sábado, outubro 23, 2021

Gripen para o Brasil

EUA e Japão desafiam China com sobrevoos em nova zona aérea

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

B-52 sobre o Pacífico

Por Tim Kelly e Phil Stewart

ClippingNEWS-PATÓQUIO/WASHINGTON, 27 Nov (Reuters) – Dois aviões de combate norte-americanos B-52 desarmados sobrevoaram ilhas disputadas no mar do Leste da China, sem informar Pequim, e as principais companhias aérea japonesas também ignoraram as autoridades chinesas ao passarem com seus aviões, nesta quarta-feira, por uma nova zona de defesa aeroespacial.

O desafio dos aliados Japão e EUA às novas regras de identificação impostas pela China sobre o espaço aéreo eleva o tom do impasse territorial entre Pequim e Tóquio por causa das ilhas, e desafia Pequim a dar o próximo passo.

A China publicou no fim de semana as coordenadas de uma nova Zona de Identificação da Defesa Aérea do Mar do Leste da China, alertando que tomaria “medidas emergenciais defensivas” contra aeronaves que não se identificarem corretamente. A zona de vigilância tem aproximadamente dois terços da aérea da Grã-Bretanha.

“Se os Estados Unidos conduzirem mais dois ou três voos desse tipo, a China será forçada a responder. Se a China só puder responder verbalmente será humilhante”, disse Sun Zhe, professor do Centro de Relações EUA-China, da Universidade Tsinghua, em Pequim. “O conceito do tigre de papel é muito importante. Todos os lados encaram isso.”

O ministério chinês da Defesa disse ter monitorado todo o progresso dos aviões bombardeiros dos EUA na região ao longo da terça-feira. Um porta-voz do Pentágono disse que os aviões nem foram observados nem foram contatados pelos chineses.

Qin Gang, porta-voz da chancelaria chinesa, disse que o país poderá responder a futuras violações com “uma reação apropriada”, dependendo “da situação e grau da ameaça”. Sem entrar em detalhes, Qin acrescentou que a China informou os “países relevantes” antes de estabelecer a zona de vigilância.

A pedido do governo japonês, as companhias Japan Airlines e ANA disseram que deixaram na quarta-feira de fornecer seus planos de voo e outras informações às autoridades chinesas. As companhias disseram não ter tido problemas ao sobrevoar a área.

De acordo com a JAL, a entidade setorial japonesa concluiu que ignorar as exigências chinesas não acarretava riscos aos aviões comerciais. A JAL e a ANA divulgaram notas em seus sites explicando sua decisão.

De acordo com os militares dos EUA, o sobrevoo dos B-52 na área era parte de um exercício planejado com muita antecedência.

Alguns especialistas dizem que o objetivo da China é reduzir a credibilidade da reivindicação japonesa sobre essa região marítima, que inclui as pequenas ilhas desabitadas que são conhecidas como Senkaku pelo Japão, e como Diaoyu pela China.

(Reportagem adicional de Jeff Mason, na Califórnia; David Alexander, Matt Spetalnick e Lesley Wroughton, em Washington; Kiyoshi Takenaka, em Tóquio; Ben Blanchard e Michael Martina, em Pequim; e Lincoln Feast, em Sydney)

FONTE: Reuters

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

11 Comments

Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo

vixi…quem fala o que quer, VÊ o que não quer!
🙂

Antonio M

Pois é, uma ajudando o outro a calibrar seus radares e outros sistemas !!! rsrsrsrsrsrsrsr!!!!

Iväny Junior

Pois é. A china se colocou numa posição bastante agressiva. Se era apenas blefe, vai sair diminuída da disputa.

Blackhawk

Os EUA estão de gaiato. Duvido que a China tome alguma providência concreta contra os EUA. Ainda não vejo, hoje, a China com poder para fazer frente aos EUA & aliados. Acho que esse plano de defesa aérea será aplicado mais às nações pequenas e/ou com pouca defesa, no máximo uma que outra inticada no Japão.

Guizmo

Que jogo de poker! Quero ver agora se o blefe chinês tem fundamento ou vão sair de cena

eduardo pereira

A China nao vai fazer nada, estao blefando ,mas, com algum objetivo por trás o qual esta sendo alcansado com certeza !!

Sds.

Aldo Ghisolfi

A geopolítica aponta para Taiwan.

Guizmo

Também acho que a China não vai atacar, mas creio que essa pressão é para conseguir algo em troca, que não está no foco nesse momento, algo como a Rússia fez durante a crise dos mísseis de Cuba, quando conseguiu deslocar os IRBM da Turquia

nunes neto

Lembrou o caso dos russos na colômbia,kkkk

Hamadjr

Piloto do B52: Torre Aérea do Mar do Leste da China, informando que estamos passando. QSL
ATC Aérea do Mar do Leste da China: B52 autorizado tenha uma boa viagem, reporta próximo ATC para prosseguir, QAP.

Oganza

Caros Colegas, para mim a China não blefou feio, nem rude e muito menos errado, acho inclusive que não foi um blefe, foi exatamente o que aconteceu. Uma ação premeditada com o intuito de provocar e ver determinadas reações, avaliar senários e gerar acima de tudo STRESS. A China está abilmente criando uma cortina de fumaça em um terreno onde ela conhece os ventos e a topografia. Está jogando no seu quintal, fazendo como um “condenado” que estuda a arquitetura de um presídio, a rotina e hábitos dos guardas para daqui a pouco dar um maço de cigarros a um… Read more »

Últimas Notícias

Embraer comemora 20 anos do início das operações de ensaio em voo em Gavião Peixoto

Gavião Peixoto – SP, 22 de outubro de 2021 - Um dos principais complexos industriais da Embraer no Brasil,...
- Advertisement -
- Advertisement -