Home Aviação de Ataque Itália aprova segunda fase do programa de investimentos no F-35

Itália aprova segunda fase do programa de investimentos no F-35

2120
35
F-35A da Força Aérea Italiana

A Itália continuará com os investimentos necessários para sua participação no programa Joint Strike Fighter do F-35, disse o ministro da Defesa Lorenzo Guerini durante uma audiência parlamentar na manhã de quinta-feira.

Sua declaração parece encerrar 18 meses de incerteza depois que o governo anterior do primeiro-ministro Giuseppe Conte falhou em autorizar os pagamentos necessários e as encomendas relacionadas.

Guerini, que substituiu Elisabetta Trenta do Movimento Cinco Estrelas no ministério da defesa no segundo governo de Conte, é membro do partido de centro-esquerda PD, que apoia a participação contínua no programa F-35.

“Como o governo pretende aproveitar os investimentos feitos até o momento e aproveitar as oportunidades oferecidas pelo programa, decidi dar um sinal verde para a segunda fase”, Guerini informou à Reuters durante uma audiência parlamentar na manhã de quinta-feira.

Depois de planejar inicialmente encomendar 131 caças F-35, a Itália reduziu seus planos de compras para 90 aeronaves em fevereiro de 2012, divididos entre 60 variantes F-35A CTOL e 30 variantes F-35B STOVL.

F-35B da Marinha Italiana
F-35B da Marinha Italiana

35
Deixe um comentário

avatar
10 Comment threads
25 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
24 Comment authors
rui mendesSegattoRoberto BozzoRENANCristiano de Aquino Campos Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Mesmo com uma diminuição de 131 caças F-35, para 90 aeronaves (divididos entre 60 variantes F-35A e 30 variantes F-35B)
A Itália está com uma força área de respeito. Pois pelo andar da carruagem, a Turquia é uma ameaça real aos planos da OTAN.

https://br.sputniknews.com/opiniao/2019112814828510-por-que-turquia-nao-apoiou-plano-da-otan-de-protecao-contra-russia-analista-explica/

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

A Itália estará muito bem servida com o Tempest (futuramente) e o F-35 na AM

Chris
Visitante
Chris

Engraçado não?

Todo mundo continua apostando, investindo e comprando o avião “ruim”…

Vai ver que o mundo todo pirou… Ou anda sobrando dinheiro pra se jogar fora. Ou não leem o Poder Aereo ! Heheh

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Verdade, mas os reais especialistas que realmente sabem estão em fóruns escrevendo, falando do sucesso do su-57 que vendeu….quantas mesmo?
Até a Turquia que comprou o S400 briga incansavelmente em ter o f-35…estranho mesmo.

bjj
Visitante
bjj

Na verdade estão se concretizando as compras já planejadas. A Itália, como parceiro nível 2 do programa, investiu dinheiro no desenvolvimento da aeronave e agora nada mais natural que adquiri-la para suas fileiras. Mas perceba que o total de aeronaves planejadas já diminuiu, não só na Itália, mas a própria USN já fala em substituir “apenas” metade dos F-18 SH pelo F-35, e não mais sua totalidade. A grande sorte do F-35 é ser basicamente a única opção de caça de 5 geração pronto para exportação hoje, especialmente no Ocidente.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Sem falar que é a única capaz de decolagem curta e pouso vertical. Quem não tem PA CATOBAR e não quer PA ao estilo Russo, fica sem opção.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Qual a alternativa após tanto tempo e dinheiro gasto no projeto, cancelar tudo?
Sem falar que ou você compra o F-35B ou só opera com helicopteros do seu carissimo navio multi-propósito.

rui mendes
Visitante
rui mendes

E o EF-2000 Typhoon.

JuggerBR
Visitante
JuggerBR

Será que conseguirão pagar tantos jatos e principalmente a manutenção?
A crise lá tá braba há décadas, e os governos não duram nem ao menos um amor de verão…

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

Olha, estou aqui e não vejo está “crise” não…quem quer trabalhar, tem emprego…. é que aqui é diferente do Brasil, os empregos, a forma de trabalho, tudo é diferente….. Quanto a matéria, pelo que conversei com o pessoal aqui, todos são a favor de investimentos na área de defesa pois gera empregos desde o alto nível até o mais baixo…..o F35 em si é visto como necessário para a defesa do país…além dos empregos gerados. O ítaliano não quer se ver obrigado a pedir ajuda aos franceses ou alemães para se proteger no futuro, ele quer ter a capacidade de… Read more »

Jack
Visitante
Jack

Pra mim essa conta não fecha…A dívida pública da Itália é a maior da zona do euro,
essa alcança 2,3 trilhões de euros está mai endividada do que o da Alemanha ou da França. Na comparação com o PIB chega a 132%. Se a Itália. Mas está lançando modernos navios de guerra, aviões etc…Investindo pesado nas forças armadas.

Thiago Aiani
Visitante
Thiago Aiani

Jack, me permito apontar uma infinidade de outros fatores que são considerados importantes. Além da dívida pública é levado em grande consideração: riqueza privada do pais( ou a divida privada) das famílias; o surplus ou déficit da balança comercial; quem possui realmente a dívida do país, se são instituições privadas, estrangeiras ou nacionais ( em qual porcentagem)…etc Ou seja quem garante essa dívida? Quem compra ? O problema maior da Itália, hoje como hoje, é a falta do crescimento econômico, não propriamente a dívida. o crescimento permite o p A Itália é um dos países mais ricos do mundo, possui… Read more »

Thiago Aiani
Visitante
Thiago Aiani

Ha outro pessimo hábito dos Italianos que incide também sobre a performance da economia : a sonegação de impostos, entre as maiores da Europa, e à economia “submersa”, 20% do PIB italiano, enquanto na Alemanha é calculada em 11%. Virou clichê joalheiros que declaram para o fisco ganhar bem menos que metalúrgicos.

Vinicius Momesso
Visitante
Vinicius Momesso

“Virou clichê joalheiros que declaram para o fisco ganhar bem menos que metalúrgicos.” Pensei que o sistema de inteligência do fisco deles fosse “anos luz” a frente do daqui…mas pelo jeito não.

Thiago Aiani
Visitante
Thiago Aiani

Vinicius , a bem da verdade a Itália possui até uma estrutura policial dedicada e focada para combater ilícitos de caráter econômico, à Guardia di Finanza, uma força prestigiosa e competente. É até facil encontrar um finanziere fora de uma loja que pede para voce apresentar a nota fiscal. Mas à o “jeitinho” italiano é sempre um pé frente. Os Italianos ainda hoje são dos países que mais rejeitam o uso dos cartões. Pouco tempo atrás tinham colocado um limite do uso de dinheiro em espécie à apenas 1000 euros, uma medida que foi extremamente impopular. Os políticos em busca… Read more »

maurizio souza
Visitante
maurizio souza

Mas aí tem a questão da capacidade industrial da Itália, bem como o perfil da economia deles.

Thiago Aiani
Visitante
Thiago Aiani

Capacidade industrial e produtiva muito boa por sinal, possui um grande “conhecimento produtivo”. Com base no índice de complexidade econômica ( Atlas of economic complexity -2017 ) feito pelo CID de Harvard , a complexidade da economia do pais foi colocada como 13° a nível mundial , logo atrás dos EUA( 12°) . Só para ter uma ideia, os primeiros são Japão, Suíça , Coreia do Sul e Alemanha. O Japão nunca perdeu a primeira posição desde que esse indice foi criado . Um classificação alta significa uma alta diversidade de produtos exportados , muito mais sofisticados e as vezes… Read more »

Thiago Aiani
Visitante
Thiago Aiani

# A China fez um pulo enorme, 19°.
http://atlas.cid.harvard.edu/rankings

Segatto
Visitante
Segatto

O problema da criar italiana tem raiz demográfica, uma população com alta proporção de idosos que está estagnada, os idosos deteem grandes quantidades de ativos que eles não reinvestem, parte da cultura econômica do Sul europeu de atingir estabilidade com reservas econômicas e não reinvestindo para receber mais, tanto que a quantidade de ativos per capita dos italianos é MAIOR que o do alemão. Por outro a nova geração, que é menor numerosa, encontra um mercado interno menor, estagnou sem investimento de quem detém ativos e assim tem menores oportunidades de empregos. Além disso, a maioria das empresas são familiares… Read more »

Thiago Aiani
Visitante
Thiago Aiani

Segatto, parabéns ótima análise.

Bardini
Visitante
Bardini

Assim como no UK, onde Royal Navy e Royal Air Force dividem a quantidade de F-35B comprados, a Marina Militare vai operar apenas uma parte dos 30 F-35B comprados, num total de 15 unidades. Os outros 15 contratados, serão obviamente operados pela Aeronautica Militare.
.
É uma abordagem interessante e racional…

Corcel
Visitante

Enquanto uns criticam,outros compram.

Kemen
Visitante
Kemen

Tem um grupo pequeno da Itália e alguns de outros paises, sugerindo que dois projetos europeus de “caças do futuro” concorreriam entre si e não fariam frente aos projetos norte amerivanos, seria melhor segundo eles, juntarem os dois projetos TEMPEST e FCAS num só com todos os paises participantes. Por outro lado, a Itália com os Eurofigther e os F-35 tera aviões de combate por varios anos, não tendo tanta pressa com os “caças do futuro”, ao contrario por exemplo da Espanha que além dos Eurofigther adquiridos, vai precisar substituir seus antigos F-18 por algum outro. A França tocara em… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Se juntar todos os europeus no programa de um caça, duvido que vá até o final….Tentaram antes, e acabou com os franceses indo de Rafale e o restante de Typhoon.

Augusto L
Visitante
Augusto L

”Tem um grupo pequeno da Itália e alguns de outros paises, sugerindo que dois projetos europeus de “caças do futuro” concorreriam entre si e não fariam frente aos projetos norte amerivanos, seria melhor segundo eles, juntarem os dois projetos TEMPEST e FCAS num só com todos os países participantes.“ Primeiramente, não é um grupo pequeno, a Itália é o pais mais eurocentrista do continente quase na mesma proporção dos britânicos, e para juntar os / projetos alguém teria que abrir mão. Segundamente pra que concorrem com os americanos se pode unir-se a eles ? Os unicos que querem concorrer são… Read more »

Hawk
Visitante
Hawk

O F-35 vem se comprovando o substituto do F-16, que também foi um programa bem caro que terminou em sucesso. Resta saber se em combate ele será digno de suceder o mesmo. Será que IAF vai comprovar de novo a habilidade de um novo caça em ação?

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Hawk,
Explica para mim por favor, em que circunstancias o F-16 foi sem sucesso.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Hawk,

Ultima forma no meu comentario. Eu cometi um erro de interpretacao. Voce esta’ absolutamente correto.
Desculpe o engano.

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Esse “B” me faz lembrar do corcunda de Notre D’Ame. Horrorendo!
Esse ñ carrega nada, limitadissimo!

MMerlin
Visitante
MMerlin

Limitadíssimo?
Podem operar em LHD’s que não possuem catapultas e decolar (em modo corrida curta) com tanques cheios (6t de combustível) e carga completa (5t).
Conseguem o pouso vertical com metade com combustível e 2t em armamentos.
Decola com -2t de combustível e -1t em armamentos que a variante A. Uma perda pequena perante a vantagem.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

MMerlin,

O pessoal critica por criticar. Sem fundamento e com bastante preconceito.

O problema gira em torno da origem americana da aeronave. Se fosse russo ou chines, estariam aqui louvando o milagre tecnologico.

Alem do mais o F-35 STOVl e’ o unico no mundo.

A Russia a muitos anos atras experimentou um aeronave de decolagem e pouso vertical, mas se deu mal, e abandonaram a ideia.

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Tadeu,
Puxar saco por puxar saco é humilhante.
Vou ter que ajudar a raciocinar de novo!?!?
Se o Deus Vivo é limitado na versão “A “magina na “B”!!!

MMerlin
Visitante
MMerlin

Continue raciocinando desta forma, tratando um equipamento como entidade que você pode redirecionar ódio ou admiração.
Acorda SL, é apenas um avião militar.

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

MMerdin
Puxar é fácil o difícil é empurrar!

RENAN
Visitante
RENAN

A versão B é a única que me agrada. Motivo Não é a capacidade de decolagem e sim a capacidade do pouso. Acho impressionante um avião decolar completamente carregado voar até um ponto receber o reabastecimento Ir até o combate voltar e pousar em qualquer lugar em situações de urgência. Isso pode de maneira muito porca dar uma solução logística muito boa para um país de meios limitados. Ter uma arma com está características vale cada centavo em dissuasão, pois seus inimigos sempre irá temer mesmo que tenha apenas 2 operacional 24 horas por dia. A dificuldade de travar o… Read more »