Home Aviação de Patrulha FAB incorpora nova aeronave de patrulha marítima

FAB incorpora nova aeronave de patrulha marítima

489
2

No dia 30 de setembro, a Força Aérea Brasileira (FAB) vai incorporar a aeronave de patrulha marítima P-3AM à sua frota. O P-3 é a versão militar do famoso avião comercial Lockheed Electra II, que ficou conhecido no Brasil como o avião utilizado na ponte aérea Rio de Janeiro/São Paulo, de 1975 até 1991. A versão militar foi inicialmente concebida para a Marinha dos Estados Unidos, como aeronave especializada em patrulhamento marítimo e guerra antissubmarina.

O P-3AM da FAB foi totalmente modernizado e equipado com modernos sensores eletrônicos e armamentos. A aeronave irá empregar essa grande capacidade na vigilância e proteção das riquezas do Brasil, como o pré-sal, o mar territorial brasileiro e a zona econômica exclusiva.

A cerimônia militar de incorporação da aeronave começa às 10h da manhã de sexta-feira, 30 de setembro, na Base Aérea de Salvador, localizada ao lado do Aeroporto Internacional Luiz Eduardo Magalhães.

FONTE: FAB / FOTO: Airbus Military

SAIBA MAIS:

NOTA DO PODER AÉREO: Para ler matéria completa sobre o P-3AM, compre a revista Forças de Defesa número 2.

2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Lywedcreek Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
edcreek
Visitante
Member
edcreek

Olá,

Otima noticia, são raras na FAB, mas essa é uma ocasião otima para isso, Parabens!!!

Abraços,

Lyw
Visitante
Member
Lyw

E lá estarão nossos patrulheiros, numa base aérea cuja base de caças (interceptadores) mais próxima está no Rio de Janeiro. A base (assim como outras de nossas bases) não tem sistema de defesa anti-aérea (sabemos que os nossos meios de artilharia anti-aérea estão longe de proteger uma base aérea de um ataque com uma aeronave de 4ª geração – e não vou nem citar aqui as de 5ª g.).

Mas enfim, fico feliz que nosso primeiro P-3AM esteja operacional.