Copiloto de avião se assusta com manobra, ejeta assento e sobrevive

    643
    29

    ejecao acidental de copiloto de super tucano 2

    ClippingNEWS-PA Nesta quarta-feira, 19, por volta das 10 horas, a Polícia Militar de Tabatinga solicitou apoio de viaturas de cidades vizinhas, relatando que mediante várias denúncias afirmando que uma aeronave pequena, voando muito baixo próximo a uma área rural, ejetou seu co-piloto de forma estranha e suspeita.

    Após verificar que se tratava de uma aeronave da empresa Embraer, de Gavião Peixoto SP, foi constatado que o Copiloto, que estava em treinamento, teria se assustado com uma manobra e ejetado o seu assento. Equipes da Polícia Militar de Ibitinga se deslocaram para o local e junto com a PM de Tabatinga e o apoio de um helicóptero da Embraer realizaram buscas para resgater Carlos Alberto Gonçalves, 47 anos, encontrado uma hora após as buscas.

    Carlos Alberto, residente em São José dos Campos, foi encontrado às margens da Rodovia Deputado Vitor Maida (SP-331), com escoriações pelo corpo, sendo socorrido prontamente pelo SAMU de Ibitinga e levado ao Helicóptero da Embraer para posterior remoção ao Hospital São Paulo de Araraquara.

    ejecao acidental de copiloto de super tucano

    FONTE/FOTOS: Portalternurafm

    Subscribe
    Notify of
    guest
    29 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    Nautilus
    Nautilus
    6 anos atrás

    Co-piloto foi flórida…
    Mas, esta aí a explicação..,

    Carlos Alberto Soares
    Carlos Alberto Soares
    6 anos atrás

    Pô Carlos Alberto ?

    Marine
    Marine
    6 anos atrás

    Bem agora que sabemos que ele passa bem podemos rir a vontade….

    Mas que papelao hein?! Rsrsrsrsrs So espero que o novo emprego venha com cueca nova tambem!!

    Fernando "Nunão" De Martini
    Editor
    6 anos atrás

    Apesar da explicação do “susto com a manobra” ser algo pra lá de interessante para se comentar ou, como disse o Marine, para rir à vontade já que ninguém se machucou, eu seria um pouco mais cauteloso antes de comprar assim de graça essa explicação trazida pela matéria. Por enquanto, a origem da explicação no texto é só um “foi constatado” (Pelas denúncias que chegaram à polícia? Pela própria polícia? Pela reportagem?). Falta, na minha opinião, colocar os depoimentos dos principais envolvidos, ou seja, os dois pilotos, para saber se foi isso mesmo. Mas, se for comprovado que foi isso… Read more »

    Clésio Luiz
    Clésio Luiz
    6 anos atrás

    Eu sabia. Antes desse acidente o Carlos Alberto tinha admitido nos comentários aqui no Poder Aéreo que estava sob efeito de medicações:

    “…estou tomando 18 remédios por dia depois de uma operação recente e “tô meia boca”.”

    É brincaderia viu 🙂

    Observador
    Observador
    6 anos atrás

    Este negócio do piloto entrar em pânico e se ejetar não é nada.

    História bizarra é esta aqui ó:

    http://ifronline.blogspot.com.br/2009/11/aluno-derruba-simulador-de-voo.html

    E não é derrubar virtualmente. É derrubar mesmo, de deixar as perninhas do aparelho para cima.

    Se é verdade ou não sei. Mas que é esquisito é.

    Alexandre Galante
    6 anos atrás

    Parece que aeronave entrou em parafuso no topo de uma acrobacia chamada oito cubano….o brasileiro se ejetou e o piloto americano saiu do parafuso e pousou o avião depois. Dois pilotos muito experientes,nenhum aluno a bordo.

    Rinaldo Nery
    Rinaldo Nery
    6 anos atrás

    História estranha… O oito cubano é uma manobra simples.
    Carlos Alberto é Jaguar, e já foi comandante do Grifo. É um caçador muito experiente, inclusive no A-29.
    Serviu comigo em Anápolis, e fiz um voo de Mirage III com ele.

    Nautilus
    Nautilus
    6 anos atrás

    Se houve alguma situação anormal, pode até ser que ambos tivessem a intenção da ejeção, mas o segundo tripulante pode ter percebido que, com a ejeção do primeiro tripulante e o consequente alivio do peso e deslocamento do CG da aeronave, a situação anormal pode ter sido anulada e ele percebeu que já poderia controlar a aeronave normalmente, como aconteceu. Pode nunca ter acontecido com o ST, mas não seria a primeira vez que isso ocorre, deixo as explicações, entretanto, para os profissionais. Eu também não tiraria conclusões precipitadas da atitude do piloto. Só que em estava lá poderia dar… Read more »

    Nautilus
    Nautilus
    6 anos atrás

    Complementando a história do simulador derrubado, eu acho que ela é falsa porque já a havia lido com o mesmo Bubba como personagem, só que ele não era de origem africana, mas um caipira americano. O sobrenome era diferente…

    Carlos Alberto Soares
    Carlos Alberto Soares
    6 anos atrás

    “Clésio Luiz
    19 de fevereiro de 2014 at 22:19 #”

    rsrskkk,

    18, mas neles estão incluídos pro coração(2), pressão(2), diabetes(2), anti-inflamatórios(1), pra dores(2), antibióticos(1) quase todos várias vezes ao dia.

    O anticoagulante e a aspirina ambos de uso contínuo estão suspensos.

    Diazepan 10 eventualmente.

    Clésio Luiz,

    eu não tenho nada, inclusive também não tenho saúde !

    kkkkrsrsrsrs…..

    Carlos Alberto Soares
    Carlos Alberto Soares
    6 anos atrás

    Caro Rinaldo Nery

    O seu parceiro é fera, quando puder o Senhor dá um toque ?

    Justin Case
    6 anos atrás

    Amigos, bom dia. Algumas considerações, considerando a possibilidade de ter ocorrido exatamente o que foi levantado pelo Galante: Essa situação de um piloto se ejetar de aeronave que entrou em parafuso e o outro trazer o avião para casa é mais comum do que se imagina. A resposta está nos efeitos aerodinâmicos de uma ejeção. Um avião em parafuso está com excesso de ângulo de ataque nas asas, e os comandos de voo não têm capacidade de fazê-lo voltar à situação de fluxo de ar alinhado. A ejeção, por ação e reação, empurra o nariz do avião no sentido de… Read more »

    Justin Case
    6 anos atrás

    Considerações, considerando… Acho que não acordei bem hoje.

    Fernando "Nunão" De Martini
    Reply to  Justin Case
    6 anos atrás

    Pois é, confirmando-se a situação trazida pelas informações do Galante, a coisa fica muito, mas muito longe mesmo de “copiloto de avião se assusta com manobra”, ainda mais com as considerações do Justin e do Nautilus a partir dessa possibilidade. Resumindo, teria ocorrido então (lembrando mais uma vez que ainda estamos no campo das hipóteses) uma situação de perda de controle, a partir da qual a ejeção foi a atitude correta a tomar (e efetivamente tomada por um dos tripulantes). Porém, a própria ejeção teria acarretado mudança na situação de perda de controle, fazendo com que o tripulante ainda não… Read more »

    sergiocintra
    sergiocintra
    6 anos atrás

    Aos mestres AV’s:

    Fazendo um “debriefing”:
    Qual (is) seria(m) possivel(is) atitude(s) para correções?
    -Aerodinâmica?
    -Atualizações de manuais? Ex.: Não faça isso sob tais condições metereológicas
    -Revisões mecânicas?

    Óbvio cada caso é um caso, mas qual seria o usual praticado para essas ocorrências.

    Marcos
    Marcos
    6 anos atrás

    É, pode ser!
    Para sair de parafuso chato, a solução é deslocar o centro
    de gravidade para frente.
    A ejeção, de fato, pode ter mudado o centro de gravidade e recuperado a atitude da aeronave.

    phacsantos
    phacsantos
    6 anos atrás

    OFFTOPIC.

    Prezados, más notícias.
    Defesa terá corte de R$ 3,5 bi em 2014:
    http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/Arquivos/pronunciamentos/2014/programacao_orcamentaria_2014.pdf

    Assim fica difícil…

    Elezer Puglia
    Elezer Puglia
    6 anos atrás

    Prezados,

    Depois de ler os comentários de vários dos colegas especialistas, em particular do Rinaldo Nery, do Nautilus e do Justin Case, fico com a sensação de que não houve nada de “estranho” ou “suspeito” na manobra, mas apenas as reações instintivas e bem treinadas de dois profissionais competentes, trabalhando em sincronia, numa situação de emergência.

    Resumindo: um trabalhou para desarmar o parafuso com a ejeção, outro trouxe o avião de volta ao chão com segurança. Sem danos físicos aos pilotos, nem materiais ao avião. Parabéns a ambos.

    Corsario137
    Corsario137
    6 anos atrás

    Gente,

    Pelamor de Deus, pra mim pode ter acontecido qualquer coisa, menos que o cara acionou a ejeção por “precipitação”.

    Digo mais, na asa rotativa só não tem gente se ejetando porque não dá. Porque se tivesse…

    Corsario137
    Corsario137
    6 anos atrás

    Aproveitando o espaço…

    Por duas vezes já mandei gente pro hospital porque o sujeito passou mal fazendo treinamento de emergência.

    É um fenômeno: “cortou” o hidráulico = pressão arterial sobe. E olha que o aluno é avisado do que vai acontecer mas não tem jeito. Tocou a buzina ferrou.

    Rinaldo Nery
    Rinaldo Nery
    6 anos atrás

    Amigos, as observações do Nautilus, Elezer e Justin estão corretíssimas. Acabei de falar com meu amigo da EMBRAER e o mesmo confirmou o que sabíamos. Durante a puxada para o oito cubano o americano parou de puxar, a velocidade caiu muito, e o avião entrou em parafuso invertido. O CAL, apesar da barreira da língua nessas situações críticas, não conseguiu recuperar (imagino que no A-29 seja mais complicado que no T-27), e determinou a ejeção. Nas situações sem controle a ejeção não deve ser retardada abaixo de 5.000 ft de altura. Com a ejeção o CG mudou e o americano… Read more »

    Marcos
    Marcos
    6 anos atrás

    Rinaldo:

    Entrou em parafuso invertido ou parafuso chato?

    Carlos Alberto Soares
    Carlos Alberto Soares
    6 anos atrás

    Estimados Rinaldo Nery, Nautilus, Elezer e Justin

    Obrigado.

    O CENIPA entrou nessa ou não necessariamente ?

    Desconheço o procedimento.

    Joner
    Joner
    6 anos atrás

    Senhores, já que existem muitas hipoteses, e não houve perdas humanas, me permitam fazer uma pergunta diferente.

    Sobrou algum instrumento no painel do A29 depois da ejeção? Pois as chamas devem ter causado algum extrago, não?

    Ou estou errado e basta colocar um acento e canopy novos.

    Abs…

    Rinaldo Nery
    Rinaldo Nery
    6 anos atrás

    Parafuso invertido.
    O CENIPA investiga sim, obrigatoriamente.
    Desconheço se houve maiores danos à aeronave, além do assento e do canopy.

    Justin Case
    6 anos atrás

    Amigos, boa noite. 1. Quando imaginamos um avião em parafuso, nos vem à mente a imagem tradicional de um parafuso normal (ereto), com nariz baixo. Quando existe treinamento para recuperação dessa perda de controle, este é o escolhido, por ser o mais comum, decorrente de estol por excesso de ângulo de ataque. Existe ainda boa velocidade longitudinal, a qual permite a recuperação com utilização dos comandos de voo, manche e pedais. 2. Uma variação é o parafuso chato, mas ereto. Neste caso, a velocidade é quase zero e a recuperação inicialmente envolve a transformação da rotação em torno do eixo… Read more »

    Carlos Alberto Soares
    Carlos Alberto Soares
    6 anos atrás

    Rinaldo Nery

    Obrigado.