Home Força Aérea Brasileira Raytheon modeniza radares da Força Aérea Brasileira

Raytheon modeniza radares da Força Aérea Brasileira

5102
40

A Raytheon Co., uma das maiores empresas de defesa do mundo, está modernizando os radares de vigilância da Força Aérea Brasileira em toda a Amazônia para aumentar suas capacidades.

De acordo com um release recente, a Raytheon atualizará sete radares legados para o sistema de radar de vigilância secundária monopulso de última geração, o Condor Mk3, aumentando a eficiência e reduzindo o consumo de energia elétrica.

O novo e mais avançado Condor Mk3 apresenta novos recursos, como controle de potência adaptativo automático, software totalmente configurável, um transmissor de ciclo de serviço pesado e ADS-B embutido, tudo em um tamanho muito menor.

“Esse esforço de modernização expande nossa parceria de longo prazo no Brasil com a Comissão de Implementação do Sistema Brasileiro de Controle do Espaço Aéreo”, disse Matt Gilligan, vice-presidente da Raytheon Intelligence, Information and Services. “O Condor Mk3 é um sistema altamente confiável e de baixa manutenção que manterá a segurança do espaço aéreo na Amazônia por muitos anos.”

Os radares legados foram instalados anteriormente pela Raytheon no início dos anos 2000 no âmbito do projeto Sistema Brasileiro de Vigilância da Amazônia e estão em operação contínua desde sua instalação.

“Essa modernização tem como principal objetivo manter os altos níveis de qualidade do controle de tráfego aéreo, em conformidade com o International Aviation Standard, por meio de tecnologia de vigilância, garantindo condições operacionais de segurança na região amazônica”, afirmou o Brigadeiro do Ar Sérgio Rodrigues Pereira Bastos Jr., presidente da Comissão de Implementação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA) no Brasil.

O Condor Mk 3 utiliza as mais recentes tecnologias para oferecer uma combinação de alto desempenho e alta probabilidade de detecção (mesmo em ambientes severos de multipercurso e reflexão), juntamente com a confiabilidade líder do setor e o baixo custo de propriedade.

40
Deixe um comentário

avatar
10 Comment threads
30 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
26 Comment authors
Sergio CintraVignéThiagoAntonio PalharesPedro Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Matheus
Visitante
Matheus

Alguma noticia daquela torre remota que instalaram no Rio uns tempos atrás?

Flanker
Visitante
Flanker

Pelo que sei, a que foi instalada na Ala 12 (Santa Cruz) está funcionando normalmente.

Carlos
Visitante
Carlos

Ótima Notícia , acho que depois desse PROBLEMÃO que estamos passando , Boas Notícias ficarão muito escassas .
O Controle Total do Espaço Aéreo é Primordial , para o Desempenho das Tarefas das FORÇAS ARMADAS BRASILEIRAS .

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Torre de Santa Cruz? Vai bem, obrigado.

Allan Lemos
Visitante
Allan Lemos

Deixar estrangeiros terem acesso aos nossos radares em uma parte tão sensível do nosso território é uma irresponsabilidade.

JCuritiba
Visitante
JCuritiba

Esses estrangeiros a quem vc se refere são os fabricantes e responsáveis pela instalação desses radares nos anos 2000.

Allan Lemos
Visitante
Allan Lemos

Sim,mas esse tipo de coisa deveria ser feita por empresas nacionais já que diz respeito a segurança de estado.Se messe país levasse defesa a sério,esses radares seriam brasileiros.

rpiletti
Visitante
rpiletti

E com que valor? Se fabricados no Brasil, capaz de ainda estarem em fase de projeto… sendo importados, estão na fase de modernização.

Junior
Visitante
Junior

Allan, simplesmente não existe no Brasil nenhuma empresa em condições de fazer isso, nos não temos a tecnologia, é simples assim.

FighterBR
Visitante
FighterBR

Vc é burro? Foram os estrangeiros que construíram esses radares. É cada uma…

João Adaime
Visitante
João Adaime

Prezado Allan Lemos
Não precisa temer. Todos os países do mundo que tem vôos comerciais sobre a Amazônia, tem o maior interesse em que estes radares funcionem bem e sem interrupção. Afinal, eles são a garantia de um voo tranquilo e seguro sobre este mar verde.
E em caso de conflito, eles também podem exercer a função de alerta de aeronaves hostis.
A propósito, a parte mais sensível do nosso território é o eixo Rio-São Paulo. Ali está mais da metade do PIB. Uma agressão ali nos leva de volta ao tempo das cavernas.
Abraço

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Vc esqueceu de MG caro João Adaime.

João Adaime
Visitante
João Adaime

Prezado Tomcat4.0
Eu pensei em dizer o triângulo SP-RJ-MG mas as fábricas mais estratégicas estão realmente no eixo RJ-SP, sem falar no porto de Santos e as usinas de Angra.
Abraço

Pedro
Visitante
Pedro

SP e MG são indivisíveis segundo Chico Xavier.

Sobre a Raytheon e como ela ganhou esta “licitação” da siemens, foi repugnante e só mostra como somos vassalos das grandes potências coloniais desde sempre. Europa, USA e agora China.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Tá mas íamos colocar o que ali? não temos um substituto e se não tiver um BACKDOOR para dar acesso aos americanos então está tudo bem.

Allan Lemos
Visitante
Allan Lemos

E o que te garante que não tem?Os EUA já estão deixando de comprar componentes eletrônicos da China por medo de backdoors.Acha que os EUA não fariam isso com outros países?Mesmo que não haja,eles poderiam,em caso de necessidade,simplesmente pedir para a Raytheon fornecer os codigo-fonte do radar.É por isso que esse tipo de coisa deve ser feita com tecnologia nacional,se não tem,então tem que desenvolver.

Fabio
Visitante
Fabio

Allan Lemos, para que já ta feio, seu comentário usamericanomalvado não tem lógica nenhuma, daqui a pouco você vai dizer que o McDonald’s esta envenenando a comida para matar as pessoas ao poucos, a Microsoft tem um código que vai fazer todos computadores pararem quando eles quiseram, a Chevrolet pode fazer todos os carros quebraram ao mesmo tempo.
Sai desse mundinho de teoria das conspiração.

Thiago
Visitante
Thiago

Fabio, nao é nenhuma teoria de conspiração. É a simples nua e crua realidade, que os bajuladores e ingênuos contínuam recusando aceitar. Se você fosse um pouco mais informado veria que os riscos que Allan apontam são possibilidades a ser levadas em consideração. Países que realmente tem importância e prezam pela própria soberania ( muitos poucos) não desconsideram esses riscos.

Sergio Cintra
Visitante
Sergio Cintra

Pense bem antes de responder! Se vc esta em uma internet escrevendo isso, vc esta sendo cooptado involuntáriamente. Se vc esta no Google, se vc esta nos produtos ” made in Zuckerberg”, se vc esta nos Android e Mac’s e por aí vai! Se existe um local de transmissão de dados via cabo ou via aérea terá alguma maneira de ser “convidado a partilhar” dados e informes.
Pense bem antes de PERGUNTAR, até!
Nem em pombo-correio pode se confiar .

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Colegas. O que significa “radares herdados”. Que dizer que estão modernizando os radares que estão instalados ao invés de instalar novos?

Humberto
Visitante
Humberto

Caro Camargoer,
Não sei, me parece uma “mancada” na tradução (de repente o press release veio assim), imagino que a palavra utilizada originalmente seja legacy, se for isto, vão utilizar o radar original e atualizar o mesmo ( tanto alguns componentes do hardware como software).
Imagino que seja isto, vendo o contexto da reportagem.
Abraços

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Humberto. Obrigado. Sua ideia de consultar a fonte original foi excelente. Valeu.

MMerlin
Visitante
MMerlin

Sem dúvida Humberto.
Em TI, legado são sistemas e tecnologias anteriores (que normalmente são antigas) a nova atualização.
Na notícia original, a empresa se referente ao upgrade de 7 radares legados.
Esta expressão está fortemente ligada a substituição, em podemos supor que projeto será atualizado mas a maior parte dos equipamentos e sistemas serão sim substituídos.

Flanker
Visitante
Flanker

Sim, estão modernizando os radares instalados no início dos anos 2000, no âmbito do Projeto SIVAM. A Raytheon foi a vencedora para o fornecimento de radares e outros equipamentos para aquele projeto e eles tem operado ininterruptamente desde então. Agora, estão sendo modernizados.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Uma dúvida, temos a IACIT, BRADAR e outras empresas nacionais com expertises em radares.
Tínhamos mesmo que fechar contrato com a Ratyon ?

Flanker
Visitante
Flanker

A Raytheon é a fabricante dos equipamentos, os instalou e deu suporte por todo esse tempo. Com isso, é natural que ela fosse parte interessada no programa de modernização. Você sabe se as empresas citadas por ti se interessaram em participar do certame para fornecer equipamentos e serviços para essa modernização? Se participaram, seus preços foram os menores? Sem isso, não podemos formar opinião definitiva sobre o assunto.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Obrigado pela explicação caro Flanker, e concordo com você que realmente não tenho respostas para seus questionamentos. Por isso mesmo que busquei me informar aqui, mas assim como eu você pode me afirmar se as empresas citadas por mim ofereceram os serviços solicitados? Se ofereceram o menor preço? Se tinha know-how para realizar os serviços, o que levou a Ratyon a vencer a concorrência. Ou você fez parte da junta julgadora da licitação ou da equipe técnica (coisa que dúvido) ou está especulando. Sendo assim, o s contratos de defesa no Brasil apesar de parecerem transparentes, são mais obscuros do… Read more »

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Os radares moveis do antigo Sivam foram também modernizados uns anos atrás.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

A história desses radares tem muito de filme de espionagem. O vencedor da concorrência tinha sido a Thales . Francesa associada à Globo do senhor Roberto Marinho. Que havia em troca acordado ceder a programação da Globo na Bahia, para a retransmissora do senhor Antonio Carlos Magalhães, por coincidência. Ministro das comunicações do governo FHC. Os americanos que monitoram as comunicações de países e corporações. Concluíram que haveria um dinheirinho por fora e sobre preço. O Clinton, com a educação e cordialidade que o meio diplomático civilizado pratica. Simplesmente falou para o FHC que o negócio era da Raytheon. E… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Á época, foi utilizada ampla espionagem de comunicações, e todos os acordos eram conhecidos dos norte americanos. Foi utilizado o sistema ECHELON. Isso é conhecido há muito tempo. Não há NENHUMA comunicação no mundo que os norte americanos não sejam capazes de interceptar. Inclusive, a maioria dos nós de internet passam por lá.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Brigadeiro.
Bom dia. Exatamente, Eles sabem de tudo e mais alguma coisa.

Gilson
Visitante
Gilson

Eu penso o seguinte: se eu compro uma máquina fotográfica digital da Kodak, e saio por aí fotografando as paisagens da minha cidade, certamente que só eu poderei ver o que eu fotografei, não necessariamente a Kodak, tem que saber o que eu fotografei ou ela implantar um sistema que permita minha máquina enviar minhas fotos para a Kodak, então eu posso tirar minhas fotos sem que ninguém tem acesso a elas, por que eu sei que isso não existe na minha máquina. Assim eu vejo os radares da Raytheon, do SIVAN, a FAB, nunca iria comprar esses radares ou… Read more »

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

A Thales já era fornecedora dos processadores de sinal e etc dos 3 Cindactas na época,(95% da estrutura dos Cindacta é nossa),então fechamos com os USA os radares terrestres do Sivam e com a SAAB,que é Inglesa os radares embarcados AESA desde 2000 nos ERJ-145(um outro patamar na FAB).Tem os embarcados da Westhinghouse,radares sobre rodas,ou moveis que podem ser desdobrados pelo pais afora.

Flanker
Visitante
Flanker

SAAB é inglesa???

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

A SAAB não é sueca? Em 2008 estive em Gothenbürg visitando a fábrica do ERIEYE.

Sergio Cintra
Visitante
Sergio Cintra

A Thales, como “boa origem” que tem, foi a vencedora dos equipamentos do Cindacta I, mas talvez o que poucos sabem é que os radares, ou melhor, suas antenas vieram com problemas de gabaritagem e provocavam dupla ou melhor, distorções nas imagens apresentadas nos consoles. Técnicos brasileiros, descobriram que a origem do problema das antenas estava na montagem das antenas que devido a falhas de gabaritos, os espaçamentos eram incorretos. Vizinho meu, técnico em eletrônica e, na época, recém formado, trabalhando em empresa na região de Mauá-SP, foi colocado na turma que assumiu o desmonte das antenas receptoras e refeitas… Read more »

Gustavo Lavalle Guimaraes
Visitante
Gustavo Lavalle Guimaraes

Se não me engano os Americanos tentaram com os Israelenses conseguir o código fonte do sistema Domo de ferro e não conseguiram, olha que os dois países são unidicimos.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

A SAAB não é sueca?

Edson Parro
Visitante
Edson Parro

Rinaldo
A Saab AB é uma sociedade sueca de responsabilidade limitada e as ações da Série B da empresa estão listadas na Nasdaq Stockholm.
Aliás, “Svenska Aeroplan Aktiebolaget”.
Acredito que você saiba, mas devido a sua insistência.
Forte abraço Rinaldo Nery

Vigné
Visitante
Vigné

Pensar numa MLU dos Super Tucanos tb faria sentido no âmbito dessa “modernização” do SIVAM