Home Aviação de Caça Voa o terceiro caça Saab Gripen E; o quarto será o da...

Voa o terceiro caça Saab Gripen E; o quarto será o da FAB

15725
126
Terceiro Gripen E, 39-10

O Programa do caça Gripen NG (Gripen E/F) alcançou mais marco hoje, com o primeiro voo do terceiro Gripen E (39-10), realizado na fábrica da Saab em Linköping, na Suécia. O avião fez um voo de 57 minutos pilotado por Jakob Hogberg.

No Programa de Testes do Gripen E, os protótipos 39-8 e 39-9 estão servindo como plataforma para a Flight Test Instrumentation (FTI) e para testes de sistemas.

O 39-10 aferirá o peso correto da aeronave, e também testará a plataforma e sistemas.

Os Gripens E 39-9 e 39-10 se beneficiaram com computadores novos e atualizados, melhorando ainda mais a capacidade da aeronave, em relação à primeira 39-8. A 39-7 era o demonstrador do Gripen NG, um Gripen D modificado.

O Gripen 39-10 deverá ser seguido pelo primeiro avião da Força Aérea Brasileira, que está em fase final de montagem na Suécia.

Programa de Testes do Gripen E
Programa de Testes do Gripen E

Falando no mês passado, Eddy de la Motte, chefe de unidade de negócios da Saab do Gripen E/F, disse que a empresa pretende ter oito aeronaves da nova geração voando antes do final deste ano, incluindo quatro exemplares de produção que estão em fase final de montagem em Linköping.

A Força Aérea Sueca receberá 60 caças Gripen E, e o Brasil – primeiro cliente de exportação –, terá uma frota de 36 unidades, com 28 monopostos e oito Gripen F bipostos.

Assista abaixo ao vídeo da decolagem do Gripen E 39-10.

Piloto Jakob Högberg após o primeiro voo com o Saab Gripen E 39-10
Subscribe
Notify of
guest
126 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joao Argolo
Joao Argolo
1 ano atrás

Show de pelota

MBP77
MBP77
1 ano atrás

“Os Gripens E 39-9 e 39-10 se beneficiaram com computadores novos e atualizados, melhorando ainda mais a capacidade da aeronave…”.
*
Pergunta aos editores e colegas mais versados no assunto:
As futuras unidades “brasileiras” da versão E estarão padronizadas com este tipo de hardware ou é apenas um desenvolvimento paralelo da SAAB com a Força Área Sueca para eventuais futuros upgrades?
Sds.

MBP77
MBP77
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Obrigado, Galante!
Sds.

Bueno
Bueno
Reply to  MBP77
1 ano atrás

Tem gente que deve ter ódio da vida, da dislake de agradecimento kkk

Thiago
Thiago
Reply to  Bueno
1 ano atrás

Kkkkkk

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Bueno
1 ano atrás

Os de sempre!

Bueno
Bueno
Reply to  Bueno
1 ano atrás

Os editores da trilogia são os caras mais resiliente que já conheci na rede. Trilogia é top, espaço democrático , gratuito e de alto nível. Os do contra sempre existirão…

ednardo curisco
ednardo curisco
Reply to  Bueno
1 ano atrás

Negada dá ‘dislike’ só por hobby mesmo.

Bueno
Bueno
Reply to  ednardo curisco
1 ano atrás

É provável. Alguns deram dislike negativando uma reposta do editor. A resposta merece uma matéria devido a importância que é. Sem contar a disposição de responder as duvidas dos leitores.

Mauro Cambuquira
Reply to  Bueno
1 ano atrás

Boa! Ai que ódiôô! Assinado: Sandra! Parecia uma louca!

Chris
Chris
Reply to  Bueno
1 ano atrás

Ja vi até em pergunta !

A maioria dos sites bloqueiam esse botão, exatamente por esse abuso !

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

O PROSUB indo em passos largos, o nosso Gripen quase saindo do forno, a FAB botando o pau na mesa e comprando de uma vez 100 dos mais modernos mísseis BVR que existem atualmente…
Só ta faltando o EB vir tambem com uma boa notícia. Adoraria que eles comprassem um bom sistema AAA.

teropode
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

30 conjuntos Spyder , 50 conjuntos Astros 2020 .

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  teropode
1 ano atrás

Nada de Spyder que nem Israel quis, é Land Ceptor, já que o CAMM vai para as Tamandarés, joga o CAMM-ER na defesa aérea do país e padroniza logo o resto das forças, sai mais barato que comprar sistemas diferentes e abrir linhas de logística diferentes. Fora que o CAMM é melhor que esse estilingue aí de Israel. Por… de estrela de Davi… Aqui é a águia de Roma!

Junior
Junior
Reply to  teropode
1 ano atrás

Nem Israel usa esse trambolho do Spyder, se for para comprar algo de Israel, que compre algo que as forças armadas deles usam

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Esqueceu do KC-390 que já será entregue ao 1ºGTT em Anápolis-GO

ednardo curisco
ednardo curisco
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Como é que se negativa boa noticia?

Gabriel Ferraz
Gabriel Ferraz
1 ano atrás

Caro leitores desse excelente blog ,sendo realista ,vocês acreditam mesmo que a Fab vá adquiri um montante de mais ou menos uns 100 caças? Dividido em três lotes. Porque sinceramente eu ainda acredito fielmente em mais um ,agora em um terceiro? Rum sei não. Principalmente por questões orçamentárias.

Minuteman
Minuteman
Reply to  Gabriel Ferraz
1 ano atrás

Provavelmente. O segundo lote poderá ser para depois de 2021, o terceiro não tenho ideia.

Robsonmkt
Reply to  Gabriel Ferraz
1 ano atrás

Também acredito em um segundo lote, totalizando 72 aeronaves, até porque o segundo lote será mais em conta que o primeiro pois não envolverá os custos de integração e treinamento das equipes de terra, necessários para o recebimento do primeiro lote.
Os 35 caças restantes poderão vir a ser de um novo caça a ser recebido depois de 2030, talvez uma modelo stealth desenvolvido pela Embraer e pela Saab com base na arquitetura do próprio Gripen. Sonhar não custa nada.

Carlos Alberto Bussad
Carlos Alberto Bussad
Reply to  Robsonmkt
1 ano atrás

Realmente seria muito interessante para a nossa indústria aeronáutica.

Fligth_Falcon
Fligth_Falcon
Reply to  Robsonmkt
1 ano atrás

Esqueça caça desenvolvido pela Embraer, se vier coisas assim será compras de produtos Boeing, ou seja, hoje seria oferecido F-18E/F ou outro produto que possuam.
A própria FAB em relatório interno já preve o fim da Embraer Defesa.

Tonho da Lua.
Tonho da Lua.
Reply to  Fligth_Falcon
1 ano atrás

Fligth , então não serviu para nd a tal transferencia de tcnulugia kkkk

Leandri
Leandri
Reply to  Fligth_Falcon
1 ano atrás

Kkkkkk Nada haver cara, o Gripen E/NG será produzido aqui e ele é um caça de 4/5 geração e o F18 é de 3/4 geração com sua vida útil como um grande vetor mais 15 anos o Gripen NG é um caça

Marcelo
Marcelo
Reply to  Gabriel Ferraz
1 ano atrás

um segundo batch de mais 36 aeronaves faz todo o sentido! Principalmente depois de montada uma linha no Brasil na Embraer Gaviao Peixoto, que do 1o batch soh montarao 15 avioes se nao me engano. Agora um terceiro batch eh para se pensar, quando chegar a hora, penso que devemos ver novamente o que ha no mercado (5a e 6a geracoes), e como esta nosso cenario geopolitico, pois creio que seja coisa para daqui uns 20 anos…

Felipe Fg
Felipe Fg
Reply to  Gabriel Ferraz
1 ano atrás

Um segundo lote é praticamente certo
Um terceiro aí já não sei (Mas torço kk)
De qualquer forma, 72 Gripens + meteor + E99M vão colocar a Fab num patamar que ela nunca esteve antes, muito acima do resto da AL.

kaleu
kaleu
Reply to  Felipe Fg
1 ano atrás

E ainda reabastecidos por KC-390s … sem dúvida essa equação de Gripens _ E/R-99_ KC-390 impõem respeito, sendo um belo fator de dissuasão diante de qualquer agressor.

Issoaí
Issoaí
Reply to  kaleu
1 ano atrás

+ os super tucanos A29 que ja sao os melhores do mundo na categoria= Orgulho de ser BR

José Adilson Mendes
José Adilson Mendes
Reply to  Gabriel Ferraz
1 ano atrás

Bom a minha opinião é de admirador contumaz, mas ainda assim leigo. Olhando de fora, penso sim que o objetivo inicial de 108 caças será buscado com afinco, acreditando que esse número poderá chegar em 144 se confirmado realmente sua proficiência e pluralidade no uso de armamentos atuais e flexibilidade para novos. No entanto isso só será confirmado após o início ( com sucesso) das montagens em solo brasileiro do Grippen em Gavião Peixoto. Da mesma forma penso que teremos já para mais rápido, a confirmação da ampliação de produção dos novos submarinos similares ao Riachuelo, uma vez que estamos… Read more »

Daniel
Daniel
Reply to  Gabriel Ferraz
1 ano atrás

Podem me chamar de pessimista, mas não acredito em segundo lote.
Demoraram 30 anos pra comprar 36 aeronaves, além do mais não estamos nadando em berço esplêndido ($$$).

Humberto
Humberto
Reply to  Gabriel Ferraz
1 ano atrás

Acho que depende de vários fatores, desde algum operação das Forças Armadas no Exterior (acho improvável mas possível) assim como um conflito com algum vizinho(muito improvável mas também possível). Um outro fator e o desempenho econômico do país, se melhor muito, é possível sim a compra de novos lotes. Particularmente acredito que somente depois de receber os primeiros caças (dizem que a FAB está sim satisfeita com o que tem visto na Suecia) no Brasil seja especulado algo mais concreto. Não acredito em 100 caças, ficaria satisfeito em mais dois lotes de 12-18 caças a cada 5 anos, com isto,… Read more »

João Moro
João Moro
Reply to  Gabriel Ferraz
1 ano atrás

O planejamento da FAB é substituir todos o F-5 por Gripens e depois substituir os AMX por Gripens. Ou seja, é possível haver 3 lotes. Podem demorar um bocado, pode… mas acredito que ocorrerá.

Humberto
Humberto
Reply to  João Moro
1 ano atrás

João, o gripen é muito mais capaz do que o F-5 e o A1. A troca não será 1 por 1. É uma tendencia nos últimos anos (principalmente por causa do valor do vetor) as forças aéreas diminuírem de tamanho.
Claro, existe os foras da curva (como a China), mas são mais exceção que regra.
Abraços

Gabriel Ferraz
Gabriel Ferraz
Reply to  Humberto
1 ano atrás

Concordo com você Humberto ,não tem nem comparação o f5 com o gripen. Se a troca for um por um é pra glorificar de pé.

Daniel
Daniel
Reply to  Humberto
1 ano atrás

Por isso mesmo que falei acima sobre o segundo lote.
Acho pouco provável.

Manoel Jorge Marques Neto
Manoel Jorge Marques Neto
Reply to  Daniel
1 ano atrás

Se comprar é americano. Tomara que não…mas….

Antunes Neto
Antunes Neto
Reply to  Humberto
1 ano atrás

Eu não acredito na troca 1×1. Mas devemos observar que as aeronaves disponíveis não são 100% do número de aeronaves anteriormente compradas de F-5 e A-1. Se não me engano 3 lotes 32 seria essa troca 1×1. Logo qualquer coisa perto de 70/80 será um número muito bem vindo. Então dois lotes de 32 ou um lote de 32 + 2 lotes de 16 pra 20 é possível ou, melhor, sonhável.

Espero que a FAB persiga esse alvo.

nonato
nonato
Reply to  João Moro
1 ano atrás

Eu preferia um ooutro avião mais barato no lugar do AMX.
Ou até um AMX NG. Pode até ser igual ao atual, modernizado.
O gripen ainda é um caça caro.
A não ser que comprassemos algo usado, tipo F 16.

nonato
nonato
Reply to  nonato
1 ano atrás

Acho que o AMX é um excelente bombardeiro.
O gripen será nosso caça de primeira linha, mais barato do que os Rafale, mas mais caro do que seria um AMX.
Construir novas células modernizadas para fazer número não seria uma má idéia.
No mínimo para transportar alguns mísseis e bombas.
Também me agradaria a ideia de alguns SU 34 ou F 15 para bombardeio.
Proteger o oceano.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Gabriel Ferraz
1 ano atrás

Tendo em vista o historial brasileiro, se realmente chegarem todos os 36, no cronograma previsto já será muita coisa. Outro lote alem dos 36 iniciais? Sinto muito, mas só acreditarei quando volte a acreditar no Papai Noel. E quanto ao EB, falta muitíssima visão, mas também verba real (pagamentos de folha e filhas solteiras ad eternum não vale.) Ao meu ver as carências mais urgentes do EB são: a aposentadoria imediata do FAL, a aquisição de um main battle tank em números suficientes para substituir o Leopard 1, o qual poderia compor um forte segunda linha, e uma urgente recomposição… Read more »

Mig35
Mig35
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

AMX-2.0

PauloSollo
Reply to  Mig35
1 ano atrás

Sugiro que você mude o seu nick name porquê este MiG-29 plus é um verdadeiro fracasso, não engana nem os russos.

Leandri
Leandri
Reply to  Gabriel Ferraz
1 ano atrás

Sim, hávera depois que a produção de consolidar no Brasil barateando o seu custo e manutenção

Adriano Madureira
Adriano Madureira
1 ano atrás

Perguntinha de leigo: Os nossos Gripen podem vir voando da Suécia ou terão que vir desmontados em cargueiros ❓

Pergunto pelo fato deles(força aérea sueca) terem participado do Red flag nos EUA e terem votados várias horas até lá…

Não poderia nossos pilotos já familiarizados com o Gripen, trazê-los?

Daniel
Daniel
Reply to  Adriano Madureira
1 ano atrás

Têm capacidade de virem voando mediante escalas para reabastecimento ou mediante REVO.

BILL27
BILL27
Reply to  Adriano Madureira
1 ano atrás

Quase certo que os Pilotos brasileiros vão traze los .O mesmo aconteceu com os M2000 do GDa

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Adriano Madureira
1 ano atrás

A não ser que surja algum empecilho, devem vir voando. A Embraer mesmo entrega Tucanos além mar voando, não vejo porque o Gripen não poderia fazer o caminho de volta, até porque o modelo C já esteve em Anápolis.

Os Mirage III vieram desmontados (provavelmente falta de alcance) mas os 2000 vieram voando.

E aqui entre nós, espero que quem venha acompanhando seja uma das primeiras unidades do KC-390. Seria um tremendo aumento de moral de todos os fabianos envolvidos.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Os Mirage III originais não tinham capacidade de REVO. Essa capacidade foi adicionada depois em uma atualização.

Flanker
Flanker
Reply to  EduardoSP
1 ano atrás

Os Mirage III da FAB nunca tiveram capacidade REVO. No final dos anos 90 do século passado, foi instalado um probe de reabastecimento de Mirage F-1 ou de M2000, no Mirage III F-103E 4929, com a finalidade de testar essa capacidade nos MIII. Foram feitos vários voos e, se minha mente não me trai, foi realizado REVO real durante os testes. Entretanto, por questões diversas, principalmente orçamentárias, o projeto não foi adiante.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Obrigado pela correção.

PauloSollo
1 ano atrás

Pra se ter noção do quão complexo é desenvolver um caça. Varios prototipos sao necessarios.
E lembrando que a única coisa de semelhante entre o Gripen E e o C/D é a aparência externa, sendo que o E é maior. Ainda assim têm uns desinformados birrentos que vivem se queixando de demora…

Tiago
Tiago
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Sempre haverão reclamadores compulsivos, não importa qual seja a decisão – ou mesmo uma ausência de decisão.

nonato
nonato
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

O que existe de diferente é um novo motor (nada do outro mundo em termos de complexidade), um avião alongado, novo radar (nada tem a ver com avião, assim como o motor que já existe), novos mísseis (cujo desenvolvimento nada tem a ver com o desenvolvimento do gripen), aviônicos. Todo mundo crítica o F 35 que é um avião totalmente novo e stealth. Por que não podemos criticar a demora no desenvolvimento do gripen? Eu até acho que pode haver fatores externos. Primeiro esperaram uma venda externa para rachar as despesas de desenvolvimento e talvez alguns ítens tenham atrasado, tipo… Read more »

JT8D
JT8D
Reply to  nonato
1 ano atrás

Você esqueceu das novas asas e seção central da fuselagem, pois o trem de pouso principal foi reposicionado nas asas para dar espaço para um novo tanque de combustível na fuselagem, o que permitiu ao Gripen ter um alcance similar ao do F/A-18 e do Rafale. Coisinha simples, nada que não se resolva com um pouco de araldite e arame

nonato
nonato
Reply to  JT8D
1 ano atrás

É isso que você chama de complexidade? Nos últimos dez anos a Embraer desenvolveu uns 10 aviões diferentes, incluindo três da linha E jet 2, KC 390, praetor, Phenom E, Phenom 100, Phenom 300, etc. Presume-se que uma fabricante de caças, submarinos e mísseis saiba realizar algumas pequenas alterações num caça que fabrica há décadas sem precisar recorrer a arames e araldite. É incompreensível que alguns teimem em achar complexos o que faz parte do dia a dia de um fabricante de armamentos. Se fosse pensar assim ninguém fabricaria submarinos porque são muito complexos. Para um leigo é complexo, mas… Read more »

JT8D
JT8D
Reply to  nonato
1 ano atrás

É que determinadas modificações exigem que todo o cálculo estrutural do avião seja refeito, por exemplo. Quem já trabalhou em projeto sabe que as vezes dá menos trabalho projetar do zero do que modificar algo existente

nonato
nonato
Reply to  JT8D
1 ano atrás

Calculo estrutural hoje em dia se fsz no computador. Não é tentativa e acerto como era na época da segunda guerra. No mínimo se calcula todas as variáveis envolvidas no computador e se reprojeta o avião. Com certeza não são um ou dois técnicos fazendo isso, mas no mínimo algumas dezenas de engenheiros com conhecimento, o que facilita muito o trabalho. Você não viu aquele treinador que venceu a concorrência nos Estados Unidos? Parceria entre a Boeing e a Saab? O avião voou em menos de um ano. Se acharem mais fácil fazer outro do que alongar, então o façam.… Read more »

JT8D
JT8D
Reply to  nonato
1 ano atrás

É claro que tudo se faz no computador. Mas depois os resultados tem que ser interpretados e analisados por seres humanos. E em seguida esses resultados também tem que ser validados experimentalmente. Normas tem que ser obedecidas, processos de homologação tem que ser cumpridos. Muita responsabilidade, que acaba acarretando muita burocracia. Não adianta reclamar, é assim que essas coisas são feitas hoje, graças a Deus. Durante a Segunda Guerra se projetava um avião em um ano, sem computador. Se algo desse errado, alguns pilotos militares poderiam morrer. E ficava por isso mesmo. Hoje isso é inaceitável, e um erro grave… Read more »

Coutinho
Coutinho
Reply to  nonato
1 ano atrás

A pressa é inimiga da perfeição. A queixa com relação ao F-35 (alem da birra e por ser americano) é referente aos varios problemas que surgiram, justamente por não terem construido protótipos e testado antes da produção. No caso do Gripen, como você mesmo disse, ele foi alongado, o que mudou a capacidade de combustivel e consequentemente o centro de gravidade, o comportamento dinâmico etc. Os computadores e se não me engano, o codigo fonte tambem são novos. Com isso o mesmo tem que ser testado novamente pois todo o comportamento da aeronave mudou. Melhor testar exaustivamente do que ter… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Off
O setor de montagem dos jatos executivos da Embraer começam a ser transferidos de SJC prata Gavião Peixoto.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Estão acelerando o processo, muito bom.
Capacidade e eficiência Suecas.

BMIKE
BMIKE
1 ano atrás

Ótima notícia, penso que no segundo lote deve sair com 50 aeronaves e vamos ficar com 86 no total.

pangloss
pangloss
Reply to  BMIKE
1 ano atrás

Parabéns pelo otimismo. Se a FAB comprar 50 Gripen, incluídas as eventuais reposições de aeronaves perdidas por atrito operacional, já ficará além das minhas expectativas.

Adriano Luchiari
Adriano Luchiari
1 ano atrás

Com um segundo lote de 36 já ficaremos muito bem!

Ednardo Sombra
Ednardo Sombra
1 ano atrás

Agora a principal pergunta: Qual é o peso correto dele?

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Ednardo Sombra
1 ano atrás

Nem leve demais, nem pesado demais. 🙂

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 ano atrás

Ótima notícia.

Rogério Loureiro
Rogério Loureiro
1 ano atrás

Já voará nas cores da FAB?

Daniel
Daniel
Reply to  Rogério Loureiro
1 ano atrás

Muito provavelmente, porém virá somente em 2021.

Sérgio Mass
Sérgio Mass
1 ano atrás

Precisamos de no mínimo mais de 100 caças destes, com urgência, para impor respeito.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Pergunta: O 4o. Avião irá decolar com a camuflagem FAB?

Daniel
Daniel
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Muito provavelmente.

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Imagino que já saia pronto da fábrica com o concá e a cor escolhida pela FAB assim como o caça da Força Aérea da Suécia saiu.
Só espero que a FAB não use aquele verde ridículo e opte por uma paleta entre cinza e azul.

FighterBR
FighterBR
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

A camuflagem será cinza.

JSilva
JSilva
Reply to  FighterBR
1 ano atrás

A camuflagem usada no Mirage 2000 tampão já estava de ótimo escolha.

Leonardo
Leonardo
1 ano atrás

Poderia ser logo 100 é depois diversifica outro caça Su34 bombardeiro ou F15EX

Rodrigo
1 ano atrás

Show !!! mais senhores 36 é pouco não !, Esperamos o 2º lote

Vitor
Vitor
1 ano atrás

Este avião não esta com o IRST também. O que esta acontecendo com este sistema ? Atrasou? não vai mais fazer parte do Gripen E?

Bardini
Bardini
Reply to  Vitor
1 ano atrás

Já foi testado… estão usando o espaço para sensores em testes.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Bardini
1 ano atrás

36 está de bom tamanho. Após estes, só de quinta geração, ou Stealth. Esses caças de asa delta não nem como enfrentar os ultimos caças mais modernos. Até o novo F-15 é muito superior em poder de fogo e aviônicos de confiança. O lote seguinte a estes 36 deve ser do tipo que a própria Suécia está pedindo para a SAAB. Furtivo e mais potente e com raio de ação de pais continente.

Bardini
Bardini
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

36 NÃO está de bom tamanho. O mínimo é mais um lote de 24. Mínimo… Some 60 caça e bota um taxa bem severa/ridícula de 50% de disponibilidade. Você terá apenas 30 caças. Número disponível pífio para o Brasil. . 36 só estaria bom se tivessem feito a Burrada de enterrar o dobro desse contrato em 36 Rafales. Aí sim, nunca mais conseguiriam comprar outro caça. Teriam de se virar com F-16 mais quebrado que arroz de terceira sendo modernizado por mais 100 anos. . F-15: rasgar dinheiro que poderia bancar mais Gripen E/F ou F-35B. . A única aeronave… Read more »

Leonel Testa
Leonel Testa
Reply to  Bardini
1 ano atrás

concordo totalmente entre 60 e 72 f39 e se preparar para os caças de 5 geraçao

Maurício.
Maurício.
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

“Até o novo F-15 é muito superior em poder de fogo”
Luiz, em poder de fogo nem é preciso pegar a última versão do F-15, qualquer F-15 é superior ao Gripen nesse quesito, não dá nem para comparar.
Mas para a FAB tá mais que bom, para quem possui a espinha dorsal baseada em F-5, qualquer coisa é lucro.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

Qualquer coisa não! Vocês esquecem onde a Suécia está inserida e contra quem ela se prepara para um eventual confronto:é só a Rússia a preocupação sueca! O Gripen pode não ser o que vcs queriam,por variados motivos,mas não o subestimem.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Marcos Cooper
1 ano atrás

Marcos, você pode não gostar, mas qualquer coisa ou qualquer caça atual é melhor que F-5, até o chinês JF-17 tem mais desempenho que ele, já em relação a preocupação sueca, é a mesma preocupação americana, só que os americanos fizeram o F-22 e os suecos o Gripen, cada um faz o que pode.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

é que o “qualquer coisa” assim colocado soa como se o Gripen fosse imprestável,e não é o caso aqui. Ele é uma máquina de guerra formidável. Também gostaria de ver um Vespão,um Rafale ou até mesmo um Su-35 na FAB. Mas a questão que fica é: A Força chegou a considerar seriamente algum deles? E mais:poderia a FAB mantê-los com uma disponibilidade aceitável?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Marcos Cooper
1 ano atrás

Marcos, o Gripen está longe de ser um caça imprestável, assim como está longe de ser a última bolacha do pacote como alguns dizem. Em relação ao SH e Rafale, os dois estavam no final do F-X2, com isso acho que a FAB chegou sim a considerar esses caças, essa história da FAB não conseguir manter SH ou Rafale é a maior besteira dos blogs de defesa, dinheiro o Brasil tem, é só dar uma olhada no quanto foi gasto na copa, nas olimpíadas, nos salários dos políticos, nos desvios, nas malas, nas cuecas e por aí vai. Veja a… Read more »

JSilva
JSilva
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

O orçamento para a FAB é o que está aí, para os políticos o orçamento do Ministério da Defesa é o terceiro maior do país, eles não querem saber se isso vai para pessoal, pensão, manutenção operacional, compra de equipamentos, desenvolvimento, etc. O que importa é que a despesa está lá naquela rubrica, se a FAB quer espaço para ter um caça biturbina, armamento de ponta, desenvolver armamento nacional, etc… ela precisa mexer no seu orçamento.

Maurício.
Maurício.
Reply to  JSilva
1 ano atrás

JSilva, por isso que eu disse que o Gripen está mais do que bom, cada país e cada força tem suas prioridades…

Johnny
Johnny
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

Ok, dinheiro o Brasil tinha, agora não tem mais não. Além de dinheiro é preciso que haja disposição em elevar os gastos com defesa e necessidade disso. Dinheiro, disposição e necessidade. Não temos nenhuma dessas premissas.

Rommelqe
Rommelqe
1 ano atrás

Maravilha…..

Ricardo
Ricardo
1 ano atrás

Sou leigo mas se alguém pode tirar a dúvida…invés de 36 caças menor poder ofensivo..Não seria melhor ter 12 poder mais ofensivo…Não me batam por favor

Rary Ray
Rary Ray
Reply to  Ricardo
1 ano atrás

De leigo para leigo, acho que 1 f35 não seria páreo para 3 gripen. Além do que, no continente sul americano, o máximo que teríamos que enfrentar seriam f16, que são no máximo equivalentes ao gripen. Então, na minha modesta opinião, acho que uma maior quantidade de gripen( que nem tem tão pouco poder de fogo assim) seria mais vantajoso. Mas se alguém que não seja leigo como eu pensar diferente, esqueça o que eu disse kkkjk.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Ricardo
1 ano atrás

36 caças médios permitem ter um maior número em operação simultânea, com um menor custo de aquisição e operação… sendo que a diferença de poder (carga de armas) seria muito pouca para que o custo-benefício seja viável…

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Ricardo
1 ano atrás

Não

JT8D
JT8D
Reply to  Ricardo
1 ano atrás

Meu camarada, o Gripen E é supermanobravel, tem velocidade de mach 2, supercruise, baixo RCS, grande alcance, suite eletrônica de ponta com radar AESA e IRST, além de carregar o melhor míssil BVR do mundo. Isto é pouco poder ofensivo? O que é que você queria, o F-22 ?

Delfim
Delfim
1 ano atrás

As coisas estão correndo em ritmo rápido. Há décadas que não há uma política de rearmamento geral. Alguém em Brasília está tacando pau.
Se as coisas correrem desse jeito, poderá haver o terceiro lote, ou até um caça “high”, quem sabe ?

Marcio
Marcio
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Gripem não vai conseguir o supercruise, alguém acredita ainda ?

Bardini
Bardini
Reply to  Marcio
1 ano atrás

Quem te disse isso, algum envolvido no projeto?

Mário SAE
Mário SAE
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Provavelmente o Marcio trabalha na SAAB, mas esqueceu de nos falar.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Bardini
1 ano atrás

A falta de notícias sobre isso realmente me preocupa.

JSilva
JSilva
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Percebo que alguns querem dá os créditos de processos que estão amadurecendo há alguns anos à gestão do momento. O que essa gestão, em termos macro, tem de fato até agora, em termos de Forças Armadas, é um contingenciamento superior a 40% do orçamento.

Mostrar serviço pra mim é contratar, até o fim fim dessa gestão, o segundo lote e conseguir acabar com os contingenciamentos que atrapalham com qualquer gerenciamento de orçamento nesse país.

Sergio Bernardo
Sergio Bernardo
1 ano atrás

Incrivel… O Brasil decidiu por esse caças aproximadamente 10 anos atrás.Pergunto: Serão mais 10 anos aguardando ? Será que é produzido um avião a cada 3 anos ? Que vergonha… Na época da II guerra a alemanha produzia uns 50 aviões por dia! E atualmente, a Boeing/ Sukoy/Mig devem produzir de 5 a 10 unidades por dia… Creio que quando esses 36 forem entregues serão peças de museu…

JT8D
JT8D
Reply to  Sergio Bernardo
1 ano atrás

Mude seu nick para Magda

Bardini
Bardini
Reply to  Sergio Bernardo
1 ano atrás

“Brasil decidiu por esse caças aproximadamente 10 anos atrás.Pergunto: Serão mais 10 anos aguardando ? ”
.
Lorota das grandes…
O contrato só foi assinado no final de 2014…
.
“Será que é produzido um avião a cada 3 anos ? Que vergonha… ”
.
Vai ler mais, tá muito fraquinha essa reclamação aí.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Sergio Bernardo
1 ano atrás

” a Boeing/ Sukoy/Mig devem produzir de 5 a 10 unidades por dia…”
Pqp! Ignorância atestada e amplamente reconhecida! Vai se informar ó infeliz, antes de escrever tanta besteira!

Fábio
Fábio
Reply to  Sergio Bernardo
1 ano atrás

Sergio Bernado Magda!

Daniel
Daniel
Reply to  Sergio Bernardo
1 ano atrás

Nossa Sérgio.
Nem eu que não sou do meio militar e não tenho conhecimento técnico, o pouco que sei é como um entusiasta leitor que acompanha aviação militar há 25 anos, falaria tantas baboseiras como essas suas aí.
Acredito que seja ironia sua, não?

Johnny
Johnny
Reply to  Daniel
1 ano atrás

Acho que não era ironia não, pareceu “cério”

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Sergio Bernardo
1 ano atrás

O Brasil decidiu pelo Gripen em Dezembro de 2013.
O primeiro contrato foi assinado no final de 2014 e o contrato de financiamento só foi assinado em julho de 2015.

A primeira aeronave de testes será entregue essa ano, 2019.
E as aeronaves operacionais à partir de 2021.

Está sendo POUCO mais demorado que em outros contratos de caças porque não compramos um caça pronto e sim em desenvolvimento.
A vantagem é que estamos participando do desenvolvimento.

luiz antonio
luiz antonio
1 ano atrás

Quando iniciaram a produção do Gripen eu acreditava em um 3º lote. Hoje, pelo andar da carruagem, com o país quebrado, duvido até de um segundo lote. Outro ponto que me leva a essa opinião é o fato da SAAB estar “rifando” o projeto, o que minimiza a importância da Embraer (EDS) e por consequência sua diminuição de capacidade financeira. Sendo realista, imagino que, além dos primeiros 36, produzirão um lote para reposição por perdas por atrito e olha lá! Infelizmente não há “massa crítica” e nem politica de estado no Brasil que sustente qualquer projeto de aeronaves com capacidade… Read more »

Johnny
Johnny
Reply to  luiz antonio
1 ano atrás

Não seja tão pessimista, até pelo fato do segundo e eventual terceiros lotes tendem a ser bem mais baratos por não envolverem treinamento de pessoal nem transferência de tecnologia que já terá sido absorvida e, espero, replicada em novos projetos.

Jota Ká
Jota Ká
Reply to  luiz antonio
1 ano atrás

Serão 36 e ponto final.
Esquece 2º e 3º lotes.
Falta dinheiro. Faltam inimigos!

Bardini
Bardini
1 ano atrás
Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Bardini
1 ano atrás

O kc ao menos concorreu para essa aquisição?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Ele foi demonstrado na Nova Zelândia, então é provável que a Embraer tenha oferecido ele para aquisição.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Isso é passado! Com a Boeing ajudando a EDS no marketing vai começar a “chover na horta”, como diz o Juarez: ” O tempo é o Senhor da razão!”

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Veja os principais motivos da decisão neozelandesa. 1) base operacional, mais de 400 C-130J operando no mundo; 2) avião utilizado pelos principais aliados da Nova Zelândia, USA, Australia, Inglaterra e Canadá; 3) desempenho e capacidades conhecidas e provadas.
A vida não será fácil para o KC-390.

Marcio de Oliveira Ferreira
Marcio de Oliveira Ferreira
1 ano atrás

A grande verdade é que o peso final do Gripen já ultrapassou muito o limite para o supercruise, vai ser igual o Rafale, só tem supercruise no papel.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Marcio de Oliveira Ferreira
1 ano atrás

Gente! Outro Engenheiro da SAM no blog!!!!

marcio
marcio
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Marcelo, o supercruise do gripen vai ser na banguela e totalmente pelado, nem tanques

Johnny
Johnny
Reply to  marcio
1 ano atrás

Com vento a favor, não se esqueça.

luiz antonio
luiz antonio
1 ano atrás

Comentario retido

RENAN
RENAN
1 ano atrás

Parabéns o sonho está mais próximo

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 ano atrás

Que venha logo antes que o governo diga que essa compra tem vícios de ideologia marxista.