Home Aviação de Caça Se arrependimento matasse…

Se arrependimento matasse…

261
34

F-16 da Holanda - foto 2 Força Aérea Holandesa

vinheta-destaque-aereoNo início de 2002 a governo dos Estados Unidos ofereceu à FAB uma opção de caças usados em lugar do programa F-X. A oferta era composta por 12 caças F-16A e sete F-16B que pertenciam à Real Força Aérea Holandesa.

Conforme informado, os caças possuíam, em média, 2700 horas e deveriam passar por um IRAN (processo de inspeção estrutural e substituição de peças se necessário) que elevaria a vida da célula para 4000 horas.

A proposta incluía a substituição dos motores por novos P&W F100-220E. Os radares seriam o APG-66 e boa parte dos sistemas de comunicação e navegação seria renovada. Mas um programa de modernização tipo MLU não estava incluído e poderia ser contratado posteriormente. Ventilou-se até mesmo a possibilidade de modernização de aviônicos compatíveis com o F-5M.

Estimva-se um período de 18 meses até que as aeronaves e as tripulações atingissem IOC (Initial Operational Capability), ou seja, estivessem prontas operacionalmente.

O pacote de 19 aeronaves estava avaliado (valores da época) em US$ 122 milhões, representando um alternativa muito mais barata que os estimados US$ 700 milhões para a aquisição de 12 caças para o GDA (Grupo de Defesa Aérea) como previa o F-X.

Mas se a FAB adquirisse as aeronaves no estado em que se encontravam (sem as melhorias propostas acima), o preço das 19 células cairia para US$ 95 milhões.

Três anos depois o F-X foi cancelado e para substituir os Mirage III do GDA foram encomendados 12 caças Mirage 2000 B/C usados por 60 milhões de euros (sem falar nos 20 milhões em armamentos e equipamentos de apoio e suporte) no estado em que se encontravam.

É óbivo que ninguém naquela época previa o cancelamento do programa F-X e o posterior “embromation” do programa F-X2. Mas comparando as duas propostas, compramos caças usados como tampão que tecnicamente se equivaliam, mas em uma quantidade menor e por um preço maior que o da oferta americana. Se a opção fosse pelos F-16 oferecidos em 2002, o GDA teria que trocar suas aeronaves no final deste ano?

FONTE: dados fornecidos pela RFA nº 28

NOTA DO EDITOR:  foi também em 2002 que a FAB noticiou o leasing de 12 caças IAI Kfir por cinco anos por cerca de US$ 91,6 milhões, mas acabou voltando atrás.

Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Roberto F Santana
Roberto F Santana
7 anos atrás

Eu me lembro, tinha até uma foto montagem de uns F-16 pousados em Santa Cruz com os lemes pintados de verde e amarelo.
Ia ser uma boa hein?
F-16… eita nóis.
Qual que quebra mais janelas? F-16 ou Mirage 2000?

Hamadjr
Hamadjr
7 anos atrás

Esta é para mim uma novidade, se não lesse aqui creio que ficaria sem esta informação, e para onde foi esses F-16 alguém sabe dizer.

Giordani
Giordani
7 anos atrás

Ter se livrado do kfir foi o unico momento de lucidez da Fraqueza Aerea…

Nao eh a fab que nao merece F-16…eh o F-16 que nao merece o brazil!!!

jairo boppre sobrinho
jairo boppre sobrinho
7 anos atrás

Caro Hamadjr
Bom Dia
Devem ter ido para o Chile
Abs

Vader
7 anos atrás

Pois é, se arrependimento matasse… A FAB deveria ter pegado esses F-16 no estado em que estavam e deixado de se fiar em propostas governamentais furadas. Hoje ao menos o GDA estaria voando com uma aeronave que ainda é produzida, e que utiliza armas modernas e ainda sendo produzidas, podendo ser recompletado com um estoque gigantesco, podendo ser modernizadas para o padrão MLU e, ainda, podendo comprar Block 50 novinhos em folha. Para quem sabe um dia dar o passo além e comprar o F-35. Mas não, como sempre nossos militares preferiram os sonhos mirabolantes e se fiaram nas palavras… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

Se arrependimento matasse…
Que arrependimento???
A petralhada deve estar é arrependida, do pouco que fez contra as ffaa do Brasil.

Adriano Bucholz
7 anos atrás

Já disse e vou repetir !!!

Vamos devolver o BraZil aos índios e pedir desculpas……

Nick
Nick
7 anos atrás

Realmente era um pechincha….19 F-16 por US$122 milhões, com pelo menos 15 anos de vida útil. Mas a FAB era mais ambiciosa na naquela época. Hoje se contenta com os F-5EM.

[]’s

thomas_dw
thomas_dw
7 anos atrás

Os Kfir foram para a Colombia, que agora tem 20+ deles – e fizeram bonito na RED FLAG, se tivessemos aceito a oferta do Kfir C10, teriamos uma opcao barata e totalmente compativel com o F-5M tanto em sistemas como em armamento, e ainda por sima barata de operar.

Mas como somos megalomaniacos, o sonho do FX virou o pesadelo do FSX3.

aldoghisolfi
aldoghisolfi
7 anos atrás

O que existe é uma oposição frouxa, um TC aparelhado, um MP bola murcha, pois alguém precisaria responsabilizar os responsáveis pelas más gestões com o dinheiro público. Esse caso dos aviões para a FAB é outro mensalão. Escárnio para a sociedade apostando pura e simplesmente na impunidade, como sempre e sempre vem acontecendo.

asbueno
asbueno
7 anos atrás

Não há arrependimento, então não haverá mortes. aldoghisolfi, não é apenas questão de oposição fraca. O FHC poderia ter batido o martelo no FX e não o fez. A ele é atribuida uma frase em que ele diria que, em relação ao FX e afins “é coisa para brigadeiro brincar de guerra”. e nossos políticos, em geral, não brincam de legislar e fiscalizar? E “nosso Itamaraty”, que passa boa parte do tempo brincando de Mercosul, Unasul, Alba, etc e aspira a um assento (sanitário?) no CS da ONU? Enfim, as FFAA são, como o país, refens de administrações ao menos… Read more »

Almeida
Almeida
7 anos atrás

12 Mirage 2000 B/C no osso e desdentados versus 19 F-16 A/B MLU… é de doer.

Giordani
Giordani
7 anos atrás

thomas_dw disse: 18 de janeiro de 2013 às 7:58 Essa história do Kfir para FAB é um tanto “perigosa” de comentar, pois agora foi tratada entre “amigos” e tal…financeiramente te digo: Que bom que não vingou! Mas vendo pela óptica (da época) acho que teria sido um bom negócio, pois o GDA passaria de um velho Mirage para um MENOS velho Mirage…penso que o impacto tecnologico teria sido absorvido em bem menos tempo, assim como o gasto para atingir a IOC. Na boa, a IOC teria sido “fichinha” para a FAB com o Kfir… A pergunta hoje é: Entre um… Read more »

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Índia e Brasil são dois países que estão em lado opostos da mesma corda. O primeiro está armado até os dentes, em excesso, coisa completamente inteligível: 200 SU-30, 186 Rafales, 200 SU-50, 60 Mirages, 60 Jaguares e sabe-se o que mais. Enquanto isso o povo passa fome. O segundo pegou uma programa social e transformou-o em um programa assistencialista. Uma estimativa é que nesses últimos dez anos o Bolsa Família tenha distribuído algo em torno de R$100 bilhões. Justo por uma parte, mas sem nenhuma porta de saída – não é a toa que um certo Partido tem-se mantido no… Read more »

cristiano.gr
cristiano.gr
7 anos atrás

Para ver o tipo de desgoverno que impera em nosso país, ainda bem que agora a Dilma parece estar corrigindo os erros do anterior e fazendo coisas mais acertada.

thomas_dw
thomas_dw
7 anos atrás

o Kfir C1 ainda podia se comparar com um Mirage F1 – ja o C10 esta mais para o Mirage 2000-5 em termos de avionica (mas nao de motor), estariamos muito bem com ele, alias, comparar a performance do Kfir C10 com o F-5M ja daria um bom salto.

Mas como sempre estamos esperando algo melhor – uma melhor oportunidade, uma melhor oferta, um melhor acordo acabamos com nada.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
7 anos atrás

Essa informação de oferecimento de F-16 usados da época da RFA 28, e algumas outras, apareceram pouco menos de 10 anos depois no wikileaks:

http://www.aereo.jor.br/2011/01/20/lembrancas-do-%E2%80%98f-x1%E2%80%B2-via-wikileaks-%E2%80%93-parte-2/

http://www.aereo.jor.br/2011/01/19/lembrancas-do-f-x1-via-wikileaks-parte-1/

jairo boppre sobrinho
jairo boppre sobrinho
7 anos atrás

Se o Vader me permite – além das vantagens que o mesmo cita(que eu concordo muito) ainda teríamos mais beneficios: a manutenção dos F-16s já estaria sendo feita aqui(PAMA?) e a doutrina da FAB estaria baseada numa maquina muito mais recente e capaz do que os forever-5.
Abs a todos

marciomacedo
marciomacedo
7 anos atrás

A megalomania e a preferência irrealista pelo novo (sempre com poucas chances de se concretizar) fez com que o país perdesse boas oportunidades como a dos F-16 e das fragatas inglesas e holandesas que, como os caças, foram para o Chile. Quem acredita que o Brasil, um dia, irá operar 120 novos caças novinhos de fábrica.

thomas_dw
thomas_dw
7 anos atrás

Eu acredito que os 120 novos cacas devem comecar a serem entregues main ou menos no mesmo periodo em que o primeiro novo Porta Avioes da Marinha (o primeiro de 2) for incorporado.

Observador
Observador
7 anos atrás

Senhores,

Tem um ditado sobre isto:

QUEM TUDO QUER, NADA TEM.

É a cara das nossas FAs.

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
7 anos atrás

Vai ser rasteiro assim no inferno!!! Chorar por F-16 A/B vão catar coquinhos fã-boys yankees. F-16 é e sempre será uma aeronave de caça LOW. País com aeronáutica de VERDADE não tem espinha dorsal com F-16, ou é pobre ou esta sobre o guarda-chuva de alguém mais forte (OTAN). O problema são os LÍDERES POLÍTICOS BRASILEIROS e nesta questão específica FHC e Lula tem suas culpas na questão. A diferença que o FHC se omitiu de adquirir o caça da FAB e o Lula quis um caça francês que as lideranças da FAB NÃO queriam e se omitiu na função… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Gilzinho, meu caro, O F-16 é da mesma classe do Gripen NG, que é pensado para ser o caça principal de países que levam sua defesa à sério, e faz parte do FX-2. Sem falar que o próprio F-16 é “hi” em um monte de lugar que leva a “Defesa” a sério e que faria nossa FAB parecer uma empresa de transporte de porte modesto. E quando há a presença do f-16 e do Mirage 2000, nitidamente o caça francês é o “lo” do equação. Obs: o Mirage 2000 é a ponta de lança da defesa aérea da 6ª economia… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Ah!
O Gripen é da mesma classe do F-5M. Pode-se dizer que um F-5M “anabolizado”, ou se preferir, em algum lugar entre o F-5M e o F-16.

Requena
Requena
7 anos atrás

O que a FAB já fez de “M” nesses FX dá pra escrever um livro…

Grifo
Grifo
7 anos atrás

Senhores, nestes 12 caças Kfir oferecidos ao Brasil existia algum biplace? Acho que não…

Nesta proposta de F-16 oferecida ao Brasil, teríamos condições de integrar o nosso armamento neles? Também acho que não…

tiagobap
tiagobap
7 anos atrás

Fora o problema do REVO… Já pensaram em ter que adaptar sonda de reabastecimento nos F-16? Acho que não dá…

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás
Vader
7 anos atrás

Grifo disse: 19 de janeiro de 2013 às 12:11 “Nesta proposta de F-16 oferecida ao Brasil, teríamos condições de integrar o nosso armamento neles? Também acho que não…” Caro Grifo a qual armamento exatamente você se refere? Ao Piranha I? Porque tirando esse, ao que eu saiba, só temos três tipos de armamentos: os que não são brasileiros (Derby/Python), os que não estão prontos (A-Darter, MAA-1B, MAN-1 e MAR-1, bombas guiadas, etc.) e os cacarecos antigos que a FAB utiliza a um milhão de anos. Com F-16 MLU poderíamos usar AIM-9 e AIM-120. E duvido que, pagando, os EUA não… Read more »

Grifo
Grifo
7 anos atrás

Caro Vader, estou me referindo a todos, mas em especial ao MAR-1, MAA-1B e ao A-Darter. Como é que ficariam estes programas?

Desculpe, mas nenhum arrependimento nestes dois casos do F-16 e Kfir. Seriam péssimos negócios ambos. Arrependimento mesmo só do governo ter cancelado o F-X e comprado Mirage 2000-C tampão, fazendo um negócio ainda pior…

Giordani
Giordani
7 anos atrás

tiagobap disse:
19 de janeiro de 2013 às 14:57
Fora o problema do REVO… Já pensaram em ter que adaptar sonda de reabastecimento nos F-16? Acho que não dá…

Mas que se danem! Voassem sem sonda mesmo! A desculpa de que a FAB não quis o F-16 por causa da sonda é tão trolagem quanto a de um cidadão que diz por aí que o F-22 é um “demonstrador de tecnologia posto em operação”…

calopesdasilva
calopesdasilva
7 anos atrás

Há dez anos acompanhei pela imprensa especializada (T&D, S&D, RFA, sites – acho que até o PA já tava no ar…)e lembro que o posicionamento da Embraer emperrou bem o processo (FX1), já que o M2000BR não era muito bem visto pelos caçadores que preferiam, dizia a tal impressa, o Su27. Espalhava-se que o F16, além das restrições do Gov Americano, era inapropriado para os nossos areodromos, pois sua tomada de ar sugaria muitos detritos das nossas pistas. Parece que todos os concorrentes da epoca ofereceram propostas tampão, Gripen A, Su27 de primeira geração, F16A e, aquele que aceitamos, M2000A.… Read more »

calopesdasilva
calopesdasilva
7 anos atrás

Na epoca do FX tb exstia o medo de comprarmos algo obsoleto, os concorrentes eram F16C, F18C, Mig29SMT, Su27K, M2000-5 e GripenC. Enquanto que no mercado já estavam entrando o Rafale, o F18E, o Eurofighter e o Su30/35. Hoje vemos no horizonte o F35 e o PAK FA

Vader
7 anos atrás

Grifo disse:
19 de janeiro de 2013 às 15:25

Questão de opinião (e é claro que o amigo sabe mais que eu disso), mas insisto: pagando o preço, não vejo porque não conseguiríamos integrar qualquer coisa aos nossos F-16 MLU.

De qualquer maneira, “Inês é morta”: não temos nem FX, nem FX2, nem “Tampax”, e logo logo nem mais Mirage-2000C.
__________

Giordani disse:
19 de janeiro de 2013 às 16:40

Também sou mais o F-16 sem REVO do que o F-5 com.

E esse cabra do F-22 é mesmo um completo sem noção…

Sds.