Home Aviação de Ataque Leonardo M-346 Fighter Attack realiza voo inaugural equipado com radar Grifo

Leonardo M-346 Fighter Attack realiza voo inaugural equipado com radar Grifo

3822
74

ROMA — No dia 13 de julho, a versão operacional do M-346 Fighter Attack, equipada com uma variante otimizada do radar Grifo da Leonardo, completou com sucesso seu voo inaugural. O M-346FA é a nova variante de ataque leve da família de aeronaves M-346 Light Fighter da empresa (LFFA). Oferece recursos de múltiplas funções com uma única plataforma, disponibilizando, de maneira econômica, funções de treinamento e combate.

Lucio Valerio Cioffi, diretor da Leonardo Aircraft, disse: “Estou extremamente satisfeito com o trabalho que fizemos para alcançar esse importante marco e com o ritmo em que alcançamos. Com essa conquista mais recente, as aeronaves de treinamento mais avançadas disponíveis no mercado em breve serão acompanhadas pelo mais versátil M-346 Fighter Attack.

“O M-346FA oferece todos os recursos avançados de treinamento do núcleo M-346, além de integrar sensores e equipamentos de última geração, permitindo que ele funcione como uma aeronave de ataque leve eficaz. Agora, continuaremos o desenvolvimento enquanto nos preparamos para entregar a primeira aeronave ao seu cliente de lançamento internacional em 2021.”

O sensor principal da aeronave é o radar Grifo-M-346 de varredura mecânica e multimodo da Leonardo, uma variante especialmente otimizada desenvolvida por Leonardo para o M-346FA. O Grifo-M-346 é uma solução confiável e de alto desempenho, oferecendo grande precisão.

O M-346FA também é protegido por um subsistema completo de defesa (DASS), enquanto o seu conjunto de comunicações sofisticado e centralizado em rede que incorpora um sistema de comunicações seguras e o Tactical Data Link garante a interoperabilidade. A plataforma também pode empregar o LINK-16 para interoperar com as forças da OTAN.

O M-346FA pode empregar uma ampla gama de armamento ar-ar e ar-solo (incluindo guiado por IR, radar e/ou laser/GPS) e pode ser equipado com um pod de canhão, sensores de reconhecimento e pods de designação de alvo e guerra eletrônica, todos integrados ao sistema Helmet Mounted Display (HMD) para ambos os pilotos.

No domínio do treinamento, o M-346FA se beneficia de todos os recursos avançados do treinador M-346, incluindo a capacidade de integrar-se em ambientes construtivos virtuais ao vivo (LVC). Isso envolve vincular a verdadeira aeronave de treinamento no céu aos simuladores no solo e incorporar forças virtuais amigas e inimigas, permitindo que os pilotos alunos desafiem uma ampla gama de cenários táticos.

A versão de treinamento do M-346 está atualmente em serviço com as forças aéreas da Itália, Singapura, Israel e Polônia.

FONTE: Leonardo

Subscribe
Notify of
guest
74 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JuggerBR
JuggerBR
4 meses atrás

Esse é pequeno, até desproporcional…

Gabriel BR
Gabriel BR
4 meses atrás

Eu gosto desse avião , cumpre perfeitamente a missão para a qual foi projetado.

PACRF
PACRF
4 meses atrás

Cada macaco no seu galho. Essa aeronave não foi projetada para enfrentar um SU-30 ou 35. É um treinador que está sendo adaptado para ataque. Aliás, essa é um tendência que já vimos antes: treinadores sendo adaptados para ataque leve.

Lucianno
Lucianno
Reply to  PACRF
4 meses atrás

O M-346 pode ser útil para regiões como América Central ou africa subsaariana onde ninguém tem caças e as ameças geralmente são de guerrilhas.

Jodreski
Jodreski
Reply to  Lucianno
4 meses atrás

Mas aí um Super Tucano da conta do recado e com sobra até!

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Lucianno
4 meses atrás

Amigo, tem países na Africa Subsaariana que tem caças e caças avançados.
Lembrar que Africa Subsaariana são todos os países do continente africano abaixo do deserto do Saara, ou seja 2/3 do continente. Te falo de cabeça 2 países que tem caças avançados, Angola e Africa do sul.
Outros países tem caças de geração mais antigas porem super-sônicos.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
4 meses atrás

Sim claro eu sei, mas a intenção era deixar a opinião sem detalhar demais. Mali, Niger, Tchad, Burkina Faso, República Centro Africana, todos esses tem problemas com guerrilhas internas, ou seja rebeldes que não possuem força aérea. Não é uma luta com outro país.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  PACRF
4 meses atrás

Roberto, o referido caça encaixa se em cenários onde existe superioridade aérea.

Um a10 é tão vulnerável, mediante ausência de superioridade aérea, quando o m346. Existe, e existe a décadas, um papel sólido para este tipo de aeronaves.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Peter nine nine
4 meses atrás

Não, quem tem aeronaves mais capazes em todos os quesitos pode simplesmente utilizar a aeronave mais barata de operar para que possa economizar grana o suficiente para manter as tripulações das aeronaves mais capazes e caras, bem treinadas, bem equipadas e com sensores e armamentos novos e atualizados. Os EUA demorou muito tempo para descobrir que torrar mísseis ar-superfície à partir de F-15E’s para destruir uma fila de camelos no meio do nada simplesmente não fechava a conta. A grande maioria dos países que tem FFAA’s não precisa de aeronaves complexas, caras e super capazes. Quem não dimensiona suas compras… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Leandro Costa
4 meses atrás

Simples. Perceberam que a conta não fechou. Agora no tempo verbal correto. Com a contínua retraída do Afeganistão e afins, investir mais para menos iria fechar ainda menos a conta. Caso venha à ser novamente necessário, podem sempre fazer o que queriam ter feito. Vão comprar de prateleira e ainda por cima já equiparam os locais de onde podem vir à operar. Quando da aquisição do Hawk 200 pela Indonésia o cenário era outro. A situação geopolítica dela mudou drasticamente. A opção por aquisição do F-16V ou aeronave equivalente foi bastante lógica. SEMPRE houveram aeronaves que poderiam ser consideradas alvos… Read more »

Lucianno
Lucianno
Reply to  Peter nine nine
4 meses atrás

Já ouviu falar de boko haram, Jihadistas, MNLA ? Eles não tem força aérea, são grupos de radicais islâmicos. Não é uma luta entre países. As guerrilhas muçulmanas são a maior ameça para os estados ao sul do Saara.
Por exemplo Mauritânia, Mali, Niger, Tchad e Burkina Faso estão unidos lutando contra os Jihadistas do MNLA.
Burkina Faso inclusive tem empregado os Super Tucano.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
Reply to  PACRF
4 meses atrás

Um A-10 é um avião dedicado ao ataque ao solo… Talvez o melhor q já existiu. Nem por isso, ele vá bater de frente com um Su-30.
Para o avião de ataque atuar, tanto o fantástico A10, quanto o adaptado M346, ou a supremacia aérea foi alcançada, ou a escolta vai estar vigilante, para ao menor sinal de um Sukhoi, ela proteger seus parceiros do ataque ao solo.

Kemen
Kemen
Reply to  Alfredo Araujo
4 meses atrás

A própria escolta poderia fazer a operação se fossem “multirole”, pois usar aviões baratos que precisam de escolta sai mais caro que usar a escolta para executar as operações.
Quem tem aviões que cobrem operações de superioridade aérea, ar-ar, ar-solo e ar-mar, não precisa nenhum outro, a não ser por uma questão de logistica ou politica. A exceção se aplica para operações “coin”
Os Gripen cobrirão a função de todas as aeronaves de combate da FAB, exceto operações “COIN”. Por isso o numero inicial total sugerido à SAAB era de 96 Gripen, falta saber se teremos grana…

Kemen
Kemen
Reply to  Alfredo Araujo
4 meses atrás

Os A-10 operavam quando não havia muita ou era pouca a resistencia aérea destruindo os blindados inimigos, a sua especialidade, entretanto para os USA usar escolta para A-10 pouco pesa, com seu enorme orçamento.
Veja qual é o único pais que tem o A-10.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  PACRF
4 meses atrás

Perfeito para COIN

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  PACRF
4 meses atrás

Não é bem assim. Nunca vi um avião de ataque ao solo/anti-tanque tão eficiente como o A-10 Warthog. Mas não foi projetado para ir abater Mig-29.

Kemen
Kemen
Reply to  Joao Moita Jr
4 meses atrás

Lógico, foi projetado para isso, é único. Mas isso não quer dizer que outros caças “multirole” mais modernos não possam atacar blindados ou colunas blindadas.
Lembre-se a produção dos A-10 terminou 36 anos atras.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Joao Moita Jr
4 meses atrás

Sem dizer que o projeto do A-10 foi desenvolvido considerando um cenário altamente crítico num possivel embate entre OTAM e URSS com os ares simplesmente super congestionado de caças e outros meios.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  PACRF
4 meses atrás

Verdade o KAI FA-50 é uma uma prova disso. Daqui a pouco poderemos ver também uma versão de ataque do Boeing/Saab T-7 Red Hawk, oferecido a países aliados e pobres como alternativa de menor custo aos caças mais caros como F-16 e F-18, F-15 de última versão, assim como foi o F-5E/F, vai ser interessante!

Emmanuel
Emmanuel
Reply to  PACRF
4 meses atrás

Na guerra atual o piloto do Sukhoi vai explodir com o seu caça antes de pensar em atacar um avião desse, e o pior, nem vai saber quem o matou.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
4 meses atrás

Essa versão é subsônica ou supersônica? Se subsônica seria um sucessor para o AMX que já tem décadas de operação?

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Fabio Araujo
4 meses atrás

Ele é uma proposta atrasada ao mercado. O AMX teve uma versao oferecida chamada AMX-T.

O AMX-T prometia tudo isto aí ja a uns 20 anos atrás. Com maior alcance e carga de bombas. Foi aquele modelo vetado de vender a Venezuela.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Carvalho2008
4 meses atrás

Quantos AMX atualizados tem a FAB?

Flanker
Flanker
Reply to  Joao Moita Jr
4 meses atrás

Hoje são 8 (oito), com o 9⁰ devendo ser entregue em breve. O total será de 14 (quatorze). Essas aeronaves operam de forma compartilhada nos esquadrões Poker e Centauro, da Ala 4, aqui em Santa Maria/RS. Os 8 A-1 modernizados já entregues são os monoplaces 5504, 5506, 5520, 5523, 5525, 5526 e 5527 e o biplace 5652. Importante dizer que esses são os únicos A-1 operacionais hoje em dia na FAB, pois as últimas células não modernizadas, que eram do terceiro lote de produção e operavam em SM desde que foram entregues novas em 1998, foram desativadas e estocadas em… Read more »

Mauro
Mauro
4 meses atrás

Seria um excelente avião de superioridade aérea para um país como Portugal.

Alexandre Galante
Alexandre Galante
Reply to  Mauro
4 meses atrás

Portugal tem F-16

Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
Reply to  Alexandre Galante
4 meses atrás

Engraçado que (ao contrário do L-15) aqui ninguém fala que o M-436 é cópia do Yak-130. Lembrando da rasteira que a antiga Aermacchi deu na Yakovlev quando produziriam “conjuntamente” o modelo para o mercado ocidental. Curioso, não ?

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Ricardo da Silva
4 meses atrás

Daqui a pouco o cara vai descobrir os F-2 e falar que são “cópias do F-16″…

Jabuti
Jabuti
Reply to  Mauro
4 meses atrás

Não, não é.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Mauro
4 meses atrás

Portugal tem os F-16 e suas forças armadas como um todo possuem um moderno arsenal padrão OTAN.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

Sim, temos ausência de muita coisa, mas o que está encontra se em padrões aceitáveis, especialmente a nível de Infantaria. O exército assim como todos os ramos carecem de determinadas capacidades. Ausência de um sistema de defesa aérea baseado em terra, para além do em muito obsoleto chaparral e os Stinger. Ausência de capacidade logística na Marinha. Ausência de uma aeronave de instrução avançada e ataque leve, depois da retirada dos Alpha Jet. Frota de helis anémica, com a mesma no limite das suas capacidades para conseguir cumprir com missões ineterruptas no cumprimento de funções de protecção civil, SAR e… Read more »

Kemen
Kemen
Reply to  Peter nine nine
4 meses atrás

Portugal tem suas FA´s de acôrdo com seu PIB e seu orçamento, atende aos preceitos da OTAN, participa de seguidos treinamentos conjuntos das 3 forças, tem dado apoio também às tropas da ONU em alguns paises.
Tenho lido com frequencia diversos sites militares com noticias e informações a respeito de varios paises.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Peter nine nine
4 meses atrás

Tavez fosse um bom para preencher qualquer lacuna deixada pela aposentadoria dos Alpha Jet.

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Leandro Costa
4 meses atrás

Sim Leandro, foi isso mesmo que eu disse. Quando se retirou o Alpha Jet, a ideia era passar a instrução avançada para escolas americanas, mas o facto é que os portugueses, e não só, estão insatisfeitos com os americanos. Também o conflito na RCA, onde Portugal está envolvido, tendo participado em diversos combates e representando aliás o fio da faca da ONU naquele país, mesmo sendo um contingente de dimensões relativamente reduzidas, veio deixar ao descoberto a ausência de um meio barato para uso em apoio aéreo a forças em terra, assim como o estado anémico da força de helicópteros.… Read more »

hcosta
hcosta
Reply to  Peter nine nine
4 meses atrás

Um pequeno pormenor. No início da missão na RCA o exército tinha humvee, unimogs, g3, entre outros. Agora têm uros, pandur e scars.
A experiência operacional em missões internacionais são essenciais para qualquer exército.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Mauro
4 meses atrás

Mauro, você causou me um aneurisma cerebral.

Kemen
Kemen
Reply to  Mauro
4 meses atrás

No ambito da OTAN não mesmo! Só para treinamento.
Ele se encaixa na faixa do T-50, L-15, Yak-130, com pequenas diferenças entre eles, jatos leves para treinamento com possivel versão armada..

Lucianno
Lucianno
4 meses atrás

Teoricamente foi uma boi ideia desenvolver este treinador com capacidade de ataque leve para preencher um vasto mercado ocupado por aeronaves já antigas como o Alpha Jet, Bae Hawk, MB-339, CASA 101, Pampa, L-39 Albatros, e outros.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Lucianno
4 meses atrás

Pampa? Quantos operam? Na Argentina?

Carvalho2008
Carvalho2008
4 meses atrás

O problema de quem ingressa nesta faixa dos LIFTS é que muitos fabricantes não percebem que seu modelo precisa de ao menos uma característica superlativa para realmente atrair interesses. Estes Mb-346 são caros pacas, da ordem de US$ 38MM. É subsonico Primo do M-346 ao menos igual externamente, existe o Russo Yak-130, também subsônico. E a copia deles chinesa, o L-10 (código exportação L-15). Mas neste os chineses incluiram o supersônico a mach 1.5. Os Coreanos fizeram o FA-50 também supersônico mach 1.5, mas precinho também complicado de US$ 32MM. Quem paga por isto pode se dar ao luxo de… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  Carvalho2008
4 meses atrás

Melhor comprar o FA-50, pelo menos é supersônico.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Marcelo
4 meses atrás

Ou o JL-10 da China que também é supersônico. Tanto o FA-50 quanto o JL-10 podem ser os caças principais de países com pouca grana.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Fabio Araujo
4 meses atrás

Pode ser, mas o Coreano FA-50 ta na casa dos US$ 32MM… e ai é que pega… o L-10 deve estar na casa dos US$ 25MM… e com a mesma eletronica e combate similar ao FA-50, tem o L9 FTC 2000 na casa dos US$ 12MM a US$ 15MM…com o mesmo Grifo S7…

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Marcelo
4 meses atrás

Vocês esquecem que a capacidade supersonica raramente é essencial para uma aeronave que, se pretende, seja usada em missões de ataque leve ao solo, de forma monetariamente acessível, num cenário onde existe superioridade aérea e relativa segurança na condução de operações. Um fa50 está mais para um multi role barato e ligeiro. De segunda linha, primário para instrução avançada, ataque ao solo e combate aéreo limitado. O conceito das duas aeronaves é genuinamente diferente. O fa50 pode atrair um comprador que queira um alternativa humilde a um caça multi role, o m346 atrai o comprador que já conta com uma… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Carvalho2008
4 meses atrás

De onde tu tirou que um M346 custa tudo isso a unidade?
Foi de um contrato que continha vários anos de suporte logístico e que continha também treinamentos, sobressalentes, simuladores e etc?
.
Se foi, não é nada absurdo…
.
Curioso também saber que um FTC2000G custe só isso… ainda mais pelo fato de que ele só foi “exportado” (empurrado para um país cooptado economicamente pelos chineses e suas dividas impagáveis) para o Sudão e para outro cliente não divulgado, sabe-se lá a que custo e contendo sabe-se lá o que no pacote.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Bardini
4 meses atrás

Eu até inflacionei o custo do FTC-2000, pois em 2012 a midia falava em US$ 8,5MM – US$ 9 MM…hoje, deve estar na casa dos US$ 15 MM. Veja que FA50, M346 tentaram vencer o TX americano de centenas de unidades e mesmo com downgrade de versão na versão (pois são versões armadas), ficaram longe dos US$ 25 MM

Bardini
Bardini
Reply to  Carvalho2008
4 meses atrás

2012? . O FTC-2000G que é a versão “multirole” pimpada, com radar e os guerigueri voltados ao combate, só voou em 2018. . Mas bota que o caça só 15 milhões… E o resto do pacote? quanto custaria o pacote de suporte logístico integrado por 10/15 anos? Teria condições facilitadas para renovar ou os chinas enfiariam um jeba do tamanho do mundo na FAB, na negociação posterior? tem simulador? e os armamentos, os treinamentos, as partes extras e ferramental, etc, sairiam quanto? . No mais, tu realmente teria coragem de colocar a FAB nessa bucha de firmar um contrato de… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Bardini
4 meses atrás

O amigo pode não gostar, mas parece estar enganado ou desatento ao modelo. A marinha chinesa ja tinha um esquadrão formado e operando em 2014. A Jane´s ja publicava o avião voando em 2011 e armado. Dizer que so começou em 2018 é como dizer que o F-15 iniciou em 2020 considerando apenas sua ultima versão. O FTC-2000 sempre foi armado e em todas as versões e por obvio…é um Mig-21 melhorado. Esta ultima versão “G”, passou a utilizar as asas maiores do JL-9G Naval… Veja a nota do Poder aereo de 2011 quando a marinha Chinesa decidiu sobre o… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
4 meses atrás

Em adição, os primeiros JL-9 foram entregues a PAAF em 2006….

LeoL
LeoL
4 meses atrás

Cairia como uma luva para os hermanos ao sul que não tem nada melhor voando e estavam de olho no seu concorrente FA-50.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  LeoL
4 meses atrás

Eles acabarão vindo de chines…alguma opção…

Marcelo
Marcelo
Reply to  Carvalho2008
4 meses atrás

se forem de chinês, melhor o JF-17. Melhor ainda seria o J-10B similar ao nosso Gripen E, mas a China não vendeu esse para ninguém, nem para o Paquistão, então acho que deve ser proibido para eles venderem.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Marcelo
4 meses atrás

Deixa disto…o Gripen E esta acima do J10…ta novinho…e eletronica novinha como é, em que ridiculos 3 anos fazem uma diferenca enorme, sai ombro a ombro com o Rafale e Su35….so o F35 deve ter eletronica bem acima…

Thiago
Thiago
4 meses atrás

????? Sei não o pessoal vive lendo notícias e informações em um blog sobre defesa com todas as informações possíveis e ainda assim fazem afirmações e comparações sem sentido, pior com tom provocatório.
Um Su-25 vai pra onde se um Typhoon tiver
na área ? Vira lata velha .

Ricardo Rodrigues
Ricardo Rodrigues
4 meses atrás

Eu vi agora o AMX ganhando um novo projeto, ele ia ficar incrível uma abelha normal se tornando uma assassina, ia ser incrível, sonhar ainda e de graça

Leandro Costa
Leandro Costa
4 meses atrás

Post repetido

Last edited 4 meses atrás by Leandro Costa
Leandro Costa
Leandro Costa
4 meses atrás

Beleza, e o que faz o piloto de um A-10 quando aparece um caça Sukhoi? Porque por mais que você queira desqualificar a comparação, sendo ataque ao solo ou anti-tanque (porque tanques agora voam ou navegam, pelo visto), a função é a mesma.

Tiago Silva
Tiago Silva
4 meses atrás

Gosto muito do M-346 como treinador e tudo mais, mas o que sempre chamou a atenção é o custou unitário que se não me engano é um dos mais altos do mercado.

Agora fico aqui pensando quanto vai custar esta versão armada e com vários refinamentos e outra é quem será o primeiro cliente?

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
4 meses atrás

M-346 <<<< Yak-130 <<<<<<<< F-5BR!

Junior
Junior
Reply to  Yuri Dogkove
4 meses atrás

Amigo, você esta na matéria errada, a matéria que fala dos F16 PELADOS da FACH é outra

Bardini
Bardini
Reply to  Yuri Dogkove
4 meses atrás

zzzzzzzzzzzzzzzzzz…

Last edited 4 meses atrás by Bardini
Karl Bonfim
Karl Bonfim
4 meses atrás

OBS. Cada necessidade no campo de batalha, uma solução!

Sérgio Luís
Sérgio Luís
4 meses atrás

Este ótimo treinador avançado está “muito lento” para engrenar e levantar vôo!
Pouquíssima demanda mundial!

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
4 meses atrás

Essa aeronave seria ótima para a FAB, considerando que por aqui costuma se voar com sucatas da Jordânia…

Last edited 4 meses atrás by Yuri Dogkove
Argos
Argos
Reply to  Yuri Dogkove
4 meses atrás

Uma “sucata” abateria fácil, fácil essa aberração… Que aviãozinho feio.

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
4 meses atrás

O F-5BR é igual uma coroa de 90 anos que fez centenas de plásticas com o Dr. Ivo Pitanguy, visualmente até que tem boa aparência, mas por dentro tá caindo aos pedaços!

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Yuri Dogkove
4 meses atrás

LIFTs ( Light Fifhter Trainer) modernos valor militar. Mas aqueles que vieram da escala trainador para caça por obvio, são treinadores ganhando dimensões de caça e defesa aerea, enquanto aqueles que vem de caças leves ou já dimensionados como caças leves, são os unicos que encostam nos antigos caças leves consagrados como MIII, F-5E, MIG21… Então, quem quer que opere F-5, MIG-21, M-III, A-4, AMX, desde que atualizados, mesmos estes caindo em muito na escala evolutiva dos avões de combate, estão muito no top do desempenho dos melhores LIFTs, quer pela velocidade ou capacidade de embarque de armas. Os unicos… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
4 meses atrás

Acho que esta tabela tem mais de 10 anos…alguns dados podem necessitar atualizar….mas este é o comparativocomment image

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
4 meses atrás

ou ainda este outro de caças bem populares que possam fazer o lastro de recheio de numero (low) numa força aerea com algum caça High….tabela tambem bem antiga…comment image

Flanker
Flanker
Reply to  Yuri Dogkove
4 meses atrás

Desenvolva uma explicação acerca disso…..mas, com base em dados técnicos e sem falácias

Maj tom
Maj tom
4 meses atrás

Caramba. Negativando todos os seus comentários. Eu hein.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 meses atrás
Luiz Floriano Alves
Reply to  Carlos Alberto Soares
4 meses atrás

Se esse avião foi aceito pela exigente força aérea de Israel está bem recomendado. Eles não podem se dar ao luxo de comprar equipamentos obsoletos ou pouco eficientes.

MARLOS BARCELOS DOS SANTOS
MARLOS BARCELOS DOS SANTOS
4 meses atrás

Para cada missão, uma arma específica. Para um ataque com o domínio aéreo, é uma bela arma, precisa e batata de manter