Home Asas Rotativas H-60L Black Hawk da FAB resgata paciente em navio

H-60L Black Hawk da FAB resgata paciente em navio

7841
37

Aeronave do Esquadrão Pantera, resgatou paciente com sintomas de malária que estava a bordo de navio estrangeiro na costa brasileira

O Esquadrão Pantera (5º/8º GAV), sediado na Ala 4 – Base Aérea de Santa Maria (RS) resgatou, neste sábado (04), na costa brasileira, um homem que estava a bordo de um navio estrangeiro e com sintomas de malária. O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), organização da Força Aérea Brasileira (FAB) responsável pela coordenação de missões aéreas, acionou o Esquadrão após o contato do SALVAERO Curitiba.

As informações recebidas pelo Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo (SALVAMAR), sobre o estado de saúde da vítima, eram de que apresentava febre alta desde o dia primeiro de julho e havia suspeita de malária. O navio, oriundo do Panamá, foi localizado a cerca de 100 km, no litoral do Rio Grande do Sul (RS).

A aeronave H-60L Black Hawk decolou de Santa Maria (RS) para a Ala 3 – Base Aérea de Canoas (RS), onde realizou pouso para embarque da equipe médica que integrou a tripulação e, em seguida, voou até a posição do navio para realizar o resgate. O helicóptero manteve o voo pairado enquanto o homem SAR (do inglês Search And Rescue – Busca e Salvamento) desceu até o convés, realizou os primeiros atendimentos e foi içado com o paciente. Ao final, a vítima foi transportada para o Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Porto Alegre, para receber atendimento médico especializado. Toda a operação durou, aproximadamente, cinco horas.

A tripulação do helicóptero, formada por nove militares, sendo dois pilotos, dois homens de resgate, dois mecânicos, um médico e dois enfermeiros, usou trajes especiais para minimizar o risco de qualquer contaminação.

O Comandante do Esquadrão Pantera, Tenente-Coronel Aviador Fernando Fernandes de Castro comenta que o resgate reforça o sucesso do Sistema de Busca e Salvamento da FAB. “Esta missão demonstra todo o preparo e a competência no emprego dos Meios de Força Aérea. É motivo de satisfação pessoal e profissional para todo Esquadrão Pantera, que neste ano comemora 49 anos de sua criação, atuar para salvar vidas”, destacou.

Um dos pilotos da aeronave, Tenente Aviador Luiz Fernando Silva Alves, falou sobre o cumprimento da missão. “Ocorreu com sucesso devido à tranquilidade e sinergia dos nossos tripulantes e homens SAR que treinam para estes resgates, trazendo a bordo do helicóptero a vítima em segurança”, contou o piloto.

O Tenente Aviador Felipe Monteiro Lobo, homem de resgate, disse que o acesso ao convés foi realizado com segurança e coordenação da tripulação, de modo que o tripulante do navio fosse, também, resgatado com todos os cuidados necessários. “A vítima foi colaborativa durante as etapas do resgate e agradeceu a nossa ajuda”, disse.

Preparo

Um dos fatores fundamentais para o sucesso de qualquer missão é o preparo operacional das tripulações. Para atingir alto nível técnico e doutrinário, agindo com a pronta-resposta requerida na execução das ações, os Esquadrões da FAB realizam treinamentos constantes. Neste contexto, o Comando de Preparo (COMPREP) tem seu papel destacado.

Como Comando Operacional encarregado de fixar os padrões de eficiência, planejar o treinamento e avaliar o desempenho das unidades subordinadas, a partir das capacidades definidas pelo Comandante da Aeronáutica, também coordena a formulação da Doutrina Aeroespacial, em consonância com as experiências adquiridas e os sistemas de armas incorporados à Força Aérea Brasileira.

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest
37 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Augusto L
Augusto L
3 meses atrás

Ue a MB reclama da FAB mas não faz o serviço que deveria fazer.

Este trabalho deveria ser MB e não da FAB.

Bryan
Bryan
Reply to  Augusto L
3 meses atrás

Eu entendo a sua indignação, mas a ajuda não cabe a uma ou outra instituição. É dever de quem está mais apto naquele momento realizar a missão.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Augusto L
3 meses atrás

Augusto, apesar da FAB ter um Esquadrão dedicado ao SAR – 2º/10º GAv , Esquadrão Pelicano, em Campo Grande-MS, não lembro qual é a ALA, acho que 3. Todas as unidades de Asas Rotativas da FAB possuem sempre uma aeronave em alerta SAR, como tarefa secundária. A MB tb tem em São Pedro da Aldeia, no caso os helicópteros maiores, bimotores. Os Distritos Navais que têm o Esquilo tb o fazem , respeitando a autonomia destes aparelhos. O Brasil tem a responsabilidade de atuar em SAR no Oceano Atlântico até a altura do meridiano 10, por Convenção Internacional.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Augusto L
3 meses atrás

Fazer resgate compete à força que estiver mais próxima desde que possua o equipamento e a capacidade para tal.

Jota
Jota
3 meses atrás

Parabéns pelo regate bem sucedido. Mas tenho uma dúvida: porque 2 mecânicos acompanham? Numa eventual pane não poderão fazer nada.

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Jota
3 meses atrás

Talvez pra operar o guincho, coordenar as ações entre piloto, pessoal do navio e o guincho. Talvez…

Eduardo
Eduardo
Reply to  JuggerBR
3 meses atrás

Já tem 2 homens de resgate. Dispensável realmente os 2(!!) mecânicos. Coisas do serviço público brasileiro mesmo.

Flanker
Flanker
Reply to  Eduardo
3 meses atrás

Heheheh….procure por “fiel da aeronave” e suas atribuições ….tem muita coisa a ser mudada no serviço público, inclusive nas FFAA, mas critique com conhecimento…..

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Eduardo
3 meses atrás

Caramba! Essa foi demais!!!! Esse deve ser PARASAR com especialização em Israel!!! Cada um que me aparece!!!

Marcos Andrey
Marcos Andrey
Reply to  Eduardo
3 meses atrás

Sem nenhum fundamento esta sua critica!

Veja primeiro a rota de voo desta aeronave, foi de aproximadamente 200km!!

Heli não é carro de passeio!

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Jota
3 meses atrás

Apesar de serem chamados de Mecãnicos, ou Fiel, na MB, este tripulante, Sargentos Especialistas, não só ajudam na manutenção como operam outros equipamentos e auxiliam os pilotos nas manobras de pouso e paira em lugares confinados.

Tiago Georgette
Tiago Georgette
3 meses atrás

São nestes momentos que nos orgulhamos de nossas forças armadas, lutando pela vida, pelo próximo. Que em momento da paz, prestem apoio de solidariedade, que no momento do conflito, que cumpram seu papel institucional.
Dá tristeza ver pessoas querendo colocar os militares em posições que não foram treinadas para tal, acabando com sua imagem no Brasil.
Parabéns pelo belo trabalho.

Rafael Cordeiro
Rafael Cordeiro
3 meses atrás

Dia desses a MB também realizou um resgate (https://www.naval.com.br/blog/2020/07/06/helicoptero-sh-16-seahawk-da-mb-efetua-resgate-a-150-milhas-da-costa/) em navio mercante de um marinheiro com malária. Coincidência ou não, é bom as autoridades sanitárias ficarem de olhos abertos, pois tudo que não precisamos é de mais um surto de doença por aqui.

Flanker
Flanker
Reply to  Rafael Cordeiro
3 meses atrás

Humm….a malária é transmissível de pessoa para pessoa???? Onde entra p mosquitó nessa história??? Hehehe….

Lucas
Reply to  Flanker
3 meses atrás

Mosquito não pode picar a pessoa com malária e espalhar o vírus picando outra pessoa, e assim sucessivamente?…

Flanker
Flanker
Reply to  Lucas
3 meses atrás

Pode….mas, malária é uma doença mais que comum no Brasil. Não vai ser por conta do resgate de um ou dois pacientes com a doença que iremos infectar nossa população. E o causador da malária não é um vírus. É um parasita protozoário do tipo plasmodium e que é transmitido pela picado do mosquito Anopheles. Precisa da presença dessa espécie de mosquito no local/região para que a doença se transmita.

Pablo
Pablo
3 meses atrás

O que me chama a atenção é a aeronave sair do meio do estado, ir até a outra base próxima do litoral, depois ir fazer o resgate 100km mar a dentro. Em atendimentos de urgência, como nesse caso, tempo é fundamental!
Por acaso não tem uma aeronave adequada em Canoas (FAB) ou até em Rio Grande (MB) mesmo?
Antes que alguém diga alguma coisa ou me venha com mimimi, não estou questionando os profissionais envolvidos!!

Juarez
Juarez
Reply to  Pablo
3 meses atrás

Pablo, o Esquilo mono da MB seriado na estação naval na Ilha do Terrapepleno em Rio Grande, operaria no limite da anv sem espaço para alternar pouso.
Acionaram o 5° do 8° que fez jus a sua fama de esquadrão “testado em combate.”
Anv certa, OM correta e pessoal qualificado

Pablo
Pablo
Reply to  Juarez
3 meses atrás

Juarez, em espaço de uma semana (talvez), houve dois resgates na costa Brasileira, são situações que não se pode esperar quando uma vida está em perigo. São casos REAIS que o tempo é determinante para uma vida! O que estou querendo dizer, é que se tivesse uma aeronave adequada onde citei no comentário anterior, o tempo de resgate teria sido menor, não precisaria esperar o helicóptero voar de Santa Maria até Canoas, pousar, pegar a equipe médica, reabastecer, levantar voo de novo e seguir para a missão. Se o tivesse acontecido algo mais sério com o tripulante do navio pela… Read more »

Fox91
Fox91
Reply to  Pablo
3 meses atrás

Agora, questione o fechamento de todas as bases aéreas do litoral do Nordeste até Florianópolis. Com exceção da base de Natal no RN. DECISÃO do ex-comandante da FAB. É isso que tenho para informar.

Pablo
Pablo
Reply to  Fox91
3 meses atrás

Fox, no caso aqui do RS, tem a base de Rio Grande.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Fox91
3 meses atrás

Ué, não entendi! Se abrem Bases reclamam, se fecham Bases , reclamam tb!!

Zorann
Zorann
Reply to  Fox91
3 meses atrás

Mas tem de fechar as bases mesmo!!! isto não impede que as aeronaves em prontidão fiquem desdobradas em outras localidades/aeroportos.

Juarez
Juarez
Reply to  Fox91
3 meses atrás

Caso você não saiba isto não foi feito a reveria. A MB paulatinamente vai assumir estás responsabilidades.

fox91
fox91
Reply to  Fox91
3 meses atrás

É bem simples… imagina se os EUA fechassem todas as suas bases da força aérea no litoral. Agora faça uma análise do tamanho da costa litorânea do brasil que vem do RS até o Pará. É o que digo, você tem força aérea ou então brinca de aeroclube. Um abraço a todos!

Flanker
Flanker
Reply to  Pablo
3 meses atrás

O Juarez explicou muito bem. No caso que vc citou, a MB poderia alocar uns 2 UH-15 no esquadrão existente em Rio Grande….ou mesmo uns 2 UH-14 que, salvo engano, foram ou estão em vias de serem desativados .

Juarez
Juarez
Reply to  Pablo
3 meses atrás

Eu entendi e te que coloquei o porque.
Provavelmente a MB poderá vir a operar as kombis versão furgão apartir de Florianópolis ou Pelotas se tudo correr bem.

Douglas Rodrigues
Douglas Rodrigues
3 meses atrás

Nesses momentos, vejo que uma guarda costeira brasileira poderia ser importante também, com bases espalhadas pela vasta costa.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
3 meses atrás

Impressionante que alguns sujeitos não têm o que comentar , saem teclando críticas e achismos de como deve ser feito um trabalho de resgate, etc. essa geração do teclado de hoje é mesmo uma m…….

Tomcat4,2
Tomcat4,2
3 meses atrás

O Brasil deveria encomendar via MIn.Defesa ao menos uns 60 Black Hawk’s e dividir entre as três forças, máquina parruda ,já podiam pegar uns kit’s que transformam ele em um Battle Hawk(suporte para metralhadoras nas “asas” e capacidade para mísseis HellFire ou outro que venhamos a operar) para as variantes do EB tbm.

Last edited 3 meses atrás by Tomcat4,2
Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Tomcat4,2
3 meses atrás

Seria muito bom amigo Tomcat, e o black hawk é bonitão ein, um dos helis mais bonitos já fabricados

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Tomcat4,2
3 meses atrás

Pois é. Caso houvesse grana, acho que uma boa decisão seria remanejar todos os caracais ou a maioria deles pra FAB e dotava o EB com os BH e a MB com o SH.

No caso do EB, comprava uns 36 kits para conversão no battlehawk, os 24 previstos mais 12 reservas. E atendia a necessidade do EB de um Helicóptero de ataque. Não seria um atacante puro, como o viper e os outros dois melhores vistos pelo EB, como divulgado, mas daria um caldo bom, muito melhor do que tudo que temos hj.

Mayuan
Mayuan
3 meses atrás

Boa notícia, parabéns à FAB mas já tinha lido em outro site a tanto tempo que por um momento até achei que fosse outro resgate.

Juan
Juan
3 meses atrás

La FAB dejando en ridículo a la MB ante los ojos de todos… El Blackhawk por encima del Super Cougar, tendrán más disponibilidad?

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Juan
3 meses atrás

Mas que pensamento enviesado!

¡Pero qué pensamiento sesgado!

Rafael
Rafael
3 meses atrás

O navio tinha um heliponto ou estou enganado? Se sim, porque optou-se pelo voo pairado? Desculpem a pergunta de leigo.

Mosczynski
Mosczynski
3 meses atrás

Essa notícia é espantosa porque demonstra que a MB não tem preparo para acidentes marítmos. Eu imagino quanto tempo demorou entre a chamada do navio pedindo o resgate e o acionamento do helicóptero lá em Santa Maria. E não é questão de quem Está preparado naquela hora, não ocorrem situações como essa todos os dias e mesmo que houvesse a MB deveria estar preparada. Imaginem como seria o resgate dos passageiros é tripulação no Brasil num acidente similar ao Costa Concordia?