segunda-feira, dezembro 6, 2021

Gripen para o Brasil

35 anos do Embraer EMB-312 Tucano (T-27)

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

EMB-312 Tucano

O Tucano surgiu da necessidade da FAB de substituir a antiga aeronave de treinamento T-37, que seria descontinuada pela fabricante Cessna. Nascia assim uma máquina com desempenho notório, reconhecido internacionalmente. As inúmeras características do T-27 fizeram com que o avião fosse exportado para países como Argentina, Colômbia, Venezuela, Peru, Paraguai, Honduras, Irã. No Reino Unido, foi escolhido para se tornar aeronave de treinamento básico, licenciado e produzido localmente.

O protótipo do treinador voou pela primeira vez em 19 de agosto de 1980, com um desenho avançado para a época. Suas características acabaram tornando-se padrão para outras aeronaves de treinamento, com trens de pouso retráteis, assentos em tandem (um a frente do outro, sendo o de trás mais alto), pontos para utilização de armamento e, inclusive, sendo a primeira aeronave do gênero com assentos ejetáveis. Possui grande autonomia de voo – quatro horas e meia somente com o tanque interno, robustez, comandos precisos, boa margem de manobra mesmo à baixa altitude, confiabilidade, visibilidade e capacidade de voo em diferentes condições climáticas.

T-27 Tucano_GEEV

Anúncio Tucano T-27

- Advertisement -

15 Comments

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Atirador 33

Sempre achei que o Tucano fosse uma aeronave produzida sobre licença pela Embraer e que projeto fosse inglês.

Ao ler a matéria interpretei que trata-se de um projeto brasileiro elaborado pela Embraer e produzido sobre licença pela Inglaterra. Estaria correto minha interpretação?

Alguém poderia confirmar se a França também opera ou já operou o Tucano?

Abs

claudio quadros

Sim ja franca vendeu para mali e argelia

Luiz Trindade

Atirador 33, Esta correto sua interpretação de que o Tucano foi um projeto da Embraer e produzido sobre licença no Reino Unido. Ele ganhou uma licitação em 1985 para substituição do avião de treinamento daquele país ao qual pariciparam o Suiço Pilatus PC-9 e o Britanico NDN Firecracker. Segue mais especificações tirada da Wikipedia: “O Short Tucano foi desenvolvido pela empresa britânica Short Brothers, a fim de atender a os requisitos para substituir o Jet Provost como o treinador de base para a RAF, como previsto no Air Staff Target 412. É uma adaptação do Embraer EMB-312 Tucano equipado com… Read more »

Claudio Moreno

Quanto o projeto é bom … fica para a história.

“Um avião para voar tem de ser bonito”! – Marcel Dassault

CM

Alex Faulhaber

O que foi feito dos Tucanos da Fumaça, alguém sabe?

Mauricio R.

“Há uma expectativa que o Reino Unido abra uma nova licitação para substituir esses tucanos em breve ao qual a Embraer ofereceria o Super Tucano!”

O treinamento de asa fixa da RAF foi terceirizado e agora é uma PPP, ao invés do ST os novos pilotos serão treinados no T-6.
Mas se serve de consolo, parte do treinamento multi motor será feito no Phenom 100.

Delfim

O T-27 deveria ter sido oferecida em uma versão civil, esportiva. Venderia bem, principalmente nos EUA.

Se eu fosse rico teria um.

Luiz Fernando

Claro que escolheram o T-6… para o fim a que se destina o contrato é melhor aeronave do que o ST.

E usarem o Phenom 100 para treinamento multimotor não é consolação não… é um prêmio e tanto… e foi inesperado.

Depois da RAF outros já estão adquirindo o Phenom como aeronave de treinamento multimotor. Portanto é um contrato que já está rendendo frutos.

E ViVA a EMBRAER e seus 46 anos que foram completados hoje.

Rinaldo Nery

Os T-27 ex Fumaça estão na instrução dos Cadetes. Minha turma foi a segunda a voar os T-27, novinhos, em 1986. Voei essa maravilhosa aeronave por 12 anos, atingindo a marca de 2.300 horas no equipamento, na AFA, na 2a ELO e no 2°/3° GAV (do qual sou fundador). O melhor substituto para o T-27 é outro T-27 novo.

Luiz Fernando

Sábias palavras Cmt Rinaldo…

Mauricio R.

“Depois da RAF outros já estão adquirindo o Phenom como aeronave de treinamento multimotor.”

A RAF não comprou nada, o treinamento foi terceirizado por um consórcio civil.
O outro operador militar é o Paquistão, que encomendou as aeronaves antes dos britânicos, mas p/ transporte VIP, não p/ treinamento.

Luiz Fernando

E quem falou em Paquistão???

O Phenom será usado na Inglaterra para treinamento de quem… da RAF certo? Então o que importa quem o comprou??? Com certeza a empresa que o selecionou contou com o aval da RAF, e isto já basta.

Franco Ferreira

Na época deste feito, comentava-se ter havido uma grande invenção da EMBRAER: A “mistura” dos comandos de potência e passo; capaz de alterar ambas as grandezas com uma só manete. Com a licença de quem conheça do assunto, até o advento dos T-27 u’a manete comandava o torque e outra o passo. Isto era muito diferente do comando dos jatos puros; razão porque, até o surgimento do T-27, dizia-se, os turbo-hélice não podiam substituir os jatos puros para treinamento. O misturador passo/potência resolveu este problema e provocou a substituição dos “Cessna’s joke” até na USAF. Todos os aviões de treinamento… Read more »

André Bueno

Aproveitando a afirmação do Nery, de que um Tucano novo seria o melhor substituto, qual a chance de isso ocorrer? Considerando:

1. comentários que dão conta de que o ferramental não mais existe

2. reprojeto da aeronave

3. uma encomenda substancial: se vai substituir os Tucanos integralmente, penso que essa seria de cerca de uma centena

Mauricio Veiga

Rinaldo Nery, você lembra de um acidente com T-27 da “fumaça” em londrina PR? O piloto ejetou, e deram um sumiço no “Tucaninho”…

Últimas Notícias

Finlândia deve escolher jatos F-35 na concorrência de US$ 11 bilhões

A Finlândia deve escolher os caças F-35 da Lockheed Martin Corp. em sua licitação de 10 bilhões de euros...
- Advertisement -
- Advertisement -