Home Aviação de Treinamento Espanha compra 24 treinadores turboélice Pilatus PC-21 por € 205 milhões

Espanha compra 24 treinadores turboélice Pilatus PC-21 por € 205 milhões

2545
30
Pilatus PC-21

PARIS – A Espanha adquirirá 24 aeronaves de treinamento de turboélice Pilatus PC-21 para substituir seus treinadores a jato Casa Aviojet C-101, confirmando uma tendência mundial de aviões de treinamento de jato mais antigos serem sucedidos por turboélices de alto desempenho. A Pilatus, cujo PC-21 “claramente ofereceu a melhor relação custo-qualidade”, venceu o Beechcraft T-6A Texan II e o Embraer Super Tucano para vencer a concorrência.

A decisão da Espanha foi anunciada em 26 de novembro na plataforma de compras governamentais, Plataforma de Contratação do Setor Público (PCSP), mas ainda não foi formalmente anunciada pelo Ministério da Defesa ou pela Força Aérea Espanhola.

Segundo a PCSP, a Pilatus fornecerá 24 aeronaves de treinamento PC-21 e seu Sistema Integrado de Treinamento (ITS), mais eficientes e melhor adaptados ao uso de tecnologias modernas, a um custo de 204,75 milhões de euros, quase 10% a menos que os 225 milhões de orçamento que foram autorizados para a aquisição. Os fundos serão pagos em três parcelas anuais (71,5 milhões de euros em 2020, 71 milhões de euros em 2021 e 62,5 milhões de euros em 2022).

Além da aeronave, o ITS incluirá um instrutor de ejeção de emergência, dois simuladores de cabine e dois simuladores de voo conectados à rede, além de um pacote logístico inicial.

O cronograma de entregas é muito apertado, pois os primeiros C-101 serão aposentados gradualmente de setembro de 2021 a 2027, o que exige que o PC-21 esteja pronto para começar o treinamento básico no ano acadêmico de 2021-22. Conseqüentemente, os seis primeiros PC-21 e um simulador devem ser entregues até março de 2020 para permitir o treinamento dos oito primeiros instrutores. O PC-21 será conhecido como E.27 no serviço em espanhol.

Inicialmente, o PC-21 substituirá o T-35 Tamiz para treinamento de voo elementar e o C-101 para treinamento básico, mas ainda não foi tomada nenhuma decisão sobre a substituição dos restantes C-101 e F-5Bs usados ​​para treinamento avançado, e que provavelmente será decidido em meados da próxima década.

FONTE: Defense Aerospace

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sérgio Luís
Sérgio Luís
8 meses atrás

Comprou só pra treinamento básico mesmo e aí nem precisa comparar com o A/T tucano!

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  Sérgio Luís
8 meses atrás

Parece um brinquedo!

Jean Jardino
Jean Jardino
Reply to  Sérgio Luís
8 meses atrás

Isso eh chamado de DC, por ver o Tucano perder mais uma, a pouco tempo a Franca também optou pelos PC 21 para treinamento avançado.
DC ( Dor de Cotovelo ).

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  Jean Jardino
8 meses atrás

Isso é bairrismo europeu!

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Jean Jardino
8 meses atrás

A França utilizou quantos Tucanos mesmo? E os Xingú (até hoje…)?

Kemen
Kemen
Reply to  Sérgio Luís
8 meses atrás

O ST é um avião para guerra COIN, pode ser usado como treinador também, mas sai mais caro pela sua total performance, dai não é surpresa que Forças aéreas que querem apenas um treinador, comprem aeronaves que tenham apenas um perfil de treinamento e por isso sejam mais baratas.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  Kemen
8 meses atrás

Lógico!

Wellington Rossi Kramer
Wellington Rossi Kramer
8 meses atrás

Ao meu ver, o ST não é da mesma categoria que o Pilatus PC-21.

Nilson2017
Nilson2017
8 meses atrás

Algum colega conhecedor do tema poderia nos explicar porque a Embraer parou de produzir o Tucano, que se encaixaria nesse nicho de avião para treinamento.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Nilson2017
8 meses atrás

Ela não parou… O Tucano virou o Super Tucano. Uma aeronave para outra missão. Uma aeronave muito mais cara e que produz melhores margens de lucro.
A Embraer tentou continuar no rabo dos treinadores, porém a crise da década de 80/90, a derrota injusta nas concorrências do JPATS e NFTC, e os requisitos do então ALX, levaram a EMBRAER a focar seus poucos recursos no ALX. Lembrando que a grande maioria da engenharia estava focada nos ERJ.
Depois disso a Embraer cresceu demais para se interessar por um produto como um treinador primário.

FernandoEMB
FernandoEMB
Reply to  Nilson2017
8 meses atrás

Já respondido… mas a resposta foi abduzida!!!

Nilson2017
Nilson2017
Reply to  FernandoEMB
8 meses atrás

Obrigado pela resposta, Fernando. De qualquer forma, ainda fico em dúvida sobre o acerto da decisão empresarial de encerrar uma linha de produção (Tucano) já paga pelas vendas anteriores, sendo que ainda poderia render muitas vendas. Parece que a lição foi aprendida, tanto que mesmo com a linha E2 a Embraer continua firme na produção dos E-jets mais antigos.
Talvez se tivesse mantido a linha do Tucano quando implantou o Super Tucano, tivesse tido mais vendas.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Nilson2017
8 meses atrás

Não teria como continuar. Na época o tucano já estava perdendo competitividade frente aos novos Pilatus. Não existe essa de continuar produzindo. Teria de se redesenhar o avião. E isso foi feito, mas para requisitos específicos dia programas NFTC e JPATS. Como estes contatos não vieram a Embraer se concentrou no A-29. É bom lembrar que uma empresa tem recurso limitados, e no caso da Embraer, o foco foi a linha de jatos regionais e o A-29. Dos os esforços de engenharia foram para os Ejets e Phenoms… Depois… Bem todos sabem. Simplesmente não dá para estar em todos os… Read more »

Francisco Braga
Francisco Braga
Reply to  Fernando EMB
8 meses atrás

e como foi parar na Sierra Nevada?

João Moro
João Moro
8 meses atrás

Bem, poderiam ficar com o melhor, que era o Super Tucano, mas fazer o que?!

colombelli
colombelli
Reply to  João Moro
8 meses atrás

exato, pagariam pouca coisa mais e teriam uma aeronave com mais capacidade e possibilidade de uso em combate. Muita politicagem sempre em compra de armas

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  João Moro
8 meses atrás

Para a missão de treinamento puro, o Pilatus é melhor e mais barato.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Fernando EMB
8 meses atrás

Além de possuir um desempenho superior, devido ao perfil da asa. 330 kt cruise speed.

Guilherme
Guilherme
8 meses atrás

Brasil compra transportador da Espanha e eles compram treinadores do Brasil. SQN

Luiz Trindade
Luiz Trindade
8 meses atrás

Podem até não ser da mesma categoria mas não deixa de ser uma pena não conseguir vender para o mercado espanhol. Fruto das besteiras do governo em brigas com europa, agora colhemos os frutos. Uma pena…

Marcos Andrey
Marcos Andrey
Reply to  Luiz Trindade
8 meses atrás

Pronto começou!!!!

Flanker
Flanker
Reply to  Luiz Trindade
8 meses atrás

Sem entrar no mérito da politica externa do governo brasileiro, essa compra nada tem a ver com essa política. A Espanha queria um treinador. E escolheu o melhor! Como treinador, apenas, o PC-21 é melhor que o Super Tucano. Se quisessem também um COIN e mesmo assim escolhessem o PC-21, aí poderíamos dizer que preteriram o Super Tucano.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Luiz Trindade
8 meses atrás

Ahhh tá… Me desculpem os bolsominions… Me esqueci que não se pode criticar o “Ungido”…

Flanker
Flanker
Reply to  Luiz Trindade
8 meses atrás

Sério?? Teu argumento se resume a chamar os outros de bolsominions somente porque discordatam de ti?? Qual teu argumento para corroborar a opinião de que os espanhóis não compraram o Super Tucano por causa do atual governo?? Se tu não tens argumentos, fica sendo tua opinião apenas…..que respeito, mas não necessariamente é verdade!! Essa maldita dicotomia entre lulistas e bolsonaristas está acabando com o Brasil!!! As pessoas não sabem mais conversar!!!! Só se atacam!! Só se acusam!!! Só rotulam os outros!!!!

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Flanker
8 meses atrás

Pois eh Flanker… Eu tenho várias opiniões de acordo e desacordo com governo. O problema é justamente esse. Se vc discorda do governo vc é esquerdopata ou petista. Eu discuto sim. O fato de vc dizer que o PC-21 é melhor para os espanhóis eu respeito apesar de concordar. Mas discussão começou quando Marco Andrey explanou que começou! Precisamos sim discutir política mesmo que defendendo seus lados pois eh assim que chegamos há um ponto comum e avançamos, coisa que os brasileiros atuais esqueceram.

Coutinho
Coutinho
Reply to  Luiz Trindade
8 meses atrás

Você não só criticou. Falou besteira, e seu comentario nada tinha a ver com o tópico. Se tivesse se dado ao trabalho de pesquisar um pouco, veria que o PC-21 era a melhor escolha para os espanhóis.

nonato
nonato
8 meses atrás

Menos de dez milhões de euros por aeronave?
O preço é esse mesmo?
Sempre acho absurdo o preço cobrado por aeronaves, especialmente militares.
Por isso, estou admirado que o preço não pareça tão salgado.
Esses aviões Herodes…

GFC_RJ
GFC_RJ
8 meses atrás

Belo avião o PC-21.
Mais belíssimo ainda o cenário.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
8 meses atrás

Para os espanhóis neste caso, o ST seria canhão para matar passarinho. Quanto a certos “gênios” que misturam política com aviação, não conseguem relacionar “lé com cré” em nenhuma delas (papagaios acéfalos).

Billy
Billy
8 meses atrás

Tão fajuto quanto aqueles fracotes c212 que a FAB comprou.