Home Aviação de Ataque Messerschmitt P.1101, primeiro avião com asas de geometria variável, virou o Bell...

Messerschmitt P.1101, primeiro avião com asas de geometria variável, virou o Bell X-5

5464
70
Bell X-5
Bell X-5

O Messerschmitt P.1101 nunca voou, mas sua estrutura incompleta foi capturada pelos Aliados e colocada sob análise nos Estados Unidos, produzindo o Bell X-5. Quando descoberto em 29 de abril de 1945, o P.1101 estava 80% completo

O Bell X-5 foi o primeiro avião capaz de mudar o enflechamento ou geometria de suas asas em voo. Foi inspirado pelo projeto de guerra não testado P.1101, da empresa alemã Messerschmitt. Em contraste com o design alemão, que só poderia ter seu ângulo de enflechamento de asa ajustado no solo, os engenheiros da Bell planejaram um sistema de motores elétricos para ajustar o enflechamento em voo.

O protótipo incompleto do caça Messerschmitt P.1101, recuperado pelas tropas dos Estados Unidos em 1945 da instalação experimental em Oberammergau, na Alemanha, foi levado para os Estados Unidos. Embora danificado em trânsito, o inovador protótipo de caça foi entregue à fábrica da Bell em Buffalo, Nova York, onde a equipe de engenharia da empresa estudou o projeto detalhadament e, liderada pelo designer-chefe Robert J. Woods, apresentou uma proposta para um projeto similar.

Embora superficialmente semelhante, o X-5 era muito mais complexo do que o P.1101, com três posições de enflechamento: 20°, 40° e 60°, criando uma plataforma de “geometria variável” a bordo. Um conjunto de macaco de rosca movia a dobradiça da asa ao longo de um conjunto de trilhos horizontais curtos, usando freios a disco para travar a asa em suas posições de voo. A passagem da extensão total para o enflechamento completo levava menos de 30 segundos. A articulação e os pivôs compensavam parcialmente as mudanças no centro de gravidade e no centro de pressão à medida que as asas se moviam.

Mesmo assim, o X-5 tinha características de parafuso viciosas decorrentes do layout aerodinâmico defeituoso da aeronave, particularmente uma cauda mal posicionada e estabilizador vertical que, em algumas posições de asa, poderia levar a um parafuso irrecuperável. Essa instabilidade violenta de stall/spin acabaria causando a destruição da segunda aeronave e a morte de seu piloto de testes da Força Aérea em 1953.

As características desfavoráveis ​​de parafuso também levaram ao cancelamento de planos provisórios da Força Aérea dos Estados Unidos para modificar o design do X-5 em um caça tático de baixo custo para a OTAN e outros países estrangeiros.

Modelo do Me P-1101
Modelo do Me P-1101

Dois X-5 foram construídos (números de série 50-1838 e 50-1839). o primeiro foi concluído em 15 de fevereiro de 1951, e as duas aeronaves realizaram seus primeiros voos em 20 de junho e 10 de dezembro de 1951. Quase 200 voos foram feitos em velocidades de até Mach 0.9 e altitudes de 40.000 pés (12.000 m). Uma aeronave foi perdida em 14 de outubro de 1953, quando não conseguiu se recuperar de um parafuso com as asas a 60° de enflechamento. O capitão da Força Aérea Ray Popson morreu no acidente na Base Aérea de Edwards. O outro X-5 permaneceu em Edwards e continuou os testes ativos até 1955, e permaneceu em serviço como um avião paquera (chase plane) até 1958.

O X-5 demonstrou com sucesso a vantagem de um design de asa móvel para aeronaves destinadas a voar em uma ampla gama de velocidades. Apesar dos problemas de estabilidade do X-5, o conceito foi mais tarde implementado com sucesso em aviões como o General Dynamics F-111 e Grumman F-14 Tomcat, o Mikoyan Gurevich MiG-23 e MiG-27, o Sukhoi Su-17/20/22 e Su-24, o Tupolev Tu-22M e Tu-160, o Panavia Tornado e o Rockwell B-1 Lancer.

O único sobrevivente X-5 está agora no Museu Nacional da Força Aérea dos Estados Unidos na Base da Força Aérea Wright-Patterson, perto de Dayton, Ohio. Foi entregue ao Museu em março de 1958. É exibido no Hangar de Pesquisa e Desenvolvimento do Museu.

Uma fotografia composta mostrando a asa de enflechamento variável do Bell X-5
O Bell X-5 do National Museum of the United States Air Force. (Foto: U.S. Air Force)

FONTE: Wikipedia

70
Deixe um comentário

avatar
16 Comment threads
54 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
41 Comment authors
Leandro MalheirosJohnnyPPrrPlinio JrAlexandre Galante Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Já já vai vim os que começaram a gostar de aviação a pouco tempo falando que TUDO que voa nos EUA são projetos nazistas “roubados” pelos americanos.

EdcarlosPrudente
Visitante
EdcarlosPrudente

E que graças a nazistas os EUA chegou à lua.

Saudações!

Sergio Cozini
Visitante
Sergio Cozini

Projeto nazista e brasileiro (14bis)… rs…
Brincadeiras a parte, a historia é viva e se refaz todo dia… Quem estudou império romano sabe que os caras copiavam e melhoravam tudo que tinham acesso, sem demérito nenhum. E com os EUA em nosso período também é assim. Impérios dominam, inventam, copiam e melhoram, por isso a evolução das tecnologias ao longo do tempo devemos a eles. Concentração de poder é necessário. Pena que não somos nos os poderosos… rs..

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

Já já vai vim alguém que vai dizer que isso nunca aconteceu…
Você já ouviu falar de Wernher Von Braun???

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Perceba que eu coloquei “tudo” em letra maiúscula.

Sim, os americanos usaram projetos e tecnologia alemã, porém tem uns que falam que se não fossem os nazistas os americanos não teriam asas voadoras e outras coisas.

E sim, reconheço o excelente trabalho de Wernher von Braun e equipe para a tecnologia espacial.

Bavarian Lion
Visitante

Horten Ho 229.

Sim. Sem os projetos alemães da segunda guerra, os EUA não teriam asa voadora viável, bem como a dassault provavelmente seria uma fábrica de chupetas (ou vibradores, dado o gosto francês pelo empreendedorismo exótico).

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Jack Northrop

Northrop X216H – First flight 1929

Northrop N-1M – First flight 3 July 1940

Northrop N-9M – First flight 27 December 1942

Sem mais.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Americanos sempre querendo tirar os méritos dos outros.
Asas voadoras começaram a ser estudadas por Hugo Junkers em 1910 com a apresentação de um protótipo em 1919, mas teve maior desenvolvimento com o planador françês AV3.
Mas, o ‘case’ de sucesso foi Ho229.
Já basta termos de aguentar a história dos irmãos Wright.

P.S. Esse assunto já foi debatido aqui na Trilogia.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Em tempo:
Pesquisando, achei fotos do britânico Dunne D-5 de 1910, um interessante biplano já com todas as características de uma asa voadora.

teropode
Visitante

kkkkkkkkk , basta mencionar os projetos Russos derivados de projetos alemães que eles mudam de assunto klkklkk, o yak38 é um deles .

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Teriam, no entanto, os alemães inovaram e no fim da guerra, os seus projectos influenciaram directamente o percurso evolutivo das aeronaves militares americanas e não só.
Em vez de asa voadora poderiam ter, não sei, algo diferente.

PauloSollo
Visitante

Haunebu.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

O fato é que os americanos deram proteção a muitos nazistas e se aproveitaram de seus conhecimentos.
E até mantiveram criminosos nazistas em postos políticos na ex-Alemanha Ocidental de forma a se contrapor à ex-União Soviética.

JT8D
Visitante
JT8D

Também não devemos esquecer que os soviéticos fizeram exatamente a mesma coisa. Na verdade eles mantiveram centenas de técnicos alemães como prisioneiros até a década de 1950

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Eu ia falar isso, os sovieticos só não fizeram isso em uma escala maior porque os alemães fugiam deles para se entregarem aos americanos, entretanto os Soviéticos usaram muitas “blueprints” nazis

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Causou espécie, à época dos julgamentos em Nuremberg, a benevolência americana com muitos criminosos nazistas.
Os ingleses foram bem mais severos e os soviéticos quase que cruéis com os nazistas.
Digamos que merecidamente.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Ainda não impediu os soviéticos de usaram os cientistas alemães e de usarem seus planos.
Digno de nota os motores RD-20 axial-flow turbojets e Klimov RD-10 turbojet copias do BMW 003 e Junkers Jumo 004 respectivamente.

JT8D
Visitante
JT8D

Eu diria que os soviéticos foram cruéis com os alemães em geral, não apenas com os nazistas

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Negativo.
Muitos técnicos, engenheiros e etc. nazistas não tiveram participação relevante nos crimes nazistas ou nem participaram.
Já os políticos e militares que cometeram crimes foram acobertados pelos americanos, sendo que muitos receberam salvo-conduto para agir livremente.

JT8D
Visitante
JT8D

Ah, claro, os soviéticos eram extremamente preocupados com os direitos humanos e com os crimes de guerra. Até hoje são admirados na Polônia por sua ética e doçura

Mirade
Visitante
Mirade

Mas e os alemães? Eles matavam os soviéticos sem fazer prisioneiros? acha que os soviéticos que perderam suas familias iam ter dó de quem matava apenas por ele ser Slavo ou Judeu ou ambos já que milhares de judeus combateram pela URSS.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Só existe um tipo pior que os nazistas… os comunistas, estes mataram mais e de forma tão nefasta quanto!

Mirade
Visitante
Mirade

Von Braun usava mão de obra escrava de prisioneiros e de possivelmente judeus. Como não sabia disso? Ele foi conivente com o regime que o financiava e os EuA foram eles que salvaram alguns milhares de prisioneiros de guerra colaboracionistas. Espero que esteja hoje queimando no inferno.

Mirade
Visitante
Mirade

Eu diria que eles tiveram mais de 20 milhões de razões para isso.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

‘Eu diria que os soviéticos foram cruéis com os alemães em geral, não apenas com os nazistas.’

Se os soviéticos levassem em conta as atrocidades que os alemães fizeram em suas terras, diria que eles foram até benevolentes em terras alemãs no trato com os nativos.

JT8D
Visitante
JT8D

Tá bom, soviéticos sempre tem motivos justificáveis para cometer atrocidades, né?
Você vem criticar americanos por usarem cientistas nazistas, mas os soviéticos fizeram a mesma coisa. No caso dos EUA está errado, mas no caso dos soviéticos está certo?
Os alemães cometeram atrocidades em toda a Europa e depois da guerra foram tratados dignamente por ingleses e franceses. Sua defesa do indefensável deixa bem claro sua parcialidade.

Plinio Jr
Visitante
Plinio Jr

Os soviéticos também cometeram atrocidades em seu caminho rumo ao coração da Alemanha, a justificativa de vingar-se do que os nazistas haviam feito na URSS no mínimo, os coloca do mesmo patamar….falando assim, parece que Stalin era um monge Franciscano….

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

“Foram cruéis para os alemães em geral.” Em geral, o povo alemão elegeu legitimamente um artista austríaco para o Führer. Ele o escolheu para o poder, com toda a sua ideologia e “teorias raciais” em relação aos “povos não-arianos”, incluindo os eslavos e especificamente russos. O povo alemão, numa massa absolutamente esmagadora, não era contra isso. O povo alemão em geral não era contra o roubo e o genocídio, nos territórios conquistados. Foram os alemães como um povo que não era contra o uso de russos, poloneses, bielorrussos, como escravos, nas futuras fazendas de colonos alemães, no caso da vitória… Read more »

JT8D
Visitante
JT8D

Parei de ler em “se lembrarão que, em princípio, não era ruim viver sob o socialismo”.

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Ex camaradas, só isso Kings.Relaxa!

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Ainda rola por aí que os filhos desses alemães,tiveram acesso a escolas de ensino e outras mordomias, que os filhos dos russos nem botaram os pés numa dessas.

Renato B.
Visitante
Renato B.

Cientistas alemães, sejam nazistas ou não, eram um butim para ambos os lados. Dizem que o barão Manfred von Ardenne, um alemão que trabalhou no desenvolvimento da bomba atômica soviética, colocou um tabuleta onde estava escrito ” bem-vindo” em russo quando a guerra terminou. Chegou a ser condecorado por lá e depois viveu o resto de seus dias como um figurão na Alemanha oriental. Está longe de ser o único.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Sem falar nos canhões DEFA franceses, ADEN ingleses e Pontiac americanos que eram cópias escancaradas dos Mauser MG 213 alemães.

André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
André Sávio Craveiro Bueno

E Robert H. Goddard?

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Eu gostei do já vai vim….

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Pois é. Estudantes ‘olavistas’ de Youtube e seguidores da ESP.

PPrr
Visitante
PPrr

Cara, tu ta direto puxando o peixe pra um lado só. É ÓBVIO que muita tecnologia Nazista foi incorporada aos EUA, inclusive cientistas nazistas receberam cidadania norte-americana para tocar projetos. Os foguetes que levaram o homem à Lua nasceram de projetos nazistas.

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

Aleluia.
Até que um dia largaram de mão o F-35.

Sergio Cozini
Visitante
Sergio Cozini

Esse é projeto chines copiado… rs…

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

kkk

PauloSollo
Visitante

Não se apresse, ainda tem a tarde e a noite para postarem algo de título catastrófico sobre algum parafuso ou rebite.

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Aconteceu algo com ele hoje?

Mikhail Bakunin
Visitante
Mikhail Bakunin

Tanto Americanos quanto Soviéticos basearam toda sua aviação do pós guerra em tecnologia capturada dos Nazi (vide os irmãos siameses F-86 X MiG 15). O ciclo de desenvolvimento foi parelho até o final dos anos 70, quando os soviéticos não conseguiram acompanhar os avanços em materias compostos, microeletronica digital e stealth

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Fato que vem sendo revertido por russos e chineses com os novos lançamentos de suas indústrias aeronáuticas e que ainda vem contando com a preciosa colaboração dos seguidos fracassos do F-35.

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

é mesmo.

Os 12 Su-57 vão dominar os mais de 380 F-35 construídos até Abril desse ano.

*nem vou colocar na conta os outros F-22 pra não ficar feio

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Produzir 380 aviões com falhas não os tornarão bons.
Apenas serão 380 fracassos.

Roberto B.
Visitante
Roberto B.

Na década de 60 , os soviéticos levaram para uma feira industrial uma agulha cujo furo era extremamente estreito .
Imediatamente os ingleses levaram uma broca que poderia fazer tal furo .

PauloSollo
Visitante

Sonho meeu, sonho meeeu….

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Ahhh se a mídia Russa e Chinesa fosse tão aberta quanto a americana… ao ver do fã desses países eles não falham uma unica vez. algo que é unicamente embasado pela própria mídia estatal dessas nações.

André
Visitante
André

Mikhail, eu colocaria que o desenvolvimento foi parelho até o final dos anos 60, visto a vasta superioridade do f14, lançado em 1974, sobre o mig25, lançado em 1970.

A partir deste momento, a URSS correu atrás dos americanos, sempre criando um projeto para se contrapor aos americanos, mas não trazendo mais novidades.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

O problema de instabilidade das aeronaves de GV foi corrigido movendo-se o ponto de articulação das asas, do centro da fuselagem, para um ponto externo à mesma. Quanto mais largo, melhor.

Mas no começo da década de 1970, avanços de aerodinâmica e propulsão praticamente tornaram a GV obsoleta.

Antunes Neto
Visitante
Antunes Neto

Legal ver a genética do design do A6 e do Pampa, apontar para esse desenho.

O desenho desse avião é muito bonito!

IronChape
Visitante
IronChape

Saab J29 Tunnan. Sueco também copia.

OSEIAS
Visitante
OSEIAS

não consigo entender como tem gente que defende lado A e lado B. Amigos, não existe santo na guerra. tanto americano, inglês, japonês, soviético, francês, alemão e por ai a fora. Cometeram crimes contra a humanidade um do outro. Não tem santo ai não. Quem atacou e perdeu, se deu mau, para não rimar.

jagderband#44
Visitante
jagderband#44

capaz! os russos foram e são bonzinhos!
our concour dos direitos humanos

Jeff
Visitante
Jeff

Pois é, se mais alguns anos se passassem sem os ataques a Alemanha, hoje o mundo seria alemão. Os caras tinham ótimos cientistas e vários projetos no forno, só não tiveram tempo.

Sergio Cozini
Visitante
Sergio Cozini

Pelo contrario… Por saber que perderiam a guerra caso ela demorasse que fez com que atacassem com tanto vigor no inicio. A frança tinha o maior e mais bem equipado exercito do mundo, a marinha inglesa a melhor e maior e a Russia o maior contingente e recursos naturais infinitos. Fora os aliados como EUA. O campo industrial dos 03 países mais os EUA eram infinitamente maiores que os da Alemanha e a economia mais robusta também. A unica forma da Alemanha ganhar era através da guerra rápida e a tática blitzkrieg foi desenvolvida pensando nisso. No fim de tudo… Read more »

Marcos10
Visitante
Marcos10

Contam que quando uma primeira leva de soldados americanos chegaram a unidade que desenvolvia o P1101, as aeronaves foram puxadas para fora e destruídas no machado e em seguida, juntamente com toda a documentação, puseram fogo. Quando soldados franceses chegaram no local, descobriram que os alemães haviam microfilmado tudo. Mas não compartilharam com os americanos. Posteriormente os próprios alemães informaram desse protótipo ai, que havia sido escondido antes da chegada dos mesmos. Muito do projeto do P1101 foi utilizado no F86: posicionamento de metralhadoras, estabilizadores verticais e horizontais e asa enfrechada. Do ME262 saíram os slats móveis, que foram colocados… Read more »

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

A criação tecnológica do regime nazista era invejável, mas tudo isso tinha explicação: a Alemanha não tinha recursos para uma guerra de longa duração, ou eles davam um K.O. de primeira no inimigo, ou seriam derrotados no longo prazo. Por isso a criação de máquinas revolucionárias como esta.

Rafael M. F.
Visitante
Rafael M. F.

Só uma pequena correção: o P.1101 nunca foi concebido com asas de enflechamento variável.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Os americanos são chineses com grife, só sabem copiar.
Desde a sua alimentação tradicional como o hambúrguer e hotdog (alemão) Pizza (italiano) e tacos (mexicanos).
Varias das “suas” tecnologias são russas ou do leste europeu. O tesla que o diga.
Cerca de 60% dos seus pesquisadores e cientistas são estrangeiros.
Sobre a aviação, realmente sem estes projetos alemães, os Estados Unidos não seriam o que são hoje.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Hoje em dia existem as “NASA” dos países que tem um maior nível cientifico,e avanços em todas as áreas são planejados nestes locais.Academias que premiam as melhores mentes,entre elas a Academia Nobel incentivam os países a se desenvolverem.
Copias serão sempre copias.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

A grande sorte do mundo é q Hitler foi um louco incompetente na area militar dando pitaco e desmandos. Se fosse pela tecnologia, cientistas, generais e soldados alemães, tinham ganhado a guerra.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Louco em todas as áreas diga se de passagem.

teropode
Visitante

Só lamento a interrupção do combate no leste , tudo pra livrar a cara do Mussoline , deram mole para o General inverno .

Plinio Jr
Visitante
Plinio Jr

Tanto aliados quanto soviéticos se apropriaram dos espólios nazistas no final da guerra, pensar que somente um lado se beneficiou disto, deveria estudar mais sobre o assunto

Leandro Malheiros
Visitante
Leandro Malheiros

A Saab produziu o Tunan, sem as asas moveis com base nesse projeto.