Home Aviação de Caça VÍDEO: Diagrama Universal de Curva e o envelope de voo dos caças

VÍDEO: Diagrama Universal de Curva e o envelope de voo dos caças

2348
25

O Poder Aéreo no seu canal do Youtube apresenta mais um vídeo sobre conhecimentos técnicos. Trata-se do terceiro vídeo da série “como comparar caças”. Esta série procura ( (a) introduzir conceitos básicos que são úteis para se comparar caças e (b) fugir das rasas comparações do tipo “Super Trunfo” que são largamente vistas nos mais diversos fóruns da internet.

Desta forma, o Poder Aéreo cumpre uma das suas principais metas que é “Desenvolver uma Mentalidade de Defesa no Brasil“.

Subscribe
Notify of
guest
25 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu
Rui Chapéu
9 dias atrás

Eu acho que essas razões de curva e envelope de voo são meios que um pouco ultrapassados de definir melhor avião….

Depois do advento dos mísseis off-boresight e dos capacetes HMDS, o caça não depende de tanta curva pro ataque.

Queria achar aquele video do acho que python V derrubando um alvo detrás do avião lançador mas não estou achando para ilustrar.

DSC
DSC
Reply to  Rui Chapéu
9 dias atrás
Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  DSC
9 dias atrás

Era esse mesmo, eu vi ele umas duzentas vezes e não achei a parte.

É entre os 2:40 a 2:50 desse video sim.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Rui Chapéu
9 dias atrás

Concordo que a manobrabilidade se tornou algo não tanto determinante para a escolha de uma aeronave capaz, ainda assim, mesmo com advento dos misseis off-boresight e HMDS uma aeronave manobrável ajuda em fazer com que o piloto consiga colocar sua aeronave na condição ideal de lançamento. a posição da aeronave ajuda o missil a economizar energia e não precisar fazer uma manobra tão forte, aumentando a PK da arma. Sim, eu sei DCS não é vida real e nem nada, mas é um dos simuladores que mais se aproxima, tendo vários pilotos parabenizando ele. acho que esse video retrata de… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Rui Chapéu
8 dias atrás

talvez sim, talvez não…dependerá de como estes misseis realmente se comportem em conflitos reais massivos…

Afinal…todo caça moderno ainda está com o canhão lá….e ninguem tem coragem de tirar o canhão destes projetos….

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  carvalho2008
8 dias atrás

A China teve. O J-20 não tem canhão.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Luís Henrique
8 dias atrás

Em tese….o J-20 é um avião de ataque….não é um avião dogfighter manobravel….talvez os chineses tenham considerado isto….mesmo que o canhão lá estivesse, perderia na manobra…. O F-35 menor, sofre deste mesmo dilema….dimensionado para ganhar de longe e nunca chegar no visual….se o arsenal for esgotado, deve bater em retirada…perde-se hoje para garantir o amanhã…o que seria coerente com o seu Kill rating…mata uns 4 a 6 hoje…depois volta outro dia e pega mais 4…. Já para o Brasil isto não funcionaria, imagine 06 ou 12 GDA F-35 em que fizeram a limpa no céu, mas esgotaram-se suas baias…recuar caso… Read more »

Blind Mans Bluff
Blind Mans Bluff
Reply to  Rui Chapéu
8 dias atrás

Ultrapassado está o seu conhecimento.

carcara_br
carcara_br
9 dias atrás

Excelente é possível encontrar alguns manuais na internet dos caças russos (soviéticos) Su-27 e Mig-29 em comparação a contraparte americana F-16 e F-15. Diria que o melhor piloto leva…

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  carcara_br
8 dias atrás

Engraçado que é já encontrei um PDF com projeto inteiro do Mig-29.

Kemen
Kemen
9 dias atrás

Ainda bem que os caças e aviões recentes tem Fly By Wire. Acredito que não foi desenvolvido nenhum para as modernizações dos nossos F-5. Entretanto se algum equipamento que coleta os dados atualizados para o FBW apresentar pane, mesmo nesses caças mais atuais, o que é dificil, ficaria na mão do piloto manter sua aeronave dentro de seus limites.

Last edited 9 dias atrás by Kemen
Anderson
Anderson
9 dias atrás

Para quem gosta do americanos, muito interessante esse vídeo.

https://youtu.be/RhRg357jr04

Teropode
Reply to  Anderson
9 dias atrás

Eu admiro justamente por isso , só idiotas entregam suas tecnologias para nações párias , Rússia não faz isto , China não , França jameh , Japão nunca , Israel não , neste caso ai os caras mendigaram tecnologias dos Americanos , que negaram acertadamente , aliás nem a Ucrânia entregou aos bananas oque foi acordado .

danieljr
danieljr
Reply to  Anderson
8 dias atrás

Não tenho nada contra os Estados Unidos, e eles estão corretos neste ponto. Muita gente acha que existe cooperação quase irrestrita entre países “amigos”, o que não é verdade. É a mesma coisa de quando o Brasil cobriu as centrífugas de urânio e não deixou ninguém ver como era. Cada um constrói o seu, vende ou mostra pra quem e quando achar viável.
Quem não conseguir fabricar nada fica sem os produtos de ponta ou compra o que é oferecido, geralmente coisas obsoletas ou criadas para exportação.

carvalho2008
carvalho2008
8 dias atrás

Excelente!!! uma aula!! Parabens Mestre….

carvalho2008
carvalho2008
8 dias atrás

Mestre Poggio, lembrei desta materia de 2016 de vocês….
https://www.aereo.jor.br/2016/02/04/o-gripen-ng-e-os-seus-velhos-e-novos-concorrentes/

Passados estes anos e novas informações, teríamos alguma mudança de quadro ou novas correlações principalmente com a materia muito bem publicada dos envelopes de voo?

Justin Case
Justin Case
8 dias atrás

Muito bom o artigo.
Abraços.

Luís Henrique
Luís Henrique
8 dias atrás

Eu detesto este termo “super trunfo”. Isso não existe. Existem argumentos bons e ruins. As comparações entre caças sempre são validas, dizer que o caça A é melhor que o B em velocidade máxima é um argumento válido, mas nao significa que apenas isso fará muita diferença para cumprir a missão. Também existem N variáveis nesse tipo de comparação, mas normalmente para Acabar com o debate era comum taxar aquilo de super trunfo e fim de papo. Por isso odeio essa palavra. O ideal é mostrar com base e bons argumentos que aquela possível vantagem não existe de fato ou… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Luís Henrique
8 dias atrás

Eu tenho que discordar do colega em alguns pontos. Aviação de combate não é tanto sobre números quanto é sobre contexto. Um número só é valido quando dentro de um contexto. Por exemplo, de que vale o melhor caça do mundo em ficha técnica, se ele passa a maior parte do tempo em um hangar, especialmente se for por falta de fundos do operador. No seu comparativo sobre o F-35 e o Rafale, vamos ver o contexto de alguns números. O F-35 está limitado à Mach 1,6, independente da carga externa. Um Rafale em patrulha com 3 tanques de 2.000L… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Luís Henrique
8 dias atrás

A idéia de taxar de ‘super trunfo’ é justamente para rotular comparações rasas que carecem de quaisquer tipo de explicações ou análises que corroborem essas comparações, justamente da forma como você especificou. Quando se diz que ‘A é mais veloz que B e por isso A é melhor’ e apenas isso sem qualquer complemento, é uma comparação estilo super trunfo e acho que a expressão bem adequada quando é assim.

Mas você está corretíssimo quando diz que qualquer comparação quando amparada por bons argumentos é bem válida, e acho que deveria ser o objetivo de todos os debatedores.

Blind Mans Bluff
Blind Mans Bluff
8 dias atrás

Legal o video. Agora não têm mais desculpa pra neguinho dizer que prefere um caça porquê é mais bonito ou parece melhor.

Last edited 8 dias atrás by Blind Mans Bluff
Matheus Santos
Matheus Santos
8 dias atrás

Quem jogou no PC, por volta de 2000, Jane’s ATF, USNF ou Fighters Anthology via esses gráficos enquanto voava, inclusive, comparando o avião com o alvo.

Exemplo do envelope só do próprio aviãocomment image

f22a.png
Justin Case
Justin Case
8 dias atrás

Olá, amigos.
No regime supersônico, o comportamento aerodinâmico é bem diferente do que no subsônico.
A efetividade das superfícies de comando, em consequência, é bastante reduzida, impossibilitando, por vezes, de se alcançar os limites estruturais (carga G). Há também variação na posição do centro de pressão, aumentando a margem estática, diminuindo sustentação e manobrabilidade.
Aviões que têm desempenho similar no ambiente subsônico, podem apresentar grandes diferenças em comportamento supersônico. Asas em delta, canards, existência de elevons ou profundores mudam os resultados.
Abraços,
Justin.

Rommelqe
Rommelqe
5 dias atrás

Prezado Poggio: excelente post! Obrigado! Apenas para expandir um pouco a análise com os demais colegas deste forum – visto que obviamente o Poggio esta plenamente ciente disto que colocarei – gostaria de acrescentar mais uma cosideração: a estrutura tem seu estado limite de colapso definido por inúmeros parâmetros, devendo ser analisada considerando suas caracterísitcas propriamente fisicas oriundas de seu projeto/fabricação (o que inclui materiais empregados, geometria, massas de elementos transportados, etc) e os carregamentos externos (que dependem das propriedades do ar, da altitude, das características aerodinâmicas, velocidade, aceleração,, etc) que possam estar incidindo na mesma em um determinado ponto… Read more »