Home Aviação de Caça Kuwait comprará 28 Eurofighter Typhoon

Kuwait comprará 28 Eurofighter Typhoon

654
23

Eurofighter Typhoon under view

O Kuwait concordou em comprar 28 jatos de combate Typhoon, em um negócio de bilhões de euros com o governo italiano, informaram fontes da indústria de defesa nesta sexta-feira.

O acordo ainda está em negociação, mas o Kuwait concordou em comprar 22 Typhoon monopostos e seis Typhoon bipostos em um acordo de governo para governo.

A divisão Alenia Aermacchi do conglomerado italiano Finmeccanica lidera o esforço para vender o Eurofighter Typhoon para os kuwaitianos.

As fontes também disseram que o acordo pode envolver a venda dos caças com radar de varredura eletrônica (AESA). Isso tornaria o Kuwait o primeiro cliente externo do jato europeu equipado com tal tecnologia.

Arábia Saudita e Omã já são clientes do caça na região. Os sauditas têm falado sobre uma nova compra de jatos. Bahrain também é outro potencial cliente do jato europeu.

Uma fonte dos Estados Unidos reconheceu que há possibilidade do Kuwait comprar caças de duas fontes diferentes e disse que as negociações sobre uma possível venda de caças Super Hornet para o Kuwait continua na mesa de negociação.

FONTE: Defense News (tradução e adaptação do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
a.cancado
a.cancado
4 anos atrás

Legal! daqui a uns 25 anos a gente compra eles, e tenta modernizá-los…rsrsrsrsrsrss

Matheus Augusto
Matheus Augusto
4 anos atrás

Isso é o que se tem quando se mistura petrodólares em excesso e medo do estado islãmico kkk dá até inveja pensar na FAB e ver essas coisas kkk

Clésio Luiz
Clésio Luiz
4 anos atrás

Estranho comprarem da Itália. Sempre imaginei que os esforços de venda naquela região ficassem por conta dos ingleses, dos quais o Kuwait já comprou muita coisa.

Matheus, não creio que essa compra tenha sido pensando na ISIS, que não tem meios aéreos. O forte do Typhoon nunca foi missões de ataque. Se etão pensando na ISIS, o melhor seria uma plataforma COIN mais sofisticada, como o MQ-9 Reaper ou algo semelhante, já que para simplesmente jogar bombas e mísseis, os Hornets C/D que eles tem já estão de bom tamanho.

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Já li por ai que o Kwait está tendo umas arengas com os sauditas

rafael bastos
rafael bastos
4 anos atrás

Comprar Typhoon’s para usar contra o Daesh é como usar uma Glock para matar uma mosca.

Uma coisa que me chamou a atenção é que este negócio aparentemente se deu as pressas e com pouco barulho.Pois, como ja dito pelo colega Goés, o problema é outro. Pra ser mais especifico, a alguns meses atrás o ministro da Defesa saudita Mohammad bin Salman ameaçou ocupar o Kuwait após uma escalada nas tensões diplomaticas entre os dois países por causa do campo petrolífero Khafji.

Ícaro Luiz Gomes
Ícaro Luiz Gomes
4 anos atrás

Acho que será mais uma flexao de musculos, como tantas outras daquela regiao. Existem muitas questoes internas para os sauditas resolverem para serem escondidas com tensoes fronteiriças com outro pais.

Mas a historia/psicologia mostra diversas vezes que o inferno é “outro”.

Vader
4 anos atrás

Mais uma que o Rafale perdeu…

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Ao que parece o Rafale não era cogitado e se levarmos em consideração as informações da notícia, então quem perdeu mesmo foi o Super Honet.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Wellington Góes
4 anos atrás

Wellington, O Rafale não só era cogitado como o próprio Ministério da Defesa Francês promovia ativamente a aeronave. Autoridades francesas chegavam a dizer que as negociações estavam adiantadas e que só faltavam poucos detalhes para um acordo. Também falavam que bastava uma decisão iminente dos Emirados para o Kuwait e o Qatar assinarem seus pedidos do Rafale. No fim das contas, nem Kuwait, nem Emirados. Mas pelo menos o Qatar tomou sua decisão pelo Rafale, independentemente dos outros dois. Três matérias (de várias a respeito) para relembrar o quanto o Rafale foi promovido pelos franceses no Kuwait ao longo dos… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
4 anos atrás

Aproveitando a lembrança de matérias de anos atrás, é elucidativo ver esta matéria abaixo sobre esse mesmo assunto. Aliás, uma das poucas matérias, entre tantas que trataram do bom andamento das conversas sobre o Rafale com o Kuwait, que cometia o sacrilégio de trazer uma informação negativa sobre o caça – sacrilégio porque poucos meses antes o então santificado presidente Lula tinha “anunciado” (e poucos dias depois “desanunciado”) o Rafale para o Brasil. A matéria gerou ataques e mais ataques contra o blog só por termos publicado uma notícia ruim para o Rafale… http://www.aereo.jor.br/2010/04/14/parlamentares-do-kuwait-vao-grelhar-autoridades-que-comprarem-o-rafale/ Onde estarão os babacas que falavam… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Interessante, não me lembrava disso, mas daí me vem a pergunta, por que os tais parlamentares queriam “grelhar” quem optasse pelo Rafale? Preço? Se sim, então ainda devem fazer (rsrsrs), pois o Typhoon tem um custo de aquisição, operacional e de manutenção ainda maiores do que o caça gauleses. É digno de nota, também, que só caças médios e bimotores eram mais considerados, ou estou enganado?! Quanto as tais afirmações das autoridades francesas, vendedor promete de um tudo, ou alguém se esqueceu das promessas de ToT irrestrita, ou necessária, ou de que as 36 aeronaves do F-X2 seriam todas montadas/fabricadas… Read more »

Vader
4 anos atrás

Obrigado Nunão. Recordar é viver… 😉 Quanto ao Typhoon ser mais caro que o Rafale, é uma inverdade tanto no que toca aos custos de aquisição, quanto no que diz respeito aos custos de manutenção. Quanto ao fly away cost, a Dassault “espertamente” não inclui no preço divulgado os custos de desenvolvimento, ao passo que a Airbus sim. Desta forma, parece que o Typhoon (Tranche 3) custaria por volta de €90 milhões, com o Rafale custando “apenas” €74 milhões. Ocorre que o preço verdadeiro do Rafale com os custos de desenvolvimento beiravam, em 2012, os €150 milhões, fazendo dele o… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Bem, o relatório alemão sobre os custos do Typhoon provou que escala não é sinônimo de menor custo, especialmente quando se tem, por exemplo, quatro parceiros/donos do projeto. Realmente parece ser um contracenso uma aeronave ter mais escala produtiva e ainda sim ser mais cara, detalhe, com capacidades multifuncionais limitadas. Resta saber quanto sairá ($$$$) ao Kuwait, com radar AESA e todas as armas que eles quiserem integradas. Quanto ao Super Honet “ainda está no páreo”, fontes francesas viviam dizendo o mesmo na Suíça, afora de outras exportações. Agora, sendo escala TUDO, imagino como será com o nosso Gripen E/F… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Volto a perguntar, se os tais parlamentares diziam que o preço jogavam contra o Rafale (pelo menos é o que parece), então por que optaram pelo Typhoon e não pelo Super Honet, este sendo conhecidamente mais em conta?!

Groo
Groo
4 anos atrás

O F/A-18E e o F-15 irão encerrar as linhas de produção em 2018 e 2019 respectivamente.

Sobrarão o F-35, F-16(?), Typhoon, Rafale, Gripen, os russos e os chineses.

O F-35, apesar de ter sido oferecido à Índia não foi oferecido à Arábia Saudita e eu não me recordo de nenhuma nova encomenda de F-16.

Ou os EUA relaxam a venda do F-35 ou os Eurocanards reinarão sozinhos.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
4 anos atrás

“Wellington Góes 14 de setembro de 2015 at 11:35 Volto a perguntar, se os tais parlamentares diziam que o preço jogavam contra o Rafale (pelo menos é o que parece), então por que optaram pelo Typhoon e não pelo Super Honet, este sendo conhecidamente mais em conta?!” Wellington, O problema que os tais parlamentares levantavam é que a oferta do Rafale estaria muito acima do razoável. Podemos supor que, pelo escândalo que fizeram, estaria acima dos demais concorrentes. Assim, o Typhoon estaria provavelmente com uma oferta mais barata que a do Rafale para o Kuwait. Sobrariam, assim, Typhoon e Super… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Realmente é uma possibilidade, mas ai devemos levar em consideração, também, que em países que houve sim uma concorrência aberta a proposta do Typhoon sempre se mostrou mais cara do que do Rafale, caso suíço e indiano. Nos casos em que o caça pan-europeu obteve êxito (Áustria, Arábia Saudita e Emirados) houve uma relação de governo a governo com suspeitas, inclusive, de propina, Caso das vendas árabes e relação com os britânicos. Já no caso austríaco há uma relação com os alemães, econômica e política, que justifica a escolha, mesmo assim existem relatos dos problemas para manter estas aeronaves, devido… Read more »

Vader
4 anos atrás

O fato é que o Rafale perdeu mais uma. Uma de muitas. E dessa vez foi por causa do preço, como demonstra a reportagem que o Nunão relembrou. O resto é trololó… O F-35 não será oferecido para nenhum país árabe, pois: 1. Os países árabes não são confiáveis do ponto de vista político, vale dizer: não são democracias. O F-35 só foi e provavelmente apenas continuará sendo oferecido para democracias de verdade. 2. Israel utilizará o F-35 como sua ponta de lança. Pra mim o Super Hornet ainda tem chances no Kwait, a menos que o Sheik admita reduzir… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Então tá. Rsrsrs

Até mais!!! 😉

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
4 anos atrás

Ao que tudo indica Israel terá, ao menos por enquanto, a exclusividade quanto ao F-35

http://www.defensenews.com/story/defense/air-space/strike/2015/09/12/israel-eyes-exclusive-dibs-f-35/72014016/

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Sim, por enquanto, mas deixa surgir alguma notícia de que os árabes tenham ido conhecer o Su-50 e/ou J-20 (ou mesmo o J-31) para que esta postura mude, ou alguém esqueceu do caso do F-15?!?!

Vader
4 anos atrás

Su-50, J-10, J-31 etc. ainda demorarão muitos e muitos anos para ficarem prontos, se é que um dia chegarão a ficar. Os russos não detém tecnologia stealth de ponta. Seu Su-50 está planejado para ficar pronto pra lá de 2020 (se houver dinheiro, o que consta não haver) e não será comparável a nenhuma aeronave de 5a geração americana. No máximo (quando muito) fará frente aos eurocanards, o que é aliás o seu propósito. Os chineses então nem os motores dos seus caças produzem. Possuem pouco mais do que 2 protótipos de qualidade totalmente discutível, e um deles ainda está… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Então tá. rsrsrs

Até mais!!! 😉