Home Aviação de Caça Suécia vai desenvolver caça da próxima geração

Suécia vai desenvolver caça da próxima geração

24321
122
O caça JAS 39E vai complementar os JAS 39C/D até a chegada do futuro caça sueco

No dia 16 de junho, o governo sueco revelou seus planos de melhorar suas capacidades militares, incluindo o desenvolvimento de um novo avião de caça para substituir o JAS 39 Gripen.

“O desenvolvimento dos aviões de caça da próxima geração começará”, afirmou o Ministro da Defesa da Suécia Carl Anders Peter Hultqvist em um comunicado, sem divulgar mais detalhes.

Os aviões de combate Saab JAS 39C/D da Força Aérea Sueca serão mantidos, à medida que o novo caça JAS 39E for integrado aos esquadrões e se tornar operacional. Isso permitirá que o serviço mantenha seis esquadrões de combate.

Em julho de 2019, os governos da Suécia e do Reino Unido (Reino Unido) assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) para desenvolver futuras capacidades e sistemas de aeronaves de combate. A colaboração oferece a oportunidade de inserir ainda mais tecnologias avançadas no JAS 39 Gripen.

Subscribe
Notify of
guest
122 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
13 dias atrás

Já que estamos ajudando no desenvolvimento do Gripen E/F seria uma boa entrar nesse projeto e já garantir alguns exemplares para nós.

PilotoVirtualBR
Reply to  Fabio Araujo
13 dias atrás

Se a grana permitir…
Ênfase no SE…

Rico Zoho
Rico Zoho
Reply to  PilotoVirtualBR
13 dias atrás

Não é uma questão de SE existe dinheiro. Ele existe, mas o que é prioritário. Em vez gastar com escolas, hospitais, defesa, segurança pública, o mais importante é fazer estádios e milhares de outras obras inuteis e que se começam e quase nunca terminam.

J R
J R
Reply to  Rico Zoho
13 dias atrás

Essa época dos estádios já passou, não vejo o governo gastando dinheiro com obras inúteis, o que arrebenta o país hoje são as ilhas de fantasia, estruturas gordas e pesadas como o judiciário principalmente, e claro, a corrupção, como estamos vendo nas ações contra o covid-19…

Last edited 13 dias atrás by J R
Xerem
Xerem
Reply to  J R
13 dias atrás

Ja passou mais porque deram 1,3 trilhões aos amigos banqueiros ?Hein hein hein hein hein ????

Rival Sensor
Rival Sensor
Reply to  Xerem
13 dias atrás

Prezado Xerem digite no google “Bancos lucraram mais nos goveno do(a) XXXX” Coloque o nome do molusco ou da mandioca sapiens e verá o resultado…

Vinícius
Vinícius
Reply to  Xerem
12 dias atrás

Dê uma pesquisada melhor nessa informação. Vai ver que o dinheiro que foi disponibilizado é dinheiro dos próprios clientes dos bancos, que já está guardado nos próprios bancos. O governo não deu R$ 1,00 pra banco algum

https://www.infomoney.com.br/economia/com-crise-banco-central-ja-anunciou-r-12-trilhao-em-recursos-para-bancos/

“O compulsório corresponde a um recolhimento, feito pelo Banco Central, de parte dos recursos dos clientes depositados nos bancos. Com ele, o BC controla a quantidade de dinheiro em circulação na economia e forma “colchões de liquidez” para momentos de necessidade de recursos pelos bancos. Em momentos de crise, como agora, a autarquia pode reduzir este colchão, irrigando o sistema.”

jairo
jairo
Reply to  Vinícius
12 dias atrás

exatamente.
Vão pegar o meu, o seu, o nosso dinheiro e aplicar em derivativos. Caso percam a “aposta” eles podem ficar tranquilos pq eu, vc, nós vamos bancar um Proer NG.
Ahhhh…e os lucros??? without taxes, óbviamente…

Ted
Ted
Reply to  J R
13 dias atrás

É só cortar 10% do salário dos deputados que sobra muito dinheiro

Souza Sam
Souza Sam
Reply to  J R
12 dias atrás

O judiciário da União custa por ano 50 bi. O legislativo 6bi. Já o orçamento federal é de 1,5 trilhão. Desse valor 600 bi vão pra pagar o juros da dívida e pra previdência. No país tem muitas carreiras que permitem que seus integrantes se aposentem com menos de 50 anos. São esses desequilíbrios que levaram o país pro buraco. Tornar a máquina pública mais eficiente ajuda, mas diminuir o déficit da previdência e alongar a dívida é o que resolve….

JSilva
JSilva
Reply to  Souza Sam
12 dias atrás

As únicas carreiras que se aposentavam com menos de 50 anos no serviço público federal eram a de militares (reserva), policiais federais e rodoviários federais. Mesmo na regra antiga, o serviço público já tinha idade mínima de 60 anos para homens e 55 para mulheres, e a partir da reforma aprovada passou para 65 para homens e 62 para mulheres.

A questão da previdência já foi atacada, embora para os militares tenha sido uma mamata em relação aos seus pares no resto do mundo.

Last edited 12 dias atrás by JSilva
Ten R2 Célio
Ten R2 Célio
Reply to  JSilva
12 dias atrás

Jsilva, não sei quanta mamata vc vê, me lembro de uma declaração do então CMT EX Villas Bôas
de que podiam enquadrar os militares conforme os demais trabalhadores, mas para isso deveriam tambem cumprir com a CLT, porque milico não tem DSR, não tem adicional de periculosidade, não tem hora extra, fica 24 hs a disposição da corporação etc…..

JSilva
JSilva
Reply to  Ten R2 Célio
12 dias atrás

Ten R2 Célio, É claro que os militares tem suas peculiaridades, mas veja que eu escrevi que mesmo entre seus pares no mundo a reforma aqui foi bastante generosa. Vocês conseguiram passar por uma reforma: 1- sem que fosse estabelecida idade mínima (No Brasil: iniciativa privada e servidores civis 65/62, professores 60/57, policiais das carreiras federais 55. No Reino Unido, a idade mínima para aposentadoria dos militares é de 65 anos. Na Itália, 61. Na Alemanha, a legislação prevê idade mínima de 65 anos para altas patentes, 62 para soldados). 2- Passagem para a reserva com salário integral e com… Read more »

Leonardo
Leonardo
Reply to  Ten R2 Célio
12 dias atrás

Então saia e vá para iniciativa privada.

Zorann
Zorann
Reply to  Rico Zoho
13 dias atrás

O dinheiro existe nas próprias Forças Armadas. Não sobra porque a prioridade é pagar salários.

O orçamento da Defesa é suficientemente grande para nossas necessidades. Ele só é mal gasto.

marcus
marcus
Reply to  Zorann
13 dias atrás

10 anos sem alistamento obrigatório. Ou acabar definitivamente com essa obrigação. Isso gera despesa.

Xerem
Xerem
Reply to  Zorann
13 dias atrás

Salarios e pensões das tadinhas das filhinhas solteiras que sao todas cegas ,nao andam e tem síndrome de doença mental .Ah tem tambem as aposentadorias dos espertos que ganham o mesmo como na ativa .

Rival Sensor
Rival Sensor
Reply to  Xerem
13 dias atrás

Pensão para filhas solteiras de militares acabou no ano 2000. De lá pra cá somente os militares que contribuíram (pagaram) à época para ter direito é que suas filhas ganharão a pensão.

Mayuan
Mayuan
Reply to  Rival Sensor
12 dias atrás

Posso estar enganado mas que eu saiba acabou para novas pensões mas as que já existem não foram revisadas sequer para enquadrar na regra que já deveriam cumprir, ou seja, tem uma penca de mulher casada e cheia de filhos que nunca se casou no civil pra não perder a mamata. Não sei a ordem de grandeza mas que essa revisão traria economia, disto resta pouca dúvida

Salim
Salim
Reply to  Mayuan
12 dias atrás

Conforme Midiã a ex secretaria educação recebe por ser filha militar. Embora com varias uniões estáveis e filhos. Como ninguém contestou noticia época penso ser verdade.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Rico Zoho
13 dias atrás

Assim como o judiciário mais caro do mundo, e pensões para um exército de filhas “solteiras”.

Eduardo
Eduardo
Reply to  Rico Zoho
12 dias atrás

Irmão, o governo já mudou. Não estamos mais com o governo antigo, não……

Nadison Paz
Reply to  Fabio Araujo
13 dias atrás

Falta grana para gente entrar nessa

Zorann
Zorann
Reply to  Fabio Araujo
13 dias atrás

Muito engraçado…. O Brasil não vai participar, exatamente porque não tem nada a oferecer: não temos o conhecimento necessário e muito menos a grana para pagar a quem tem o conhecimento. Então estamos de fora.

Para comprar só 36 caças, não precisamos participar de desenvolvimento de nada. Nem a demanda a gente tem.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Zorann
13 dias atrás

temos tecnologia de ponta em material compósito, e fabricação de trens de pouso por exemplo, fora que teremos mais capacidades em breve. o Brasil pode ser ruim em vários aspectos mas projetar aviões nos somos bons

Zorann
Zorann
Reply to  Carlos Campos
12 dias atrás

Estamos falando de uma aeronave de 5 geração, não de jato regional da Embraer…. menos, por favor.

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Zorann
12 dias atrás

E desde quando o Gripen se compara a um jato regional da Embraer???
O know-how adquirido pela parceria com a SAAB capacita sim a Embraer a participar do desenvolvimento de um caça de 5ª geração juntamente com a SAAB.
Agora a dúvida é, o GF possuiria algum interesse em participar de tal empreitada?

nonato
nonato
Reply to  Zorann
12 dias atrás

Discordo.
A Suécia tem muito menos dinheiro do que nós.
Eles precisam de um parceiro.
1 bilhão de dólares em cinco anos dá para desenvolver.
Participação da Embraer, ITA, avibras…

nonato
nonato
Reply to  nonato
11 dias atrás

A Saab tem mais experiência e conhecimento.
Mas os engenheiros brasileiros com certeza, com sua capacidade, organização, criatividade dariam um salto de qualidade a Saab, igual fizeram com o A Darter.

Last edited 11 dias atrás by nonato
Mayuan
Mayuan
Reply to  Zorann
12 dias atrás

É esse tipo de pensamento que atravanca o desenvolvimento de nosso país. Lamentável.

Zorann
Zorann
Reply to  Mayuan
12 dias atrás

Que comentário maravilhoso o seu!!! Não esclareceu nada, não disse nada, só desqualificou.

São pessoas como você, que não questionam nada, que só desqualificam, que só dizem amém, que atravancam o desenvolvimento de nosso país.

Diogo
Diogo
Reply to  Fabio Araujo
13 dias atrás

A questão é o parlamento, é ele que decide. Façamos a nossa parte, devemos eleger deputados e senadores com propostas claras e reais na área da defesa.

Xerem
Xerem
Reply to  Fabio Araujo
13 dias atrás

Nao podemos segundo os brigadeiros panças de Jegue que adoram ser colonizados pelos EUA que so fazem o que o patrão manda, perdemos a parceria com o SU-57 e Russo e dai ? Agora tem Japao ,Coreia do Sul ,Turkia e a Suecia essa na minha opinião nesse exato momento e a melhor escolha e parceria para um caça de nova geração, mais esqueçam o abiguinho do Norte nao vao deixar de jeito nenhum e os vira-latas irão acatar .Obs:se voces soubessem a historia do MAR iriam vomitar pela subserviência ao EUA !

Mayuan
Mayuan
Reply to  Xerem
12 dias atrás

Imagino que beleza seria essa parceria. Tipo aquela com a Ucrânia…

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Fabio Araujo
13 dias atrás

O máximo que vejo o Brasil fazer nesse sentido é comprar os Gripen usados quando os mesmos comecem a ser substituídos. Infelizmente, o Brasil nunca demonstrou a sensatez e madurez de embarcar em um projeto dessa envergadura, com exceção daquele breve flerte com o Pak-Fa.
A classe governante sempre está muito mais interessada em seus benesses e roubo sem fim. É por isso que o dinheiro sempre “falta”.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Joao Moita Jr
12 dias atrás

O Financial Times inclusive já deu a classificação perfeita para nossa classe política: self-serving.

Chris
Chris
Reply to  Fabio Araujo
13 dias atrás

Uma vez que não temos muito o que contribuir com tecnologia… Iriam querer é dinheiro ! Uma coisa que o Brasil não tem…

Enfim… Com a SAAB partindo para novos ares… Talvez permitam que usemos o projeto do Gripen, como bem quisermos !

PACRF
PACRF
Reply to  Fabio Araujo
12 dias atrás

Além dos exemplares o conhecimento.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Fabio Araujo
12 dias atrás

Precisaríamos primeiro ser convidados para tal empreitada para podermos avaliarmos o montante a ser investido.

CLAUDIO X
CLAUDIO X
13 dias atrás

A Suécia assinou em 2019, um acordo de participação no projeto Tempest da BAE inglesa, imagino que o novo caça seja esse.

Marcelo
Marcelo
Reply to  CLAUDIO X
13 dias atrás

eu acho que irao para uma versao monomotor, mais apropriada as necessidades deles.

Lucianno
Lucianno
Reply to  CLAUDIO X
13 dias atrás

Não assinou. Todos sabem que a Suécia não tem condições orçamentárias de desenvolver um caça de 5ª geração, assim o Gripen é o ultimo caça da SAAB, que procurou a BAE Systems para participar do Tempest. Os ingleses ofereceram um participação de fornecedor e não de sócio do Tempest, o que não foi aceito pelos suecos.

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Lucianno
11 dias atrás

Exatamente isso, fornecedor de partes e peças sem qualquer participação direta no desenvolvimento tecnológico do novo caça.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Lucianno
10 dias atrás

Outro site de notícias recentemente esclareceu o assunto.
Na verdade a SAAB irá participar do projeto do Tempest (não está claro se como parceiro ou fornecedor) e utilizar novas tecnologias na evolução do Gripen E.
Como comentei na notícia relacionada ao F-5, vejo a evolução do Gripen para versões G/H como natural. É uma plataforma bem modular que permite essa evolução de forma menos impactante. A Tesla segue a mesma tendência.

Lucianno
Lucianno
Reply to  MMerlin
10 dias atrás

Até o momento não está definida nenhuma participação da Suécia no Tempest. Foi assinado apenas um memorando (ou seja nada). A conversa preliminar com a Bae Systems foi desanimadora para Saab porque foi oferecido uma posição de fornecedor e não de parceiro no desenvolvimento. Claro que isso pode mudar, até porque ingleses e italianos ainda não conseguiram o financiamento necessário para realmente começar a desenvolver o Tempest.

Matheus
Matheus
13 dias atrás

Sem um governo por trás, dificil.
Suécia vai bater em algumas portas, espero que na nossa eles sejam atendidos.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Matheus
13 dias atrás

Se bater na porta do Brasil, eles vão ouvir; Opa! Que legal! Dá pra fazer fiado?!!

Filipe Prestes
Filipe Prestes
13 dias atrás

Temos uma boa oportunidade pra somar esforços com suecos e britânicos. Apesar da previsível recessão, se o governo for inteligente deveria já ir sondando o governo sueco e a SAAB.

Doug385
Doug385
Reply to  Filipe Prestes
13 dias atrás

O problema não é só a vontade do governo, mas também justificar esse gasto com armas para o congresso e para a mídia em tempos de recessão.
Mas a oportunidade é boa. Se não me engano, os suecos participariam do Tempest.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Filipe Prestes
13 dias atrás

O país tem um histórico bem ruim no que tange a partição, principalmente as financeiras, em projetos ou organizações mundiais. Ficamos devendo para a ONU, OMS, cancelaram nossa (pequena) participação no VLT por falta de pagamentos. Ora, até a pequena quantia que nos competia com a ISS não honramos. E só pagamos porque era pré-requisito para enviar o primeiro astronauta brasileiro ao espaço. Fora isto, não vejo este projeto saindo do papel nos próximos 10 anos. O Gripen E terá uma longa vida pela frente em ambos os países. Lembrando que a economia dos países da Europa devem se recuperar… Read more »

Ted
Ted
Reply to  Filipe Prestes
13 dias atrás

Com a saída dos britânicos da zona do euro fica mais fácil negociar acesso a tecnologias.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
13 dias atrás

Que já entremos de cabeça nesta empreitada hein pois não surge oportunidade como esta todo ano não.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Tomcat4,2
13 dias atrás

Muitos desejam um 2o lote e havia previsão para tal, então que usem os recursos desta previsão para nos inserirmos neste projeto. Caso haja algum perigo a nossa soberania neste espaço de tempo, há como recorrer a compra de prateleira nos eua, europa ou até a rússia. Pagamos pelo tot do Gripen, que usem tal conhecimento no desenvolvimento de uma aeronave de última geração, entrando neste processo. Abraços

Xerem
Xerem
Reply to  Saldanha da Gama
13 dias atrás

Isso nao sera pra agora nao cara vai levar anos ainda ,mais o Brasil pode ser sócio junto de outros países como a própria Suecia ,UK etc …

Marcelo
Marcelo
Reply to  Tomcat4,2
13 dias atrás

creio que nao seja para agora, vao terminar o desenvolvimento e entregas do Gripen E/F primeiro. Enfim, a Saab precisa de algum projeto para tocar, para nao perder a mao de obra super qualificada e especializada, mas concordo que seria muito bom se pudessemos participar.

Allan Lemos
Allan Lemos
13 dias atrás

É ingênuo quem acha que há chances de algum dia o Brasil participar desse projeto. Em primeiro lugar,não temos dinheiro e tudo indica que o país viverá com um déficit nas contas por mais uma década no mínimo. Segundo,não há vontade política nesse país para nada relacionado à defesa e a à soberania.Levamos quase 20 anos para escolher a proposta do FX-2.A escolha levou tanto tempo para ser feita que até mesmo os Mirage escolhidos para tapar o buraco ficaram obsoletos. Então não adianta se enganar e fechar os olhos para a realidade,o que vai acontecer é que daqui a… Read more »

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Allan Lemos
13 dias atrás

Sua falta de fé é perturbadora !!!
Darth Vader

MMerlin
MMerlin
Reply to  Tomcat4,2
13 dias atrás

Acredito que a questão de fé mencionada esteja apontada para a administração pública, única que pode redirecionar o país para um caminho de crescimento.
Nos últimos 35 anos, nunca vimos um país tão dividido, confuso e sem direcionamento, com os três poderes de digladiando e a imprensa fazendo um trabalho de desinformação sem precedentes.
Enquanto o cenário tiver estas características, não veremos o inicio (veja bem, disse início) de uma retomada econômica.

Tomcat
Tomcat
Reply to  Tomcat4,2
13 dias atrás

Colega, fã do Tomcat e de Star Wars! Ô sujeito de bom gosto esse 😉

P.S.: virarei 4.2 esse ano tb hehehe

Marcelo
Marcelo
Reply to  Tomcat
13 dias atrás

pensei que era a mesma pessoa ! 🙂
melhor virar 5.0 !

Tomcat
Tomcat
Reply to  Marcelo
10 dias atrás

Marcelo, acho que já tem um 5.0 aqui, que comentou meses atrás. E tem mais alguns Tomcat por aí aqui na Trilogia, mas o xará 4.2 e eu somos os mais “tagarelas” aqui hehehe

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Tomcat
12 dias atrás

Já percebi que compartilhas tbm o apreço pela saga Star Wars. E que venham nossos 4.2, o meu é quinta feira.hehe

Tomcat
Tomcat
Reply to  Tomcat4,2
10 dias atrás

E como hoje é quinta, feliz aniversário!

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Tomcat4,2
13 dias atrás

É a desgraça institucionalizada nesse país que é perturbadora, para não dizer desesperadora. Realidade e não falta de Fé. Um país que depende de fé, esta pedindo para sair.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Allan Lemos
13 dias atrás

Uma década é pouco Alan. Sinceramente, com o que vejo hoje, em um país que não trabalha para especializar sua população (que em muitos casos também não quer) não vejo uma recuperação para patamares de outrora. Isto me lembra um pouco o Japão de trinta anos atrás, onde a grande maior parte de sua população tinha alguma tipo de especialidade e estava difícil encontrar alguns tipos de serviços manuais. A diferença é que nos próximos 20 ou 30 anos estes pequenos serviços manuais estarão todos automatizados, tanto nas cidades quanto nos campos. E para onde irão ou se sustentarão estas… Read more »

Ted
Ted
Reply to  MMerlin
13 dias atrás

Xeque mate! Não terá trabalho para todos. O sistema está falido. E um novo vírus pode ser até um alento para quem vai morrer de fome.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Ted
12 dias atrás

Lendo um estudo financeiro, um novo vírus traria o colapso na economia de uma forma sem precedentes.
Não teríamos o caos anárquico como alguns imaginam e outros esperam.
Este estudo acredita que praticamente precisaríamos (não apenas o Brasil) voltar a um estado similar a colônia.
Basicamente, ficaríamos com uma divida gigantesca e sem economia como garantia para empréstimos internacionais. Teriamos que aceitar condições com juros altíssimos a aplicar regras determinadas pelo “fiador”. Seria uma situação similar ao que ocorreu na Grécia mas muito mais rígida.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  MMerlin
12 dias atrás

O pior é que os irresponsáveis e populistas do Congresso querem estender o tal auxílio emergencial ainda mais,dessa forma toda a economia feita com a reforma da previdência vai ser perdida e o Brasil ficará com uma dívida imensa pelos próximos anos.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Allan Lemos
12 dias atrás

Allan. Sinceramente, não vejo o auxílio emergencial como uma medida errada. Ela é essencial para profissionais autônomos que, em sua grande maioria, viram sua fonte de renda cair a zero em questão de três semanas. Mas acho errado a forma com que partidos, políticos e congressos utilizam o auxílio para autopromoção, criticando ou valorizando uma reforma apenas no intuito de ser oposição ou governo. Atuo em duas áreas, profissional CLT (TI) e consultor de automatização. Esta segunda tenho alguns clientes no país e outros fora. Este segundo, mesmo com todos os recursos, está bastante complicado devido a questões de transporte.… Read more »

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Allan Lemos
13 dias atrás

Coloco um terceiro problema, relacionado à imagem do atual governo brasileiro no exterior. Se antes já éramos vistos com alguma desconfiança, agora está bem pior.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Adriano RA
13 dias atrás

Sem dúvida isto pode influenciar investimentos estrangeiros internos e exportações.

Ted
Ted
Reply to  Adriano RA
12 dias atrás

Não se preocupe com a imagem do governo pois a vacina só estará disponível lá por 2023 e com a segunda onda, terceira, quarta. ……quem sobreviver ao vírus e não morrer de fome ou tédio. Contará a história

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Allan Lemos
13 dias atrás

Infelizmente Allan você tem razão e assino embaixo. Essa república esculhambada jamais mudará por uma simples razão: o povão ama ser explorado e ainda agradece. É sempre a mesma ladainha e sempre a mesma choradeira e sempre o mesmo ufanismo burro. Um favelado arrotando perú.
Anote: Em 10 anos após entrada em operação o Gripen será dor de cabeça, faltarão recursos para implementar todas as capacidades do projeto. Será outro A-1 desdentado e cego.

Antoniokings
Antoniokings
13 dias atrás

Excelente notícia.
Se tiver condições técnicas/financeiras e os suecos aceitarem, seria ótimo que o Brasil participasse do desenvolvimento.

Grozelha Vitaminada Milani
Grozelha Vitaminada Milani
13 dias atrás

Excelente oportunidade para Embraer.

GF é o futuro comprador. Engana -se quem acha que o GF tem que entrar nessa diretamente. Não concordo com a FAB (Tucano, C/KC-390 e etc) bancar mais um desenvolvimento sozinha.

Ok, o BNDES poderia de certa forma apoiar a Embraer assim como seus investidores.

A Embraer é uma empresa privada e tem e deve voar pelas próprias asas.

Robsonmkt
13 dias atrás

O Tempest seria uma grande mudança de conceitos dentro da Força Aérea Sueca: um caça bimotor, mais europeu do que sueco e, provavelmente, de preço não tão acessível. Talvez a sua adoção force os suecos a uma outra mudança de conceitos: um mix hi-lo. De certa forma, isto já começa a acontecer agora, com os Gripens C sendo o lo e os Gripens E sendo o hi. No futuro, eles terão o Tempest como hi e o Gripen E passaria a ser o lo. e, mais para a frente, talvez lá por 2050, um outro caça que venha substituir primeiro… Read more »

Carlos
Carlos
13 dias atrás

Já que a Embraer entrou com tudo nos cofres do BNDES a Juros irrisórios , seria a Hora da Contra -Partida .

Renan Braga
Renan Braga
13 dias atrás

Quando chegar os nossos vai tá obsoletos !

Luís Henrique
Luís Henrique
13 dias atrás

Ele não mencionou o Tempest. Pode ser um caça novo, sueco. O Brasil deve adquirir outro lote de 36 Gripen E/F para construção no Brasil até 2030 ou 2032. E à partir de 2035 começar a receber um caça de 6a geração, produzido aqui, poderia ser um caça em parceria com a Suécia também. Poderia ser o Tempest em parceria com a Suécia, Reino Unido e Itália. Poderia ser o AMCA em parceria com a Índia. Poderia ser o FCAS em parceria com a França e Alemanha. Enfim, existem vários projetos de caças de 5a ou 6a geração que o… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  Luís Henrique
13 dias atrás

das opcoes, creio que fazer com a Suecia seria a melhor delas, a estrutura ja esta aqui para desenvovolver o Gripen, as empresas e os governos ja se conhecem e se confiam. Seria uma boa mesmo.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Luís Henrique
12 dias atrás

Luís, no FCAS o Brasil não seria aceito, dada a imagem que o governo brasileiro está construindo no exterior. Os dois países mais frescos do velho continente, não deixariam de considerar isso numa eventual análise da participação brasileira. Além do que, todas as regras de transferência de tecnologia da União Europeia deveriam ser consideradas. O projeto com a Índia precisaria de um outro parceiro, dotado da expertise para construir aeronaves complexas. Os Indianos não conseguiram sequer construir o Tejas. Os demais europeus já embarcaram no F35. Sobram os asiáticos. Chineses, não rola. Japoneses e Sul Coreanos já embarcaram no F35,… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Felipe Morais
12 dias atrás

Felipe, o atual governo brasileiro não está ao lado da Argentina. Acho possível participação no Tempest, mas a Inglaterra vai obviamente liderar todo o caça, acredito que a participação seria pequena em termos de independência tecnológica e produção local. Com a Suécia acredito que eles podem embarcar no Tempest, mas existe a possibilidade de desenvolverem um caça próprio, o que eu acho bem possível, mesmo não tendo uma grande demanda. Neste caso o caça será muito provavelmente menor que o Tempest e mais barato. A Índia é a 3a super-potência que vai emergir no mundo. Eles possuem o 3o maior… Read more »

Lucianno
Lucianno
Reply to  Luís Henrique
12 dias atrás

Isso parece até discussão familiar do que cada um faria SE ganhassem na megasena. O Brasil não vai participar de programa nenhum de caça, porque não existe vontade política para isso, nem necessidade e nem interesse da FAB em investir em equipamento ao invés da folha de pagamento. Também não existe nenhum programa de desenvolvimento de um caça de próxima geração sueco. Não foi noticiado isso na imprensa internacional, nem mesmo na Suécia. Acho que o PA “viajou” em um nota do ministério da defesa sueco, eu li e interpretei como sendo uma preocupação futura, não necessariamente o início de… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Lucianno
12 dias atrás

Lucianno, a discussão aqui, por hora, é só como passatempo. Na situação atual do Brasil e pelo que se projeta, é de se duvidar, e muito, se a FAB vai conseguir emplacar o segundo lote de gripen. O déficit fiscal será gigantesco e não há saída. Os próximos anos e até, quem sabe, década (s) serão de contenção de gastos. E não dá outra. Os projetos das FA’s sempre estiveram e estarão na mira, pois não geram votos. Quanto aos Suecos e um eventual “projeto” de próxima geração, é necessário definir o que seria próxima geração. Muita gente já quer… Read more »

Daniel Ricardo Alves
Daniel Ricardo Alves
13 dias atrás

Posso estar enganado, mas parece que o mundo começa a se armar de novo. Seria bom se o Brasil tivesse bom senso de se preparar para o pior e investisse em todas as oportunidades possíveis. Um caça de nova geração seria um bom começo.

Rodrigo
Rodrigo
13 dias atrás

Melhor comprar os gripen E que precisamos tanto e depois se preocupar com caça de 5° geração, quem sabe no futuro desenvolver nosso próprio caça quando a economia melhorar e os gastos em defesa aumentarem.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
13 dias atrás

Não sei como a Saab vai conseguir pagar os custos de desenvolvimento vendendo tão pouco, se vender igual o Gripen NG o custo por unidade deverá ser caríssimo, sinceramente não sei qual vai ser a mágica!
Acho que o caminho do Tempest onde há um coalizão de investidores é muito mais seguro.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Carlos Gallani
13 dias atrás

É impossível com o pequenino orçamento militar sueco desenvolver um caça de 5ª geração. A SAAB, uma empresa privada familiar de médio porte também não teria condições financeiras para isso.
Acho que o ministro é só um fanfarão, deve estar querendo impulsionar a venda do Gripen (que não vende) com a ilusão de que um dia existirá uma nova geração sucessora.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Lucianno
13 dias atrás

Prezado,
A Saab já desenvolveu um grande número de aviões, para seu tempo, eram o estado da arte.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Marcos10
12 dias atrás

A questão nem chega a ser a SAAB. Ao longo das décadas o custo de desenvolvimento dos caças ficou cada vez mais caro, chegando a bilhões com a 5ª geração. Nas décadas de 40 até 70 observamos companhias privadas apostando em desenvolvendo de caças com recursos próprios. Hoje é impossível fazer sem um governo financiando. O orçamento sueco é pequeno para desenvolver um caça de 5ª geração sozinho.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Lucianno
12 dias atrás

A Visby é muito provavelmente a Corveta mais furtiva do mundo. Os custos de desenvolvimentos de materiais compósitos para redução da RCS são altos, mas o que torna caças de 5a ou 6a geração extremamente caros de desenvolver são os sensores, sistemas e motores, não somente os materiais compósitos. E a Suécia, como não possui demanda para desenvolver tudo sozinha, ela utiliza equipamentos, sensores, sistemas e motores de países parceiros. Um exemplo possível de ocorrer: O Reino Unido, a Itália e outros gastarão uma fortuna para desenvolver o Tempest. Um super motor de nova geração, um super radar, um super… Read more »

Lucianno
Lucianno
Reply to  Luís Henrique
12 dias atrás

Lá na década de 80 quando a Saab negociou a utilização dos motores americanos no Gripen a realidade era diferente pois existiam ainda muitos “players” no mercado. Hoje não mais. Os americanos e ingleses irão “fechar as portas” para o fornecimento de motores GE e RR e forçar todo mundo a comprar F-35 ou Tempest no preço deles. Para que fomentar um concorrente se ele não tem como conseguir um motor? A não ser que gaste desenvolvendo um novo… Ninguém desenvolve nada se não tiver uma forte expectativa de lucros futuros ou um governo financiando. Os fabricantes aerospaciais, antes dezenas,… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Lucianno
12 dias atrás

Hoje existem muito mais “players” do que em 80. O Japão vai desenvolver um caça de nova geração. A Turquia está desenvolvendo. A Coreia do Sul está desenvolvendo. A Alemanha com a França. O Reino Unido com a Itália, etc. As empresas de motores irão vender porque senão surgirão novas empresas de motores. Caso a Rolls Royce não queira vender o motor para o novo caça sueco, eles podem comprar da Safran, ou da GE, ou da Pratt & Whitney, ou resolverem recriar a Volvo Aero Engines ou uma empresa semalhante e voltar a fabricar motores por conta própria. Para… Read more »

Lucianno
Lucianno
Reply to  Luís Henrique
11 dias atrás

Hoje existem no ocidente apenas 5 players: LM, Boeing, Dassault, Eurofighter e Saab. Japão, Turquia, etc. ainda não fabricam nada e portanto não são players. No futuro podem vir a fabricar? Talvez sim, talvez não. Mas também no futuro alguns players atuais podem não existir mais, por exemplo a Saab, que deve deixar de ser fabricante e virar um fornecedor de peças. Em 1980 tínhamos no ocidente vários fabricantes: McDonnell Douglas, Northrop, General Dynamics, Grumman, Rockwell, Boeing, LM, Dassault, Bae Systems, MBB, Aeritalia, Aermacchi, Saab e IAI. No passado a Snecma (origem da Safran) até desenvolveu motores com recursos próprios,… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  Carlos Gallani
13 dias atrás

porque nao e’ a Saab que paga os custos de desenvolvimento e sim o governo, que tem interesse em manter a capacidade do pais.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Carlos Gallani
12 dias atrás

A Suécia utiliza vários equipamentos existentes. off the shelf em seus caças. Um caça novo como o Tempest custa uma fortuna, porque eles irão desenvolver um motor de 5a geração, super potente, econômico, etc etc. Ai, irão desenvolver um radar AESA de nova geração, super moderno, etc. E por ai vai. A SAAB faz um caça de 6a geração “próprio” custando muitíssimo menos, simplesmente porque ela vai escolher o motor do Tempest ou um motor americano e não irá desenvolver um motor próprio. Ai ela pega o mesmo radar do Tempest, ou uma versão pouco menor e mais barata. Ou… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  Luís Henrique
12 dias atrás

A Saab tem capacidade de desenvolver seus radares, nao fizeram isso no Gripen E devido ao prazo, mas estao testando no Gripen C.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Luís Henrique
12 dias atrás

Lá na década de 80 quando a Saab negociou a utilização dos motores americanos no Gripen a realidade era diferente pois existiam ainda muitos “players” no mercado. Hoje não mais. Os americanos e ingleses irão “fechar as portas” para o fornecimento de motores GE e RR e forçar todo mundo a comprar F-35 ou Tempest no preço deles. Para que fomentar um concorrente se ele não tem como conseguir um motor? A não ser que gaste desenvolvendo um novo…

Lucianno
Lucianno
Reply to  Luís Henrique
11 dias atrás

É muita ingenuidade achar que a RR irá repassar todo o custo de desenvolvimento do motor do Tempest para Bae Systems que é parceira e depois iria vender o motor mais barato para Saab que é concorrente. Pode até vender o motor para Saab, mas a mesma teria que pagar muito mais caro porque a patente do motor será dos governos (Inglaterra/Itália) que irão financia-lo que estarão interessados em vendas do Tempest, visto que gera empregos nos países de origem.

Zorann
Zorann
13 dias atrás

O pessoal viaja na maionese grandão!!! Não sobra dinheiro nem para comprar os sonhados 108 Gripens…. e gente querendo que o Brasil participe de uma empreitada dessa..

Não temos nem a capacidade (leia-se: conhecimento de tecnologias avançadas o suficiente para permitir o salto tecnológico desejado), nem grana sobrando.

E no fim, vão comprar só 36 caças mesmo ( olhe lá se não for menos)…. não faz nem sentido. A prioridade de nosso Ministério da Defesa é “gerar emprego para milico” e não a defesa do país.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Zorann
12 dias atrás

Outro dia entrei em um post antigo lá do início da novela das corretas Tamandaré, tinha gente falando de AB, de PA com SH… Era um salada de ilusões totais!

Zorann
Zorann
Reply to  Carlos Gallani
12 dias atrás

Bem isso aí mesmo.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
13 dias atrás

Seria importante para a industria nacional participar do projeto, porém não podemos deixar de perguntar: 1) Precisamos desenvolver uma aeronave dessas? Resp.: Acho que seria interessante. 2) Nosso teatro de operação justifica o uso de uma aeronave dessas? Resp.: Não, os nossos adversários regionais não possuem nada tão moderno quanto um F-39. 3) Seriamos autorizados a comercializa-la pelo Mundo (imagino a infinidade de vetos dos envolvido)? Resp.: Certamente não! 4) Ficamos diariamente na torcida para a compra de um segundo lote de F-39, seria prudente desviar esse recurso (que praticamente não existe) para que o mesmo fosse aplicado num avião… Read more »

Jad Bal Ja
Jad Bal Ja
13 dias atrás

Na década passada a Saab estava trabalhando no projeto FS-2020 estudando varias propostas, ainda estava definindo se seria um monomotor ou bimotor. Depois a coisa deu uma esfriada, pareceu que ela ia se envolver no KFX coreano, depois no Tempest europeu. Agora será uma retomada do FS-2020?

Lucianno
Lucianno
13 dias atrás

Lendo o discurso do ministro da defesa da Suécia no fórum da OTAN observamos:
1) Que os suecos tem muito medo dos russos;
2) A grande preocupação com defesa cibernética, comunicação e inteligencia;
3) Não existe um projeto de caça de próxima geração, apenas a intenção;
4) Preocupação em se integrar com os vizinhos;

Eu apostaria que em um futuro próximo a Suécia abandone a neutralidade e entre para OTAN;

Salim
Salim
13 dias atrás

Governo Sueco agindo como sueco. Governo brasileiro terá que agir ou se omitir, daqui 40 anos outro tot talvez, espero que náo.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
13 dias atrás

Por isso estamos condenados à ser um Zé Ninguém. Olha a preocupação com o desenvolvimento contínuo. Estão na fase final de desenvolvimento do Gripen e já dão os primeiros passos no seu substituto. .

Carlson
Carlson
13 dias atrás

Eu imagino que sairá um caça stealth monomotor no mesmo molde do caça furtivo Shenyang J-31 da China e do F-35 americano mais de custo moderado

BrunoFN
BrunoFN
13 dias atrás

Acho q o Brasil tem chances bem reais de participar … certo q hj estamos no buraco .e o foco , ao menos, e garantir um segundo e terceiro lote dentro do FX . e o Gripen E acabou de sair do papel … e um projeto pra proxima década e ate la vamos estar melhores economicamente falando .. assim espero

Marcos10
Marcos10
Reply to  BrunoFN
13 dias atrás

Prezado,
O contrato do Gripen somente saiu por conta de financiamento do governo sueco. Certamente o mesmo governo não irá financiar a parte que caberia ao Brasil bancar no caso de uma eventual participação. E tradicionalmente o Brasil não é um bom pagador. Foi expulso de todos os programas em que se meteu justamente por falta de pagamento.

BrunoFN
BrunoFN
Reply to  Marcos10
13 dias atrás

Uma h isso vai ter q mudar ..ainda tenho fe .. e de nada adianta a FAB daki a 20 anos lançar um novo FX .. enquanto q a solução ja esta justamente nesse novo projeto SAAB … seria a logica

Angelo
13 dias atrás

O FX2 o governo vai começar a pagar quando terminar as entregas com exceção dos 900 milhões do cockpit e armas creio , com financiamento sueco se tiver força de vontade talvez não seja tão difícil.
O chato que o governo fica postergando pagamentos e os projetos vão ficando cada vez mais caros , qual era a cotação do dólar no início do projeto dos submarinos e quanto está agora que acho que ainda falta um golinho para pagar , se fosse feita uma alocação mínima por ano que não prolongasse muito o projeto ficaria mas leve o pagamento.

Alexandre
Alexandre
13 dias atrás

Chama nois

Gabriel BR
Gabriel BR
12 dias atrás

Acompanhemos de perto , quem sabe não teremos uma boa oportunidade…

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
12 dias atrás

Bom dia, lendo as postagens, percebi que muitos acham que não temos cacife para entrar neste projeto, que deveríamos comprar um 2o lote, mas não temos recursos, que iremos ficar apenas com os 36 originais, por favor, poderiam me ajudar a entender, para quê o Tot que pagamos tão caro, se não vamos usar, quando poderíamos ter adquirido um lote maior do mesmo ou de outro caça superior? Para mim o Tot serviria para FAB junto com Embraer desenvolverem um caça de geração acima ou participar na criação de um com outras nações. Para quê um caça superior, se no… Read more »

Lucianno
Lucianno
Reply to  Saldanha da Gama
12 dias atrás

Homenagem ao Almirante?

A questão é que no Brasil o todo planejamento é feito para 4 anos (prazo da eleição). Não existe uma continuidade nos projetos, consequentemente existe desperdício de recursos e conhecimento. Não estou criticando especificamente nenhum presidente. É uma questão cultural.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Saldanha da Gama
12 dias atrás

melhor comentário que já li aqui até hoje. Somente vamos desperdiçar recursos. O AMX nunca concluímos o programa.

Italo Souza
Italo Souza
12 dias atrás

Como o Brasil é lento, acho que vai perder mais essa oportunidade.

Jorge Knoll
12 dias atrás

Nos nem terminados de testar o Gripen BR, elles já estudam um substituto e mais moderno.

Fighting_Falcon
Fighting_Falcon
12 dias atrás

Entendo que antes de se candidatar a essa nova empreitada, temos que ao menos fechar um lote adicional, além de concluir outros programas em andamento como o KC 390, iniciar o KC-X com a aquisição de outras duas aeronaves de grande porte (previsão do programa), helicopteros (possível substituição de alguns de treinamento) e assim vai.

Daqui a uns 30 anos, vamos entrar como compradores dessa nova aeronave que vai surgir e vai estar em processo de MLU…

Infelizmente essa é a realidade independente do governo que esteja no poder.

Delfim
Delfim
12 dias atrás

A tecnologia stealth a cada dia se torna mais acessível, seja no desenvolvimento ou na simples aquisição.
O preço de um F-22 paga hoje 4 F-35.
Tenho fé que em 2030 estaremos não apenas pensando em caças de 5/6G mas em como obtê-los.
Não dá para ficarmos apenas de F-39 pelis próximos 30, 40 anos.

Marcos
Marcos
11 dias atrás

Corre lá que dá tempo de entra nesse grupo de desenvolvimento