Home Noticiário Nacional Ampliando relações: Hollande vem ao Brasil tentar negociar o Rafale

Ampliando relações: Hollande vem ao Brasil tentar negociar o Rafale

137
18

Rafale - foto A Galante - Poder Aéreo

ClippingNEWS-PAQuem estará desembarcando dia 12 no Brasil é o presidente da França, François Hollande, com objetivos de ampliar os negócios entre os dois países. No dia seguinte, ele vem a Brasília para tentar negociar a nova geração dos Dassault-Rafale, a preços atraentes e inovações tecnológicas. O argumento é que um caça de combate tem vida útil de 30 a 40 anos, com as novas tecnologias.

FONTE: Jornal de Brasília (coluna de Gilberto Amaral)

COLABOROU: Eder Albino

Rafale - foto 5 Galante - Poder Aéreo

NOTA DO EDITOR: o título original é “Ampliando relações”.

Quanto ao teor da nota, trata-se de mais um episódio em que uma autoridade política estrangeira, de um país que fabrica um dos concorrentes do F-X2, em visita ao Brasil. E, mais uma vez, surgem notícias de que nessa visita será negociada a compra de caças do seu país pelo Brasil. É sempre uma especulação digna de nota, e em muitos casos notícias como essas citaram fontes ligadas ao processo, então nunca se sabe se o palpite é quente ou não.

Pode ser que, desta vez, o programa F-X2 chegue a uma decisão, embalado pela visita. Ou não…

Isso porque o histórico de resultados concretos, nesse sentido, é desapontador. Outros presidentes e até reis já visitaram o Brasil desde o início do F-X2 e nada aconteceu quanto a anúncios de compras de caças, com exceção da visita de Nicolas Sarkozy em setembro de 2009, quando foi anunciado por Lula que seriam iniciadas negociações ligadas ao Rafale. Só que, no dia seguinte, a história já era outra. Medvedev já veio, quando o Su-35 já estava fora do F-X2, a família real sueca também já veio, Obama já nos visitou, o citado Sarkozy veio várias vezes, antes mesmo do episódio de 2009 – em 2008, ele veio e o negócio entabulado foi de helicópteros –  e até depois, quando já era ex-presidente. Clique nos links ao longo dessa nota para relembrar das notícias.

Será que esta nova visita será diferente das anteriores?

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
joao.filho
joao.filho
7 anos atrás

FX2…Brasil…Zzz…

Guizmo
Guizmo
7 anos atrás

Acho mais fácil a China invadir aquelas ilhas e afundar uns navios japoneses, dando início a 3a guerra mundial ainda essa semana, do que o Governo decidir a compra do Rafale durante essa visita

Almeida
Almeida
7 anos atrás

“preços atraentes” só se for pros franceses…

A gerenta não vai se queimar em plena campanha eleitoreira antecipada. Se ela fecha com o Rafale e os norte americanos soltam a proposta da Boeing nas mãos da oposição, com preço BEM inferior e financiamento muito mais atrativo, a casa cai pra ela.

Ela vai é deixar isso pro próximo ou decidir depois da reeleição ganha, se não cancelar de vez antes.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Vem americano! Vem francês! Vem sueco!
Essa gente não entende que aqui todo mundo é amante da paz. Nós não queremos guerra como querem esse povo de olhos azuis. Para quem avião de caça? Ainda mais supersônico! Faz muito barulho. Espanta os bichinhos da floresta.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

O único defeito do Rafale é que em um dogfighter com um F-18, se ele ficar na rabeira do outro, cai.

eduardo pereira
eduardo pereira
7 anos atrás

Mês que vem promete hein !!!

andersonrodrigues1979
andersonrodrigues1979
7 anos atrás

Seria ótimo fechar com os Franceses da para fazer um bom negocio é só saber negociar colocar o preço que a gente quer pagar e exigir o que a gente quer, fazer isso como primeiro comprador, dinheiro tem não precisa nem de financiamento.
Eu sempre torci pelo Rafale e continuo torcendo.
Abraço

juarezmartinez
juarezmartinez
7 anos atrás

É continue torcendo e terás força aérea de hangar com os custos operacionais estratosféricos desta aeronave.
Lembrando sempre que comprar não significa operar.

Grande abraço

Baschera
Baschera
7 anos atrás

“…. tem vida útil de 30 a 40 anos…”

Grande coisa…temos F-5 M (M de Matusalém) com cinquenta anos de uso….

Sds.

Santana Denis
Santana Denis
7 anos atrás

Ele pode vir mas pra negociar o Rafale acho meio difícil viu, já postei um monte de vez, esse caça esta fora do FX2 desde ABRIL, saudações.

bitt
7 anos atrás

“É continue torcendo e terás força aérea de hangar com os custos operacionais estratosféricos desta aeronave.” Bem, Juarez, ai penso q seja o caso das FFAA (e não apenas a FAB) tratarem de estabelecer formas de pressão política mais eficazes, o que, ao que parece, de fato falta. Não vou entrar em aspectos técnicos, q já foram mais do q discutidos aqui. Não importa qual q aeronave (pessoalmente tamb simpatizo com o Rafale mas ficaria feliz com o Gripen), mas do jeito que a coisa anda, seja qual for ficará no hangar (e os navios na doca e os CCs… Read more »

eduardo pereira
eduardo pereira
7 anos atrás

Baschera vc foi felissíssimo no comentário !!kkkk

Sds

Se operamos uma aeronave que duraria 25 anos por 50 entao uma de 30 a 40 anos voará por no mínimo 70 a 80 quando os carros já estiverem voando a mach 1,2 ou mais.

Almeida
Almeida
7 anos atrás

andersonrodrigues1979, fala isso pros indianos, que estão comprando 126 unidades, antes da gente.

Oganza
Oganza
7 anos atrás

Meu idi falando pro meu ego:

– Cala a boca, já te proibi de falar sobre esse assunto. Shiiii
– Não fale o nome daquele que não deve ser nomeado.

Meu ego:

– 🙁

juarezmartinez
juarezmartinez
7 anos atrás

“É continue torcendo e terás força aérea de hangar com os custos operacionais estratosféricos desta aeronave.” Bem, Juarez, ai penso q seja o caso das FFAA (e não apenas a FAB) tratarem de estabelecer formas de pressão política mais eficazes, o que, ao que parece, de fato falta. Não vou entrar em aspectos técnicos, q já foram mais do q discutidos aqui. Não importa qual q aeronave (pessoalmente tamb simpatizo com o Rafale mas ficaria feliz com o Gripen), mas do jeito que a coisa anda, seja qual for ficará no hangar (e os navios na doca e os CCs… Read more »

Control
Control
7 anos atrás

Srs Considerando que a FAB não consegue nem manter os atuais M2000 com razoável condição de cumprir sua função de interceptor (manutenção e armas), como se espera que a FAB consiga comprar e manter uma nova leva de M2000 tampão, não importa qual versão, ou ainda pior, manter Rafales, cujo custo operacional é ainda mais alto? É compreensível a insistência de alguns na compra do Rafale ou de qualquer solução francesa, pois tem que assim fazer, por obrigação profissional; mas quanto a maioria, é surpreendente a aceitação e até a euforia com a possibilidade da FAB entrar pela terceira vez… Read more »

Guilherme Poggio
Reply to  Control
7 anos atrás

Considerando que a FAB não consegue nem manter os atuais M2000 com razoável condição de cumprir sua função de interceptor (manutenção e armas), Discordo. Dentro do que se esperava do M2000 (caça-tampão), ele cumpriu exatamente o que se esperava dele e a FAB os manteve em perfeitas condições, sendo que a disponibilidade dele estava dentro do previsto. Ainda no final da sua vida útil na FAB, dois anos depois do tempo previsto de uso, nada menos do que cinco aeronaves (quase a metade do inventário) estavam participando da operação CRUZEX. É bom a FAB acostumar-se com o custo da hora… Read more »

Control
Control
7 anos atrás

Srs

Prezado Poggio

Com certeza a FAB mantinha, mas não consegue manter. Senão, porque está aposentando os M2000? Não é por estar custando muito caro para operar? E, porque fica ainda muito mais caro modernizá-los para o uso de armas mais atuais?
Quanto a FAB acostumar-se a horas de vôo mais caras, parece que a questão não é ela se acostumar, mas sim sobrar dim dim para isto, condição que não parece estar a vista frente aos cortes orçamentários e a impossibilidade de reduzir a despesa de custeio com pessoal.

Sds