Home Aviação de Ataque Sierra Nevada recebe contrato da USAF para fornecer aeronaves de ataque leve

Sierra Nevada recebe contrato da USAF para fornecer aeronaves de ataque leve

10554
56
A-29 Super Tucano
A-29 Super Tucano

A Sierra Nevada Corp. (SNC) fabricará duas aeronaves de ataque leve para a Força Aérea dos EUA (USAF) sob um contrato de US$ 128,9 milhões, que também cobre serviços de apoio e de peças associados.

A USAF obrigará US$ 63 milhões nos fundos de produção dos anos fiscais de 2018 e de 2019 no momento da concessão, disse o Departamento de Defesa na quarta-feira.

A SNC executará o trabalho sob o contrato de fonte única em Jacksonville, Flórida, até 23 de agosto de 2024.

O Departamento de Defesa anunciou o contrato quatro meses depois que a USAF emitiu solicitações de aeronaves de ataque leve a uma equipe da SNC-Embraer e à Textron.

A Força Aérea dos EUA disse em outubro que compraria de duas a três aeronaves de cada fabricante como parte dos esforços de capacitação e interoperabilidade com aliados dos EUA e nações parceiras.

FONTE: govconwire.com

Subscribe
Notify of
guest
56 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JuggerBR
JuggerBR
10 meses atrás

Não devem estar certos esses números… 128 milhões de dólares por dois tucanos mais peças e apoio…
Haja peças e serviços de apoio pra gastar tanto…

Luciano
Luciano
Reply to  JuggerBR
10 meses atrás

Não são Tucanos, são dois f*cking American Made Combat Proven Built for The Mission Sierra Nevada A-29 . Rsrsrs.

Douglas Rodrigues
Douglas Rodrigues
Reply to  Luciano
10 meses atrás

Made in America, Designed in Brazil – deveria ser assim! hauhauhaua

Sergio
Sergio
Reply to  Douglas Rodrigues
10 meses atrás

Se colocar “Designed in Brazil” daí que eles não compram… Eles parecem ter que ser convencidos a acreditar que é um produto 100% americano… Ainda mais na gestão Trump com o velho sentimento de patriotismo americano classe média dos anos 80.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Sergio
10 meses atrás

Prezado
Não foi assim com o Harrier, MAG, Minimi, Carl Gustaf, AT-4, MP-5 etc etc
Sds

Marcelo
Marcelo
Reply to  Sergio
10 meses atrás

Só ilusão deles mesmo, porque mesmo que queiram esconder, a tecnologia da brasileira Embraer está lá!!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Luciano
10 meses atrás

Mas a Embraer recebe uma boa parte do pagamento e o nome do A-29 é que aparece.

Hélio
Hélio
Reply to  Fabio Araujo
10 meses atrás

Pelo que sei, é a FAB que recebe 1% do valor em royalties. A Embraer ganha com fornecimento.

Augusto Mota
Augusto Mota
Reply to  Fabio Araujo
10 meses atrás

Exatamente, Fábio, os mesmos de sempre eram contra as multinacionais, mas agora o bife virou, NÓS SOMOS AS MULTINACIONAIS!!!!! Aceitem que dói menos, o mundo mudou, antes eles construíam aqui e mandavam o lucro pra fora, agora é o contrário, e não ha nada demais nisso.

Sergio Rodrigues
Sergio Rodrigues
Reply to  Augusto Mota
10 meses atrás

Ainda está longe de ser o contrário, a balança pende e muito ainda pras industrias das velhas potências… Mas já é um caminho que se abre.

Matheus
Matheus
10 meses atrás

Diz que vai pra USAF, mas vão usar apenas para treino ou serão enviadas para o Afeganistão?

PRAEFECTUS
PRAEFECTUS
Reply to  Matheus
10 meses atrás

Creio que os norte-americanos vem utilizando uma estrátégia muito bem montada/elaborada… É muito interessante ver como agem cirurgicamente para defender suas empresas (interesses)… Tem de tirar o chapéu pros caras! E, é lamentável ver como tem gente inocente (pra dizer o minimo…) sendo feito de bobo nesse mundo… Gostaria de alertar, que, quando faço determinadas observações, seja a este ou algum outro governo de determinado país, trata-se de procurar enxergar, entender como estes agem na defesa da agenda de seus interesses. Nada xenófobo. Apenas procuro pensar fora da caixa, sempre! Estou sem tempo para discorrer sobre…. fica para outra hora!… Read more »

Claudio Severino da Silva
Claudio Severino da Silva
Reply to  PRAEFECTUS
10 meses atrás

Prezado PRAEFECTUS “O AT-6 Wolverine deve ser usado pelo Comando de Combate Aéreo (ACC) na Base Aérea de Nellis, Nevada, para “teste e desenvolvimento contínuos de táticas e padrões operacionais para redes táticas e exportáveis ​​que melhoram a interoperabilidade com parceiros internacionais”. Ocorre que o governo americano já está enviando 4 AT-6 para a Tunísia, enquanto o ST ( do qual só comprou duas unidades) deve ser usado em Hurlburt Field, Flórida, pelo Comando de Operações Especiais da Força Aérea (AFSOC) para “desenvolver um programa piloto de instrutor para a missão de Consultoria de Aviação de Combate, para atender a… Read more »

Firefox
Firefox
10 meses atrás

O A-29 é um ótimo vetor para ataque a forças assimétricas e sem poder aéreo, a um custo infinitamente menor que qualquer avião a jato.
Mas devem ficar somente reservado para forças aéreas amigas dos USA e com pouco poder econômico.
O trabalho executado pelo Tucano cada vez mais será feito por drones em forças que os possuem.

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Firefox
10 meses atrás

Discordo nas missões COIN, usar drones perto de soldados aliados pode dar muito errado, devido ao possível atraso (lag) entre a situação real e as informações que o operador do drone possui.
Hoje lançar bomba em terrorista vai no máximo matar civis em caso de erro.

Flamenguista
Flamenguista
Reply to  JuggerBR
10 meses atrás

Exato…a própria usar já fez esse estudo que comprovou que o operador de drone não tem a consciência situacional de um piloto em missões COIN.

Mauricio R.
Reply to  JuggerBR
10 meses atrás

Drone não opera com armamento de tiro axial (metralhadoras ou canhões), aliás nem APKWS usam. E ao que eu me recorde qndo é que o ST operando no Afeganistão, executou alguma corrida de metralhamento apoiando tropas em combate???? Apesar de 2 tripulantes humanos, também tem estado restrito a armamento terminalmente guiado. O que corrobora o que eu pessoalmente penso deste avião: . É uma boa desculpa pra se negar a venda de “Reaper”, pra uns e outros. . Ao ST falta e sempre faltará o desempenho cinemático do A-10 e do AV-8B, o que o deixa exposto a reação adversária… Read more »

Flamenguista
Flamenguista
Reply to  Mauricio R.
10 meses atrás

Se ele já fez isso em combate, nao sei. Mas que existem diversos videos do ST utilizando a metralhadora em treino, isso eu já vi.
Dependendo do ambiente em que o aviao está, até um SU 25 vai correr risco!!!

Johnny
Johnny
10 meses atrás

Ano fiscal 2018 e 2019?? Ta estranha essa materia.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
10 meses atrás

Quase que ficou no singular “uma aeronave”!

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
10 meses atrás

Um baita avião, deu trabalho para muitos em sua fase inicial, mas hoje esta maduro para entregar tudo que dele se espera.

Acredito que veremos muitos nas cores da USAF.

Uilson De Jesus Santos
Uilson De Jesus Santos
10 meses atrás

A PERGUNTA E QUANTO O BRASIL VAI LEVAR NESSE NEGOCIO CRIR CRIR CRIR CRIR

Matheus
Matheus
Reply to  Uilson De Jesus Santos
10 meses atrás

0, a empresa é privada.
Cresce moelque.

Leandro
Leandro
Reply to  Matheus
10 meses atrás

Se eu não estou enganado os royalties do projeto pertencem à FAB.

José
José
Reply to  Matheus
10 meses atrás

Cresce vc se sem educação e desinformado.
A FAB recebe 1% do valor de cada aeronave vendida.
Aqui têm informações e no Google também.

José
José
Reply to  José
10 meses atrás

Matheus
A FAB financiou o projeto.
Ela é proprietária legal e intelectual.
Recebe 1% de royalties de cada aeronave vendida para terceiros.
É só pesquisar antes de xingar os outros.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  José
10 meses atrás

Só 1% ?! Dinheirão…

José
José
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
10 meses atrás

Esse dinheiro é (em tese) destinado há pesquisa e desenvolvimento de novos projetos.
Vai para o MD que transfere para FAB.
Pode não ser muito.
Mas…
É algum retorno mais fácil que transferência de tecnologia.
Submarinos acho que não terão esse retorno.
Helicópteros acho que não terão esse retorno.
Guarani ainda não deu nenhum retorno (e pelo tempo que tem já era pra ter dado alguma coisa).
Então já é algo relevante sim.

Sergio
Sergio
Reply to  José
10 meses atrás

…mas aqui fazemos muito com muito pouco….

Vitor
Vitor
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
10 meses atrás

Sabe a margem da Embraer? 2 a 5%. Então 1% pra aviação é um negócio bom.
Ja o Governo Brasileiro fisga no mínimo 27.5% do imposto dessa renda. Fora outros impostos que incidem no faturamento.

Sergio
Sergio
Reply to  José
10 meses atrás

Pegou no “intestino” José…..kkkkkkk

MFB
MFB
Reply to  Uilson De Jesus Santos
10 meses atrás

Só faltou escrever “o petróleo é nosso” kkkk EMBRAER é privada há SÉCULOS.

José
José
Reply to  MFB
10 meses atrás

MFB (Muito Feio Bobo)
O projeto foi financiado pela FAB
Que tem direitos financeiros sobre a produção dos aviões.
Mais informações pesquise Google

Fabio Araujo
Fabio Araujo
10 meses atrás

Do contrato que já existia, mas é de grão em grão que a galinha enche o papo!

Tomcat4.0
Tomcat4.0
10 meses atrás

A-29 ST , simplesmente o melhor !!!

Pr.Natair Corrêa
Pr.Natair Corrêa
10 meses atrás

Sierra Nevada??? É vejam no cartaz que dizem ser made in USA nem sequer mencionam a Embraer, o A-29 é o melhor avião de ataque leve do mundo, teve grande eficiência no combate ao Estado Islâmico, está sendo usado em todo o mundo, e aqora o apresentam como se fosse um produto da Sierra Nevada, um produto 100% brasileiro, Sierra Nevada e quem ganha o nome, e onde ficam nossos ente engenheiros aeronáuticos que trabalharam r desenvolveram está maravilha, nem serão lembrados. ADEUS EMBRAER, ADEUS TUCANOS , Á29 ADEUS FENONS, ADEUS OSIRES SILVA. QUANDO SE CRIA ALGO QUE PRESTA NO… Read more »

Madmax
Madmax
Reply to  Pr.Natair Corrêa
10 meses atrás

Recomendo a leitura do cartaz novamente.

Mauricio R.
Reply to  Pr.Natair Corrêa
10 meses atrás

“…teve grande eficiência no combate ao Estado Islâmico, está…”

A aeronave é empregada contra o Taliban, no Afeganistão.
Não passou nem perto de combater o Estado Islâmico, na Síria, Iraque e Líbia.
Ou a Al Qaeda no Sinai.
Quem combateu com grande eficiência o Estado Islâmico, foram os concorrentes “Reaper” e o avião agrícola…
Dentre outros.
Aliás, em menor intensidade ainda combatem.

RICARDO
RICARDO
Reply to  Mauricio R.
10 meses atrás

As uvas continuam verdes, não é Maurício ??? Parece que você sabe tudo e a USAF é bobinha e nada sabe …

Mauricio R.
Reply to  RICARDO
10 meses atrás

Se as uvas são verdes ou vermulhas pouco importa, assim como pouco ou mesmo nada importa, se a USAF é bobinha ou nada sabe.
Isso é problema do Congresso dos EUA e do contribuinte norte-americano.
Importa que no mundo real, no combate ao Estado Islâmico, na Síria, Iraque, Líbia e a Al Qaeda no deserto do Sinai, o fato é que não havia ninguém operando ST.

Carlos Bernardo
Carlos Bernardo
Reply to  Mauricio R.
10 meses atrás

https://thedefensepost.com/2020/02/27/tunisia-at-6-wolverine-sale-approved/

nem todos têm a tua opinião, porque para a Tunísia foram 4 at-6 wolverine

Gilson Elano
Gilson Elano
10 meses atrás

Não já tá passando da hora de atualizar as unidades que a FAB adquiriu?
Essa versão da SN parece ser bem robusta.

Claudio Severino da Silva
Claudio Severino da Silva
Reply to  Gilson Elano
10 meses atrás

Gilson:
Esta robustez que observastes deve ser a colocação de blindagens nas laterias da carlinga, ao lado dos pilotos. Realmente, a FAB considera tal blindagem desnecessária, dado o TO aqui no Brasil, onde a aeronave é empregada.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Claudio Severino da Silva
10 meses atrás

Ela é desnecessária em tempo de paz, porque causa muito arrasto e aumenta o consumo de combustível. Em conflito, é só instalar.

Allan Lemos
Allan Lemos
10 meses atrás

“American made” é o meu ovo.Os caras apresentam a aeronave como se fosse deles.Esse é o resultado da falta de verdadeiros estadistas no Brasil.Os outros vem aqui e levam as poucas coisas boas que conseguimos fazer.O mesmo vai acontecer com o KC-390,as linhas de produção serão levadas para os USA e eles venderão a aeronave como se fosse deles(já criaram até uma tal de joint venture pra isso) e todo mundo vai esquecer que o produto é brasileiro.

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Allan Lemos
10 meses atrás

Venderam AT6 pra o Marrocos por quase 400 milhões de dolares. E compram dois ST por 126 mm. Isso que é ganhar dinheiro fácil.

Mauricio R.
Reply to  Luiz Floriano Alves
10 meses atrás

Acabaram de emplacar 4, na Tunísia:

“The sales packages which is worth an estimated cost of $325.8 million, comes with 312 guidance and control units for the Paveway II precision munition and 3290 Advanced Precision Kill Weapon Systems (APKWS).”

(http://alert5.com/2020/02/28/tunisia-cleared-to-buy-4-at-6cs/)

EB75
EB75
10 meses atrás

Chamem o avião do que quiserem… Grana entrando pro Brasil é o que interessa.

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
10 meses atrás

Eu acho que a FAB vai receber 1% de royalties por cada aeronave vendida seja pela SN ou pela EDS … então trump, vamos tirar o escorpião do bolso e comprar mais alguns kkk

FernandoEMB
FernandoEMB
10 meses atrás

Mauricio R, o Mister M voltou a aparecer… bom sinal. É sinal de boas notícias para a Embraer. Pois ele só aparece nas boas notícias para ficar postando coisas negativas infundadas, fake News e pregar a desinformação.

Mas que e sinal que as notícias são boas para Embraer isso é… pois ele só aparece quando isso ocorre.

João Adaime
João Adaime
Reply to  FernandoEMB
10 meses atrás

Prezado FernandoEMB

Concordo com o comentário do Maurício R. sobre o ST:
“Ao ST falta e sempre faltará o desempenho cinemático do A-10 e do AV-8B, o que o deixa exposto a reação adversária mesmo em ambientes aparentemente não contestados.”
E complemento: Para a função de interceptação de pequenas aeronaves do narcotráfico, o ST perde feio em velocidade para o F-22.
Não sei se você concorda comigo.
Abraço

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  João Adaime
10 meses atrás

João, perde feio para QUALQUER aeronave à reação. Mas, no F-22 você gasta 35 mil dólares por hora de vôo, por baixo. No A-29, não passa de 5 mil. E, nessa missão, os dois entregam a mesma coisa.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Rinaldo Nery
10 meses atrás

Caro Rinaldo…. Pois é, concordo 100%. Tem muito “entendido” aqui que adora analisar as coisas fora de um contexto, aí vira análise vazia. Ou pior, criam um contexto parcial de modo que seu ponto de vista pareça a verdade absoluta.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Fernando EMB
10 meses atrás

Prezado FernandoEMB
Eu não resisti ao comentário do Maurício e resolvi fazer outro um pouco mais exagerado. Só isso. Ironia pura.
Abraço

João Adaime
João Adaime
Reply to  Rinaldo Nery
10 meses atrás

Caro comandante
Eu apenas estava sendo irônico.
Como o Maurício comparou com dois aviões a reação, eu também me senti no direito de comparar com outro, um pouco mais moderno…..
Abraço

Mauricio R.
Reply to  João Adaime
10 meses atrás

O A-10 é a aeronave da USAF para apoio tático (CAS, BAS, BAI), assim como o AV-8B é no USMC.
E o MQ-8 “Reaper” que como o ST também é turbo-hélice, é a mesma coisa no ambiente do SOCOM.
Se eu comparei, comparei a capacidade da aeronave, qnto a missões típicas voadas no OM e no Afeganistão.