Home Aviação Experimental O desafio das pequenas na Aviação

O desafio das pequenas na Aviação

458
5

As pequenas na Aviação

Enquanto algumas sonham em abrir o capital e entrar na lista das grandes fabricantes mundiais, outras tentam evitar a falência

Marina Gazzoni

ClippingNEWS-PAA quarta maior fabricante de aviões comerciais do mundo é brasileira. Mas embora ela seja a maior do País, não está sozinha no mercado nacional. Dezenas de empresas ainda pouco conhecidas tentam trilhar os próprios caminhos. O Estado conversou com empresários do setor e visitou oito fábricas em seis cidades para entender quais são os sonhos e as dificuldades desses empreendedores.

As empresas são pequenas e suas fábricas pouco automatizadas. Mas a ambição de seus donos é grande. “Nós temos potencial para ser uma segunda Embraer. É aí que queremos chegar”, diz o fundador da Edra, Rodrigo Scoda. “Queremos ser uma das dez maiores fabricantes para aviação geral do mundo em dez anos”, afirma Paulo Junqueira, da novata Novaer. A paulista Inpaer está no meio de um “choque de gestão”, acertando as contas e a sua estrutura organizacional de olho na abertura de capital.

O desenvolvimento de novas tecnologias é a inspiração da equipe da ACS Aviation, que testa o primeiro avião elétrico do País. “Queremos ver nosso avião voar”, diz um dos engenheiros.

Já a Aeromot, empresa gaúcha que foi a segunda maior fabricante de aviões do País até 2012, hoje está em recuperação judicial e tenta evitar a falência. “Quero salvar a minha empresa”, diz Claudio Viana, de 83 anos.

Leia a matéria na íntegra no site do Estadão, clicando aqui.

5
Deixe um comentário

avatar
5 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
Mauricio SilvaMauricio R.Gilberto RezendeRafael OliveiraR_Silvestro Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
R_Silvestro
Visitante
R_Silvestro

Meu sonho é comprar um Seamax que está nessa foto ai…..

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Muito interessante a extensa reportagem. Desconhecia essa grande quantidade de empresas atuando na área.

O caso da Inpaer é interessante pelos conceitos de administração envolvidos. Porém, isso não é suficiente para o sucesso da empresa.

Já o caso da Flyer é sintomático do intervencionismo estatal. A ANAC, por falta do que fazer, atrapalha a livre iniciativa e os empregos. Um desserviço ao país.

A Novaer tem chances de emplacar o Sovi, mas não deve ficar dependente de encomendas governamentais. Prova disso são os casos da Aeromot e da IPE.

De qualquer forma, desejo sucesso a todos os empreendedores do setor.

Gilberto Rezende
Visitante
Gilberto Rezende

Por acaso a “guria repórter” do Estado de São Paulo é fã da canadense Bombardier para dizer que a Embraer é a 4ª maior fabricante de aviões comerciais do mundo ???

A Embraer é a 4ª maior fabricante de aviões, no total, se considerarmos a aviação militar; aí a Lockheed Martin que tem enorme fabricação de aviões militares para as forças dos EUA é a terceira….

Entre os fabricantes de aviões comerciais (de aviação civil) a Embraer é a 3ª maior fabricante do mundo… E ponto.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

A verba indevidamente empatada no KC-390, pela União, neste setor faria maravilhas.

Mauricio Silva
Visitante
Mauricio Silva

Olá.

“A verba indevidamente empatada no KC-390, pela União, neste setor faria maravilhas.”

Tem de haver recursos para as duas situações: para projetos avançados (e, por favor, não seja irônico com a palavra “avançados”) e para o desenvolvimento básico.
No entanto, dificilmente haverá (pelo menos há médio prazo) espaço para mais de uma grande empresa aeronáutica no país. Mas ainda há espaço na aviação geral/desportiva.

SDS.