Home Aviação de Ataque LAAD 2019: Primeiro voo do F-39 Gripen brasileiro deve acontecer ainda este...

LAAD 2019: Primeiro voo do F-39 Gripen brasileiro deve acontecer ainda este ano

17332
100
Mockup do Gripen na LAAD 2019

Durante a realização da LAAD 2019 Defence & Security, foram revelados os detalhes do estágio atual de desenvolvimento do F-39 Gripen, aeronave de caça multimissão desenvolvida em uma parceria entre Suécia e Brasil. Em coletiva de imprensa, representantes da Saab falaram sobre os últimos avanços na confecção do novo vetor da Força Aérea Brasileira (FAB), cuja aeronave instrumentada (FTI – Flight Test Instrumentation) deve alçar voo pela primeira vez ainda em 2019.

Vice-Presidente da Unidade de Negócios Gripen Brasil da Saab, Mikael Franzén falou sobre as etapas já concluídas pela versão sueca do avião: campanhas de combate Além do Alcance Visual (BVR, do inglês Beyond Visual Range), testes com mísseis e sensores e início da produção serial. “Algo que sempre prezamos é a parceria entre as duas partes do projeto: temos pilotos brasileiros e suecos participando do desenvolvimento de sistemas. O último ano foi bem sucedido.

Entre outras ações, instalamos o motor no primeiro Gripen E para o Brasil. Este ano, a primeira aeronave brasileira iniciará a campanha de ensaios em voo em Linköping, na Suécia”, disse.

O intercâmbio entre os países também tem gerado novos acordos. Dois sistemas de display desenvolvidos no Brasil serão adotados também pela Força Aérea Sueca. “Os caças Gripen terão agora a mesma configuração para os displays, harmonizando os programas sueco e brasileiro.

Isso significa uma grande economia na manutenção da aeronave e no futuro desenvolvimento de software. Esse é realmente um bom exemplo da colaboração bem-sucedida entre a Saab e a indústria de defesa brasileira”, explicou Franzén.

Primeiro Gripen brasileiro em montagem final
Primeiro Gripen brasileiro em montagem final na Suécia, antes da instalação do motor

As entregas efetivas das aeronaves operacionais para a FAB se iniciam a partir de 2021 e serão operadas por unidades aéreas a partir da Ala 2, em Anápolis (GO). Os pilotos brasileiros efetuarão o treinamento na Suécia a partir de 2020. As 36 aeronaves serão produzidas de três formas: na Suécia pela Saab; iniciada na Suécia e terminada no Brasil; e no Brasil, pela Embraer.

Transferência de tecnologia – No total, cerca de 350 profissionais brasileiros participarão dos projetos de transferência de tecnologia por meio de treinamentos na Suécia. Até o momento, 165 engenheiros brasileiros já regressaram e a maior parte deles trabalha no Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (GDDN), localizado na Embraer Defesa, em Gavião Peixoto (SP), inaugurado em 2016.

O processo de transferência de tecnologia do Programa Gripen envolve 62 projetos, incluindo pesquisas do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) em áreas relevantes para a concepção da próxima geração de aeronaves de caça, tais como análise operacional de caças, projeto e análise conceitual da aeronave, testes de motores a jato, projeto de entradas de ar com baixa observabilidade radar (desenvolvimento de tecnologia stealth), sistemas avançados de monitoramento de frota, eletrônica e processamento para aplicações intensivas em tempo real.

GDDN

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest
100 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Paulo Costa
Paulo Costa
1 ano atrás

Novela Sueca não acaba nunca …

Alias faz quase 20 anos desde o FX original, to velho kkk

Joao Argolo
Joao Argolo
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Desculpa. Não sei em que ramo ou nível atua mas dizer que essa novela não acaba nunca seria demais né? O caça está com motor instalado, a empresa obedece rigorosamente o cronograma de fabricação e transferência de tecnologia e o Brasil vai fornecer os displays. É demais mesmo

Batalhão do Aço
Batalhão do Aço
Reply to  Joao Argolo
1 ano atrás

Boa tarde ….Triologistas , mas , tem que acelerar a construção de vários npor ano …igual a tio Sam ..manda ver , e acelera a linha , bom seria uns 10 por ano , já pensando no segundo lote , mais , um lote para a marinha …Brasil

Marcos borges
Marcos borges
Reply to  Joao Argolo
1 ano atrás

É o que dá comprar um caça de papel, até sair demora muuuuito.

Leandro
Leandro
Reply to  Marcos borges
1 ano atrás

Estamos participando de qual guerra? pra ter pressa!

nonato
nonato
Reply to  Leandro
1 ano atrás

Quem não está preparado para guerra, quando ela chega, poder ser tarde demais.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  nonato
1 ano atrás

si vis passem parabellum!

nonato
nonato
Reply to  Leandro
1 ano atrás

Avião de caça não se manda comprar na conveniência 24 h, caso surja uma guerra. Portanto, não se deve esperar uma guerra para ter.
A decisão foi tomada em 2013.
Desde 2008 se fala no gripen NG.
Não está concluído ainda.
Em fase de testes.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  nonato
1 ano atrás

O aprendizado que o Gripen proporcionou por participamos do processo de desenvolvimento é incrível, ademais o desenvolvimento está rigorosamente dentro do cronograma previsto.

Space jockey
Space jockey
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

Aprendizado pra que se nós não temos mais industria aeronautica ?!? Vão achando que a EMBRAER vai conseguir sobreviver sem o setor de aviação comercial vão…

francisco
francisco
Reply to  Leandro
1 ano atrás

Prepara-te para a guerra, se queres a paz.

teropode
Reply to  Leandro
1 ano atrás

Guerra com hora marcada ? vc acredita nisto ? vc acha que os movimentos na Venezuela são preparativos para as festas juninas ?

Pablo
Pablo
Reply to  Marcos borges
1 ano atrás

E o que tu sugeria???

Elton
Elton
Reply to  Joao Argolo
1 ano atrás

Bem demorado mesmo,parece que a FAB não tem a menor pressa de receber esses caças e nossos F5E vão aguentar até lá?

Elton
Elton
Reply to  Elton
1 ano atrás

Com a venda da Embraer para a Boeing meio que perdeu o sentido a ToT sendo que o setor de defesa que não será vendido já nasce natimorto.

Eduardo
Eduardo
Reply to  Elton
1 ano atrás

Há um grande potencial de exportação.

Space jockey
Space jockey
Reply to  Elton
1 ano atrás

A mais pura verdade. engraçado é que estão negativando , não querem enxergar a verdade…

Bruno
Reply to  Joao Argolo
1 ano atrás

Cara! Vc leu realmente… Ou se limita só a essa informação, conhece a troca de tecnologia desenvolvimento a fundo?

teropode
Reply to  Bruno
1 ano atrás

Sei não mas o Brasil não aplicou oque aprendeu com o contrato das Niteróis, dos Tupis , do AMX ( só a engenharia de produção, dizem que os italianos conversavam em códigos),portanto duvido que brote algo verdadeiramente vantajoso nesta troca (dinheiro por conhecimento), não custa lembrar que a única empresa capaz de absorver de fato algo deste fx2 é americana agora , a parte de defesa da no mesmo balaio pois sozinha ela não anda e nosso estado compra pouco ,

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  teropode
1 ano atrás

Não se aprendeu nada com o AMX? Em que mundo vive vc criatura???

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  teropode
1 ano atrás

Com as Niteróis conseguimos fazer as Inhaúma e a Barroso, e com os Tupi, fizemos o Tikuna. O AMX tornou possível o sucesso da EMBRAER no setor civil, bem como o fato de conseguirmos fazer o programa ALX/A-29, etc.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  teropode
1 ano atrás

Os E-jets e EMB-314 terem surgido alguns anos após a participação no projeto AMX foi uma puta coincidência né?

Joao Argolo
Joao Argolo
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
Reply to  Joao Argolo
1 ano atrás

Olá.
Também não entendi nada…
SDS.

Maurício Vaz
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Também não entendi seu comentário jovem o.O

PauloSollo
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Rapaz, que melodrama impressionante, com todo o exagero de uma peça de tragédia teatral expressionista. Você tem talento para o teatro ou para poesia simbolista(não é piada). Apesar de eu não concordar com esta sua visão super pessimista, gostei da expressividade do seu texto.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Karai! Que por….a foi essa que você fumou ou cheirou? Estou te estranhando Santana, normalmente você não viaja.

CM

Minuteman
Minuteman
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Com todo o respeito Sr. Roberto, não seria melhor falar da história do programa FX-2 de uma forma que nós pudéssemos compreender? Parece as baboseiras que o Antoniokings fala por aí.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Minuteman
1 ano atrás

Essa foi golpe baixo, Minuteman, por mais que alguém tivesse problemas para se expressar no post hehehehe

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Leandro Costa
1 ano atrás

O problema não é para de expressar e sim para a pessoa entender.
Muito comum em que fica ‘letrado’ pelo Youtube.

Pauli Siqueira
Pauli Siqueira
Reply to  Minuteman
1 ano atrás

Sim claro,ficou evidenciado o fim trágico do seu palpite!

Túlio Praga dos Santos Coelho
Túlio Praga dos Santos Coelho
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Concordo, um caça que nunca voou, uma tecnologia nao testada , ta me cheirando a primeira versão do f35, caro demais , pra um retorno pequeno, o Brasil vai vender estes caças a que preço? Competindo com o sukhoi? Com o S.H. atualizado? Com o F16 atualizado?… um bom negocio que nem a usina de Pasadena, compra e depois fica no prejuizo, mas, quem paga a conta ?

Dr. Mundico
Dr. Mundico
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Maconha mofada é um problema sério.

Kommander
Kommander
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Pois é, Paulo. Daqui pra 2050 a gente recebe a 36 unidade. kkkkk

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Não dá pra fazer como o F-35, que teve quase duzentos protótipos… Melhor demorar um pouco mais no desenvolvimento e garantir que o avião de produção não tenha problemas mais sérios. Tudo ao seu tempo.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Gente, na boa, vcs sabem que ainda não começou a produção em série do Gripen E né??? E por isso ainda está pra completar 3 ou 4 aeronaves(sendo a terceira ou quarta a do Brasil).

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

O Paulo Costa tem razão. O programa FX foi lançado no governo FHC, passou pelo governo do Lula e só foi decididio (ora, vejam) por Dilma. É UMA VERGONHA! Levou-se 20 anos para decidir qual o caça que seria adquirido, após duas RFP (FX e FX2), o anúncio do Rafale, o desanúncio do Rafale e o anúncio do Gripen! Tudo bem que a partir da assinatura do contrato exista um período de tempo razável, 4 ou 5 ano, para as entregas, mas a INCOMPETÊNCIA dos governos brasileiros nos fez acompanhar este programa desde que éramos jovens, até agora, no meu… Read more »

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
1 ano atrás

Negativo. O Programa F-X1, que começou com FHC, foi cancelado por Lula em 2002. O F-X-2, que renasceu anos depois, em 2006, teve a short list divulgada em 2008, com o Gripen NG, o Super Hornet e o Rafale, desclassificando o F-16 Block 50/52, o Sukhoi Su-35 e o Eurofighter Typhoon. Veio, então, um período de intensa avaliação dos finalistas e, em 2013, foi anunciada a escolha do Saab Gripen NG. Começaram as tratativas para o negócio, com mais de um ano de discussão das cláusulas contratuais, com a assinatura do acordo no final de 2014, entrando em vigor um… Read more »

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Santana.
Fala sério. Li coisas melhores escritas por você aqui.
Este negócio de caças para a FAB começou com FHC e o contrato foi assinado pela Dilma. Foi muita irresponsabilidade que durou muito tempo. Agora temos um caça de primeira linha em produção para nossa força aérea.
Me permita lembrar do poeta do absurdo, Zé limeira. Que disse:
” Quando Abel matou Caim, no Rio Grande do Sul. Comeu um quilo de beijú e meia duzia de pastel. Nisso chegou São Joaquim, que corria atrás de uma lebre. Cumódi prender Abel” .

Matheus Santos
Matheus Santos
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Discordo em parte. A novela foi até decidir o FX-2. Depois de assinado o contrato, sem problemas.

teropode
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Bravo!!! Pena que a dureza de coração não deixou o pessoal entender este momento poético-dramatico.

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  teropode
1 ano atrás

Na próxima licitação das forças armadas ,serão contactadas escolas das áreas de humanas para que possam contribuir com quadros de varias vertentes filosóficas ,afim de infindáveis debates existênciais sobre o que não fazer ,e o nada optar,com o intuito de atingir o tudo e o nada simultaneamente como objetivo maior,e com a ausência de qualquer coisa para não dizer como um projeto redundante desta força multitarefa!Acho que agora fica mais clara essa compreensão na demora desse equivocado acerto da fab!

ralmeidarar
ralmeidarar
1 ano atrás

E o Supercruise alguem sabe se testaram?

ADLER MEDRADO
Reply to  ralmeidarar
1 ano atrás

Não, eles testarão após as entregas.
Segundo os responsáveis, assim é mais emocionante.

Beiga
Beiga
Reply to  ADLER MEDRADO
1 ano atrás

Cara, é muito raro isso acontecer, acho que posso contar nos dedos, mas eu realmente ri da sua resposta kkkkkkk

nonato
nonato
Reply to  ADLER MEDRADO
1 ano atrás

Essa resposta não faz sentido.
Tanto é que o avião não foi concluído.
E já estão fabricando unidades de série.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  ralmeidarar
1 ano atrás

O silêncio da SAAB sobre esse assunto me preocupa.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  ralmeidarar
1 ano atrás

Isso me preocupa. Ensaio simples demais…. Mas sem uma palavra até agora.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Claudio Luiz
1 ano atrás

Esse não é um Gripen E/F…. Esse é o Demo, mais leve, outra aerodinâmica, mas já com o motor mais forte do E/F. Quero ver os protótipos 39-9 ou 39-10 fazerem isso. Estou na torcida para que consigam, mas estão demorando demais. Francamente, não há motivo para adiarem isso, além do fato de não estarem conseguindo.

Adler Medrado
Reply to  Adriano RA
1 ano atrás

Agora vai.
Eles vão mudar os cronogramas deles porque você, o Adriano RA, sabe melhor do que eles como o trabalho deve ser feito.

Paulo R.T. Fernandes
Paulo R.T. Fernandes
1 ano atrás

Na foto do modelo brasileiro sendo montado, vê-se, pela raiz do estabilizador vertical já pintada, a adoção de um tom de cinza aparentemente bem mais escuro que o utilizado nos 3 protótipos já fabricados (padrão da Força Aérea Sueca). É crível que o padrão de pintura desta unidade (e das próximas que comporão o 1º GDA) seja o mesmo adotado nos Mirage III (cinza escuro). Se esta dúvida puder ser sanada pelos editores na LAAD, seria ótimo.

Cinturão de Orion
Cinturão de Orion
Reply to  Paulo R.T. Fernandes
1 ano atrás

Minha opinião é de que a área recebeu antes, sobre o amarelo, uma demão de um cinza tipo “primer prévio”) para que depois, quando da pintura final, a tinta não cobrisse as várias estruturas fixadas e nem as tubulações e fiações.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Paulo R.T. Fernandes
1 ano atrás

Pelo que ouvi sera mantida a pintura padrao sueca nas unidades da FAB.
Consegui sentar no banco do mockup (LAAD) ! Incrivel!!!!!

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Paulo R.T. Fernandes
1 ano atrás

Não há nenhuma pintura na aeronave da foto, a não ser o primer amarelado nas peças metálicas e a cor do material composto nas demais.

Cássio Silva
Cássio Silva
1 ano atrás

Ótima notícia! Uma aeronave de tamanha complexidade demanda milhares de testes em todos os seus sistemas, sejam eles mecânicos, elétricos ou eletrônicos. No tempo certo, esse pássaro voará em nosso céu.

FERNANDO
FERNANDO
1 ano atrás

Uauu, pintura legal
Gostei.

Camargoer
Camargoer
1 ano atrás

Olá Colegas. Talvez a melhor noticia tenha sido a adoção pela Suécia do display. Imagino que seja o mesmo equipamento que é fabricado no Brasil, certo?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Certo.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Caro Camargo: o terceiro prototipo ainda esta com os displays antigos. Todos os avioes operacionais, inclusive da Fligpanet, serao dotados com WAD !!!! e capacete brasileiros!!!!!

Carlos Eduardo Broglio Gasperin
Carlos Eduardo Broglio Gasperin
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Os profissionais brasileiros exigiram essa configuração. Estavam tão certos que a Suécia também vai adotar. Aqui tem gente inteligente e de valor. Parabéns!

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Carlos Eduardo Broglio Gasperin
1 ano atrás

A Força Aérea Sueca já adotou o WAD, o HUD e o HMD. Serão idênticos aos usados pela FAB. Todos os Gripen E/F produzidos usarão os mesmos sistemas. Agora, as diferenças serão apenas no que se refere a armamentos usados e detalhes como datalink e modos de radar específicos.

Marcelo Machado
Marcelo Machado
Reply to  Carlos Eduardo Broglio Gasperin
1 ano atrás

Isso realmente me impressionou. Fui cético porque parecia que o valor teria aumentado em função dessa exigência, mas se a Suécia adotou por mera liberalidade deve sim valer a pena.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Marcelo Machado
1 ano atrás

O valor não aumentou por conta do WAD ou outra coisa. Foi atualizado entre a proposta de 2009 (US$ 4,5 bilhões) e o câmbio de 2014 que acabou fazendo o valor, em dólares, atingir US$ 5,4 bilhões. Porém, na verdade o financiamento foi realizado em Coroas Suecas. Assim, o total de 39 bilhões de coroas suecas acabou ficando o equivalente a US$ 4,7 bilhões, no câmbio de 2015.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 ano atrás

SegundoLoteJá#

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Apoiado. E preferencialmente 44 unidades, destas, 24 biplace e a demais monoplace.
CM

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Claudio Moreno
1 ano atrás

Concordo! Temos que ter uma quantidade apreciavel de bipostos!!!!!

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Deux te ouça! Precisamos de segundo e terceiro lotes

Recce
Recce
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

72 Gripen E fariam da FAB a força dominante na arena aérea da AL pelas próximas décadas.

Roberto Medeiros
Roberto Medeiros
Reply to  Recce
1 ano atrás

Melhor ainda: 108, como foi cogitado por uma autoridade alguns anos atrás.

Recce
Recce
Reply to  Roberto Medeiros
1 ano atrás

Sim, seria ainda melhor rsrs.

Nilo Rodarte
Nilo Rodarte
1 ano atrás

Quando ele voar, será que já vai ser com a pintura definitiva a ser usada na FAB?

luiz antonio
luiz antonio
Reply to  Nilo Rodarte
1 ano atrás

Se os indícios e a lógica confirmarem, a FAB deverá adotar o mesmo padrão dos F-2000. Claro que é mero palpite pessoal. A rigor a FAB pode decidir por outro padrão em função de requisitos técnicos que nada tem a ver com “beleza” e sim eficácia.

Carlos
Carlos
Reply to  luiz antonio
1 ano atrás

Boa Noite , Colegas !
O Gripen E , poderá ser Armado com MÍSSEIS (ou 1 Míssil ) Pesado (s) como o Mansup ou AVT-300 ? Abraços Gente Boa e Obrigado pela Atenção

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Esses aí num JAS39C são Taurus KEPD 350. Cada um pesa 1.400kg. Logo… 😉

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Carlos
1 ano atrás

Nenhum dos dois é aerotransportável.

Maus
Maus
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

Estas versões já estão sendo desenvolvidas.

Foragido da KGB
Foragido da KGB
Reply to  Nilo Rodarte
1 ano atrás

Tem una maquete do Gripen no stand da FAB na LAAD, com a pintura que acho que será a adotada e é muito semelhante a dos Suecos . Oremos ….

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Nilo Rodarte
1 ano atrás

Parece que sera mantida a pintura sueca nas unidadesda FAB!

Wellington Góes
Wellington Góes
1 ano atrás

Demorou!!!

Estamos na expectativa!

luiz antonio
luiz antonio
1 ano atrás

off topic: O PA vai fazer matéria sobre o Exercicio BVR na Ala 3?

nonato
nonato
1 ano atrás

Mas claro, a decisão foi tomada, agora é esperar e é um bom avião.
Não mete medo mas impõe respeito.

Cleber
Cleber
1 ano atrás

Aleluia

paddy mayne
paddy mayne
1 ano atrás

OFF TOPIC: DoD faz “contagem” de F-16s paquistaneses e afirma não haver baixas, contradizendo indianos. Reportagem da Foreign Policy

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  paddy mayne
1 ano atrás

Acredito que os administradores não gostem de links, então evitei postar.

Maus
Maus
Reply to  paddy mayne
1 ano atrás

Achei estranho não haver nenhuma foto dos destroços do avião.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Caramba! Brasileiro nunca está contente mesmo. O primeiro avião e série em fase final de montagem e gente ainda falando em “avião de papel” (nenhuma folha de papel foi usada no desenvolvimento do Gripen NG), em novela e em tragédia grega com final trágico…
E falam como se o desenvolvimento do Gripen NG tivesse levado 20 anos… Procurem ler mais sobre o desenvolvimento de outros aviões de combate, como o F-22, o F-35 ou o Su-57… O Gripen NG está indo muito bem…

luiz antonio
luiz antonio
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Caro Alexandre A escolha do GRIPEN na finalização do FX-2 desencadeou muitas iras, principalmente para pessoas de alguma forma ligadas à Boeing e à Dassault, ou mesmo por frustração antipática a uma escolha “fora dos padrões”, ou tambem por total desconhecimento dos critérios que culminaram com o resultado que conhecemos. Esquecem que a aeronave é Parte (e não o todo) de um sistema de armas e que foi objeto de estudos para dotar a FAB de uma aeronave de caça para os próximos 30 ou 40 anos, senão até mais. O fato é que ja estamos “quase lá” e tenho… Read more »

luiz antonio
luiz antonio
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Como complemento ao meu comentário:
Corroborando opiniões de outros comentaristas em outras oportunidades, espero que um segundo e mesmo um terceiro lotes ja sejam viabilizados, pois além da evidente necessidades de mais unidades, seria aproveita a oportunidade para minimizar custos em função do fator de escala, garantindo produção e operação das linhas de produção de fornecedores.

elton
elton
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

o jas39 não tem nada de revolucionario como as aeronaves citadas e todas as aeronaves da geração dele tiveram versoes novas desenvolvidas em bem menos tempo que ele

Roberto Medeiros
Roberto Medeiros
Reply to  elton
1 ano atrás

Elton, comparar um Gripen C/D com um Gripen E, é o mesmo q querer comparar um F16A com um F16V…
Não tem comparação. São concepções , parâmetros, tecnologias, componentes, etc… totalmente diferentes.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  elton
1 ano atrás

Elton, o Gripen NG é outro avião, não se engane. É tão igual a um JAS 39C/D como o Super Hornet é igual a um Hornet ou mesmo um Super Tucano é igual a um Tucano.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  elton
1 ano atrás

O projeto do F-18 C/D para o F-18 E/F levou 8 anos desde o início do projeto até o fim dos testes (1998 – 2000), sendo que inicialmente ele utilizava os mesmo aviônicos da versão anterior, que não é caso do Gripen E/F em relação ao Gripen C/D.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

1992*

Mauro
Mauro
1 ano atrás

Acaba de cair um avião de caça da BACO aqui em Canoas …piloto ejetou e parece q graças a Deus está tudo bem.

Mauro
Mauro
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Foi um F5 F e os 2 pilotos estão bem

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Na verdade foi um A-1B do 3º/10º GAv, o A-1B FAB 5660. Tudo indica flame-out do motor como causa do acidente. Os dois tripulantes ejetaram.

CARLOS EDUARDO TESCARO MARQUES
CARLOS EDUARDO TESCARO MARQUES
1 ano atrás

Se tivesse bocal variável…

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  CARLOS EDUARDO TESCARO MARQUES
1 ano atrás

A Saab chegou a estudar a adoção de vetorização de empuxo no Gripen NG, nos estudos iniciais. Depois, viu que era bobagem, pois acrescentaria peso extra e por mais que pudesse aumentar a capacidade de manobra, nunca deixaria o caça mais ágil do que um moderno míssil ar-ar. Então, abandonou essa ideia.