Home Força Aérea Brasileira FAB avalia rever plano de modernização do jato de ataque AMX

FAB avalia rever plano de modernização do jato de ataque AMX

4281
27

Primeiro A-1M

ClippingNEWS-PAA Força Aérea Brasileira (FAB) está revisando o programa de modernização dos caças AMX, realizado pela Embraer, e estuda a possibilidade de redução do número de aeronaves a serem modernizadas. O Valor apurou que o estudo contempla a redução de 43 para 30 aeronaves, mas o número está sujeito a alterações. Procurada, a Embraer Defesa e Segurança disse que não comentaria o assunto.

“O projeto AMX está em processo de estudo, tendo em vista os novos cenários operacionais e logísticos, principalmente com a chegada da aeronave Gripen”, disse o presidente da Copac (Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate), brigadeiro do ar Paulo Roberto Chã. À medida que o Gripen for sendo incorporado aos esquadrões da FAB, a partir de 2019, segundo Chã, o AMX vai aos poucos saindo de cena. “A previsão é que a frota de AMX seja desativada até 2030”, disse.

A modernização daria uma sobrevida de mais 20 anos à frota de AMX. O projeto tem R$ 54 milhões no orçamento da FAB para este ano, embora na proposta de Lei Orçamentária estivessem previstos R$ 600 milhões. A Embraer entregou 3 AMX modernizados para a FAB. O cancelamento do programa, segundo o brigadeiro da Copac, não está em questão. “O Gripen ‘alugado’ não é uma realidade. Ainda está em processo de negociação”, afirmou.

Em situação similar ao AMX, encontra-se o programa de modernização do lote de onze caças F-5, que também está sujeito à redução. Um lote de 46 aeronaves já foi modernizado pela Embraer. Para o segundo lote, a FAB conta com uma verba orçamentária de R$ 46 milhões este ano. O programa do F-5 está atrasado cerca de um ano e meio e, segundo o Valor apurou, a FAB estuda reduzir de onze para sete o número de aeronaves modernizadas.

O presidente da Copac voltou a afirmar que o carro chefe dos projetos da FAB em 2015 é desenvolvimento do KC-390 e dos caças Gripen NG, para os quais conta com recursos da ordem de R$ 1,7 bilhão. O projeto F-X2, segundo ele, tem R$ 1 bilhão para este ano. Mas o valor poderá ser escalonado, segundo declarações recentes do ministro da Defesa, Jacques Wagner. O valor do repasse seria reduzido para R$ 200 milhões em 2015.

O brigadeiro da Copac explicou, porém, que a Lei Orçamentária de 2015 aprovou R$ 1 bilhão para o F-X2, sem corte nenhum. “Portanto, estamos autorizados a gastar esse valor em 2015. Não tenho nenhuma informação oficial de que o dinheiro será reduzido. No máximo, o que pode acontecer, é de faturarmos em dezembro uma parcela maior deste valor para pagamento na virada do ano”, disse. A redução do valor do repasse aos suecos, se acontecer de fato, segundo Chã, pode ser uma medida para garantir o equilíbrio fiscal e assegurar o cumprimento da meta de superávit primário.

O caça de ataque ar-superfície AMX, que na FAB é conhecido pela sigla A-1, é a principal ferramenta a ser utilizada pelo Brasil em caso de dissuasão de forças hostis nas fronteiras terrestres, nos limites das águas juridicionais brasileiras, além de impedir o uso do espaço aéreo nacional. Com a modernização, a FAB pretende ampliar a capacidade operacional e de sobrevivência da aeronave em ambientes hostis.

FONTE: Valor Econômico

Subscribe
Notify of
guest
27 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vespão
Vespão
4 anos atrás

Lastimavel ,sou contra essa modernização mequetrefe ,mas já que se tinha optado por ela que fosse realizada . agora como na reportagem diz que só foram entregues 54 dos 600 nilhões previstos . já percebemos por ai que a vaca foi para o brejo .
Realmente a cada noticia de corte a cada noticia de corrupção fico mais descrente nessas criaturas que se dizem nossos governantes .
Sou um árduo defensor do projeto Rafale . mas realmente tenho que concordar que seria muito para (nós) e optamos pelo mais barato e menos capaz . triste essa nação que sonha em ser grande .

sds

wwolf22
wwolf22
4 anos atrás

Por que o Brasil não terceiriza a Forca Aerea ?????
seria uma excelente ideia…

_RJ_
_RJ_
4 anos atrás

Vespão:
Menos capaz, sim. Mais barato? Nem de longe. Talvez um dia eu possa explicar, mas o Gripen nunca foi a solução mais barata entre as três, mesmo que o avião seja (a princípio) o mais barato.

Marcos
Marcos
4 anos atrás
Marcelo
Marcelo
4 anos atrás

Que pena, sobrou para o AMX…logo agora que havia finalmente se tornado, com a modernização, o que deveria ter sido desde o início da sua operação e atingido o seu potencial pleno…

Eder Albino
Eder Albino
4 anos atrás

Com essa modernização, o A-1 será capaz de lançar algum míssil ar-terra? Qual?

Oganza
Oganza
4 anos atrás

_RJ_,

por favor, explique.

Grande Abraço.

_RJ_
_RJ_
4 anos atrás

Oganza, Daqui a alguns anos iremos olhar para os “aditivos” para tornar o Gripen EBR o que ele precisa ser, e para a necessidade de maior número de aeronaves (e consequentemente mais pilotos, e mecânicos, e bases aéreas) e veremos que será mais caro do que qualquer aeronave com airframe e aviônica já pronta, e do tamanho certo para cumprir a missão de forma mais autônoma. Já se fala em 108 Gripen ao invés de 36 e isso é só o início. E pensar em 108 Gripen já sai caro, mesmo sem adquiri-los. (e o custo de se manter, até… Read more »

Iväny Junior
4 anos atrás

Modernização? Sinceramente. Colocar radar no A-1 é dar um pouco de dignidade ao avião, já que ele saiu sem o radar previsto, nem IRST e os pods designadores que usa são espólio da incompatibilidade do f-5 (compraram errado). O pobre do avião saiu sem contramedidas, sem radar, sem disparar mísseis ar-solo, enfim. Ainda bem que o modelo brasileiro nunca precisou enfrentar um conflito de verdade, apenas se esquivar de um urubu ou outro (e mesmo assim ainda foi alvejado). Quando se olha o histórico operacional do AMX italiano percebe-se o zelo que eles tiveram com o programa. É outro avião…… Read more »

Baschera
Baschera
4 anos atrás

Estica… encolhe…. estica um pouquinho… encolhe tudo de novo….

Este é o “Brapzil”….

Vou dizer uma coisa; Quando o desgoverno deste partido terminar (ufa !!)… a FAB estará pior do que quando começaram.. lá em 2003….

Sds.

joao.filho
joao.filho
4 anos atrás

O AMX italiano sim, se pode dizer que é um avião de ataque ao solo no estado da arte. Completamente diferente dessa tranqueria brasileira. E mesmo assim, nem sequer uma “modernização” meio capenga conseguimos levar adiante. Haja paciencia.

Zampol
Zampol
4 anos atrás

AMX x Ghibli, ou “A grama do vizinho è sempre mais verde que a nossa”. Na sexta-feira 12/06 às 14:30 mais ou menos, voltando do trabalho tive a sorte de estar transitando (e parar è claro) na rodovia que passa na cabeceira da pista da Base Aerea de Aviano quando pousavam e/ou exercitavam arremetidas 8 F15 da USAF. Para minha surpresa, seguindo o sexto F15 (que pousou depois de 3 arremetidas) arremeteu um AMX “Ghibli” da AMI. Eram presentes dois jornalistas/fotografos italianos que sorriam de orelha a orelha pelas belas fotos e o golpe de fortuna que tiveram por trovarem-se… Read more »

Zampol
Zampol
4 anos atrás

Alias, se alguém me ensinar como, condivido um video, mesmo se de qualidade sofrivel enquanto feito com o smartphone, do momento da chegada do AMX até o pouso do /° F15.

Vader
4 anos atrás

É aquela história velha: planos malfeitos e mal-acabados que, quando a situação muda um pouquinho, são abandonados e se deixa a coisa no meio do caminho. A verdade é que nosso planejamento militar e bélico, a começar pela funesta END (idealizada por um “adevogado” fraudador de textos de lei e um forasteiro lunático) é simplesmente amador. Mas não deixa de ser o reflexo de um país que é uma nau à deriva… Concordo com o Hornet nessa: essa porcaria de modernização do AMX jamais deveria ter começado mas, já que começou, que fosse até o fim. Lamentável. Retrato de uma… Read more »

costamarques
costamarques
4 anos atrás

Acredito que o Brasil tratara com respeito as forças armadas somente no dia que tivermos uma real ameaça externa! enquanto isso realizamos apenas ensaios e mais ensaios absorvendo e testando tecnologias!

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
4 anos atrás

Acho que a FAB está fazendo tudo errado. Agora que o AMX entrou em Phase Out na AMI, penso que ela deveria adquirir alguns exemplares Italianos para recompletar a frota, como fonte de peças de reposição e também para aumentar o inventário de aeronaves biplaces

Felipe Morais
Felipe Morais
4 anos atrás

_RJ_, diz, então, uma só aeronave que dispensaria a aquisição de outro(s) lotes acima dos 36 previstos? Nunca foi a intenção adquirir um caça que pudesse cobrir todo o território brasileiro baseado em um só lugar, até porque isso é impossível e inviável. Sinceramente, um país do tamanho do Brasil deveria pensar em operar, no mínimo, 100 caças. Quantos a índia opera? e a Austrália? e o Canadá? Se existe algum outro motivo para bater no gripen, além de sua autonomia, nos mostre por favor…porque aditivo poderia vir até o f22 com 50% de desconto, que teria aditivo. Para mim… Read more »

Pangloss
Pangloss
4 anos atrás

Na década de 30 do século passado, Lévi-Strauss afirmou que “o Brasil corre o risco de ficar obsoleto antes de estar pronto”.

O programa de modernização dessa frase deve atualizá-la para o seguinte padrão: “o Brasil sempre foi obsoleto e jamais ficará pronto”.

O pobre AMX é um exemplo perfeito dessa premissa.

Iväny Junior
4 anos atrás

Zampol

Que eu saiba ambos os aviões usam o spey. Acho que os italianos foram gentis contigo.

Hamadjr
Hamadjr
4 anos atrás

Eu sou otimista, pelo menos ainda tem esses aviões para os pilotos ganharem horas de vôos, agora que o Gripen ser o mais caro dos seus concorrentes não é correto pois o mesmo argumento também serviria para o Rafale e F-18, porém é razoável aguadar o desdobramentos desta escolha para saber se foi o mais caro.

rommelqe
rommelqe
4 anos atrás

O programa F-X2 sempre contemplou 126 aeronave para a FAB, fossem escolhidos Rafales, Superhornets ou Gripens. Na primeira fase, são apenas 36. Quem quer ser uma nação de fato, independente e orgulhosa de si deve pensar em ter a mínima dependencia externa. Quando foi pensado o AMX (recomendo ler a EXEPCIONAL materia publicada pelo pessoal daqui das Forças de Defesa) a industria aeronautica brasileira estava pre falimentar. Hoje so somos a terceira maior industria aeronautica do mundo em grande parte devido ao AMX. O Gripen seria a continuação deste conceito vitorioso se não fosse a péssima gestão do Estado brasileiro… Read more »

Claudio Moreno
Claudio Moreno
4 anos atrás

Bom dia Senhores! O governo brasileiro segue “dormindo em berço esplêndido”, quanto a sua capacidade tática e estratégica…enquanto isso o parceiro preferencial do governo aquí instalado e que se situa mais ao norte de nosso continente, decretou de forna uni-lateral direitos maritimos sobre o território da península de La Guajira. O Brasil terá que muito em breve demonstrar claramente que lado está da balança e que parceiros queremos realmente ter a longo prazo. Mas antes disso é fundamental que estejamos preparados para defender o que nos foi passado como legado e herança de nossos antepassados. CM

rommelqe
rommelqe
4 anos atrás

Prezado Claudio: eu mesmo conheço um geólogo, com mestrado na USP, que possui casa em La Guajira.

Colombiano, tem orgulho de dizer que de sua varanda pode-se vislumbrar o ” Atlantico e o Pacífico”. Pelo visto, tinha.

Essa é a venefavela que admitimos no merdosul e, em nome dela, que rebaixamos o Paraguay. Desconfio que não deixam modernizar nenhum A-1.

alexandrefontoura2013
alexandrefontoura2013
3 anos atrás

Gostaria de entender onde e como o Gripen NG seria a opção mais cara das três que se apresentaram no Programa F-X2.

HIDERALDO
HIDERALDO
3 anos atrás

Apenas 3 (três) 1, 2 e … tchã tchã tchã tchã!!! 3 míseros aviões modernizados, isso é de amargar. Enquanto sai dinheiro nas meias de um, nas cuecas de outro, enquanto sai porto de Mariel e vai milhões para Cuba nesse programa “mais guerrilhei…” quero dizer “mais médicos”, enquanto sai linha de metro em Caracas na Venezuela comunista do Maduro, enquanto sai represa no Equador, enquanto sai auto estrada em pais de ditador africano, nossas forças armadas ficam atiradas que nem mendigo de rua. Façam me o favor. Desse jeito o Brasil NUNCA vai ser respeitado por ninguém. Eu queria… Read more »

HIDERALDO
HIDERALDO
3 anos atrás

Eu não duvido que daqui alguns dias apareça a notícia: “…haverá corte na compra dos caças gripen e o governo vai optar por ALUGAR uma dezena de aviões usados como solução tampão até que seja escolhido um novo caça…”
Isto é Brasil amigos não duvidem…