Home Sistemas de Armas Caça Mitsubishi F-2 será a oitava plataforma a operar o casulo Sniper...

Caça Mitsubishi F-2 será a oitava plataforma a operar o casulo Sniper ATP

957
25

A Lockheed Martin noticiou que recebeu um contrato de compra da japonesa Mitsubishi Heavy Industries para integrar seu Sniper Advanced Targeting Pod (ATP) no caça Mitsubishi F-2 da Japan Air Self-Defense Force.

O contrato inicial de 2014 inclui o casulo, componentes e equipamento de apoio para integração. O F-2 será a oitava plataforma a ser equipada com o Sniper ATP, juntando-se ao F-15, F-16, F-18, A-10, B-1, B-52 e Harrier.

Mais informações em inglês no Defense Forces.

25 COMMENTS

  1. Clésio,

    Respeito muito a sua opinião, mas a minha versão favorita do F-16 é a XL, que jamais virou realidade.

    Mas devo reconhecer que é sempre mais fácil gostar daquilo que não foi exposto ao desgaste da realidade (Tancredo Neves que o diga).

  2. Taí uma coisa que eu queria ver são gráficos de desempenho do F-16XL, principalmente se compilados com o de um F-16 convencional com o mesmo motor.

    E uma pena que o F-16 FSW não ganhou a concorrência da DARPA, que foi para a Northrop com o X-29.

  3. Reinaldo Deprera,

    Excelente vídeo! Muito obrigado!
    O título, no YouTube, menciona o F-16C (além do F-16 AFTI).
    E lembrei de outro membro de família, nascido em terras distantes, que também não chegou à operacionalidade: o Lavi. Creio que seria um avião fantástico.

  4. Delfin,
    No passado os americanos já usaram muito a asa delta.
    Eles só não embarcaram na configuração delta/canard que nos anos 80 era tido como superior em relação à manobrabilidade.
    Combinando o TVC com a configuração delta/canard seria possível a operação SSTOL e o avião podia apontar o nariz para um ponto diferente da sua trajetória, o que seria interessante no dogfight e no tiro terrestre.
    Essa configuração foi muito estudada mas fato é que a configuração tradicional se mostrou mais atraente para os americanos e um dos motivos é que dizia-se que canards eram piores em relação à redução do RCS.

  5. Delphim, Bosco, o F-22 usa asas delta, assim como o MiG-21 e o futuro T-50, só que com uma cauda convencional.

    Então temos os delta puros, cujos modelos mais famosos são a família Mirage (menos a ovelha negra chamada F.1…), mas representam praticamente metade dos caças dos anos 50;

    Os delta com canards, que começou com o Viggen e cujo futuro é o J-20 chinês;

    E os delta com cauda, que começaram com o Gloster Javelin, passando pelos MiG-21 e Su-9, e atualmente se encontra nos F-22 e T-50.

  6. Se fizermos um esforço talvez pudéssemos considerar o A-4 Skyhawk e o F-16 como modelos com “asas delta de enflexamento moderado”…

    Mas eu deixo o Roberto F. Santana dar o veredicto sobre o A-4. O que ele disser, é lei.

    E tem também o Douglas F4D Skyray, cujas asas tem formato aproximado de um coração. Para mim aquela asa funciona como um delta.

  7. @Reinaldo Deprera

    O vídeo é interessante, mas ainda assim gostaria dos gráficos.

    O Mirage 2000 tem números de manobrabilidade parecidos com o do F-16, mas a taxa de curva sustentada é muito inferior, por causa da asa delta pura. Queria saber como ficou esse parâmetro no XL.

  8. Delta forever. A Convair foi a mais prolífica fabricante de deltas nos EUA. O XF-88, F-102 e F-106, além do B-58 Hustler.

    O SR-71 também é delta viu?

    Bosco, poteto/potato. Aquela asa tem todos os efeitos de um delta. Não é a toa que o F-22 sofre um pouco de arrasto em curvas sustentadas à baixa altitude, como os outros delta. Alto e supersônico, a conversa é outra.

    Tomcat, até o nosso F-14 é delta metade do tempo. O Grumman é o camaleão dos ares 🙂

  9. De fato, Clésio. Com as asas totalmente enflexadas, formando um delta, o F-14 fica muito bem na foto!

    P.S.: Como fui me esquecer do B-58?!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here