Home Apoio Aéreo Aproximado USAF emite RFP para substituir asas de 112 aviões A-10 Thunderbolt II

USAF emite RFP para substituir asas de 112 aviões A-10 Thunderbolt II

8115
123
A-10 Thunderbolt II
A-10 Thunderbolt II

A Força Aérea dos EUA (USAF) emitiu um pedido de propostas (RFP) para substituir as asas de cerca de 100 unidades de suas aeronave de apoio aéreo aproximado (CAS) Fairchild-Republic A-10 Thunderbolt II.

Lançado em 25 de maio, o RFP do programa A-10 Thunderbolt Advanced Continuation Kitting (ATTACK) exige a reconstrução das asas de 112 aeronaves em cinco períodos anuais de pedidos, com a opção de mais dois anos depois disso.

Este esforço do ATTACK se soma às 173 aeronaves que foram atualizadas sob o Programa de Substituição de Asas (WRP) anterior, que decorreu entre 2007 e 2018, tendo a Boeing como contratada principal. Apesar do comunicado da USAF no meio do WRP de que iria aposentar prematuramente o A-10, considerou-se mais barato continuar com os contratos concedidos sob o apoio do Programa de Ciclo de Vida do A-10 Thunderbolt (TLPS) do que cancelá-los.

Falando no início de 2018, o chefe do Comando Aéreo de Combate (ACC), General James Holmes, disse que a USAF agora pretende manter uma frota de 285 aeronaves (a soma dos programas WRP e ATTACK) na década de 2030. Existem aproximadamente 350 aviões A-10 nos inventários da USAF, Reserva da Força Aérea e Guarda Aérea Nacional, embora um número já tenha sido enviado para a desativação na Base Aérea de Davis-Monthan, no Arizona.

Como plataforma legada, o A-10 é apoiado igualmente pela Boeing, Lockheed Martin e Northrop Grumman. As respostas ao RFP ATTACK são esperadas até 23 de agosto, com um contrato previsto para o ano fiscal de 2019 (FY 2019). O orçamento aprovado para o ano fiscal de 2018 inclui US$ 103 milhões para o projeto, enquanto US$ 79 milhões foram solicitados para o ano fiscal de 2019. Até o momento, nenhum financiamento para o ano fiscal de 2020 e além foi ainda identificado.

A emissão do RFP ATTACK é a mais segura indicação da intenção da USAF de reverter sua decisão de retirar o A-10, de modo a liberar recursos para o Joint Strike Fighter Lockheed Martin F-35A Lightning II (JSF).

O A-10 nasceu como caçador de tanques na Guerra Fria
O A-10 nasceu como caçador de tanques na Guerra Fria
O tamanho do canhão GAU-8 30mm do A-10 Thunderbolt II comparado a um Fusca
O tamanho do canhão interno GAU-8 30mm do A-10 Thunderbolt II comparado a um Fusca

FONTE: Jane’s

SAIBA MAIS:

Subscribe
Notify of
guest
123 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Guilherme C. Prado
2 anos atrás

Grande notícia! Fico muito feliz em ver esses grandes e fantásticos aviões ganhando u´a merecida sobrevida. Particularmente acho a melhor aeronave para CAS já feita até hj. Melhor ainda que os veneráveis Skyraiders “Sandy”. Se a hora/voo não fosse tão proibitiva, seria maravilhoso ve-los voando com a cammo da FAB por aqui.

Thiago Telles
Thiago Telles
2 anos atrás

É muito difícil substituir essa aeronave por enquanto.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
2 anos atrás

Tomando uma decisão mais do que acertada! Nenhum avião faz com excelência o que A-10 Thunderbolt faz. Agora o que poderia acontecer na gestão do Trump seria remodelar o A-10 para atender as futuras tecnologias, com aviônica mais avançada, substituição dos motores por motores mais eficientes em relação ao consumo vs potência. Mas isso quem decide é o contribuinte norte-americano.
Novamente parabéns a USAF pela decisão acertada!

João Girardi
João Girardi
Reply to  Luiz Trindade
2 anos atrás

Cara, tinham que deixar ele ainda mais assustador, colocar um segundo GAU-8.

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
Reply to  João Girardi
2 anos atrás

Olá.
Não caberia…
SDS.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
2 anos atrás

AT-27!!

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Sérgio Luís
2 anos atrás

Infelizmente não tem a blindagem e velocidade do A-10. Fora o canhão que o Tucano não tem como levar!

Sérgio Luís
Sérgio Luís
2 anos atrás

AT-29!!

Guilherme Poggio
Editor
2 anos atrás

A empresa que desenvolveu e produziu o A-10 (Fairclhild) hoje pertence à Elbit Systems.

Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
2 anos atrás

Além dos problemas com o F-35, acredito que a USAF queira fazer uma demonstração de força bruta, em especial para a Rússia

JPC3
JPC3
Reply to  Ricardo da Silva
2 anos atrás

Para a Rússia o A-10 não significa muito, é alvo fácil.

Bosco
Bosco
Reply to  JPC3
2 anos atrás

JPC3,
Você acha que só a Rússia tem pods de ECM que paralisa navio??? rssss

JPC3
JPC3
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Tinha me esquecido disso.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Ricardo da Silva
1 ano atrás

A Russia tem um equilavente no SU-22, que é um tanque voador, também.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
2 anos atrás

Manda essas 100 aeronaves pra cá, que compramos as asas kkkkkkkkkkkkk

fabio jeffer
fabio jeffer
2 anos atrás

De todas as aeronaves do inventário das forças armadas dos EUA, esta é a que eu acho a mais fantástica e incrível

Eduardo von Tongel
Eduardo von Tongel
Reply to  fabio jeffer
2 anos atrás

É o melhor custo x benefício.

André
André
2 anos atrás

Amigos,

O A10 é muito famoso pelo seu canhão de 30mm. Seu concorrente russo, o su25 também tem um canhão de 30mm, mas eu não costumo ver tanto destaque para o canhão russo.

O canhão americano é mais eficiente ou é por uma questão de doutrina de uso, como a quantidade de munições bem maior no A10?

Valeu

Marcos
Marcos
Reply to  André
2 anos atrás

É sério isso? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk (espero que o doguinho do site não me morda pela risada)

Fui pesquisar uma imagem do canhão do SU-25

https://www.thefirearmblog.com/blog/wp-content/uploads/2017/09/SU-25_30mm_gun_2.jpg

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
Reply to  Marcos
2 anos atrás

Olá.
Marcos, não esqueça da máxima: tamanho não é documento!
O princípio de funcionamento do canhão russo é bem interessante. É como um Gatling de dois canos. A exaustão dos gazes de um dos canos serve para municiar e disparar o projétil do outro. Tem uma boa cadência de tiros e uma potência considerável. Mas…
Dizem por ai que os primeiros modelos tinham a tendência de travar se a salva fosse muito grande. Assim as rajadas tinham de ser bem curtas. Modelos mais recentes parecem ter resolvido a limitação.
SDS.

André
André
Reply to  Mauricio_Silva
2 anos atrás

Seguiremos entender. O canhão do A10 é melhor que o do Su25 pra é maior?

E em relação a poder de impacto e/ou penetração? O do su é eficiente contra um blindado moderno?

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
Reply to  André
2 anos atrás

Olá. Vamos lá: o GAU-8 Avenger do A-10 “Thunderbolt II” é bem maior e mais pesado que o GSh-30-2 do Sukhoi Su-25 “Frogfoot” (281kg contra 105kg). O Avenger dispara projéteis de 395g com uma cadência de tiro que pode chegar a 3900 disparos por minuto; o GSh-30-2 dispara projéteis de 390g com uma cadência de tiro que pode chegar a 3000 disparos por minuto. A velocidade de boca dos disparos (velocidade de saída do cano da munição) é de 1010 m/s no Avenger e de 870 m/s no GSh-30-2. Assim, a potência de boca máxima do Avenger é pouco mais… Read more »

Munhoz
Munhoz
Reply to  André
2 anos atrás

O A 10 é um avião que foi feito praticamente em torno canhão Gatling de 7 canos de 30 mm com 1,350 cartuchos. A munição padrão é de alumínio com núcleo de urânio exaurido, incendiária e perfuradora de blindagem, sendo a principal função o ataque as colunas blindadas soviéticas tanto com o uso do canhão como com a sua capacidade de carga de até 8 Toneladas que incluía o míssil Maverick. Já o Su 25 é um caça onde o canhão é apenas mais um item, com um canhão de 30 mm com apenas 250 projeteis e uma capacidade de… Read more »

Nicolas_RS
Nicolas_RS
Reply to  Mauricio_Silva
2 anos atrás

Tamanho é sim documento, ainda mais se tratando de canhões!

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
Reply to  Nicolas_RS
2 anos atrás

Olá.
Mais que o “tamanho” propriamente dito, o que realmente faz a diferença é a potência de boca (quanto de energia/poder destrutivo) um canhão pode lançar.
SDS.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Marcos
1 ano atrás

Eu penso que é porque o SU-22 teve menos missões cobertas pela mídia. Quando os EUA usam força bruta, o mundo todo acompanha, as imprensa cobre. Quando a Russia usa força bruta, isso não funciona assim.

sub-urbano
sub-urbano
Reply to  André
2 anos atrás

Não dá pra comparar. O A-10 é único, até porque foi uma necessidade em um teatro (europa) onde o s tanques do Pacto de Varsóvia assoberbavam os da OTAN em 3 pra 1. O exército vermelho tinha 6 milhões de homens prontos para invadir a Europa na maior parte da guerra fria, militares da ativa, sem contar a capacidade de recrutamento. Os americanos precisavam de algo para compensar, o A-10 é “overengeniered” não é à toa.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  sub-urbano
2 anos atrás

O A-10 não usa mais munição de urânio exaurido

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Melhor “CC” com asas, imbatível !

LucianoSR71
LucianoSR71
2 anos atrás

O A-10 foi meio que deixado p/ um 2º plano quando acabou o Pacto de Varsóvia – suas forças blindadas foram o motivo p/ a criação desta fantástica máquina – sua razão de ser deixou de existir, diziam os entendidos. Vieram os conflitos no Golfo, Afeganistão e ele ganhou uma sobrevida. Seus custos de operação e manutenção fizeram c/ que seus críticos lhe dessem uma sentença de morte, por pouco não foi p/ a guilhotina, então qual o motivo dessa mudança de operar 285 A-10 até a década de 2030? No meu modo de ver é a constatação que a… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

Isso tem nome, se chama sabedoria….

A Máquina Troll
A Máquina Troll
Reply to  HMS TIRELESS
2 anos atrás

“Tornar o simples em complicado é fácil, tornar o complicado em simples é criatividade.”

Charles Mingus

João Bosco
João Bosco
2 anos atrás

Como li num artigo recentemente… substituir o insubstituível. Não há máquina igual nem nas pranchetas, pelo que eu saiba, com total e letal capacidade ofensiva deste avião. por mais que tentem ainda não encontraram uma forma de substituir essa lenda com asas. Lento, feio,esquisto, parecendo um dos projetos alemães capturados depois da guerra e feito para caçar tanques – mas está desentocando talibãs e ISIS nas montanhas do Afeganistão e da Síria. Ninguém quer ficar sem o feioso. Feio mas eficiente. nunca ganhou concurso de beleza….. nem o Super Tucano o substitui e muito menos o SU-25. Mas tenho uma… Read more »

MigBarSan
MigBarSan
2 anos atrás

Rapaz, nossa, e o Fusca está em primeiro plano hein! Vishhh!

Se fosse um Opalão Comodoro dava até para instalar e dar uns tiros. (Risos)

Uma grande arma para um formidável avião que está vendo seus tempos voltarem, infelizmente, talvez.

Cronauer
Cronauer
Reply to  MigBarSan
2 anos atrás

De qualquer forma, certamente, é mais confortável viajar dentro do canhão…

Flick
Flick
2 anos atrás

Sempre li que o A-10 não era um avião que possuia um canhão, mas um canhão que possuía um avião.
Nesta foto comparativa com o fusca, a despeito, é claro, do incrível poder de fogo, fica evidenciado o porquê.
Impressionante!!

Campos339
Campos339
Reply to  Flick
2 anos atrás

“…o A-10 não era um avião que possuia um canhão, mas um canhão que possuía um avião.”

– A melhor definição para o A-10 que já lí.

Joao Vasco
Joao Vasco
2 anos atrás

Impressionante o tamanho do canhao.

Bosco
Bosco
2 anos atrás

Pessoal,
A USAF gosta do A-10 por uma série de motivos e o canhão com certeza não é um deles.

Sidney
Sidney
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Sim o canhão com toda certeza nos cenários atuais de conflito o colocaria numa situação de excessiva proximidade a manpads ou outras ameaças piores. Mas Bosco por favor nos diga quais em sua opinião e conhecimento seriam os principais atributos do A-10C para o mesmo continuar como o principal avião CAS da USAF?

Bosco
Bosco
Reply to  Sidney
2 anos atrás

Sidney,
Poderia citar alguns:
1- custo
2- resistência
3- persistência de combate
4-autonomia
5- estabilidade
6-sensores modernos
7- variedade de armas
8- disponibilidade
9-carga útil
10-capacidade de operar a partir de pistas rudimentares
etc.

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Olá.
O item dois me parece ser o mais “importante” para os pilotos. O aparelho pode continuar voando mesmo com danos extensos. E a tripulação é protegida por pesada blindagem.
comment image
SDS.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Bosco e Maurício, por incrível que pareça também há o fator psicológico. Segundo consta o peculiar “Brrrrrr” produzido pelo GAU/8 teria um efeito tranquilizador e motivador muito forte para as tropas norte-americanas e aliadas em terra.

Mauricio R.
Reply to  Bosco
2 anos atrás

A força aérea mais nerd do planeta, gostar de avião pé de boi???? Não, não mesmo. A USAF tinha um ódio visceral ao Saddam Hussein, qndo após a queda do Muro de Berlin, a implosão da URSS, o fim do Pacto de Varsóvia, o maledeto invade e ocupa o Kuwait e arruma um uso pra essa geringonça… Al Qaeda, Taliban e EI, são outros que a USAF quer ver pelas costas, não por serem o que são, mas justamente por obriga-la a manter esse trambolho em serviço, operando. Podem reparar, tudo e mais um pouco teve que ser mexido, mudado,… Read more »

Ivan
Ivan
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Mestre Bosco, . Infelizmente a USAF não gosta do Warthog, como lembrou o Maurício. Os ‘caras’ da força aérea ianque gostam de bombardeio estratégico, superioridade aérea, e interdição do campo de batalha, com direito a SEAD e DEAD inclusas nas duas últimas supermissões. Mas CAS (Close-Air Support), ou em português Apoio Aéreo Aproximado, eles detestam. Nunca gostaram e sempre fizeram por que o campo de batalha exige: ou faz CAS ou o US Army vai fazer por conta própria e tomar orçamento da USAF. . A origem possivelmente está na 2ª Grande Guerra. Glamoroso era as fortalezas e superfortalezas voadoras… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Ivan
2 anos atrás

A missão CAS é complexa, pois é uma missão imediata, e exige muita coordenação com as tropas no solo. Não é fácil, e a possibilidade de fratricídio é enorme. Se não for treinada constantemente, dá caca.

Sidney
Sidney
2 anos atrás

Para quem gosta e aidna não conhece, o melhor A-10C já feito para PC, num nível muito alto de sistemas e armamentos simulados, o manual tem mais de 800 páginas e para aprender e dominar exige muita dedicação e estudo. Segue video:

https://youtu.be/Co8LKJh6Xc0

João Adaime
João Adaime
2 anos atrás

Acho que a foto comparativa com o fusca diz tudo. Pode ser chamado de fusca dos ares. Além de seu canhão levar 1.350 projéteis, ainda possui uma capacidade de sobrevivência fantástica. Pode perder metade de uma asa, um dos motores, metade da cauda ou o nariz e todo seu sistema hidráulico e mesmo assim retornar à base. Sem contar que a cabine do piloto, chamada de “banheira”, é feita de chapas de titânio, revestida internamente de náilon balístico. Só este conjunto pesa 544 kg e resiste a impactos de projéteis de 23 mm. Por que será que vai continuar na… Read more »

Bosco
Bosco
2 anos atrás

O canhão do A-10 vem junto mas não é o mais importante.
https://s2.glbimg.com/PJMKSpydATj0iaqp-tK8vXFrkCc=/top/s.glbimg.com/jo/eg/f/original/2016/10/04/474a6818.jpg
É igual a pinta da Sabrina Sato.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Mestre Bosco
Num exercício de criatividade, o que poderia ser colocado no lugar do canhão? Considerando peso e dimensões.

Bosco
Bosco
Reply to  João Adaime
2 anos atrás

João,
Eu acho que a USAF vai deixar ele por conta de poder ser utilizado eventualmente haja vista que até hoje soldados levam facas de combate e baioneta.
Agora, sendo bem criativo, eu colocaria um laser tático. Sem dúvida o A-10 seria excelente plataforma para se instalar uma arma de energia direta no lugar do GAU-8.

Tomcat3.7
Tomcat3.7
Reply to  Bosco
2 anos atrás

A da pinta eu rachei de rir aqui Boscovisk!!!! kkkkk
Literalmente é um canhão com um avião a foto da comparação é impressionante.

Thiago Telles
Thiago Telles
2 anos atrás

Bosco, nao sou nem de longe especialista como muitos aki…mas…sério q o canhao nao é um dos pontos principais? Nao é possível! Se nao, tira o canhao e substitui por mais autonomia, capacidade d carga, sei lá algo mais útil dentro do contexto q colocou.

Bosco
Bosco
Reply to  Thiago Telles
2 anos atrás

Thiago, Eu também não sou especialista. Só entusiasta mesmo. Quanto ao A-10 e o GAU-8 eu acho que não tem verba pra fazer nada a respeito do canhão. Vão deixar do jeito que está. Sem falar que o canhão não é o item mais importante mas está longe de ser inútil. O GAU-8 foi escolhido na década de 70 porque era a única arma de precisão antitanque disponível e que o deixava a aeronave fora do envelope do ZSU-23-4 Shilka, e não por ser algo fantástico. Hoje a função antitanque é basicamente delegado aos Apaches e o canhão passou a… Read more »

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Olá.
Eu vejo o A-10 Tunderbolt II como um “Stuka” modernizado.
Além de servir como arma, seu objetivo é causar pânico em quem estiver sendo atacado.
E vejo poucas coisas mais efetivas para deixar uma guarnição em pânico que uma rajada do GAU-8 “Avenger”.
Creio ser esta a atual “missão” do A-10: dar suporte aéreo as guarnições de solo (CAS) e causar pânico no inimigo.
SDS.

Ivan
Ivan
Reply to  Mauricio_Silva
2 anos atrás

Maurício,
Seria mais para o Illyushin IL-2 “Sturmovik”.
Abç., Ivan.

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
Reply to  Ivan
2 anos atrás

Olá Ivan
O Illyushin IL-2 “Sturmovik” foi o “molotok” dos tanques alemães na frente oriental. Realmente, o A-10 da Segunda Guerra Mundial.
Mas a minha comparação com o Junker Ju-87 “Stuka” foi mais no sentido do terror que o mesmo causava nas tropas terrestres.
Além da precisão dos ataques, o aparelho usava uma sirene, cuja intensão era “tocar o terror”.
SDS.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Ivan
2 anos atrás

Ivan e Maurício, Hans Ulrich Rudel, o mais bem sucedido piloto de Stuka da II GM, foi contratado como consultor para o programa do A-10 nos anos 70. Contudo, ao analisar o aparelho fica claro ser ele um descendente moderno do IL-2 “Sturmovik”, aliás mais parecido com a estupenda máquina da Ilyushin que o próprio Su-25.

Tiger 777
Tiger 777
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Excelente tópico, bem técnico sem mimimi e fans boys.

Cronauer
Cronauer
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Não fala assim que humilha demais os nossos Generais…

João Adaime
João Adaime
2 anos atrás

Os nossos AMX poderiam ser usados nas mesmas funções do A-10?

MARCOV
MARCOV
Reply to  João Adaime
2 anos atrás

É incrível o que o Warthog faz em missão de CAS.
Dá uma olhada no link:
https://www.youtube.com/watch?v=EPyY5XFyh9I

Em 2:37 é mostrado o efeito do GAU-8 Avenger em um tanque.

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
Reply to  João Adaime
2 anos atrás

Olá.
A potência de boca dos canhões DEFA 550 são bem menores que a do GAU-8 Avenger.
Mas mesmo assim, podem fazer um bom estrago em blindados.
Porém, tanques principais com blindagem moderna poderiam resistir a uma passagem do AMX atirando com os canhões de 30mm.
SDS.

Bosco
Bosco
Reply to  João Adaime
2 anos atrás

João, O AMX é usado na mesma função. Quanto ao canhão, o AMX brasileiro (A1) é equipado com um par de canhões DEFA 550 que disparam combinados 2600 t/min e calça a munição 30mm x 113 (igual a do canhão M230 do helicóptero Apache). Esse canhão dispara um projétil de baixa velocidade (800 m/s) que por si só não tem grande capacidade de perfuração e por isso conta com uma carga explosiva tipo HEAT com capacidade de perfuração de 25 mm em chapa de aço. O A1 leva nos dois canhões um total de 250 cartuchos. O canhão do A-10… Read more »

Munhoz
Munhoz
Reply to  Bosco
2 anos atrás

A proposito é bom lembrar que os EUA não quiseram vender na época o canhão rotativo de 20 mm M61 Vulcan (instalado na versão italiana) para o Brasil, por isso os nossos AMX utilizam 2 canhões DEFA 550. Magoas antigas rss, fora que os EUA queriam vender o F 18 e deixar guardado os AIM 120 em território americano. Quanto ao AMX podemos dizer que ele é mais semelhante ao Su 25 quanto a suas capacidades em geral (o A 10 ficaria numa outra categoria pois leva o dobro de carga) sendo que o Su 25 é blindado igual ao… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Munhoz
2 anos atrás

Munhoz, Eu particularmente nunca acreditei nessa história dos americanos terem nos negado o Vulcan. Aliás, se ele foi solicitado pelo fabricante do AMX acredito que tenha sido uma decisão equivocada que foi consertada a tempo. O DEFA 550 é muito mais apropriado ao tiro terrestre que o Vulcan. Tanto é assim que o avião de ataque dos americanos não usa o Vulcan. Quanto aos americanos quererem nos vender o F-18 e guardarem os Amraams nos EUA, nunca fiquei sabendo disso mas já adianto que não procede. Geralmente mágoas são por motivos banais, quando não equivocados. Para avaliarmos a relação dos… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Ninguém negou o Vulcan. Na filosofia inicial de offset, buscou-se investir na Bernardini, que fabricou o canhão aqui

Munhoz
Munhoz
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Concordo com você, magoas passadas, muitos equipamentos doados etc. Mas recordar é viver: https://cienciapolitica.org.br/system/files/documentos/eventos/2017/02/transferencias-armamentos-dos-eua-para-brasil-durante-guerra.pdf https://www.aereo.jor.br/2010/01/20/vulcan-o-canhao-do-amx-italiano/ Particularmente não sou contra os EUA ou a Russia, só que devemos analisar todos os fatos. Se analisar com cuidado vera que as relações de Israel com França foram complicadas por exemplo, até as restrições dos EUA para a AL . É tudo uma questão de interesses . O ideal é o pais ter o seu próprio desenvolvimento ou aproveitar as oportunidades, como as doações por exemplo. Nunca é bom ficar dependente, principalmente no nosso caso, onde temos uma capacidade industrial para conseguir autonomia. Mas… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Munhoz, Mesmo essa informação tendo sido divulgada no Aéreo eu respeitosamente não acredito e a menos que me provem que houve por parte da Embraer ´por solicitação da FAB um pedido formal, consistente, do referido canhão ao fabricante americano e que ele fazia parte do projeto original do avião de ataque versão brasileira, projeto esse que teve que ser alterada de modo a que o canhão francês tomasse seu lugar frente à recusa oficial americana em ceder um item que não agregava tecnologia sensível e que era usado por mais de 40 países nas suas diversas formas (naval, aérea, terrestre),… Read more »

Munhoz
Munhoz
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Na verdade são varias as historias a este respeito, sendo que eu particularmente acho que deve ter algum fundamento, tipo assim eles podem ter oferecido e depois de conferir o absurdo da situação voltaram para trás . Declaração Publicada pela revista Isto É em 15/05/2002 Míssil – Por sua vez, o brigadeiro Cherubim Rosa Filho, que em 1987, no Alto-Comando, alertou para o enfraquecimento da defesa aérea, disse que o problema do caça americano F-16, oferecido pela Lockheed Martin, é que os EUA não querem incluir, com o avião, o míssil ar-ar BVR (Beyond Visual Range, além do alcance visual),… Read more »

Renato
Renato
Reply to  Munhoz
2 anos atrás

Algum país já aceitou está condição de manter seus mísseis defensivos em território dos EUA?

Bosco
Bosco
Reply to  Renato
2 anos atrás

Você aceitaria, Renato!??
Ninguém nunca aceitou porque os EUA nunca fez essa proposta à ninguém. Ele sabe que o dia que o fizer outros fabricantes irão ocupar o vácuo e os EUA irão perder alguns bilhões de dólares na sua receita anual, alguns milhares de empregos e toda a credibilidade num dos mais competitivos mercados que existe em todo o mundo.
Os americanos podem ser maldosos mas estão longe de serem ingênuos.

Bosco
Bosco
Reply to  Renato
2 anos atrás

Essa história que os EUA fica com mísseis vendidos a terceiros começou com uma fake news há uns 15 anos que dava conta que os americanos haviam vendido mísseis AMRAAMs aos chilenos e os mísseis ficariam nos EUA. Algumas crianças de jardim de infância acreditaram e mais meia dúzia de adultos propensos a acreditarem em notícias sem pé nem cabeça. De lá pra cá essa mentira foi replicada milhares de vezes e hoje é mais uma “verdade” inquestionável da Internet. Na época houve desmentida oficial, mas depois que uma fake news é liberada na mídia ela toma vida própria e… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Renato
2 anos atrás

Coincidentemente mestre Bosco, recentemente vi a foto de um F-16A MLU da Força Aérea Chilena justamente com dois AIM-120 nas asas.

Vão dizer que é Photoshop…rs!

Bosco
Bosco
Reply to  Renato
2 anos atrás

Dizem que toda vez que um esperto encontra um idiota, sai negócio. Para os EUA venderem armas para seus clientes externos mas obrigar que elas fiquem em território americano é porque os clientes são uns idiotas. O mesmo para mísseis chipados. Por conta do psiquiatra do Miterrand ter escrito um livor em que cita “en passant” que seu cliente teria fornecido uns tais “códigos de desativação” dos mísseis Exocet para evitar que o RU lançasse mísseis Posseidon contra… Buenos Aires. Desde então, a partir dessa sandice, criou-se nos blogues de defesa a inquestionável “verdade” que toda arma inteligente é chipada… Read more »

Munhoz
Munhoz
Reply to  Renato
2 anos atrás

No caso do 11 de setembro se foi falsa bandeira ou não eu não sei. Mas uma coisa eu sei sobre o bin Laden. Em 1973, ainda jovem e inexperiente, entrou em contato com grupos islamitas. Após a invasão soviética do Afeganistão em 1979, Osama, que era um amigo próximo do príncipe Turki al-Faisal (chefe dos serviços de inteligência da Arábia Saudita entre 1977 e 2001), e de Ahmed Badeeb (na época chefe de gabinete de serviços de inteligência da Arábia Saudita), tornou-se a principal liderança entre os cerca de 4.000 sauditas que lutaram no Afeganistão. Os sauditas foram apenas… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Renato
2 anos atrás

Munhoz, Sem dúvida! Mas infelizmente o amigo de hoje pode ser o inimigo de amanhã e isso já aconteceu inúmeras vezes na história principalmente no OM, onde a dinâmica é a norma. Em relação ao caso, eu pessoalmente acho muito mais fácil acreditar que naquele período o Bin Ladem se aliou aos EUA (e vice-versa ) porque tinham inimigos comuns e depois essa aliança se desfez e resultou no 11/09, do que acreditar que os EUA ingenuamente utilizaram um ex-agente da CIA para atacar os EUA de forma cinematográfica com o objetivo de fazer a opinião pública americana aceitar uma… Read more »

Munhoz
Munhoz
Reply to  Renato
2 anos atrás

Reportagem http://www.naval.com.br/blog/2017/10/18/hms-sheffield-reveladas-as-falhas-que-levaram-ao-afundamento-nas-falklands/ Mesmo dois meses após o ataque, a comissão de inquérito estava incerta se a ogiva do Exocet tinha detonado. Embora os membros da tripulação estivessem convencidos de que tinha detonado, os cinco membros da comissão concluíram eventualmente que não tinha, e relataram que o incêndio foi causado pelo propulsor do míssil, sendo que apenas 40% foi utilizado durante o voo. Uma nova reavaliação do MoD, divulgada em 2015, concluiu que a ogiva explodiu. No entanto, o Guardian já ouviu que o MoD já havia desenvolvido uma contramedida eletrônica que poderia desligar o mecanismo de espoleta do Exocet uma… Read more »

Munhoz
Munhoz
Reply to  Renato
2 anos atrás

O que ocorre é que os fabricantes evidentemente conhecem as contra medidas mais eficazes para deter seu próprio produto, além de limitar a tecnologia que exportam ( misseis de menor alcance, seeker de desempenho inferior, links de comunicação inferiores, etc )… E é óbvio que um fornecedor também pode entregar a um adversário os parâmetros das armas, o que inclui as frequências e alcance efetivo das cabeças de busca ( no caso de um seeker/radar ), o que permite bolar alguma contramedida . Por isso é melhor fabricar, porque vc acha que a FAB esta pagando o dobro por um… Read more »

Munhoz
Munhoz
Reply to  Renato
2 anos atrás

Em relação ao 11/09 preste atenção que os EUA enviaram poucas tropas para o Afeganistão onde era a principal base dos terroristas, no entanto com o Iraque eles criaram falsas provas e invadiram por terra com o uso maciço de tropas, num lugar onde nem terroristas tinha !

Não estou relatando nenhuma teoria de conspiração etc

Mas foi muito estranho o desenrolar dos fatos !

Bosco
Bosco
Reply to  Renato
2 anos atrás

Só pra lembrar que os britânicos levaram para as Malvinas 52 mísseis MM-38 Exocet distribuídos em 13 navios. Se eles adquiriram esses mísseis, gastando milhões de dólares do contribuinte, sabendo que eles tinham algum tipo de “código de desativação” de posse dos franceses, ou eles foram uns grandes imbecis ou foram traidores. Simples assim!! Vale salientar que o Exocet não era dotado de data-link e só tinha duas “entradas” capazes de receber sinais de RF, a antena do radar altímetro e a antena do radar. Pela lógica esse código seria recebido pela antena do radar. Não sou especialista em radar… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Renato
2 anos atrás

Munhoz, “Em relação ao 11/09 preste atenção que os EUA enviaram poucas tropas para o Afeganistão onde era a principal base dos terroristas, no entanto com o Iraque eles criaram falsas provas e invadiram por terra com o uso maciço de tropas, num lugar onde nem terroristas tinha !” Não sei os dados pra saber se sua afirmação está correta, mas em estado há de se ter em mente que o Iraque tinha forças armadas regulares enquanto no Afeganistão o inimigo era a Al Qaeda e os talibãs. Uma guerra tradicional como a que foi travada no Iraque é bem… Read more »

Munhoz
Munhoz
Reply to  Renato
2 anos atrás

Só para finalizar, os ingleses tem capacidade técnica para manipular os sistemas do míssil, alem do que França e Inglaterra estão do mesmo lado na OTAN, ou seja são farinha do mesmo saco. Já um pais como Brasil por exemplo poderia acabar enfrentando um pais da OTAN como a França nos anos 60 por exemplo e é ai que a porca torce o rabo. França e Inglaterra tem inimigos e interesses em comum, Brasil e França não ! E numa situação de conflito hoje por exemplo em que o Brasil enfrentaria um eventual inimigo, este saberia exatamente como funciona os… Read more »

Paulo
Paulo
2 anos atrás

O Crápula da Casa Branca vai remendar os A10.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Paulo
2 anos atrás

MAV detected!

Estão “remendando” o A-10? Fazem muito bem, lembrando que o aparelho é superior ao Su-25

Mauricio R.
Reply to  HMS TIRELESS
2 anos atrás

O crápula do Kremelin de Moscou também está remendando seus Su-25, 4 de cada vez!!!!

(http://alert5.com/2018/05/04/russia-to-upgrade-four-su-25s-to-sm3-standard/)

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Mauricio R.
2 anos atrás

Pois não é amigo Maurício!?

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Paulo
1 ano atrás

O crápula da Casa Branca será reeleito fácil, basta ver os índices de desemprego, inflação e crescimento da economia do grande satã capitalista do universo! É a economia, estúpido!

Johnny
Johnny
2 anos atrás

Peraí. Se eles vão gastar com a revitalização dos A-10 teria o light attack experiment subido no telhado???

JT8D
JT8D
Reply to  Johnny
2 anos atrás

Creio que não, pois o A-10 pode ser tudo menos light

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Johnny
2 anos atrás

O programa do Light Attack serve justamente como um complemento de baixo custo do A-10

nonato
nonato
2 anos atrás

Não entendo.
Contra terroristas, tudo bem.
Mas contra Rússia e China por exemplo, esse avião sobrevoando o inimigo seria alvo fácil de artilharia antiaérea ou de manhã pads ou de mísseis mesmo.

DM Filho
DM Filho
Reply to  nonato
2 anos atrás

Eu acredito que dentro do contexto que ele foi planejado, que era a Guerra Fria e considerando uma grande invasão a Europa Ocidental pelo Pacto de Varsóvia, os americanos acreditarem que conseguiriam ter a supremacia aérea, todavia perdiam enormemente em quantidade de tanques e outros blindados em terra. Quanto a se defender, ele foi projetado para ter muita capacidade de sobrevivência a AA de até 20mm e poder voltar a base sem 1 motor, ou metade da cauda, pousar sem trens de pouso e etc. Ele foi pensado pra aguentar muito tranco mesmo. Logicamente, considerando um ambiente não dominado por… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  nonato
2 anos atrás

Nonatinho,
Quando foi criado ele tinha que se aproximar do alvo a menos de 1500 metros pra meter bala com o canhão. Com o advento do míssil Maverick A ele podia ficar a uma distância 2 a 3 x maior. Com o Maverick D ele podia ficar a 8 km, inclusive de noite.
Depois, ele foi atualizado e hoje pode levar até a SDB de uma distância de 100 km.

MARCOV
MARCOV
2 anos atrás

E o compartimento do piloto é protegido por uma blindagem de titânio que suporta impactos de projéteis de 23mm.

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
2 anos atrás

Não é fora de propósito que o A-10 lembre um Stuka. Um dos assessores na criação deste avião foi o piloto de Stuka Hans Ulrich Rudel. Ele combatia os T-35 e KV-1a com dois canhões de 40 mm. colocados sob as asas dos Stukas. Era o Vogelcanonen (pássaro canhão).

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Luiz Floriano Alves
2 anos atrás

Na verdade, o A-10 tem mais a ver c/ o Ilyushin Il-2 Sturmovik que possuia blindagem ( 700 Kg ) protegendo, tripulação, motor e outras partes vitais, canhões de 30 mm orgânicos, ( além de 3 metralhadoras ) e capacidade de levar foguetes e bombas. Ao contrário do Ju-87 Stuka, ele já foi projetado p/ atacar forças em terra e blindados, o alemão era um bombardeiro de mergulho ( seus alvos iam desde construções até navios ou trens, por exemplo ) só depois foi adaptado p/ função anti-tanque.

Mauricio R.
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Os canhões do Stuka eram “Bordkanone 3,7 (BK 3,7)” de 37mm, quem usava canhões “Vickers S” de 40mm era o Hurricane.

Thiago Telles
Thiago Telles
2 anos atrás

Ahhhh pessoal na boa.. Entendo tds tem certo sentido aos q colocam q o gau nao é HOJE a principal arma do a10 mas na minha ignorância entendo q é justamente essa capacidade (o gau) q mantém ele, a10, tao precioso. Em um cenário de baixa densidade de defesa aérea tal como eata sendo utilizado é excepcional ter a opção dessa arma em uma plataforma. Uma arma q so ele carrega né…. Sou suspeito minha foto do perfil nao é a toa

Thiago Telles
Thiago Telles
2 anos atrás

Em complemento, qdo comparam ou citam um substituto a10 c a29… Na minha humilde opinião nao tem absolutamente nada a ver os dois….para ser comparado como substituto… Completamente diferente as características do efeito empregabilidade dos dois. Aliás… Em tese até igual apoio aéreo aproximado (a função) etc mas os efeitos, capacidade de 1×1 aeronave sao obviamente longínquas

DM Filho
DM Filho
Reply to  Thiago Telles
2 anos atrás

Concordo. O A-10 é um caça tanques puro, com um armamento bem especifico e letal para isso. O A-29 é um avião contra insurgência, pensado para conflitos menores e alvos mais leves. Logicamente que o A-10 pode fazer o papel Coin, e o A-29 devidamente armado com misseis antitanque pode ser útil em tal função, mas o A-10 é muito mais letal e especifico para tal. O A-29 na USAF seria útil na lacuna deixada pelo A-37 Dragonfly usados no vietnam. Hoje quem faz tal função, todavia de uma forma diferente, são helicópteros, o próprio A-10, e os AC-130 Gunship.

Thiago Telles
Thiago Telles
2 anos atrás

DM, Isso….
Alem de ser desenvolvido como anti tanque, hj tá sendo usado mais como anti pessoal o gau. São praticamente granadas anti pessoais disparadas p o apoio aero aproximado. E como disse o Bosco e concordo, bem mais barato q disparar algo inteligente em um cenário de baixa intensidade. A29 sao duas 50. P acertar alguma coisa com isso, tem q estar muuuito perto. E se acertar, efeito bem diferente.. Nao tem nada a ver comparar. A29 reina em sua categoria.

DM Filho
DM Filho
Reply to  Thiago Telles
2 anos atrás
Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Thiago Telles
2 anos atrás

O modo CCIP para as .50 do A-29 é muito preciso. O avião tem que estar dentro do alcance efetivo do armamento e dentro da convergência das metralhadoras. Não tem que estar muito perto.

Thiago Telles
Thiago Telles
2 anos atrás
Agnelo
Agnelo
2 anos atrás

Entendo q a USAF raciocina com o emprego dessa aeronave após a Campanha Aérea Estratégica, por tanto contra uma força com menos Def AAe q o q a Rússia possui.
Além disso, há um sistema operando, com outras aeronaves, ECM, OpEsp, GCiber etc
Isso permite o emprego do A-10 em um cenário mais perigoso q guerra assimétrica.
No fundo, um cenário para o qual foi projetado.
Sds

willhorv
willhorv
2 anos atrás

285 aeronaves no estado da arte revitalizadas!!
Que invéja não!!
Dá pra pintar um p_______ na América do sul inteira!!!
Com o perdão da palavra!
Kkkkkkkk.
Aeronave….canhão….capacidades fantásticas!
Já viram o biplace como é imponente!?

Renato
Renato
2 anos atrás

Será fantástico ver esta aeronave operando na decada de trinta. Mas como estarão seus sensores eletrônicos?

Renato
Renato
2 anos atrás

Quanto às inspirações que levaram A10, tenho certeza que foi estudado o Henschel Hs 129 com sua posição de pilotar, bimotor e com todas que ficam semi expostas, especialmente em sua versão B3, com um canhaozinho anti-tanque de 75 mm.
comment image

Augusto L
Augusto L
2 anos atrás

Um A-10 modernizados com capacidade de link16, um bom sistemas de contra medidas, capacidade de levar pods de guerra eletronica, SBD II, Brimstones II, Spear e Jagm, até pode se aventurar num ambiente contestado com cobertura de outros caças.
Agora cchegar perto a ponto de fazer passagem de canhão, so em conflitos assimetricos.

Thiago Telles
Thiago Telles
2 anos atrás

Rinaldo, mas nao há comparação entre os vetores e as armas. Nao dá. Sao diferentes.

JT8D
JT8D
Reply to  Thiago Telles
2 anos atrás

É obvio. E ninguém está comparando

Thiago Telles
Thiago Telles
2 anos atrás

Sim, comparam na função e na substituição dos a10 inclusive.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
2 anos atrás

Não há substituto!
Não há projeto!
Não há nada!
Qualquer coisa de quarta geração é perca tempo!
Simplesmente aposentou e não tem nada para substituir! Foi uma doutrina ultrapassada!
Acabou acabou!!

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Sérgio Luís
2 anos atrás

Para quê substituir o A-10 Serjão!?

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  HMS TIRELESS
2 anos atrás

Se o raciocínio é esse então sugiro remontar a linha de montagem do stuka com os canhões de 37mm!
Moço o tempo passa!
Sem tocarmos no assunto da urânio enriquecido dos projéteis!
Bola pra frente!

Mauricio R.
2 anos atrás

O A-10 da Saab:

SAAB P 1642-06 (B3LM) Attack Aircraft Project

Delfim
Delfim
2 anos atrás

João Bosco.
“Parecendo um dos projetos alemães capturados depois da guerra e feito para caçar tanques”
Houve o dedo de Hans Joachim Rudel no projeto do A-10.

Cronauer
Cronauer
2 anos atrás

Da série “se o meu fusca atirasse”: seria mais confortável viajar dentro desse canhão…

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Cronauer
2 anos atrás

Concordo…..O Fusca é um carro difícil de dirigir e desconfortável para o passageiro.

paddy mayne
paddy mayne
2 anos atrás

BRRRT!!! Assim os fãs do A-10 descrevem o som do seu canhão atirando… É o único avião com onomatopéia. Também acho uma máquina maravilhosa e impressionante, mas acredito que atualmente sua continuidade em operação é analisada com excessiva emoção e pouca razão. Como já dito, é um conceito que já foi útil, mas que hoje não se encaixa tão bem nos cenários de combate. Acho pouco provável que o A-10 consiga operar com a mesma eficácia na atualidade, particularmente contra os russos. Ao contrário do EI, eles sabem usar suas armas antiaéreas…

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

“Mauricio R. 3 de junho de 2018 at 12:12
O A-10 da Saab:

SAAB P 1642-06 (B3LM) Attack Aircraft Project”

Não prosperou.

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

A-29 com helfire em bom numero poderia substituir parte deste total,mas claro que vão desenvolver um avião melhor com custo de hora menor e com velocidade maior .Para a Fab não caberia no orçamento a não ser poucas unidades.E um avião muito bom mas para o EUA está ultrapassado.