Home Aviação de Caça Empresa ATAC recebe o último dos 63 caças Mirage F1 adquiridos da...

Empresa ATAC recebe o último dos 63 caças Mirage F1 adquiridos da França

11736
70
Mirage F1

A Airborne Tactical Advantage Company (ATAC), provedora de treinamento aéreo tático e simulação de ameaças dos EUA, recebeu todas as 63 aeronaves de combate Mirage F1 que comprou da França em 2017 após uma ampla reforma e atualização, anunciou a empresa em 2 de abril.

A frota está agora totalmente operacional com a conclusão do trabalho realizado nas instalações do Adversary Center of Excellence (ACE) da empresa no Fort Worth Alliance Airport, no Texas.

A Textron modernizou cerca de 45 unidades da F1 com modernos sistemas aviônicos, com recursos de DRFM (digital radio-frequency memory-jamming) e radares atualizados.

A ATAC planeja usar os Mirage para o requerimento Adversary Air (ADAIR) da Força Aérea dos EUA (USAF), que requer quase 150 aeronaves para atender às necessidades de treinamento adversário do serviço.

Além dos recém-adquiridos Mirages, a ATAC possui também uma frota de cerca de 30 jatos Hawker Hunter, IAI F-21 Kfir e Aero Vodochody L-39ZA.

A empresa, parte da divisão Airborne Solutions da Textron, tem uma história de duas décadas fornecendo serviços aéreos adversários para os militares dos EUA, com jatos terceirizados e pilotos civis para desempenhar o papel de combatentes inimigos em exercícios de treinamento realista contra pilotos da Marinha ou da Força Aérea.

A linha de negócios deverá crescer dramaticamente nos próximos anos, com a Força Aérea nos estágios iniciais de licitação de um contrato estimado em US$ 7,5 bilhões em 10 anos.

A ATAC forneceu cerca de 6.000 horas de voo de treinamento em um determinado ano; a Força Aérea dos EUA está buscando até 37.000 por ano.

Várias outras empresas também estarão competindo pelo serviço, incluindo a Draken International, que neste verão ganhou um contrato de US$ 280 milhões para fornecer serviços aéreos adversários na Base da Força Aérea de Nellis, em Nevada.

Mirage F1 com a marca da ATAC e matrícula americana
Mirage F1 com a marca da ATAC e matrícula americana

70
Deixe um comentário

avatar
27 Comment threads
43 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
41 Comment authors
DenisJohnnyCelsoCMLMaia Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Lindíssima aeronave!

A versão modernizada no padrão MF-2000 da Força Aérea do Marrocos, equipada com radar RDY-3 e mísseis MICA é fantástica.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Essas máquinas após a modernização que estão dando pra aguentar o tranco como agressores na USAF devem ficar fantásticas. Quanto à beleza , a Dassalt sabe como desenhar aviões como a Ficantieri navios !!!

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

A ATAC tem mais capacidade que muita força aérea por ai……

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Inclusive a FAB.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Seria interessante a FAB contratar o serviço desse tipo de empresa, p/ servir de adversário aos nossos pilotos?

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Literalmente não temos condição nenhuma disso. Nós temos menos aviões de caça do que essa empresa. Não existe massa crítica pra valer o investimento.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

interessante seria, mas não temos dinheiro para isso

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Ficaria feio o país apanhar para uma empresa

willhorv
Visitante
willhorv

Isto é no mínimo ridículo sob a comparação com “n” países deste planeta, incluso o nosso país das maravilhas….
Em tese, esta empresa poderia derrotar várias nações destas “n” em superioridade aérea e cumprir o contrato…
Que coisa não!!

Minuteman
Visitante
Minuteman

“Um avião deve ser bonito, se não tem beleza, voa mal.” Marcel Dassault

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Olha que os indianos estão de olho nesses aviões. Ainda podem ser úteis contra o Paquistão.

Roberto F. Santana
Visitante
Roberto F. Santana

A função de adversário quando relegada a terceiros, ou à iniciativa privada, consta como economicamente vantajosa. Contudo, além da chance de exposição de certos aspectos doutrinários sigilosos, ela não permite que a força aérea tire a vantagem de treinar e aprender além de sua própria parte, a função oposta, geralmente agressora, ou defensora, dependendo da missão. A forma convencional, sob posse e responsabilidade militar, dá e desenvolve simultaneamente ambas as funções, o aproveitamento parece ser maior.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Não é bem assim, com serviço terceirizado as empresas fornecem pilotos do mundo todo, de aposentados israelenses a europeus que podem dar uma nova visão aos amwricanos.

Roberto F. Santana
Visitante
Roberto F. Santana

Mas a posse do material humano é perdida.
Esses instrutores deveriam pertencer à força aérea do país, possuem conhecimento e treinamento, em caso de guerra seriam valiosíssimos.
Nos anos setenta e oitenta os pilotos agressores da USAF estacionados na Europa junto com os da U.S. Navy em Miramar eram tidos como os melhores do mundo.

Jacinto
Visitante
Jacinto

Caros moderadores,
perdoe-me o off-topic mas a “reuters” está noticiando que os EUA fizeram a contabilidade de F-16s do Paquistão e todos os F-16 foram contabilizados (o que desmentiria o abate do F-16 pelo indianos). Ao mesmo tempo, o porta-voz do Paquistão fez um post no twitter afirmando que todos os misseis do Mig-21 abatido estavam nos destroços.
Abraços

Chris
Visitante
Chris

Eu vi a notícia… Nenhum F-16 foi abatido…

Acho que um certo ANTONIOKINGS… Vai se trancar no banheiro por uns tempos….

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Era só o que faltava, admitir que o avião não foi abatido dizendo que contou. Coisa mais infantil
Americanos mentem por coisa muito pior do que isso.
Lembre-se: A propaganda é a alma do negócio.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Em tempo.
Parece que a Índia vai reforçar mais sua Força Aérea adquirindo novos Mig-29.
Se as especulações acerca do Su-57 forem verdadeiras, termos uma fantástica combinação de Su-30, Mig-29 e Su-57.
Impõe respeito a qualquer um.

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

MiG-29, aquele que o F-15 meteu 4 pro chão (há 20 anos)? By the way, a força aérea indiana deve ser um “case” negativo em qualquer curso de logística desse mundo…

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Sim esses mesmos. Aqueles que são fabricados na Rússia e não nos EUA.
Ou seja, Putin agradece a deferência.
Mais dindim e empregos na Pátria Mãe (dele).

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

São fabricados para servir de alvo para caças ocidentais…rs!

Aceite!

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Mig-29 só serve como alvo de tiro ao pato para os F-16 paquistaneses.

Aceite…,

CML
Visitante
CML

Parece que a China também está interessada no SU-57 para engenharia reversa, acho difícil a India adotar a mesma aeronave que um de seus maiores inimigos da região, já que vão saber de todas as suas capacidades e fraquezas.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Pode esquecer meu caro! A notícia é verdadeira e de fato os norte-americanos contaram os aviões e constataram que estavam todos lá

https://foreignpolicy.com/2019/04/04/did-india-shoot-down-a-pakistani-jet-u-s-count-says-no/amp/?__twitter_impression=true

Sinto muito….

Chris
Visitante
Chris

Claro Antonio…. Os EUA é que possuem motivos pra mentir…. Afinal, a India é inimigo deles !

Heheh

Chris
Visitante
Chris

Os EUA é que possuem motivos pra mentir….

Afinal, a India é inimigo deles…

O Paquistao nem é uma nação suspeita de esconder terroristas….

E eles só colocaram no contrato de venda dos F-16 a cláusula de que só poderiam ser usados pra defesa, pra fazer charme ! Heheh

E logico… Querem o Petroleo do Paquistao e mentiram até que foram pra lua….

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Os EUA não têm nada o que querer naquela região.
Tirando o Afeganistão, onde está encaminhada sua retirada desonrosa (mais uma vez) sua presença é pífia.
A tendência é ser ‘expulso’ completamente de lá;

Chris
Visitante
Chris

Só foram contar os aviões… ok ?

E se faz parte do contrato que se podem ser usados para defesa……..

Aceita… Que doi menos ! Heheh

Gorgoroth
Visitante
Gorgoroth

Era de se esperar, só por aqui apareceu umas 10 noticias dos indianos afirmando que haviam derrubado.
Quando força deste jeito, percebe-se o desespero.

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

AK teclando em posição fetal…

Kemen
Visitante
Kemen

Bem estranho, em quem acreditar fica dificil, pois cada noticia divulgada interesa a um ou ao outro.

Luis
Visitante
Luis

OFF….Aeronave da FAB acabou de cair em Viamão (RS). Piloto ejetou.

BILL27
Visitante
BILL27

Foi um AMX …2 tripulantes ejetaram e passam bem

Flanker
Visitante
Flanker

Então era um A-1B…tomara que não seja o único BM entregue até agora, o 5652.

Daniel
Visitante
Daniel

Menos mal.
Quanto ao aparelho, espero que seja os antigos, não um dos poucos modernizados.
Gripen, chegam logo.

BILL27
Visitante
BILL27

Pelo que li na noticia ,foi um exemplar modernizado ….não sobrou nda do jato ,pegou fogo

Overandout
Visitante
Overandout

Pelas fotos dos destroços não me parece um exemplar modernizado, o painel não é o mesmo

BILL27
Visitante
BILL27

Vdd .acabei de ver tbm

Overandout
Visitante
Overandout

[OFF] Notícias aqui da região dão que um avião da FAB acabou de cair em Viamão RS, piloto ejetou

Baresi
Visitante
Baresi

Galante, parece que caiu um AMX em Viamão, grande Porto Alegre.

Ramon Grigio
Visitante
Ramon Grigio

Embora o escopo da modernização desses F1 possivelmente tenha sido limitada, salta os olhos o curto prazo na qual foi executada, juntamente com o overhaul das células. São 63 aeronaves! A FAB levou quanto tempo para modernizar 46 F-5EM/FM? Claro, o fluxo de caixa não é exatamente conhecido e a empresa que aqui assumiu a empreiteira não possuía conhecimentos profundos na área, mas mesmo assim demorou demais… Qual o segredo? É o cash? É a expertise? Nossos Mirage 3 foram aposentados com alguns itens em situação crítica (motores e radares, principalmente), já esses F1 aí voaram muito e ainda voarão… Read more »

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

A iniciativa privada não faz licitação, não tem que dar satisfação pra filhote de político, ela pode escolher aquilo que melhor a serve, pelo preço mais conveniente. Não o mais barato, nem o mais rápido ou melhor, mas aquele que melhor serve às necessidades. Existem quatro tipos de gastos: 1 – seu dinheiro consigo mesmo. Nessa modalidade você procura preço e qualidade. 2 – seu dinheiro com outrem. Nessa você costuma prezar mais o preço que a qualidade 3 – dinheiro dos outros consigo mesmo. Aqui preza-se a qualidade em detrimento do preço 4 – Dinheiro dos outros com outros.… Read more »

Ramon Grigio
Visitante
Ramon Grigio

Compartilho de sua visão. Por isso que a transparência em programas militares é bem-vinda.

Chris
Visitante
Chris

É impressão minha…. Ou apenas essa empresa que fornece brinquedos para os pilotos americanos…. Poderia por nossa FAB no chão ?

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Estes aviões para receber matrícula civil dos EUA tem que twr todo o armamento e sistemas removidos, não servem para combate real, só simulado.
Só o radar pode ser mantido.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

mesmo desconsiderando o fato citado pelo Walfrido acima, ainda tem toda uma questão logística. Se eles fossem armados, ainda tem uma coisa fundamental que lhes falta: AWACs. Na guerra moderna é o famoso “quem vê primeiro, atira primeiro”. Campanhas recentes como a tempestade no deserto já demonstraram a diferença de um avião de alerta antecipado para as forças, sendo algo total e absolutamente fundamental para o sucesso.

Chris
Visitante
Chris

É obvio… Mas se possuem a picanha, só não compram o arroz e o feijão por não estarem a venda pra eles.

Os EUA são mesmo um país de outro mundo…. Temos que reconhecer….

Bardini
Visitante
Bardini

Enquanto isso, os SEM pegam o trecho para a Argentinacomment image:large

Johnny
Visitante
Johnny

Ué. Os super etendard modernizados não deveriam ter feito a segurança do G-20?? Afinal ficarão com a marinha ou serão operados pela força aérea??

Jmgboston
Visitante
Jmgboston

Uma força aérea privada mais poderosa que a brasileira. Estamos mal mesmo. Porem altos salários para muitos servidores públicos na ativa e aposentados não falta.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Tão poderosa que não dispara uma única munição sequer…

Chris
Visitante
Chris

Depois que vi que quase 90% do orçamento da Defesa vai para salarios e benefícios..

Fica mesmo complicado defender esse povo…

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

O Brasil não tem condições de pagar por estes serviços de “aggressor”.
O máximo que poderíamos fazer é como a Tailândia que criou um esq. agressor com meia duzia de F-5EM similares aos nosdos modernizados pela Elbit para atacar os Esq. de F-16 e Gripen com os melhores pilotos, isso dá uma boa experiência aos novatos dos Esq. operacionais.
Esta é a camuflagem do Esq. Aggressor deles.
.comment image

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Esta é a cor dos F-5, Gripen e F-16 operacionais dos Tailandeses.
. http://www.thaifighterclub.org/images/answer2013/A02167420141023104738.jpg

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

O F-5E/F modernizado é Top demais, uma pena ser perna muito curta rsrsrs.

Felipe Fg
Visitante
Felipe Fg

Eu sei que estão sendo feitos os esforços necessários , e que essa situação vai melhorar nos próximos anos, mas uma empresa privada ter mais caças de superioridade aérea que o quinto maior país/nona economia mundial é tenso viu kkkk

Nilo Rodarte
Visitante
Nilo Rodarte

Uma empresa privada que fornece treinamento é maior que muita força aérea no mundo, mas tem que dar um desconto: as necessidades, responsabilidades e tamanho do sistema todo justificam isso e, com isso tudo em mente, certamente alguém deve ter sentado e feito as costas e concluíram que era mais vantajoso terceirizar o serviço. Afinal, só contratam as horas de voo. A empresa que se vire com salários, manutenção, pensões, indenizações de acidentes.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Uma coisa engraçada é que obras de ficção vez em quando mostravam aeronaves de combate nas mãos de empresas privadas. Quem é aficionado em aviação militar sempre torcia o nariz porque esse tipo de aeronave nunca era adquirido em quantidade por civis para formar uma força de combate.

Pois bem, agora a ATAC e suas concorrentes podem se tornar a base para o próximo jogo da série Ace Combat 🙂

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Ou… Strike Commander para os mais velhos hehehehe

Também lembro dos Drakken naquele horroroso filme dos Apache 😛

Bavarian Lion
Visitante

Eu só gostaria de saber como são estes certificados de usuário final.
Será que dá pra arrendar essa frota em conflitos, com pilotos e tudo?
Um arsenal poderoso de 3,5ª geração…

Os mirage F1 não são FBW, portanto, pode-se colocar todo tipo de armamento, controle de vôo e até motorização diferente, pois, não tem codigo fonte.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Se fosse fácil assim… mas existe aquele negócio chato que às vezes impede que certas coisas sejam instaladas em aeronaves e que dispensa computadores para ser chato. Tal de ‘engenharia aeronáutica’ que teima em não desobedecer aquelas leis chatíssimas da Física.

Almeida
Visitante
Almeida

Não é só de caças que se faz uma força aérea. Então não, esse 63 Mirage F1 não dariam cabo de nenhuma FA. Muito menos da FAB.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Células francesas com sistemas americanos já deram bons resultados em Israel. Nos EU não será diferente. Alguns relutam em aperfeiçoar Miragge e perdem um bom vetor supersônico com grande capacidade bélica. Ainda muito útil em conflitos de médio nível tecnológico. A India não abre mão dos seus e aperfeiçoou o lote existente.

Kemen
Visitante
Kemen

Conforme algumas opiniões, foi o melhor Mirage produzido pela Dassault, a França os retirou apenas em 2014, na mão de pilotos experientes da ATAC vão dar trabalho aos garotos da USAF.

ALEXANDRE
Visitante
ALEXANDRE

Seria interessante destinar 5% da arrecadação com jogos de loteria para as forças armadas

Kemen
Visitante
Kemen

Sim, mas esta todo mundo abocanhando uma fatia, daqui a pouco não sobra nada para o apostador. Canalizar o destino das atuais retiradas para as Forças Armadas seria mais correto

Maia
Visitante
Maia

Será que haveria possibilidade de uma empresa dessas vir a ser contratada para uma guerra como o grupo Wagner ou Academi? Alguém sabe se existe legislação nos EUA que permita isso?

Celso
Visitante
Celso

Podíamos terceirizar a FAB toda com eles. Tem mais caças que a FAB e seus 70k integrantes….

Denis
Visitante
Denis

E eu achava que a função “agressor” era feito pelo efetivo da USAF.

Denis
Visitante
Denis

Uma pergunta: como funciona o treinamento de combate simulado da FAB?