entrar em detalhes, continuam sem radar AESA o que implica em algumas limitações normais de um radar pulse doppler PS 05/A a modernização da SAAB para o radar é para a versão Mk4, mas os tailandeses continuam com menor alcance (40 % menos combustivel), menor capacidade de carga e menos pilones. A RTAF interagiu anteriormente com oficiais da FAB para saber detalhes da nossa versão e também ficamos sabendo detalhes operacionais e as suas opiniões a respeito dos seus Gripen.

carvalho2008

Nada diferente do que foi o F-18 A/C para o F-18 SH….dá para modernizar e compensa? Lógico….!!

É o mesmo avião com a mesma capacidade?

Lógico que não…!!

Millenium

Muitas palavras? Lógico que não.
Ótima resposta? Lógico que sim!

Tamandaré

Acredito que, havendo disponibilidade de recursos e de aeronaves, seria ideal para a Tailândia a aquisição de mais 13 aeronaves (um novo esquadrão + reposição da unidade perdida) e pelo menos 1 aeronave GlobalEye.

Em tempo: será que a África do Sul adotou/pretende adotar também o MS20?

Bom dia a todos! 🙂

JuggerBR

Melhor isso do que pegarem F-16 atualizado ou similar no mercado.

Delfim

Nada como um dragão ao lado para estimular a Defesa.

Adriano Madureira

As vezes a ausência de uma ameaça ,apesar de alguns acharem benéfico, surte um efeito maléfico na defesa. Especialmente pela parte política, onde nossos sábios gestores e representantes do povo, por acharem que não há nenhuma ameaça a nação, por não termos inimigos, não sermos um país hostil e belicoso, um investimento grande em defesa não teria sentido. No continente sul-americano não há ameaças a nossa segurança, fala-se da Venezuela, mas duvido muito que eles iriam arranjar problemas conosco pois já tem problemas demais.. Para o Peru e Colômbia, uma incursão até nosso território seria até possível, mas para um… Read more »

Denis

Para o Chile nos invadir teria que passar, na melhor das hipóteses, pela Bolívia primeiro. Na pior, por Argentina e Paraguai. O dinheiro acabaria na metade do caminho.

João Bosco

Alguém ai acha que a SAAB vai vender uma atualização do Gripen C/D para melhorar essa aeronave e competir com o Gripen E/F dela mesma ?

mk48

Pois é isso que fiquei pensando, óbvio que não faz sentido.

Nilo

Correto. Gripen C/D MS20, novo, só participão da correncia na Croácia, em razão de ter chances na correncia, já que o preço de compra é relevante para o pais, tanto que estavam dispostos a comprar o F-16 Barak, desativado, por 500 milhões de dolares sem atualização, portanto, nesta condição!!!!.
No restante as atualizações MS20, são oferecidas aos que já tem os Gripen C/D e não possuim disposição para compra do Gripen E/F.

Last edited 2 meses atrás by Nilo
Fernando Martins

Que coisa espetacular essa foto dos três Gripens manobrando. De arrepiar, cara.

Wellington R. Soares

Se houvesse planejamento de longo prazo, na época teríamos escolhido uns 12 Gripens C/D, ao invés dos Mirage2000.
Hoje eles estariam operacionais, poderiam ser atualizados e operados junto aos novos E/F.

Funcionário da Petrobras

Seria um ótimo negócio, haja vista que a familiaridade com o Gripen E seria otimizada.
Ocorre que na época, não se sabia o desfecho do famigerado programa FX-2, além do mais tudo dava a crer que o MD iria assinar o contrato de compra com a Dassault para adquirir o Rafale.
Acredito também que na época não havia Gripen C/D disponíveis na Suécia para oferecer à FAB.

Last edited 2 meses atrás by Funcionário da Petrobras

Reportagens especiais

John Boyd, o piloto de caça que mudou a arte do combate aéreo – parte 2

Depois de desenvolver a Teoria E-M, o próximo objetivo de Boyd foi comparar os caças americanos com seus rivais...
- Advertisement -
- Advertisement -