segunda-feira, maio 17, 2021

Gripen para o Brasil

Taiwan testa mísseis de cruzeiro Wan Chien de produção autóctone

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Caça AIDC F-CK-1 Ching-Kuo, conhecido também como IDF, com mísseis de cruzeiro Wan Chien

TAIPEI — Um Indigenous Defense Fighter (IDF) de dois lugares da Primeira Ala de Caça da Força Aérea de Taiwan decolou de Tainan no dia 11 de novembro para realizar um teste de disparo do míssil de cruzeiro Wan Chien, de produção autóctone.

O teste do míssil foi conduzido depois que a Terceira Ala de Caça da Força Aérea, baseada na Base Aérea Ching Chuan Kang de Taichung, realizou um teste semelhante. O teste do dia 11 envolveu um lançamento em grande altitude, e o míssil foi rastreado depois de ser disparado. Uma aeronave acompanhante monitorou todo o processo para garantir o sucesso do teste.

Tanto a primeira como a terceira ala de caça que operam o IDF podem ser armadas com o míssil de cruzeiro doméstico. Assim armadas, as asas são capazes de atacar importantes instalações militares ao longo da costa da China, informou o Liberty Times.

O míssil Wan Chien, que foi projetado pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Chung Shan (NCSIST), foi repetidamente verificado para disparos de combate e atendeu aos requisitos de desempenho operacional da Força Aérea. O míssil tem um alcance máximo de aproximadamente 200 quilômetros e atualmente está sendo produzido em massa. Ele tem a capacidade de atingir aeroportos, bases e áreas de concentração de tropas ao longo da costa sudeste da China.

Oficiais militares revelaram que o codinome durante o desenvolvimento e produção inicial do míssil Wan Chien era “Projeto Machado de Deus”.

O NCSIST está agora continuando a pesquisa em uma versão de longo alcance do míssil. Com um alcance estimado de mais de 400 quilômetros, a versão mais recente ajudará a deter um ataque chinês.

AIDC F-CK-1 Ching-Kuo monoposto com mísseis Wan Chien

FONTE: Taiwan News

NOTA DO EDITOR: A foto abaixo mostra, da esquerda para a direita, os principais sistemas de mísseis em desenvolvimento por Taiwan: TC-2N antiaéreo, lançador antiaéreo Sea Oryx (semelhante ao RAM americano), mísseis ar-ar TC-1 AAM e TC-2 AAM e o míssil de cruzeiro Wan Chien.

- Advertisement -

65 Comments

Subscribe
Notify of
guest
65 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joao Moita Jr

Autóctone? Tive que consultar o dicionário! 😅

Leandro Costa

Ah… all those years in the US are really showing now, eh? lol

😛

Joao Moita Jr

They sure are, buddy. Never seen that word before.
Lol

Leandro Costa

They say it’s a good day when you get to learn something new. So there ya go 😛

Joao Moita Jr

Right you are, Obi-Wan…
😉

Tomcat4,2

Ok master Yoda !!!

Leonardo M.

adjetivo e substantivo de dois gêneros

  1. 1.
  2. que ou quem é natural do país ou da região em que habita e descende das raças que ali sempre viveram; aborígene, indígena.
  3. “população a.”
  4. 2.
  5. adjetivo de dois gêneros
  6. que se origina da região onde é encontrado, onde se manifesta.
  7. “estudiosos portugueses consideram as cantigas de amigo a.”
nonato

Já foi objeto de prova de concurso e pegou muita gente.
Pouco conhecida.

Joli Le Chat

Antigamente líamos “indígena” no lugar de “autóctone”. Tudo isso para traduzir o “indigenous”.

Pessoalmente, prefiro o “autóctone”.

sj1

Poucos sabem, mas cientificamente existe o termo alienígena, quando trata de espécie proveniente de muito distante, seria quase um antonimo de autóctone.

José de Souza

“Indigenous”

Alfredo Araujo

Jurava que era um sinônimo/derivativo de autônomo… rs

José Carlos David

Se a China se aventurar, vai sofrer baixas terríveis!

DOUGLAS TARGINO

Vai sim, não tenho duvidas! Porém ela tomaria a ilha da mesma forma.

Fernando Turatti

Como todos sabem, guerras tem menos a ver com o quanto você consegue e mais a ver com o quanto custa. Óbvio que numa guerra de longa duração a China conseguiria conquistar Taiwan… O ponto é que diversos sistemas interessantes da ilha fazem essa certeza não ser tão clara quanto ao vencedor em uma guerra mais curta(como as que nos habituamos a ver recentemente), assim como os estragos que seriam feitos no continente poderiam tornar absolutamente inviável tal conquista. A China, como todo Estado totalitário, trabalha no marketing interno. Quanto esse controle iria se manter a partir do ponto em… Read more »

LEONARDO CORREIA BASTOS

Bela análise! Concordo integralmente…

Antonio Palhares

Identificar todos os alvos. Mapear. Pegar as coordenadas.
De acordo com a importância de cada um. Fazer chover os mísseis. Em meia hora. Portos, bases aéreas e navais, aeroportos, quarteis, repartições, estradas, pontes, navios. É claro que haverá resistência inicial. Que será posteriormente suprimida.
A ilha voltará ao controle da China através de acordos.

Fernando Turatti

Só tu combinar com os taiwaneses, cada dia mais integrados não à China e sim ao ocidente, com todas as nossas liberdades.

Antonio Palhares

Não estou vendo esta situação como um torcedor da causa ocidental.
Tem então que combinar com os chineses para eles não tomarem o território deles de volta.
Certas regras se aplicam aos países fracos. Nunca aos grandes, ricos fortes e determinados.

Agnelo

Prezado
Muitíssimo provavelmente, conseguiriam, mas o tamanho de suas baixas evidenciaria muito do quão realmente são preparados e estão os estado de seus MEM. Será q querem?

Astolfo

E por que a China não o fez ainda, então? Será que o PCC discorda de você?

Leandro Costa

Porque até bem recentemente, a China simplesmente não tinha meios de deslocar tropas em número necessário para atravessar o estreito de Taiwan e nem muito menos meios de cobrir essa força de desembarque. A China passou à ter essa capacidade não tem nem cinco anos, mais ou menos.

Antoniokings

E aqui mesmo no Poder Naval foi noticiado que a China lançou mísseis balísticos anti-navios DF-26 de uma província do interior (Qhighai), bem distante da costa, contra alvos navais móveis no Mar do Sul da China.
Lançou também um DF21D da província de Zhejiang na costa do Mar da China Oriental.
Ou seja, capacidade da China atingir Taiwan é muito variada e certamente causará muitos danos à província rebelde antes da invasão.

Leandro Costa

Capacidade de ataque a China tem a muito tempo. Décadas, na verdade. Ataque e interdição naval também. Principalmente em relação ao entorno. Mas a China nunca teve capacidade de transporte, tanto marítimo quanto aéreo. Ela não tinha como deslocar recursos humanos para além de sua faixa de fronteira terrestre. Eles trabalharam na aquisição dessa capacidade pelos últimos 20 anos e a conseguiram. Essa é a grande diferença atualmente e que pesa muito na balança. O fato de eles terem essa capacidade também não diz que eles estejam prontos para utilizá-la. Mas aí por volta de mais uns dez ou quinze… Read more »

Antoniokings

A China só não invadiu Taiwan por causa das repercussões políticas e econômicas mundiais.
Passaria una imagem de um País agressivo e poderia sofrer algum tipo de revide econômico, principalmente na questão financeira, pois poderia ser até bloqueada no sistema mundial de pagamentos.
Mas, a partir os momento em que se fortalece, se torna menos dependente do sistema financeiro mundial (SWIFT) e com mais opções de interagir com seus parceiros comerciais, esse recieo chinês pode acabar.

Leandro Costa

Pode acabar sim. Mas são freios como esses que barram diversos países de fazerem o que quiserem. Sendo fortes ou não. Existem consequencias para todo o tipo de ações no campo internacional e nem a China é imune à possíveis reações, não importa o quão forte ou fraca ela seja. A China não invadiu Taiwan não apenas porque ela tem certeza de algumas repercussões negativas, mas simplesmente porque ela não sabe quantas, quais e com qual intensidade serão as repercussões negativas. É difícil se preparar para o que não se consegue prever com qualquer grau de certeza e certamente a… Read more »

Antoniokings

Calma que a hora está chegando.

Joao Moita Jr

O negócio é a paciência, mais que nada. Todos sabemos que a China é mestre nesse campo. Eles sabem muito bem que poderiam retomar a sua província rebelde de sopetão, mesmo com baixas muito elevadas. Mas, por que a pressa? Enquanto a economia aqui nos States está cada dia mais frágil e a situação política ainda pior, a China continua galopando, e diariamente aqueles que fazem negócios com a China são forçados a não reconhecer Taiwan nem fazer negócios por lá. Com a paridade e até mesmo a superioridade regional Chinesa, os dias de Taiwan estão contados. Quem viver, verá.… Read more »

Fernando Turatti

Só falta agora você contar isso aí pra China, cujas empresas fazem RIOS de negócios com Taiwan.
Não existe embargo no mundo capaz de parar a TSMC sozinha, quem dirá todo o parque industrial e os desenvolvimentos de Taiwan.

Antoniokings

Se Taiwan quiser continuar jogando o joguinho de Washington, além de ficar isolada e para trás em negócios com o gigantesco bloco comandado pela China, corre o risco de ser varrida por uma invasão militar.

FERNANDO A F SOARES

Em set/2011 estive na China, e fiquei surpreso com a quantidade de voos disponíveis entre Pequim e Taipe! Há muitas integração entre empresas dos dois países: as perdas econômicas e financeiras seriam enormes para ambos!

sergio ribamar ferreira

Só um detalhe . Os habitantes de Taiwan também são chineses e possuem a mesma filosofia da paciência. Então, vai demorar creio uns 30 anos. Conhece aquela piada da tartaruga fazendo aniversário. ? Grande abraço.

Montenegro

Se a China se aventurar, vai sofrer baixas terríveis nos seus estoques de mísseis, pois vai lançar tantos mísseis em Taiwan, que não vai sobrar um único paiol inteiro nessa ilha.
Se caças F16 já estão caindo sozinhos mês a mês, sem uma guerra, imagine com uma!

Defensor da liberdade

Só se pisar os pés na ilha, pois seus DFs varrem as instalações destes mísseis com relativa facilidade.

Antoniokings

Parafraseando alguns daqui do site, parece uma maquete de papel machê.
Além do mais, se realmente funcionar, Taiwan terá tempo de disparar dois desses.

Paulo Henrique

Não conhecia esse caça, bem bonito por sinal!

Tamandaré

Para o Paraguai, que é o único país sul-americano ainda a reconhecer a completa independência de Taiwan (e por isto recebe periodicamente doações de materiais militares da ‘ilha rebelde’), seria interessante tentar beliscar alguns FCK1 Ching Kuo futuramente.

Pelo menos uns 8, dos mais velhos mesmo. O Paraguai sequer tem interceptadores supersônicos, então seria interessante ter pelo menos 1 esquadrão de jatos protegendo Assunción.

Já chega de receber tantos Hueys e Humvees de Taipé! hahahahaha

Leandro Costa

Até lá por meados dos anos 2000 a Bolívia contava com um punhado de CT-33’s como principais aeronaves de combate. E salvo engano, antes da modernização pela Canadair, apenas um deles estava armado com um par de metralhadoras .50.

Não acho que seria uma boa para o Paraguai essas aeronaves. Ter não significa poder manter e operar com regularidade. Já Hueys e Humvees, aí é bem mais fácil e vão ter bem mais uso.

Tamandaré

Prezado Leandro, entendo perfeitamente a sua dúvida a respeito da capacidade de manter e operar os FCK-1. Inclusive, também compartilho do mesmo questionamento. Mas o Paraguai (a meu ver), mesmo sendo uma nação pequena e pacífica, precisa ao menos de um esquadrão de jatos. Se não os FCK-1, que seja então outra aeronave! Opção “barata” não falta no mercado: M-346, Yak-130, JF-17… A principal questão é: 1- Essas doações de Hueys e Humvees são bastante modestas, tendo em vista que o apoio do Paraguai priva nosso vizinho de muitas possibilidades de negócios com a China; 2- A capacidade de interceptação… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Tamandaré
Leandro Costa

Oi Tamandaré. Eu entendo seu argumento e concordo em parte com ele. Também acho bastante necessária uma aeronave de alta performance para Defesa do território nacional. Mas acho que o Paraguai tem outras prioridades. Não há qualquer ameaça se avizinhando que necessite o uso de uma aeronave desse porte no inventário atualmente. Claro que nunca se sabe o futuro, mas para isso acontecer algo bem drástico terá ocorrido, então dentro de um futuro previsível de médio à longo prazo, o Paraguai não tem tanto uso para essas aeronaves. Porém, Hueys e Humvees tem uso garantido devido à necessidade desses equipamentos… Read more »

Tamandaré

Caro Leandro, certamente os Hueys e Humvees têm muito mais utilidade!! Você está cobertíssimo de razão. E ainda digo mais: para quem ainda possui Forças Armadas tão arcaicas (me perdoem os possíveis paraguaios que possam ler isto, mas é a verdade!) o trabalho precisa vir mesmo da base! Blindados de pequeno porte para patrulha, aeronaves de vigilância, plataformas COIN… a lista é longa! Em tempo: alguns anos atrás, Taiwan doou à Assunción um jato seminovo, modelo Cessna Citation Sovereign+. Um equipamento bastante relevante, certamente tem servido muito. Quanto ao trabalho conjunto governamental e combate á ilícitos, a situação da tríplice… Read more »

Leandro Costa

Oi Tamandaré,

Eu concordo que a China deva ser colocada na balança pelo Paraguai sim, claro. Acho que na situação em que o país se encontra, tudo deve ser pesado e cogitado ao invés de prontamente descartado.

Mas acho que paulatinamente, conforme as lacunas mais urgentes forem sendo preenchidas, o Paraguai pode investir em FFAA mais bem equipadas.

Como disse antes, acho que seria até uma boa o Brasil entrar nesse processo se for algo que traga ganho para ambos os países.

O sentimento é recíproco, Tamandaré! 🙂

Joao Moita Jr

Poxa, FCK-1?
É isso mesmo? Imagina só o radio traffic;

FCK 1 this is FCK 2, over…
😅😅😅

Last edited 5 meses atrás by Joao Moita Jr
Foxtrot

Mais um!
Enquanto isso na banana land, “Deitado eternamente em berço esplêndido”.

Heinz Guderian

Estamos desenvolvendo nosso missel de cruzeiro lançado por caças, tem até matéria aqui no blog..

JESUAN

Taiwan está no seu direito de se armar para se defender.. Mas a China é superior em diversos aspectos, infelizmente. É a terceira (se não a segunda) maior potência militar do planeta.. Taiwan não tem chances.

Joao Moita Jr

Taiwan só terá chances enquanto aqui nos States possamos navegar tranquilamente naquela vizinhança. Quando já não seja assim, adeus Taiwan.

Antoniokings

Se é a segunda ou terceira maior potência eu não sei, mas não vejo nenhum país do Mundo capaz de desafiar as muitas dezenas de milhões de combatentes que ela pode arregimentar.
Quem seria louco de arriscar?

Flanker

E ele vai transportar essas muitas dezenas de milhões como? Essas muitas dezenas de milhões vão servir para defender o território dos chinas….não para sair mundo afora…..

Fernando Turatti

Quem vai alimentar essas dezenas de milhões? Através de que via(aérea, naval ou por terra?). Quem vai trabalhar pra produzir essa comida? Em que terras?
Escalonar combatentes é uma benção até certo ponto, mas sustentar soldados é um inferno absoluto pra todo mundo.

Luiz Trindade

Legal… Tomara que dê um freio nas intenções do PCC em tomar Taiwan por um período de tempo… Taiwan é um bom exemplo do que o Brasil deveria seguir para ter suas Forças Armadas enxutas, bem treinadas e doutrinadas e equipadas.

João Fernando

Vc vai trazer a China para o nosso lado??? Rebocando o pais via Pacifico???

sj1

KKKKKK eu acho que entendi a piada, boa.

Fabio Araujo

Com um adversŕio tão poderoso que vive prometendo invadir a Ilha eles tem que ter alguma produção local de armas não dá só para depender de ajuda externa mesmo que essa ajuda venha dos EUA!

Joli Le Chat

Para os entendidos de mísseis, que peça é aquela abaixo da inscrição 1553B?
Peça muito estranha…

M.@.K

Cara tb não entendo, mas vou arriscar em dizer que deve ser uma tomada de ar, muito comum neste misseis de cruzeiro, assim como no Meteor… se alguém puder falar mais…

Denis

Taiwan é admirável.

ADRIANO MADUREIRA

Oque a ameaça da sombra de um inimigo não faz… Um país que vendo o perigo iminente, se arma com vários meios estrangeiros mas sem deixar de investir na P&D de produtos nacionais e os adquiri-los…

sergio ribamar ferreira

Concordo cm o Sr. Adriano Madureira. Não entrarei em detalhes que já sabemos, pois senão ficaremos horas, dias, meses, anos discutindo e o problema continuará. O pragmatismo em defesa não funciona aqui. Temos um provável aliado mas depende de se desvencilhar do atual visto atual situação de sanções no futuro. Grande abraço.

Tamandaré

O único modo viável de “derrubar” a China continental é através da economia! A boa oportunidade para tal já se foi. Até os anos 90, Pequim ainda tinha uma posição muito frágil na cadeia de comércio global. Poderiam ser boicotados e isolados sem grandes prejuízos colaterais. Hoje, muito da capacidade industrial e manufatureira do planeta já está de algum modo dependente da China. Produzem tecnologia de ponta. Compram muita matéria-prima. Emprestam muitos recursos. Possuem know-how em todas as áreas. São de fato uma potência! E tudo isso foi desenvolvido meticulosamente, através de um modelo muito peculiar. Um “mercantilismo moderno” que… Read more »

Pablo Maroka

Só uma coalizão dos países de bem hoje para deter o avanço vermelho.

Seria maravilhoso potencias ocidentais invadindo o país por mais de um lado como foi na guerra do golfo e sendo recebidos com festas pelo povo avido por liberdade enquanto avançam até Pequim trazendo os valores da liberdade onde depois de muita festa repartiriam o país em 4.

Fernando Turatti

Produzem tanta tecnologia de ponta que com as sanções americanas pressionando samsung e TSMC, a Huawei teve de cogitar fazer fábrica pra processadores em processos de fabricação de 45nm*. A China ainda patina severamente naquilo que é essencial para tecnologias de ponta em basicamente todos os ramos, desde processadores a motores de avião. “Ain mas o Brasil é pior”, alguns dizem quando falam isso, perdendo totalmente o ponto: o Brasil não é ABSOLUTAMENTE NADA no cenário internacional. Somos um shithole gigantesco com alguma estabilidade e 210 milhões de otários consumidores. Quanto ao processo de fabricação de processadores, para efeito de… Read more »

Nilton L Junior

Bem bem, é o lagarto contra um dragão, espero que fiquem só na retórica.

Tomcat4,2

Numa boa, apoiar Taiwan e pior, Hog Kong, em se manterem separados da China é o mesmo que apoiar o sul do Brasil se emancipar e virar outro país.

Argos

A necessidade faz o sapo pular…

Reportagens especiais

AMX da FAB: ‘Abelha’ brasileira?

Por que os norte-americanos apelidaram o jato A-1 da FAB de 'Abelha'? Você sabia que o AMX recebeu o apelido...
- Advertisement -
- Advertisement -