Home Aviação de Ataque Colaboração Real 3 – Episódio 1: A importância do Gripen para a...

Colaboração Real 3 – Episódio 1: A importância do Gripen para a Força Aérea Brasileira

4314
84

Além da capacidade de se manter atualizado ao longo dos anos, o Gripen estará pronto para atender todos os tipos de missões, como guerra eletrônica, bombardeio e interceptações.

O caça também será responsável pela vigilância de 22 milhões de quilômetros quadrados e garantir a soberania do espaço aéreo do Brasil.

Confira o 1º episódio da 3ª temporada de Colaboração Real!

Subscribe
Notify of
guest
84 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ricardo
Ricardo
1 mês atrás

Essa quantidade de caças pode ser aumentada ? Para fazer uma distribuição por mais estados dos Brasil tipo 10 para cobrir a região Nordeste ou 20 para o Norte no Centro Oste 10 com mais Helicópteros de ataque e os A29 ,Isso é possível ou ou uma boa melhoria nos radares próximos a fronteiras com essa quantidade já pode garantir uma segurança área maior ? O uso de drones para ajudar nas patrulhas áreas também ajuda ?

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Ricardo
1 mês atrás

Todos querem mais unidades, mas com a situação econômica atual, isso deve ficar em stand-by. Com a melhoria da economia nos próximos anos e, em especial, levando-se em conta todo o investimento feito na linha de montagem da Embraer, vai ter muita pressão por um segundo lote. Seria uma pena fechar a linha daqui 5 ou 6 anos, com tão poucas unidades montadas, ainda mais sabendo que 36 unidades é pouco para um país de dimensões continentais como o Brasil.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Adriano RA
1 mês atrás

Com a situação econômica atual, ainda não fica em stand by. Será necessário verificar pós-vacina como estará a economia.
Não acredito que o projeto irá parar, mas a cadência de produção vai ficar bem lenta.
Sem dúvida o foco principal vai ser a recuperação da economia. Mas interromper projetos militares que trazer razoável valor agregado, será tratado como fora de conjitação. Principalmente os projetos como PROSUB, FX, Tamandarés, Guaranis, etc.

Ricardo
Ricardo
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Realmente como temos outros projetos e sem saber como vai ficar o país no amanhã eles vão ter que pesar tudo.

Ricardo
Ricardo
Reply to  Adriano RA
1 mês atrás

Verdade a falta de dinheiro dificulta muito e a galera que tem dinheiro não vai querer gastar e com isso fábrica vai ter problemas

Lu Feliphe
Reply to  Ricardo
1 mês atrás

Sim, é provável que eles vão adquirir mais unidades.
Para colocar mais aviões em certas regiões é necessário construir mais bases, pois atualmente o número de bases com caças por região é muito pouco.

atirador 33
atirador 33
Reply to  Lu Feliphe
1 mês atrás

Prezado Lu Feliphe, na minha opinião já temos as bases bem distribuídas em nosso território: Manaus e Porto Velho região norte, Natal nordeste, Anápolis e Campo Grande centro oeste, Rio de Janeiro Sudeste, e Canoas Sul, algumas acredito não ter estrutura para receber caças como Campo Grande e Porto Velho, porem não seria necessário construir do zero. Sonho mesmo seria Base de Natal, servir a marinha com F-18 e a força aérea ter uma base para cobrir nordeste e parte sudeste com Gripens, isso seria um sonho.

Flanker
Flanker
Reply to  atirador 33
1 mês atrás

Alguns complementos ao seu comentário:

Hoje, a FAB opera caças a jato F-5 e A-1 nas alas 2 (Anápolis), 3 (Canoas), 4 (Santa Maria), 8 (Manaus) e 12 (Santa Cruz). As Alas 5 ( Campo Grande), 6 (Porto Velho), 7 (Boa Vista) e 10 (Natal) operam os aviões turboélices A-29 de ataque leve e de interceptação de trafegos ilícitos de baixo desempenho. Todas essas instalações podem operar caças, com algumas adequações para cada tipo de aeronave. Acredito, portanto, não ser necessário criar novas bases/Alas.

Lu Feliphe
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Flanker, eu ouvi dizer que há algumas bases onde a estrutura é péssima e que precisa de reformas, não duvido que tenha de haver reformas para que essas regiões possam abrigar caças.
Mas de qualquer forma espero que se adquiria mais unidades da plataforma sueca para que possa ser operado em mais bases pelo país.

Ricardo
Ricardo
Reply to  Lu Feliphe
1 mês atrás

Além de reforma elas poderia ter ser mais integradas também

Flanker
Flanker
Reply to  Lu Feliphe
1 mês atrás

Reformas e adequações sempre são necessárias quando um novo equipamento irá operar. Quando o A-1 foi implantado na BASM, hoje Ala 4, foram feitas muitas obras, com construção de 2 grandes hangares para manutenção de sistemas e equipamentos, além de várias outras obras. Agora mesmo, em Anápolis, estão sendo realizadas ampliações e adequações em estruturas físicas para receber os KC-390 e os F-39.

Ricardo
Ricardo
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Entendi, como eu escrevi em outro comentário seria a grosso modo de falar nossas bases com as devidas mudanças e preparar elas para operar de um pequeno ao maior avião que possamos ter já facilitaria a manutenção e segurança de todos

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Sem falar nas Bases de Desdobramento de São Gabriel da Cachoeira – AM, Cachimbo-PA, etc.

Lu Feliphe
Reply to  atirador 33
1 mês atrás

Atirador, na realidade, se olhar em certas extensões como a região Norte ter apenas uma base com um pouco números de caças me faz pensar que deveríamos ter mais uma na região.
Mas se a fab tem em planejamento ter apenas uma então creio que eles conhecem a situação, espero que venham mais unidades da plataforma sueca e que a Marinha tenha uma base na região Nordeste.

Ricardo
Ricardo
Reply to  atirador 33
1 mês atrás

Uma boa reforma e melhoria nessas bases já pode deixar elas com uma configuração que permita o acesso ao modelo de avião que temos e para os futuros modelos também tipos uma oficina que pode entrar de uma moto até um caminhão isso a grosso onde de pensar assim ?

Ricardo
Ricardo
Reply to  Lu Feliphe
1 mês atrás

Como o atirador 33 escreveu, bases eu acho que temos sim elas estão e precisando são de umas boas reformas e integração das 3 forças que eu acho que juntas ela ia funcionar muito bem em algumas partes do país

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Ricardo
1 mês atrás

Tudo indica que ao menos a segunda encomenda vai rolar(o que já leva pra 72 aeronaves) mas, segundo textos afins, a FAB pretende ou pretendia chegar a 108 aeronaves. Aguardemos de dedos cruzados torcendo pelos 108 q ficando nas 72 já vai ser lucro.

Michel C
Michel C
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Tomara que o pedido seja atrelado a uma venda de C-390 aa Suécia

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Infelizmente os programas militares aqui no Brasil se limitam a menor quantidade possível, antes até acreditava em um segundo lote de 36 , mas o advento COVID e a conta que o mesmo exigirá fica difícil em acreditar em aquisições de vulto…..vamos aguardar…

marcus
marcus
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Não seria melhor ficar com os possíveis 72 caças, e associar-se com a Suécia ou outros países para projetar um caça de sexta geração? Ou entrar em um projeto que já esteja em andamento?

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Ricardo
1 mês atrás

Caro Ricardo, A localização que o vetor aéreo de caça ficará baseado não é o fundamental no momento. Em combate, o Gripen é uma aeronave das mais fáceis de ser desdobrada nas principais bases aéreas do país, inclusive, de bases não preparadas. A questão da pouca quantidade… ninguém mais do que a FAB sabe da necessidade e quer maior quantidade. A quantidade adquirida (36) não é suficiente para repôr os vetores que estão sendo desmobilizados, não é suficiente para cumprir todas as missões que ele pode e que o Brasil DEVE cumprir (Superioridade, Interdição, CAS, EW, ASuW…), não é suficiente… Read more »

Ricardo
Ricardo
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Entendi, vamos ter que esperar passar essa momento, até a fábrica ou o primeiro avião chegar e ver o que vai ser feito, o uso de drones para ajudar o patrulhamento aéreo poder ser uma boa ?

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Ricardo
1 mês atrás
Ricardo
Ricardo
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Muito agradecido, as vezes acaba passando alguma reportagem

nonato
nonato
Reply to  Ricardo
1 mês atrás

Aparentemente você é leigo (igual a mim) e novo aqui na trilogia (corrija-me se estiver enganado). Acredito que os demais colegas já explicaram um pouco a situação. Mas acrescento algumas informações. O gripen não é o caça mais poderoso do mundo (e tirando o F 22 é difícil dizer qual é melhor), mas é o caça mais avançado que o Brasil já teve. Provavelmente nunca tivemos caças novos no estado da arte. Já tivemos mirage, que foram um avanço importante na época, mas vieram de segunda mão, os primeiros F 5 se não me engano vieram novos. Em resumo, há… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  nonato
1 mês atrás

Nonato, os primeiros 17 Mirage III vieram novos de fábrica, mas já na época não eram o estado da arte em tecnologia. Os restantes 15, que vieram em lotes posteriores, eram usados. Os 12 Mirage 12 eram usados. Os primeiros 42 F-5 (6 B e 36 E) eram novos. Depois vieram 26 usados dos EUA e 11 usados da Jordânia. A FAB possui 48 F-5E/F em carga. Dos 56 A-1 adquiridos, 5 foram perdidos em acidentes, 2 viraram monumentos, vários outros já foram desativados e, portanto, restam ao redor de 20 operando na ala 4.

Lu Feliphe
Reply to  nonato
1 mês atrás

nonato, essas comparações de o mais poderoso são mais propagandas. Para o cenário nacional ele sem dúvida é o melhor. Acho improvável a escolha ou compra de oportunidades de caças Americanos, o f 35 é muito caro e não falo do preço unitário mas sim a manutenção e o pós compra. O f 18, a Marinha iniciou um estudo mas serão da versão Hornet não Super Hornet, teríamos de esperar os Americanos colocar em venda algumas unidades, mas acho improvável a Marinha tentando ajustar os programas dentro do orçamento ter caças como o f 18. Os caças f 5 assim… Read more »

Ricardo
Ricardo
Reply to  nonato
1 mês atrás

100% leigo, eu sei que tem outros caças muito melhores no mercado ou que estão em desenvolvimento, mas eu to vendo de uma forma que vamos trabalhar com o que temos na mão no momento, eu queria ver o nossas A29 mais parrudo ou ate um novo projeto no AMX, mas a nossa visão que temos e que se melhorar as forças armadas e perigoso pois aqui teve ditadura regime militar então não podemos confiar neles essas palhaçadas, pois o certo e pensar que mesmo o meu vizinho está de olhos no meu almoço, com isso projetos que podem melhorar… Read more »

Douglas Rodrigues
Douglas Rodrigues
Reply to  Ricardo
1 mês atrás

A aquisição de novos lotes é quase obrigatória, principalmente pelo Brasil estar construindo uma unidade da SAAB/Embraer para a montagem dos caças. Deixar essa “indústria” ociosa seria um tiro no pé! Novas vendas para países da América Latina? Será que algum país teria cacife – dada a situação atual da economia – para adquirir mais que uma dúzia deles? Quem sabe apenas a Colômbia, pois o Chile tá querendo renovar seus F-16, o Peru parece ter adotado os vetores russos definitivamente, Argentina tá numa quebradeira… Outros países estão em situação pior! Então, é natural que a unidade daqui esteja ocupada… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Ricardo
1 mês atrás

Já temos bons radares em nossas fronteiras. Mais cinco E-99.

Ricardo
Ricardo
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Eu devo está errado, além do e99 o uso de drones com as mesmas tecnologias de rastreamento área e a versão para patrulhar o mar também seria uma boa ?, eu sei que tem que melhorar na questão dos radares seria para eles pegarem algumas áreas maior? Pois eu já li que ate dentro do Brasil tem pontos cegos oi isso melhorou ?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Ricardo
1 mês atrás

Qualquer radar sobre o efeito da curvatura da terra, e tem menor alcance nas baixas alturas. Drone pra aumentar cobertura radar? Explique.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

* sofre o efeito…

Ricardo
Ricardo
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Os drones na minha visão, com a mesma tecnologia do E-99 de rastreamento aéreo e terrestre ou uma versão marítima poder complementar e talvez até sair mais barato do que um vôo de um e-99 ou do Órion, em relação as melhorias no radares que eu acho seria os que estão nos Estados que fazem fronteiras com radares para ter atenção nos voos de em baixa altitude, com o drone podendo voar mais tempo é caso fosse necessário esse drones versão marítima com um sistema para lançar boias.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
1 mês atrás

Bacana demais. Fiquei foi com uma pulga atrás da orelha quanto ao evento o qual se percebe no vídeo que conta com o atual ministro da defesa. Será que houve algum evento de grande vulto com relação ao Gripen recentemente, digo, não agora na pandemia?

Lu Feliphe
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Creio que para ressaltar a parceria entre os dois ele estava lá, a empresa sueca já disse que não iria afetar as linhas de produção, mas isso poderia mudar.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

As imagens tanto do Min da Defesa, quanto do Brigadeiro, são do evento de Setembro do ano passado na Suécia. Abs.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
1 mês atrás

O matador de Sukhois está chegando, aguardemos. Espero que não parem em 36 unidades, o ideal era uns 130. Mas 36 já é um bom começo.

Lu Feliphe
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Embora ele seja capaz de fazer isso principalmente quando é considerado o melhor caça em guerra centrada em rede, não acredite muito em propagandas de empresas.

Lu Feliphe
1 mês atrás

Sem dúvida um ótimo caça, com a participação Brasileira em certas partes da Avionica vamos adquirir conhecimento para quem sabe no futuro possamos construir uma aeronave avançada nacional.

Paulo Lahr
Paulo Lahr
1 mês atrás

Quando o Brasil se tornou independente, Dom Pedro I se tornou Imperador, e nao Rei, como era o teu pai. Por que o Brasil era um pais de dimensoes Imperiais. E o Brasil continua sendo. Anapolis Santa Cruz Canoas Manaus Natal – trainning O minimo necessario, para a cobertura do nosso Brasil, eh termos ou 6 ou 7 esquadroes com o F39, distribuidos nestas 5 unidades. Com as seguintes bases Boa Vista Belem Campo Grande Porto Velho Salvador Santa Maria Nao possuindo unidades fixas, mas preparadas para receberem tais aeronaves em caso de necessidade. Na minha visao, 84 unidades distribuidas… Read more »

Lu Feliphe
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

O Brasil por ter um grande território, tem de ter grandes sistemas de comunicações integradas para facilitar o acesso de comunicações tanto nas fronteiras quanto em lugares isolados.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

Que viagem kkk O Brasil não se tornou império porque o território é vasto mas porque o soberano, tal qual os imperadores de Roma, foi aclamado pelo povo. Por esse motivo tem-se um “rei com grandeza” e daí um imperador. Voltando ao que interessa a reestruturação da FAB em alas se deu justamente pelo motivo que cita e se não me engano apenas Santa Maria, dentre os locais que citou, tem hoje um esquadrão de caça. E o número ideal (108 und) de Gripens da FAB é justamente para prover 9 esquadrões para o país. Ao menos está correta a… Read more »

Paulo Lahr
Paulo Lahr
Reply to  Filipe Prestes
1 mês atrás

Nao eh viagem, deve ser que o meu livro de historia difere do teu. Sendo assim o II seria Rei..rs

Na minha visao o minimo necessario seriam 7 esquadroes, de aeronaves de primeira linha. Claro que, 9, atendem melhor as nossas necessidades.

Por enquanto nem 7, muito menos 9 estarao equipadas com o Gripen.

Paulo Lahr
Paulo Lahr
1 mês atrás

off topic. Creio que eh a hora do Brasil iniciar o desenvolvimento de um aviao intermediario, para substituir o AMX, para atuar entre o A29 e o F39. Eh necessario um aviao entre os 2 vetores.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

Mas e a grana pra isso, cadê?

Paulo Lahr
Paulo Lahr
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Se a Defesa fosse prioridade teriamos esta grana. Nao somos pobres, ‘somos’ incompetentes.

JSilva
JSilva
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

Se você analisar por indicadores como renda per capita, idh, somos pobres sim, o tamanho do PIB se deve a sermos uma país populoso e não porque somos ricos. Agora se você falar que além de pobres somos incompetentes ou que somos pobres porque somos incompetentes aí eu concordo.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

Prioridade sobre o que? Saúde, segurança (não confundir com defesa), economia e educação? Impossível. E o Brasil tem uma carência enormemente brutal em quase todas as prioridades reais apontadas. A prioridade nos próximos anos, pós-pandemia, será a economia e organização da saúde com foco principalmente na questão sanitária. Você falou que “Não somos pobres, somo incompetentes”. Referente a segunda parte, concordo. Em outros países, é unânime nivelarem o gerenciamento brasileiro por baixo. A grande maioria dos gerentes aqui acha que se cria lá fora com o “jeitinho” e nossa famosa “malandragem”. Quebram a perna na primeira. Já na primeira declaração,… Read more »

Lu Feliphe
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

Não seria necessário ter um caça bombardeio, a plataforma sueca pode fazer essas missões.

Paulo Lahr
Paulo Lahr
Reply to  Lu Feliphe
1 mês atrás

Sim, o Gripen pode realizar. Mas ao custo de 1 para 3. Desenvolver um vetor mais barato, especialista em missoes de ataque ao solo, com uma capacidade reduzida no combate ar-ar. Um novo AMX. Desenvolvido no Brasil, talvez com uma parceiro internacional, India…sei la. Uma plataforma mais barata, com grande oportunidade de exportacao.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

Amigão,

A única situação que vejo para isso são os LIFTs que podem ser transformados em avião de ataque ou interceptadores de aeronaves civis a reação, coisa que o ST não consegue pegar.
Seria interessante? Acho que sim. Mas a FAB tem MUITOS projetos estratégicos prioritários na frente, antes de tocar isso.

Agora, desenvolver um próprio? Nem f…do! Mercado já está saturado desses vetores. Até um vizinho quebrado nosso aqui do lado produz isso.

Abraços.

Flanker
Flanker
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

É necessário? Categórico assim? Desenvolva seu raciocínio…..

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

Quem disse que é necessário? o COMPREP? A UAE?

Luis
Luis
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

Não sei porque outro treinador! O T-27 sempre realizou muito bem esta função! Simuladores e aeronaves de 2 assentos, precisa mais que isso?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Não vejo a hora deles estarem voando nos céus brasileiros. Estamos precisando para ontem.

Vitor
Vitor
1 mês atrás

Já existe data para quando o 4001 virá ao Brasil para realizar testes ?
Os testes serão realizados a partir de que Base? Anápolis?

MMerlin
MMerlin
Reply to  Vitor
1 mês atrás

Sinceramente, ou vem depois da pandemia ou em modo stealth.
Pode ser um prato cheio para a mídia utilizar politicamente o contrato e virar o apoio popular contra o projeto.

OSEIAS
OSEIAS
1 mês atrás

Escolha perfeita para nosso país, ótimo vetor, moderno atual, de operação mais barata, com parceiro realmente interessado me fazer parceria e não uma sangue suga como Boeing. Foi a melhor tacada que demos em anos.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  OSEIAS
1 mês atrás

Realmente Oseias, demorou muito mas quando saiu ,saiu saindo .rs
O que este avião agrega e o nível ao qual ele elevará a FAB são incomensuráveis .

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  OSEIAS
1 mês atrás

Falando neles,eles irão se juntar a antonov,provavelmente para “ajudá-la” a se reerguer…

Sergio
Sergio
1 mês atrás

Enquanto o Gripen decola o F-35 atola….
Hi !!! Rimou !!! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Cristiano Salles (Taubaté-SP)
1 mês atrás

Embraer deveria se fundir com a Saab…, depois que a fusão com a Boeing não deu certo…, acho que seria muito bom para a Embraer, aumentar sua expertise e portfólio e aumento do ativo da Saab no mundo…

Minha opinião…

sergio ribamar ferreira
1 mês atrás

Acredito que o projeto de outro caça seria aconselhável(não colocaria apenas um para todas as missões). Para isso necessita de dinheiroooooo!. Creio que projetos existam. Sobre o Kc 390 da mesma forma poderíamos ter aquisição de mais alguns Hércules pois são distintos em missões. repito para isso necessita de planejamento e dinheirooooo! Grande abraço.

JSilva
JSilva
1 mês atrás

Assim como a FAB desistiu do caça tampão e da modernização do A-1 para priorizar o Gripen, entendo que deve haver uma nova priorização para contratar esse segundo lote, já chegou a hora de realizar novos estudos sobre o real efetivo necessário para realizar a missão, é o única gordura que eu consigo enxergar no orçamento.

filipe
filipe
Reply to  JSilva
1 mês atrás

Eu acho que o Brasil deveria ficar apenas com os 36 Gripens que contratou, o dinheiro do segundo lote seria para Aeronaves de 5ª Geração (F-35, J-20, Su-57, F-22,etc), o Gripen é aeronave de 4ª Geração, não deveria ser prioridade em 2026, a essa altura muitas das nações já estão ensaiando caças da 6ª Geração, e o Brasil lutando para a aquisição de um segundo lote de caças de 4ª Geração.

JSilva
JSilva
Reply to  filipe
1 mês atrás

Eu concordo em parte com você, mas entendo que essa preocupação de 5ª ou 6ª geração na FAB não é pra essa década e sim para a próxima, primeiro a FAB precisa ter uma espinha dorsal, com uma base de 72 caças de 4ª geração podemos questionar a necessidade de um terceiro lote numa década (2030) em que os caças de 5ª geração estarão mais consolidados e operacionais. Lembrando que essas nações que estão pensando na 6ª geração, e mesmo a 5ª geração, não são a realidade do nosso TO.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  filipe
1 mês atrás

Que sonho 🤔🤔😂😂‼️ Meu caro, f-22 nem usado quanto mais novos… Os eua não repassaram nem para seus vassalos mais devotados, dificilmente passaria para um Brasil da vida… Su-57,J-20🤔🤔⁉️ Para quê ⁉️ a defesa brasileira só de falar em armamento russo já sente urticaria, nunca terá armamento sino-russo além dos que já possuímos… Você acha que 36 caças serão suficientes para a defesa do espaço brasileiro 🤔⁉️ E caças f-35 para quê 🤔⁉️ Lutar contra quem🤔⁉️ No momento não iremos enfrentar nenhuma potência nuclear, delas as unicas que poderiam nos ameaçar são os americanos e chineses, que tem meios para… Read more »

rui mendes
rui mendes
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Ficamos informados, que as outras potências nucleares, não conseguem pôr meios militares, em outro continente.
Isto é só curiosidade, pois ao contrário de muitos, eu sei que nenhuma dessas potências, são inimigas do Brasil, antes pelo contrário, sempre tiveram relações de grandr amizade, apenas interrompidas actualmente, e por parte do presidente do Brasil, que segue o seu mestre do norte, mas o futuro dirá, se foi uma boa estratégia.

Lu Feliphe
Reply to  filipe
1 mês atrás

Filipe, como o JSilva escreveu não é a preocupação atual da fab, é necessário ter uma frota moderna de caças 4gen para depois ter uma estrutura de desenvolvimento e planejamento.
Atualmente não necessitamos de caças de 5 geração devido a nossa geopolítica atual, orçamento e nosso teatro de operações que não é o mesmo desses países.

angelo
angelo
1 mês atrás

Porque 22 milhões de Km 2? Temos 8 mihões de km2….. área do Brasil. O q o Brig. quis dizer?

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  angelo
1 mês atrás
angelo
angelo
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Obg GFC.

horatio nelson
horatio nelson
1 mês atrás

talvez possamos ter mais gripens em um tempo mais curto,devido ao virus chines o brasil precisará reaquecer a economia reendustrializar,serão necessários investimentos como se posse um pac e nisso a defesa pode se beneficiar já que temos um lider querido e amado simpatico a area de defesa.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  horatio nelson
1 mês atrás

O país estará muito mais quebrado depois da pandemia do que já estava antes. Não haverá dinheiro para nada. Com isso as prioridades serão outras que não a compra de equipamentos.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

seria um investimento industrial,veja quantos empregos diretos e indiretos isso traria ao brasil,veja os submarinos e os gripens futuramente serão produzidos aqui…muitos empregos no brasil

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  horatio nelson
1 mês atrás

Se pode gerar muito mais empregos na construção civil. Certamente empregos mais simples, com menor remuneração pois não é um setor de alta tecnologia. Mas depois da pandemia será mais importante a quantidade do que a qualidade dos empregos.

Lu Feliphe
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

O setor de defesa é um setor de alta tecnologia sim.
Só no desenvolvimento conjunto há empresas Brasileiras trabalhando em certas partes eletrônicas, como o wide area display e recentemente foi anunciado que o sistema IFF será de desenvolvimento nacional.
No caso da construção dos novos submarinos, são várias empresas nacionais fornecendo desde materiais eletrônicos como peças.
Fora que não são apenas empregos diretos como também indiretos ou seja vão ser o trabalhador desde o profissional ao vendendor de salgados que ganharão com isso.

Wagner
Wagner
1 mês atrás

O que impede o governo federal nesse momento de dólar alto sacar 100 BI das reservas em dólares e investir nas forças armadas? Precisa do congresso pra trazer esse dinheiro ou e apenas uma decisão do ministro da economia? Trazendo com um espaço de uns dois meses de 20 em 20 BI não valorizaria muito o real e dava pra virar uns 500 BI de real. O gripen sendo feito aqui dava pra chegar em uma centena e sobrava dinheiro pras outras forças. Lógico que teria um problema de orçamento pra manter tudo isso, mas imagino que equipamentos novos e… Read more »

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Wagner
1 mês atrás

“O que impede o governo federal nesse momento de dólar alto sacar 100 BI das reservas em dólares e investir nas forças armadas? Precisa do congresso pra trazer esse dinheiro ou e apenas uma decisão do ministro da economia? Trazendo com um espaço de uns dois meses de 20 em 20 BI não valorizaria muito o real e dava pra virar uns 500 BI de real. O gripen sendo feito aqui dava pra chegar em uma centena e sobrava dinheiro pras outras forças. Lógico que teria um problema de orçamento pra manter tudo isso, mas imagino que equipamentos novos e… Read more »

Wagner
Wagner
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Reserva não serve mais pra proteger o real, w prova está onde estamos. Com juros baixo o dólar fica fraco, juros alto o real fica forte. Não estamos sofrendo ataque especulativo pra se defender vendendo reserva pra este fim.

Icarus
Icarus
1 mês atrás

36 caças para 22 milhões de kilometros quadrados é muito pouco, pior que isso foi levar décadas para construir um submarino nuclear que não pode levar armamento nuclear.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Icarus
1 mês atrás

creio q a forma correta de se referir ao tempo do sub nuc é seculo!

marcos resende carvalho
marcos resende carvalho
1 mês atrás

Bom dia

Desculpem fugir um pouco do assunto mas, quando fizeram a “Avaliação” do Gripen junto ao Rafale, também fizeram o inverso ? Ou foi só para “Avaliar” o Gripen mesmo ???