Home Aviação de Caça VÍDEO: Curta o som do motor Daimler Benz do Messerschmitt Bf-109 G14...

VÍDEO: Curta o som do motor Daimler Benz do Messerschmitt Bf-109 G14 ‘Schwarze2’

4307
52

Messerschmitt Bf-109 G14 “Schwarze2/Black2” voado por Volker Bau no Hangar 10 Fly em 2019. Aumente o volume e aprecie o som do motor Daimler Benz!

O Messerschmitt Bf 109 é um avião de combate alemão da Segunda Guerra Mundial que foi, junto com o Focke-Wulf Fw 190, a espinha dorsal da força de combate da Luftwaffe.

O Bf 109 viu o serviço operacional pela primeira vez em 1937 durante a Guerra Civil Espanhola e ainda estava em serviço no início da era do jato no final da Segunda Guerra Mundial, em 1945.

Foi um dos caças mais avançados da época, incluindo recursos como a construção monocoque totalmente metálica, uma carlinga fechada e trem de pouso retrátil. Era propulsado por um motor aeronáutico V12 invertido, refrigerado a líquido.

Desde o final de 1941, o Bf 109 estava sendo constantemente complementado pelo Focke-Wulf Fw 190. Era comumente chamado de Me 109, na maioria das vezes pela tripulação aliada e entre os ases alemães, mesmo que essa não fosse a designação oficial alemã.

O Bf 109 foi pilotado pelos três ases alemães de maior número de abates da Segunda Guerra Mundial, que conquistaram 928 vitórias entre eles enquanto voavam com o Jagdgeschwader 52, principalmente na Frente Oriental.

O maior ás de todos os tempos foi Erich Hartmann, que voou no Bf 109 e conseguiu 352 vitórias aéreas. A aeronave também foi pilotada por Hans-Joachim Marseille, o ás alemão de maior pontuação na Campanha do Norte da África que alcançou 158 vitórias aéreas (em cerca de um terço do tempo).

Quase 35 mil aviões Bf 109 foram produzidos no total.

Subscribe
Notify of
guest
52 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Edlustig
Edlustig
11 meses atrás

Top!!!

Mauro
Mauro
11 meses atrás

Pato para o Mustangão.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Mauro
11 meses atrás

Menos manobrável, de menor alcance, mas mais rápido. Para se opor ao P-51 somente o Dora.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Mauro
11 meses atrás

A vantagem do BF-109 é que servia para tudo. Por isso de ter sido produzindo até o final da guerra.

valdemar lopes
valdemar lopes
Reply to  Mauro
11 meses atrás

nao deixa de ser uma maquina fabulosa, ao seu tempo dominou

Mauro
Mauro
Reply to  valdemar lopes
11 meses atrás

Olha quem ele “dominou”, olha as centenas de “Quillis”.. foi tudo contra os russos e seus biplanos obsoletos e que mal voavam, não tinham a menor chance contra um avião na época moderno e que foi construído já pensando na guerra, bem como os aviões obsoletos estacionados na África, isso nem deveria contar. O mesmo ocorreu com os “ases” japoneses… abaterem muita coisa por aí.. mas era tudo contra totalmente obsoleto, não tinham a menor chance contra os Zeros.. Bom, até que um país chamado Estados Unidos da América resolveu dar um para pra acertar e disse: Essa coisa já… Read more »

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Mauro
11 meses atrás

Cidadão você está enganado, o zero deu muita dor de cabeça para os americanos no final da guerra, assim como as novas versões do 109. O problema eram os números superiores dos aliados, contra uma Alemanha e um Japão enfraquecidos. Com muito mais inimigos para abater fica difícil brincar de ases da guerra.

Ersn
Ersn
Reply to  Mauro
11 meses atrás

A questão é que foi uma guerra de atrito ,as perdas americanas ,britânica e soviéticas foram superiores ao numero de aeronaves produzidas pelo eixo, as perdas de tripulações e aeronaves aliadas eram fáceis de repor e reforçadas, já as do eixo se viam em numero de tripulantes experientes e com talento cada vez menores ,já que os programas de treinamento tiveram que ser encurtados lançado cada vez mais pilotos sem experiência e mal treinados contra forças cada vez mais numerosas,experientes e bem equipadas até que se tornou inviável disputar os céus sobre a Europa e pacifico condenando as forcas terrestres… Read more »

Pedro
Pedro
Reply to  Mauro
11 meses atrás

Quanta fanfarronice! O BF109 tinha em 1943 melhor performance nao apenas quanto ao Spitifire mas tambem ao Mustang e em 1944 que esses aviões ficaram a par dele. A grande diferença era que para cada Bf109 que aparecia, sempre havia 4, 5 ou mais aviões aliados a combate-lo. O que fez a balança da batalha aérea pender aos aliados foi a capacidade industrial dos EUA e da Inglaterra produzir mais aviões, dispor de mais combustível e material humano para pilota-los. Tanto que o Fw-190D tinha também performances melhores, melhor armamento que os caças aliados, mas era em pouco numero e… Read more »

rui mendes
rui mendes
Reply to  Mauro
9 meses atrás

O 190 Alemão era do nível do mustang p-51 e o Britânico spitfire era superior, mesmo o bf-109 não lhe ficava quase nada atrás. E os ultimos caças Soviéticos da WW2, eram já equivalentes, aos melhores caças ocidentais. Os Nazis no fim da guerra já voavam caças a jacto, só que por culpa própria, aí a guerra estava perdida, pois abriram várias frentes ao mesmo tempo.

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Mauro
11 meses atrás

O Mustang só existiu para fazer frente aos Bf-109s, caso contrário sequer existiria …são modelos de épocas diferentes, era natural os Mustangs serem superiores…

PRAEFECTUS
PRAEFECTUS
11 meses atrás

Ave marela,

com certeza causava calafrios ao sobrevoar os céus dos campos de batalha na II Guerra…

Grato

Adriano RA
Adriano RA
11 meses atrás

Excelente. Só não entendi o “motor aero V12”.
Talvez “aeronáuticos”? Acho que os protótipos usaram motores ingleses. Depois vieram os Jumo e, finalmente, os lendários Daimler-Benz (DB) série 600.

DanielJr
DanielJr
11 meses atrás

Adoro ver esses aviões voando, shows de museus etc mas fico com certa angústia de dar algum problema e perder essas jóias raras. São impossíveis de ser substituídas.

OLIVETE DA SILVA
OLIVETE DA SILVA
11 meses atrás

Lindo…me emocionei…muito lindo….e gira o globo.

smichtt
smichtt
11 meses atrás

Desculpe pelo preciosismo, mas o sobrenome correto do Hans-Joachim não seria Marseille?

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
11 meses atrás

Avião pau para toda obra aí. Um caçador nato que causou arrepios e calças molhadas em muita gente. Acho que único avião para superá-lo era o Ta-152, mas este não chegou a ser usado em larga escala. Acho massa aquela pintura de espiral que havia no nariz do avião.

carlos mendes
carlos mendes
11 meses atrás

Sensacional !!!

willhorv
willhorv
11 meses atrás

Um caça além de sua época!
Um ícone!

Fabio
Fabio
11 meses atrás

O Spitfire é elegante, bonito de se ver, o Bf 109 parece um bicho violento, da medo ao se ver.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Fabio
11 meses atrás

Engraçado que ambos os fabricantes de Spitfires e 109’s escolheram soluções semelhantes para os trens de pouso dessas aeronaves, e por serem estreitos, ambos tinham uma alta taxa de acidentes, principalmente entre pilotos inexperientes, principalmente durante pousos e decolagens.

Obviamente isso em nada tira a beleza e eficácia dessas aeronaves.

USP
USP
Reply to  Fabio
11 meses atrás

Máquina de matar segundo ás filandes…

USP
USP
11 meses atrás

O *caça magistral*!
A aviação de caça se divide entre antes e depois do BF 109. E,não era “pato” para o Mustang .Quando o P-51 o enfrentou, a qualidade do piloto germânico tinha caído muito.

Lala Croft
Lala Croft
Reply to  USP
11 meses atrás

Sem falar que o BF 109, esteve presente durante toda a guerra.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  USP
11 meses atrás

O mustang só estava em grandes quantidades mesmo naquela altura do campeonato. Muitos bons pilotos alemães já estavam debaixo de sete palmos quando o mustang estreou na guerra.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
11 meses atrás

Os caras eram bons,não que os de hoje não sejam.Mas é outro nível, lutar nessas máquinas.

Pedro
Pedro
11 meses atrás

Certamente o caça mais importante da historia, pois as caracteristicas desse tipo de avião vieram justamente apos seu aparecimento. No video pode-se notar com clareza seu maior defeito e causa da maioria das perdas: seu trem de pouso. Pousar em um aeroporto improvisado, com terra, lama ou areia um avião desses nessas rodas proximas uma da outra, certamente nao era tarefa para qualquer um.

USP
USP
Reply to  Pedro
11 meses atrás

O trem de pouso estreito era uma forma para facilitar a montagem do mesmo… este servia como suporte da fuselagem durante toda a montagem, evitando a necessidade de sistemas de sustentação, Mas, que era uma m… para pousar, sem dúvida!

johnny
johnny
11 meses atrás

levaram um pau baiano dos poloneses da R.A.F na batalha da inglaterra o que faz um ace sao as maos do piloto e naum a maquina

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  johnny
11 meses atrás

A kill rate era 1×1, não sei que “pau” foi esse. Além do mais os erros estratégicos dos alemães favoreciam a defesa britânica, o que em partes resultava em muitas baixas para os alemães.

Ersn
Ersn
Reply to  johnny
11 meses atrás

O Bf109 era um caçador que faria a varredura de aeronaves na frente de combate ,na batalha da Inglaterra foi usado como escolta sendo que não tinha alcance para fazer boa cobertura para os JU88,HE111 e Do17 ,seus pilotos tinham que ter um olho na alça de mira e outro no marcador de combustível ,sendo que o inimigo já estava esperando desde a hora que decolavam .

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
11 meses atrás

Putz , Máquina poderosa pra época e impressionante até hoje !, os “caras” na época eram destemidos mesmo pra voar estes pássaros de guerra

cwb
cwb
11 meses atrás

nas mãos de um expertise da força aérea alemã era perigoso para qualquer piloto aliado…..vide escores
abraço a todos

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
11 meses atrás

Um dos caças mais bonitos já feitos.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
11 meses atrás

Lindo o som desse motor… Igualmente de som louvável o P-51 Mustang. Me digam não foi esse que usava uma sirene quando ia bombardear os seus alvos?

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Luiz Trindade
11 meses atrás

Não, o Stuka que tinha a sirene.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Luiz Trindade
11 meses atrás

Não, era o Ju-87 Stuka.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Luiz Trindade
11 meses atrás

Não entendi o voto negativo aqui???

FRAS OR EW
FRAS OR EW
11 meses atrás

Máquina do tempo! Muito Top!

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
11 meses atrás

Esse assobio peculiar do supercompressor, misturado ao ronco do motor, é marca registrada do Daimler-Benz do Bf-109. No caso desse G-14, o supercompressor é o tradicional do motor DB-605A básico. Com esse motor o Bf-109 ficava em desvantagem frente ao P-51 em velocidade máxima em altitudes maiores. Mas havia ainda a variante G-14AS, com um supercompressor maior, adaptado do DB-603, que dava desempenho ainda melhor em altitudes elevadas e o colocava em pé de igualdade com o P-51. Porém, nessa variante, era preciso um capô do motor com carenagens maiores devido ao tamanho maior do supercompressor (estas carenagens da versão… Read more »

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Vi algumas reportagens que apontam o contrário, que os G-14AS tinham desempenho sofrível e os alemães haviam apostado nesta versão para igualar as coisas com os aliados…sabendo disto, no final de 1944 muitas unidades alemãs mantinham o G-14 padrão ou mesmo os G-6s até que os Kurfurst (k-4) e G-10 estivessem disponíveis em grandes quantidades….alias, os G-10s sim conseguiam equilibrar bem as coisas…mas era tarde demais, não haviam pilotos e muito menos combustível….game over…

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Plinio Jr
11 meses atrás

Plinio,
O padrão de qualidade variava muito naquela época, então além da variedade de versões da versão G-14, havia variedade de qualidade dentro das versões (por conta das dificuldades de produção e de entregas, que fazia grandes saladas de componentes). Eu vi relatos muito bons dos G-6AS, G-14AS e G-10AS, e também de falhas.

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Fala Nunão…

Também acho que a mistureba logística proporcionada pelos alemães e a péssima qualidade de produção dos últimos meses de guerra contribuíram de alguma forma nas aeronaves que entravam em operação …os G-6AS e G-10AS e K-4s, se tivessem bons pilotos e combustível , poderiam trazer problemas…já a série G-14, incluindo a versão AS com motor ASM frustrou muito os alemães …este site é interessante no que refere-se a comparações das ultimas versões de Spitfires com caças alemães …http://www.spitfireperformance.com/spit14v109.html

Vale a leitura….

Bitencourt
Bitencourt
11 meses atrás

Sou fã deste caça, tenho três miniaturas dele, sendo um de metal e plástico! Li os livros O primeiro e o ultimo de Adolf Galland e Samurai de Saburo Sakai, dois grandes pilotos da segunda grande guerra, o primeiro lutou na guerra da espanha e na segunda guerra, sempre teve a mão um Bf109, era também um fã do Spittfire tendo respondido de maneira grosseira a Goring que se quisesse vencer a Batalha da Inglaterra os alemães deveriam fabricar Spittfires, grande ás alemão e só lutou no Ocidente. O segundo japones, tendo lutado toda guerra com o Zero, provou que… Read more »

jagderband#44
jagderband#44
11 meses atrás

Sensacional!!!!!!!!

Ozawa
Ozawa
11 meses atrás

Entendo perfeitamente que em muitos países a ostentação da “suástica” é considerada crime, no Brasil inclusive. Mas aqui o ânimo subjetivo no tipo penal deverá ser para fins de “divulgação do nazismo”. Subjacente à discussão jurídica e ao Direito comparado, o caso presente não é apologia, é história aeronáutica, ao menos para as mentes sadias e não terrivelmente ideológicas. Assim, um quadrilátero estilizado na cauda do 109 é, num juízo particular, uma história incompleta, cuja ocultação, apenas do símbolo e não da esplêndida máquina sobre a qual voava e para qual serviu de indissociável inspiração de combate, provoca uma apologia… Read more »

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Ozawa
11 meses atrás

Pelo que vi em algumas imagens a suástica só aparecia na cauda dos aviões, no resto da fuselagem era a cruz grega mesmo, a menos que tenham sido adulteradas. De resto concordo com você, retirar a suástica é um vilipêndio à história da humanidade, pois tal símbolo existe há 10 mil anos, representa o movimento do universo, e atravessou diversos momentos históricos e povos ao redor do mundo, até os povos ameríndios tinham sua versão da suástica, o que prova que um dia o homem foi uma etnia só, ou originou-se num só lugar. Até os finlandeses usaram a suástica… Read more »

ivo
ivo
11 meses atrás

Quase 35 mil foram produzidos…
Isso tá certo???

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  ivo
11 meses atrás

Sim Ivo, foi isso mesmo. Mas lembre-se que eram outros tempos, aeronaves mais simples, mão de obra barata/desesperada/escravizada, Luftwaffe desesperada por qualquer coisa que voasse.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
11 meses atrás

Nem uma acrobacia: um looping, um tunneaux barril, um tunneaux lento…

frapal
frapal
10 meses atrás

O lendário Me-109, matéria espetacular, vídeo emocionante!!!!!