Home Noticiário Internacional F-35B é declarado operacional pelo US Marine Corps

F-35B é declarado operacional pelo US Marine Corps

401
38

BF1_BF4_Mode_4

O U.S. Marine Corps declarou hoje a initial operational capability – IOC dos seus caças F-35B Lightning II, com um esquadrão de 10 aeronaves prontas para desdobramento global.

O esquadrão Marine Fighter Attack Squadron 121 (VMFA-121), baseado em Yuma, Arizona, é o primeiro esquadrão na história militar a se tornar operacional com uma variante do F-35.

O USMC já qualificou 50 pilotos de F-35B e certificou mais de 500 especialistas em manutenção para apoiar o avião. O F-35 deve substituir o the AV-8B Harrier, o F/A-18 Hornet, e o EA-6B Prowler nos Marines.

Mais detalhes no Defenseforces.com

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alex S
Alex S
5 anos atrás

Agora a coisa esta ficando BEM seria, não adianta espenifrar pois o filho ganhou carta para andar sozinho. Coisa linda esse avião.

Pedro
Pedro
5 anos atrás

Operacional, sei… Não pode nem voar em mau tempo, tempestade então é fatal. Além de que já sugou bilhões, programa militar mais caro da história. Para quê? Para criar um pato, anda, voa e nada, mas não faz nada disso bem. Bonito ele é, gostaria que fosse tudo que prometeram que ele seria, mas com tanto atraso, vocês acham que os chineses e russos não desenvolvem contra-medidas? O lobby americano está tão forte que as cabeças do pentágono fizeram os militares engolirem esse sugador de dinheiro, que poderia ter ido para outros programas. A Navy, em parte já viu o… Read more »

Fernando
5 anos atrás

Recentemente li que o F-35B tem problemas de pouca confiabilidade durante os teste no Wasp.Alguem sabe se essa informação procede?

xtreme
xtreme
5 anos atrás

Avião sob suspeita dos próprios militares americanos que participaram ativamente no seu desenvolvimento.

Foi concebido pensando em uma nova forma de “fazer guerra” .. porem… muita teoria pode virar ..literalmente…pó..na pratica.

O tempo dirá…

Leonardo
Leonardo
5 anos atrás

Esse video é uma obra de arte da guerra. Esses F-35B para no ar, incrivel! Mais uma frota marítima para botar medo nos chineses e russos. Os americanos já tem 10 porta aviões, e está para entregar o 11 Gerald Ford, agora com esses F-35B vão transformar vários porta helicopteros/ampibios em porta aviões. Com isso, os norte americanos, podem saltar de 10 PA para 15 PA, com F-35B. Russos e chineses devem estar com dor de cutuvelo vendo este video, pois até o caça stealh de combate áreo já está dando uma baita dor de cabeça, nem passam na cabeça… Read more »

HMS_TIRELESS
HMS_TIRELESS
5 anos atrás

A verdade é que com os F-35B embarcados os LHD/LHA da USN serão suficientes para 80% das ameaças existentes

Alex S
Alex S
5 anos atrás

Uma coisa é certa, ainda que tenha centenas de defeitos, o aprendizado é muito grande para os futuros caças dos EUA.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Pessoal,
Os problemas divulgados são compatíveis com o tamanho do projeto, que chega na casa dos dez dígitos.
Normal!!
Seria estranho se não houvessem críticas e ele fosse uma unanimidade.
Sem falar que ele deve operar até além de 2050 e até lá muita água vai passar por debaixo da ponte.

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Mesmo que essa aeronave venha a apresentar problemas no futuro, sei lá… vinte anos para frente, fato é que os EUA ainda terão totalmente operacionais F-15, F-16, F-18 e F-22. E muito provável já estarão em operação drones avançados de combate.

pedro
pedro
5 anos atrás

Olá Bosco! Admiro e aprendo muito com seus comentários, agora sobre este tema tenho uma opinião diferente. Sim, é verdade que melhorias serão feitas, mas a que preço? Leio sites americanos falando que este IOC deveria ocorrer somente em 2019, que foi apressado. Agora, você não acha que o problema maior, fundamental, não está na própria concepção deste caça? Como disse, para mim é um pato. No afã de tentar fazer tudo, acaba não fazendo nada direito. Se é verdade que a história ensina e muitos leitores do blog são entusiastas da história e suas lições, eu acho que já… Read more »

Jose davi
Jose davi
5 anos atrás

É um avião sem concorrentes , está sendo feito pra trabalhar em cima de uma doutrina nova ,só falta um conflitozinho pra testar!

Leonardo
Leonardo
5 anos atrás

Tem pessoal que critica o F-35, eu acredito que o sucesso de um produto, você vê no sucesso de vendas.
O F-35 já provou seu sucesso de vendas, somente os americanos tem encomendas do F-35 que chegam à 2500 unidades, e países parceiros são mais de 600 unidades, provando o sucesso do mesmo.
Tem países que até pediram pressa para LM nas entregas, como Japão e Israel.
Sds

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Pedro, Quando falavam no passado que não haveria mais combate aproximado queriam dizer que não haveria mais dogfight com canhão já que colocavam todas as suas fichas nos “novos” mísseis. O que aconteceu foi que mesmo depois do combate BVR ser plenamente possível as distâncias envolvidas e o tipo de orientação dos misseis de médio alcance era praticamente impossível o combate não degringolar para o alcance visual. Como a confiabilidade dos mísseis, tanto os BVR quanto os de curto alcance, era sofrível, o combate sempre acabava na base da bala. Isso sem falar que os mísseis de curto alcance exigiam… Read more »

Douglas
Douglas
5 anos atrás

Suspeito que essa declaração de operacionalidade nesse momento seja uma espécie de “tranquilizante” para os contribuintes americanos mais críticos ao programa, que viram seu dinheiro sendo gasto aos montes sem que um retorno satisfatório viesse em um prazo não muito longo. Quanto a aeronave em si, entendo que haja muitas críticas sobre vários aspectos, mas prefiro esperar pelo momento em que esse belo equipamento esteja de fato bem operacional (sem seus atuais “bugs” e atuando em outras marinhas) para me posicionar

Alex S
Alex S
5 anos atrás

Sou um EX-INFANTI 24BIB, mas aqui puro entusiasta, pois sei que esse F 35 passa por linha de fogo, mas que só dele existir já é um avanço, que outras nações nem se quer chegou perto do conceito que esta sendo empregado. Enfim dentro de 6 anos, a partir de hoje pode anotar que vai estar em plena escala de produção. Aqui sou expectador com os amigos, e obrigado moderadores por deixar aberto para participar, mas com respeito e cordialidade com os demais.

Diney
Diney
5 anos atrás

GRANDE BOSCO, sempre técnico sem meias palavras, e sim com muitas coerência, Bosco vc sim é conhecedor do que fala e dita no seu conhecimento, mas é claro defeitos e qualidade todos nos temos, mas no q vc conhece e o mais técnico na área militar, parabéns.

Fernando
5 anos atrás

Na minha opnião os canhoes não estão com os dias contados, pelo contrario acho que eles serão o futuro, na minha visão de caças do futuro, pra lá da 8 geração, os caças teriam dois canhoes laser(como no YAL-41 so que muito menores) cobrindo 360graus em volta da aeronave e destruindo alvos a centenas de de quilometros, sendo assim os misseis terao seu momento de gloria, pelas proximas decadas, decidindo 99% dos combates aereos, mas não terao espaço no futuro distante. Quanto a manobrabilidade, apesar de hoje em dia ser dificil de acontecer um dogfight acredito que as chances de… Read more »

pedro
pedro
5 anos atrás

Bosco, grato pela resposta. Realmente, a parte de mísseis não é a minha praia, acho que prefiro as plataformas do que suas armas, kkk. Bom, acho que com essas suas considerações, ponto para o F-35. Que os mísseis façam o dever de casa então, porque a manobrabilidade do caça não vai ajudar não. Acho até que o stealth já está com dias contados, por causa do desenvolvimento de novos radares. Creio que minhas maiores críticas a este projeto são: 1) a forma como está sendo conduzido. Conluio da Lockheed e do pentágono. Parece que a usaf vai morrer abraçado a… Read more »

Delfim
Delfim
5 anos atrás

Nem sei o que dizer em termos de possibilidades para os EUA…

Mas só fico pensando quais as chances que o Brasil teria de possuir tais aeronaves, com PT, bolivarianismo, BRICS…

Dá vontade de chorar.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Fernando, A indústria aeronáutica apesar de representar o que há de mais moderno em termos tecnológicos é muito tradicionalista e avessa a novidades. Quando dos requisitos do programa que deu origem ao F-22, o ATF, a manobrabilidade era considerada fundamental tendo em vista que os mísseis SRAAM estavam na 3ªG e apontar o nariz do caça para o inimigo era obrigatório. Também nessa época estavam saindo do Vietnã e o fantasma do Phanton ainda rondava os engenheiros. Sem falar que a confiabilidade dos mísseis era péssima. Tinha míssil que saia da fábrica sem seeker e outros sem ogiva. Simplesmente o… Read more »

Marcos
Marcos
5 anos atrás

O F-35 está longe de ser o mais caro programa militar americano. Peguem programas anteriores e façam a correção para valores atuais. O programa de desenvolvimento do B-1 custou algo em torno de US$ 100 bi com preços para década de 90, com custo unitário perto de US$ 300 mi.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Vale salientar que apesar de achar que o canhão (que dispara projétil rsss) esteja em franca decadência em relação ao combate entre caças tenho que admitir que enquanto esses caças não forem armados com armas de energia direta (laser de alta energia), o que só deve começar a acontecer dentro de uns 15 ou 20 anos, eles ainda existirão e serão úteis tendo em vista alguns cenários, tais como, ter que abater um drone indefeso ou uma aeronave civil igualmente indefesa, que não justificaria ter que usar um caríssimo míssil de 5ª G ou um mais caro ainda míssil de… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Ontem, lendo sobre a tecnologia ECM do tipo DRFM, agora sendo usada pelos russos e decantada em prosa e verso como tendo capacidade de cegar o Amraam (e todos os outros mísseis guiados por radar do mundo e não só míssil americano, diga-se de passagem), fiquei sabendo que ele seria eficaz até contra o método “home on jam” (HOJ), usado por alguns mísseis guiados por radar. Método esse que faz que quando o míssil “percebe” que está sendo jameado ele muda para o modo passivo indo de encontro às radiações emitidas pelo sistema de ECM ativo, funcionando como se fosse… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Correção: porque = por que.
Perdão!!

Duanny D.
Duanny D.
5 anos atrás

Bosco,
Acredito q entendi sua argumentação.
Mas pense bem, se você projetou um eficaz contra um HOJ e’ possível que alguém vença seu projeto. Nessa situação melhor previnir e projetar um interferidor ejetável que pagar pra ver se alguem foi capaz de te vencer.

Paulo Maffi
Paulo Maffi
5 anos atrás

Interessante notar que inverteram-se os tempos despendidos para a decolagem e pouso. No uso da catapulta/gancho a aeronave tende a demorar um pouco mais para decolar do que para pousar. Já na operação com o F-35B a aproximação e o pouso parecem mais morosos que o lançamento da aeronave! Será que isso também modificou a doutrina de proteção e contramedidas da esquadra, em especial dos porta-aviões? Saudações a todos!

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Paulo,
O F-35B (STOVL) só será operado dos navios de assalto (LHA e LHD) e sua operação não é muito diferente da do AV-8B que eles já operavam.
Nos porta-aviões serão operados a versão CTOL F-35C, que terá que usar cabos e catapultas.
Interessante que os navios de assalto que operam aeronaves STOVL não usam defletores de jato como os porta-aviões que operam aeronaves convencionais, seja usando catapulta ou não.

Paulo Maffi
Paulo Maffi
5 anos atrás

Verdade caro Bosco! Sendo assim a operacionalização será a parecida em ambos os meios LHA e LHD com os SVTOL e com CSTOL nos PAs! Não me atentei para esse detalhe… Obrigado Bosco

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Duanny, Partindo do princípio que o sistema DRFM anula a “vantagem” do HOJ ainda há uma vantagem para o F-35 no combate BVR, que é o fato dele ser stealth. Sendo stealth e usando mísseis de alcance extra-longo (como o AIM-120D) ele pode manter a atualização praticamente durante todo o percurso do míssil sem que seja necessário desengajar prematuramente já que não será detectado. O AIM-120D é dotado de GPS e tem data link de duas vias (up-link e down-link) e pode funcionar quase como um míssil guiado por telecomando (COLOS) ou semi-ativo do tipo TVM (igual o Patriot PAC-2)… Read more »

Rudi
Rudi
5 anos atrás

Para colaborar com os debates e os leitores que não estão totalmente familiarizados com os termos técnicos usados, gostaria de solicitar que colocassem em suas postagens sempre os termos por extenso e a sigla entre parênteses, na primeira vez que for utilizada, a exemplo do que é utilizado em textos jornalísticos.. Assim fica mais acessível e compreensível a todos.

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Caros Bosco e Paulo:

Porem a Marinha Britânica irá operar os F-35B.

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Falando nos britânicos…
Se serve para os ingleses, servirá, se quiserem, para os australianos. Eis ai uma decolagem com sky jump:

https://www.youtube.com/watch?v=dDUQ7Nl1x2I

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Marcos,
Bem lembrado!
Mas vale salientar que o pouso do B no porta-avião britânico será horizontal, sem ajuda dos cabos, com auxílio dos dispositivos de sustentação usados no modo STOVL.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Claro, o Queen Elizabeth não terá cabos de retenção!

Vader
5 anos atrás

Excelente notícia, embora previsível.

De todos os F-35 esta variante B é a que será mais revolucionária. O USMC passa a ser a primeira força aeronaval da história a contar com um multirole stealth supersônico.

Aguardemos agora o IOC da USAF.

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Há supostamente um motivo para os americanos não desenvolverem um Amraam guiado por IIR, que em teoria seria simples de fazer já que bastaria instalar o seeker do AIM-9X no Amraam, inclusive sendo os dois do mesmo fabricante. Esse motivo seria a incompatibilidade de um seeker IR com mísseis com velocidade acima de Mach 3 sendo também esse o motivo desse tipo de orientação ser usado só em mísseis de curto alcance, com algumas exceções. Como os mísseis BVR, principalmente os tidos como de grande alcance (LRAAM) têm velocidade de Mach 4 + pode ser que não haja interesse dos… Read more »

Paulo Maffi
Paulo Maffi
5 anos atrás

Verdade Marcos! Tinha me esquecido que os F-35B irá experimentar o purê de batatas da Royal Navy!

Paulo Maffi
Paulo Maffi
5 anos atrás

*irão experimentar.