Home Noticiário Nacional Embraer vai contra-atacar após cancelamento dos EUA

Embraer vai contra-atacar após cancelamento dos EUA

187
7

Embraer estuda como reagir ao cancelamento de pedido de 20 caças, no valor de US$ 355 milhões, à Força Aérea americana

 

Patrícia Nakamura

O cancelamento do contrato de 20 caças Super Tucano A-29 pela Força Aérea dos Estados Unidos não pegou a Embraer Defesa e Segurança de surpresa, segundo uma fonte próxima das negociações. Tanto que a direção da companhia, comandada por Luiz Carlos Aguiar, já vinha estudando como reagir à perda do contrato.

Oficialmente, a Embraer diz que “aguardará mais esclarecimentos sobre o assunto” mas, de acordo com fonte ouvida pelo Brasil Econômico, a diplomacia brasileira poderá ser acionada e a Embraer não descarta recorrer à justiça americana.

A compra, cancelada ontem por parte da Força Aérea americana renderia US$ 355 milhões aos cofres da Embraer e poderia chegar aos US$ 950 milhões, caso o governo dos EUA ampliasse a encomenda para 55 aviões, que seriam empregados em treinamento e ataque ao solo. O que fez o governo americano voltar atrás no contrato firmado com a companhia brasileira foi o forte lobby da Hawker Beechcraft.

Fundada em 1932 e com receita de US$ 2,8 bilhões, em 2010 – último dado disponível – desde 30 de dezembro do ano passado, a Hawker não fez outra coisa a não ser contestar o resultado da licitação que deu preferência aos caças fabricados pela companhia brasileira. Além de recorrer à justiça para contestar o resultado da concorrência, a Hawker organizou uma campanha no Congresso e na opinião pública, com apelos nacionalistas. Nem as mídias sociais ficaram de fora da estratégia.

A Hawker participou da concorrência com o modelo A-6 (sic), mas teve sua proposta desclassificada pela própria defesa americana por não cumprir exigências da licitação.

A Força Aérea americana disse em nota que cancelou o contrato da Embraer porque encontrou problemas na documentação apresentada pela companhia brasileira e que toda licitação será submetida a investigação. “Buscamos a perfeição, mas às vezes falhamos e tivemos que tomar ações corretivas”, disse o secretário das Forças Armadas Michael Donley.

A Embraer instalaria uma nova linha de montagem em sua fábrica na Flórida e produziria os caças em parceria com a empresa de equipamentos de segurança Sierra Nevada, sua parceria na licitação. A entrega do primeiro jato (sic) estava prevista para 2013. “Venda de armamentos sempre são objeto de árduas disputas internacionais”, lembrou Geraldo Cavagnari, o coronel da reserva da Aeronáutica e especialista em defesa do Núcleo de Estudos Estratégicos da Unicamp.

FONTE: Brasil Econômico

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Edgar
Admin
8 anos atrás

Embraer, filie-se à Boeing no contrato. Esta será a chave do sucesso.

klesson
klesson
8 anos atrás

Quando da suspenção solicitada pela Hawker, em meu comentário aqui no post, disse que a venda seria cancelada e citei a causa principal, a reaproximação pelos Rafales, em detrimento do SH. E isto se confirmou. Ora, realmente, as necessidades de ambas as FA são abissalmente diferentes. Mas, no âmbito comercial, NÃO. Acredito que a reclamação da Hawker poderia ser indeferida, caso o MD não tivesse visitado a Índia. É bem simples, “se você não compra meu produto, também não compro o seu”. Os EUA podem perfeitamente esperar até que o AT6 esteja pronto, pois acredito qu o tempo de desenvolvimento… Read more »

Giordani RS
8 anos atrás

“…a diplomacia brasileira poderá ser acionada e a Embraer não descarta recorrer à justiça americana.”

Qual diplomacia? Aquela que apoia o irão? Aquela que apoia a argentina nas malvinas? Aquela que silencia sobre a invasão do Tibet? Aquela que apoiou um golpe de estado em honduras? Aquela que faz vistas grossas em cuba mas recrimina a prisão de guantánamo? Essa?

edcreek
edcreek
8 anos atrás

Olá,

Para que? ir com o chapeu na mão? como de costume? tipo:

-O Sr. pode me atender?
-Não!
-Ta bom então, desculpa o incomodo….

Abraços,

Baschera
Baschera
8 anos atrás

Vocês já viram um “jedi” nervoso ??

Calma….. não vai ser preciso fazer nada…. o Gen. Norton Schwartz, chefe da USAF, já mexeu os pauzinhos….. e chamou o cancelamento de “vergonhoso”…. mandou rever a documentação e punir severamente os responsáveis.

A nota deve estar aqui no Poder Aéreo daqui a pouco…..

Maracujina para os mais “nervosos”…principalmente os “rafaletes” de plantão !!

Sds.

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Conta aí Baschera!

General Norton Allan Schwartz, Chefe do Estado-Maior da US Air Force, falou o que mesmo?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Ivan
8 anos atrás

Valeu, Baschera, a nota já está no ar.

Hora de desligar o computador agora. Boa noite e bom debate a todos. Paz e amor. Vida longa e próspera. E que a força esteja com vocês.