Home Aviação de Transporte C-130XJ é ameaça real ao KC-390

C-130XJ é ameaça real ao KC-390

2799
106

A Lockheed Martin está promovendo na FIDAE o seu C-130XJ, versão de baixo custo do incansável quadrimotor de transporte tático Hercules. Isto pode representar uma ameaça direta à Embraer.

A companhia brasileira havia informado anteriormente que a Força Aérea Chilena tinha interesse em adquirir seis jatos de transporte KC-390.

Embora a Lockheed não tenha afirmado que esteja negociando o C-130XJ com o Chile, ela informou que recebeu várias consultas de países da América do Sul sobre o avião. O C-130XJ é algo entre 15 a 20% mais barato que a versão adquirida pela a USAF.

FONTE: Flight International

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: Poder Aéreo

Subscribe
Notify of
guest
106 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
tplayer
8 anos atrás

Esse definitivamente não é o ano da Embraer no ramo de defesa.

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

Que venham os concorrentes!
Eles é que nos ensinam a crescer e melhorar nossos produtos. Não tivesse o Brasil ficado “protegido” tantos anos da concorrência internacional, talvez hoje não tivéssemos o problema da competitividade e produtividade que assolam nossa indústria.

E de cara já ganhamos um concorrente de peso! Afinal é a aeronave militar de transporte mais difundida no mundo não?

Que venha a Lockheed!

Salve a Embraer 😉

Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás

O KC-390 não terá condições de competir na faixa de mercado do C-130 na América Latina, Ásia e na África em especial . O avião está em plena produção, já existe por meio século e aparece no mundo todo. Quando começarem a operar o avião da Embraer em pistas esburacadas, de terra e mal feitas, aparecerão as comparações inevitáveis e o lamento. Seus imensos motores próximos ao solo darão inveja a qualquer fabricante de aspiradores de pó. Vai ser pau e pedra, pedregulho e pedrinha, gambá e quero-quero, tudo será tragado pelo caminho. Vai ter muita palheta quebrada. Em semelhante… Read more »

Nick
Nick
8 anos atrás

A maior ameaça não é o produto em si, mas o sistema de financiamento deles chamado FMS. A Embraer vai precisar que seu BNDES trabalhe muito, se não….

[]’s

Giordani RS
8 anos atrás

A maior ameaça a existência do KC-390 chama-se “governo do braZil”…pois enquanto a Lockheed e os US Governement vão adiante com o programa, aqui os desmiolados de braZília não param de arranjar “parceiros” para o programa 390, mas ficam só nisso, só arranjando parceiro…e cada parceiro…

DrCockroach
DrCockroach
8 anos atrás

Concorrencia aparecendo em varias linhas de produtos; me parece que a Embraer tem um grande futuro, se continuar a tendencia no Brasil, com instalacoes em outro Pais…

[]s!

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Roberto F Santana disse:
2 de abril de 2012 às 11:11

é mesmo né Roberto, por isso que o C-17 e o Il-76 são turbo-hélices! Não havia notado isso!

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

segue uma foto de um C-17, operando em uma pista limpinha, limpinha:
http://www.defpro.com/news/details/12337/

Vader
8 anos atrás

O C-17 é muito maior e de maior capacidade de carga que o Hércules. Seus motores ficam bem mais no alto que ficarão no KC-390. E mesmo assim não tem por regra operar em pistas de terra.

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

Caro Roberto F Santana, Permita-me discordar. A Embraer está desenvolvendo este produto justamente para que ele seja um substituto ao C-130 na FAB e no mundo. Todo o projeto da aeronave foi e está sendo calcado em um sério estudo de benchmark do C-130. Neste sentido, temos como principal cliente a FAB, operadora de C-130 há décadas e, principalmente, uma força aérea que possui requisitos muito específicos quando o assunto é pousar em pistas curtas e despreparadas. A idéia da asa alta já é justamente para não sugar “a sujeira” da pista, como você mesmo comentou. Outra diferença fundamental entre… Read more »

Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás

Prezado Marcelo, O caso do C-17 e do Ilyushin é diferente. São transportes estratégicos, feitos para atravessarem continentes, o C-17 substitui o C-141 e acompanha o C-5 em sua função. Ou seja, não são concorrentes do Hercules e nem do Embraer. Note que a USAF opera e compra os C-130 e o C-17, no caso de operações dessas aeronaves no interior de uma Amazônia ou no interior da Colômbia, do Equador ou do Peru, evidentemente levaria o C-130, que é turbo hélice e mais adequado ao tipo de pista. Quando se voa e se opera no interior desses países que… Read more »

Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás

Prezados Marcelo e Vader,

O Vader tem razão e só confirma meu comentário.
Quanto a foto, foi uma situação tão rara de acontecer que até chamaram o fotografo…

Clésio Luiz
Clésio Luiz
8 anos atrás

A operação de cargueiros a jato em pistas de terra é coisa corriqueira. Para se uma ideia, até Boeing 727 opera em pistas de terra na África. Seria muita inocência pensar que a Embraer não levou as pistas de terra em consideração no projeto da aeronave. Inclusive a FAB tem participado ativamente no desenvolvimento desta, sendo que o projeto já foi modificado algumas vezes para satisfazer as necessidades da FAB. Se a FAB, que tem décadas de experiência em operação em pistas de terra deu o seu aval ao projeto, porque duvidar que ele não operará com segurança em pistas… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

Que chato, o C-130J tem mais backlog a entregar, do que o KC-390 tem intenção de compra.

“…é que o XJ será uma versão “pelada” do C-130, enquanto que o nosso produto virá full, no estado da arte,…”

A principal diferença do C-130XJ p/ o C-130J, será a ausência do sistema automatizado de manejo de carga e de certas características padrão USAF, tem nada de “pelado”, não.

Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás

Prezado Corsario137,

Claro que você pode discordar e sua argumentação é muito boa.
Porém meu caro, eu não posso concordar que C-130 vá ser superado pelo KC390 no mercado mundial como você alega.
Também duvido que vá ter um desempenho superior ao do C-130 em operações em pistas difíceis.
Quanto XJ, não me recordo quais seriam esses equipamentos que seriam retirados nessa versão aliviada, de qualquer forma, não passam de opcionais à escolha do cliente.

DrCockroach
DrCockroach
8 anos atrás

Aqui vai uma lista de produtos industrializados que custam menos no Brasil do que nos EUA:

1- …
2- …
3- …
.
.
ok, ok, nao industrializados:

– Bananas!!! Heeee, nos temos bananas… oops, na verdade o kg da banana prata custa mais em SP do que em Manhattan…

Mas pensem bem, considerando que o PIB per capita dos EUA eh de US$ 48,000 e o nosso eh de US$ 11,000 faz todo sentido, afinal somos ricos, os salarios sao mais altos…

[]s!

Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás

Prezado Clésio Luiz,

Fique parado próximo a cauda de 727 , olhe para cima e tente tocar no motor…
O que a Embraer ou a FAB levam em consideração, eu não sei e nem quero saber, eu comentei somente que um projeto desses está fadado ao fracasso comercial e operacional.
Assim como o Rafale está para Dassault o KC 390 será para a Embraer,
a porta de entrada da falência.

Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás

“Assim como o Rafale está para Dassault o KC 390 será para a Embraer,
a porta de entrada da falência.”

Por favor desconsiderem isso, não estou aqui para ser profeta da desgraça.

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

Tenho pena da FAB, deserdada pelo governo e pela indústria do próprio país.
Tendo que engolir uma aeronave, cuja relevância p/ o mercado é um zero absoluto.
E depois ainda tem que “dar uma mãozinha”, p/ promover os produtos de uma empresa que não se cansa de fazer campanha contra as escolhas da força aérea, qndo estas não lhe atendem o interesse.

Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás

Prezado Mauricio R.

Agradeço suas informações sobre os equipamentos do C-130 e concordo com seu comentário.
Note que nem na antiga URSS acontecia isso, quando os militares não tinham interesse em algo esse algo virava sucata.

wallace
wallace
8 anos atrás

Caro Roberto F Santana, pelo menos nessa imagem eles pensaram nisso:

https://pbrasil.files.wordpress.com/2010/08/kc390_planobrasil_juniopinheiro.png

Saudações!

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Uma série de considerações: 1) O projeto do KC-390 pertence à FAB, financiado pelo Governo Federal, portanto o custo da Embraer será o de produzi-lo e não de projetá-lo; 2) A Embraer considerou no projeto o problema da eventual obsorção de poeira e pedras por parte do motor a jato durante as operações de pouso e decolagem, muito mais no pouso do que na decolagem; 3) Há uma série de limitações operacionais no C-130, seja ele J, M ou X a versão em questão. Eis as mesmas: baixa velocidade (ganha durante os pousos e decolagens, mas perde no longo curso);… Read more »

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Outra coisa importante: os quesitos da FAB são para que os KC 390 operam em pistas SEMI PREPARADAS, o que é completamente diferente de pistas não preparadas.

Eu diria que apesar de estarem muito próximos na concorrência, os quesitos do KC 390 e do C-130 são diferentes.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Mais: durante a fase de avaliação, a Embraer também levou em consideração quesitos de operadores civis, onde o motor a jato leva considerável vantagem.

E ter se lançado em um cargueiro quadrimotr turbo-hélice, esse sim seria um concorrente direto ao C-130.

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

“…a Embraer também levou em consideração quesitos de operadores civis, onde…”

Mas se esqueceu de observar que os operadores civís, usam aeronaves cargueiras derivadas dos modelos transportadores de passageiros e que a infra da carga aérea é direcionada a esses aviões.

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

Caro Maurício R,

O sistema automatizado de carga será apenas um dos ítens e não o principal. A Lockheed obviamente não vai ficar entregando o jogo assim fácil e essa é a resposta padrão que eles tem dado no mercado. A proposta é deixar a aeronave 17 a 19,5 milhões de dólares mais barata e não se consegue isso tirando apenas um sistema automatizado de carga, o que por sua vez já é bastante importante.

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

E também dado que eles não poderão “canibalizar” a fuselagem e não trocarão o motor, o que sobra são sistemas e aviônicos.

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

“A proposta é deixar a aeronave 17 a 19,5 milhões de dólares mais barata e não se consegue isso tirando apenas um sistema automatizado de carga, o que…”

O que aliás tb é mto longe de se afirmar, que a aeronave será fornecida “pelada”.

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

Caro Roberto F. Santana,

Não disse que o KC390 irá superar o C130, apenas que o primeiro está sendo projetado para ser um substituto do segundo, se conseguirá (?) já são outros 500…

O que a Embraer deseja é oferecer uma opção ao mercado além do C-130.

Como disse acima, a Lockheed pretende dimunuir em alguns vários milhões o preço do C130. Dado que o motor e a fuselagem permanecerão iguais, o que sobra pra tirar quase 20 millhões e assim ficar com o mesmo preço que a Embraer projeta para o KC?

Sds.

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

“…o que sobra são sistemas e aviônicos.”

Continue tentando, que vc acerta, mas ainda não foi desta vez:

“The C-130XJ will keep the same Rolls-Royce AE2100 turboprop engines and Honeywell-based avionics suite of the standard model, so its performance will be nearly identical.”

(http://www.flightglobal.com/news/articles/lockheed-unveils-new-cheaper-variant-of-c-130-365751/)

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

O que aliás tb é mto longe de se afirmar, que a aeronave será fornecida “pelada”.

Aí é a história do copo meio cheio, meio vazio…

Se não vão mudar motor e célula, tirar (fazendo uma média) $18,5 milhões em outras coisas não é pelar ela (?) eu não sei o que é.

Vai ver a Lockheed resolveu fazer caridade e vai subsidiar a aeronave para as pobres nações estrangeiras…

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

E lembrando a todos que o KC390 levará 3 toneladas a mais que o C-130.

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

“E lembrando a todos que o KC390 levará 3 toneladas a mais que o C-130.”

Até aí nada de novo ou útil, os europeus estão colocando no mercado uma aeronave (A-400M), que carraga 17 toneladas a mais e nem por isso tá vendendo.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

A Embraer está focando em um nicho de mercado. Muitos operadores vão para o C-130 por não terem opção de uma outra aeronave. O KC-390 vai vender e o C-130 também vai continuar vendendo.

É mais ou menos como elevador cheio: você empurra um daqui e outro dali e acaba indo todo mundo.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

O título do artigo deveria ser: KC-390 é ameaça real ao C-130J

E é por esse motivo que a LM está colocando essa aeronave no mercado. Agora, de onde ela vai tirar esses 15/20% é que eu não sei.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Mauricio R.

O A-400M leva 17 t a mais de carga, mas o preço é outro.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

O C 390 nasceu com capacidade de carga de 19t.
Depois veio o KC 390, com 21t., que aumentou para 23t., 24t, e já
a quem fale em 28t. Mas ai é pura especulação.

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

Pô Maurício, Assim você me mata, ou não kkkkk Meu querido, tal como o KC 390, o C130 não tem um único fornecedor da sua aviônica. Até onde eu sei a Honeywell só é responsável pelo sistema de navegação inercial e mais alguma outra coisa que eu realmente não lembro. Também são parceiros do programa C-130 para aviônicos: Northrop Grumman, Rockwell, GE, Raytheon, uma outra que cuida dos sistemas de comunicação que eu não sei o nome, e mais uma outra que eu também não lembro. Assim, falar que manterão os sistemas da Honeywell é como dizer que vão vender… Read more »

Marcos
Marcos
8 anos atrás

O “Poder Aéreo” está nos devendo uma reportagem sobre o Embraer KC-390, inclusive novas imagens, porque de parte da Embraer, até agora muito pouco. A única coisa digna que temos é aqule video do modelo em escala para teste em túnel de vento.

Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás
Magal
Magal
8 anos atrás

Será que alguém realmente achava que a LM iria deixar a Embraer tomar o mercado cativo dela sem reagir com uma nova versão do Hércules? 🙂

E podem crer que o FMS virá com tudo… e não duvido se o C-27 da USAF acabar sendo substituído por alguns desses e eles ainda oferecerem condições especiais para quem queira se livrar dos seus Hércules velhos.

Vamos ver no que vai dar, mas confio que a Embraer tem um ótimo produto nas mãos, mas vender não vai ser ‘um passeio’.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

O C-130 pousa até em porta aviões. Tá, e dai?

Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás

E daí?
Quero ver um KC-390 fazer isso.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Tá, o KC 390 não pousa em um porta aviões.

E ai?

Na prática: nada!!!

Roberto F Santana
Roberto F Santana
8 anos atrás

Prezado Marcos,

Isso serve de exemplo para mostrar o quanto a aeronave é boa em pousos e decolagens, se o Airbus cargueiro está na Bolívia seria com a intenção de vendê-lo aos bolivianos?…
Ele pousa e decola de 13000fts de altitude, e daí? Perguntaria você.

Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

É uma pena quando a discussão fica pobre 🙁

Pousar um C-130 em um porta-aviões? Isso lá é argumento? Quem é que faz isso operacionalmente? Já fizeram de tudo com o C-130, até instalar “foguetes” para decolagens mais rápidas, mas isso não é operacional.

Carga por carga o A400M leva mais…??? O C-5 Galaxy também, o C17, An-224… Ahn??? A comparação é entre KC390 e C-130 XJ. O que essas aeronaves de categoria superior tem com isso?

Muito triste. Fico por aqui 🙁

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

“Te recomendo a usar com cautela os argumentos de quem está querendo promover o produto.
Tem sempre essas pegadinhas, sofismos e outras manhas de vendedor de carro, quer dizer, avião.”

Como afirmar que a aeronave do concorrente, será fornecida “pelada”, mas sem realmente sabe-lo.

“O A-400M leva 17 t a mais de carga, mas o preço é outro.”

Marcos,

E preço do KC-390 tb é outro, e mais caro daquele do C-130J.

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Mauricio R. disse:
2 de abril de 2012 às 17:07
“Marcos,
E preço do KC-390 tb é outro, e mais caro daquele do C-130J.”

bem Mauricio R., aí é que você se engana…e é também o motivo da LM querer vender uma versão Uno Mille (pelada) do C-130J…pois o KC-390 os está deixando de cabelo em pé!

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Há uma estimativa de mercado, fornecida pela própria Embraer, que o KC 390 tenha preço de venda de US$ 50 milhões, isso lá no lançamento do projeto. Provavelmente haverá ajustes. De qualquer modo o C-130J, em sua configuração básica, é vendido hoje por US$ 62 milhões, podendo chegar a US$ 82 milhões.

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

Algo que tdos aqui falharam em observar. Nenhum programa referente a aeronaves de transporte tático, exceto o C-130J, está caminhando bem. Ao KC-390 faltam encomendas, a aeronave foi posicionada como o antí C-130, mas a estratégia não funcionou, tentaram posicioná-lo próximo do A-400M e novamente não colou. O MTA indiano/russo aparece/desaparece do noticiário frequentemente e isto deverá piorar, pois a IAF está planejando procurar um substituto p/ seus Avros. O C-2 japonês e o Y-9 chinês esporadicamente dão o ar da graça, mas nenhum dos 2 programas está camainhando sem sobressaltos. Mesmo o A-400M, substituto europeu dos C-130 e C-160,… Read more »