Home Espaço No acordo com os EUA para uso da base de Alcântara, Brasil...

No acordo com os EUA para uso da base de Alcântara, Brasil não poderá desenvolver o próprio foguete lançador com o dinheiro recebido

34088
262

Após quase 2 décadas, países concluíram negociações sobre salvaguardas tecnológicas que permitem uso comercial de base no Maranhão

WASHINGTON – Brasil e Estados Unidos concluíram na semana passada as negociações do novo Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST), que permite o uso comercial da base de Alcântara, no Maranhão. O tema é debatido pelos dois países desde 2000, quando o governo Fernando Henrique Cardoso assinou o acordo, rejeitado na sequência pelo Congresso Nacional. Em entrevista ao Estado, o embaixador do Brasil nos EUA, Sérgio Amaral, revelou parte das mudanças no novo texto. Para ele, as negociações reduziram a ingerência americana no Brasil e atenderam, dessa forma, críticas levantadas anteriormente pelo Congresso.

“Essa negociação encerra quase 20 anos em que estamos tentando lançar da base de Alcântara mísseis de maior capacidade, de maior porte e que podem ser utilizados no uso comercial sobretudo de lançamento de satélite”, afirma Amaral. Depois de 2002, quando o AST fracassou no Congresso, o Brasil ensaiou outras vezes uma nova negociação com os EUA, mas as rodadas de conversa sobre o tema deslancharam em maio do ano passado. Os parlamentares brasileiros alegaram nos anos 2000 que o AST fere a soberania nacional.

O acordo de salvaguardas tecnológicas prevê a proteção de conteúdo com tecnologia americana usado no lançamento de foguetes e mísseis a partir da base de Alcântara. Atualmente, 80% do mercado espacial usa tecnologia americana e, portanto, a ausência de um acordo de proteção limita o uso da base brasileira. O texto também é um acordo de não proliferação de tecnologias de uso dual – quando as tecnologias podem ser usadas tanto para fins civis como militares, caso do lançamento de mísseis.

Uma das questões controvertidas na discussão sobre o acordo é com relação ao uso de recursos obtidos da exploração comercial do lançamento de satélites. Os recursos poderão ser usados em qualquer etapa do Programa Espacial Brasileiro, mas não no desenvolvimento de veículo lançador.

“É uma parceria com os Estados Unidos na exploração comercial do centro espacial de Alcântara.” Em razão de sua localização geográfica, é possível economizar até 30% no combustível para lançamento de satélites a partir de Alcântara. O acordo dura um ano e pode ser revisado. As negociações estão concluídas, e o acordo passa por revisão de tradução dos dois lados e última análise jurídica. A ideia dos governos é encerrar os trâmites a tempo de os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump assinarem o acordo no encontro que terão na Casa Branca, em Washington, no próximo dia 19.

Leia a matéria completa no site do Estadão, clicando aqui.

Lançamento do Veículo Lançador de Satélites (VLS) brasileiro em Alcântara

262 COMMENTS

  1. Pega uma quantia de dinheiro igual a recebida de uma outra área investe no foguete e o dinheiro recebido cola para cobrir o rombo… Agora será maravilhoso se a gente se “abrir” e no final de tudo não desenvolver foguete nenhum. O que com certeza vai acontecer.

      • Com esse acordo o Brasil fica proibido de construir qualquer foguete. Toda verba que o Brasil realocar para o programa, os USA vão dizer que é proveniente do acordo, então vai vetar.
        No popular: o Brasil vaia seferrar com esse acordo. Está colocando todo o seu programa sob a tutela dos yankes.

        • Nada haver !

          Esses acordos são normais. E o Brasil é que se nega a uma maior cooperação político-militar com eles. Obviamente, eles se preocupam com o porquê !

          Os EUA apenas temem o desenvolvimento de mísseis nucleares ! Vai que algum dia, um “Maduro” assuma o poder no Brasil…

        • E pelo contrário…O dinheiro cai no caixa da União, que repassa onde quiser…

          Nem nós poderíamos afirmar que o dinheiro foi usado pra isso. Imagine eles !

          A regra é só formalidade pra seguir a legislação americana, que vale pra qualquer país…

          • O dinheiro vai direto para a Alada e pode e deve ser usado somente no sistemas espacial brasileiro …

            O governo pode e deve fazer aportes financeiros quando necessário para projetos específicos.

            Se amanha a FAB for desenvolver o VLS de novo, o projeto, e a construção sera feita através de aporte financeiro da união para a Alada, semelhante ao que esta sendo feito nas corvetas tamandaré

      • fique feliz. é a “transferência de tecnologia” que interessa. agora é terminar de montar os caças da força aérea pq o resto já era. aprendam, iludidos do nacionalismo desenvolvimentista. não existe almoço grátis.

    • Caro Caique Luã,

      Não é assim que funciona. Não existe “jeitinho brasileiro” com os americanos. Você acha mesmo que eles não vão embargar qualquer tentativa para construir um VLS? Vão entrar com ações (mesmo sabendo que o dinheiro é da União, aliás, quando a União passou a ter compromisso com Alcântara?). Vai ser pura birra, vão colocar uma pedra atrás da outra.

      No fim, vamos desistir por cansaço.

      O que você está propondo é uma espécie de lavagem de dinheiro legal. Os “americanos” já devem ter 4 ou 5 advogados preparados para isso.

      • Acho que não é por aí não… o documento proíbe o uso direto da receita do uso da base para desenvolver o VLS por que as leis americanas proíbem que eles financiem o desenvolvimento de programas espaciais de outros países, no entanto de forma alguma eles podem interferir no orçamento do Brasil.
        Assim, caso realmente se deseje desenvolver a tecnologia do VLS, basta compensar essa parte do investimento com recursos do tesouro, sem atrelar às receitas obtidas com a parceria.
        Importante notar que a proibição afeta o desenvolvimento do veículo, mas outras tecnologia essenciais, como telemetria e sistemas de navegação, entre outras, não estão sujeitas às mesmas restrições.

          • Acho que não foi morte morrida…foi morte matada…estava bem avançado e isso não agradava a “outros” com isso…BUUUUMMMMMMM!!!

        • Exatamente! O orçamento nacional país nenhum interfere. E o modo como foi feito esta dando é salvaguarda para eles embasarem juridicamente lá o acordo. Não está dito em nenhum momento que o Brasil está proibido de construir ou investir em um VLS seus recursos. Se tiver cláusula desse tipo é por trairagem nossa mesmo. E depois é apenas pelo prazo de um ano inicialmente, qualquer problema não renova.

          • Vão usar como justificativa para embargo de tecnologia no futuro, a coleira está vindo dourada. Já vimos este filme antes. Com isso eles terão um contrato que poderão interpretar da forma que quiserem. Inacreditável.

          • Marcos eu estava lendo que agente só não vai ter acesso a tecnologia deles mas vamos ter acesso a toda base e troca de conhecimento com os cientistas isso bate? Sabe me informar?

          • O recebimento dos valores consubstanciam ‘receita vinculada’. Fora isso não há como impedir o desenvolvimento de um VLS nacional. O resto é direito disponível e pode ser negociado.

    • A questão é que nós esquecemos que o contrato tem vigência. .. nada impede de aprendermos ..geramos recursos … desenvolvemos a nossa metodologia para um foguete lançador. .. e não renovamos o acordo qdo esse dia chegar. .. simples assim.. e como não temos isso ainda… temos mais é que abrir essa porta…abs

    • Caro Caique Luã,

      Nao se deixe enganar por matérias distorcidas e sensacionalistas como essa …

      No acordo, o Brasil através da ALADA vai poder alugar a base para qualquer país, fazer acordos de desenvolvimento com qualquer país, receber diretamente os valores arrecadados nesse aluguel da base e sera a FAB a mantenedora da segurança da base.

      A pessoas aqui do fórum infelizmente ou sao mal informadas ou comentam de forma ideológicas mentindo descaradamente.

  2. Iremos nos tornar o Cazaquistão dos EUA, lançando satélites com uma economia de combustível de 30%, e não poderemos investir a grana no nosso própio veículo lançador ?? Essa Colônia me mata de vergonha..

    • A grana que não poderá ser investida é a paga pelos americanos, nada impede de o Brasil continuar desenvolvendo com o seu próprio dinheiro. Os americanos dominam o mercado de lançamento de foguetes, seria um contrasenso financiarem uma concorrência contra si mesmos. Como o brasileiro padece de capacidade cognitiva, vão se criando narrativas falsas. Nada demais alugarmos a base para lançamentos periódicos deles. Pegamos o dinheiro e investimos em educação, ciência, e tecnologia, consequentemente com a economia gerada dá para o Ministério aumentar os repasses para o programa espacial brasileiro. Não tem como impedir isso.

      • Tudo é possível na seará jurídica. Com u judiciário do quilate do nosso, os norte-americanos vetam qualquer aporte de verba para o programa espacial brasileiro, facilmente. Quem acreditar no contrário está se iludindo.
        Não se iludam. Eles, yankes, não dão murro em ponta de faca, alem de conhecerem muito bem as maracutaias dos “intelijumentos” brasileiros.

        • Com um judiciário tal qual o nosso, aposto que todo o dinheiro arrecadado vai ir para inúmeras ONG das quilombadas no entorno para pagar “nossa divida históricas com eles” . Depois do primeiro lançamento, o nosso brilhante judiciário recomendará um estudo de custo aproximadamente o triplo do contrato mais a soma do orçamento de Alcântara para saber os danos do impacto do barulho do lançamento causa no pássaro tal, que só existe lá em em outros 40.000 lugares do planeta. Após anos passados e toda a verba gasta na pesquisa nada conclusiva, uma revista que aqui em Minas é chamada de Oia lança – “Exclusivo: O mar de corrupção em Alcântara vai as alturas”, O Globo Reporte apresenta a triste vida dos ribeirinhos no entorno de Alcântara.
          Mas, bem antes da reportagem ou da revista Oia, ou o Globo Reporte, após o primeiro lançamento, o 03 avisa pelo Twitter: “O primeiro foi endereçado para a Lua o segundo vai para você Maduro FFDDPPTT”, e assim caminha o Brasil.
          Terminando a história em uma cela em Curitiba alguém assiste tudo com os olhos cheios de lagrimas pensando: Se eu ainda fosse presidente iria contratar a Odebrecht para fazer uma base para os Russos, Chineses e mais que quisesse lançar foguete aqui do Brasil, até aquele cara de olho puxado de um país perto da China, desta vez eu iria pedir uma naves espacial e uma estação orbital para passar as férias com a família, fazendo churrasco nas chamas do sol, só que agora colocaria tudo no nome do Tio da Dilma, o Ti Et, que sempre passa por São Paula mas que mora lá Varginha na verdade

        • Os americanos possuem até bases militares em outros países, com acordos parecidos, e ninguém ou nada morreu…

          Nem mesmo Cuba foi invadida.

          Quanta paranóia… kkkk

    • Desenvolver o quê? Para explodirem de novo? O que fizemos com o dinheiro público alocado para o “programa espacial brasileiro” ao longo desses anos todos? Hipocrisia.

  3. É uma política predatória. Cai por terra qualquer argumento de que o uso comercial vai impulsionar o investimento técnico-científico na construção do VLS

    Vamos ser sinceros, o âmago da agência espacial brasileira é criar um VLS. A pesquisa científica é apenas, digamos, usufruto do “fim que JUSTIFICADAMENTE justifica o meio”. Com redundância, pois sem a pesquisa científica não existe VLS ou qualquer outro aparato “espacial”.

    VLS acima de tudo, americanos embargando todos!

    • O interesse é agradar o Trump. Não é por outro motivo que esse acordo está sendo aprovado às vésperas da ida do Bolsonaro.
      Antigamente os reis de países vassalos ao visitarem o pais dominante sempre levavam presentes. O Bolsonaro está levando de presente para o Trum a base de Alcântaras.

    • “Atualmente, 80% do mercado espacial usa tecnologia americana e, portanto, a ausência de um acordo de proteção limita o uso da base brasileira”

      Ter acesso a 80% do restrito mercado de lançamento de cargas espaciais não é bom o suficiente pra vc?

  4. Eu achei uma boa solução, se bancar o uso da base já valeu a pena, se sobrar dinheiro já é lucro. O título é sensacionalista e só.

    Pelo que entendi a proibição de desenvolvimento veículo lançador só vale para os recursos obtidos com o uso da base. Eu acho uma salvaguarda inútil por não nos impedir de desenvolver de desenvolver nada mas sendo que estão pagando deixa os gringos se sentirem bem.

      • O dinheiro caiu no caixa único. Como os Americanos vão saber que o dinheiro que estamos usando para desenvolver o nosso VLS veio desse contrato?

  5. Li uma análise que propunha uma parceria entre Brasil e Israel. Foguetes israelenses lançados na base de Alcântara. Israel, por questões geográficas, lança seus foguetes em órbita retrógrada. Ou seja, na direção oeste, contra a rotação da Terra. Consumindo muito combustível o que afeta a carga útil. A análise é de Carlos Cardoso do site Meiobit com o título de “Uma Proposta Modesta: O Governo Bolsonaro deveria mandar Israel pro espaço” , é só googlar.

    • Moro em Israel e tenho certeza que por aqui emplaca. O povo ama o Brasil e nao entendem como nao e superpotencia. Israel pode fazer pelo Brasil o que esta fazendo pela India. Tanto em tecnologias civis quanto militares.

      • Diga para eles que o motivo é bem simples… Nossas leis são feitas pelos próprios bandidos, disfarçados de políticos, para protegem de inúmeras maneiras os corruptos, colarinhos brancos, estupradores, homicidas etc. Temos Leis defensoras da criminalidade, e não da sociedade honesta e respeitosa. Nenhum país vai para frente com Leis que são lixo.

  6. Agora tá claro que o interesse deles não é nem a economia de combustível. Se quisessem economizar, lançavam de plataforma flutuante em água internacional o que já possível.

    • Verdade amigo. O jogo é bem outro… uma cabeça de ponte de onde não sairão mais. Até, hoje, se arrependem de terem saído do Nordeste pós término da WW2.
      Se negócios envolvendo aluguel de local estratégico nacionais fossem bons, a França alugaria a tempos a sua base de Kourou igualmente muito bem localizada.
      Vassalagem e traição é disto que se trata mais esta negociata absurda.

      • Meu camarada. Super respeito a opinião de quem é contra ou a favor.
        Somente discordo da sua comparação. Pelo que entendo como realista em RI, os EUA são totalmente bem-vindos na França para fazer acordos sobre a Guiana Francesa.
        No entanto, é para contratar serviços franceses, com veículos franceses, para pôr o que for possível dentro das normas internacionais no Espaço, e sobre o preço que os franceses determinarem. Tal como fizeram com nosso SGDC e fazem com qualquer país. Por que os EUA estariam excluídos?
        Entendo que para os americanos não compensa ($$$) e, portanto, eles lançam seus próprios veículos do seu próprio território, ainda que numa condição geográfica desfavorável.
        Portanto, a comparação é incabível para o caso, pois os franceses possuem tecnologia e oferecem um produto com alto valor agregado. Infelizmente o Brasil não pode fazer nem perto do que eles podem fazer.
        Grande abraço.

      • Até que enfim vejo vejo um comentário de alguém que vê o que está por traz das cortinas.
        Que triste ver o meu país entregando sua soberania dessa forma.
        Penso que quando um governo for capacho estará sempre dominado pelos interesses que não serão os seus.
        Lamentável!

    • Desconheço lançamento em plataforma flutuante. Conheço apenas pouso!

      O objetivo não mesmo economia de combustível. Até por que essa é aparte barata do lançamento. A vantagem de se lançar tão perto do Equador é que se pode lançar cargas mais pesadas com o mesmo combustível.

    • Mesmo de fosse tão facil… Em águas internacionais, correm risco ate de serem abatidos….

      Qta paranóia…. Tem até base militar em Cuba e o pais nunca foi invadido.

    • Corretíssimo amigo. O jogo é bem outro… uma cabeça de ponte de onde não sairão mais. Até, hoje, se arrependem de terem saído do Nordeste pós término da WW2.
      Se negócios envolvendo aluguel de local estratégico nacionais fossem bons, a França alugaria a tempos a sua base de Kourou igualmente muito bem localizada.
      Vassalagem e traição é disto que se trata mais esta negociata absurda.

      • kKKKKKK…Vassalagem é o BNDES aplicar mais de 700 bilhões em ditaduras comunistas amigas dos governo anteriores que saquearam o Brasil, elas darem calote, e o Tesouro (nós!) ter que bancar, o resto é conversa fiada, teroia da conspiração, bobagens infinitas de americanos invadirem o Brasil, quem acredita nisso quer a volta da podridão e da roubalheira.

        • Uma coisa nao tem nada a haver com a outra. Ambos estao errados, os governos anteriores que saquearam o pais e o atual que esta entregando nossa soberania de bandeja

        • Se o amigo pesquisa-se no BNDS, saberia que o dinheiro foi para uma empresa brasileira construir no exterior e que todo o dinheiro retornou com juros conforme o mercado. A hallibut do Dick Cheney gradece a vassalagem brasileira, a destruição da engenharia nacional e do BNDS. Somos agora vira latas dos EUA

        • https://www.bbc.com/portuguese/iraque/030418_reconstrucaorg.shtml

          A empreiteira americana Bechtel venceu a concorrência e irá ser responsável pelo maior contrato de reconstrução da infra-estrutura do Iraque.

          O contrato, no valor de US$ 34,6 milhões, é o quinto a ser fechado pela Agência Internacional de Desenvolvimento dos Estados Unidos (USAIDS, na sigla em inglês).

          Pelo compromisso assumido pela Bechtel, a empresa ficará encarregada, a princípio, da restauração de usinas de geração de energia e de redes de transmissão, além de sistemas de distribuição de água e de coleta de esgotos.

          O contrato, no entanto, poderá ser estendido para até US$ 680 milhões pelos próximos 18 meses, com a empresa ficando a cargo também da reconstrução de escolas, hospitais e prédios do governo.

          Controvérsia

          O analista da BBC Stephen Evans disse que a concorrência milionária foi cercada de controvérsia.

          Isso porque apenas empresas americanas foram aceitas pela USAIDS na concorrência. Além disso, o processo foi feito com as companhias candidatas apresentando lances secretos.

      • Quem matou o VLS foi o FHC, quem matou a parceira com a Ucrânia foram os próprios EUA, como provado pelos documentos secretos divulgados pelo wikileaks em 2011.

        • “matou o VLS foi o FHC”
          Durante o governo FHC foram construídos 3 VLS e lançados 2. Quantos VLS foram construídos pelo PT em 13 anos?

          “quem matou a parceira com a Ucrânia foram os próprios EUA,”
          Cara, no meio aeroespacial tem pouquíssimos apoiadores dessa parceria. Era um projeto que já nasceu morto! Ora, como poderia dar certo uma empreitada pra lançar foguetes sem que o País tivesse acesso ao mercado (sem acordo de salvaguardas) ?!
          O que apareceu no WikiLeaks foi que o Gov americano enforçou que a Ucrânia não transferisse tecnologia de foguestes, mas veja, NINGUEM no mundo transfere esse tipo de tecnologia pq pode virar arma!
          Então o governo PT firmou acordo pra lançar nada pra lugar algum e sem parceria tecnológia e vc ainda culpa os outros?!

          • Os EUA não tem interesse em nos deixar ter um VLS e vão dificultar sempre que puderem. Já fizeram isso antes e o uso da base não vai mudar isso.

            Digamos que não é nada pessoal. Por eles ninguém tinha condições de desenvolver um VLS devido a tecnologia dual. Afinal, alguém acha que o Irã e a Coréia do Norte tiveram apoio americano?

            Não existe supresa nisso. Agora é o nosso pais decidir se vai fazer um e trabalhar para isso.

  7. Na matéria do Estadão tem também uma discussão sobre restrição de acesso, pelo que entendi pode ocorrer de só entrar na base quem os americanos quiserem (apesar de um entrevistado dizer que vai ser tudo “em comum acordo”). É um aspecto que merecerá atenção quando começarem as operações, afinal, seria importante que nossos cientistas pudessem acompanhar todos os passos, absorvendo o máximo possível de conhecimento.

    • Seria essa nossa parceria estratégica?
      Depois de levar um drible de Trump no acordo comercial China – EUA, agora isso.
      Só estamos levando ferro com esse novo ‘status’ de parceiro.

    • O acordo é uma salvaguarda tecnológica e vc quer ter acesso aos segredos deles?! rsrs

      Entendo que essa questão de acesso restrito deva ter foco na segurança. Não podemos admitir, por exemplo, que tragam carga nuclear, bilógica ou química sem dar satisfação.

  8. Simplesmente ridículo! Só não fica pior pois do jeito que está não passa no congresso. Alugue a base para um cliente sério, que não faça propostas indecentes, faça parceria/aliança com quem estiver disposto ou invista para valer em nosso programa espacial para termos independência na área.

      • 1. Qualquer cliente que não faça propostas absurdas e cumpra os acordos é um cliente sério.

        2. Falei que o Brasil precisa investir pra valer, mas não disse quando. É óbvio que temos que arrumar a casa primeiro, além de transformar esse tipo de coisa em politicas de interesse nacional, pois não adianta um presidente investir e o próximo desinvestir.

    • O que tem de indecente na matéria? Será que vc se deixou levar pelo título?
      Por mera questão buracrática dos americanos o dinheiro que gastarem com o aluguel da base não pode ir DIRETAMENTE para pesquisa e desenvolvimento do nosso lançador nacional. N
      ão quer dizer que não podemos desenvolver o lançador, entendeu?

  9. Tudo como previsto taogay!!!!!
    Viva o acordo caracu!!!!!
    Aliança america first a todo vapor!!!!!
    Viva aos patriotas que não passam de quinta coluna!!!!!
    A bandeira do Brazil nunca será verde, amarelo, azul e branco!!!!!!
    Parabéns a todos os que lutaram para essa realidade!!!!!

  10. Kkkkkkkkkkkkk que espécie de acordo é esse que o cliente paga uma taxa, recebe o serviço e ainda diz como a taxa deve ser usada? Nem sempre o cliente tem razão, quem já estudou marketing sabe exatamente o por que disso.

  11. Esse acordo é um lixo e só serve aos interesses americanos. O que o Brasil tem a ganhar com isso?
    Somos os donos do território, donos do espaço aéreo e o valor e o que deve ser feito com o dinheiro são os brasileiros que devem decidir.

    • ” O que o Brasil tem a ganhar com isso?”
      Acesso a 80% do mercado de lançamento de cargas espaciais não ta bom pra vc?

      Não vão alguns milhões em aluguel de base que nos impedir ou ajudar/atrapalhar no desenvolvimento do lançador…

      • Marcos te informes , te aprofundes , so conheces superficialmente o problema do desenvolvimento Espacial brasileiro , Coitado do Brasil !!!

  12. Titulo Sensacionalista. Contrato de 01 ano podendo ser prorrogado. Valores arrecadados com o lucro do “aluguel” não pode ser usado no financiamento da construção do VLS. Como está a construção? já tem alguma fase? Já está na hora de alocar os recursos nesse projeto? Não existe proibição, apenas os EUA tem como política não darem recurso a outros países fazerem o VLS ou seja, se vc quiser fazer faça, mas não com dinheiro que veio dos EUA, pq ai requer outro tipo de acordo e tratados.

  13. Vou perder meu tempo mais uma vez escrevendo um comentário aqui. Todos os anteriores que postei não foram publicados. Acho que os administradores do site não gostam de mim ou da minha opinião, apesar de eu ter até me desculpado da última vez por algo que tenha dito de errado, mas vamos lá. 1º Cliquem no link da matéria do Estadão e reparem que o título é: “Brasil e EUA fecham acordo sobre base de Alcântara”. 2º e não menos importante na reportagem original existe um parágrafo esclarecedor: “Segundo Amaral, isso ocorre porque parte da política de não proliferação e da legislação americana proíbe os EUA de entrarem em acordos em que, de uma forma ou outra, promova transferência, desenvolvimento de tecnologia ou financiamento do desenvolvimento de foguetes lançadores. Para ele, contudo, a cláusula é inócua, porque nada impede que toda a receita obtida financie o Programa Espacial Brasileiro e o Tesouro Nacional arque só com o desenvolvimento de foguetes lançadores. O novo acordo inclui uma cláusula que estabelece que nada no AST pode prejudicar o desenvolvimento autônomo do programa espacial brasileiro.” Sabemos que nossos governantes nunca deram a mínima para nosso programa espacial e que até vidas de cientistas importantes para o programa (e para o país) foram perdidas por conta deste descaso político. Sugiro aos comentaristas lerem a integra do acordo (quando ela estiver disponível) antes de se posicionarem à respeito. A alteração do título, para mim, soou como pura depreciação e posicionamento político, pois nenhum dos editores teve acesso aos termos do acordo final.

    • cara no alvo, meus parabens, 90% dos comentarios aqui, sao de pessoas que leram apenas o titulo, e esse titulo ta com cara de titulo pra criar intriga, esse acordo me parece bem diferente daquele da epoca FHC, que esse sm prejudicaria nossa soberania.

    • Comentário perfeito.
      Além do exposto, faz 20 anos o programa espacial brasileiro não desenvolve nada, sendo apenas uma linha na planilha de despesas. Pelo menos vamos receber alguma coisa pelo terreno, que diga-se de passagem, não tem infraestrutura nenhuma para um lançamento de médio porte (Google Maps na base e chore). Não existe um porto para receber os veículos lançadores, não existe estrada (que suporte os veículos) até a base e tao pouco existe uma torre de lançamento para algo maior que uma bola de futebol. Se o $$ recebido propiciar pelo menos o desenvolvimento da infraestrutura, já estamos no lucro.

      • Errado, nada de bom para o Brasil. Migalhas kkkkk!
        Se negócios envolvendo aluguel de local estratégico nacionais fossem bons, a França alugaria a tempos a sua base de Kourou igualmente muito bem localizada.
        Vassalagem e traição é disto que se trata mais esta negociata absurda.

          • Só confirma o que eu disse se isso for vero.

            Os franceses chutaram o preço lá para o “espaço”…
            Ahh! Querem alugar nossa base espacial, então vão ter que pagar muito caro por isto.
            Apenas um jeitinho simpático de dizer: “NÃO!”.

          • França:
            Olha nossa base espacial pode ser alugada, queremos que todos se desenvolvam, é baratinho, é só se basearem em nossas marcas famosas. Vale a pena sim.
            É nos menores frascos que estão os melhores perfumes.
            É em pequenas porções que está a melhor culinária.
            É em Kourou que está a melhor ba$$$$$$$$$$$$$$$e.
            rsrsrsrs!

    • Agradeço Aleccsander pelo seu comentário comedido e esclarecedor para os leitores que leem só os títulos das matérias e começam a falar bobagens sem absolutamente nenhum fundamento. Gostaria também de deixar claro que tenho notado que a linha editorial do PA tem mudado de uns tempos para cá alem de que o nível dos comentaristas esta sendo nivelado por baixo. Gosto muito da trilogia e do PA em especial, francamente espero que o senhor editor não permita que isto se torne em um novo Plano Barril.

  14. Parece que não pode é usar o dinheiro americano pago pelo uso da base em um foguete espacial, mas não impede do Brasil ter um foguete espacial com o dinheiro do seu próprio orçamento, me parece lógico isso, pois seria um escândalo assinar um contrato aonde um estado estrangeiro diz o que devemos e não devemos fazer com o orçamento anual brasileiro, Impor um veto no direcionamento do dinheiro do orçamento brasileiro. Até porque o congresso vetaria novamente esse acordo e duvido muito que até a FAB/MDef aceitaria um negócio desse

    • Exatamente Junior! A questão política de parcos recursos para o programa espacial é uma coisa. Já o acordo do uso da base é outra totalmente diferente. Vamos ver no congresso como será a votação e principalmente quem votará contra e quem votará a favor. Podemos usar os recursos do aluguel para o Programa Espacial Brasileiro e o Tesouro Nacional arcar só com o desenvolvimento de foguetes lançadores como disse o embaixador do Brasil nos Estados unidos, Sérgio Amaral.

    • Exatamente, Junior. Eu penso dessa forma também. Outra coisa, eu imagino que o dinheiro da base deve ser usado na base de foguetes, inclusive para melhorias físicas e de pessoas, tal como a comunidade que mora próximo, a linha de acesso, energia etc…

    • O que nos impede de tudo é a mentalidade plantada no Brasil , com advento do Golpe da Republiqueta , éramos um dos Líderes no mundo , depois viramos Capachos e continuamos a se-lo , e quem conhece a mentalidade da FAB ,ex Aeronáutica, foi sempre viver em submissão ao tiozinho do norte.

      • Sobre a FAB o Casimiro Montenegro discordava de você já em 1943, tanto que criou o ITA e o CTA que, entre outras coisas, rendeu a Embraer.

        O império caiu há 130 anos, já está na hora de deixar ele lá, no passado. Pensar no que poderíamos ter sido é inútil.

        • O Império não caiu foi derrubado por uma Golpe Militar de um General Corno e Doente . Foi criada e enfiado Goela abaixo do brasileiro , esta Republiqueta de Castas Corporativista , e o Povo brasileiro a 130 anos como disseste é apenas Paria da Nação !
          Compares a Aeronáutica não somente com alguns idealistas , mas com outros entreguistas , como Eduardo Gomes , que no Governo Vargas fez e desfez, como quis passando por cima de tudo e de todos . Sabidamente a Aeronáutica brasileira foi criada copiando a Itália , quando já era sabido que lá não dava certo , e também aqui nunca deu certo .

  15. Aos desinformados de plantão, o governo vai poder utilizar todo o dinheiro e tecnologia para melhorar a base de lançamento e na pesquisa espacial, só não vai poder usar o dinheiro para construir um veículo lançador, mas diz ai, quando mesmo o Brasil conseguiu contruir com sucesso um veículo lançador? Pesquisem sobre o VLS, ele ainda utiliza combustível SÓLIDO, fala sério, isso já não é usado a quase um século com os primeiros protótipos de Goddard em 1926. Sem falar que já se passou 19 anos da primeira tentativa de acordo e o que fizemos mesmo?

    • Atenção Mestre tiago…existe muita pegadinha ai….

      O Vls brasileiro nunca foi bem visto exatamente por esta caracteristica de combustivel solido….

      sabe quem mais utiliza combustivel solido….??? Misseis…

      entenda, não diferença tecnica entre um VLS+Combustivel Solido de um missil intercontinental….eis a questão….

      VLS de outros paises inclusive EUA usam combustivel liquido….para segurança da missão…

      Misseis usam combustivel solido para pronto emprego e disparo a qualquer momento…

    • Um exemplo : a Argentina , não tem Base ** ESTRATÉGICA **alguma , sua Base em Punta Índio e quase na Patagônia , muito longe da linha do Equador , não recebe verbas alguma de aluguel algum , esta a anos em crise , etc , etc , mais já tem um Veículo Lançador e de Combustível Líquido , enquanto nós aqui lançamos o último VLS em Teste ainda no Governo FHC , que era chamado de entreguista ( eu também penso assim ) , depois veio a desgraça mentirosa do PT e todo o projeto foi deixado parado , menos o Papo Furado Nacionalista e agora os sonhadores aparecem com mais este sonho , que deverá tornar-se **Una Pesadilla**. Por várias vezes coloquei que deveríamos estar juntos em uma Agência Espacial Latino Americana e, também com outros Acordos com Índia , China , Rússia etc, poderíamos ter a quem recorrer em caso de Boicote do nosso ** MUY AMIGO ** , antes éramos um dos que caminhavam a diante nas pesquisas espaciais , agora todos estão nos passando , a Indonésia , já nos esta dando um Adeusinho também , e ViVA a Republiqueta de Castas Corporativista do Brasil.

  16. O que o Brasil ganha com isso?
    A utilização de uma base que esta as moscas e que pode render algum dividendo para P&D, por exemplo, de satélites.
    Mas não pode usar o dinheiro para construir o próprio lançador, isso é uma afronta?
    Não exatamente, mesmo com dinheiro próprio, não poderíamos usar nenhum componente americano mesmo.
    Conclusão: Antes colocar essa base para funcionar e ganhar alguma coisa do que não ganhar nada com ela parada.

    • Exatamente! Demoramos 20 anos para fechar esse acordo e lucrar com um base que tem o melhor posicionamento do mundo para lançamentos. Agora temos que investir em P&D, como você falou, e financiar o VLS e componentes que precisarmos com outros recursos. Se o governo vai financiar isso ou não é um problema político nosso, mas até que enfim alguma coisa vai andar no sentido de custear a Base de Alcântara.

    • És um brincalhão , então por causa da nossa incapacidade , devemos abrir mão por alguns trocados . Coitado do brasileiro e do Brasil , todo os sonhos de minha geração , estão sendo enterrados , pela incompetência , o entreguismo , a falta de patriotismo , a burrice , a mentalidade colonizada que nos impuseram a 130 anos por esta republiqueta de castas , castas onde os nossos militares estão inseridos !

  17. Olha… tudo depende muito do quanto o Brasil vai receber para “alugar” esse espaço aos americanos. Desculpe a analogia tosca mas se alguém lhe oferece 20 reais para estacionar o carro na sua garagem e ainda lhe diz que a chave do portão da sua garagem só pode ficar com ele o que vcs fariam? Pois é… eu faria igual! Mas e se a pessoa oferecesse 20 mil/mês, a história muda né? Entenderam a questão? Então a questão aqui é quanto o Brasil vai ganhar com isso! Em relação ao VLS: ele é a meta do programa espacial brasileiro certo? Porém.. até hj é um sonho que só foi pesadelo, concordam? Não adianta gastar bilhões para construir um VLS e no final das contas não ter nenhum cliente algum, isso seria burrice! O VLS que estamos tentando construir é realmente rentável? Por conta de boicote ou de pressão externa ele pode melar? Eu acho que sim… que eu saiba só três nações lançam satélites sem precisar de componentes estrangeiros: EUA, China e Rússia, todos os outros os satélites usam componentes de outros países, de que adiantaria ter um VLS nacional visto que os americanos pudessem nos deixar com zero clientes para usá-lo? Para isso eles não precisam fazer grande esforço, basta colocar cláusulas de fornecimento de componentes americanos que são usados em satélites de outros países, exemplo: eles poderiam colocar uma cláusula que para que eles forneçam os componentes eles precisem aprovar o local da base de lançamento, e ainda alegar que a base tem que atender a requisitos de segurança que somente as bases aliadas poderiam ser utilizadas, ou seja, se eles quiserem eles podem nos deixar SEM clientes para usar o VLS que já gastamos rios de dinheiro e para sair definitivamente do papel iríamos gastar mais uns 3 rios de dinheiro. Resumindo: não dá para competir com as grandes potências, elas tem meios de tornar os nossos sonhos virarem pó! Aceitem de dói menos!

  18. Essa historia de VLS se tornou uma verdadeira palhaçada,primeiro que o Brasil ta varias decadas atrasado na construção,desenvolvimento e projetos de satelites ,segundo o Brasil nunca se interessou e um verdadeiro esforço de nação para desenvolver com tecnologia nacional os satelites de comunicação,reconhecimento e militares e terceiro produzir VLS e coisa de quem gosta de brincar de ICBM e IRBM nossos militares morrem de medo de tentar construir pelo menos um IRBM

    • Elton, é só falar que o Brasil deveria fazer tremer um pouco de terra lá na Serra do Cachimbo que vários “militares” brasileiros já tremem na base com medo de supostas sanções…

      • Não te esqueças que os nosso Militares , também fazem parte das Castas Corporativistas desta Republiqueta , geralmente estão interessados no Status Quo , sem Problemas para eles , entram na Carreira e Saem como se diz popularmente , **Por Cima da Carne Seca**, este foi o pensamento que levou ao ** GOLPE DA REPUBLIQUETA ** , como no Judiciário , Legislativo , Altos Funcionários etc , Para que Suar a Camisa , Deixa a Vida Me Levar !!

  19. Podemos desenvolver o veículo lançador com outra fonte de dinheiro, mas o dinheiro ganho com o aluguel vai ser usado no desenvolvimento de novos satélites.

  20. Um bom acordo. A base ganha uso, os EUA NÃO impedem o desenvolvimento do programa brasileiro e o dinheiro dos lançamentos comerciais vão servir para aperfeiçoar a base de Alcantra e quem sabe investir em novos projetos de satélites. Só os vermelhinhos é que não gostaram.

  21. A partir desse acordo; perde o sentido a comemoração do 7 de Setembro. Deixamos de ser soberanos e independentes. Melhor emendarmos a Constituição Federal e voltarmos a ser a BACKYARD OF UNITED STATES IN SOUTH AMERICA.

    • Acho que você desconhece nossa Constituição. Ela precisa de alguns remendos em partes que ficaram obsoletas com o passar dos anos, mas ainda é muito bem redigida. Melhor seria trocarmos os políticos corruptos e sem compromisso com nosso país. Agora sobre seu comentário sobre o acordo você mostrou ainda mais ignorância, pois sequer leu o acordo que ainda não está pronto e nem assinado. Seu comentário foi apenas político em nada contribuiu para a discussão.

      • Se negócios envolvendo aluguel de local estratégico nacionais fossem bons, a França alugaria a tempos a sua base de Kourou igualmente muito bem localizada.
        Vassalagem e traição é disto que se trata mais esta negociata absurda.

        • Pra que eles vão alugar? Eles tem foguetes e satélites próprios para lançar a partir daquela base!
          E o Brasil? Tem o que para lançar de Alcântara?

          • Perfeito Flanker! O comentário do Farroupilha tem mais viés político que sensatez. Imagine só se a França vai alugar a base para um concorrente. Se a família de foguetes VLS estivesse pronta também não precisaríamos de alugar.

          • Correto Flanker,
            Cadê nosso FOGUETÃO?
            E é justamente por isso que temos que ter nossos próprios lançadores. Para fazermos igual aos que têm seus próprios lançadores.
            Temos que tomar vergonha na cara e fazer nossa lição de casa.
            Bem o contrário de ajudar a alavancar o desenvolvimento ainda maior dos outros.

            Meu entendimento de Alcântara sem ingerência externa de forma alguma é excludente de termos “obrigatoriamente” que desenvolver o quanto antes nossos lançadores.

            Estão querendo misturar as coisas.

  22. É só não usar o dinheiro recebido para desenvolver o lançador, ora, basta usar dinheiro de outra fonte kkkkk nada impede de desenvolver com outro dinheiro, até mesmo de outra pasta de uma secretaria diversa.
    Eu imagino que a ideia é que o dinheiro seja utilizado na própria base e não em outras coisas, quem aluga deve pensar dessa forma.
    Eu gostei dessa negociação, acho terrível termos perdido 20 anos com essa base parada…se foi nisso 20 bilhões de dólares e principalmente tempo.
    Sem o acordo com os EUA e qualquer outro país que venha a utilizar a base NÃO desenvolvemos nada nessa área, então nesse acordo pelo menos vamos ganhar dinheiro e chance de desenvolver aquela região.
    Enfim, estamos muito atrasados nessa área, espero que com esses novos acordos com EUA, Rússia, China, Israel, França, Itália possamos acordar!

  23. NADA DE MAIS.
    1- Os Americanos tem total e absoluto direito de embargar o uso das tecnologia na qual eles gastaram seus recursos para o desenvolvimento.
    2- Se quisermos sair dos embargos, basta nos desenvolvermos assim como eles fizeram, é fácil??? Nãoooo mas para eles tb não foi!
    3- Estadão como fonte, no PA, não me admiro, em breve mais uma nota de direito de resposta…
    4- Não passa pelo congresso esse acordo!

    • Espero que não passe mesmo.

      Sim, concordo que temos que desenvolver nós mesmos, sem a ajuda deles. Já que não podemos fazer um acordo com a Rússia, por questões ideológicas, porque não uma parceiria com a India? Sim, essa mesma que, com um orçamento irrisório, mandou uma sonda para Marte na primeira tentativa, coisa que nem EUA e num Rússia conseguiram.

  24. Se alguém puder, por favor me esclareça: a base de Alcântara está ociosa atualmente? E a Barreira do Inferno? Quanto custa manter uma base dessas, mesmo na ociosidade, que dirá duas? Quem arca com essas despesas hoje? Grato. Paz e Bem!

    • Quem arca com essas despesas é o contribuinte brasileiro. Temos alguns acordos de lançamento com a Alemanha para lançamento de Foguetes Sonda que ajudam a custear, mas perto do potencial da Base de Alcântara esses acordos são pequenos. Podemos lucrar muito mais com o acordo atual e com outros que possam ser feitos no futuro. Acredito que a partir desse acordo outros virão.

  25. É o seguinte, o acordo será por um ano. Precisamos do dinheiro pra pagar as dividas do País, não temos dinheiro pra gastar com foguetes no momento é a realidade acordem. Se daqui um ano o Brasil conseguir pagar tudo com o dinheiro próprio sem acordo ai faz o tal foguete. Foguete não é prioridade em um país onde a população morre nos Hospitais. Assina o acordo e pega o Dinheiro que será muito útil ao Brasil.

  26. Sério ??
    Então não vamos poder colcar as moedas gringas na piscina de verbas dos nossos mega ultra super Caramurú ??

    Oras….

    Sds.

  27. A base de Alcântara começou com os militares, foi psra os governos liberais de Sarney a FHC, depois pelo esquerdismo de BOUTIQUE do PT, voltou para os liberais desde de Temer e agora é arrendada aos EUA.
    O projeto espacial brasileiro como todos os outro projetos científicos ou mesmo de melhora na educação, nunca tiveram importância nesse país! Agora neste tempos de medievalismo tardio; a ciência e cultura correm o risco de rápida extinção.
    A nós bastará nesta terra quadrada, com seu Sol envolta, abençoada por Deus que fala pelas bocas dos profetas evangélicos, aceotar os desígnios dos salvadores apontados por eles que estaremos resguardados de todos os males amém.

    • Nativo
      Temer e FHC liberais? kkkkk
      O Temer foi base aliada do PT desde 2004, ou seja, ficaram juntos 12 anos…
      O FHC não tem nada de liberal, nada mesmo, privatizou porque estava desesperando diante de tantas estatais falidas e sem dinheiro em caixa, o país sucateado. Na outra ponta criou agências reguladoras e aumento a carga tributária e o monopólio de empresas enormes.
      O Brasil não tem um governo liberal a mais de 150 anos…o Brasil é de esquerda (com viés de extrema-esquerda), com a saída do Bolsonaro voltará a ser de esquerda.

  28. Ué, é igual o caso do F-16 do Paquistão, os americanos colocaram restrições, se mesmo assim o Paquistão assinou, o problema é deles, existem alguns países que mesmo se prejudicando acham que estão fazendo a coisa certa, o Brasil é um desses países, infelizmente.
    No caso do VLS a culpa é toda nossa, nossos governantes nunca deram o devido valor ao programa espacial, não podemos culpar ninguém de fora por nossas próprias incompetências.

  29. Imagino os Estados Unidos como um ótimo aliado que cumpre seus compromisos, mas é preciso tomar algum quidado com coisas do tipo “My country is your country”, “My house is your house”, como aliado acredito não haveria melhor, mas temos de manter sempre os intereses na nação acima de tudo, ou seja aliados sim, mas negócios do interese da nação à parte!

    • Correto, veja o caso da França, é super aliada dos americanos entretanto…
      Se negócios envolvendo aluguel de local estratégico nacionais fossem bons, a França alugaria a tempos a sua base de Kourou igualmente muito bem localizada.
      Vassalagem e traição é disto que se trata mais esta negociata absurda.

    • Kemen
      Se o Brasil fosse realmente um aliado de 1° nivel dos EUA igual Israel é, entao eles, os americanos, nao imporiam restricao alguma ao modo como o dinheiro seria usado por nós e inclusive iriam sugerir uma parceria no projeto.
      Por isso eu nao acredito e nunca vou acreditar que na visao dos EUA o nosso Brasil seja um “aliado” deles. O Brasil é no maximo um “parceiro amigavel”.
      No meu ponto de vista o Brasil deveria rejeitar esse “acordo”.
      O Brasil deve ter uma postura independente em varios assuntos, desde misseis, lançadores, submarinos, caças e ate a energia nuclear, igual a França bem faz.

  30. Pessoal fica esperando alguém dar de mão beijada essa tecnologia, esperem deitados. Lançamento de satélites rende muito dinheiro e nenhum país vai querer a concorrencia de um país que pode lançar do equador por um custo menor. Outro detalhe são os acordos internacionais que proíbem a transferência de tecnologia que pode ser usada para mísseis de longo alcance.

  31. Ah, bom. O título da matéria dá a entender que o Brasil não poderia desenvolver o próprio veículo lançador. Nada impede de desenvolver o VLS, mas não com o dinheiro deles. Parece justo. Usa o dinheiro deles para as coisas que consome as (poucas) verbas brasileiras hoje e destina essas verbas que vão sobrar para desenvolver o VLS.

  32. Se Bolsonaro e sua trupe de militares aceitarem tais termos é porquê ou são imbecis subservientes ou coniventes com os interesses do Brasil…

    O locatário dar pitacos de como o locador irá usar o dinheiro do aluguel é muita cara de pau desses safados!

    Depois os mela cuecas vivem alardeando que devemos confiar no nosso big brother 🇺🇲do norte.

  33. Pelo menos teremos dinheiro para cortar o mato dentro e em volta da Base, manter as cercas em bom estado e os prédios bem pintados.
    Só espero que algum advogado espertalhão ou ONG mal intencionada não queira que parte deste aluguel reverta para os quilombolas do entorno, como forma de compensar “todos os males que eles vem sofrendo com a construção da Base”.
    E quanto ao nosso VLS, vamos comprar a tecnologia da Coréia do Norte. Tudo em sigilo e com pagamento em forma de ajuda humanitária como alimentos e remédios.
    As coisas são simples. A gente é que complica.

  34. Uma clausula dessas havia no contrato da EMBRAER com a China, foi tão respeitada que “nunca” os chineses partiram para desenvolver aviões para concorrer com a EMBRAER.

    Obs.: Fiquei curioso sobre uma coisa, qual seria a reação da moçada se a COMAC chinesa comprasse a EMBRAER???Teríamos a mesma gritaria???? Seriam gritos do “outro lado”???? a Gleise Hoffman acharia natural????

    Quanto aos foguetes, deixa os americanos sentirem o “mel” por um ano, se não repassarem alguma tecnologia para nós basta não renovar o acordo… enquanto isso vamos “estudando” tudo o que fazem.

    • Acredito que a choradeira seria a mesma… Nesse caso da Embraer não tenho visto diferença de opinião por conta do viés político.

  35. Muitos reclamam do acordo, mas esquecem que o programa está parado há décadas e o pior, sem perspectiva alguma de ser reativado com recursos federais.
    É melhor ter um casa alugada e receber por isso ou uma casa vazia se deteriorando e gerando mais custos?

    • Seu argumento têm furos…
      Ninguém alugaria seu imóvel para um locatário com histórico de invasor e de se apropriar do que não é seu.
      Vc alugaria? Sabendo que poderia perder seu imóvel, ou que se incomodaria pra valer mais tarde?

  36. Espero que esse contrato seja mais às claras que a “parceria” caracu Embraer/Boeing na qual o presidente teve que ser alertado por alguém sobre as letras minúsculas do contrato.
    Como o Wellington Góes comentou lá na matéria da Embraer/Boeing:
    “Ah….. As letras minúsculas do contrato…”

  37. “Que espécie de acordo é esse que o cliente paga uma taxa, recebe o serviço e ainda diz como a taxa deve ser usada?”
    É acordo da colônia com a matriz. Me faz lembrar do “acordo” que o Brasil tinha com Portugal, no qual implementos agricolas e ferramentas mão podiam ser fabricados na colônia, para manter a dependência.
    Mas o pior do caso não é isso. O pior é que com restrições ou näo, podemos apostar que toda essa grana vai ir para o espaço da corrupção interminável do Brasil

    • Exatamente kkkkkk. Séc XXI e querendo emplacar acordo colonial. Perceberam que aceitamos fácil a venda da EMBRAER e agora vai chover acordo caracu assim.

  38. O VLS é uma tecnologia de uso dual, ou seja, nao podemos investir nele com o dinheiro americano, mas podeos investir em outras aereas como em equipamentos espaciais e satélites.
    De qualquer forma é um dinheiro a mais ao programa espacial e nao impede de continuarmos a construir o VLS, so teriamos que usar a Barreira do Inferno ao invés de Alcântara.

    • Que cara de pau, toda tecnologia tem uso dual, toda, a intenção disso não tem a ver com uso militar, mas sim com eliminar um concorrente. Outros equipamentos militares e satélites não tem uso dual? E não impede de continuar investindo no VLS? Na parceira com os RUSSOS? Meu amigo, já está provado, inclusive com documentos vazados pelo wikileaks que os EUA fazem de tudo para sabotar o desenvolvimento do VLS. E veja só, não poderemos sequer usar nossa própria base, que é nossa maior vantagem competitiva no setor, e você fala dessa maneira? “É só usar a barreira do inferno”. Eu me impressiono como as pessoas dessem tão baixo para defender esse vira-latismo e essa subserviência aos interesses americanos. Os EUA podem jogar uma bomba atômica num canil cheio de filhotes que ainda vai ter gente passando pano.

      • Então que o Brasil não assine o acordo.

        E depois vá atrás dos nossos verdadeiros ‘amigos’, como a Rússia ou a China, para obter tecnologia em troca do uso das instalações.

        Eles tratarão o Brasil da mesma maneira quando quisemos, de maneira ridícula e patética, pleitear um lugar permanente no Conselho de Segurança da ONU.

  39. Sou Conservador, de alinhamento político de direita, admirador da cultura anglo-saxã. No entanto, achei um péssimo negócio para o Brasil.

  40. É não tem jeito mesmo!
    Seguem a entrega da soberania nacional disfarçada de “viabilização do CLA”.
    Oras carambolas, se realmente essa fosse a intenção já deveriam estar negociando um sítio no local com os maiores players global de lançamento.
    Países como Índia, China, Rússia etc.
    Que mesmo possuindo seus centros de lançamentos não são tão bem localizados como o CLA.
    Mais uma que os Americanos levaram por uma bagatela.
    Parabéns a diplomacia Americano e meus pêsames a soberania Brasileira!

  41. Sou contra esse acordo pois nestes 20 anos que passaram a pátria educadora gerou massa crítica de cientistas e engenheiros para produzir naves fotônicas e cruzadores galáticos que podem ser lançados de do espaçoporto de alcântara.
    ao infinito e além….

      • o problema aqui é que não existe política de estado,só de governo, então todo programa de defesa sobrevive a conta gotas e quando atingir o objetivo é superado por outras tecnologias…
        se termina em brás nunca acabarás,explodiras ou não funcionarás mas a uma minoria enriquecerás…
        a embraer deu certo porque não terminava com brás…..

  42. Sabotam o nosso programa espacial e tomam o controle de nossa base de Alcântara para nos impedir de ingressar no mercado de lançamento de satélites…pois neste mercado teríamos grandes vantagens sobres eles devido a nossa posição geográfica favorável…

    Da onde vcs acham que os políticos deste pais tiram toda a “doação” que usam para fazer suas campanhas políticas?!…são milhões que doam para eles fazerem suas campanhas eleitorais…até dezenas de milhões para campanhas presidenciais…e quem faz isso não faz por caridade e sim por algo em troca…faz em troca de vantagens e do favorecimento de seus interesses…pois nada é de graça…não existe almoço grátis…

    Nosso pais é tomado por bandidos a serviço de potencias corsárias estrangeiras…A troco de propina entregam para pilhagem todas nossas riquezas e patrimônios…sabotam o nosso desenvolvimento para que nos mantenhamos atrasados e a mercê de seus interesses…as licenças de exploração são vendidas por mixaria em troca de doações para campanha eleitoral e depósitos em contas pessoais no exterior…

    nossa classe dirigente não atua em prol de nossa nação mas sim em prol da nação dos outros…nosso desenvolvimento é sabotado para que estrangeiros tomem o controle de tudo e o monopólio sobre o nosso mercado consumidor que é o quarto maior do mundo…tudo é mantido parado ou mal funcionando…para que o pais se mantenha subdesenvolvido, submisso e no clientelismo…apenas como um “exportador de bananas”…o braziu é um LATIFÚNDIO de troca de favores para defesa de interesses mútuos…

    Coronel previu que base de Alcântara sofreria sabotagem dos EUA :

    https://www.youtube.com/watch?v=eRQfxcv9fIs

    • Melhor comentário de todos. Não adianta ficar apenas dando “zoom” na questão da base é uma questão de visao . A questão tem que se vista de forma abrangente. Eles impediram de todas as formas por mais de 20 anos e agoram levam o que queriam. Eles nem querem tanto abase. Querem nos impedir de ter acesso a esse mercado.

      Só não sei como publicaram seu comentario.

  43. Este acordo está melhor do que o anterior, ou menos ruim. Quanto a essa questão de usar os recursos para desenvolver os lançadores de satélites (foguetes). Nada impede que continuamos a investir por conta própria. Estes recursos do aluguel podem, muito bem, serem usados para outras demandas. Isto, de uma certa forma, desafoga o orçamento do programa, o que irá facilitar a operacionalidade do nosso projeto.

    Só não podemos aceitar sabotagens próprias, ou seja, nossas próprias autoridades desviarem recursos já alocados, para outros projetos.

  44. As montadoras de carros, caminhões, tratores e motos estão anos no Brasil. Não temos nem uma marca brasileira…..
    Foguete nem pensar.

  45. Por que aceitam um acordo onde a outra parte impõem restrições sobre onde você pode aplicar seu dinheiro? Nenhum outro parceiro colocaria uma restrição dessas, aí eu pergunto, o que ganhamos com isso? Esse é só mais um exemplo de que toda “parceria” com os EUA é caracu.

  46. Li outras fontes epecializadas sobre o mesmo tema e o que verifiquei é que parece ser um acorddo muito benéfico para o Brasil, tanto em termos financeiros quanto em termos tecnologicos. A base de Alcantara tem uma das melhores (senão a melhor) localização para lançamentos de foguete do mundo, mas era subutilizada e relegada a segundo plano assim como o nosso programa espacial. O Brasil precisa de recurso e precisa de parceiros para retomar o nosso programa espacial e mais ainda de pessoas capazes e comprometidas com o nosso país e acredito que a escolha do Cel. Marcos Pontes para Ministro da Ciência e Tecnologia tenha sido uma escolha acertada.

  47. So uma questão preliminar: A critica vem de não podemos desenvolver o próprio veiculo lançador com o dinheiro de lá. Mas qual é a finalidade de desenvolver tal veiculo próprio? É para lançar um satélite a cada década ou década e meia quanto muito? Gastar bilhões para fazer lançamentos que podem ser feitos com 100 milhões quando precisa? Ou é pra competir em um mercado ja saturado e com gente ja estabelecida há anos onde iremos quebrar? Meditem no custo benefício

    • Concordo, parece que o pessoal, inclusive gente da FAB meio que não superou o enterro do VLS. A área espacial esta vivendo uma nova era, com investimento privados e com novas tecnologias em seus lançadores espaciais, a Spacex e a Blue Orign com seus lançadores reutilizáveis, a China e a Índia com seus lançadores com custos baixíssimos de lançamento, a Europa com um investimento bilionários em novos lançadores mais modernos enfim, não sei não, mas acho que mesmo que esse acordo seja aprovado, não vamos ter tantas empresas assim procurando Alcântara quanto alguns aqui pensam, a infraestrutura lá é bem precária, as torres de lançamento são pequenas, vai ter que gastar uma fortuna para deixar Alcântara no mesmo nível das bases mais modernas de lançamento pelo mundo

    • Que conversa fiada, seguindo sua lógica, não deveríamos investir em absolutamente nada, então. Impressionante que se fosse uma nova empresa americana entrando no mercado você não estaria dizendo isso.

      • Com certeza, conhecendo o Brasil do jeito que conheço e conhecendo a seriedade dos americanos do jeito que conheço, eles costumam começar e terminar aquilo a que se propõem, já os brasileiros…… A estação espacial internacional esta ai para não me deixar mentir. O telescópio gigante da ESA no Chile esta ai para não me deixar mentir

        • Pois você está muito mal informado, os americanos abandonam muitos projetos antes de concluir um. O que nos impede de avançar nessa área é justamente a ingerência americana, o Brasil já teve um programa espacial importante, ao contrário do que o colombelli diz, já tivemos o foguete SONDA, já lançamos satélites, participamos do projeto Glonass e inclusive, participamos do projeto da estação espacial. Já nos EUA entra ano sai ano e continuam discutindo o fim da NASA.

          • Pois é, participamos do projeto da estação espacial internacional e conseguimos a proeza de ser o único país expulso dessa empreitada por não cumprirmos a nossa parte, esse foi um dos maiores vexames da história da indústria aeroespacial brasileira, teve até cerimonia da tirada da nossa bandeira da estação espacial para a humilhação ser maior, conseguimos a proeza de sermos expulsos do E ELT da ESA por não cumprirmos a nossa parte, outro vexame internacional brasileiro. Ah e antes que me esqueça, até o final do ano, muito provavelmente passaremos por outro vexame internacional, seremos expulsos do CERN, pois faz dois anos que não pagamos as anuidades que os membros pagam todo ano na para participar

      • Helio que sorte que o governo não tem gente como voce. Gente com tua mentalidade é que bota bilhões em becos sem saida ou projetos fadados ao fracasso ex ante. Voce não atingiu a profundidade da coisa. Pensa um pouco, sem ideologia ou nacionalismo bobo. Voce vai gastar bilhões num VLS para servir pra quem? pra nós? uma vez por década quando podemos pagar 100. milhões quando precisar? para tentar competir num mercado saturado e quebrar? não intui qual seria o destino disso? Não está obvio? Projeto tem que ter meta e meta viável. Basta de devaneios ufanistas que nos custaram bilhões na famigerada era do Brasil puthência. Raciocina um pouco e te coloca no lugar de um gestor.

    • Vamos meditar, como os custos chegaram no patamar dos 100 milhões?
      Do ponto de vista comercial é uma afronta, do ponto de vista militar uma tragédia e do ponto de vista da soberania é uma humilhação, dinheiro compra tudo, exceto na América!

  48. Essa matéria que é tendenciosa, alteraram o título e cortaram parte… seria bom se colocassem a matéria completa:

    “Segundo Amaral, isso ocorre porque parte da política de não proliferação e da legislação americana proíbe os EUA de entrarem em acordos em que, de uma forma ou outra, promova transferência, desenvolvimento de tecnologia ou financiamento do desenvolvimento de foguetes lançadores. Para ele, contudo, a cláusula é inócua, porque nada impede que toda a receita obtida financie o Programa Espacial Brasileiro e o Tesouro Nacional arque só com o desenvolvimento de foguetes lançadores. O novo acordo inclui uma cláusula que estabelece que nada no AST pode prejudicar o desenvolvimento autônomo do programa espacial brasileiro.”

  49. O texto do Estadão é diametralmente o oposto do texto da Gazeta do Povo. É possível também verificar o caráter opinativo do Estadão, coisa que não ocorre no texto da Gazeta. Bom, conhecendo o Estadão e o resto da mídia mainstream essa matéria do post e M… é uma coisa só.

    Depois do fail da “jornalista” do Estadão sobre o seu complô pessoal contra o atual governo, com direito a áudios vazados e divulgado pela mídia francesa, quem ler a mídia mainstream na verdade está se desinformando.

    A Trilogia virou um papagaio do mainstream?

    • Boa tarde Oganza, infelizmente até a Trilogia de Defesa está contaminada.

      Cada dia que se passa está muito mais difícil encontrar informação feita com retidão, ultimamente tudo que se faz é pelo sensacionalismo barato afim de causar intrigas e denegrir o que é correto.

      É o mundo dos views e likes, já nem vale mais a pena comentar.

  50. Levei um susto.

    Pensei que o AST nos “impediria” de desenvolver o Veículo Lançador, mas na verdade “podemos SIM e a qualquer momento”. Não podemos utilizar os recursos DO ACORDO para isto, mas podemos desenvolver o VL se for oriundo de outras Fontes.

    • Sim, a lei dos EUA e acordos internacionais impedem de ajudar outro país de alguma forma no desenvolvimento de tecnologia para ICBM.

      Não entendi a tempestade em copo d’água em uma coisa que não faz diferença nenhuma já que o Brasil pode colocar o próprio dinheiro para desenvolver o veículo lançador, isso é só para ninguém lá depois falar que o governo Trump quebrou a lei e ajudou o Brasil a desenvolver um míssil de longo alcance…

      • Os EUA pagam 1 milhão e este cai no caixa do tesouro, o Brasil tira 1 milhão do caixa e começa a fazer um foguete, como provar a origem do dinheiro? Este é o problema, os EUA podem alegar que estamos quebrando o acordo a hora que eles quiserem. Acho bom o acordo para dar uma esperança pro nosso programa espacial, mas também acredito que se os EUA quiserem criar dificuldades com esta cláusula eles tem como.

  51. A questão toda é só uma…
    A França aluga espaço milionário em seus foguetes para levar satélites dos outros países ao espaço e ganham muito dinheiro com isto.

    Por que ela não aluga sua base, muito bem localizada como a nossa, para a concorrência, para ganhar uns trocados?
    Os franceses são burros né?

    • Ao invés de alugarmos a base de lançamentos vamos alugar o espaço em nosso foguetes.
      Bá, tche!! Como nunca ninguém pensou nisso?

      • Mas bah tchê só vcs sabem disso!
        Que os franceses tem seu lançador.
        Será que é porque eles resolveram ter ele?
        Ao invés de pagarem passagem de luxo AAA no dos outros?

        Óbvio que além da nossa base precisamos seriamente nos dedicarmos a ter o nosso lançador orbital também.
        Mas sem conversinha fiada e traidora de que alugando a nossa base estratégica vamos usar o trocado para “alavancar nosso programa espacial – Bah!”

  52. Vamos simplificar bem as coisas e fazer um exercício de suposição: Eu Tio Velho Comuna alugo um terreno de algum nobre companheiro aqui do fórum e vou pagar mensalmente um valor x pelo aluguel do terreno; porém, ao pagar o valor eu vou dizer a você: Olha esse dinheiro que estou te pagando você não poderá gastá-lo comprando cerveja, tá ok! Bom, não faz sentido algum para mim! Se faz para alguém… Uma coisa é os EUA se protegerem para evitar que algum país, sorrateiramente, se aproprie de sua tecnologia de VLS; outra coisa é impedir de qualquer forma ou maneira que outros países desenvolvam essa tecnologia

  53. Quando os E.U.A estabelecerem seus equipamentos lá em alcantara será IMPOSSÍVEL par o BRASIL dar ordem de despejo na SUPERPOTÊNCIA se não nos interessar mais que eles lá fiquem ou seja´será uma GIBRALTAR.

  54. Viva os patriotas apátridas!!!!!!
    Com ou sem farda a quinta coluna sempre defenderá o Brazil!!!!!! Sempre que for necessário agirão e defenderão a justa perda de soberania dos povos que não seja W.A.S.P!
    Tudo como planejado taogay!!¡!!!?

  55. A França, até onde eu sei, não aluga somente as instalações da base. Ela lança a partir de Kourou seu próprio VLS, o Ariane, que há anos vem operando comercialmente, com regularidade e confiabilidade.

    • A música é do Raul Seixas.
      E esse acordo não é a salvação da lavoura nem muito menos o enterro do VLS.

      O segundo depende da nossa vontade de ganhar dinheiro com lançamento de satélites. Para tanto, tem que investir (dinheiro, esforço diplomático, acordos multinacionais, criação de massa crítica)

      Coisa que nunca aconteceu no país, massivamente desde o dia 1 do programa espacial brasileiro.

      Ou abraça, ou abandona. No meio não dá. Mas, ao que parece, o Brasil e os brasileiros preferem viver de agronegócio e seus subsídios infindáveis.

      É uma escolha.

  56. Me desculpe ao Columbeli, mas, qual o sentido do Programa Espacial, se não tiver o VLS??
    Quer dizer que nunca poderemos ter o VLS??
    Nunca poderemos mandar um nave exploradora a LUA??
    Sinceridade ao blog e aos analistas daqui. Não existe explicação para isso!
    Simplesmente tentar encontrar uma justificativa para tentar explicar está politica americana, é a mesma coisa que a senhora Gleise Comunista Hoffmann faz em relação a Venezuela.
    Não existe explicaçao!
    Me desculpem!

  57. Soberania é um princípio !!!!! Nada que atente tal princípio pode ser considerado vantajoso para uma nação!!!!!
    Viva aos patriotas do Brazil que gozam ao irem a uma churrascaria estadunidense para bater continência a sua tão amada bandeira! Que nunca foi é nunca será verde , amarelo, azul e branco!!!!!;

    • Não somos auto-suficientes nem em jogador de futebol, que frescura de soberania é esta?

      Se é para ficarmos isolados do mundo, tipo Coréia do Norte, lançamento de foguetes tá bem no fim da lista. Antes vem coisas tipo computador, telefone, remédio, trem, automóvel…

  58. Ganhamos zero com a base!
    Podemos cobrir o custo e ainda ganhar algum com a base.
    Não temos recursos para desenvolver nada!
    Qualquer um que entrar é uma vantagem enorme!!!
    E estaremos convivendo com os lideres desse mercado!
    Os Chineses não tem a menor vergonha de produzir copiar ou clonar quelquer coisa que tenha demanda mundo a fora!
    Enquanto isso ficamos aqui discutindo sexo dos anjos de uma base que está sem funcionar adequadamente a quase 20 anos.

    • Errado M10. Essa conversinha desqualificadora (não lançamos nem um laranja) e descompromissada com fatos concretos é para enganar quem?

      Exportamos foguetes de combustível sólido inclusive para países europeus ban ban de tecnologia, como a Alemanha criadora dos pioneiros e extraordinários V1 e V2.

      O caso de não termos um VLS ativo desde o final do século passado é devido a vendilhões da Pátria, muito bem disfarçados de políticos.
      Um certo “aliado” “amigo” do norte, e outros, não querem saber que o Brasil se torne POTÊNCIA.
      Não temos VLS, e exploração espacial, por um “detalhe” apenas….
      A coisa não anda porque outras nações sabem muito bem quem aliciar aqui dentro do Brasil, para nos tirar definitivamente do bilionário mercado espacial.
      Para isso se utilizarão de toda oportunidade que lhes dermos.

  59. Tecnologia espacial tem um preço que não é estipulado em dinheiro mas sim em dedicação do governo,comprometimento dos envolvidos,muito tempo de esforço e muitos sacrifícios por isso nenhum país avançado nessa area transfere conhecimento e tecnologia e vamos ser sinceros com excessao dos técnicos que arriscam suas vidas em plataformas de lançamento precárias, ninguem no governo e força aérea levou o programa espacial a sério desde que foi criado porque pelos anos que isso se arrasta já deveríamos ser capazes de construir pelo menos IRBMs operacionais mas….

  60. Lendo todos os comentários, lembrei-me da velha piada sobre o cachorro no pomar: não come, e não deixa ninguém comer.

    Gente, é um terreno que vai ser alugado por uma boa grana. Não é o único pedaço do Brasil que está em cima do Equador, muito pelo contrário.

    É muita vontade de ser do contra, ou de viver num mundo imaginário, sei lá.

    • Pois os franceses podem ficar tranquilos, já que existe muito otário neste país louco para melar este acordo em prol da “soberania nacional”. Quem precisa se preocupar com um concorrente quando ele é burro o suficiente para minar-se a si próprio?

  61. Sinceramente, a “grande mídia de massa” quer acabar com o governo custe o que custar… distorcem tudo e acrescentam muita mer#%… tem que ter um filtro de leitura muito bom para não ficar pilhado e cair nas armadilhas…

    Tem que garimpar muito qualquer notícia antes de comentar…

    • Concordo, a grande mídia já sente nos bolsos o corte de inserções publicitárias do BB, Caixa, Petrobras, etc. promovido pelo governo. Daí a campanha de desconstrução da sua imagem, as informações seletivas e deturpadas que tem por intuito minar sua credibilidade e fragilizá-lo.

  62. Muitos ainda têm mentalidade de 1950 e preferem que Alcântara continue dando prejuízo em vez de gerar dividendos para o país. Alguns questionam “para que esse acordo nos serve?”: oras, para o país fazer dinheiro! Nossa economia vai tão bem assim que pode dispensar recursos dessa forma?

    Francamente, é nojento o pensamento da maioria dos brasileiros nesse assunto. Preferem não ter nada, ou seja, um programa espacial completamente inócuo e irrelevante, do que arriscar um acordo com os EUA com apenas esta cláusula que pode ser facilmente perpassada. O destino do povo brasileiro é plantar e vender grãos e mais nada, pois seu “orgulho” anti-americano o impede de fazer qualquer coisa além disso. Comentários como os dessa matéria matam completamente minha esperança nesse país e me fazem ter certeza que a “saída”, realmente, é o aeroporto.

    • Incrível a limitação estratégica de alguns. E terrível falta de amor próprio e de Pátria de outros…
      Na cabeça de alguns, alguns mil réis da Base de Alcântara são irrecusáveis.
      Ora, seguindo essa linha de raciocínio (tiro no próprio pé) – também vamos então alugar nossas cidades, casas, a amazônia, nossas terras produtoras de cereais, nosso litoral pesqueiro, nossas lagostas, nossas esposas, nossos filhos etc, para quem quiser.
      Afinal, é tudo dinheiro, qualquer trocado estamos querendo.
      O negócio é o hoje e agora, o futuro que se exploda.
      Meu Deuses!

      Que Alcântara fique mais 50 anos praticamente inoperante MAS 100% BRASILEIRA.
      Quando resolvermos certas coisas (botar um monte de pilantra na prisão perpétua) voltamos a ela e com força total. Enquanto isso que os lobos fiquem longe.

      Imagina só se uma China, Índia, França, Rússia, EUA etc, querem que o Brasil seja mais um concorrente, com preços mais em conta – com lançamentos potencializados na linha do equador.
      A coisa é mais que puramente militar, é também comercial, de trilhões de dólares trocando de mãos para as próximas décadas.

      Meu Deuses quanta ingenuidade de certos brasileiros.

      • “Que Alcântara fique mais 50 anos praticamente inoperante MAS 100% BRASILEIRA.”

        É exatamente isso que aconteceria 😩. Essa canalhice é parecida com a obsessão da Venezuela em estatizar tudo e expulsar as empresas privadas mesmo eles não tendo capacidade para produzir nada, preferiram levar o país para o buraco. Para mim acabar com o país desse jeito não é ser nacionalista, são apenas canalhas enganado a população com discurso pseudo nacionalista em busca de poder.

        Se a base existe e o Brasil não tem capacidade de lançar nada, então nada faz mais sentido do que alugar a base até que o país consiga construir um foguete. A base fica lá sendo sucateada e quem tem um mínimo de conhecimento sabe que a infra estrutura da base e nos arredores é bem precária, alugando já deixaria tudo preparado. Hoje em dia já tem foguete que pousa, a vantagem de lançar do equador vai ficando cada vez menor, quero ver quando não tiver mais vantagem nenhuma de lançar dali e nada foi feito…

  63. PÁTRIA braziu, seu povo de humildes, esquecidos e invisíveis é sempre fiel mas o poder pelas mãos dos ambiciosos, são sempre traidores…!!!…

  64. No direito tributário exitem um ditado: o dinheiro não tem cheiro.

    O valor na conta da união, os destinos dos recursos vão pra onde…?

    Temos o nosso foguete,se for do nosso interesse.

    Restrição sem efeito.

    Que venham os $$$$!!!

  65. Na prática, essa restrição é “para inglês ver”, ou melhor, para americano ver. Podem vincular a receita dos lançamentos mas, na prática, vai tudo para o caixa único do Tesouro. Além disso, é dinheiro que entra e que economiza recursos que poderão ser investidos no desenvolvimento de um VLS.

  66. Veículo lançador? Usa o dinheiro para desenvolver projetos envolvendo o Niobio e o Grafeno e os Americanos vão comer na nossas mãos. Imagina o quanto os Maranhenses locais lucrarão com os Yankees!

    • Nem de longe porque o nióbio não é insubstituível e nem nós temos tecnologia que eles americanos não tenham para produzir grafeno.

  67. Tem que ver agora se uma empresa americana vai se interessar em mudar toda a sua infraestrutura dos EUA para cá, literalmente bancando uma estensa obra em alcantara que e toda inadequada a operação de foguetes maiores que 20 metros, recalibrar seus foguetes reutilizaveis, por 30% de economia que vai cair um pouco com os gastos nisso.

  68. Vamos falar em valores !! Quanto cada lançamento que os americanos farão em Alcântara gerará em US dólares ?? Vai ter o posicionamento de tropas americanas em Alcântara ?? As autoridades brasileiras terão ciência do que entra e do que sai da base ou os americanos poderão vetar que as autoridades brasileiras exerçam fiscalização sobre algum item ??

    • CRSOV
      Exatamente.
      Eis o X da questao.
      O caso aqui nao é pura simplesmente o aluguel da base.

      Igual vc escreveu: “vai haver o posicionamento de tropas americanas em Alcantara? O Brasil vai ter ciencia do que entra e sai da base? E mais, o Brasil vai poder fiscalizar avioes, conteineres ou navios americanos que levam material para a base?” Nesse acordo, a base vai ser so “alugada” ou funcionará como se fosse uma “embaixada” e se tornará “solo estadiunidense”, pq nesse caso o Brasil ficaria legalmente impedido de entrar.

      Se o Brasil fosse realmente um aliado de 1° nivel dos EUA igual Israel e Reino Unido sao, entao eles, os americanos, nao imporiam restricao alguma ao modo como o dinheiro seria usado por nós e inclusive iriam sugerir uma parceria no projeto.
      Por isso eu nao acredito e nunca vou acreditar que na visao dos EUA o nosso Brasil seja um “aliado” deles.
      O Brasil é no maximo um “parceiro amigavel”.
      No meu ponto de vista o Brasil deveria rejeitar esse “acordo”.
      O Brasil deve ter uma postura independente em varios assuntos, desde misseis, lançadores, submarinos, caças e ate a energia nuclear, igual a França bem faz.

  69. Adeus 14X, SARA orbital e suborbital, Missão Aster, satélite Amazônia-1, Programa de reatores nucleares para aplicações espaciais, Propulsão a laser e toda pesquisa hiper avançada que estavam em andamento.
    Pois permitiram que agências de inteligência americana se instalassem em São José dos Campos (disfarçadas de centro de P&D da Boeing) e agora em Alcântara.
    Acho que deveríamos aproveitar para encerrar as atividades nos centros de P&D das FAA,s e ITA.
    pois se estávamos arrastando com tanta sabotagem externa, imagina agora que estão tão perto.
    Agradecemos mais esse dês serviço ao eleitorado nacional e sua excelente qualidade em escolhe políticos.
    Também agradeço, pois com o dinheiro que ganharmos vamos poder plantar mais bananas nessa republiqueta de bananas chamada Brasil.
    Onde já se viu, aluga se uma casa mas o inquilino dita onde se gasta o aluguel, só no Brasil mesmo kkkkkkk.
    Aí meu deus !

  70. Até agora, ninguém falava mais em VLS, Alcântara, etc…bastou a divulgação do acordo e pronto….comecam5as opiniões de que tem que desenvolver o VLS, investir em Alcântara, produzir isso, aquilo e acolá…..ah, não pode investir o dinheiro do aluguel da Base para desenvolver o veiculo lançador, mimimimimimi …….
    Por que o Brasil não continuou desenvolvendo o VLS???
    Por que o Brasil não continuou investindo em Alcântara???
    Por que o Brasil deixou o VLS e todo seu programa espacial morrer a míngua???
    Alcântara está vegetando, sendo mantida em condições mínimas.
    Não investem mais no VLS ou outro lançador desse porte há anos e anos….E agora querem pegar o dinheiro do aluguel para isso?
    Se o investimento tivesse continuado, já teríamos nosso próprio lançador….E não precisaríamos alugar a base para ninguém….e nem ficar de olho no dinheiro do aluguel para desenvolver o foguete…estaríamos vendendo o serviço completo, usando nosso lançador.
    A proposta é a ideal? Não! Então deixemos como está hoje….E assim vai continuar como está, por muito tempo….talvez para sempre. Espaço não é coisa pouca…precisa de muito investimento, pesquisa, perseverança e coragem. Espaço nunca teve a menor relevância para qualquer governo e muito menos relevância tem como objetivo de Estado Brasileiro. A duras penas e depois de décadas de dedicação de alguns poucos, se conseguiu construir Alcântara do modo que ela se encontra….mas, falta muito ainda.
    O problema da maioria dos brasileiros é colocar a culpa de sua incompetência, acomodação e incapacidade, sempre, nas costas dos outros!!
    Repito: A parceria é ruim? Então que o Brasil invista nessa tecnologia…com a qiantia e frequência necessárias! Assim, não dependeremos de ninguém! É simples? Barato? Óbvio que não! Mas, não existe mágica….ou se faz isso, ou sempre dependsremos dos outros….mas, essa é apenas a minha opinião!!

  71. Por acaso nos voltamos no tempo e nosso presidente ainda é o Fernando Henrique…
    E aquele slogan de campanha Brasil Acima de Tudo se perdeu…
    E teve gente que acreditou.

  72. Vendo alguns comentários da a impressão que estávamos fazendo grandes progressos na área e agora não poderemos mais impedir. Se o Brasil quiser coloca o ITA ou qualquer outra instituição para desenvolver o VLS e os recursos dos Gringo custeia outras áreas também necessárias como telemetria e Combustiveis. Pelo menos um espaço que só nos custa dinheiro vai começar a nos dar algum dinheiro.

  73. O caso aqui nao é somente o aluguel da base.

    O X da questao é:
    1- Vai haver o posicionamento de tropas americanas em Alcantara? Pq se isso acontecer entao teremos a presença de uma força militar de ocupaçao estrangeira em solo brasileiro. E todos aqui sabem que os EUA nao retiram facilmente seus soldados de um país ocupado, vide Afeghanistan e Iraq, e em países aliados como Japao e Korea do Sul.
    2- O Brasil vai ter ciencia do que entra e sai da base?
    3- O Brasil vai poder fiscalizar avioes, conteineres ou navios americanos que levam material para a base?
    4- Nesse acordo, a base vai ser so “alugada” ou funcionará como se fosse uma “embaixada” e se tornará “solo estadiunidense”, pq nesse caso o Brasil ficaria legalmente impedido de entrar.

    Se o Brasil fosse realmente um aliado de 1° nivel dos EUA igual Israel e Reino Unido sao, entao eles, os americanos, nao imporiam restricao alguma ao modo como o dinheiro seria usado por nós e inclusive iriam sugerir uma parceria no projeto.

    Por isso eu nao acredito e nunca vou acreditar que na visao dos EUA o nosso Brasil seja um “aliado” deles. O Brasil é no maximo um “parceiro amigavel e SUBMISSO”.

    No meu ponto de vista o Brasil deveria rejeitar esse “acordo” mesmo que inicialmente ele pareça extremamente favoravel ao nosso país.

    O Brasil deve ter uma postura independente em varios assuntos, desde misseis, lançadores, submarinos, caças e ate a energia nuclear, igual a França bem faz.

  74. Vergonhosa essa edição mequetrefe e titulo sensacionalista feito pelo poder aereo. Não esperava algo assim aqui.

    Li o texto original em 3 lugares diferentes antes de sair aqui e foram tiradas partes fundamentais do texto original apenas para causar polemica.

    O texto original diz claramente que o Brasil pode usar o dinheiro indiretamente para a construçâo do lancador e so é proibido o uso direto o que não muda nada.

    O texto ainda diz que a area seria de pessoal autorizado entre Brasil e EUA para proteger tecnologia sensivel.

    Manipulação vergonhosa do texto.

    • Também acho que a mídia como um todo, inclusive aqui no PA, estão se aproveitando para ganhar “views”… infelizmente a qualidade realmente está caindo muito quando se aborda qaulquer notícia relacionada as decisões políticas brasileiras… distorção geral e desnecessária.

      Uma pena, não precisava disso.

  75. Aproveitando para repassar uma frase de uma entrevista que acabei de ver que retrata bem o momento atual…

    “Se não ler as notícias é desinformado… se as ler ficará mal informado.”

    Pois é, vivemos um momento de TOTAL desinformação devido a manipulação vergonhosa da verdade.

  76. Conhecimento se adquire!
    Temos a oportunidade de compartilhar a base com o líder mundial na atividade.
    Não temos nada a perder!
    Nosso pais quebrou, acabou o dinheiro!
    Com o acidente de Alcântara se foi todo o corpo técnico do projeto e voltamos a estaca quase zero.
    Temos problemas enormes em nosso país, desenvolver VLS é certamente importante, mas e levar a sociedade Segurança, Saude e Educação? Qual nossa prioridade?
    O mundo desenvolvido partiu de um começo e insistimos em procurar caminhos alternativos que não existem. Educação
    Se pudermos para isso alugar um equipamento que não usamos e não iremos usar pelos próximos anos poderemos usar esse recurso para desenvolver alguma tecnologia já é um ganho enorme.
    Agora ficar sonhando com um Brasil potencia com tecnologia 100% nacional somente vai nos deixar exatamente onde estamos!
    Em lugar nenhum!

    • Soberania em uma área específica é tudo para um país. Vão simplismente mandar no melhor lugar para lançamento no mundo e tenho certeza com os técnicos brasileiros sem poder nem tirar uma fotinha de longe. Ah, essa base não é comparilhada…é só deles.

      • Não existe soberania em defesa.
        Não somos e nem seremos capazes de produzir tudo que precisamos em defesa.
        A linha do equador é o melhor lugar para lançamentos, Alcantara tem alguma estrutura mas nada que não seja reproduzível em outro sitio.
        Se continuarmos achar que prédio, pista asfaltada e alguma infraestrutura é uma vantagem enorme estaremos condenados a repetir os mesmos erros que nos mantem no atraso ate agora.
        Fizemos magica com poucos recursos até hoje, mas magica não dá certo sempre!
        Vamos cair na real!!!

        • Quando se aluga um imóvel nos Estados Unidos o dono tem o direito de entrar para fazer inspeções de vez em quando…Isso determinado por lei…Aqui eles querem “alugar” um espaço onde o dono tem que passar longe ficando a critério deles fazer o que quiser. Muito perigoso isso. ah, antes tinha uma cláusula de imunidade para os americanos que trabalharem por lá não cabendo as leis brasileiras a serem aplicadas caso necessário. Será que ainda está no pacote?

  77. Eu só vejo duas soluções para Alcântara.

    1. Base puramente Nacional. Com uso de tecnologia nacional e venda do uso dessa para lançamento de satélites de quem quiser pagar.

    2. Um condomínio espacial Nacional. O país entra com investimento no condomínio, com a segurança e a autoridade sobre ele. Espaços no condomínio são arrendados por empresas ou governos, para produção e os objetos a serem lançados são lançados de aérea comum.

    Tudo tem seu ônus. O Brasil tá do jeito que ta porque todos tentaram pegar atalhos. Quem ralou pelo program espacial Brasileiro, pagou com a vida ou tá ralando até hoje.

    Esse governo aparentemente é a mesma velha politica.

    • Antunes Neto, melhor comentário de todos.
      Com boas sugestões.
      A questão do condomínio é muito boa, se me permite acrescentarei algumas coisas:
      – Aberto a qualquer interessado seja privado ou governamental de qualquer nacionalidade.
      – Segurança interna das instalações sob responsabilidade de militares ou policiais do Brasil apenas.
      – Alfandega local, para checagem de todo material que entra e sai da base independente se privado ou não.
      – Contratos de locação decenal.
      – Acesso permanente, 24h, de todas as instalações, à Segurança Brasileira da Base.

      E a implantação, nas proximidades da base, de um polo de empreendedorismo tecnológico. Com recursos gerados por esse Condomínio Espacial Alcântara.

  78. Será que ainda somos tupiniquins ? Tem algum cidadão brasileiro tão inocente ou ingênuo assim ? mim digam que nação do mundo que deixa outra nação mandar em seus recursos recebidos?hora, se ganhamos dinheiro com oque e nosso então somos nois que mandamos não outro que manda , e a mesma coisa de vc alugar uma casa e o inquilino dizer que vc não pode usar o dinheiro pra reformar a sua casa. Eu só quero saber oque vai vim ainda depois desse acordo. Tropas extrangeiras em nosso território?nossos militares vão poder ou não fiscalizar oque entra e sai da base ? Entre outras coisas , eu só queria saber oque os e.u.a nos passam ou vendem em tecnologia militar pra nois se nem sequer uma arma de defesa de ponto pode vim no Atlântico ( falaquis) ? Vejamos alguns , caças gripens a Suécia tecnologia repassada pela Suécia , submarinos vem da França tecnologia francesa repassada , fragatas não sabemos ainda de onde vão vim , hora , os caças até hoje os norte americanos reclamam pq queriam nos vender os deles e nada de passar tecnologia , entre outras coisa tipo ir a ONU pra ver nossa tecnologia de nossas super centrifugar , hora , nois somos bobos ou oque gente. Eu mesmo não aceitaria nada disso a não ser que o meu país tivesse total vantagem nesse a cordo , acho que nossos políticos precisam levar uns solavancos pra aprenderem a fazer acordos favoráveis ao Brasil e não contra o Brasil hora. Hora , isso mim faz lembrar do que MTS vezes o Enéias falava

  79. É; cheguei a conclusão que não adianta ficar brigando e gritando pra defender a soberania do Brasil. Soberania é coisa de nação e nós vivemos em uma eterna colônia!

    • Que soberania? quem lança foguetes nos EUA são empresas privadas. Engraçado que tenho a sensação de que se alugasse para a estatal russa, esse pessoal falando em soberania estaria comemorando agora, nunca vi ninguém falar de soberania com o fiasco do acordo com a Ucrânia para lançar foguetes daqui…

      • Você quer mesmo comparar a pequena Ucrânia em que o Brasil estava em um patamar de relativa igualdade com os EUA no qual estamos em total desvantagem? Eles podem impor tudo, mudar tudo e quebrar tudo de acordos quando lhes convém e nós poderemos fazer o que a respeito? E se EUA, Russia e Europa conseguiram desenvolver seus setores espaciais, estatais e privados (com enorme apoio estatal!) sozinhos pq o Brasil não conseguiria? Interessante como esse pessoal que fica sentido com criticas aos EUA com qlqr coisa realmente se acham patriotas!

  80. Alguém duvida que nas última eleições teve dedo americano para eleger esse governo? Esse governo foi eleito para isso. Abrir o Brasil para exploração americana. Alguém duvida??? Aí vem os americanólogos defender…”livre comércio. Receita para o Brasil”. “Alcântara explodiu por pura incompetência brasileira”. Devem pensar que o Saci existe também.

  81. Aaaaaiiinnnn… os americanu malvadu vão rôbá nossa ticnulugia… Vão tomá nossa terra!

    Acorda gente.

    Pesquisa de ponta é dinheiro e cooperação.

    Vá em qualquer grande empresa ou instituto de pesquisa de ponta nos EUA que lá vai ter chinês, russo, indiano, paquistanês, brasileiro… enfim…qualquer um que seja o melhor na sua área os caras fazem questão de contratar!

    Ciência de ponta é acima de tudo TESÃO. sei porque conheço vários colegas gênios que poderiam estar com um padrão de vida muito melhor no Brasil, concursados em uma câmara ou TCU, ou trabalhando em empresas ricas dos EUA, mas preferem trabalhar com pesquisa porque é o que eles realmente amam. E os melhores de todos estão nos EUA porque lá tem grana e pesquisa é tratada com respeito lá.

    Assim, este papinho de ‘vão tomar nosso conhecimento’ é coisa de quem nunca escreveu um artigo.

    E tem este tipo de paranóico à esquerda e direita no Brasil.

  82. Não adianta culpar os EUA. Eu também já fui assim.
    Eles investem mais de U$ 20 BI na NASA. Quase R$ 80 BI por ano. Nosso orçamento em 2018 para a área foi de R$ 150 mi, ou cerca de U$ 40 mi.
    Uma diferença ‘pequenininha’ de 500 vezes. Eles possuem 80% do mercado mundial.
    Essa parceria servirá para injetar dinheiro e empregos especializados no nosso país. O dinheiro não poderá ser utilizado para o nosso programa de mísseis, mas o dinheiro e os empregos serão bem vindos.
    É só retirar o dinheiro para o programa de lançadores de outro lugar. E utilizar todo o dinheiro proveniente da parceria em outras áreas.

  83. Eu acredito que nada poderá impedir o curso normal do desenvolvimento tecnológico. Também acredito que o governo brasileiro não se limitadaria o seu próprio desenvolvimento. Foi assim na questão do urânio e dos reatores nucleares . E hj nos somos detentoras de tal teconlogia submarina . Sou cidadão. Tenho espera a e fe. O ideologia e o comercio de notícias falsas ficam com a impressora da marrom.

  84. Já que esse País não sai do lugar, excelente acordo com quem sabe de verdade.
    O resto é conversa sem futuro, como tudo por estas plagas. Aqui é falar demais e realizar nada.
    Welcome USAF/NASA.

  85. É, não sei como alguns patriotas do blog ainda defendem estes acordos com os americanos. O verdadeiro parceiro do Brasil no setor espacial sempre foi a China, desde os longínquos tempos dos satélites Brasilsat. Mas alguns foristas limitam-se a ignorar tal fato.

  86. Esse pais é realmente uma piada kakakaka…..

    Os Âmis sabotaram a nossa industria espacial e agora vamos virar alvo dos Russos!!!!

    Tiramos os Comunistas do poder e viramos prostitutas de Âmis de vez…

    Pobre Brasil….

  87. Pelo o que eu tinha lido em alguns artigos não poderia usar o dinheiro para fins de lançamentos mas isso foi em 2002 que foi quando o congresso vetou por ferir a soberania nacional com essa e outras pautas, vou pesquisar mais pra ficar por dentro de eu achasse a pauta com esse acordo assinado alguém tem onde achar?

  88. Continuo sem entender o posicionamento na matéria, parece tendenciosa. Poderia ser tipo: “ENTENDA MAIS SOBRE O ACORDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DA BASE DE ALCÂNTARA EM ACORDO COM OS ESTADOS UNIDOS”, mais o título está muito enviesado, essa é minha opinião, ou essa pagina não tem intuito de promover o debate e opiniões para agregar?

    Entendo que é razoável sobre o acordo pois se fosse o contrário, ou seja, O Brasil fosse detentor da tecnologia e o E.U.A tivesse a base faríamos a mesma coisa, pois seria uma possibilidade de perder a vantagem tecnológica e competitiva, estratégica e comercial.

    Desculpe se o que eu vou falar for errado, e aceito com certeza opiniões contrarias desde que sejam construtivas e embasadas e não só hates por hates, mais to vendo muita gente se gabar como se tivéssemos posição de negociar é forçar o E.U.A a ter reciprocidade em termos de acordo, mais não temos KNOW-HOW NENHUM PESSOAL.

    É melhor lucrar para criação de um novo programa ou outros programas tão importantes do que ficar se gabando não tendo utilidade útil a base e apenas custos de manutenção e prejuízo.

    Agradeço o espaço cedido para opinião e peço desculpas se alguém se sentir ofendido pelo texto, mais é o que penso sobre o assunto.

  89. Antes que os meninos mimados berrem inverdades por aqui, isso já era mais do que esperado. Mas se o dinheiro e o leasing pelo uso da base entrar nos cofres do estado obviamente se poderá alocar outros recursos (não advindos do acordo), para tal investimento. A coisa é simples, muito simples.

  90. Sabemos que essa cláusula do AST é “para americano ver”, e atende a legislação deles. Nada impede que o Brasil desenvolva seus lançadores, a não ser a ausência de vontade política.

  91. Nada mais natural. Iam pagar pra criar concorrência? E lançador pra que? Lancar um satelite nacional a cada 20 anos? Concorrer num mercado saturado onde há foguetes com mais de 100 lançamentos? Isso é torar dinheiro do contribuinte.
    Se e quando precisar lançar, contratamos.
    Precisamos é desenvolver misseis.
    E se querem participar de algo relativo a espaço tem “n” projetos que não envolvem caros lancamentos.
    Neta area temos é que atuar em consórcios.
    Pelo menos agora terminara os prejuizos e projetos ruinosos como a aventura ucraniana do pt.

    • Os Stats unidos agiram por baixo do plano pra sabotar o acordo, imagine se for pra desenvolver mísseis, esqueça isso, ou agimos por conta própria, ou nos unimos com os “outsider” Tipo KN.
      Pessoalmente prefiro o desenvolvimento por conta própria.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here