quarta-feira, julho 28, 2021

Gripen para o Brasil

Aviação comercial brasileira terá pior déficit de sua história

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Aviação comercial  TAM

ClippingNEWS-PAA aviação comercial brasileira deve ter o pior déficit de sua história no encerramento deste ano. O prejuízo deve ser superior a R$ 7,3 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). O valor é equivalente à soma dos resultados líquidos negativos registrados em três anos consecutivos pelo transporte aéreo (2011 a 2013), ou R$ 7,4 bilhões, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Segundo a Abear, o déficit está sendo impulsionado pela alta do dólar e pelo aumento de custos de 24% previsto para este ano, enquanto a receita deve crescer bem menos, ou 3,7%.

“Esse cenário coloca em risco uma década de conquistas, pois saltamos de um patamar de 30 milhões para 100 milhões de passageiros”, avaliou o presidente da associação, Eduardo Sanovicz. “Com o câmbio nesse valor, não é admissível trabalhar com custos muito acima da média mundial, como é o caso do combustível”, completou, ainda lembrando que, até agosto, a cotação do dólar acumula valorização de 55% na comparação anual. “Cerca de 60% dos custos da aviação são dolarizados.”

Para 2016, as projeções também indicam déficit de caixa. O valor deve ser de até R$ 12,2 bilhões, caso a cotação do dólar fique em torno de R$ 4,44. Se a moeda americana for cotada na casa dos R$ 3,88, as perdas poderão se situar em R$ 11,4 bilhões.

Sanovicz ainda afirmou que o cenário precisa ser enfrentado com maturidade, caso contrário os passageiros voltarão ao transporte rodoviário. “A Abear apresentou, na semana passada, seis propostas para enfrentar a atual situação econômico-financeira ao ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Eliseu Padilha. Nesta quinta-feira, será a vez do ministro da Fazenda, Joaquim Levy.”

Entre tais medidas, de acordo com a Abear, está o alinhamento do preço do querosene de aviação (QAV) com o mercado internacional, a eliminação da incidência do ICMS sobre o combustível, um “waiver” das tarifas aeroportuárias e de navegação com financiamento via Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC) e a revisão da regulação das Condições Gerais do Transporte Aéreo, entre outros temas.

“Não estamos propondo a isenção de subsídios. Nossas contas nós assumimos. O que a gente não pode mais é trabalhar em um cenário no qual os insumos que recaem sobre as empresas tenham preços tão díspares em comparação com o mercado internacional”, afirmou Sanovicz.

FONTEwww.panrotas.com.br

- Advertisement -

4 Comments

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rinaldo Nery

Espero que não iniciem as demissões no setor. Já vimos esse filme antes.
Tá aí mais um resultado do governo PeTralha.

Dexter

Realmente ….
E cade as centenas de aeroportos regionais???
Esses anos do PT além da Cleptocracia, instituiu a mentira compulsiva como plataforma de governo. E ainda vai piorar mais…

a.cancado

O QUÊ, QUAL setor do país, em especial da economia, não terá seu pior momento na história, nesses últimos 13 anos?

a.cancado

E o pior é que ainda tem idiota que apóia e defende…

Últimas Notícias

Saab entrega segunda seção de fuselagem traseira do T-7A Red Hawk para o programa de teste de voo

A produção e o envio desta seção de fuselagem traseira é o mais recente marco na contribuição da Saab...
- Advertisement -
- Advertisement -