Home História da Aviação FC-1, o MiG-21 do Século XXI

FC-1, o MiG-21 do Século XXI

4816
16

arvore do FC-1

Na imagem acima (clique na mesma para ampliá-la) é possível identificar todas as variantes do projeto MiG-21 produzidas na China, incluindo as variantes produzidas sob licença, modificadas ou derivadas do projeto original.

Como pode ser visto, o FC-1 é descendente direto de uma das primeiras variantes do MiG-21 (o MiG-21F-13). O MiG-21F-13 representou a primeira versão do famoso caça soviético produzido em larga escala a partir de 1960. Depois de mais de 40 anos voou o primeiro FC-1.

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
5 anos atrás

Apanhei um pouco para entender o quadro.
Para não variar, a leitura é da esquerda para a direita.
De resto, o Mig 21 é mais bonito.

rommelqe
rommelqe
5 anos atrás

O que mais me impressiona é a enorme quantidade de variantes. Isso indica uma constante procura tecnologica e o foco em missões especificas. Seria esse fato uma indicação de que o conceito multirole não é o adequado?
Na minha opinão sim, pois nem sempre dá para usar um martelo para fixar parafuso mas, usar uma chave de fenda para “pregar prego” é literalmente impossível.
Moral da estória: tem todo o sentido pensar em Gripen NG contemporaneo com Gripen C/D e a “nossa versão” F (biposta) certamente sérá apropriada para o Brasil.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  rommelqe
5 anos atrás

“Isso indica uma constante procura tecnologica e o foco em missões especificas. Seria esse fato uma indicação de que o conceito multirole não é o adequado?” Rommelqe, Na verdade, a maior parte das variantes mostradas na imagem é resultado de melhorias graduais, ou seja, versões mais modernas etc sendo desenvolvidas e tomando o lugar das anteriores na linha de montagem, do que o desenvolvimento de versões específicas para este ou aquele emprego. A família MiG-21 foi prolífica nesse sentido, em novas versões com melhorias seguindo-se rapidamente na produção, mas quase sempre voltadas à mesma função de sempre como caça tático… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
5 anos atrás

Se existe alguma coisa do MiG-21 no FC-1, deve estar muito bem enterrada na fuselagem, pois externamente, a única coisa que eles compartilham é a posição as asas, e ainda assim são completamente diferentes.

Pangloss
Pangloss
5 anos atrás

Pelo diagrama, dá a entender que na China há mais versões de MiG-21 do que chineses.

Rafael M. F.
Rafael M. F.
5 anos atrás

Bom, eu sou fã do TIE fighter MiG-21, o Fusca dos caças.

Se o FC-1 descende dele, então também sou fã do FC-1

Minhas impressões:

Trata-se de uma aeronave, com se diria, honesta – falo honesta no sentido de cumprir aquilo que promete, dentro de seus limites, no seu Teatro de Operações.

Eu acredito que o conceito multirole seja adequado, mas deve vir acompanhado de modularidade de sistemas – que é o que me parece que o Gripen oferece.

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

Interessante que todas as variantes e sub variantes chinesas descendem do Mig-21/Fishbed C, modelo de primeira geração, ao terem acesso a uma versão mais recente de terceira geração, mesmo que downgraded; os chineses não foram assim tão profícuos.
Parece que o expertise reunido ao longo dos anos, não foi suficiente e/ou adequado.

Iväny Junior
5 anos atrás

Eu não acredito que o FC-1 seja superior ao F-7NL (2008) nem ao Mig-21bis indiano (com aviônica e armamentos israelenses).

Se a estrada de desenvolvimento também for longa, pode ser que um dia ele o seja (principalmente programar uma central de vôo em C, Fortran ou ADA e desinstalar o XP).

carvalho2008
carvalho2008
5 anos atrás

Eu não consegui ver no grafico o JL-9/FTC-2000.

Este sim é o descendente direto do MIG-21 com 70% de similaridade de peças e fuselagem….

Por conta desta herança de peças e maquinario de produção, inclusive motor, consegue ser mais barato em quase 50% com um desempenho que se aproxima razoavelmente do FC-1. É focado em lift trainer, mas tem suas garras e dentes…

Nick
Nick
5 anos atrás

Curiosamente, ao contrário do Clésio, consigo ver a descendência do FC-1 em relação ao seu avô MIG-21. 🙂

[]’s

rommelqe
rommelqe
5 anos atrás

Concordo, Nunão, que cada variante agrega, provavelmente e neste caso, uma evolução relativamente pequena. Mas mesmo assim podemos ver que apos o lançamento do FC-1 eles contabilizam algo em torno de doze variantes. Só Isso ja representa 20% (em quantidade) do atual de caças da FAB. Se cada uma destas opções resultou, em média, 10 caças operacionais, esse total é da ordem de toda a frota.da FAB. Como disse um amigo meu, tecnologia depende de recursis, de venda, de produção. Os chineses tem alta escala em tudo que produzem. De forjados, fundidos, laminados a compositos, eletronicos e aviões. Não privilegio,… Read more »

rommelqe
rommelqe
5 anos atrás

Desculpe-me acrescentar, mas o caso do biplace Gripen F é um exemplo importante. Vejo, como aqui ja coloquei, que essa “outra” aeronave não só contribuirá decisivamente para uma efetiva evolução na engenharia brasileira na área de caças como também sua função primária não deve ser voltada a treinamento. Creio que o apoio aproximado de aviões com uma forte eletronica embarcada será muitíssimo importante em missões de ataque. Enfim, é uma variante muito emblemática e representa um ganho enorme para o Brasil. Não pode ser contigenciada por um governo irresponsável e incompetente.

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

“…nem ao Mig-21bis indiano (com aviônica e armamentos israelenses).” O upgrade indiano é principalmente russo: “MiG-21 Bison Upgraded version for export, the Indian Air Force being the first customer. Equipped with the Phazotron Kopyo (Spear) airborne radar, which is capable of simultaneously tracking 8 targets and engaging 2 of them with semi-active radar homing air-to-air missiles, such as the Vympel R-27. The radar also enables the fighter to deploy active radar homing air-to-air missiles such as the Vympel R-77 when an additional channel is incorporated. Russia has claimed that this version is equivalent to the early F-16. The Indian Air… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
5 anos atrás

O Bison indiano melhorou muito a visibilidade do cockpit. Esse é um dos piores defeitos do MiG-21, junto da curta autonomia de voo. Fico imaginando se fosse possível a instalação do RD-33 sem fumaça, mais as asas duplo delta do último subtipo chinês, daria um trabalho para o F-14 e o F-15.

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/b/b4/MiG-21_Bulgarian_Air_Force.jpg/1280px-MiG-21_Bulgarian_Air_Force.jpg

https://cdn-www.airliners.net/aviation-photos/photos/8/3/9/2195938.jpg

Iväny Junior
5 anos atrás

Mauricio R. Vi em outras fontes que o equipamento instalado nos Bison indianos eram israelenses. Olhando a fonte secundária da wiki: Among many fourth generations attributes added to the IAF MiG-21Bison design, the incorporation of HMS (Helmet Mounted Sight) and high-off-boresight R-73RDM2 NBVR/WVR (Near Beyond Visual Range/Within Visual Range) AAMs (Air-to-Air Missiles) have turned it into a “Great Equalizer” in the WVR combat scenario. Conceptually a small number of MiG-21Bisons maintaining “radar silence” can be guided towards their aerial target by a couple of Sukhoi-30s by secure data links in accordance with MFFC (Mixed Fighter Force Concept). Upon entering into… Read more »

ronaldo de souza gonçalves
ronaldo de souza gonçalves
4 anos atrás

gostaria de ver um mig no Brasil alguns só como agressores temos muitos exercicios de combate contra mirage e enfim aviões ocidentais mas se precisarmos enfrentar um pais com outra tecnologia penso que deveriamos fazer no futuro exercicios com russos,chineses.