Home Aviação Militar Último AC-130U Spooky retorna de missão de combate

Último AC-130U Spooky retorna de missão de combate

3956
30
AC-130U Spooky
AC-130U Spooky

HURLBURT FIELD, Florida. — O último AC-130U Spooky retornou da última operação planejada de combate da aeronave em 8 de julho de 2019.

Enquanto ainda está em alerta para responder às contingências necessárias para os próximos meses, o Spooky está sendo substituído pelo AC-130J Ghostrider, o gunship mais letal e inovador do mundo.

“Isso inicia o fim de uma era para uma das aeronaves mais conhecidas no mundo das operações especiais, mas isso não significa que nossos Comandos Aéreos terão menos impacto no campo de batalha”, disse o Coronel da Força Aérea dos EUA. Michael Conley, comandante da 1ª Ala de Operações Especiais. “O Ghostrider continuará fazendo o trabalho do Spooky. Não há descanso para nossos inimigos, e nossas aeronaves serão donas da noite por muitos anos.

O AC-130J é o mais recente em uma longa linha de gunships, oferecendo a mais avançada tecnologia e armas disponíveis para apoiar forças de operações especiais no solo. O 73º Esquadrão de Operações Especiais é atualmente o único esquadrão operacional de AC-130J.

O Ghostrider também é equipado com um Precision Strike Package, com recursos de lançamento de munição guiada de precisão e canhões de 30mm e 105mm conteiráveis, um console de gerenciamento de missão, um conjunto de comunicações robusto, dois sensores eletroópticos/infravermelhos e equipamentos avançados de direção de tiro.

Além de uma reconstituição anterior, de aproximadamente seis meses, em 2013, os AC-130U atribuídos ao 4º Esquadrão de Operações Especiais foram constantemente mobilizados para apoiar contingências no exterior desde 2001, dando à unidade a designação de “esquadrão mais utilizado na Força Aérea” várias vezes. O Spooky passou quase um quarto de século no campo operacional, vendo o combate pela primeira vez em 1995.

AC-130J Ghostrider

FONTE: USAF

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
João Augusto
João Augusto
10 meses atrás

Seria um sonho ver algo parecido na plataforma KC-390.

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  João Augusto
10 meses atrás

Pode crer, seria um excelente meio de dissuasão.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Atirador 33
10 meses atrás

Para países como Egito, Marrocos, Jordânia, Líbia, Iraque e Argélia poderia ser uma boa arma…

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
Reply to  Atirador 33
10 meses atrás

Dissuasão do q ?
Gunships são armas COIN por excelência ! Em um cenário de alta intensidade, onde a tal dissuasão deveria ter evitado q acontecesse, uma aeronave desse tipo não tem chance nenhuma de sobrevivência !
Esse tipo de aeronave só opera em áreas com total supremacia aérea e baixa ameaça de armas anti-aéreas.

Bosco
Bosco
Reply to  Alfredo Araujo
10 meses atrás

“Esse tipo de aeronave só opera em áreas com total supremacia aérea e baixa ameaça de armas anti-aéreas.”
E de noite.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Bosco
10 meses atrás

E de longe

Bosco
Bosco
Reply to  Alfredo Araujo
10 meses atrás

Vale salientar que o AC-130J Ghostrider pode ser armado com bombas planadoras SDB’s, portanto, seu uso se amplia para o cenário de alta intensidade.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Na minha opinião, continua não fazendo muito sentido… já que (praticamente) qualquer caça americano – também – pode ser armado com bombas planadoras SDB’s.
Um F15E, por exemplo, pode ser armado com trocentas SDB’s, e vai fazer “o serviço” com muito mais chances de voltar vivo, e ainda por cima, vai ter totais condições de se defender, caso algum “imprevisto” aconteça.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  João Augusto
10 meses atrás

Seria excelente plataforma

Ricardo Alexandre
Ricardo Alexandre
10 meses atrás

e como não lembrar dessa máquina voadora na luta do bem contra o não, pra mim, num dos filmes mais extraordinário, os Transformers 👏👏👏 quando estão no Egito e o avião chega disparando uma rajada, do seu canhão contra os Decepticons!!!

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
10 meses atrás

Bonitão!

Adriano Madureira
Adriano Madureira
10 meses atrás

Ver um Embraer KC390 nessa configuração seria muito show e até poderia ser uma boa variante exportação para países africanos e asiáticos…

Señor batata
Señor batata
10 meses atrás

Ok. Eu sei q são são aviões usados contra forças assimétricas, mas me pergunto se com a proliferação de mísseis lançados nos ombros não representa um risco para essas aeronaves? Se alguém souber ficaria agradecido.
Tchau e boa noite.

Bosco
Bosco
Reply to  Señor batata
10 meses atrás

Senor Batata,
Esses aviões são utilizados à noite. Forças assimétricas geralmente não possuem radar e não têm como detectar o avião.

Señor batata
Señor batata
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Vlw pela resposta Bosco.
Boa noite e abs.

Mauricio R.
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Isto não impediu o AC-130H 69-6567 de ser abatido por manpads sobre Khafgi, Arábia Saudita; 14 mortos.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Mauricio R.
10 meses atrás

Tenho a impressão de que os Yemenitas só não tomaram Riad ainda por receio de os EUA intervirem. Até baterias Patriot os sauditas deram conta de perder. Brincadeira ou não uma coisa dessas!!!

Bosco
Bosco
Reply to  Mauricio R.
10 meses atrás

Em 10 anos os gunships realizaram mais de 3000 missões. Tivessem voado de dia e vc teria mais abates para nos informar.
Nada é perfeito.

Foxtrot
Foxtrot
10 meses atrás

Meu sonho ver uma unidade (12 equipamentos) da FAB dotada de aeronaves canhoneiras (Gunship) do KC-390. Essa unidade (denominada por mim de esquadrão Ogun. Na cultura afro brasileira Deus dos raios e trovoadas) seria responsável por apoio às SOF,s nacionais. Há relatos que unidades SEAL,s, Delta, Ranger, Boinas Verdes, unidades fantasmas etc só sobreviveram porque tiveram apoio aéreo de Gunship,s. Um equipamento desses daria um excelente incremento de capacidade estratégico a FAB. Imagino um cenário onde defesas inimigas seria destruídas por mísseis MT-300,MAR-01, bombas SMKB. Os alvos seriam esclarecidos com drones Falcão, satélites ópticos e Sar . Após isso o… Read more »

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
Reply to  Foxtrot
10 meses atrás

Uma “verdadeira Força Aérea” tem os meios adequados para cumprir as missões em seu teatro de operações. Uma aeronave Gunship é uma arma, basicamente, usada contra forças irregulares… O Brasil não enfrenta nenhuma ameaça irregular. Não existem forças separatistas, extremistas religiosos, ou qualquer outro grupo armado irregular (tirando traficantes de drogas), em tamanho de serem consideradas uma ameaça… Assim sendo, para a FAB ser considerada uma “verdadeira Força Aérea, a ULTIMA aeronave q a mesma deveria ter em suas filas, é um Gunship… rsrsrs . Fora que, um turbo hélice feito o C-130 (asas retas), tem velocidades de stoll beeem… Read more »

Eduardo dos Anjos
Eduardo dos Anjos
Reply to  Alfredo Araujo
10 meses atrás

Já tinha um estudo desde 2017 que qualifica o KC390 para GunShip, https://www.defesa.gov.br/arquivos/ensino_e_pesquisa/defesa_academia/cadn/artigos/xii_cadn/convertendo_o_kc-390_em_gunship.pdf pena que tiraram do ar o estudo, provavelmente deixaram exposto por acidente…

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Alfredo Araujo
10 meses atrás

Caro Alfredo Araujo, hoje não temos esse tipo de ameaças , mas vale lembra que o Brasil possui nacionais em diversos locais do mundo, incluindo áreas de conflitos (África, Oriente médio etc), sendo assim não podemos e nunca deveríamos dimensionar nossas FAA,s para atuarem apenas no T.O Sul americano. Soma-se a isso, a crescente participação do país em missões da ONU, “aliado extra da OTAN” etc. Onde forças especiais nacionais necessitariam de um supor aéreo pesado em missões de resgate, evasão por de trás das linhas inimigas e ou mesmo suporte a aliados em missões como essa e além. Sendo… Read more »

Mauricio R.
Reply to  Foxtrot
10 meses atrás

Antes de mais nada, arruma um complexo militar industrial, decente, pra fazer esse monte todo de tranqueiras; funcionarem!!!!

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Mauricio R.
10 meses atrás

Caro Maurício R. Esse complexo industrial militar já existe, está carecendo apenas de mais atenção de nossos militares. Pois os mesmos só possuem olhos para as multi estrangeiras e ou ex empresas nacionais que foram adquiridas pelas internacionais. Na primeira LAAD (2003 se não me engano), houve uma apresentação crescente de produtos e serviços de defesa nacionais. Produtos que iam de bombas inteligentes, mísseis, embarcações, satélites etc. Ai houve um ataque macisso as empresas nacionais pelas estrangeiras, afim de as comprarem e nos empurrar guela a baixo seus produtos. E veja no que deu, estamos estagnados , sem novidades. Ou… Read more »

Mauricio R.
Reply to  Foxtrot
10 meses atrás

É eles os EUA tem uma indústria, capaz de lhes fornecer 8000 mísseis Hellfire. Infelizmente não demos a mesma sorte e o nosso míssil minimamente semelhante ao norte americano, é uma novelas de mais de 30 anos sem final a vista. Mas o único problema, é a falta de dinheiro. Se não fosse pelo punhado de mísseis norte americanos, olha eles ai de novo, israelenses e franceses, nossa aviação de caça ainda estaria na Guerra da Coréia em termos de capacidade tecnológica. Tudo por que a ultra competente indústria nacional, não teve competência para produzir um mísero míssil guiado. Os… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Mauricio R.
10 meses atrás

A claro Maurício. A “poderosa” FAB que diz estar sem dinheiro mas pleiteia junto ao congresso 250 milhões para sistema de armas importados, gasta milhões em P&D em seus centros e depois abandona em detrimento de produtos similar importado. Abandonou a evolução do caça AMX para comprar um “avião de papel” que quando estiver operacional na força já será obsoleto. Quanto ao MSS 1.2 realmente a demora do mesmo é sem igual, mas se houvesse interesse e investimentos sérios como há nos produtos importados você realmente acredita que demoraria tanto tempo? No E.U.A por exemplo, basta você apresentar uma proposta… Read more »

PPrr
PPrr
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

Sonho mesmo, mas apenas sonho.

Eduardo dos Anjos
Eduardo dos Anjos
10 meses atrás
Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Eduardo dos Anjos
10 meses atrás

Excelente estudo caro Eduardo dos anjos.
Além de apresentar estudos de viabilidade para nossa realidade, oferece motivos para adição de unidades Gunship pela FAB.
Realmente a capacidade de levar rapidamente uma artilharia pesada e precisa a qualquer localidade desse país, caracteriza uma capacidade dissuasoria sem igual.
Imagino 2 esquadrões (6 unidades em cada esquadrão) dotados de AC-390.
Um no Sul do país e outro no extremo norte, gerando assim um “corredor” de controle no país.
Uma arma que seria dissuasoria para qualquer agressor !
Mas !!!!