M2000 - BAAN 2015 - 3

A Comissão Aeronáutica Brasileira na Europa (CABE) tornou público o seu interesse em vender peças e equipamentos do programa F-2000. Todo o processo será conduzido pelo escritório da CABE em Londres e seguirá as leis inglesas e os princípios da lei nacional 8666/93.

O edital foi aprovado no último dia 14 de abril e os interessados nos equipamentos já podem vistoriar os objetos da concorrência na Base Aérea de Anápolis até o dia 17 de maio.

No entanto, apenas as companhias autorizadas pela Diretoria Geral de Armamento (DGA) do Ministério da França serão designadas como habilitadas. O motivo desta aprovação se deve ao artigo 10 do decreto 5.625 de 22 de dezembro de 2005.

A seguir, reproduzimos o referido Artigo 10 do Decreto 5.625. Para ler o decreto na íntegra clique aqui.

 

Artigo 10

Não Reexportação

1. A Parte brasileira compromete-se a não reexportar os materiais fornecidos no âmbito do Artigo 2 do presente documento, sem o acordo prévio da Parte francesa. Este compromisso deverá ser formalizado em um “Certificado de Não-Reexportação” – CNR, a ser assinado para cada lote pela autoridade competente designada pela Parte brasileira, na data de assinatura do instrumento de entendimento que trata de cada lote

Subscribe
Notify of
guest
90 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bueno
Bueno
4 anos atrás

Ótima noticia. Curioso para saber o Valor que será arrecadado com esta venda

Alex Tiago
Alex Tiago
4 anos atrás

antes pensava pela potencia do equipamento iriamos investir uns 25 milhoes por avião e deixar eles operacionais mesmo com a chegada dos gripens poderiam ficar em manaus e defender o norte hoje teriamos se os f-5 tivessem prontos e os AMX uma força consideravelmente mais adequada ao tamanho do pais onde só tem dinheiro pra robalheira.

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Mais um mito que cai, que era só “uzamericanu” que bloqueavam a venda de equipamento made in, um dia depois do outro.
Realmente, as vezes, apesar do atual momento vivido pelo Brasil, acho que Deus é pai.

G abraço

Franco Ferreira
Franco Ferreira
4 anos atrás

Interessante notícia! Devido ao meu interesse pessoal na matéria (Ganhou mas não levou – Guilherme Poggio – Poder Aéreo – Década atrás) solicito informar onde obteve a notícia. Vou procurar a fonte e acabar com as minhas dúvidas.

Grato – Franco Ferreira – GA

Rui Chapeu
Rui Chapeu
4 anos atrás

Franco… Como está a ação? Já ganhou? Perdeu?
Ou está aguardando o excelente e eficiente sistema judiciário brasileiro??

gengisduEduardo Pereira
4 anos atrás

Brincadeira viu , em vez de dar um tapa nos aviões que, queiramos ou não são excelentes caças de superioridade aérea, modernizamos F-5 e só ( AMX não é caça ).

Alex Faulhaber, RJ
4 anos atrás

Deve ser triste para os pilotos do GDA passarem por ali e ver os Mirages se acabando e eles sem aviões para voar.

_RJ_
4 anos atrás

Caiu o mito de que a FAB doa mas não vende artigos usados…

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  _RJ_
4 anos atrás

“RJ_ em 20/04/2016 às 14:08
Caiu o mito de que a FAB doa mas não vende artigos usados…”

.
RJ, boa tarde.
.
Quem quer que tenha inventado (ou propagado) esse mito desconhece a história da FAB. Só pra dar um exemplo, mais de 40 jatos de treinamento T-37C desativados pela FAB no início da década de 1980 foram vendidos para a Coreia do Sul num processo semelhante a este de agora.

Delmo Almeida
Delmo Almeida
4 anos atrás

Juarez, todos os grandes exportadores de material bélico fazem isso por três motivos pricipais:
1. Evitar concorrência em futuros contratos de manutenção e etc. (melhor prevenir)
2. Evitar que a tecnologia caia em mãos erradas.
3. Evitar que seja usado por inimigos em potencial.
Ai eles podem decidir em cada caso e exigir uma participação das suas empresas no contrato (tipo vender as células brasileiras, mas pedir pra Dassault ou Safran prester algum serviço).
O mesmo é feito pelos EUA e outros.

Mauricio R.
4 anos atrás

Só podem ser plastimodelistas, p/ acharem que aeronaves militares possam ser reformadas inúmeras vezes a revelia de viabilidade técnico/econômica e custo/benefício favorável.
Não são latas de cerveja, nem são potes de vidro, cuja reciclagem é infinita.

Franco Ferreira
Franco Ferreira
4 anos atrás

Rui Chapéu – Das 82 ações que existem, uma foi julgada desfavorável e eu não recorri. As outras 81 foram arquivadas sem julgamento de mérito. Há água para passar debaixo desta ponte…

Seal
4 anos atrás

Equipamentos franceses! .Tudo parado.

Nonato
Nonato
4 anos atrás

quanto valeria um avião desses operacional? algum país ainda usa? imagino que não vão arrecadar quase nada. igual a um carro para sucata. um milhão por aeronave?

Caio Romão
Caio Romão
4 anos atrás

Mauricio R. 20 de abril de 2016 at 14:12
Só podem ser plastimodelistas, p/ acharem que aeronaves militares possam ser reformadas inúmeras vezes a revelia de viabilidade técnico/econômica e custo/benefício favorável.
Não são latas de cerveja, nem são potes de vidro, cuja reciclagem é infinita.
—————————————————————————————————-

Isso é coisa de brasileiro, que guarda aquele velho sonho da adolescência de pegar o Opalão do vovô, reforma-lo e turbina-lo para aparecer pra pagar de bonzão pros coleguinhas e pra meninas do colégio. rs

Alexandre Samir Maziz
4 anos atrás

Uma duvida será que um civil com grana no bolso e quiser comprar um avião inteiro desse , eles venderiam ?? sem problemas ?? alguém pode me responder ?? abraços !!!

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Eduardo Pereira,
Não existe dar um tapa no M-2000. Todos os tapas possíveis foram dados pela FAB.
O que daria para fazer é modernizar. O problema seria o preço.
A Índia pagou US$ 62 milhões para modernizar cada aeronave.
Mesmo pensando em uma modernização meia-boca, é impossível que coubesse no orçamento da FAB, que não consegue modernizar nem seus F-5 e A-1, muito mais baratos.

BrancoF-16
4 anos atrás

vou comprar um pra min, acho os aviões comerciais muito lerdos, assim posso ir de SC para MG bem mais rápido kkkkkkkk
Quem dera eu pude-se e no Brasil fosse possível nos estados unidos já vi videos uns poucos sortudos.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Alexandre, os da FAB eu não sei, mas civis já compraram aviões de guerra em leilões no Reino Unido e na França. Mas vem sem armamento, claro, rsrsrs.

Augusto
4 anos atrás

Nessas horas me lembro que o Jobim poderia ter trabalhado mais para que o Brasil ficasse com os 2000-9 dos Emirados Árabes Unidos. Desde que isso não fosse melar o FX-2,claro.

Mauricio R.
4 anos atrás

O Jobim não era nenhuma instância decisória neste negócio, que dependia da aquisição de Le Jaca pelos UAE, o que não aconteceu em momento algum.

Bueno
Bueno
4 anos atrás

Mauricio R., Falando em Jobim, Timer assumindo é possível seu retorno com

Bueno
Bueno
4 anos atrás

Correção: Michel Temer

Paulo Otávio
Paulo Otávio
4 anos atrás

Mauricio R. 20 de abril de 2016 at 14:12
Esse manja.

Alexandre Samir Maziz
4 anos atrás

Valeu Rafael Oliveira , se tivesse grana compraria um mesmo , poderia vir sem armamento mesmo , rsrsr , ia ficar muito feliz, e com certeza eles lá devem vender sem condições de voo sem motor e tal , pois vai que um maluco compra um avião desse e usa para jogar em cima de algum lugar rsrs .Abraços !!!

Mauricio R.
4 anos atrás

OFF TOPIC…, mas nem tanto!!!
.
Antes do F-5, desenhos conceituais do Northrop N-102 “Fang”:
.
(http://snafu-solomon.blogspot.com.br/2016/04/northrop-n-102-fang-concept-drawings.html)

Bueno
Bueno
4 anos atrás

Eu achava que pelo menos umas 4 células das 12 un de M-2000 estivessem em bom estado e em com uma revisão básica daria para colocar em condições de voos, com possibilidade de serem usadas no período da copa ou agora nas olimpíadas. Modernizará somente 3 F5 ex. Jordânia , nada de Gripen e muito menos mais uns meses com M-2000.

Jefferson Bertoncini
Jefferson Bertoncini
4 anos atrás

Se os mirage 2000c tivesse sido modernizados pela Embraer como foi com o A-4 Skyhawk o A-1 AMX e o F-5 TIGER 2 os mirage estaria voando até hoje não estaria nessa citação deplorável da tristeza ver uma máquina dessa que é melhor que os F-16

Ocidental Sincero
Ocidental Sincero
4 anos atrás

Derrete tudo e faz uma caixa cheia de pregos, que dá mais retorno. Ficar esperando a benevolência dos franceses é o fundo do poço para nossa querida FAB.

zorannn
4 anos atrás

Jefferson Bertoncini 20 de abril de 2016 at 16:15
.
Vc não lê os comentários anteriores?
.
Este assunto já cansou de ser discutido aqui em dezenas de postagens. Estes M-2000 voaram até o fim de suas vidas úteis. Para voltar a voar precisariam fazer um retrofit completo que custa muito mais caro do que comprar aeronaves mais novas, mais capazes e menos usadas. Só para citar um exemplo, é mais barato vc comprar um Gripen C do que modernizar isto aí.
.
Vão vender como fonte de peças.

Augusto
4 anos atrás

Maurício R.,

quem autoriza despesas dessa natureza é sempre a chefia do Executivo. Para isso, entretanto, o Jobim teria que ter feito seu papel antes. Quanto à aquisição do Rafale pelos EAU como condicionante para uma eventual compra dos 2000-9 pelo Brasil, se fosse você eu não acreditaria nisso.

Mauricio R.
4 anos atrás

A Índia irá pagar aproximadamente 62 milhões USD por célula, sem radar AESA, pela modernização de 49 exemplares do M-2000.

zorannn
4 anos atrás

Olá Poggio!

No link que passou há a informação de que a FAB lançou concorrencia para o leasing de um B767-300ER por um periodo de 3 anos prorrogavel por mais 1 ano. O vencedor deve garantir disponibilidade minima de 80% e com possibilidade de voar até 1000 horas por ano.

zorannn
4 anos atrás

Desculpem-me:

Ai o link da concorrencia para leasing de um B767-300ER

https://www.cabw.org/edital/REIFB160335.pdf

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
4 anos atrás

Zorannn, sobre esse assunto do B767 já tem matéria aqui do lado desta… A fonte é a mesma.

zorannn
4 anos atrás

Perdão Nunão! Não tinha visto

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Alexandre, tem caça vendido com motor e tudo.
Veja essa matéria um pouco antiga a respeito.
http://www.aereo.jor.br/2013/03/03/cacas-a-venda-na-internet/

Maru
Maru
4 anos atrás

É vdd que o Brasil vai produzir o f_x35 junto com EUA? Kkkkkkkk

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Sobre restrição francesa. Vai que o EI ou o talibã compra uns caças desses.
Se bem que sem armamento tem pouca serventia.
Ou conseguiriam bons radares, mísseis e bombas?
Quanto à aquisição por um Civil brasileiro. Um Civil pode ter um avião a pistão. Pode comprar um jato executivo e voar.
Pergunto: qual o risco de um Civil ter um jato militar sem armas?
Haveria motivos para proibir essa compra?
E um tanque de guerra? Hã casos do tipo aqui ou lá fora?

marcus
marcus
4 anos atrás

Na minha opinião esses caças ainda tinham horas de voo. Retira-los foi uma forma ineficaz de pressionar o governo, para que houvesse uma decisão no programa FX.
Na minha opinião quem vai comprar é Israel. Ele fazem um retrofit e vendem.

Wagner
Wagner
4 anos atrás

Como assim não vendem com mísseis??
Não vou comprar então!!
Afinal a utilidade dele seria comprar, armar e sobrevoar o Congresso kkkkkkkkk!!
Detalhe que o f 5 nem chegaria perto kkkkkkkkk!!

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
4 anos atrás

Marcus, boa noite. . Células com horas de voo disponíveis são só uma parte da equação. . Os aviões até podiam ter horas de voo ainda disponíveis, e revisões de rotina nas células manteriam a disponibilidade. . Mas tem uma outra questão: os motores. O que sabemos é que a maior parte deles já estava chegando no limite de horas para revisões completas, que são bem caras (e que não são feitas aqui, ao contrário de outros motores de aeronaves da FAB). . Cerca de metade dos 12 caças já estava no chão para permitir que os demais voassem. .… Read more »

Robson
4 anos atrás

só por curiosidade, quanto custa um motor desse zerado… de fábrica….

Iväny Junior
4 anos atrás

Ainda bem que vão vender. Me doía o coração saber que eles iam ficar ao relento e as intempéries, virando sucata como os m3 viraram.

Tomara que a verba possibilite o aumento na disponibilidade do velho e surrado mike.

dieter91360
dieter91360
4 anos atrás

Argumentos a parte, foi uma irresponsabilidade incrivel desativar os Mirage sem ter antes encomendado pelo menos uma dúzia de F-16, F-18 ou até mesmo SU-34 para stop gap. Até que cheguem os Grippen vamos ficar na mão, em pleno 2016 operando um meio projetado no fim da década de 50, se não me engano. Mas na zona que virou o Brasil, que mais podemos esperar???

Franco Ferreira
Franco Ferreira
4 anos atrás

Li, SUPERFICIALMENTE, todos os documentos da CAB-E publicados (estranhamente) pela CAB-W. Nesta passada de olhos superficial encontrei uma ou duas discrepâncias inaceitáveis. A principal das quais é que a lei 8.666/93 aparece com “se possível”… Enquanto no texto dela mesma, ela é OBRIGATÓRIA para alienação de qualquer material pela União. A propriedade de material bélico È da União e, nos papéis de licitação, aparece como FAB ou DIRMAB ou CELOG.. Há outro detalhe: Não estão à venda os aviões, mas somente os suprimento inservíveis. o valor de avaliação de cada item não aparece. A COPAC ainda existe? Por que uma… Read more »

by mauro
by mauro
4 anos atrás

Lembro de ter lido que na década de 70 ou 80 que quatro (4) F 5 estavam a venda na FAB. Não recordo onde, caso alguém lembre por favor comentar, se isso é verídico e se foi efetuado a venda, depois de completar 50 anos minha memoria ta lenta. Uma boa noite.

Rommelqe
Rommelqe
4 anos atrás

Compraria um só para quebrar a barreira do som (e vidros) logo acima da residencia da ex nos proximos 180 dias…
Branco, se eu comprar deixo vc fazer um voo, desde que mude o “sobrenome” de F16 para M2000. Pensando bem, vou comprar um biplace e pedir pro Justin pilotar

Wilson
Wilson
4 anos atrás

Pra mim A Fab desconsiderou manter estas aeronaves pra chutar o balde e forçar uma decisão sobre o fx2. Foi naquela do vai ou racha,,,,,

Alex Tiago
Alex Tiago
4 anos atrás

Ao esperto que disse que o Brasil não tem dinheiro nem pra modernizar F5 deixo aqui meu repudio o Brasil tem dinheiro sim mas apenas para roubar, desviar pra isso o Btasil tem dinheiro se querem uma modernização pensamos que os M2000 peruanos receberam uma modernização recentemente pois não foi extensa igual os da India porem eles estão ai voando e se compararmos com os F5 não sei não mas eu particularmente acho que são mais capazes.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Alex Tiago
4 anos atrás

“Alex Tiago em 20/04/2016 às 23:54 …se querem uma modernização pensamos que os M2000 peruanos receberam uma modernização recentemente pois não foi extensa igual os da India porem eles estão ai voando…” . . Alex Tiago, bom dia. . Sobre a modernização dos 12 caças Mirage 2000P/DP do Peru, na verdade o que foi contratado (pelo menos até onde fiquei sabendo) foi uma extensa revisão / manutenção, do tipo realizado a cada 12 anos de uso, e que naquele país já havia sido postergada por uma década anos, atraso que fez os aviões, que já voavam pouco, com uma disponibilidade… Read more »