Home Aviação de Transporte FAB abre licitação para aquisição de outro Boeing 767-300ER

FAB abre licitação para aquisição de outro Boeing 767-300ER

5054
55
Boeing 767 da FAB
Boeing 767 da FAB

A Comissão Brasileira de Aeronáutica em Washington (BACW) informou a abertura de uma licitação prevê a aquisição de uma aeronave Boeing 767-300ER para Força Aérea Brasileira.

A Força Aérea Brasileira já opera um Boeing 767 na forma de leasing com a empresa Colt Aviation, mas o contrato deve ser finalizado em breve. Designado C-767 na FAB, o avião é utilizado pelo Esquadrão Corsário em missões de transporte de pessoal e carga.

Nota da BACW

O Chefe da Comissão Aeronáutica Brasileira (“BACW”), notifica, a quem possa interessar, que o GRUPO LOGISTICS SUPPORT, localizado na Estrada do Galeão, n. 3300 – Ilha do Governador 21941-352 – Rio de Janeiro, RJ – Brasil, deverá realizar licitação internacional do tipo Menor Preço em regime de execução indireta e preço global para aquisição de aeronave pesada, Boeing 767-300ER, com logística e Suporte de MLU para a aeronave e seus equipamentos por um período de 36 (trinta e seis) meses, conforme Anúncio.

A reunião para recebimento dos envelopes será realizada no dia 08 de maio de 2018, às 10h00 (horário de Brasília), na Sala de Reuniões do GRUPO DE APOIO LOGÍSTICO, localizado na Estrada do Galeão, n. 3300 – Ilha do Governador 21941-352 – Rio de Janeiro, RJ – Brasil.

O Edital da Licitação e qualquer informação adicional referente a esta Proposta poderão ser obtidos junto ao GRUPO DE APOIO LOGÍSTICA, no endereço mencionado acima, de segunda a sexta-feira, entre as 08:30 e as 15:30 (horário de Brasília), ou no e-mail licitacoes.gal@fab.mil.br

Coronel LEONARDO GUEDES
Chefe da BACW

55 COMMENTS

  1. Seria interessante a FAB usar a designação C-46 na aeronave dessa compra. Sempre seguimos as designações da USAF e com a iminente entrada em serviço do KC-46, mantém as coisas organizadas.

    • Talvez não, Mestre Clésio.
      .
      As forças aéreas que adotaram versões do Boeing 767 tem mantido seu ‘apelido’ civil para evitar confusão futura com o Boeing KC-46 que tem uma série de modificações de fábrica.
      .
      Itália com 4 KC-767A;
      Japão com 4 KC-767J; e
      Colômbia com 1 767 MMTT.
      .
      Forte abraço,
      Ivan, do Recife.

  2. É com certeza uma baita aquisição…
    Resta saber se vai somar ao já existente C-767 ou vai substituir ele, e também se virá completamente convertido para operar como um KC-767.
    Todo modo, todos sabemos, uma unidade ainda é pouco pelo tamanho e necessidade do país e da FAB. Torço para que um dia tenham umas quatro unidades!

    • “A Força Aérea Brasileira já opera um Boeing 767 na forma de leasing com a empresa Colt Aviation, mas o contrato deve ser finalizado em breve.”

      • Ah sim…
        Me passou batido essa parte.
        Enfim, nesse caso, melhor que seja mesmo uma aquisição com possibilidades de futuras aquisições de novas células.

          • França, o que está escrito é aquisição, com 3 anos (36 meses) de suporte logístico pelo vencedor da licitação. Se é aluguel, leasing etc, deveria estar escrito isso especificamente.

          • Link e texto original da Comissão Brasileira em Washington, com o termo “acquisition of a heavy aircraft”.

            https://www.cabwnews.com/index.php/solicitations/151-international-bid-n-007-gal-2018.html

            INTERNATIONAL BID N.º 007/GAL/2018
            Col LEONARDO GUEDES Solicitations 05 April 2018 Hits: 366
            The Chief of the Brazilian Aeronautical Commission (“BACW”), hereby notifies, to whom it may concern, that the LOGISTICS SUPPORT GROUP, located at Galeão Road, n. 3300 – Ilha do Governador 21941-352 – Rio de Janeiro, RJ – Brazil, shall carry out a international bidding of type Lowest Price at regime of indirect execution and global price for acquisition of a heavy aircraft, Boeing 767-300ER, with logistic and MLU support for the aircraft and its equipment for a period of thirty-six (36) months, as per Announcement.
            The meeting to receive the envelopes shall be held on May 8th, 2018 at 10:00 am (Brasilia’s time) at Meeting Room of the LOGISTICS SUPPORT GROUP, located at Galeão Road, n. 3300 – Ilha do Governador 21941-352 – Rio de Janeiro, RJ – Brazil.

            The Bid Announcement and any additional information regarding this Bid may be obtained from the LOGISTICS SUPPORT GROUP, at the address mentioned above, from Monday through Friday, between 08:30 and 15:30 (Brasilia’s time), or at the Email licitacoes.gal@fab.mil.br

            Col LEONARDO GUEDES
            Chief of BACW

  3. Recentemente o New England Patriots de Tom Brady comprou dois Boeings 767-323ER construídos no ano de 1991 pelo preço de US$ 11 milhões para o transporte do time ao longo da temporada da NFL. E uma vez que ao que tudo indica a FAB vai apenas fazer o leasing dessa aeronave, não seria interessante partir para uma aquisição ante ao valor da aeronave no mercado?

  4. Quais são as chances do brasil, possuir uma ou mais aeronaves do tipo KC-767 para reabastecimento aéreo ? Estou ciente que futuramente, estaremos com o KC-390. Mais em caso de algum atraso neste programa poderíamos ter esta aeronave ? Sdss

    • Gabriel, a FAB tinha esse programa em andamento, sem relação com o KC-390 por serem empregos diferentes, e era um programa chamado KC-X2. Houve concorrência e empresa vencedora para conversão de jatos B-767 usados em aviões-tanque. Mas o projeto parou por falta de recursos quando a crise gerou grandes contingenciamentos anos atrás.

      Para saber mais, digite KC-X2 no campo busca.

  5. Não julgo que seja pra aquisição de outro. Uma vez que está vencendo o contrato desse, acredito que seja a renovação do aluguel, visto falarem num suporte de 36 meses.

  6. Existem várias unidades de Boeing 767 no mercado, na versão de passageiros e na versão de carga.

    Outra aquisição interessante seria o 737 na versão de carga para o esquadrão Condor. O EMBRAER 145 tem pouca capacidade de carga e autonomia.

    Isso dá uma idéia do abandono das Forças Armadas pela falta de vontade política. São aeronaves comerciais cujo custo de aquisição é irrisório se forem adquiridas aeronaves antigas.

    Com 15 milhões de dólares compra-se um 767 em bom estado. Como voa-se muito menos na Força Aérea essas aeronaves têm uma longa vida no meio militar.

  7. O 767 operado hoje pela FAB tem o contrato de leasing válido até o ano que vem. Provavelmente não será renovado. Também pensei que essa licitação seria para outro leasing, mas conforme colegas de outro espaço de discussão informaram, e foram assertivos nas suas afirmações, essa licitação é para a compra de um 767 e posterior conversão em kombi, ou seja, cargo/pass/Revo. Vamos aguardar mais informações.

    • precisaríamos ver o contrato de leasing firmado, existem alguns modelos que existem opções de compra após o termino do contrato a um preço, as vezes, previamente acordado, e geralmente mais amigáveis. Não acredito que este seja o caso.

  8. 1 avião apenas????? É impressão minha ou o EB com as recentes aquisições de 120 M198, M109, LeoI e dezenas de outros veículos via FMS será a força mais bem armada do Brasil? A FAB e a MB, me parece, estão na miséria absoluta, dá dó…

  9. Juvenal a FAB já fez um investimento pesado no programa do KC-390 e Gripem, os Amazonas estão aí novinhos agora vai sair a renovação dos tucaninhos. A coisa está acontecendo aos poucos creio eu. Agora a MB aí eu concordo com vc! Já o meu EB porque fui fuzileiro pé de poeira kkkk, já tava mais que precisando se renovar e tá pouco ainda mas tá andando. Estão todas as forças usando os recursos que tem pois o GF não está ajudando muito não.

  10. Acho que ficou bem claro que estão lançando licitação de leasing para manter a posição de uma unica aeronave na frota ja que o contrato de leasing da atual esta para encerrar. Neste caso se engana que a FAB esta expandindo a frota para 2 aeronaves, ou estou em desinformado?

  11. Tem uma empresa que eu conheço onde seus funcionários são obrigados a executar várias funções pelo salário de uma função. Esse avião é a mesma coisa. Transporte de tropas, ação humanitária, transporte de cargas, transporte presidencial e reabastecedor. Quando será que a Fab terá aviões destinados a funções expecificas. Um avião presidencial não deve ser usado em transporte de tropas ou carga ou um de transporte de tropas como reabastecedor. Mania de coletividade

  12. Avião para fazer a logística da miséria, importar a pobreza, transladar a marginalização para nossas cidades e importar nossos soldados para fins de mundo inúteis.
    De que cabeça nasce essas ideias?

  13. Esses 36 meses é o quê?
    É compra mesmo?
    O avião já deverá ser entregue “reformado” para a FAB?
    Ou uma terceira empresa deve comprar de um fornecedor qualquer, preparar o avião, inclusive com revisões, e entregar a FAB?
    Por que se fala em MLU por 36 meses, se o avião já for entregue revisado?
    Quando soltaram essa nota, já que a data para a entrega dos envelopes foi hoje? Em licitações não deve haver um prazo mínimo, especialmente considerando a complexidade do avião (procurar um avião, avaliar o avião, ver preço, etc)?

      • No seu link (edital anterior) tem “total de itens licitados: 02”

        Sera que pretendiam comprar dois e, por q falta de $, reduziram pra apenas uma aeronave?

        Saudações.

        • Alisson, não necessariamente. No caso da modernização recentemente divulgada aqui de 50 aviões Tucano da FAB, o número de itens licitados informado no Diário Oficial da União é “00002”. Coisas de burocracia licitatória.

  14. A vocação histórica do Corsário é o transporte, a atividade de reabastecimento foi por causa dos 4 B707 convertidos em KC-137, mas mesmo neste periodo a atividade principal dele foi o transporte.
    Eu também gostaria de ver com mais aeronaves, mas não necessariamente fazendo REVO, deixem isso para os KC-390.
    1968 a 1975: C-118(DC-6 militar)
    1975 a 1978: C-91 Avro
    1978 a 1986: C-95A
    1986 a 2013: KC-137
    2013 a 2016: Inativo
    2016 até hoje: C-767.

  15. A noticia é boa.
    .
    Pelo que entendi, não há a ideia de usa-lo como reabastecedor? Não seria mais interessante ja comprar a aeronave com a capacidade de fazer Revo?

  16. A FAB vai receber nos proximos anos 28 aviões KC-390 e 36 Gripens, todos novinhos de fabrica, e o pessoal reclamando que a força está abandonada, assim não dá.
    E pessoal, não existe almoço gratis. Avião velho é igual carro velho, é barato de comprar, mas é caríssimo para manter. Do que adianta comprar um 767 moido baratinho e depois deixar abandonado no hangar?

  17. Prezados,
    O 767 é um avião maior que o KC 390, pode transportar mais passageiros, carga, com um alcance significativamente maior e se bobear deve ter a hora de voo mais barato que o KC 390, ENTÃO tem todo o sentido a FAB possuir o mesmo. Vejam bem, não estou desmerecendo o KC, são aviões de usos totalmente diferentes.
    No projeto do KC-X (creio que era mais de um avião) existia o requisito para reabastecimento aéreo mas esta compra (pois não é aluguel) não diz nada OU SEJA, muito prematuro falar em COMBI ou reabastecedor. Particularmente acho que vai ser para a mesma função atual que é o transporte (inclusive o presidente para viagens mais extensas).

  18. E porque tem que ser um B767-300ER?! A FAB não tem esta aeronave no seu inventário, para direcionar qual modelo lhe serve, como sabemos, o modelo que está operando, é alugado.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here