domingo, maio 9, 2021

Gripen para o Brasil

Projetos alternativos do F-5: ‘Super Tiger’ e ‘Big Wing’

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Em 1978, a Northrop Advanced Design estava trabalhando para desenvolver o F-5 monomotor equipado com um GE F-404, que se tornou o F-5G Tigershark, mais tarde rebatizado como F-20.

Ao mesmo tempo, a Northrop estava trabalhando no projeto F-18L, derivado do YF-17.

O pessoal envolvido no projeto do F-18L também desenvolveu um design para um F-5 Super Tiger com asas nos ombros (com mais pilones e capacidade de armazenamento) e extensões LEX similares às do YF-17 sobre as entradas de ar.

A ideia acabou não convencendo.

Por sua vez, o F-5 Big Wing levaria mais pilones para armamentos e poderia dobrar as asas. O modelo mostrado tem as marcas da US Navy.

F-5 Big Wing

FONTE: Secret Projects – UK

- Advertisement -

68 Comments

Subscribe
Notify of
guest
68 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
OSEIAS

Rapaiz …

Rui Chapéu

Parece um mini F-18.

O F-18 original já era perna curta, imagina esses F-5 com tudo esses cabides ai, não é a toa que não vingou esse projeto.

IBIZ

E não tem nenhum modelo ou ilustração desse F-5 “Big Wing” com os trens de pouso pra dar alguma noção de como séria. Mas que é um design mais bonito que o F5 original isso é!

Carvalho2008

Segue
comment image?ssl=1

JuggerBR

A General Dynamics não deve ter ficado feliz com estes desenhos…

Fabio Araujo

A longevidade do F5 prova a qualidade do projeto, estas versões poderiam ter dado muito certo principalmente essa versão com cara de F18 pena que não seguiram adiante.

Clésio Luiz

Uma pena que o F-5G/F-20 não incorporou uma asa maior, não tanto quanto esse “Big Wing” aí (que parece aumentar muito o arrasto), mas algo suficiente para trazer de volta a carga alar ao nível do F-5E ou um pouco melhor. Um dos motivos do F-5 ser tão leve é o artifício de usar uma asas em peça única, que passa por baixo da fuselagem. Assim se diminui a quantidade de reforços na fuselagem para conectar a asa, aliviando o peso. É um recurso antigo, porém eficiente, usado inclusive no F-4. Fico imaginando se eles teriam que abandonar isso no… Read more »

Clésio Luiz

Outra encruzilhada na evolução do F-5 eram os motores. A GE J85-21 era provavelmente o mais avançado turbojato já colocado em operação, com uma relação potência/peso de 7,5:1 (7,5 kg de empuxo para cada 1 de peso), isso é nível da P&W F100, o mais avançado motor de caça dos anos 1970. Mas sendo um turbojato carecia da economia oferecida pelos turbofan como o F100. Uma nova versão da J85 poderia oferecer mais potência, porém o alcance do novo F-5 fatalmente ficaria o mesmo do anterior. Usar um derivado do J85 modificado para turbofan (como o GE CF700) deixaria a… Read more »

Luiz Galvão

Clésio, boa noite.

Não sou conhecedor de aviação, mas vou dar minha opinião: Na década de 70 a URRS estava dando ou vendendo a preço de banana o MIG21 para equipar seus aliados com um caça a jato de baixo custo. O projeto do F5 foi a resposta dos EUA a esse movimento da URRS , ou seja, acho que as outras variantes/modelos apresentados na matéria não foram adiante exatamente por conta de , por serem versões mais partidas do F5 , os seus custos de aquisição e operação seriam maiores também.

Abs.

Luiz Galvão

Correção: partidas -> parrudas

IBIZ

Esse design não séria instável pra voar sem fly-by-wire?

Blind Man's Bluff

Nao.

Carvalho2008

Ai sim Mestres Editores!!!!

Rzrzrz….

Podiamos abrir cada vez mais espaço para discussões dos projetos da industria bélica, em especial aqueles que não chegaram a operar.

O assunto é riquíssimo, ensina como funcionam os processos de decisão e mostram que em absoluto, um projeto que não chegou a ser produzido não significa que era ruim ou deficiente. Excelentes equipamentos são desenhados e muitos deixam de virar uma realidade muito mais por alinhamento politico industrial e lembrando, o que é bom para um pode ser excelente para outro e vice versa

Carvalho2008

O F-5 Big Wing parecia interessante, mas era uma ideia mais antiga bem anterior a 1979. Era ainda dos primordios do F-5 e pretendia ser uma opção para mobiliar os Nae remanecentes ainda da WWII que ja nao podiam operar os enormes caças que estavam surgindo. Seria uma caça ainda assim de defesa de ponto e haveria um aumento de carga de combate, mas como tal, perna curta. A US Navy ja havia entendido que investiria em caças de extremo alcance e consequentemente aposentadoria de todos os Nae antigos

Carvalho2008

Eu costumo considerar o F-5 com asa no ombro como o verdadeiro F-5G pois o F-20. Era quase um redesenho completo. Para mim, da famosa série “e se”, o Brasil poderia ter encaixado na compra dos direitos do F-5 , e seria assim um equivalente ocidental ao JF17 e FTC-2000. Ele com estas asas nos ombros estaria mais domesticado em baixas velocidades. Ou seja, seria hoje um caça com desempenho na borda superior dos mais modernos LIFTs e lembro que havia na década de 80 e 90 uma empresa que vendia os kits de conversão do F-5 monoposto para biposto.… Read more »

Italo Souza

Acho que teria vendido muito

Ivanmc

Esse é o Tigre! Eu achei parecido com o JF-17. Bela matéria!

Willber Rodrigues

F-20, ou “saudades do que a gente nunca viveu”

Ricardo Bigliazzi

Também sempre gostei da versão. Pena que não vingou. Acho que iria voar muito.

Clésio Luiz

Um exemplo de como você pode melhorar muito um desenho de caça é o F-104 e o Mirage F1. O F-104 foi resultado da busca por desempenho a qualquer preço. Isso resultou na asa de tamanho mínimo e na cauda em T com deriva pequena. A asa resultou em longas corridas de decolagem e pouso, além de péssimas taxas de curva à velocidades abaixo da região transônica (mach 0,9 até 1,3). Já a cauda em T resultou numa seria limitação de angulo de ataque, pois a cauda perdia o controle em ângulos muito menores que seus concorrentes, como o MiG-21… Read more »

Carvalho2008

O starfighter era dos mais lindos ja construidos…fazia jus ao nome caça estelar!!! Era focado em subir rapido de fato como um foguete para interceptar. Literalmente quase um avião sem asas Existiram algumas propostas como o CL-200 e uma muito interessante ma qual a cabine era recuada (acho que o projeto de caça parasita) recuada a 35% da fuselagem como eram as cabines dos cacas na WWII e o Brasil co e dianteira tinha uma baia interna de misseis ar ar em tambor rotativo Outra que seria interessantíssima era a proposta por Ryan para um CRW-Canard Rotor Wing usando a… Read more »

Carvalho2008

Errei o nome. O CL-1200 foi a tentativa de melhorar o F-104 dando asas montadas costas e aumentando sua superficie alar
comment image

Carvalho2008

E que depois derivou o prototipo X-27 com as tomadas de ar quadradas
comment image

Clésio Luiz

Será que existe uma visão desse Lancer de cima para observar o formato das asas?

Carvalho2008

Aqui está
comment image

Leandro Costa

Carvalho, o Lancer sempre me lembra daquela proposta da McDonnel Douglas de desenvolver uma versão do F-4 com asas de geometria variável.

Carvalho2008

Esta era a proposta Ryan VTOL
comment image

Ivanmc

Belas ilustrações, Carvalho2008.

Carvalho2008

comment image

Isto seria muito interessante e foi uma ideia contemporanea ao projeto do Harrier

Carvalho2008

Eu acabei tempos atras, fazendo uma versao do F-104 VTOL Ryan

Eles desejavam a epoca um airframe de caça pequeno e estreito para não atrapalhar o fluxo de ar da helice. Mas imagino que ficaria praticamente sem carga de combate ou combustível. Então, modifiquei o original e tirei o motor da caverna central na fuselagem e instalei dois externos com um certo grau de desvio lateral. A vantagem, é que toda a caverna do motor agora serve para tanque de combustível

Carvalho2008

comment image?ssl=1

Carvalho2008

comment image?ssl=1

comment image?ssl=1

Carvalho2008

comment image?ssl=1

Carvalho2008

comment image?ssl=1

Carvalho2008

comment image?ssl=1

Carvalho2008

comment image

Carvalho2008

comment image

MFB

Não acredito nisso escrito aí. Esse é o projeto se sexta geração dos iranianos. 😁

Marcelo Andrade

Legal essas curiosidades! Muito bom!! Mas, não dá idéia…….. (FAB, não veja essa notícia) kkkkk

Carlos p silva

Putz. Tira essa matéria do ar…. Não dá ideia. É capaz de cancelarem o contrato do Gripen e F5 forever

Luiz Trindade

Tinha de ver se era viável em termos de aerodinâmica… Eu vejo que se a Northrop tivesse conseguido autorização para vender o F-20 Tigershark para países que não tivessem tanto dinheiro mas vontade de atualizar seus caças seria interessante para o Brasil até então. Mas enfim… Bola para frente que atrás vem gente…

Carvalho2008

A epoca se boatava que ofereceram a linha de producao e ferramental de porteira fechada ao Brasil

Karl Bonfim

O que é isso, mais uma modificação iraniana? Fala sério!

Carvalho2008

O F-5 teve uma serie de testes de variantes de asas, cada uma com uma vantagem ou desvantagem

comment image?ssl=1

Carvalho2008

comment image?ssl=1

Carvalho2008

comment image?ssl=1

Carvalho2008

comment image?ssl=1

Tomcat4,2

Em pensar que o F-20 TigerShark já extrapolou as expectativas de seu projeto e tão bom que ficou. Era pra ter vendido as favas e colocaria areia na farofa do F-16.

Carvalho2008

comment image?ssl=1

De entusiastas

Fabio Araujo

Já estava me lembrando dos iranianos! Fora essa acho que projetaram outra versão local do F5, mas não sei se chegaram a fazer algum protótipo delas!

Carvalho2008

comment image
E o famoso fake que fez frissom na web

Luis

Interessante… mas isso seria possível tecnicamente falando?

Carvalho2008

O CFT no F5? Acho que sim

Tomcat4,2

Mas que ficou legal ,ahhh ficou viu. Pense nisso (CFT) no F-20. 😉

Carvalho2008

Rzrzrz ficou sim…lembro que a epoca foi uma polvorosa pois todos ficavam tentando analisar a foto de tao bem feita, e acreditavam ser um teste da FAB… mas era um photoshop bem feito…rzrzrzrz

Ricardo Bigliazzi

O F-5 é um projeto espetacular. Em 1954 os engenheiros começaram a conceber o menino. Acredito que 95% da audiência do blog nem era nascida. Acredito que pelo menos 40% a 60% dos Pais da audiência do blog nem eram nascidos. E o F-5 ainda levanta voo todos os dias, nas inúmeras versões e aperfeiçoamentos em inúmeras Forças Aéreas, inclusive na maior e mais avançada Força Aérea do Mundo.

Que aviãozinho tinhoso.

IgorLima

Não deixem a FAB ver essa matéria… rs

Carvalho2008

E os ensaios iranianos
comment image

Carvalho2008

comment image

Carvalho2008

comment image

Carvalho2008

Perdi em minha biblioteca a indexação deste, mas salvo engano foi um estudo com a fuselagem do F-5 tambem
comment image?ssl=1

Carvalho2008

comment image?ssl=1

Carvalho2008

comment image?ssl=1

Carvalho2008

Será que haveria um efeito multiplicador de carga como o F-16XL???

Carvalho2008

comment image?ssl=1

Luiz Floriano Alves

A Força Aérea Americana não admite caça “Leve”. Os F-5 foram produzidos, a partir do T-38 para ser um caça de exportação. O F-104 foi considerado “Leve” também. Ficou para a OTAN dispor de um caça que interceptasse bombardeiros Soviéticos. Além de causar uma onde de escândalos que atingiram até um príncipe consorte. Ou com azar. Se fosse aqui não dava nada. Era só transferir a grana para um paraíso fiscal.

Pablo Maroca

Eu choro quando vejo os F5, simboliza a união com nossos amigos inseparáveis do norte.

Grandes aventuras esse caça viveu protegendo nossos céus.

Espero que no futuro Bolsonaro atráves da amizade com o Trump traga alguns F16, sentiria muito orgulho de sentar no cockpit deles.

Reportagens especiais

Os AMX da FAB no Red Flag 98-3

Os AMX (A-1) brasileiros também mostraram sua capacidade no Exercício Red Flag, em Nellis nos EUA. Em agosto de 1998,...
- Advertisement -
- Advertisement -