Home Aviação de Caça Caças F-22 Raptor são danificados pelo furacão Michael na Flórida

Caças F-22 Raptor são danificados pelo furacão Michael na Flórida

9223
61
F-22 Raptor dentro de um hangar destruído pelo furacão Michael
Caça F-22 Raptor dentro de um hangar destruído pelo furacão Michael

As mudanças climáticas fizeram o que décadas de guerra não conseguiram: destruir e danificar os caças F-22 Raptor da Força Aérea dos EUA

A Base Aérea Tyndall da Força Aérea dos EUA na Flórida sofreu um impacto direto do furacão Michael. Muitos de seus caças stealth F-22 Raptor ultra-avançados foram pegos no solo.

Exatamente quantos dos US$ 475 milhões foram danificados ou destruídos pelo furacão Michael ainda não foi revelado.

A Força Aérea dos Estados Unidos USAF) só pode comprar 187 exemplares operacionais do caça furtivo de 5ª geração. Agora, esse número pode ter sido reduzido significativamente.

As autoridades dos EUA ainda não confirmam ou negam os detalhes.

O procedimento padrão é que todos os jatos de combate e suporte voem para portos seguros antes de uma tempestade tão intensa. Mas nem todos conseguem voar.

Aeronaves complicadas, como o F-22, devem passar grande parte do tempo em hangares, tendo seus equipamentos e estrutura sendo mantidos e consertados.

Então, quando o furacão Michael atingiu a costa da Flórida, perto da Base da Força Aérea de Tyndall, na quinta-feira, um número não especificado da frota de 55 caças Raptor ainda estava na base.

Quantidade incerta

Quase todo o pessoal havia sido saído de Tyndall antes que o furacão de categoria 4 cruzasse a costa. Autoridades da Força Aérea admitem que equipes de avaliação retornando encontraram “danos catastróficos generalizados”.

Dos 55 Raptors ali baseados, 33 procuraram refúgio na Base da Força Aérea Wright-Patterson, em Ohio.

Isso deixa 22 dos aviões de guerra de 475 milhões não contabilizados.

Informes não confirmados sugerem que pelo menos seis aviões – e possivelmente muitos mais – foram forçados a procurar abrigo nos hangares “à prova de furacões” da base aérea para resistir à tempestade que se aproximava.

Mas Tyndall levou um golpe direto.

Marco zero

Fotos que emergem da costa oeste da Flórida mostram que a base da força aérea foi destruída pelo vento de 210 km/h do furacão.

Entre os escombros, imagens que circulam nas mídias sociais mostram pelo menos dois exemplares das linhas angulares distintas do F-22 Raptor, situadas entre os hangares.

Caças F-22 dentro de um hangar na Base da Força Aérea de Tyndall em maio de 2018
Caças F-22 dentro de um hangar na Base da Força Aérea de Tyndall em maio de 2018

Rainha de hangar

Enquanto o F-22 Raptor é o orgulho da frota de caça dos EUA, ele tem uma reputação de ser frágil e mimado. Avaliações recentes da USAF constataram que apenas 49% da frota de 187 aviões (agora possivelmente muito menos) estava pronta para voar a qualquer momento.

Esse é o menor valor de disponibilidade de todas as aeronaves de combate dos EUA.

A produção do F-22, que é o jato de combate mais avançado do mundo, cessou em 2010. A linha de produção da aeronave de 5ª geração já foi desmembrada e peças foram reutilizadas para o F-35.

Um estudo realizado no ano passado estimou que o restabelecimento da linha de produção custaria mais de US$ 15 bilhões e levaria sete anos para construir um novo lote de 194 Raptors.

FONTE: news.com.au

Subscribe
Notify of
guest
61 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos10
Marcos10
1 ano atrás

“Um estudo realizado no ano passado estimou que o restabelecimento da linha de produção custaria mais de US$ 15 bilhões e levaria sete anos para construir um novo lote de 194 Raptors.”

Com as cifras que os EUA trabalham, US$ 15 bi não é nenhum valor absurdo. E sete anos serias um prazo relativamente curto. Porém esses sete anos a que se refere o artigo, é muito provável o prazo para entregarem a primeira unidade. Porém com a última entrega do F22 tendo custado mais de US$ 40 milhões a unidade, quanto não custaria hoje?

SPQR
SPQR
1 ano atrás

Mudanças climáticas causaram um fenômeno meteorológico que acontece todos os anos há séculos?

Eduardo de Castro
Eduardo de Castro
1 ano atrás

Não conheço a fonte (news.com.au). Mas se o estudo citado é confiável, a produção de um novo lote de 194 caças F-22 ( US$15 bi) não sairia tão caro assim. Claro, teriam que esperar 7 anos, a disponibilidade é baixíssima (atualmente em 49%), a manutenção é caríssima (pelo que leio na mídia especializada) e o caça não é multi-função. Mas, conta de padaria, seriam US$ 77.3 milhões por unidade. Errei nos zeros??? Se não errei, então fica bem mais “em conta” que os F-35, que mesmo que caminhem para um custo similar com a escala de produção, só está programado… Read more »

Marcos10
Marcos10
Reply to  Eduardo de Castro
1 ano atrás

Eduardo:
Esses US$ 15 bi são para reativar a linha de produção: instalações, ferramental, etc.

Eduardo de Castro
Eduardo de Castro
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

Marcos10

Embora o horário de seu post seja anterior ao meu, eles só apareceram para mim hoje pela manhã (15/10). Apenas esclarecendo que não foi intenção minha ignorar seu comentário, como pode ter parecido.

Eduardo de Castro
Eduardo de Castro
Reply to  Eduardo de Castro
1 ano atrás

Ou os US$ 15 bi seriam apenas para restabelecer a linha de produção? Se for isto, então o preço final não seria estratosférico…seria extragaláctico.

Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Eduardo de Castro
1 ano atrás

Posso estar enganado, mas se não me engano o custo de reabrir a produção e produzir um lote de 194 aeronaves seria de 50 bilhões de dólares, isto é, 257 milhões a unidade.

Ozawa
Ozawa
1 ano atrás

Acho melhor rebatizarem esse furacão Michael para Mikhail.

Andrigo
Andrigo
Reply to  Ozawa
1 ano atrás

Quem sabe os russos não renomeiam o Su 57 para Mikhail, Tornado, Hurricane….. o exterminador de Raptors!

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Ozawa
1 ano atrás

Interferir nas eleições tudo bem mas ai colocar o nome russo no vento é apelar né

Carlos Campos
1 ano atrás

Bom se realmente isso aconteceu os responsáveis tem que ser punidos, acredito que um advanced raptor seria melhor que a reabertura da linha de produção do F22.

Ghutoz
Ghutoz
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Vai punir a natureza?

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Ghutoz
1 ano atrás

Entenda como responsável, quem não planejou a tempo um plano de retirada ou proteção dos aviões.
Isso é interpretação de texto meu jovem… Coisa de ensino fundamental.

ghutoz
ghutoz
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

então vc não leu o texto meu amigo, e saber ler é do ensino primário…..
“O procedimento padrão é que todos os jatos de combate e suporte voem para portos seguros antes de uma tempestade tão intensa. Mas nem todos conseguem voar.”
houve menos de 48h para evacuação após o alerta de categoria 4, vc acha que é só jogar o f22 em cima de um caminhão e sair correndo? qual a prioridade salvar os aviões ou evacuar a população?

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  ghutoz
1 ano atrás

Vamos lá.. . Primeiro: Como você próprio citou, “O procedimento padrão é que todos os *JATOS* de combate *E SUPORTE* voem para portos seguros antes de uma tempestade tão intensa. Mas nem todos conseguem voar.” . Ora, estamos tratando especificamente neste post, sobre o acontecido na *BASE AÉREA* e com os *AVIÕES* ou sobre evacuação da população local? Porque se for sobre evacuação da população, precisamos primeiro saber SE a Base Aérea é a responsável por essa evacuação, e qual seria a relação entre uma coisa e outra. Poderia me indicar qual parte do texto traz alguma menção sobre a… Read more »

ghutoz
ghutoz
Reply to  ghutoz
1 ano atrás

minha conta nada, tem um post seu ali embaixo perguntando justamente isso….. bem como a explicação de 2 colegas de site que esse evento foi atípico e não havia tempo hábil.

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  ghutoz
1 ano atrás

ghutoz.. É que no meu português, Transportar é uma coisa, “jogar e sair correndo” é outra. No meu comentário “ali embaixo” eu escrevi TRANSPORTAR. Qualquer coisa além disso é por sua conta. Até porque, estamos tratando da Força Aérea da maior potência já vista pela humanidade, e não de um bando de amadores pegos de surpresa por um evento climático comum naquela região.. . Uma dica: Procure ler e tentar entender o que está lendo, tente se colocar na posição do relator, leia a matéria original e procure fazer a relação de um com o outro, antes de se deixar… Read more »

ghutoz
ghutoz
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

lendo suas colocações fico imaginando aquele factóide do navio americano pedindo passagem para um farol….. passa bem.

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  ghutoz
1 ano atrás

Que bom.
Se minhas colocações te fizeram agora PENSAR, fico feliz.
Passe muito bem também.

BILL27
BILL27
1 ano atrás

Este nesmo hangar ficou bem destruido .Pode ser ate prova de furacao ,mas não de CAT 4 ,pois ele foi completamente destelhado.

Guto
Guto
1 ano atrás

Acredito que 15 bilhões é só para restabelecer a linha de montagem. O caça custa mais de 400 casa.

Guto
Guto
1 ano atrás

Cada

wwolf22
wwolf22
1 ano atrás

eu pensei que esses aviões e outros ficassem em “hangares subterrâneos, tipo bunker” para proteção…

Adriano RA
Adriano RA
1 ano atrás

O F-22 foi projetado para o cenário de hoje. Já estão trabalhando no caça de amanhã. Bola pra frente.

Heverton Ribeiro
Heverton Ribeiro
1 ano atrás

Os que podiam voar, voaram. Os que nao podiam ficaram a mercê do tempo. Nao há culpa de ninguém no episódio.

Rodrigo M
Rodrigo M
1 ano atrás

Fica uma duvida: Não daria para transportar esses aviões com caminhão por exemplo??
Muito simploriamente falando, seria o trabalho de desmontar as asas e leva-los..
Será que faltou logística em tempo hábil?

Jr
Jr
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

Faltou tempo hábil, o furacão se locomoveu de forma rápida e mudou de categoria em poucas horas, tanto assim que mesmo o pessoal daquela região teve que se virar as pressas, coisa que não é muito normal nos EUA quando se trata de furacões, lá o pessoal se prepara durante dias antes da possível chegada de um furacão, eles foram surpreendidos não pela chegada do furacão, mas sim pela intensidade que ele tocou terra, e para a USAF a base estava no diretamente no caminho do furacão.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

Já trabalhei em diversas obras na região do Caribe e golfo do México, para as quais normalmente fornecemos equipamentos e sistemas de controle. Lá, inclusive, já colocamos em operação estações hidrometereológicas aptas a não só resistir a furações como também, e principalmente, coletar dados para justamente acionar sistemas de emergência, acionar alarmes, etc. Normalmente os parâmetros coletados são enviados ao centro de controle de furacões do governo americano, que possui um conjunto de instalações extremamente sofisticado e complexo cujo principal intuito é apoiar as autoridades da região, possibilitando que as respectivas defesas civis e militares possam tomar atitudes voltadas a… Read more »

Ivanstop
Ivanstop
1 ano atrás

Milagre ninguém ter falado ainda que se o raptor não aguenta uns ventos quiçá o super power SU-57

Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 ano atrás

Se eles possuem uma base naquela região, ela está ali a décadas. Outros furacões passaram por ali antes. Obviamente o hangar foi projetado para suportar ventos fortes, visto que o pessoal de manutenção buscou refúgio lá para aeronaves incapazes de voar.

A minha pergunta é: porque agora o hangar se esfarelou?

Para mim isso é negligencia do pessoal da área de infraestrutura. OU, algum oficial superior ouviu o aviso da necessidade de reformas e fez vista grossa.

Responsável pelos erros tem, resta saber se vai sobrar para os mais fracos…

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Aliás, esse incidente serve de aviso para forças aéreas ao redor do mundo olharem com mais cuidado para as suas próprias instalações. Fazer inspeção nos hangares e realizar manutenção preventiva é muito mais barato do que a outra opção…

Espero que as forças armadas brasileiras estudem o ocorrido e adiantem suas próprias inspeções.

cvn76
cvn76
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Isso reflete parcialmente, como está a infra-estrutura dos EUA…. Pontes, estradas, portos ou ferrovias em péssimo estado de conservação.. No setor militar, não é diferente….por décadas, investimentos nas instalações militares não tém tido muito prioridade…..em várias instalações existem prédios, casas ou hangares interditados por perigo de desabar… Em várias bases existem problemas de vazamento de combustíveis em dutos subterrâneso, contaminação do solo por produtos altamente tóxicos e etc… Ja existem vozes contra essa base (Tyndall) ser reconstruída….estima-se em bilhões os custos….ainda mais que a USAF tém mais duas bases bem perto dessa…..Eglin e Hulrburt Field….além de várias bases sub-utilizadas pelo… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  cvn76
1 ano atrás

Pois é cvn76, eu também vejo os gringos reclamarem que a infraestrutura do pais está mal. O engraçado é ver os brasileiros que vão para lá ver os pontos turísticos e acharem que o país inteiro é daquele jeito, quando na verdade é bem diferente.

Agnelo
Agnelo
Reply to  cvn76
1 ano atrás

Camarada
Posso estar errado, mas dirigi por mais de 4.000 Km por lá e não tive problema. Peguei chuva GIGANTE e não tinha aquelas “lagoas” no meio da estrada ou sob os viadutos.
Não vi pontes ruins etc.
Mas, como eu disse, posso estar errado, por ter pego um caminho coincidentemente bom.
Sds

cvn76
cvn76
Reply to  Agnelo
1 ano atrás

Por isso escreví “parcialmente”….e acredite, já dirigi muito mais que 4.000km por lá…..:-)
Claro que não se compara com o Brasil….mas em certas áreas, principalmente no interior, longe da costa e onde turista algum vai, existe sim, várias deficiências na infra-estrutura…o que em sí, é normal depois de vários anos com baixos investimentos no setor…

Augusto L
Augusto L
1 ano atrás

Pensei que as bases da USAF fossem cheias de hangares protegidos anti-bombas, o que deveria dar proteção contra um furacão também.
Quer dizer então se um sub russo estiver operando perto da costa leste, poderá disparar seus mísseis de cruzeiro a vontade que a base não teria como aguentar já que não aguenta nem um furacão.
A única defesa seria a detecção e interceptação de alguns.
Tudo bem nem todas as bases serem protegidas mas o caça mais avançado da USAF tinha que pelo menos estar em uma base que tenha abrigo.

Paulo Guerreiro
Paulo Guerreiro
1 ano atrás

Esses caças F-22 da USAF que foram danificados deverão sofrer uma grande manutenção antes de voarem de novo, mas se mesmo assim depois não ficarem tão bons assim, podem doar para a FAB que ela sabe fazer milagres com o que tem na mão kkk

Rodrigo
1 ano atrás

Interessante na foto do hangar com os F-22 dentro aparece também perto da porta na entrada pelo menos 4 unidas do F-5 biposto (pintura na cor preta), na comparação da pra ver bem a grande diferença de tamanhos dos dois tipos.

e Paulo Guerriro, estes F-22 não queria pra FAB não…. mais os F-5 biposto estamos precisando e se tiverem inteiros ou mesmo danificados pode mandar pra gente que concertamos lá no pama-SP

Rodrigo
1 ano atrás

Correção “4 unidas” = 4 unidades

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

Os bocais das turbinas do F-22 lembram os dos caçãs(robôs) de Macross (que são baseados no F-14 mas com estes bocais),coisa linda de se ver.

Thiago Telles
Thiago Telles
1 ano atrás

Putz….. Como ja disseram uma vez aki: “ainda q é barato”

Alexandre
Alexandre
1 ano atrás

Desse evento a principal lição a ser aprendida,e pelo visto com a escolha do ng o Brasil já está fazendo sua lição, é: custo para disponibilidade efetiva para vôo!!!!
Um vetor operacional é o quê toda força militar precisa!
Ter um vetor inoperante é tudo que uma força aérea não precisa!
Melhor um pássaro voando e combatendo ,do que vários F- 22 no chão sem poder voar para qualquer base segura!

Cangaceiro
Cangaceiro
1 ano atrás
Rodrigo
1 ano atrás

Bem lembrando com certeza, Macross é um clássico os caças são os “Variable Fighter” e estes bocais quando o caça se transforma viram os “pés do robô”

comment image/revision/latest?cb=20160107222318
comment image/revision/latest?cb=20110911152301

Como sou “fã de carteirinha” de Macross recomendo muito pra quem gosta de animes japonês sobres aviões e mecha, alem da serie original de 1982: “Macross super dimension fortress” as continuações “Macross Plus” e “Macros Zero” dentre as várias continuações na minha opinião as 2 melhores.

carcara_br
carcara_br
1 ano atrás

Dá pra dar uma surra nesses Tomcats jogando com SU-33/27 no multiplayer?

Sidney
Sidney
Reply to  carcara_br
1 ano atrás

Se esta falando de DCS, não é assim tão fácil, esteja de um lado ou de outro. O SU-27 e SU-33 terão no máximo os mísseis R-27ER (fox one) com alcance de 65km e R-27-ET (fox two) com alcance de 50km. O AIM-54 (fox one) tem alcance que passa os 100km. Mas só isso não garante a vitória por que os SU-27/33 tem grande capacidade de combustível e podem fazer uso intenso do after burner para realizar manobras evasivas, além de levaram grande quantidade de chafts para despistar o míssel perseguidor. E o tipo de manobra evasiva também pode resultar… Read more »

Jota
Jota
1 ano atrás

Na pagina do solomom tem um link onde explicam porque nao era possivel remover os jatos sem condiçoes de voo.
http://www.thedrive.com/the-war-zone/24204/setting-the-record-straight-on-why-fighter-jets-cant-all-simply-fly-away-to-escape-storms
A grande questao é: porque estocar equipamento carissimo em local de risco?
Parece que faltou bom senso…
Nessa outra pagina tem mais detalhes da destruiçao : a base está detonada!!
Vejam o video feito de helicoptero!
http://www.thedrive.com/the-war-zone/24178/tyndall-air-force-base-in-ruins-after-michael-fighters-seen-inside-roofless-hangars

Dr.Telêmaco
Dr.Telêmaco
1 ano atrás

Me espantou um pouco a última foto. Uma aeronave tão cara e importante sendo socada aos montes dentro de um hangar apertado. Curioso.

JakeGrafton
JakeGrafton
1 ano atrás

Eu realmente me imprssiono com as fontes não confiáveis e um sentimento anti-americano. Provem com uma fonte oficial as ditas perdas e somente a disponibilidade de 49% dos Raptors.

Sds

Moises
Moises
1 ano atrás

Eu acho que agora quando o Donald Trump debochar das mudanças climaticas tera sempre com o que pensar.
Sera que vale mesmo a pena desprezar os acontecimentos ?
Espanta também ver caças considerados os melhores do mundo,em hangares incapazes de lhes dar a devida proteçao.

Augusto L
Augusto L
1 ano atrás

Tyndall abriga 4 esquadrões de F-22 em 3 asas.
Sendo que 2 esquadrões são treino e teste, totalizando 19 aeronaves.
-422d Test and Evaluation Squadron, 53d wing.
-433d Weapons Squadron, 57th wing.
E ainda há os outros 2 esquadrões operacionais do 325th Fighter Wing, totalizando 36 aeronaves.
Bom se as que ficaram foram só as dos esquadrões de treino, a coisa não pode ser tão desesperadora assim.

cvn76
cvn76
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto

São “somente” dois esquadrões em Tyndall/FL.
Um de treinamento, o 43. Fighter Squadron com 31 aparelhos
Um de combate, o 95. Fighter Squadron com 24 aparelhos.

Os esquadrões que vc mencionou ficam:
Um de ensaio e test de vôos, o 411, Flight Test Squadron com 4 aparelhos em Edwards/CA.
Um para teste de armas e táticas de combate, o 422. Test Weapons Squadron com 14 aparelhos em Nellis/NV.

Augusto L
Augusto L
Reply to  cvn76
1 ano atrás

Não eles ficam em Tyndall as asas que, eles pertencem ficam em Nellys.
O que eu errei é que são 36 caças em 3 esquadrões e não em 2, são 12 por.
São 2 operacionais e tem um reserva, da reserva da USAF.
Tyndall abriga 55 F-22 é a base com o maior número.

cvn76
cvn76
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto A USAF Reserva não opera nenhum esquadrão de F-22…o que existe muito na USAF, são os chamados “Esquadrões Associados”…ou seja, um esquadrão da USAF é compartilhado juntamente com um esquadrão da ANG ou da USAFRC… E isso acaba causando muita confusão….até na imprensa… Segue uma lista de todos os esquadrões com base e numeros de parelhos…totalizando 186….187 foram fabricados e um foi perdido: 422. Test Weapons Squadron em Nellis/NV: 14 aviões 411. Flight Test Squadron em Edwards/CA: 4 aviões 43. Fighter Squadron (treinamento) em Tyndall/FL com 31 aviões XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Esquadrões de combate: 27. Fighter Squadron em Langley/VA com 23… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  cvn76
1 ano atrás

Opera sim, o 44th squadron e o 477th Squadron sao do comando de reserva da Usaf.

Augusto L
Augusto L
Reply to  cvn76
1 ano atrás

So há 1 esquadrão associado da National guard o 199th da 154th wing é associado a 15th wing, opera junto com o 19th squadron da mesma. Geralmente os esquadrões de F-22 são de 12 aviões, e os esquadrões de validação e treinamento de 10. Somente os esquadrões baseados no Hawaii que tem mais F-22 nos esquadrões, pelo que me lembro. E o 422d Test and Evaluation Squadron fica em Tyndall, pelo menos a wing do qual pertence está listada lá. Resumindo Tyndall abriga a 53th wing, a 327th fighter wing e o 44th fighter group(reserva). Pelo que sei são 55… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  cvn76
1 ano atrás

E Langley tbm tem 1 da AGN que é o 149th Fighter Squadron.

ScudB
ScudB
1 ano atrás

Em tempo , morreu um piloto americano no acidente com Su-27 na Ucrânia..

Jmgboston
Jmgboston
1 ano atrás

Vi agora no US MILITARY TECHNOLOGY que não mais que 17 F22 ficaram para tras por causa de manutenção e por isso não puderam voar. Não foram tantos assim mas ainda não se sabe a extensão dos danos neles.

J-20
1 ano atrás

Se me recordo bem, um certo “navio de vossa majestade” disse que o F-22 era imune ao clima, que pode fazer de tudo sem precisar de um hangar especial e que sua pintura aguenta até o seco deserto do oriente médio sem retoques na maquiagem. Mas está aí para provar que a natureza sempre mais forte que nós.

Dr.Telêmaco
Dr.Telêmaco
Reply to  J-20
1 ano atrás

Cuidado. Falar algo desagradável , mesmo que seja a realidade, sobre produtos made in USA desencadeará sobre você a ira dessa “belonave dos comentários” bem como dos seus bots JP3, PS, little Ed e etc., que virão aqui aos montes te chamar de mentiroso e dizer que você é partidário do Czar e blá blá blá