Home Acidente Aeronáutico Nota da FAB sobre o C-105 Amazonas acidentado em Surucucu

Nota da FAB sobre o C-105 Amazonas acidentado em Surucucu

5753
42

Prezado Alexandre,

Com relação ao texto intitulado “Avião C-105 acidentado em Roraima foi canibalizado”, publicado na segunda-feira (05/02) no site Poder Aéreo, este Centro esclarece:

Todos os equipamentos embarcados, motores, hélices, assentos e demais itens passíveis de remoção já foram recolhidos e estão em processo de recertificação para reaproveitamento pela Força Aérea Brasileira.

O Comando-Geral de Apoio realizou estudo de viabilidade técnica, financeira e logística para retirar a fuselagem da aeronave. A operação deve ocorrer em breve.

Atenciosamente,

ASSESSORIA DE IMPRENSA
Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Subscribe
Notify of
guest
42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Flamenguista
Flamenguista
2 anos atrás

Como disse o titulo do post, foi canibalizado, gostem ou nao da palavra!!!

Tomcat3.7
Tomcat3.7
2 anos atrás

Então posso presumir que após a remoção da fuselagem e sua acomodação em devido local , a aeronave será re montada e consertada ??

Gil U
Gil U
2 anos atrás

Faltou dizer na nota que isso foi feito porque ficaria mais caro consertar a aeronave, certo ?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
2 anos atrás

A FAB escreveu a nota com má-vontade. Poderia ter dito se irá ou não remontar a aeronave ou se isso ainda está em estudo.

BILL27
BILL27
2 anos atrás

Bom ,eu achei essa nota meio confusa ,mas creio eu ,foi o que interpretei , que as peças foram canibalizadas para uso em outros C295

Jr
Jr
2 anos atrás

Resumindo, foi canibalizado

Flick
Flick
2 anos atrás

Estamos diante de um avião descartável.
Quebrou, joga fora.
E ainda há 11 dessas belezinhas no inventário.

Bezerra (FN)
Bezerra (FN)
2 anos atrás

E ainda vão chegar mais…

Leo
Leo
2 anos atrás

Olha admiro muito as Forças Armadas mas não me abstenho de comentar seus erros vide A-12 MB, o mico da guerra electrónica de 2015 pelo EB esse C-105 e nosso dos contribuintes portanto uma explicação mais básica por exemplo seria mais bem vista por vários contribuintes exemplo (É muito mais caro concertar a aeronave então optou-se por retirar as peças) já estaria melhor que este texto ai.

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Se as peças estão sendo recertificadas para reaproveitamento, isso que dizer que vão ser testadas, etiquetadas, incluidas no sistema para irem para o estoque e serem aproveitadas em outras aeronaves, vão subir prateleira como dizem. . Isso quer dizer que a aeronave foi descartada, neste caso o regulamento da três opções conforme a localização da aeronave acidentada com perda total e condições de apoio. 1- Retirar do local, mesmo cortando em pequenos pedaços como o C-130 da Antártica. É a opção mais indicada. 2- Enterrar no local, quando não é possível retirar e se tenha meios para isso e o… Read more »

Flick
Flick
2 anos atrás

Transformem-na em alvo para instrução.

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Flick 6 de Fevereiro de 2018 at 15:24 Estamos diante de um avião descartável. Flick, tudo neste mundo é uma questão de custo benefício, claro que este avião pode ser recuperado, mas não compensa recuperar onde está, o custo é maior que o benefício. . Vejam o caso do A380 que foi usado por 10 anos e pode ser desmontado para virar suprimento, mesmo estando em perfeito estado. A empresa aérea de Singapura arrendou um A380 novo com o interior da primeira classe tipo casulo e devolveu este antigo, a aeronave está perfeita, a empresa proprietária está avaliando o que… Read more »

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Vídeo sobre os dois Senecas e um Xingu abandonados a 10 anos pela Funai, citado pelo Roberto F. Santana , eles desativaram o setor de manutenção e operação das aeronaves, optando pelo uso de empresas de Taxi Aéreo, mas o Ministério da Justiça esqueceu de vender os aviões, agora não tem mais recuperação, pois custa 50% mais para recuperar do que elas valem no mercado, vai ser vendido como sucata no estado em que se encontram para liberar o espaço no aeroporto.
. https://youtu.be/7PjKkX4tvbs

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
2 anos atrás

Roberto F. Santana,
Não sabia que “Processo de recertificação para reaproveitamento pela Força Aérea Brasileira” excluiria a possibilidade de reaproveitamento das peças na mesma aeronave.
Mas como você o Walfrido apontaram, vão dar baixa nessa aeronave, ok.

Gonçalo Jr.
Gonçalo Jr.
2 anos atrás

Bom. Certamente não compensaria financeiramente e logisticamente o conserto dessa aeronave. O aeroporto de Surucucu fica ao lado do 4º PEF subordinado ao 7º BIS, na região oeste de Roraima, fronteira com a Venezuela. Surucucu fica a 270 km de Boa Vista. Carregar todo o ferramental, equipe de manutenção, peças e tudo mais talvez não é a solução ideal. Não há hangar e nem mesmo PNR ou dormitórios para os mecânicos. Desmontar a aeronave e leva-la a Boa Vista seria possível? A FAB não possui uma aeronave capaz disso e acho que nem mesmo seria possível por qualquer outro meio.… Read more »

Leonardo Andrade
2 anos atrás

4a parte e disciplina. Pernoites para hoje; Fica detido o militar que redigiu a nota de esclarecimento padrão “I” (de insuficiente) para esclarecimento dado ao contribuinte que merecia no mínimo a explicação clara e objetiva no caso do 105 sinistrado. 15 dias para esse combatente! Arregooooo, impresionante, é um brincalhão mesmo… Kkkk #antes que comecem o mimimi é apenas uma brincadeira com a nota da FAB, lembrando pra quem não é militar que por coisas menores como cama mau arrumada, coturno sujo ou barba fora do padrão um soldado vai para “hora do pato” e CM da unidade corta a… Read more »

Cronauer
Cronauer
2 anos atrás

Resposta @ Roberto F. Santana 6 de Fevereiro de 2018 at 15:31
.
Ele afirma (o especialista em aviação) grave FALTA de gestão de recursos públicos. Endossa ainda que é PIOR do que desperdício. Ou seja, atitude condenável (o da FUNAI) e totalmente oposta a praticada pela FAB que aproveita tudo o que pode de suas aeronaves.

Aloisio Adib
2 anos atrás

Deveriam dizer isso na semana seguinte aos fatos…

Gonçalo Jr.
Gonçalo Jr.
2 anos atrás

A FAB deve ter feito estudos sobre a viabilidade do conserto da aeronave e/ou transporte da mesma e chegou à conclusão que não seria economicamente viável. O aeroporto de SURUCUCU fica ao lado do 4º PEF, unidade subordinada ao 7º BIS. Fica na região oeste de Roraima, fronteira com a Venezuela e a 270 Km de Boa Vista, capital do estado. Para consertar a aeronave seria preciso mecânicos da FAB, ferramental, peças e até mesmo engenheiros e especialistas da AIRBUS. O 4º PEF não teria PNRs ou mesmo dormitórios para essas equipes e o aeroporto não conta com hangar para… Read more »

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
2 anos atrás

Olá.
Nossas FFAA não podem esquecer que são financiadas pela população brasileira. O mínimo que se espera delas é que, ao darem esclarecimentos o façam de forma clara, sem deixar dúvidas ou pontos que possam gerar interpretações incorretas.
Extremamente concisa, a nota pouco esclarece com relação ao futuro da aeronave, deixando ampla margem para “especulações”.
SDS.

Renato
Renato
2 anos atrás

De uma amaneira indireta isto explica o porquê de custar R$ 650.000,00 transportar apenas 25 ton de carga na região;

Clésio Luiz
Clésio Luiz
2 anos atrás

Quanta celeuma para a perda de uma aeronave. Como se fosse a primeira que a FAB tem que retirar de serviço depois de um acidente em pista. Trem de pouso fraco? O C-130 na Antártida teve o mesmo destino. O KC-137 no Haiti também. O único transporte com trem de pouso navalizado é o C-2. O resto, arrebenta o trem, já era.

Quem achar que sabe mais que a FAB, fique a vontade de ir lá e rebocar a fuselagem através de 300 quilômetros de floresta até o aeroporto de Boa Vista.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
2 anos atrás

Enfim… Um verdadeiro descaso com o dinheiro do contribuinte e como já dito anteriormente, o Presidente da República (Republiqueta, melhor dizendo) e seu ministro da defesa deveriam ser intimados a explicar isso no Congresso! Mas o congresso é outra casa de negocioatas, fazer o que né?!?

FIREMAN
FIREMAN
2 anos atrás

Podemos comparar também que mesmo que a opção adotada de canibalizar a aeronave não agrade, pior, mais absurda e prejudicial aos contribuintes é a opção adotada pela FUNAI que desativou a área de manutenção das aeronaves porque decidiu que a locação de taxi aéreo é mais em conta, quero dizer, “mais dinheiro na conta de quem conceda e quem receba o contrato de locação”, e simplesmente esquece por 10 anos onde deixou mesmo os aviões de seu inventário, e olha que nenhum deles caiu ali onde ficaram abandonados por algum problema no pouso. E tem gente se desgastando em criticar… Read more »

Gonçalo Jr.
Gonçalo Jr.
2 anos atrás

Roberto F. Santana 6 de Fevereiro de 2018 at 17:27
Li a matéria. Deram perda total da aeronave. Há, como aqui, muitas especulações. Os posts mais interessantes dos participantes foi de um que leu o relatório onde conta que os sistemas de defesa do C-130 detectaram uma ameaça de um míssil e o piloto fez o que pode, inclusive um mergulho para defender a aeronave e mais outras ações que resultaram no incidente.

Outro post foi de um militar que estava na aeronave.

A aeronave teve perda total e foi canibalizada também.

André Gomide
André Gomide
2 anos atrás

Alguém leu na nota que o avião dará baixa no inventário da FAB?(Parece que vcs não leem outros comentários aqui mesmo no blog. O Cel já explicou, mas o povo acho que tem preguiça de ler.

Então parem de adivinhar….pois praticamente TODOS estão “chutando” informações.

Off topic….interessante matéria sobre a espiã coreana que explodiu um avião sul-coreano nos anos 80.
https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2018/02/mulher-que-explodiu-aviao-sul-coreano-em-1987-ainda-espera-perdao.shtml

celso
celso
2 anos atrás

É. Quem nasceu pra ser um bode nunca vai chegar a ser um “Bufalo”…. se é que me entendem….

Cronauer
Cronauer
2 anos atrás

Resposta @ Roberto F. Santana 6 de Fevereiro de 2018 at 17:24
.
Houve uma equivocada interpretação à minha resposta/participação.
.
A minha intenção foi tão simplesmente “saciar a curiosidade” da questão levantada no comentário do colega a qualquer pessoa que por ele tenha passado e não tenha visto o vídeo, por algum motivo. Em nenhum momento eu contradisse o colega. No entanto, eu compreendo o ‘espírito sempre armado’ nesses nossos traiçoeiros e deselegantes dias vividos. Saudações!

JP
JP
2 anos atrás

A FAB sabe o que é melhor, mas que nota pessimamente redigida. Como um amigo acima escreveu, baita má vontade. Somos obrigados a fornecer respostas claras, as aeronaves não pertencem a nós e sim à nação.

Flanker
Flanker
2 anos atrás

Pessoal, é sõ ler e interpretar a nota da FAB. Lá está escrito REAPROVEITAMENTO, pela Força Aérea Brasileira, das peças retiradas da aeronave. Diz também que as peças estão sendo recertificadas, ou seja, testadas e analisadas para comprovar seu perfeito funcionamento. As que forem aprovadas, viram suprimentos para as outras células do modelo. Isso é o que está escrito na nota.

Rafael
Rafael
2 anos atrás

Agora vamos ter muita paciência e esperar que a fab compre outro C105 pra fazer esse trabalho de transporte já que os que vão chegar são de busca e salvamento.

Marcelo Tatsch
Marcelo Tatsch
2 anos atrás

Os pilotos militares brasileiros já são os caras, só por ter que pousar aeronaves de grande porte em pistas pelo país sem a menor condição de operação segura para uma aeronave do porte biturbina. Isso que eles não estão pilotando pequenos monomotores com técnicas de operação especiais para pouso em garimpos, pistas sem asfalto que os bravos pilotos de garimpo fazem diariamente.

Ademir Calonga da Silva
Ademir Calonga da Silva
2 anos atrás

Alguns comentários postados são sérios mesmos? É lógico que este avião tem conserto! Assim como o C130 que se acidentou na Antartica e KC lá do Haiti, ambos também poderiam ser consertados, aliás, se ainda existir um parafuso deles, podem ser consertados. A grande pergunta é a que custo? Será que seria melhor para a imagem da FAB, só para “mostrar” que é capaz de recuperar qualquer aeronave, não importando onde tenha se acidentado e qual a extensão do dano sofrido por ela, despejar os já escassos recursos públicos só para satisfação de egos? Como já disseram em comentários acima,… Read more »

Cronauer
Cronauer
2 anos atrás

Resposta @ Roberto F. Santana 6 de Fevereiro de 2018 at 22:02
Imagina! Está tudo certo!
.
Aproveitando: seu comentário sobre a FUNAI virou manchete lá no AÉREO:
http://www.aereo.jor.br/2018/02/06/avioes-da-funai-estao-abandonados-ha-mais-de-uma-decada-em-aeroporto-do-distrito-federal/
.
Saudações!

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
2 anos atrás

Vou com meu FNM prancha, buscar esse troço.

Dodo
Dodo
2 anos atrás

Clésio Luiz 6 de Fevereiro de 2018 at 17:29 Quanta celeuma para a perda de uma aeronave. Como se fosse a primeira que a FAB tem que retirar de serviço depois de um acidente em pista. Trem de pouso fraco? O C-130 na Antártida teve o mesmo destino. O KC-137 no Haiti também. O único transporte com trem de pouso navalizado é o C-2. O resto, arrebenta o trem, já era. Quem achar que sabe mais que a FAB, fique a vontade de ir lá e rebocar a fuselagem através de 300 quilômetros de floresta até o aeroporto de Boa… Read more »

Dodo
Dodo
2 anos atrás

Luiz Trindade 6 de Fevereiro de 2018 at 18:31 Enfim… Um verdadeiro descaso com o dinheiro do contribuinte e como já dito anteriormente, o Presidente da República (Republiqueta, melhor dizendo) e seu ministro da defesa deveriam ser intimados a explicar isso no Congresso! Mas o congresso é outra casa de negocioatas, fazer o que né?!? Cara vc esta falando do que ? O que tem de errado com a atitude da fab ??? Por acaso o senhor agora é engenheiro aeronautico ou um especialista em logistica militar para afirmar se a atitude tomada nao foi a melhor ? Por favor… Read more »

Dodo
Dodo
2 anos atrás

Será que seria melhor para a imagem da FAB, só para “mostrar” que é capaz de recuperar qualquer aeronave, não importando onde tenha se acidentado e qual a extensão do dano sofrido por ela, despejar os já escassos recursos públicos só para satisfação de egos? Como já disseram em comentários acima, pode-se recuperar quase tudo, mas há um preço. Pagar, talvez, o equivalente ao preço de um novo avião (isso se não for mais) só para tê-lo voando significa zelo pelo dinheiro do povo? Ou o zelo desse dinheiro está justamente nisso, em não se gastar onde não é viável?… Read more »

Cabral
Cabral
2 anos atrás

A FAB decidiu está DECIDO pronto, fim de assunto, PONTO FINAL, não. Como qualquer entidade do setor publico ou privado; a Força Aérea também e passiva de cometer erros logísticos, administrativos e operacionais, não estou afirmado que esse é um erro, toda via, alguns colegas e visitantes desta plataforma, tenta explicar de maneira objetiva e outros de forma controversa o fato ocorrido, até se colocando como um especie de “advogado” da Aeronáutica, sem querer entrar diretamente no mérito da questão, vejo alguns colegas criticando outros por por criticar a FAB, mas é justamento isto que falta no povo brasileiro, acompanhar… Read more »

Petardo
Petardo
2 anos atrás

Lendo os comentários, parece que o único dano que a aeronave sofreu foi no trem de pouso.

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Petardo, eu ja vi um avião civil Piper Seneca que fez um pouso duro que chegou a furar o pneu e quebrar o cubo da roda, mas ele parecia perfeito. O avião foi condenado e o mecanico e mostrou um detalhe importantíssimo, a fuselagem enrrugou e não compensaria trocar por uma nova, este enrrugamento mosta que sofreu danos estruturais graves, uma coisa que para um leigo vendo de longe não da para notar. O dono comprou um Seneca do mesmo modelo que estava parado com tudo vencido sem motores e a oficina transplantou tudo o que podia fazendo o velho… Read more »

Daniel
Daniel
2 anos atrás

Pessoal, eu estava no 4o Pel Esp Fron (Surucucu) no dia deste acidente em 2016. Nós fomos até a cabeceira da pista e pasmem: havia destroços de fuselagem e um rastro no terreno antes da pista começar… Um rastro de cerca de 50 metros em uma área de lavrado… Sou leigo em aviação, mas ao que parece, ocorreu falha humana. Após o pouso a aeronave percorreu cerca de 600 metros antes de sair pela lateral direita da pista (formou-se um rastro no asfalto) Não soube na época, se o piloto havia perdido o controle ou não, após a perda do… Read more »