Update 5 AIM-9X Separation First guided launch. China Lake 1.2 M 19.5K 1G Test 722 Flight 132-339 Mission 10030.

Os caças F-22 Raptor do 90° Esquadrão de Caça da 3ª Ala baseados em Elmendorf-Richardson no Alasca tornaram-se oficialmente os primeiros de uma unidade operacional de combate a receber o mísseil ar-ar AIM-9X Sidewinder.

O míssil ampliará sensivelmente a capacidade de combate do Raptor, embora os pilotos de F-22 não estejam equipados com HMD (Helmet Mounted Display), que poderia aumentar mais ainda as capacidades de engajamento de alvos bem fora do ângulo de visada (High Off-Boresight).

Por outro lado, o F-22 poderá em breve se beneficiar do AIM-9X Block II, que terá a capacidade Lock-on After Launch (LOAL) e Helmetless High Off-Boresight (HHOBS) com datalink, permitindo ao F-22 engajar alvos que estejam atrás dele, em sua posição 6 horas.

Previous articleNova fase da cooperação franco-britânica em 2017: demonstrador operacional de drone de combate
Next articleOs 10 aviões da USAF com a hora de voo mais cara
Subscribe
Notify of
guest
40 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Pamplona

Pergunta de entusiasta leigo:

O que seriam aqueles círculos brancos distribuídos na parte lateral inferior do Raptor?
Não me lembro de tê-las visto em outras fotos do F-22.
Seriam sensores?
Em tempo, na minha opinião, o mais belo caça dos de 5ª geração. Design para lá de futurista.
Sds.

Ocidental Sincero

O vetor mais bonito já constituído.

Wellington Góes

Off Topic (mas nem tanto)……..

IOC do F-35A mais distante de entrar em operação: Problema no software está forçando os pilotos a reiniciar o radar AESA em pleno voo.

Xiiiiiiii, é este o caça que vai “defender meu modo de vida ocidental” nos próximos 30, ou 40 anos?!?! Putz, tá feio a coisa então. Rrsrs

Aéreo

Marcelo aqueles círculos são marcações utilizadas em testes de disparo de misseis. O teste é gravado com câmeras de alta velocidade e depois a imagem é analisada quadro a quadro. Como a distancia entre os círculos é conhecida e a taxa de quadros da câmera também, é possível reconstruir toda a trajetória de separação do míssil com a aeronave, detectando se esta se deu de forma segura, que é o principal objetivo do teste.

Bosco

Wellington,
Você sempre pode optar por ter defendido seu modo de vida preferido pelo T-50, pelo J-20 ou pelas bombas atômicas do Ping Pong Lee III. rsrsss

Bosco

A vantagem do AIM-9X (Block I) sem ser combinado com o capacete HMD diz respeito a uma maior resistência às contra-medidas possibilitada pelo seeker com formação de imagem.

Bosco

O F-22 tem um sistema de alerta de mísseis que é quase tão avançado quanto o DAS do F-35. A maior diferença é que o sistema do F-22 não produz uma imagem no visor do capacete do piloto.
Como deve haver algumas características não reveladas sobre o Raptor é de se perguntar se esse sistema MAWS, designado de AAR-56, baseado em 6 câmeras de formação de imagem térmica, pode de forma autônoma designar alvos para o AIM-9X e AIM-9X/2.

Eduardo Simões

Modo de vida quem defende são os NUCs

Bosco

O F-35 vai levar a B-61/12. rsrssss

Cerco Duplo

“Eduardo Simões 8 de março de 2016 at 22:40

Modo de vida quem defende são os NUCs”

Um revólver é um argumento forte…….Mas um fuzil é uma verdade científica………quem pode..pode…quem não pode…. se sacoooode… 😉

Bardini

Bosco,
.
Python 5 ou AIM-9X?

Bosco

Bardini,
Se tá me perguntando qual é o melhor eu acho que o AIM-9X por ser mais compacto é mais apto a ser levado em compartimentos internos e na ponta das asas. O Python 5 teve seu envelope operacional (EHOBS) mais expandido desde o início, podendo engajar alvos no hemisfério traseiro, enquanto o do AIM-9X era limitado, mas como agora tem a versão Block 2, inclusive com data-link, o míssil americano parece que superou o israelense.
Mas ambos são mísseis fantásticos e bem adequados ao que se propõem.

Cerco Duplo

“Ocidental Sincero 8 de março de 2016 at 19:03

O vetor mais bonito já constituído.”

depois do SU-35/Flanker…

aldqueiroz

Ocidental Sincero 8 de março de 2016 at 19:03
Cerco Duplo 9 de março de 2016 at 8:07
Pois muitos acham que “o mais bonito” é (até hoje) o Saab J 35 Draken! 🙂

Flávio

Bosco, e o A-Darter como se compara a esses dois que Bardini citou às 3:53 ?
Obrigado.
sds.

Flávio

Aos amigos que comentaram quanto a beleza dos aviões.
Acho vários bonitos, Mirage F-1, F-14, F-15, Mig-31 etc não tenho um preferido, mas em geral gosto mais dos caças de segunda, terceira e quarta gerações. Os atuais, furtivos, apesar de serem super máquinas não me encantam, do ponto de vista estético.
Nesse ponto sou como o M.O do Poder Naval, tenho um gosto mais tradicional rsrsrsrsrs.
Abraço.

Gustavo

Pergunta! O AIM-54 fenix era uma arma formidavel e de logo alcance. Por nao se fala mais dele? Nao tem mais serventia para os dias de hoje? Ou nao tem caças que se possa integra- los? Pergunta de leigo tambem!

Bosco

Flávio, Todos são mísseis ar-ar de curto alcance (WVR) de 5ª G com mais ou menos as mesmas características. O que os diferenciam dos de 4ª G é o seeker por formação de imagem. O AIM-9X Block II é um pouco diferente tendo em vista ter um data-link que possibilita engajar alvos além do alcance do seeker, ou seja, em tese tem maior alcance e por isso é considerado um NBVR (quase BVR). – Gustavo, O Phoenix era específico do F-14 e já foi retirado junto com o caça. O míssil nunca foi integrado a outro caça. Basicamente o AIM-120… Read more »

Corsario137

Bosco,

E completando… A literatura disponível na web diz que o AIM-154 não era lá essas coisas e muitos duvidam se realmente ele funcionaria visto que durante os testes a estatística não colaborou com o míssil.

Bosco

Corsario,
Com certeza ele era muito avançado pra época e exigiram muito dele, e ele não correspondeu totalmente. Mas ele foi pioneiro em muitas coisas, como o sistema de radar ativo para mísseis ar-ar e um perfil de voo loft, onde subia pra ganhar alcance.

Jose Souza

Se for possível ..recorro ao Sr. Bosco…mestre em armas…

Que míssil é esse que aparece aos 16s… na postagem dizem que o mesmo é apto para interceptar misseis de cruzeiro a 40km de distancia.

https://www.youtube.com/watch?v=A3SgZbKcq00

Bosco

José,
É o R-73 com 20 km de alcance (ou a versão mais moderna R-74). É dito que o R-74 tem 40 km de alcance. Não sei os pormenores do R-74 se ele é dotado de data-link para poder trancar num míssil cruise quando lançado de 40 km. Se tiver data-link é possível.

Flávio

Boa noite.
Joé Souza, creio que o míssil é um Vympel R-73 ou AA-11 Archer na designação da OTAN.
sds.

Flávio

Bosco foi mais rápido rsrsrsrs, mas pelo menos acertei rsrs.
O outro grandão é o R-33, similar ao Phoenix dos USA. Bosco o desempenho deles pode ser comparado ?

Taí um avião que acho lindão.
sds

Flávio

O MIG-31
sds

Bosco

Flávio,
O R-33 deve ter um desempenho bem melhor que o Phoenix já que continuou a evoluir, mas são meio que irmãos gêmeos. rsrss
O R-33 deu origem ao R-37 com 400 km de alcance.
Um abraço. +

Jose Souza

Grato aos colegas pelo retorno…..

Flávio

Bom dia.
Bosco ,valeu.
400 km !!!! alcance extraordinário. Acredito que esses misseis de alcance super longo devam ser utilizados contra alvos de alto valor como aviões AWACS e ré-abastecedores não ?
sds

Blind Mans Bluff

O AIM-54 podia não ser lá essas coisas, mas tampouco precisava ser. Bastava que ele derrubasse os Tu-16 Badger D, E, F, G ou qualquer outra versão dessa reliquia soviética inmanobravel, que forneciam a guia para os mísseis ar-terra e ar-mar, e deixariam assim os Tu-22 e Tu-160 ceguinhos ceguinhos. Missão cumprida.

Blind Mans Bluff

AIM-154
corrigindo em tempo.

Bosco

Flávio,
É isso mesmo, mesmo porque esses aviões têm grande RCS, sendo capazes de serem detectados a grandes distâncias, além de serem mais vulneráveis a mísseis lançados fora da NEZ (zona sem escapatória) por serem mais lentos e menos manobráveis.
Um abraço.

Fabiano

Wellington Góes 8 de março de 2016 at 19:14 Wellington , F35 e T50 não sei se eles de defenderão no modo de vida ocidental ,mas super tucanos, amx,F5m e futuramente Gripen NG rsrsrsrsrsrsrs , a não ser que esteja fora do Brasil , porque é o que tem para hoje rsrsrsrs.Grande abraço.

Wellington Góes

Pois então Fabiano, são estes que irão defender o nosso “modo de vida ocidental”. Rsrsrs

Wellington Góes

Bosco, pelo jeito você não entendeu a ironia, mas aproveito para explicá-la melhor……….. – Se o Ocidente ficar sentado, esperando pelo F-35, para defender seu “modo de vida ocidental”, estes países, especificamente situados no hemisfério setentrional do globo, estão então com sérios problemas. Acredito então que vão ter que procurar outras alternativas (igualmente ocidentais) para tal, ou seja, ou optam por outros caças de 4a geração made in USA (F-16, F-15, ou F/A-18), ou optam pelos eurocanards (Typhoon, Rafale e Gripen), porque se ficarem esperando pelo Lightning II, vão ter que esperar sentados, porque, pelo visto, vai demorarrrrr…………. – No… Read more »

Fabiano

ERROR defenderão no existe e sim defender.Quanto o AIM9x como vai aquela versão multifunção que também foi testado contra alvos de superfície ? Não ouvi falar mais será que cancelaram? Lembro que cheguei a ver uma matéria a respeito aqui no Poder aéreo.

Flávio

Boa tarde . Blind Mans Bluff , acho que o Phoenix é AIM-54 mesmo amigo, você tinha escrito certo às 10:17h. Fiquei na dúvida e fui dar uma olhada e encontrei essa designação para ele em alguns sites. E a despeito de não ser lá essas coisas ele, junto com os F-14 da força aérea Iraniana, teve muito êxito na guerra Irã x Iraque. Teve sucesso contra pelo menos um MIG-25 do Iraque. O MIG-25, um oponente pouco manobrável se valia de sua grande velocidade para fugir a interceptação mas os F-14/misseis Phoenix conseguiram abatê-lo. Existe um caso em que… Read more »

Flávio

A Wikipédia tem uma lista das aeronaves abatidas pelo AIM-54, Phoenix, todas aeronaves do Iraque abatidas pelo Irã.
São muito mais do que eu imaginava !!!!!!
sds

Bosco

Fabiano, Já houve várias versões do Sidewinder e a versão AIM-9X está seguindo o mesmo caminho. Só de curiosidade já teve Sidewinder ar-ar, ar-ar guiado por radar semi-ativo (AIM-9C), ar-sup antirradar (SideArm) , sup-ar (Chaparral), ar-sup guiada a laser (LaGS), anti-tanque lançado do ar. O AIM-9X pode ser ar-ar, sup-ar e ar-sup. Como você citou ele foi testado contra alvos no solo com sucesso. Em nenhuma das utilizações se faz necessário nenhuma modificação do míssil (talvez do software) e talvez já esteja homologado para alvos de superfície, em caso de necessidade extrema. E já foi pensado até em ser lançado… Read more »

Fabiano

Valeu Bosco obrigado.

Luciano

Acho um pouco descabido sustentar um amplo arcabouço cultural com o argumento de que por meio desse ou daquele armamento será rechaçada a “invasão cultural”. Os hicsos tinha o ferro, invadiram o Egito….. este os assimilou e tocou o barco. Acho que o processo é mais lento, amplo e complexo. Roma tinha uma estrutura militar fantástica, padrões culturais que se impunham e criavam uma dicotomia entre civilizado-bárbaro fundamentada nesses padrões, mas foi dominada por uma religião que veio do oriente e destruiu muito de suas bases culturais. O domínio do ocidente hoje se dará, caso ocorra, nao por meio de… Read more »