quinta-feira, agosto 5, 2021

Gripen para o Brasil

China conclui construção de linha de produção de motor de médio empuxo

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Uma empresa de armas chinesa concluiu recentemente a construção de uma linha de produção de motores de médio empuxo de terceira geração, e analistas disseram que a China agora pode produzir aviões de combate sem ter que depender de motores importados.

O projeto de construção da linha de produção de motores de médio empuxo de terceira geração passou por uma verificação de aceitação após a conclusão da construção, informou o National Business Daily no dia 8 de fevereiro, citando uma declaração da Aviation Power Co da estatal Aero Engine Corporation of China.

A empresa é responsável pelo desenvolvimento e produção de motores aeronáuticos para fins militares e civis, com foco em produtos militares e pesquisa científica para novos motores, informou a empresa em seu site.

JF-17
FC-31/J-31

Embora a declaração não se aprofundasse na terceira geração de aeromotores de médio empuxo, observadores militares chineses especularam que poderia ser o motor WS-13, a ser usado em aviões de combate, incluindo o jato JF-17 desenvolvido conjuntamente pela China e Paquistão e o jato stealth FC-31, que também se diz que se tornará o avião de combate da próxima geração baseado em porta-aviões da China no futuro.

A China tem importado motores RD-93 da Rússia para esses fins, disseram os observadores.

A conclusão da linha de produção indica que a China fez avanços na produção de motores aeronáuticos, disse Xu Guangyu, conselheiro sênior da Associação de Controle de Armas e Desarmamento da China, ao Global Times no dia 9 de fevereiro.

A China poderá produzir em massa os motores, o que permitirá a produção em massa de aviões de combate, disse Xu.

FONTE: Global Times

- Advertisement -

56 Comments

Subscribe
Notify of
guest
56 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings

É a China avançando como sempre.

Nilton L Junior

E ainda existe gente com a percepção da China no século 19, imagina quando eles se derem conta que já pousaram na lua e possivelmente em Marte.

Chris

Pelo que entendi da matéria…

Eles apenas conseguiram a capacidade de fabricar motores medianos !

Nao sei se o motor da foto é deles, Mas apenas pelo fan, ja se percebe que esta longe da tecnologia atual !

Assim… Estariam muito longe de conseguirem fazer motores como os de Boeing 777 ou F-35 !

Last edited 5 meses atrás by Chris
Jadson Cabral

Como você consegue identificar pelo “fan” que eles estão longe da tecnologia atual?
Só por confundir turbofan com turbojato você já mostra que não sabe nada do que tá falando.

Emerson

É um grande avanço tecnológico. Cópia do motor do MiG-29, mas a China consegue com isso sua independência em motores para o JF-17 e J-31. Se não me engano fizeram o mesmo com os motores Saturn, colocando-os no J-10 e J-11 (cópia do Su-27). Depois disso o próximo passo é desenvolver novas gerações a partir daí, quando já se tem a tecnologia atual dominada.

Andromeda1016

Já copiam mal as turbinas originais (que são inferiores em qualidade aos ocidentais), e vão querer desenvolver em cima disso? Lembra a intenção deles de querer criar tecnologia de processadores próprios, derramando montanhas de dinheiro para ver no que que vai dar …. e não deu em nada …. é a mesma novela das turbinas …..

Luis

E as uvas estão verdes. Claro que a China está atrasada, mas não quer dizer que ficará para trás. A tecnologia de processadores é uma meta, estão investindo, pesquisando, desenvolvendo, dizer que não deu em nada é mais coisa de torcedor. A gente ria dos carros chineses, hoje são donos da Volvo, ríamos dos pneus chineses, hoje são donos da Pirelli. Enquanto lutamos para vender a Embraer para a Boeing, eles lutam para desenvolver sua indústria aeronáutica.

Andromeda1016

Louvável sem dúvida, mas pretensiosos demais. De fato, dizem que uma jornada de mil léguas começa com o primeiro passo, mas dizem também que o começo é só a metade do caminho, e os chineses estão falhando miseravelmente na segunda metade do caminho quando se trata de tecnologia de ponta. Roubar tecnologia de forma criminosa não é o começo de uma jornada mas tentar tomar um atalho de forma desleal e com sucesso incerto. O russos também começaram copiando os outros (Ingleses) e estão ai até hoje tentando alcançar o nível dos ingleses e norte americanos, então imagina como deve… Read more »

Maurício.

Uma cópia nacional do J85 e eu já estaria feliz da vida.

Jose

copia do J85 já ajuda mais que perde tempo com bomba atômica kkkkkk

Maurício.

José, bomba atômica é para países que levam sua defesa a sério, bem diferente do Brasil.

Jose

se quer levar a defesa a serio antes seria melhor ter um empresa que faz as turbinas dos aviões aqui do que querer brincar com brinquedo de gente grande

Last edited 5 meses atrás by Jose
Carlos Campos

A Turbomachine estuda motores turbo fan de alta taxa de compressão, que muitos países desenvolvidos estão querendo desenvolver, o Brasil se colocasse dinnheiro para turbinas, ia entrar no mercado daqui a alguns anos no mesmo nível dos Europeus e americanos, se eles é claro não dominarem motores de plasma.

Jadson Cabral

Mercado extremamente competitivo e dominado desde sempre por gigantes como a GE, a Pratt and Whitney e a Rolls Royce. Nem Boeing, nem Airbus e se bobear nem Embraer iam deixar de comprar motores extremamente confiáveis e que estão aí há décadas e estão cada vez mais eficientes para comprar um motor recém-nascido. Isso sem falar próprio lobby. Aí como justifica todo o investimento? Único mercado para motores brasileiros seria o militar, mas mesmo esse precisaria de incentivos do governo, o governo brasileiros deveria desenvolver projetos que usassem tais motores e você sabe que é difícil de acontecer isso aqui.… Read more »

Carlos Campos

Se eles pegarem uma fatia do Mercado desses gigantes já está valendo, não precisa ser líder, quanto a parte militar essa sim pode ser o principal ganha pão da empresa.

Leandro Costa

Com o nível de encomendas que as FFAA Brasileiras fazem e você ainda quer que os militares sejam o ganha pão da empresa? Vai falir.

Carlos Campos

eles já recebem pedidos do exterior para ajudar em projetos de industria, Arabia Saudita inclusive recebeu uma mãozinha deles.

Adriano Madureira

Espero que a Turbomachine tenha uma boa jornada a trilhar,e que nossas forças armadas vejam o valor de uma empresa que possa ter potencial para crescer…



JuggerBR

Finalmente a copiadora e impressora 3D conseguiu copiar a blueprint do motor russo com sucesso… E nem é uma critica…

Sincero Brasileiro da Silva

Só falta agora o Brasil conseguir aprender e fazer o mesmo!

Augusto

Independência na produção de turbinas aeronáuticas, civis e militares, é algo estratégico e mostra que a indústria chinesa se sofisticou de fato.

Temos Embraer, mas dependemos de Pratt & Whitney, Rolls Roice, General Electric, etc.

Temos Gripen, mas dependemos dos EUA, que podem encrespar e bloquear qualquer venda para nós ou nossa para um cliente estrangeiro, como fizeram no caso do Super Tucano para a Venezuela.

Péssima ideia ficarmos dependentes dos humores ou interesses do ocupante da cadeira na Casa Branca. Parabéns aos chineses.

LEONARDO CORREIA BASTOS

Caso houvesse um embargo americano ao motor do F39, haveria alguma alternativa viável para o Brasil substituir os motores do Gripen?? Gostaria de saber se a Rússia seria uma opção…

Filipe Prestes

Complicado. Uma alternativa russa alteraria muita coisa. Todos os cálculos de centro de massa, aerodinâmica, blá blá blá teriam que ser revistos. Não uma questão de simplismente tirar um por outro

Barak MX para o Brasil

Tem o motor europeu do Typhoon.

Jadson Cabral

Se os americanos nos vetassem os motores é pq estaríamos com sérios problemas com eles e eles provavelmente proibiram os europeus de nos vender tbm.

Carlos Campos

Uma pena mesmo, diziam que nós não podíamos fazer aviões, o próprio Ozires disse para a Turbomachine que não dava para fazer turninas, mas eles fizeram, porém grandes turbinas para a EMBRAER seria caro de fazer, cabe ao governo do Brasil financia P&D, as turbinas são quase metade do preço dos aviões.

Jadson Cabral

Não tem empresa no Brasil que desenvolva aviônicos, que comparados à motores turbofan são muuuito mais fáceis de se fazer, imagina turbinas… até as telinhas dos painéis dos aviões, os botões, o sensores e se brincar até o couro dos acentos. Tudo vem de fora.
Nós precisávamos de uma cadeia de fornecedores. Vários fabricantes pequenos que pudessem produzir tudo o que a Embraer e as outras industrias de defesa precisam.

Xerem

A AEL fabrica avionicos sim no RS e vao ser o do Gripen brasileiro com tela unica e o da Suecia idem.

Jadson Cabral

Até onde sei só o display do Gripen mesmo e só agora. O Brasil fabrica aviões há quase 100 anos. Você acha suficiente só conseguirmos fazer um display agora?

Gabriel BR

Minha torcida é para que a China acabe com o monopólio dos países da OTAN no mercado civil de turbinas aeronáuticas criando uma concorrência benéfica para o mundo.

Antoniokings

Não só no mercado de turbinas, mas no de aviões também.
Lembremos que C-919 será lançado no final do ano.

Filipe Prestes

A China em breve pode ser uma concorrente da Embraer nos narrow body. Não vejo isso com bons olhos.

Gabriel BR

Concorrência é sempre bom!

Antoniokings

A preocupação existe.
O problema é que a China está para se tornar o maior mercado de aviação do Mundo.
E já tem a maior quantidade de encomendas de novas aeronaves.
Certamente que o C-919 terá enorme aceitação na China e cada um vendido será menos um Airbus, Boeing ou Embraer produzido.

João José

Meu caro, nada que uma ditadura crie, é benéfico para o mundo, ao contrário, será benéfico, sobre pra eles mesmos

Sincero Brasileiro da Silva

Amigo, não é por aí! A própria Rússia que vende motores para a China está nesse mercado a décadas, e não foi capaz de que quebrar tal monopólio, sabe porque? “Persuasão” americana! Onde países sem muita coragem são “convencidos” a comprar só o ele permite.

Gabriel BR

Meu amigo ,
Você tem noção do tamanho do mercado de aviação da China e o impacto dele na escala de produção e manutenção que pode haver num produto como esse? Não tem como comparar Rússia e China nesse caso!

Marcelo M

A ideia de que o Brasil deveria fazer o mesmo é errada. Temos que focar naquilo que temos mais competitividade e importar aquilo que outros fazem com maior escala e eficiência. A nacionalização de bens e produtos é ineficiente e faz tudo custar mais caro. E segurança teremos com os produtos prontos e operacionais. Não com a capacidade de, em tese, produzir localmente em caso de conflito. Os conflitos modernos simplesmente não concedem tempo para isso.

Marcelo Bardo

Xará, devo discordar. Pelo seu raciocínio nós deveríamos ficar para sempre parados no tempo.

Leandro Costa

Não interpretei o que ele disse dessa forma. O Brasil não é uma China. A produção de motores aeronáuticos não vai ter produção de escala para simplesmente bater de frente com os fabricantes atuais, além do fato de ser algo que levam décadas de desenvolvimento. Então temos que focar mesmo no que sabemos melhor até que se chegue à um determinado nível em que comece à valer à pena esse tipo de desenvolvimento e não vejo isso acontecendo pelos próximos 50 anos, no mínimo. Existem outras coisas que poderíamos desenvolver que poderiam ser bem mais úteis e que agregariam valor… Read more »

Saldanha da Gama

O que não faz uma engenharia reversa e nacionalismo e patriotismo…. Se tem uma coisa que invejo de outras nações, são essas qualidades, seja eua, rússia, china, israel, índia e até coréia do norte….Se tivéssemos 1/10 disto, estaríamos entre as 5 maiores potências. Parabéns china, fez direitinho o trabalho de casa.

gsilva

Só lembrando que na China, tudo isso começou em meados dos anos 70 com Deng xiaoping e suas idéias para uma nova China. Investimento maciço em educação, inclusive com envio de estudantes ao exterior bancados pelo estado! E pasmem; as universidades dos EUA são até hoje os maiores clientes desses chineses……….

Marquês de São Vicente

Produzir um motor como esse deve ser realmente algo extremamente complexo, veja bem, a China produz reator nuclear, porta-aviões, foguetes e mísseis balísticos. Tá montada na grana e só agora conseguiu aprovação desse motor…

CESAR ANTONIO FERREIRA

O numero de nações que são capazes de fabricar turbo – reatores (turbofans e turbojatos) de elevado desempenho é menor do que aqueles que dominam o ciclo completo da energia nuclear.

Last edited 5 meses atrás by CESAR ANTONIO FERREIRA
Foxtrot

Pois é! Em algum lugar no estreito doar das bananas, tem um gigante bananal que vez ou outra surge alguém que quer ainda acreditar que aquilo lá tem futuro. E uma uma dessas pessoas ou empresas é a Turbomachine, que alega dominar todo o siclo de fabricação de um motor hora em desuso, mas que ainda tem grande valia no mercado interno e externo. Ainda há o seus produtos. Se essa empresa tivesse sido criada em um país sério, com certeza ela já estaria recebendo aportes e todo apoio do MD, militares e governo. Mas como nasceu no gigante bananal,… Read more »

Carlos Campos

Eles estão em um projeto da Alemanha para ajudar a desenvolver uam turbina a base de hidrogênio, que se funcionar será melhor que painel elétrico e energia eólica, não duvido nada que esses caras se mandem do Brasil daqui a algum tempo.

gsilva

A realidade já bateu à porta, faz tempo! Um novo império surge e já não há como pará-lo!!

Normand

Daí acordou.

“Dragão” risos

Oráculo

Bom, se você não conhece o conceito do “Dragão”, a “Águia”, o “Urso”, etc. na política internacional, a culpa não é minha…

ALEX ROCHA DA SILVA

O que é o Brasil neste contexto senão somente um sabiá.

Athos Franca

O Brasil precisa dominar a energia nuclear, construir outras bases na Antártida, fabricar turbinas, chips, robôs humanoides e drones, uma indústria nacional de automóveis híbridos e eletricos (pode ser um Embraer, um WEG ou um Agrale) fertilizantes, fármacos, ter um programa espacial arrojado com satélites e foguetes próprios. Forças armadas compatíveis com o tamanho do país com indústria bélica forte. Se esqueci alguma coisa, pode completar.

Leandro Costa

O Brasil precisa disso tudo sim. Quem sabe em uns 150 anos a gente não chega lá se a gente acelerar esses processos, né?

Carlos Campos

a parte da Turbina até que está indo bem, chips não sei de nada, mas defendo a fabricação aqui, carros híbridos em si não sei, mas as baterias quero que sejam feitas aqui, o Brasil e o Japão vão pesquisando baterias de grafeno, se funcionar vai ser o antes e depois das baterias, programa espacial? não sei, não parece interessante,

Leandro Costa

Se o programa espacial não é interessante, então comunicações seguras também não são, né?

Carlos Campos

ficar fazendo foguete não me parece interessante, mas fazer satélites e roteadores para satélites é bom.

Andromeda1016

Engenharia reversa de turbinas velhas da época da antiga União Soviética. Na minha opinião eles ainda não tem muito o que comemorar.

Últimas Notícias

VÍDEO: FAB realiza Demonstração Operacional para comitiva do Ministério da Defesa

Na quarta-feira (04/08), a Guarnição de Aeronáutica de Santa Cruz (GUARNAE-SC), foi cenário de um encontro que uniu história...
- Advertisement -
- Advertisement -